Assine já
Destinos

‘Stakeholders’ do turismo e viagens pedem alinhamento e coordenação urgente em resposta à situação pandémica na Europa

Diversas entidades pedem uma abordagem comum e totalmente alinhada sobre a elegibilidade e o momento das doses de reforço, associada à validade contínua e ao uso do Certificado Digital COVID da UE. Em causa podem estar milhões de empregos.

Victor Jorge
Destinos

‘Stakeholders’ do turismo e viagens pedem alinhamento e coordenação urgente em resposta à situação pandémica na Europa

Diversas entidades pedem uma abordagem comum e totalmente alinhada sobre a elegibilidade e o momento das doses de reforço, associada à validade contínua e ao uso do Certificado Digital COVID da UE. Em causa podem estar milhões de empregos.

Victor Jorge
Sobre o autor
Victor Jorge
Artigos relacionados
Retoma “adiada” para 2024, prevê ETC
Destinos
Fotos de banco de imagens por Vecteezy
WTTC pede abandono do “falido e prejudicial” sistema de semáforos britânico
Homepage
UE gera mais de 590 milhões de certificados digitais e admite juntar mais 28 países aos atuais 43
Destinos
Governo reforça linha de apoio à tesouraria de micro e pequenas empresa do turismo em 20M€
Homepage

Em consequência dos mais recentes desenvolvimentos epidemiológicos em toda a Europa, e antes da aproximação da época festiva, um amplo grupo de ‘stakeholders’ do setor do turismo e viagens pede aos Estados-Membros que coordenem e alinhem melhor as suas respostas de políticas de saúde e viagens para evitar a reposição de restrições à liberdade de movimento em toda a Europa.

O Centro Europeu para Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) declarou que, na atual situação epidemiológica, as restrições de viagens são ineficazes na redução da transmissão do vírus, hospitalizações ou mortes. Nestas circunstâncias, considerando que 76,6% da população adulta da UE está agora vacinada e com uma transmissão comunitária já elevada na maioria dos Estados-Membros da UE, “as medidas destinadas a limitar a passagem das fronteiras não trariam qualquer benefício para a saúde pública, mas teriam um impacto negativo nas economias locais”, refere o comunicado assinado por entidades como a ECTAA, A4E, ACI Europe, ETC, ETRC ou WTTC, entre outros.

Estas entidades salientam mesmo que “as restrições obrigatórias de viagens e protocolos de saúde pública devem ser baseados em fortes evidências de benefício, bem como princípios de proporcionalidade”.

Ao destacar que a pandemia global deixou o turismo em toda a Europa a “enfrentar uma crise como nenhuma outra” e à medida que vários países começam a restabelecer as restrições de movimento aos cidadãos, esta comunidade do setor das viagens e turismo avisa que “mais danos podem ser infligidos a um setor que já se encontra em dificuldades e com impactos de longo alcance nas economias da região”.

De acordo com a última pesquisa do World Travel & Tourism Council (WTTC), estão em perigo “até 900.000 empregos em todo o setor do turismo e viagens na UE este ano, caso as restrições às viagens forem reimpostas neste Inverno”. Além disso, WTTC diz que “os governos em toda a UE poderão ver eliminados até 35 mil milhões de euros das respetivas economias” antes do final de 2021, caso as restrições severas às viagens voltem a vigorar.

Caso as restrições permaneçam em vigor durante grande parte do próximo ano, o WTTC admite que isso poderá resultar numa perda de até 143,7 mil milhões para a economia da UE”.

“O turismo europeu não pode funcionar com abordagens nacionais inconsistentes e em constante mudança”, lê-se no comunicado conjunto, advertido as entidades que, “vista de fora da UE, a Europa mais uma vez parece cada vez mais complicada”, salientando que “a coordenação é a única solução para proteger o setor dos efeitos desta prolongada incerteza na Europa”.

Ao admitir que a implementação da vacinação em toda a UE está “entre as melhores do mundo”, as empresas de viagens e turismo “também desenvolveram e implementaram fortes protocolos de saúde e segurança que garantem que as viagens possam ocorrer em circunstâncias seguras”.

Os “stakeholders” signatários deste comunicado advertem para o facto de, em 2021, “mais de dois milhões de empregos foram perdidos em toda a UE neste setor”, destacando os números mais recentes do WTTC que apontam para que, “se as restrições em grande escala forem aplicadas em 2022, mais três milhões de empregos estarão em jogo no próximo ano”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Tunísia é o destino internacional convidado da edição 2023 da BTL

A Tunísia é o destino internacional convidado da 33ª edição da BTL– Bolsa de Turismo de Lisboa, que irá decorrer de 1 a 5 de março de 2023, na FIL – Parque das Nações. Considerado um dos destinos de eleição dos viajantes portugueses, a Tunísia promete apresentar-se com uma programação cultural criada especialmente para o evento.

Publituris

O destino internacional convidado da edição 2023 da BTL tem vindo a reforçar a sua posição enquanto destino de eleição para um público que pretende aliar natureza e praia a cultura e tradição.

Um dos locais de eleição é Djerba.  Com voos diretos frequentes desde 2016, a ilha localizada no Golfo de Gabes, a cinco quilómetros da costa sul da Tunísia, ideal para quem quer aproveitar o sol, mas também para quem tem interesse em atrações históricas e culturais, local paradisíaco com águas cristalinas e quilómetros de praia, tem-se afirmado como um dos destinos prediletos dos viajantes nacionais na região, contribuindo decisivamente para o impacto crescente do mercado português nas estatísticas do turismo tunisino.

Além de Djerba, a Tunísia vai ter a oportunidade de apresentar na feira outros destinos turísticos do país como Monastir, Sousse Port, El Kantaoui e Mahdia, que terão novas rotas.

Refira-se que no final de 2022, o turismo da Tunísia recuperou 95% dos níveis pré-pandémicos, tendo ultrapassado os números associados à recuperação global e europeia, que apontam para os 60%.

Leila Tekaia, diretora do Turismo da Tunísia para Portugal e Espanha promete para esta edição da BTL encontros estratégicos com operadores e agências de viagens, mas também as apresentações dedicadas ao público final, focadas na oferta cultural tunisina.

“A Tunísia tem mantido uma excelente relação com o mercado português e a BTL tem representado um momento fulcral neste elo entre os dois países”, realça a responsável, para acrescentar que ao “longo dos anos, temos recebido cada vez mais viajantes de Portugal, atraídos pela proximidade, mas também por tudo aquilo que a Tunísia tem para oferecer como destino”.

Assim, esta edição “será uma oportunidade única para mostrarmos aos portugueses um pouco do que podem encontrar no nosso território, desde beleza natural a património histórico classificado pela UNESCO, passando por novas rotas culinárias, que os deixará certamente com uma grande vontade de conhecer o nosso país”, sublinha Leila Tekaia.

Para Dália Palma, gestora da Bolsa de Turismo de Lisboa “a presença reforçada da oferta turística tunisina em Portugal vai contribuir para uma BTL mais diversa, mais forte e mais alinhada com os desejos de consumo dos portugueses, num ano que se antevê de novas aventuras em países com tanto por descobrir como a Tunísia”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Turismo

Ministro da Economia antecipa receitas de 22 MM€ no turismo em 2022

O ministro da Economia, António Costa Silva, revelou que as receitas do turismo atingiram os 22 mil milhões de euros em 2022, superando em 20% o valor registado em 2019, naquele que foi considerado o melhor ano turístico.

Publituris

“Portugal terminou o ano de 2022 com 22.000 milhões de euros, o que é absolutamente extraordinário porque, num ano, não só recuperámos aquilo que fizemos em 2019, como superámos os resultados em mais 20%”, disse o ministro da Economia e do Mar, António Costa e Silva.

Ao intervir na sessão de encerramento da inauguração da nova Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão (EHTP), o governante lembrou que o turismo, “um dos motores do desenvolvimento da economia do país, foi altamente flagelado pela pandemia, quase paralisado durante dois anos, conduzindo a uma grande desmotivação” dos agentes económicos.

“Havia muita gente que dizia que para recuperarmos os números de 2019 iríamos demorar três, quatro ou cinco anos, mas conseguimos recuperar durante o ano passado”, sublinhou.

António Costa Silva afirmou que para Portugal “atingir um dos objetivos de ser o destino mais sustentável do mundo, um dos de maior qualidade, “é necessário trabalhar em conjunto, desenvolvendo redes colaborativas”.

“Se construirmos estas plataformas, se tivermos desígnios claros, nós podemos transformar a vida das nossas comunidades, criar riqueza e alinhar o país, sintonizar o país com o futuro”, apontou.

Na opinião do titular da pasta da Economia, “ainda existe preconceito no país em relação ao turismo”, um setor que, lembrou, “é sem dúvida um dos pilares fundamentais do nosso desenvolvimento económico”.

“Nós, no Ministério da Economia, temos uma visão muito clara sobre o turismo: o turismo é uma ferramenta para desenvolver o país do norte ao sul, incluindo as regiões autónomas [da Madeira e dos Açores], porque ele é capilar”, notou.

No mesmo sentido, acrescentou, que o turismo “está nesta altura em todo o espaço nacional e ele é transversal, mobiliza múltiplos setores da economia, desde a construção aos transportes, a todo um conjunto de indústrias”.

“Se nós usarmos esta ferramenta [turismo] no sentido próprio, ela é absolutamente transformadora”, reforçou.

António Costa Silva apontou também a qualidade das novas instalações da EHTP como um “investimento para treinar e formar pessoas, dado que o investimento na educação é o mais produtivo que o país pode ter”.

“A educação […] muda as pessoas e são as pessoas que transformam o mundo. Nós queremos ser o destino mais sustentável do mundo e isso não se faz sem escolas de qualidade”, disse.

O novo edifício da Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão representa um investimento de 2,3 milhões de euros do Turismo de Portugal que permitirá reforçar a oferta formativa na região.

As novas instalações resultam da requalificação do antigo estabelecimento prisional de Portimão, dispondo o edifício de oito salas de aula equipadas com a mais recente tecnologia, duas cozinhas individuais, um auditório com capacidade para 140 pessoas, um bar e um restaurante ‘de aplicação’, que estarão abertos ao público.

Segundo o Turismo de Portugal, os equipamentos digitais vão facilitar “um ensino híbrido que conjugue formação presencial e à distância”.

A Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão é o terceiro estabelecimento de formação na área existente no Algarve, a par de Faro e de Vila Real de Santo António.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Cabo Verde: Santo Antão quer chegar aos principais mercados de turismo de natureza

A ilha cabo-verdiana de Santo Antão pretende tornar-se melhor conhecida junto dos principais mercados internacionais de turismo de natureza com o mapeamento e sinalização dos caminhos vicinais, cujo processo já está a avançar.

Publituris

As autarquias em Santo Antão, através de uma nota, reagiram com satisfação ao arranque do projeto de mapeamento e sinalização dos caminhos vicinais na ilha, que será implementado até maio deste ano, numa iniciativa do governo de Cabo Verde.

O projeto, que está a ser promovido pelo Ministério do Turismo, “em estreita colaboração” com os municípios locais, vai permitir “organizar, melhorar e estruturar o turismo que se pratica em Santo Antão” e colocará esta ilha “nos melhores mercados de turismo de natureza”, avança a mesma nota, citada pela Inforpress.

“O mapeamento e sinalização dos caminhos vicinais é um projeto com impacto em todas as comunidades, pois, visa organizar, melhorar e estruturar o turismo que se pratica em Santo Antão. Estamos certos de que este será um enorme contributo para a promoção desta ilha nos melhores mercados de turismo de natureza”, realçou.

Os trabalhos, a cargo de um consórcio do qual fazem parte a Associação para a Defesa do Património de Mértola, Portugal, e as empresas PATH – Portugal Active Tourism in Holidays e Letras Encantadas Estudos e Projecto, já arrancaram, refere a mesma fonte, incidindo, nesta primeira fase, no levantamento do património, bem como dos serviços e equipamentos turísticos ao longo das rotas.

Ainda nesta fase, conforme notícia veiculada pela Inforpress, está-se a avaliar o estado dos caminhos vicinais e das zonas com potencial para a construção de miradouros, procedendo ainda à identificação de pontos de interesse turístico e ao levantamento cartográfico.

Mais de 80 percursos distribuídos pelos três municípios de Santo Antão deverão ser mapeados e sinalizados até maio, altura em que passarão a ser divulgados através de um conjunto de comunidades virtuais especializadas sobre ‘trekking’ e ‘trail running’.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Rio de Janeiro tem novo guia para orientar visitantes

A cidade do Rio de Janeiro acaba de lançar um novo guia para auxiliar os visitantes tanto nacionais como internacionais, com dicas sobre os meios de transporte, alojamento, bares, restaurantes, entre outras.

Publituris

Sabendo que a capital carioca atrai milhares de visitantes durante todo o ano, o Procon-RJ desenvolveu um guia com dicas e informações importantes, baseado no código de defesa do consumidor, para que os visitantes tenham uma experiência agradável e com todos os direitos garantidos, indica a imprensa local.

O manual, disponível em três idiomas, português, inglês e espanhol, podendo ser acedido nas redes sociais e site da instituição de proteção e defesa do consumidor, foi criado a pensar nas necessidades de um turista, desde as formas de pagamentos dos transportes públicos, privados, aéreos e rodoviário, orientações nos casos de cancelamentos ou atrasos de voos ou autocarros, informações de alojamento, restaurantes, além dos pontos turísticos mais famosos e que valem a pena visitar na capital.

 

Cássio Coelho, presidente do Procon/RJ, afirma que “criamos um guia objetivo, mas que aborda os principais temas que podem gerar dúvidas e evitar aborrecimentos, com a intenção de proteger, orientar e acolher os nossos visitantes consumidores, que tanto contribuem para a economia do estado”.

O responsável lembra que “é importante que o fornecedor entenda que, o consumidor bem atendido, respeitado nos seus direitos, com soluções rápidas nos imprevistos, tem maior chance de regressar ao nosso Estado e ainda pode recomendar o Rio como um bom destino de viagem”.

Além disso, a organização possui um grupo de trabalho direcionado ao atendimento do consumidor turista, nacional ou estrangeiro e de grandes eventos – ProconTur, criado no início da atual gestão do Procon-RJ. Nos dias de Carnaval, um plantão especial estará de prontidão, bem como, nos principais eventos no decorrer do ano.

Ainda segundo Cássio Coelho, “o objetivo do ProconTur é dar maior rapidez na solução dos problemas dos consumidores que possam surgir durante a visita em nosso estado, já que estes estão de passagem e precisam ter os seus direitos garantidos e problemas solucionados dentro de um prazo diferenciado, tornando assim, a experiência de conhecer o Rio muito mais agradável, garantindo que esses turistas regressem mais vezes”.

O guia para os turistas pode ser acedido através do link  https://bit.ly/Guia_para_o_consumidor_turista_ProconRJ ou pelo QRcode e também será distribuído na sua forma impressa nas principais entradas de turistas no estado.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Portugal entre os destinos preferidos dos franceses

Depois de Marrocos, Portugal foi o destino turístico que mais atraiu os franceses em 2020 de acordo com uma investigação conduzida pelo buscador de viagens Liligo.

Após dois anos de crise sanitária, os franceses saíram de férias em 2022 e apreciaram especialmente a cidade marroquina de Marrakech, que conquistou o primeiro lugar entre os principais destinos o ano passado.

O estudo divulgado pelo “Air Journal” revela que Marraquexe, em Marrocos, foi o destino preferido dos franceses, em 2022 e pelo segundo ano consecutivo, principalmente pelo seu preço. O ano passado, o custo de uma viagem de avião de ida e volta caiu 35% face a 2019, revela o “Air Journal”. Assim, bastou pagar em média 207 euros em transporte para uma deslocação à “cidade vermelha”.

Portugal também encantou os turistas franceses em 2022.  A capital, Lisboa, ocupa o segundo lugar, seguida do Porto na terceira posição. Istambul foi a quarta escolha, depois Barcelona que está em quinto lugar entre os principais destinos do ano que agora terminou.

Neste ranking constam também os conhecidos por Territórios Ultramarinos, com Saint-Denis, a principal cidade da Ilha Reunião, na sexta posição com uma média de ida e volta de 861 euros, enquanto Guadalupe representada por Pointe-à-Pitre é a sétima. Os franceses também fizeram férias no próprio país e, neste caso Nice está em oitavo lugar.

Para fechar este ranking, está a América do Norte. Montreal está em 9º lugar. A viagem de ida e volta custa em média 544 euros. “Air Journal” sublinha finalmente a caída de Nova Iorque, que deu o seu décimo lugar a Fort-de-France, na Martinica, cujo preço médio de ida e volta aumentou 15% entre 2020 e 2021.

Entretanto, segundo informação veiculada pelo “Infotravel”, 70% dos franceses já viajaram em 2022 e 71% pretendem fazê-lo este ano. Do lado das intenções, os Territórios Ultramarinos e Europa serão os destinos preferidos por 65% dos inquiridos

Mais uma vez o automóvel será o principal meio de transporte para 71% dos inquiridos, seguido do avião (30%) e do comboio (27%).

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Destinos

Loja Interativa de Ponte da Barca e Castelo de Lindoso acolheram mais de 25 mil visitantes

O ano passado, a Loja Interativa de Turismo de Ponte da Barca, juntamente com a Porta e Castelo de Lindoso registaram mais de 25 mil turistas oriundos dos diversos pontos do país e do mundo, designadamente de Espanha, França e Países Baixos, anunciou a Câmara Municipal.

Publituris

A Loja de Turismo, onde funciona também o Centro Interpretativo do Património Fernão de Magalhães, “é um dos pontos de passagem obrigatória, localizada no centro histórico de Ponte da Barca, junto à zona ribeirinha e à ponte Medieval, um dos ex-libris da vila minhota. O espaço integra-se numa rede estruturada de informação e serviços, partilhando conteúdos em tempo real e disponibilizando informações sobre o concelho e toda a região”, destaca a autarquia.

Também na freguesia de Lindoso, onde se situam os emblemáticos espigueiros, a Porta e o Castelo, mereceu a visitação de muitos turistas. A porta do Parque Nacional da Peneda Gerês – classificado pela UNESCO como Reserva Mundial da Biosfera -, é, refere a Câmara Municipal de Ponte da Barca em comunicado, “uma estrutura privilegiada de receção aos visitantes e de promoção de todo um património natural, cultural e paisagístico e de diversas atividades como visitas ao castelo ou da promoção de ação de educação ambiental”.

“Mas Lindoso é atrativa também pelo seu conjunto de espigueiros que se estendem por uma vasta eira junto ao Castelo e pelo seu Castelo que foi palco de algumas das batalhas mais duras que, desde o reinado de Afonso III, afirmaram a independência de Portugal e que, nos dias de hoje, acolhe ainda o Núcleo Museológico”, sublinha o comunicado.

“Além dos espigueiros e do castelo, é possível observar uma pequena ponte medieval, várias calçadas medievais, o castro de Cidadelhe, os moinhos de água de Parada ou as eiras comunitárias. Nas redondezas encontra ainda a deslumbrante paisagem da albufeira do Lindoso, onde se situa, também, a Barragem da Alto Lindoso”, realça.

“A beleza do património natural e a riqueza do património histórico, acrescidas de uma gastronomia extraordinária, de excelentes unidades hoteleiras, valências desportivas e de lazer e de uma oferta desportivo-cultural de referência têm contribuído para a maior atratividade do concelho de Ponte da Barca”, conclui a autarquia.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Mário Centeno ouve entidades do turismo em reunião no Algarve

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, reuniu-se sexta-feira, na agência de Faro do BdP, com representantes do setor do turismo para auscultar as suas preocupações sobre o contexto económico nacional e internacional e os desafios que se colocam à sua atividade.

Publituris

Na reunião, segundo comunicado do Banco de Portugal, que faz parte de um conjunto de iniciativas destinadas a aproximar a instituição da comunidade, os participantes partilharam a sua visão sobre o setor do turismo e sobre os impactos da subida dos preços e das taxas de juro na atividade económica do país, permitindo ao Banco de Portugal obter uma visão mais próxima da realidade do setor.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Reabertura da China é “boa notícia” para Portugal, considera Associação de Turismo Chinês

A Associação de Turismo Chinês considera que a reabertura da China é “boa notícia” para Portugal, e acredita que o número de turistas chineses a visitar o nosso país vai aumentar “mês a mês”.

Publituris

Yong Liang, presidente da associação, fundada em fevereiro de 2019, com o objetivo de promover Portugal na China como destino turístico, disse à Lusa que à medida que operadores em todo o mundo se preparam para o regresso de dezenas de milhões de chineses ao mercado global, “a reabertura da China é uma boa e positiva notícia para a indústria do turismo em Portugal”.

Alertando para a necessidade de aumentar a frequência da ligação aérea entre os dois países, Liang acredita que o número de turistas a visitar Portugal vai aumentar “mês a mês”.

A associação estabeleceu anteriormente como objetivo atingir um milhão de turistas chineses em 2025, mas com a pandemia “talvez demoremos um pouco mais, mas vamos continuar a trabalhar para esse primeiro objetivo, bem como para dar resposta ao desafio que nos foi apresentado de aumentar a estada média dos turistas chineses em Portugal”, afirmou Yong Liang.

Entretanto, dados facultados à Lusa por Tiago Brito, o representante permanente do Turismo de Portugal na China, mais de 385 mil chineses visitaram Portugal em 2019, o último ano antes da pandemia. Os turistas oriundos da China gastaram, no total, 224 milhões de euros no país, um crescimento de 20%, face a 2018.

A China, o maior emissor de turistas do mundo, manteve as fronteiras encerradas durante quase três anos, no âmbito da política de ‘zero casos’ de covid-19, que foi desmantelada, no mês passado, após protestos ocorridos em várias cidades do país.

A ligação aérea entre Portugal e a China passou a ser feita apenas uma vez por semana. Até ao início da pandemia, o voo realizava-se três vezes por semana.

A companhia aérea Beijing Capital Airlines, que opera a ligação, previu à Lusa que a reposição da frequência original deve ser feita até ao verão, apontando que as agências chinesas ainda não estão a organizar viagens para Portugal e Espanha. Tudo “vai depender da evolução do mercado”, referiu fonte da empresa.

O Instituto de Pesquisa de Turismo Externo da China estimou que 18 milhões de turistas chineses vão viajar além-fronteiras no primeiro semestre do ano, seguidos por 40 milhões no segundo.

Em 2019, 155 milhões de chineses viajaram para o exterior, de acordo com uma análise do banco de investimento norte-americano Citigroup.

A mesma análise, citada pela Lusa, apurou que, no total, os turistas oriundos da China continental gastaram 255 mil milhões de dólares (235 mil milhões de euros) no exterior, no último ano antes da pandemia, tendo projetado uma recuperação sólida, no primeiro trimestre de 2023, e um retorno em massa do turismo, no segundo.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Ministra do Turismo do Brasil quer reduzir preço das passagens aéreas para estimular turismo doméstico

Daniela Carneiro diz que “reduzir o preço da passagem aérea para incentivar o turismo doméstico é uma das prioridades” da sua gestão, depois dos preços das passagens aéreas no Brasil terem subido perto de 14%.

Publituris

A nova ministra do Turismo do Brasil, Daniela Carneiro, diz que a sua prioridade é reduzir o preço das passagens aéreas para estimular o turismo doméstico, avança a CNN Brasil.

De acordo com a governante, o objetivo passa por encontrar “uma solução que democratize o acesso à aviação brasileira”, cujos preços sofreram um aumento de 13,9% em outubro de 2022, em resultado do aumento da procura e do preço do combustível.

“Reduzir o preço da passagem aérea para incentivar o turismo doméstico é uma das prioridades da minha gestão”, afirmou Daniela Carneiro, revelando que, ainda este mês, vai promover uma reunião interministerial para encontrar soluções que promovam a descida dos preços.

Daniela Carneiro já se reuniu, entretanto, com a ABEAR – Associação Brasileira de Empresas Aéreas para discutir o tema.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Centro de Interpretação da Batalha dos Atoleiros

Destinos

Governo atribui designação de “monumento nacional” ao Terreiro da Batalha dos Atoleiros

O governo atribuiu, em Conselho de Ministros, a designação de “monumento nacional” ao Terreiro da Batalha dos Atoleiros e aprovou ainda a reclassificação como monumento de interesse nacional o Mosteiro de Santo Sepulcro.

Publituris

O Governo decidiu esta quinta-feira, 19 de janeiro, em Conselho de Ministros, atribuir a designação de “monumento nacional” ao Terreiro da Batalha dos Atoleiros, na Herdade dos Atoleiros, em Fronteira.

“O Terreiro da Batalha dos Atoleiros constitui uma importante paisagem natural e histórico-cultural onde se conserva tanto a topografia original, como a memória material e simbólica do episódio bélico ocorrido em 1384 entre Portugal e Castela, de grande significado no quadro da resolução da crise dinástica gerada após a morte de D. Fernando I”, justifica o executivo em comunicado.

O Conselho de Ministros desta quinta-feira aprovou ainda a reclassificação como monumento de interesse nacional o Mosteiro de Santo Sepulcro, ou Mosteiro das Águas Santas, em Penalva do Castelo, Viseu.

O Mosteiro de Santo Sepulcro, que se encontra classificado como monumento de interesse público desde 2013, mantém “a zona especial de proteção anteriormente fixada”, uma vez que representa “um valioso testemunho da remota época da sua fundação e um singular exemplar artístico e arquitetónico do estilo românico”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.