Assine já

default

Transportes

O épico regresso da Norwegian Cruise Line ao Mediterrâneo

Aceitámos o convite da Norwegian Cruise Line (NCL) para viajar no primeiro cruzeiro para vacinados do Norwegian Epic, um dos navios que marcaram o grande regresso da companhia de cruzeiros norte-americana ao Mediterrâneo.

Inês de Matos

default

Transportes

O épico regresso da Norwegian Cruise Line ao Mediterrâneo

Aceitámos o convite da Norwegian Cruise Line (NCL) para viajar no primeiro cruzeiro para vacinados do Norwegian Epic, um dos navios que marcaram o grande regresso da companhia de cruzeiros norte-americana ao Mediterrâneo.

Inês de Matos
Sobre o autor
Inês de Matos
Artigos relacionados
MSC Cruzeiros aumenta e enriquece itinerário do MSC Magnifica
Homepage
NCL prolonga suspensão da operação até 30 de novembro
Homepage
MSC Cruzeiros coloca segundo navio em operação no Mediterrâneo
Homepage
MSC Grandiosa já retomou cruzeiros no Mediterrâneo
Homepage

Aceitámos o convite da Norwegian Cruise Line (NCL) para viajar no primeiro cruzeiro para vacinados do Norwegian Epic, um dos navios que marcaram o grande regresso da companhia de cruzeiros norte-americana ao Mediterrâneo.

Norwegian Getaway e Norwegian Epic, no porto de Civitavecchia, Roma.

Civitavecchia, porto de Roma, 8 de setembro de 2021. Depois de mais de 500 dias de suspensão da atividade devido à COVID-19, a Norwegian Cruise Line (NCL) assinalou com uma cerimónia na capital italiana o regresso aos cruzeiros no Mediterrâneo, com o encontro no porto de Civitavecchia dos navios Norwegian Epic e Norwegian Getaway. Além do regresso dos navios à operação – respetivamente o quarto e quinto da frota da NCL a retomarem os cruzeiros – a cerimónia, que contou com a presença de Eamonn Ferrin, vice-president of International Business da NCL e Kevin Bubolz, vice-president e managing director Europe da companhia, bem como de Pino Musolino, responsável pelo porto italiano, marcou também a retoma dos itinerários por mais do que um país, algo que não tem sido fácil devido às restrições na sequência da pandemia.
O regresso à atividade, sublinhou Eamonn Ferrin, só foi possível porque a NCL estabeleceu um programa de saúde e segurança, denominado SailSAFE, com base nas recomendações de um painel de especialistas, que tem sido seguido à risca e que assenta em três pilares: segurança para tripulantes e passageiros, segurança a bordo e segurança em terra. Foi por isso que a companhia tornou obrigatória a vacinação de tripulantes e passageiros, assim como a realização de um teste rápido antes do embarque, reduziu a capacidade dos navios e criou um sistema de excursões em bolha, que vigora nos países onde os passageiros ainda não estão autorizados a deixar o navio e visitarem os destinos por sua iniciativa, como Itália. “Não tínhamos o objetivo de sermos os primeiros a regressar, tínhamos era o objetivo de fazer as coisas bem. Preferimos esperar um pouco mais, houve momentos em que poderíamos ter recomeçado, mas pensámos que não era a altura certa. Agora que estamos de regresso, é com a certeza de que temos tudo pronto”, explicou Kevin Bubolz.
Devido às restrições, a NCL foi obrigada a adaptar os itinerários, mas esta foi uma das poucas mudanças ditadas pela COVID-19, já que, a bordo, a experiência pouco se alterou, tal como o Publituris testemunhou entre 5 e 8 de setembro, durante uma press-trip no Norwegian Epic entre Barcelona e Roma, que contou com a participação de nove jornalistas de várias partes do mundo. Venha connosco descobrir o Norwegian Epic e conhecer a experiência num cruzeiro apenas para vacinados.

Segurança

O encontro com o Norwegian Getaway aconteceu quatro dias depois da partida do Norwegian Epic de Barcelona, em Espanha, e que marcou o regresso do navio ao porto onde estava baseado antes da pandemia. A partida da capital catalã – mais de 500 dias depois do início da pandemia – foi, também por isso, um momento marcante, que muitos passageiros fizeram questão de imortalizar em vídeo e fotografia.
Mas, para outros tantos, a emoção começou logo no terminal portuário, com os procedimentos de embarque, de que muitos passageiros tinham já saudades. “Obrigada por voltarem a navegar”, ouvia-se frequentemente entre os passageiros que, ansiosos, aguardavam a chamada para o teste rápido antes do embarque. “O teste é um pequeno preço que todos têm de pagar para poderem estar a bordo e viver a experiência de um cruzeiro”, explicou Nélson Martins, hotel director do navio, sublinhando que a principal preocupação da NCL é garantir a segurança de todos a bordo. Caso algum passageiro tenha um resultado positivo antes do embarque, é encaminhado para os hotéis-COVID-19, para uma quarentena de 14 dias e que será suportada pela companhia, caso o passageiro tenha um teste que comprove que estava negativo antes da chegada ao porto.
Como este era um cruzeiro apenas para vacinados – como tem acontecido com todos os cruzeiros da NCL desde o regresso, que aconteceu em julho, com itinerários no Norwegian Jade pelas Ilhas Gregas -, antes do teste foi preciso apresentar o certificado de vacinação, já que apenas os passageiros completamente vacinados há mais de 14 dias e com uma das quatro vacinas aprovadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – Pfizer, Moderna, AstraZeneca ou Janssen – são autorizados a embarcar.
Certificado apresentado e teste realizado – com resultado negativo confirmado – era hora de subir a bordo do Norwegian Epic e começar a desfrutar de tudo o que este navio, com capacidade para 4.100 passageiros e 1.400 tripulantes, tem para oferecer e com toda a segurança, já que, além do uso obrigatório de máscara, a bordo é também mantido o distanciamento social de forma fácil, pois a ocupação do navio não ultrapassa, nesta fase, os 70%. Além destas medidas, a NCL reforçou também a limpeza e desinfeção, o que leva a que o Norwegian Epic, assim como os restantes navios da NCL, “sejam o sítio mais seguro do mundo”, como diz Nélson Martins, que considera que “nenhum outro destino é tão seguro quanto um cruzeiro”. “Não digo que os outros sítios não são limpos, mas não têm as medidas sanitárias que nós temos”, reforça, considerando que “o importante é que as pessoas continuem a ter umas férias fantásticas mas seguras”.

Experiência

Com tanta preocupação com a segurança, era de esperar que também a experiência dos passageiros pudesse ser afetada, mas tal não poderia estar mais longe da realidade, já que ela continua muito fiel à original. E Nélson Martins diz mesmo que, se alguma coisa mudou, terá sido até para melhor, pois a companhia reduziu o número de passageiros, mas não o de tripulantes. “Como reduzimos a ocupação, a experiência a bordo está até melhor, porque mantivemos o mesmo número de tripulantes para menos passageiros, o que quer dizer que o rácio entre passageiros/tripulantes aumentou”, afirma, revelando que os 1.400 tripulantes do Norwegian Epic foram vacinados no porto de Civitavecchia, ao abrigo de um acordo de cooperação entre as autoridades italianas e a companhia de cruzeiros.
Além dos tripulantes do Norwegian Epic, também os do Norwegian Gateaway foram vacinados em Civitavecchia, num total que rondou os três mil tripulantes da NCL e que ascendeu a perto de seis mil tripulantes, contabilizando as outras companhias de cruzeiros.
A bordo e além da redução da ocupação, foram feitos apenas pequenos ajustes, a exemplo dos turnos de refeições, que foram alargados até às 22h00, já que tudo o resto se encontra a funcionar em perfeita normalidade, dos restaurantes buffet ao Spa, passando pelas piscinas, casino e outras atividades de entretenimento.
Diferentes continuam, no entanto, as excursões em vários países europeus. Devido à COVID-19, países como Itália ou França continuam a exigir que as excursões sejam realizadas em ‘bolha’, de forma a restringir os contactos dos passageiros em terra, o que é visto como uma dificuldade acrescida pelas companhias. “Preferíamos que os passageiros pudessem visitar os destinos por sua própria iniciativa. Espero que isso venha a mudar, porque é uma dificuldade”, indica Nélson Martins, explicando que a situação é diferente em cada país e que, por isso, o regresso do Norwegian Epic ao Mediterrâneo é ainda mais especial, pois é o primeiro navio a realizar um itinerário por mais do que um país e com embarques em dois (Espanha e Itália, com saídas de Barcelona ou Civitavecchia). “Somos o único navio no Mediterrâneo a fazer mais do que um país e somos o único a fazer embarques em dois países. Nenhuma outra companhia está a fazer isso”, congratula-se.
Ainda assim, houve algumas adaptações no itinerário, uma vez que, acrescenta Kevin Bubolz, com as restrições em França, a NCL optou por aumentar as escalas em portos espanhóis – a exemplo de Palma de Maiorca, onde o Norwegian Epic se estreou a 6 de setembro -, em detrimentos dos portos franceses. É que, em Espanha, as excursões não têm necessariamente de decorrer em ‘bolha’ e os passageiros podem sair livremente do navio.

Futuro

A segurança e o facto da experiência a bordo se ter mantido praticamente te inalterada, têm levado muitos cruzeiristas a retomar as suas férias nestes navios. Ao Publituris, Kevin Bubolz explicou que a companhia de cruzeiros tem recebido um feedback positivo dos passageiros, que dizem ter escolhido a NCL para viajar porque a companhia conta com “um produto seguro, com regras consistentes” e porque optou por “realizar apenas cruzeiros onde toda a gente a bordo está vacinada”. “Sabemos que este é o sítio mais seguro da terra. Onde mais podemos ir e toda a gente está 100% vacinada e ainda por cima foi testada também? Creio que as pessoas estão a reconhecer o nosso esforço e é por isso que as reservas para o próximo ano estão muito acima do que alguma vez estiveram. A perspetiva é muito boa para o próximo ano”, admite o responsável, reconhecendo que a opção de tornar a vacinação obrigatória colocou a NCL em vantagem face a outras companhias, onde a garantia de segurança não conta com o conforto da vacina. “As hipóteses de apanhar COVID-19 dentro de um navio são 0,01%. Claro que não conseguimos controlar tudo, mas temos muitos procedimentos para garantir que isso não acontece”, acrescenta.
Por isso, revela ainda o responsável, as vendas para o próximo ano “estão a correr muito bem”, também porque “as pessoas acreditam que a situação vai estar melhor e que os governos vão levantar as restrições e deixem de impor quarentenas”. A única exceção são as Caraíbas, uma vez que muitos passageiros ainda aguardam que os EUA reabram as fronteiras aos turistas provenientes da Europa.
Mas a procura mostra, acrescenta o responsável, que o futuro dos cruzeiros deverá ser dourado, até porque, anualmente, existiam 30 milhões de cruzeiristas, que estarão agora desejosos de recuperar o tempo perdido. “Portanto, em dois anos de pandemia, são já cerca de 60 milhões de pessoas que deixaram de fazer um cruzeiro e isso nota-se, vemos que as pessoas têm muita vontade de viajar e ter uma experiência inesquecível”, explica Kevin Bubolz, considerando, por isso, que a NCL retomou a operação “na altura certa”.

Lisboa volta a entrar nas contas da NCL em 2022 e 2023

Tal como os restantes mercados, também Portugal tem dado uma boa resposta nas reservas e, como revela Kevin Bubolz, a NCL conta com várias reservas de cruzeiristas nacionais para os itinerários que assinalam a retoma. Apesar de ter uma pequena dimensão, o mercado português “tem vindo a crescer e é um mercado muito interessante”, onde a
companhia quer ganhar quota, motivo pelo qual tem vindo a fazer uma aposta no reforço da comunicação e promoção em território nacional.
Além da importância do mercado em termos de vendas, Portugal tem ganho também relevância para a NCL enquanto porto de escala e, no próximo ano, a companhia tem já prevista uma escala do Norwegian Star em Lisboa, a 27 de novembro, num transatlântico com destino ao Rio de Janeiro, Brasil. No ano seguinte, a NCL vai aumentar o número de
itinerários com escala em Portugal e conta que oito dos seus navios realizem escala na capital portuguesa, incluindo o Norwegian Prima, novo navio da companhia, que deverá entrar em operação em agosto de 2022.

Norwegian Epic, um navio especial

Inaugurado em 2010, o Norwegian Epic é, ainda hoje, um navio único e especial. Com mais de 329 metros de comprimento e capacidade para 4.100 passageiros, é o único da sua classe na frota da NCL e o único construído em França.
Além da dimensão, o Norwegian Epic conta também com características que fazem dele um navio especial, como o parque aquático que contou com o primeiro tobogã em alto mar, o bar de gelo, o espaço reservado a adultos Spice H2O, que é inspirado na ilha de Ibiza, ou Mandara Spa, que promete relaxar até os mais tensos. O navio conta ainda com mais de 20 restaurantes e bares, café Starbucks, casino e teatro, com espetáculos todas as noites.
No ano passado, o Norwegian Epic foi submetido a um processo de renovação, que aumentou para 75 o total de suites The Heaven, área de luxo que funciona sob o conceito de um hotel boutique e que conta com restaurante próprio, solário e piscina privada

 

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Artigos relacionados
Aviação

Azores Airlines chega pela primeira vez a um milhão de passageiros num ano

A Azores Airlines alcançou esta terça-feira, 29 de novembro, a marca de um milhão de passageiros, naquela que foi a primeira vez que a transportadora açoriana chegou a este resultado num único ano.

A Azores Airlines, companhia aérea do Grupo SATA que realiza os voos internacionais, alcançou esta terça-feira, 29 de novembro, a marca de um milhão de passageiros, naquela que foi a primeira vez que a companhia aérea açoriana chegou a este resultado num único ano.

“Trata-se de um dia simbólico para todos os que trabalham para tornar possível o crescimento da operação aérea da Azores Airlines. E nada pareceu fazer mais sentido do que partilhar o nosso entusiasmo e o sucesso alcançado com os
passageiros que escolhem viajar connosco. Afinal, sem a confiança que os nossos passageiros depositam em nós, não teríamos alcançado esta marca histórica na companhia aérea, de mais de 1 milhão de passageiros transportados num só ano”, congratula-se Luís Rodrigues, presidente do Grupo SATA.

Para assinalar a marca, a Azores Airlines promoveu uma cerimónia em que o presidente do Grupo SATA entregou ao passageiro um milhão um “boarding pass” redimensionado em honra da ocasião e um certificado de presença neste voo especial.

Recorde-se que, a 3 de agosto de 2022, o grupo SATA atingiu a marca de 1 milhão de passageiros transportados no cômputo da atividade das duas companhias aéreas, SATA Air Açores e Azores Airlines, num registo que foi alcançado antes
do que se previa, já que as companhias aéreas do Grupo SATA superaram as expectativas no que respeita à recuperação do tráfego no período pós-pandémico.

No verão de 2022, as duas companhias aéreas transportaram mais passageiros do que no ano pré-pandémico de 2019, motivo pelo qual o resultado agora alcançado pela Azores Airlines vem “reforçar a tendência crescente da procura pelos serviços proporcionados pela companhia aérea”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

easyJet reduz perdas anuais em 80%

A easyJet registou um resultado liquido negativo de 194,3 milhões de euros no último ano fiscal, que terminou a 30 de setembro, valor que traduz uma redução de 80% das perdas registadas em igual período do ano passado.

A easyJet registou um resultado liquido negativo de 194,3 milhões de euros no último ano fiscal, que terminou a 30 de setembro, valor que traduz uma redução de 80% das perdas registadas em igual período do ano passado.

Antes de impostos, o prejuízo da easyJet chegou aos 239 milhões de euros, valor que compara com as perdas de 1191 milhões de euros que a companhia aérea low cost britânica tinha apresentado em no final do anterior ano fiscal.

De acordo com a Lusa, que cita um comunicado da companhia aérea enviado à Bolsa de Valores de Londres, a redução das perdas ficou a dever-se ao bom desempenho da easyJet no último verão, que permitiu aumentar os lucros totais da companhia aérea para 6.634 milhões de euros, num crescimento de 295% face ao ano anterior.

“A EasyJet tem um bom desempenho em tempos difíceis”, afirma Johan Lundgren, CEO da easyJet, sublinhando que a forte receita registada no quarto trimestre do ano foi determinante para a melhoria dos resultados anuais.

Já os prejuízos operacionais foram de 31 milhões de euros, o que traduz uma forte recuperação face 1.046 milhões de euros contabilizados no mesmo período do ano passado.

A 30 de setembro, o ativo líquido da easyJet ascendia aos 2.912 milhões de euros, enquanto a dívida liquida da companhia aérea low cost chegava aos 770 milhões de euros.

O CEO da easyJet considera que, com estes resultados, a transportadora está bem posicionada para regressar aos lucros, apesar do ambiente de “alto custo” que a aviação está a viver.

No último ano fiscal, a easyJet transportou também 69,7 milhões de passageiros, o que corresponde a um aumento de 242% em relação ao ano anterior, enquanto a taxa de ocupação foi de 85,5%, face a 72,5% no ano anterior.

A companhia aérea revelou ainda que, neste ano fiscal, ofereceu uma capacidade de 81,5 milhões de lugares, num total de 320 aeronaves operadas até 30 de setembro.

Passageiros crescem também nas rotas de Portugal

Os resultados da easyJet foram também positivos ao nível dos passageiros transportados nas rotas portuguesas da companhia aérea, uma vez que, nas 71 rotas operadas no ano fiscal de 2022, a easyJet alcançou “um novo recorde de 7.431 928 passageiros”, o que traduz um crescimento de 174%.

“Foi registado um crescimento de 174% no número de passageiro em Portugal, valor que ultrapassa os níveis registados em 2019, tornando-se no melhor ano fiscal de sempre da easyJet em Portugal (+ 3% do que o recorde anterior – FY19 ano pré-pandemia)”, acrescenta uma nota da companhia aérea.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

LATAM Boeing 787-9 Dreamliner photographed on May 13, 2016 from Wolfe Air Aviation Learjet 25B.

Transportes

LATAM Airlines lança NDC a partir de 1 de maio de 2023

Novo sistema de distribuição da LATAM Airlines para as agências de viagens entra em vigor a 1 de maio de 2023 e, até lá, decorre um período de transição.

A LATAM Airlines anunciou que, a partir de 1 de maio de 2023, o seu atual modelo de distribuição vai mudar, passando o conteúdo a companhia aérea a ser disponibilizado através do NDC by LATAM, uma nova ferramenta que recorre à tecnologia New Distribution Capability (NDC) para disponibilizar o portefólio da transportadora às agências de viagens.

De acordo com um comunicado da companhia aérea sul-americana, um dos grandes desafios tecnológicos atuais passa por conseguir “entregar conteúdo e serviços de venda e pós-vendas de alta qualidade” através dos canais da LATAM Airlines, pelo que a companhia aérea optou por desenvolver uma solução com base na mesma arquitetura dos seus canais diretos, o NDC by LATAM.

“Apresentamos o NDC by LATAM, uma nova ferramenta que utiliza a tecnologia New Distribution Capability (NDC) que permite acessar o nosso portefólio de produtos ampliados e o melhor conteúdo para agências, sem cobrança adicional na tarifa, com uma experiência única, dinâmica, num só lugar e em tempo real”, explica a LATAM Airlines.

Até 1 de maio de 2023, a LATAM Airlines vai passar por uma fase de transição do modelo de distribuição, período ao longo do qual espera que existam dúvidas por parte das agências de viagens, convidando, por isso, os agentes a contactarem a companhia aérea para esclarecer todos os detalhes.

“Estamos seguros que esta nova ferramenta nos levará a uma nova forma de acesso ao nosso conteúdo mediante a qual poderemos alcançar os nossos objetivos”, reafirma a LATAM Airlines, que remete mais detalhes sobre a mudança para uma data posterior e mais próxima do dia 1 de maio de 2023.

Até lá, os agentes de viagens podem ficar a conhecer melhor o novo NDC by LATAM através do site da companhia aérea para o trade, disponível aqui, ou através de contacto direto com o seu responsável de vendas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Lufthansa lança campanha de recrutamento

Depois dos cortes efetuados, a Lufthansa lançou uma campanha para recrutar 20.000 novos colaboradores. A procura centra-se em funções como técnicos, advogados, especialistas em TI, além de pilotos e tripulantes de cabine.

Publituris

A Lufthansa lançou uma campanha como parte de um esforço para recrutar um total de 20.000 funcionários na Europa, com a decisão a seguir a recuperação significativa do setor do tráfego aéreo, bem como a escassez de pessoal neste setor.

Em comunicado, a companhia aérea de bandeira da Alemanha, prevê a contratação de 20.000 novos funcionários para 45 funções para as suas bases na Alemanha, Suíça, Áustria e Bélgica, salientando que a procura se centra, particularmente, em técnicos, advogados, especialistas em TI, além de pilotos e tripulantes de cabine.

Os números fornecidos anteriormente pelo Aerotime, um hub digital noticioso sobre aviação, revelava que a Lufthansa tinha 140.000 funcionários no final de 2020, tendo tomado, no decorrer deste ano, algumas medidas de corte de custos e de pessoal, causando dificuldades operacionais.

Em setembro, a companhia aérea anunciou que não faria mais greves até junho de 2023, depois de confirmar que chegou a um acordo com o sindicato de pilotos alemães “Vereinigung Cockpit”.

Os pilotos da companhia, representados por este sindicato na Alemanha, foram elegíveis para obter salários e bónus mais altos após negociações bem-sucedidas com a Lufthansa.

As dificuldades vividas pela companhia aérea alemã fizeram com que, em julho, tivesse sido relatado que um total de 130.000 viajantes estavam sujeitos a cancelamentos de voos pela Lufthansa, tendo a companhia anunciado, também nessa altura, que teve de cancelar mais de 1.000 voos devido a greves.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Emerald Cruises reforça cruzeiros no Douro no outono de 2023

Companhia de cruzeiros vai realizar mais dois cruzeiros no itinerário “Segredos do Douro”, cujas partidas decorrem a 18 e 25 de novembro de 2023, a bordo do navio Emerald Radiance.

Publituris

A Emerald Cruises está a reforçar a sua programação para o Douro no outono de 2023 e adicionou mais dois cruzeiros à oferta que já disponibilizava, que vão contar com partida a 18 e 25 de novembro de 2023.

De acordo com a companhia de cruzeiros fluviais, o aumento da oferta no Douro é acompanhada por um reforço da programação para os Mercados de Natal nos rios Reno e Danúbio e visa dar resposta ao aumento da procura registada nestes produtos.

No caso do Douro, os cruzeiros extra no itinerário “Segredos do Douro” têm partida a 18 e 25 de novembro de 2023, visitando a Régua, Pocinho e Pinhão, em Portugal, assim como Salamanca, em Espanha, e apresentam preços a partir de 2.785 euros por pessoa.

Ambas as partidas extra para o itinerário “Segredos do Douro” vão ser realizadas pelo navio Emerald Radiance, navio que conta com 56 cabinas e tem capacidade para receber até 112 passageiros.

Além do Douro, a Emerald Cruises vai também reforçar a programação para os Mercados de Natal do Reno e Danúbio, cujas partidas decorrem a 16 de dezembro e 21 de novembro, respetivamente.

Nestes cruzeiros para os Mercados de Natal do Reno e Danúbio, os preços começam nos 2.606 euros para a viagem de oito dias no Reno e nos 3.333 euros para a viagem no Danúbio, incluindo Praga.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

easyJet e Rolls-Royce testam motores a hidrogénio para a aviação

A easyJet e a Rolls-Royce realizaram com sucesso os primeiros testes de motores a hidrogénio verde para a aviação, numa iniciativa que visa a descarbonização do transporte aéreo.

Publituris

A easyJet e a Rolls-Royce realizaram com sucesso os primeiros testes de motores a hidrogénio verde para a aviação, numa iniciativa que visa a descarbonização do transporte aéreo e que vai dar origem a uma série de outros testes com vista a levar esta tecnologia para o ar.

“O teste no solo foi realizado num primeiro protótipo de conceito, utilizando hidrogénio verde criado pelo vento e pela energia das marés. Este teste marca um passo importante no sentido de provar que o hidrogénio poderia ser um combustível de aviação sem carbono do futuro e que este é fundamental nas estratégias de descarbonização tanto da Rolls-Royce, como da easyJet”, indica a easyJet, num comunicado enviado à imprensa.

As duas empresas estão a colaborar com vista a encontrar alternativas ao atual combustível aéreo e, neste sentido, têm já previstos vários outros testes, com a  “ambição a longo prazo de realizar testes de voo”.

Este teste decorreu numa instalação de testes ao ar livre no Ministério da Defesa britânico, em Boscombe Down, no Reino Unido, e utilizou um motor de aeronave regional Rolls-Royce AE 2100-A convertido, enquanto o hidrogénio verde usado nos testes foi fornecido pelo EMEC (European Marine Energy Centre) e gerado através de energia renovável.

“Este é um verdadeiro sucesso para a nossa equipa de parceria. Estamos empenhados em continuar a apoiar esta investigação inovadora porque o hidrogénio oferece grandes possibilidades para uma gama de aeronaves, incluindo aeronaves do tamanho da easyJet. Isso será um enorme passo em frente para enfrentar o desafio do net zero até 2050”, afirma Johan Lundegren, CEO da easyJet.

Numa próxima fase, a easyJet e a Rolls-Royce vão realizar outros testes de plataforma e um teste de solo à escala real de um motor a jato Rolls-Royce Pearl 15.

Esta parceria é inspirada pela campanha global Race to Zero, apoiada pela ONU, que ambas as empresas subscreveram, comprometendo-se a atingir as zero emissões líquidas de carbono zero até 2050.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Reino Unido pode limitar restrições de líquidos em aeroportos

Um novo sistema de controlo de segurança está a ser testado nos aeroportos britânicos para eliminar as restrições dos 100 mililitros nos líquidos nas bagagens de mão.

Publituris

Segundo informações avançadas pelo jornal The Times, as restrições de segurança relativamente aos líquidos poderão vir a ser eliminadas nos aeroportos britânicos num prazo de dois anos.

Esta medida vem na sequência da instalação de novos scanners 3D que possibilitam ao pessoal de segurança dos aeroportos verem detalhadamente o conteúdo do interior das malas e bolsas, encontrando-se a tecnologia em fase de teste nos aeroportos de Heathrow e Gatwick.

Recorde-se que, desde 2006, a quantidade de líquidos a serem transportados na bagagem de mão está limitada a 100 mililitros e deve ser transportada em bolsas transparentes individuais.

De acordo com os especialistas, esta medida, sob a qual ainda pende uma aprovação e decisão final, ajudaria a reduzir as filas nos controlos de segurança nos aeroportos, além de reduzir, consideravelmente, o uso de plástico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP inclui Europa, Brasil, EUA, Canadá e Norte de África na “Black Friday”

Além dos voos de ida-e-volta a partir de 49 euros para destinos da companhia na Europa, Brasil, Estados Unidos da América, Canadá e Norte de África, a TAP alarga esta promoção, também, para viagens em classe Executiva, com preços a partir de 299 euros para voos de ida-e-volta.

Publituris

A promoção de “Black Friday” da TAP – disponível até ao dia 28 de novembro – oferece voos de ida-e-volta a partir de 49 euros para destinos da Companhia na Europa, Brasil, Estados Unidos da América, Canadá e Norte de África, alargando esta promoção, também, para viagens em classe Executiva, com preços a partir de 299 euros para voos de ida-e-volta.

A promoção Black Friday aplica-se a vendas realizadas até 28 de novembro, para voos a realizar entre 16 de janeiro e 30 de novembro de 2023 (exceto os períodos de 31 de março a 17 de abril e de 15 de julho a 31 de agosto de 2023).

Esta promoção da TAP está também disponível nos mercados de Portugal, Áustria, Bélgica, Suíça, Chéquia, Alemanha, Espanha, França, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Noruega, Polónia, Dinamarca, Suécia, Croácia e Reino Unido, na Europa, mas também no Brasil (Belém, Natal, Maceió e Salvador), Estados Unidos e Canadá.

Os preços são válidos para estadas mínimas no destino de três dias (Europa e norte de África) e de cinco dias nos restantes mercados.

Para lançar esta campanha, com o mote “grandes viagens ficam para sempre, estes preços só até 28/11”, a TAP divulga um vídeo nos seus canais de internet e redes sociais, em que mostra uma partida realizada em parceria com o estúdio de tatuagens Ink and Wheels.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

“Black Friday” da easyJet 28.000 lugares para este inverno

Este ano, a easyJet disponibiliza 4,8 milhões de lugares para a estação de inverno (entre outubro de 2022 e março de 2023), um aumento de 51% em relação ao período pré-pandémico.

Publituris

A easyJet lança a sua campanha de “Black Friday”, disponibilizando 28.000 lugares de e para Portugal a partir de 19,99 euros, promoção válida para viagens que decorram entre os dias 10 de dezembro de 2022 e 31 de março de 2023.

A campanha em vigor inclui voos para mais de 80 destinos, sendo que os lugares estão disponíveis para reserva até dia 28 de novembro, em easyjet.com.

Entre as diversas viagens que os clientes podem escolher, destacam-se as rotas que foram recentemente anunciadas Lisboa para Rennes, Toulouse, Funchal, Luxemburgo e Tenerife Sul; bem como Porto para Rennes, Toulouse, Funchal e Luxemburgo.

José Lopes, Country Manager da easyJet para Portugal, refere, em comunicado, que “como é hábito, nesta altura da Black Friday gostamos de presentear os nossos clientes com descontos que os permitam viajar, a custos ainda mais baixos, para os seus destinos preferidos”, salientando que, “ao longo dos últimos meses, temos vindo a alargar a nossa rede europeia para aumentarmos a variedade da nossa oferta e conseguirmos aproximar os portugueses dos seus locais de interesse”.

De referir que, em Portugal, a easyJet serve cinco aeroportos e oferece voos diários para mais de 80 destinos na Europa, disponibilizando, este ano, 4,8 milhões de lugares para a estação de inverno (entre outubro de 2022 e março de 2023), um aumento de 51% em relação ao período pré-pandémico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Ryanair abre nova rota entre o Porto e Shannon no verão de 2023

A nova rota da Ryanair entre o Porto e Shannon, na Irlanda, vai contar com duas frequências semanais e, para assinalar o lançamento, a companhia aérea lançou uma promoção, com preços desde 29,99 euros.

Publituris

A Ryanair vai abrir uma nova rota no Porto no próximo verão, passando a ligar a cidade Invicta a Shannon, na Irlanda, a partir de 23 de abril, anunciou a companhia aérea de baixo custo em comunicado.

A nova rota da Ryanair entre o Porto e Shannon vai contar com duas frequências semanais e, para assinalar o lançamento, a companhia aérea lançou uma promoção, com preços desde 29,99 euros, disponível para reservas através do site da Ryanair.

“Com a Páscoa e o Verão de 23 a aproximarem-se rapidamente, estamos muito satisfeitos por trazer ainda mais opções e valor aos nossos clientes no Norte de Portugal, com a adição desta nova rota de Shannon à nossa programação de Verão de 23”, afirma Dara Brady, da Ryanair.

Segundo o responsável da companhia aérea, a nova rota oferece aos passageiros da Ryanair a oportunidade de visitarem “a Ilha Esmeralda e explorar as muitas maravilhas do centro-oeste” da Irlanda, como castelos cheios de história ou cruzeiros panorâmicos nas falésias e grutas da região.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.