Assine já
Homepage

Restrições às viagens ditam queda de 56% nos aeroportos de Cabo Verde até julho

Nos primeiros sete meses do ano, os aeroportos de Cabo Verde receberam cerca de 285 mil passageiros, número que traduz uma descida de 56% face a igual período de 2020.

Publituris
Homepage

Restrições às viagens ditam queda de 56% nos aeroportos de Cabo Verde até julho

Nos primeiros sete meses do ano, os aeroportos de Cabo Verde receberam cerca de 285 mil passageiros, número que traduz uma descida de 56% face a igual período de 2020.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Aeroportos recuperam em agosto mas ainda têm quebras superiores a 50%
Homepage
IATA quer substituir quarentenas por testes rápidos à COVID-19
Homepage
TAP deve retomar em breve voos diários para Cabo Verde
Homepage
INE: Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais caiu 69% em setembro
Homepage
novo aeroporto

Nos primeiros sete meses do ano, os aeroportos de Cabo Verde receberam cerca de 285 mil passageiros, número que traduz uma descida de 56% face a igual período de 2020 e que, segundo a Agência de Aviação Civil (AAC), que regula o setor em Cabo Verde, se deve às restrições impostas às viagens  no país, na sequência da pandemia da COVID-19.

De acordo com a Lusa, que cita as mais recentes estatísticas da AAC, os aeroportos e aeródromos do arquipélago registaram de janeiro a julho de 2021 um movimento de 6.215 aeronaves em embarques e desembarques (quebra de 35% face a 2020), em voos internacionais e domésticos.

Em relação ao movimento de passageiros, incluindo embarques, desembarques e trânsito, foram contabilizados 126.734 passageiros em voos domésticos e 159.315 em voos internacionais, o que totaliza 285.630 passageiros, número que compara com os 651.049 passageiros identificados em igual período de 2020.

O aeroporto Amílcar Cabral, na Ilha do Sal e que é a mais turística do arquipélago cabo-verdiano, contabilizou, até junho, um total de 43.180 passageiros  internacionais e domésticos, valor que representa uma quebra de 88% face ao mesmo período de 2020, que já tinha sido de fortes restrições, uma vez que, antes da pandemia, a infraestrutura recebia mais de um milhão de passageiros por ano.

A Lusa lembra, no entanto, que, no ano passado, os aeroportos cabo-verdianos apenas funcionaram até março, uma vez que, na sequência da pandemia da COVID-19, foram suspensas todas as ligações domésticas até julho, enquanto as operações internacionais se mantiveram paradas até outubro.

Antes da pandemia da COVID-19, o cenário era bem diferente e, nos primeiros sete meses de 2019, os aeroportos de Cabo Verde tinham contabilizado 1.592.151 passageiros, em 19.474 movimentos de aeronaves.

Globalmente, os aeroportos cabo-verdianos movimentaram quase 776.000 passageiros em 2020, perdendo praticamente dois milhões de passageiros no espaço de um ano (-72%), devido à pandemia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Homepage

Sleep & Nature Hotel dinamiza terapias do sono em Montemor-o-Novo

A unidade abre em regime soft opening esta quinta-feira, 30 de junho.

Carla_Nunes

Esta quinta-feira, 30 de junho, o Sleep & Nature Hotel, em Montemor-o-Novo, abre em regime de soft opening, prometendo aos hóspedes “um sono repousante”, tal como indicado em comunicado.

A unidade de quatro estrelas gerida pela Amazing Evolution localiza-se no Monte do Vagar, freguesia de Lavre, e pretende oferecer “mais do que um sítio para descansar” rodeado pela natureza.

Isto porque o conceito do hotel passa por aproveitar o ambiente envolvente, numa zona calma, para influenciar o bem-estar dos hóspedes, incentivando o contacto com a natureza como forma de melhorar as práticas de sono, através de terapias não-médicas.

Teresa Paiva, especialista em neurologia, é a responsável pelo conceito e desenvolvimento deste projeto. Chama a atenção para o facto de o sono ser “um dos cinco pilares da saúde”, influenciando o risco de “cancro, doenças autoimunes, depressão, demência e doenças cardiovasculares”.

Com uma oferta direcionada para as perturbações relacionadas com o sono e stress, a unidade disponibiliza um ginásio, piscinas interior e exterior, spa, biblioteca e restaurante.

O hotel rural contará com 32 unidades de alojamento, incluindo 8 quartos duplos, 12 quartos duplos com pátio, 7 suites e 5 suites familiares com terraço. Existem também quartos para pessoas com mobilidade condicionada.

A sua localização no Monte Vagar dá o nome ao restaurante desta unidade, com opções que pretendem “revigorar o corpo”, tendo em conta “os sabores da região”.

Da carta fazem parte opções como Polvo à lagareiro com batata a murro e espinafres salteados; Sopa de Cação; Borrego confecionado a baixa temperatura, com texturas de ervilha e hortelã Lombinhos de porco preto grelhados com migas de espargos, enchidos e ameijoas salteadas.

Os alojamentos estão disponíveis a partir de 108 euros e as reservas podem ser realizadas através do website da Sleep and Nature  ou do email [email protected].

A responsável pelo projeto, Teresa Paiva, formou-se em medicina em 1969 e especializou-se em neurologia.

É pioneira na investigação e tratamento de problemas relacionados com o sono, sendo considerada a maior especialista de medicina do sono em Portugal.

O seu trabalho clínico na medicina do sono começou em 1983 no Hospital de Santa Maria e, após uma longa experiência, começou em 1998 o Centro de Medicina e Sono (CENC).

Sobre o autorCarla_Nunes

Carla_Nunes

Mais artigos
Hotelaria

RIU inaugura segundo hotel em Zanzibar

O hotel RIU Jambo tem 461 quartos e encontra-se no terreno adjacente ao hotel RIU Palace Zanzibar.

Publituris

A cadeia RIU apostou numa segunda unidade hoteleira em Zanzibar, com a inauguração do hotel RIU Jambo.

O novo hotel de quatro estrelas tem um edifício principal de seis andares e um total de 461 quartos, onde disponibiliza o serviço “Tudo Incluído 24h”, característico do grupo.

Localizada na zona norte de Unguja, a ilha principal de Zanzibar, e junto à praia de Nungwi, a unidade encontra-se no terreno adjacente do hotel RIU Palace Zanzibar, remodelado em 2019.

O novo estabelecimento encontra-se nas antigas instalações do hotel La Gema dell’Est, adquirido pela RIU em 2019. Alguns dos elementos originais foram mantidos, como foi o caso da palafita em frente à unidade.

O edifício principal do RIU Jambo alberga a receção e a maior parte dos quartos, cuja fachada bebe inspiração “na cultura africana”, através de “máscaras que adornam as torres” da unidade.

Do total de quartos, 93 encontram-se no rés-do-chão de forma escalonada, de frente para o mar, para não ocultar a vista para a paisagem.

Para a decoração dos quartos apostou-se nos tons de terra, dando protagonismo às aplicações em madeira.

De acordo com informação enviada em comunicado, “os fatores de sustentabilidade e eficiência energética também estão presentes neste edifício”, dada a utilização de “materiais naturais” no mobiliário, decoração, pavimentos e revestimentos.

A unidade refere ainda que “o hall de entrada é um espaço completamente aberto, com ventilação natural cruzada e profusão de luz natural através dos vários vãos presentes”.

No que diz respeito à restauração, a unidade oferece dois restaurantes temáticos na zona de palafita: o Italiano “il Panzotto” e o “Kulinarium”, bem como o bar “Bahari”.

Para além destes, os clientes podem ainda desfrutar no edifício principal do restaurante asiático “Yunnan” e do “Maisha”, com esplanada e cozinha internacional.

A oferta de F&B estende-se ao bar com esplanada “Bongo Flava”, ao bar-piscina “Hakuna Matata” e ao snack-bar na praia “Rafiki”.

Na zona exterior, os clientes do hotel têm à disposição cinco piscinas, uma das quais para crianças.

Já na parte do entretenimento, a unidade disponibiliza o clube infantil RiuLand, com uma zona de RiuArt e com uma área de RiuFit. Além disso, os hóspedes podem descontrair na zona de spa junto ao ginásio, bem como praticar desportos aquáticos com a Scuba Caribe.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Homepage

Portugal entre os destinos mais procurados para miniférias dos britânicos nas celebrações do Jubileu da rainha de Inglaterra

Portugal está entre os destinos mais procurados pelos britânicos para os dias de férias em virtude das celebrações do Jubileu do reinado da rainha Isabel II.

Publituris

Com o Jubileu de Platina da rainha Isabel II, em comemoração aos 70 anos de reinado, a aproximar-se (celebrações que decorrem de 2 a 5 de junho), são muitos os britânicos que aproveitam esses dias para umas miniférias.

Portugal aparece na listagem de destinos mais pesquisados pelos britânicos na Europa, segundo indica uma análise da Mabrian que mede o impacto das viagens outbound no Reino Unido.

Segundo a consultora, a recente pesquisa por bilhetes de avião do Reino Unido para destinos como Espanha, Itália, Turquia, Grécia e Portugal, mostra um claro pico na procura no fim de semana que antecede a data das celebrações e feriados, seguido de uma queda em todos os destinos.

Na medição da procura efetuada pela Mabrian, Portugal aparece atrás da Espanha, Itália, Turquia e Grécia. Espanha é a escolha clara de destino para os britânicos que desejam viajar, com 12,09 por milhão de todas as pesquisas efetuadas, seguida de Itália com 5,37, Turquia, Grécia e Portugal com 4,44, 4,30 e 4,16 respetivamente.

Esta procura por estes destinos não está, segundo a Mabrian, estar diretamente ligada aos preços médios dos quartos, com a Itália a revelar o preço médio mais elevado com 133,84€, seguida pela Grécia com 120,65€, Espanha logo atrás com 119,28€, Portugal não muito distante com 118,23€ e Turquia significativamente mais barato com 82,45€.

Carlos Cendra, diretor de Vendas e Marketing da Mabrian, refere na análise que a consultora efetua, que, “normalmente, nesta época do ano, há um aumento constante na procura semana a semana por destinos europeus de sol e praia por parte dos britânicos à medida que as temperaturas ficam mais quentes e a temporada de verão começa adequadamente”.

Contudo, diz o responsável, “o mega feriado de fim de semana deste ano, graças às comemorações do 70.º aniversário da rainha Isabel, criou um impulso pontual na procura, com uma clara preferência dos viajantes em tirar a semana inteira de férias e beneficiar de nove dias em vez de apenas três”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Qatar Airways e Malaysia Airlines reforçam parceria estratégica

Com esta parceria, as duas companhias aéreas acrescentam 34 aos 62 destinos de ‘codeshare’ existentes e algumas experiências melhoradas para os viajantes.

Publituris

A Qatar Airways e a Malaysia Airlines vão avançar com a próxima fase da parceria estratégica, na sequência do anúncio, pela Malaysia Airlines, de um serviço sem escalas de Kuala Lumpur para Doha a partir de 25 de maio.

Assim, os dois parceiros vão ampliar significativamente a cooperação em matéria de codeshares, permitindo aos passageiros viajar pelo mundo e desfrutar de melhores ligações através dos seus principais hubs em Kuala Lumpur e em Doha.

Segundo é avançado em comunicado, “a expansão do codeshare, que acrescenta 34 aos 62 destinos de codeshare existentes, assinala um novo marco na relação de longa data entre as transportadoras nacionais dos dois países e parceiras na oneworld.

Os viajantes do mundo inteiro passam a ter acesso a uma rede combinada muito maior e poderão desfrutar de uma experiência de viagem melhorada nas duas companhias aéreas com um único bilhete, incluindo os processos de check-in, embarque e baggage-check, benefícios para passageiros frequentes e acesso a salas de espera durante toda a viagem.

A partir de 25 de maio de 2022, os clientes que voarem no novo serviço da Malaysia Airlines de Kuala Lumpur para Doha terão acesso a 62 destinos de codeshare dentro da vasta rede da Qatar Airways para o Médio Oriente, África, Europa e América do Norte. Da mesma forma, os clientes da Qatar Airways que viajarem de Doha para Kuala Lumpur podem tirar partido de 34 destinos da Malaysia Airlines, incluindo toda a sua rede doméstica e mercados-chave na Ásia, tais como Singapura, Seul, Hong Kong e a Cidade de Ho Chi Minh, sujeitos a aprovação governamental.

Ao ligar ambas as redes, os parceiros procuram desenvolver Kuala Lumpur como um hub de aviação líder na região do Sudeste Asiático, ligando a Malásia, o Sudeste Asiático, a Austrália e a Nova Zelândia ao Médio Oriente, Europa, Américas e África. Além disso, a Qatar Airways e a Malaysia Airlines aproveitarão sinergias em múltiplas áreas de negócios e desenvolverão produtos inovadores para beneficiar os seus clientes distribuídos por todo o mundo.

A cooperação reforçada incluirá também benefícios de fidelidade recíproca, permitindo que os membros do Qatar Airways Privilege Club ganhem e resgatem pontos “Avios” quando voam na Malaysia Airlines, com benefícios semelhantes para os membros da “Malaysia Airlines Enrich” quando viajam nos serviços da Qatar Airways. Os membros do Privilege Club e do Enrich usufruirão também de uma vasta gama de outras vantagens únicas, em função do estatuto de escalão, tais como acesso gratuito a salas VIP, franquia de bagagem extra, check-in prioritário, embarque prioritário e entrega de bagagem prioritária na Malaysia Airlines e na Qatar Airways.

A parceria estratégica da Malaysia Airlines e da Qatar Airways evoluiu progressivamente a partir de 2001 e foi significativamente ampliada com a assinatura de um Memorando de Entendimento, em fevereiro de 2022, a fim de potenciar os pontos fortes de ambas as redes, proporcionar aos passageiros um acesso robusto a viagens para novos destinos além da rede individual de cada companhia, e, finalmente, liderar as viagens na região da Ásia-Pacífico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Grupo Pestana regressa aos lucros com 23 milhões de euros

Depois de um ano de 2020 negativo, o Pestana Hotel Group (PHG) regressou aos lucros, obtendo um resultado líquido de 23 milhões de euros. Já as receitas passaram para 295 milhões, enquanto o EBITDA ultrapassou os 96 milhões. O mês de abril de 2022 já foi melhor que 2019.

Victor Jorge

Os resultados líquidos referentes ao exercício de 2021 do Pestana Hotel Group (PHG), apresentados esta quarta-feira, dia 18 de maio, voltaram a números positivos, registando lucros de 22,9 milhões de euros, contra os 32,2 milhões de euros negativos alcançados em 2020, mas ainda longe dos 79,4 milhões obtidos no melhor ano de sempre do maior grupo hoteleiro português, em 2019.

No que diz respeito ao volume de vendas, o crescimento foi de 113,7 milhões de euros, passando de 181,7 milhões, em 2020, para 295,4 milhões de euros, em 2021, mas, também aqui, ainda aquém dos 418,8 milhões de euros alcançados no último ano pré-pandémico.

Já no EBITDA, o grupo apresentou, para o exercício de 2021, 22,9 milhões de euros face aos 33,7 milhões de 2020, triplicando, assim, este valor. No exercício de 2019, o EBITDA obtido pelo grupo foi de 161,8 milhões de euros.

Na conferência de imprensa que marcou a apresentação de resultados do grupo Pestana, José Teotónio, CEO do PHG, admitiu que “cada ano de pandemia parecia um século”, fazendo referência ao desempenho variável do exercício. “O ano de 2021, em termos turísticos começou, basicamente, em maio”, admitiu José Teotónio, revelando que “se até maio tivemos muito pouca atividade, tivemos uma abertura no quinto mês do ano, mas que depois voltou a cair, com a situação dos britânicos, para voltar a crescer nos meses de verão. Depois veio a variante Ómicron e, em novembro, tudo voltou tudo a fechar”, salientou o responsável do grupo.

“Comparado com 2020, sem dúvida que 2021 foi melhor, mas ficámos, naturalmente, longe de 2019”, destacando José Teotónio que “2021 ficámos a 45 a 50% de 2019”.

Considerando que os números de 2021 “não são um grande resultado, mas, dadas as circunstâncias, termos regressado aos resultados positivos já é muito bom”, confidenciou José Teotónio.

Destacando que, em fevereiro de 2020 o grupo abriu o 100.º hotel para “fechá-lo 39 dias depois” [unidade de Nova Iorque], José Teotónio revelou que o grupo já tem, atualmente, todas as unidades (re)abertas).

Regressando, no entanto, a 2021, e com o mercado nacional a dar “um forte contributo em termos de reservas”, o grupo teve nos destinos de resort, com destaque para o Porto Santo e o Algarve, os pontas de lança na recuperação, contrapondo o desempenho dos destinos citadinos que “levaram e deverão levar mais tempo a recuperar”, segundo o CEO do grupo.

De resto, o PHG manteve as aberturas previstas para 2021 e 2022, com as nove unidades que estavam em pipeline, admitindo José Teotónio que, “com a pandemia, não tínhamos muito interesse em acelerar estes processos”. Assim, ao longo destes dois anos, foram acrescentados cerca de 1.000 quartos à oferta existente: Pousada de Vila Real de Santo António (Algarve), Pestana Vintage (Lisboa), Pousada do Porto-Flores (Porto), Pestana Fisherman (Maderia), Pestana CR7 Gran Vía (Madrid, Espanha), Pestana CR7 Times Square (Nova Iorque, EUA), Pestana Tânger (Marrocos), todos em 2021, continuando as aberturas em 2022 com o Pestana CR7 Marrakech (Marrocos) e Pestana Douro Riverside (Porto).

“Temos todos os hotéis abertos, o que é um contentamento, mas também um desafio. Agora é colocá-los no mapa”, antevendo com “boas perspetivas” o verão que está a chegar, mas sinalizando a guerra que se está a desenrolar a Leste “e ainda a COVID que parece que acabou, mas ainda aí está”.

Para 2022, José Teotónio acredita que, numa perspetiva Like-for-Like (LfL), ou seja, contabilizando a mesma operação que existia em 2019, “deveremos ficar a 85 a 90%, mas no total, estimamos um 2022 semelhante ou mesmo superior a 2019, o melhor ano de sempre do grupo”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Publituris Hotelaria

Nova Edição: Como atender hóspedes com deficiência pela voz dos próprios

As acessibilidades para pessoas com deficiência na hotelaria em Portugal, Food & Beverage, Alambique de Ouro, W Algarve, o novo CEO da Les Roches, o próximo congresso da AHP, Upfield Professional, Análise CLEVER, palavra de chef e muitas opiniões.

Publituris

As acessibilidades, falta delas ou problemática de colocá-las corretamente ao serviço de que precisa delas faz capa da revista Publituris Hotelaria de abril.

Nem todas as unidades de alojamento proporcionam acessos suficientes adaptados às suas deficiências, sejam elas motoras, auditivas, visuais ou intelectuais.

Certo é que estes hóspedes pernoitam mais noites, geralmente em época baixa, e acompanhados por amigos e familiares: assim se descrevem as tendências de viagem das pessoas com deficiência.

Além das “Figuras” e do “Radar”, a edição do quarto mês de 2022 da Publituris Hotelaria traz a “Análise CLEVER” que o início do conflito armado na Ucrânia trouxe, novamente, incerteza para o setor do turismo e viagens. Embora os números mostrem que estamos ainda distantes dos valores de 2019, não deixa de ser relevante a boa prestação das reservas no alojamento e voos no primeiro trimestre de 2022 e as boas perspetivas para o mês de abril.

No “Fala-se”, damos conta do investimento efetuado pelo Alambique de Ouro. O projeto, orçado em nove milhões de euros, inclui um novo conceito de spa e uma nova ala com 42 suítes premium.

Em Lisboa, depois de ter resistido ao terramoto de 1755, o Palácio Ludovice Wine Experience Hotel, localizado no edifício do antigo Solar do Vinho do Porto, dá agora lugar a uma unidade que oferece 61 quartos em sete tipologias: Cozy Room; Classic Room; Superior Room; Deluxe Room e Junior Suite; Suite e Ludovice Prestige. O preço dos quartos começa nos 220 euros e o das suítes nos 450 euros. O investimento foi de 26 milhões de euros.

Também em Lisboa, no lugar onde se encontrava o Hotel Embaixador nasce agora o ibis Styles Lisboa Centro Liberdade, alvo de uma remodelação de cerca de seis milhões de euros. O convite é o de embarcar em novas aventuras, num espaço que celebra o mar, o rio e as navegações.

Viajando para Sul, o “W Algarve”, parte do grupo Marriott International, tem abertura marcada para dia 2 de maio. A Publituris Hotelaria esteve à conversa com Jeremie Lannoy, Marketing & Communication Director do W Algarve Hotel & Residences, que admitiu que existe, definitivamente, espaço para “projetos novos e inovadores na região”, salientando que “Portugal é um dos melhores destinos de verão da Europa”, vendo no nosso país “um potencial de crescimento enorme”.

Destaque, também, para a entrega dos “Portugal Trade Awards by Publituris @aBTL 2022” que, entre outros, distingui cinco unidades hoteleiras nacionais.

Durante a BTL 2022, a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) anunciou o local do seu próximo congresso. Assim, a 33.ª edição do Congresso da Hotelaria viaja até ao Centro do país, mais concretamente, até ao Centro Pastoral Paulo VI, em Fátima, nos dias 16 a 18 de novembro.

Entrevistado para o “Management” foi, também, o novo CEO da Les Roches. Com o problema dos recursos humanos vincado pela pandemia, Carlos Díez de la Lastra, deixa a pergunta: “Que trabalho [é que os diretores] estão a fazer para tornar a hotelaria atrativa?”.

O “Dossier” desta edição dedica-se ao Food & Beverage (F&B). Numa altura de retoma do setor hoteleiro, com a reabertura de vários hotéis, os fornecedores mostram-se confiantes com a perspetiva de crescimento.

Certo é que, os produtos mais saudáveis e sustentáveis marcam a procura dos clientes em período de retoma.

Com este tema do F&B em mente, que falámos com Dálio Calado, diretor de F&B do Grupo UIP – Pine Cliffs/Hyatt depois durante o 18.º Congresso Nacional da Associação dos Diretores de Hotéis de Portugal (ADHP).

Na opinião do diretor de F&B, a restauração na hotelaria tem de ser tratada “como um accent, e não como uma amenitie”. Defende que é necessário dar uma “identidade aos restaurantes”, apostando “na diversidade de conceitos dentro de um só espaço” – desta forma, “os clientes sentem a necessidade de experimentar cada sítio”.

Nos “Fornecedores” e com a procura por uma oferta vegetariana e vegana, com ingredientes de alta qualidade a aumentar, o responsável ibérico da Upfield Professional revela-nos que a empresa tem “uma enorme preocupação com a qualidade e diversidade destas opções”.

Por falar em gastronomia, na nova rubrica da Publituris Hotelaria – “Palavra de Chef” – apresentamos alguns dos chefs que têm dado cartas na restauração. O destaque desta edição vai para o chef Fábio Alves que lidera a cozinha do restaurante SUBA há três anos.

As “Escolhas” desta edição são de André Villa de Brito Sommelier, guia e consultor de enoturismo, enquanto as “Opiniões” pertencem a Sérgio Guerreiro (Westmont Institute of Tourism & Hospitality, Nova SBE); Kevin Hemsworth (ISAG – European Business School); Karina Simões (JLL); Liliana Conde (consultora) e Marta Sotto-Mayor (formadora & consultora).

*Para ler a versão completa desta edição da Hotelaria – em papel ou digital – subscreva ou encomende aqui.

Contacto: Carmo David | [email protected] | 215 825 430 **

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Edição Digital

Edição Digital: A conferência sobre o novo viajante, Portugal Trade Awards, programação W2M, retoma da promoção turística do Brasil e a aposta tailandesa em Portugal

A conferência sobre “O Novo Viajante” é o tema de capa da edição do Publituris que traz ainda a reportagem sobre a entrega dos “Portugal Trade Awards”, fotoreportagem da BTL 2022, W2M, promoção turística do Brasil, a aposta da Tailândia em Portugal e as opiniões sobre a nova orgânica do XXIII Governo.

Publituris

A nova edição do Publituris, faz capa com a conferência que o Publituris organizou em conjunto com a Fundação AIP, na BTL 2022, dedicada ao/à “Novo/Nova Viajante”. Os quatro oradores – Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, Margarida Almeida, CEO da Amazing Evolution, Sílvia Dias, diretora de Marketing da Savoy Signature, e José Lopes, diretor-geral da easyJet para Portugal – da conferência promovida pelo Publituris, na BTL, foram unânimes em constatar que o viajante de hoje é mais exigente, mais informado, quer a verdade e responsabilidade por parte de quem o recebe.

O operador turístico Icárion, pertencente ao grupo World2Meet (W2M) já está operacional no mercado português. Começou com mais de 400 programas de Grandes Viagens para mais de 70 destinos em todo o mundo, mas com possibilidade de alargar as propostas, dependendo da procura e da apetência dos clientes em Portugal.

Para além de apresentar o seu novo operador turístico para as “Grandes Viagens” – Icárion, que acaba de iniciar atividade em Portugal, o grupo de turismo World2Meet (W2M), sediado em Palma de Maiorca, deu a conhecer, em Lisboa, a sua programação no nosso país para este ano.

Destaque para a entrega dos “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2022”, evento realizado durante o primeiro dia da Bolsa de Turismo de Lisboa e que entregou 14 prémios.

Recordamos os vencedores: Melhor Companhia de Cruzeiros – MSC Cruzeiros; Melhor GSA Aviação – APG Portugal; Melhor Agência Corporate – Travelstore; Melhor Venue para Eventos e Congressos – Altice Arena; Melhor Parque Temático – Oceanário; Melhor Animação Turística; Picos de Aventura; Melhor Eco Resort – Areias do Seixo; Melhor Wine Hotel – The Yeatman; Melhor Exclusive Hotel – Six Senses Douro Valley; Melhor Luxury Hotel – Vila Vita Parc Resort & SPA; Melhor Alojamento Rural – Herdade da Malhadinha Nova; Melhor Startup – Hijiffy; Melhor Marina – Marina de Vilamoura.

O prémio de “Personalidade do Ano” foi entregue, diretamente e por unanimidade, pela redação do Publituris, a Rita Marques, secretária de Estado do Turismo.

Os cinco dias da BTL merecem, igualmente, destaque nesta edição do Publituris com a respetiva fotoreportagem do evento que se realizou na FIL de 16 a 20 de março.

Com a pandemia a entrar numa fase mais calma, o Brasil regressou à BTL para mostrar que é um país seguro e com o objetivo de voltar a atrair os turistas portugueses. A entrevista foi realizada a Carlos Brito, na altura, presidente da Embratur e que, entretanto, foi nomeado ministro do Turismo do Brasil.

Do Brasil viajámos até à Tailândia, permanecendo no mesmo local: BTL. Malinee Nitikasetsunthorn, diretora da TAT para Itália, Espanha, Portugal, Israel, Turquia, Grécia e Chipre, salientou que a Tailândia já reabriu ao turismo e, apesar de ainda existirem algumas restrições relacionadas com a COVID-19, o destino está, progressivamente, a levantar os últimos obstáculos para voltar a atrair os turistas internacionais. Em Portugal, o objetivo é tornar a Tailândia no primeiro destino de longo curso para os turistas nacionais.

Destaque final para os artigos de opinião relativamente à nova orgânica do XXIII Governo que viu a Secretaria de Estado do Turismo ser partilhada com o Comércio e Serviços. As opiniões são de Pedro Machado (Turismo do Centro), Luís Pedro Martins (Turismo do Porto e Norte), Vítor Silva (Turismo do Alentejo e Ribatejo), João Fernandes (Turismo do Algarve) e Pedro Costa Ferreira (APAVT).

As outras opiniões pertencem a Carlos Torres (ESHTE) e Joaquim Fernandes (ISCE).

Leia a edição aqui.

Boas leituras!

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

“Este é um período de poucas certezas absolutas porque estamos a passar por algo novo”

Nesta série de entrevistas, realizadas pelo Publituris aos mais diversos players do setor do turismo, no âmbito da realização da BTL 2022, Mário Ferreira, CEO do Grupo NAU Hotels & Resorts, acredita que a feira assume um “papel primordial para o setor num momento em que os países aliviam restrições e a pandemia parece estar controlada, abrindo assim as portas para a retoma das viagens”.

Victor Jorge
DossiersBTL

Confiante que a equipa da BTL irá conseguir “avaliar e tomar as decisões mais acertadas de forma a adequar os procedimentos vigentes no momento da feira, num quadro já de progressivo alívio das restrições sanitárias em toda a Europa”, o CEO do Grupo NAU Hotels & Resorts, Mário Ferreira, revela que as expectativas são de que “o ano de 2022 possa representar o início da retoma de uma forma mais consolidada”.

Que expectativas possui relativamente à BTL 2022 a menos dois meses do início do evento e depois da não realização em 2020 e 2021?
Recebemos esta edição da BTL 2022 com elevadas expectativas. Estivemos presentes na Bolsa de Viagens em 2021 apesar do cancelamento da BTL nesse ano por considerarmos este tipo de eventos importantes para marcar e acelerar o ano turístico para todos os players do setor. Acreditamos que a BTL 2022, sendo o principal evento de turismo do país, assume um papel primordial para o setor num momento em que os países aliviam restrições e a pandemia parece estar controlada, abrindo assim as portas para a retoma das viagens.

O que poderemos esperar da participação do Grupo NAU nesta BTL 2022?
A participação do Grupo NAU será similar a anos anteriores: queremos dar a conhecer a nossa oferta, aproximando as equipas comerciais dos clientes e parceiros, pelo que iremos ter espaços e atividades dedicadas para esses efeitos.

A estratégia do Grupo NAU terá como alvo o mercado interno ou externo? Que importância possui, neste aspeto, o programa dos “Hosted Buyers”?
A estratégia do Grupo para este evento engloba ambas abordagens. Por um lado, e tendo em conta a nossa importante ligação com o mercado nacional, é uma oportunidade de nos mantermos ligados a este mercado e aos nossos parceiros e clientes regulares que nos visitam nesta feira, bem como darmos a conhecer a nossa oferta a novos clientes.

Por outro lado, a vertente internacional da feira através do programa “Hosted Buyers” e visitas espontâneas de parceiros de vários mercados permite-nos expandir a nossa divulgação internacional dando a conhecer a oferta do grupo a operadores que procuram um parceiro para os segmentos de MICE, golfe e tour operação.

Que oferta diferenciadora tem o Grupo NAU para o mercado e que irá ser foco na BTL 2022?
O Grupo NAU é conhecido no mercado pelas suas ofertas únicas e inovadoras aliadas aos espaços icónicos que fazem parte da sua oferta. Foi nessa premissa que nos apresentámos ao mercado em 2014 e na qual se refletiu a nossa primeira participação na BTL em 2015. Desde aí temos trazido conceitos inovadores e disruptivos, com experiências interativas e imersivas que têm permitido aproximar os nossos clientes e a marca NAU Hotels & Resorts – em especial nos segmentos Famílias, MICE e golfe.

Nestes últimos dois anos, em termos operacionais, acelerámos processos que estavam já a ser desenhados em 2018 e 2019, trazendo a tecnologia e inovação de forma ponderada para uma experiência mais próxima dos clientes, permitindo-nos inovar na forma como comunicamos. O estreitar desta relação será o principal foco para esta edição da BTL.

A sazonalidade continua a ser um dos grandes desafios a ultrapassar pelos hotéis em Portugal?
A sazonalidade é e continuará a ser um dos grandes desafios do setor, principalmente, no destino Algarve onde temos a maior parte da operação do Grupo atualmente. Este fator tem, como todos sabemos, um enorme impacto na oferta turística do país e da região, bem como na sua diversificação e sustentabilidade. Somos, no entanto, um dos poucos grupos hoteleiros presentes no Algarve com oferta notável de MICE e golfe, o que permite em anos normais reduzir a sazonalidade.

Entretanto, a ITB já cancelou o evento presencial, que se deveria realizar uma semana antes da BTL, a FITUR acaba de ter uma edição que superou, segundo os presentes, as expectativas, a BIT de Milão também foi adiada. Como se gere esta expectativa e dúvida relativamente a medidas e restrições que poderão ser colocadas a qualquer hora e dificultar ou até impossibilitar a participação?
Este é um período de incertezas perante o cenário pandémico que vivemos. Mas se há lição que podemos tirar deste período de dois anos é que a flexibilidade é chave no que diz respeito a estas operações nestes períodos conturbados. Estamos confiantes que a equipa da BTL, que tem provas dadas desde há muitos anos, irá conseguir avaliar e tomar as decisões mais acertadas de forma a adequar os procedimentos vigentes no momento da feira, num quadro já de progressivo alívio das restrições sanitárias em toda a Europa.

Este poderá ser o evento da retoma para o setor do turismo ou ainda existem demasiadas dúvidas e incertezas?
No Grupo NAU sempre encarámos o desafio destes dois anos com confiança e otimismo. Confiança nas nossas capacidades e na procura de soluções e otimismo na forma como estes obstáculos podem ser ultrapassados.

Sentimos que a retoma irá eventualmente acontecer e o exemplo de períodos passados, onde existiu um alívio das restrições sejam nacionais ou internacionais, conduziu a períodos de retomas e recuperações tanto no mercado nacional como no internacional, em que ambos reagiram bastante bem.

Este é um período de poucas certezas absolutas porque estamos a passar por algo novo e com impactos diferentes em várias regiões do globo, mas estamos confiantes.

Falando agora especificamente do Grupo NAU, como correu o ano de 2021 e que expectativas possuem, aos dias de hoje, relativamente a 2022?
O ano de 2021 foi um ano que apesar de termos fechado com resultados globais muito abaixo de 2019, foi marcado por resultados bastante positivos, principalmente no período do verão. Conseguimos atingir um verão com resultados excecionais com ocupações elevadíssimas, maturámos um posicionamento no mercado nacional que vem já de 2015, com maior retorno financeiro pela venda concertada em canais com menos intermediação. Estes fatores foram determinantes para que apesar do cômputo geral dos restantes períodos do ano, e do impacto nos diversos segmentos e regiões, este pudesse ser um ano positivo para o Grupo.

As nossas expectativas são de que o ano de 2022 possa representar o início da retoma de uma forma mais consolidada, com a manutenção dos fluxos nacionais que observamos nestes últimos dois anos, mas com o ressurgimento de outros segmentos importantes para o turismo, como o Golfe, turismo de lazer internacional e o segmento de MICE.

Além da BTL 2022, que outras ações irão desenvolver para este ano de 2022 e que mercados terão como alvo?
A nível de feiras e promoções contamos retomar ao percurso que tivemos em anos anteriores com presença nas principais feiras internacionais, conforme a sua realização.

Se tivesse de fazer um pedido à organização da BTL 2022, qual seria?
Sabemos que um evento desta envergadura é uma missão exigente ainda mais nos tempos que vivemos, mas esperamos que a organização da BTL seja capaz de garantir as condições de segurança que nos possam transmitir a confiança de planear este evento com a dedicação que ele exige.

No final do evento, que balanço gostaria de conseguir fazer?
Gostávamos de ter um balanço positivo que costumamos ter sempre no final de todas as nossas participações na BTL e que tenha sido um evento de muitos contactos e oportunidades de negócio para todos.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Dossier relacionado
BTL
Powered by

Procida é a Capital Italiana da Cultura 2022

Com o slogan “A cultura não isola”, o programa – criado de um processo que viu o envolvimento ativo da população – terá início em 22 de Janeiro de 2022 e abrange 44 projectos culturais, 330 dias de programação, 240 artistas, 40 obras originais e 8 espaços culturais regenerados

Brand SHARE

Pela primeira vez é uma ilha, pela primeira vez uma pequena aldeia. Procida é uma profecia de uma Itália que é menor mas não subordinada, que se concentra fortemente no seu património mas também, e sobretudo, em processos de valorização social e cultural.

Nomeada no dia 18 de Janeiro de 2021, Capital Italiana da Cultura 2022, a mais pequena das ilhas do Golfo de Nápoles – com a sua arquitetura tipicamente mediterrânica, as cores pastel da aldeia de Marina Corricella, rituais milenares como a procissão da Sexta-feira Santa, e a história do Palazzo d’Avalos da Renascença, que foi uma prisão até 1988, o oásis naturalista de Vivara e as ligações fascinantes com a literatura e o cinema – assistiu à adjudicação de um projecto cultural que, como sublinhou a comissão MiBACT, agora MiC, “apresenta elementos de atractividade e qualidade de um nível excelente”, resultando “relevante para todas as realidades das pequenas ilhas mediterrânicas”.  

Um projeto que “poderia determinar uma descontinuidade real no território e representar um modelo para processos sustentáveis de desenvolvimento cultural da ilha e das realidades costeiras do país” e que “é também capaz de transmitir uma mensagem poética, uma visão da cultura, que da pequena realidade da ilha se estende como um desejo para todos nós, para o país”.

Concebido antes da pandemia, o tema de Procida 2022 é “A cultura não é uma ilha”: a ilha é um lugar de exploração, experimentação e conhecimento, um modelo de culturas é uma metáfora para o homem contemporâneo. Procida tornar-se-á um capital exemplar de dinâmica relacional, de práticas de inclusão – aqui já existe um projeto Sprar, com hospitalidade generalizada para migrantes, refugiados e requerentes de asilo – bem como de cuidados com o património cultural e natural.

O programa cultural – criado através de um processo de “capacitação” envolvendo os cidadãos – terá início a 22 de Janeiro de 2022 e inclui 44 projetos culturais, 330 dias de programação, 240 artistas, 40 obras originais e 8 espaços culturais regenerados. Um projecto, como salientou o Ministro da Cultura Dario Franceschini, “válido, inovador e participativo, capaz de se projectar a nível europeu”.

“Procida Capital Italiana da Cultura é uma recompensa pelos esforços de toda a comunidade da ilha e pelo apoio daqueles que, desde a primeira fase, acreditaram num desafio ambicioso e excitante. 

Procida é a capital cultural do Golfo de Nápoles, da região flegrena, da Campânia e de todas as pequenas ilhas da Itália e do Mediterrâneo”, disse o Presidente da Câmara Dino Ambrosino.

“O de Procida é um resultado marcante – sublinha Agostino Riitano, director de Procida 2022 – porque a comissão entendeu que o projeto de Procida incorpora uma mudança no paradigma da cultura no nosso país, não só grandes cidades de arte, mas também e sobretudo o extraordinário património cultural espalhado em pequenas cidades. Estamos convencidos de que o conceito de “menor” contém o sentido da profecia. Neste sentido, a nossa vitória encarna a profecia da mudança nas políticas culturais do país.

Mais de 50 testemunhos foram mobilizados em torno da candidatura de Procida, incluindo os actores Toni Servillo, Isa Danieli e Peppe Barra e os escritores Maurizio De Giovanni e Valeria Parrella.

O programa, que conduzirá à regeneração de lugares simbólicos como o Palazzo d’Avalos, está dividido em cinco secções resumidas por cinco verbos: “Procida inventa” engloba projectos artísticos (exposições, cinema, espetáculos e obras específicas do local); “Procida inspira” projectos que surgem da ilha como fonte de inspiração; “Procida inclui” entrelaça arte e inclusão social; “Procida inova” engloba projectos que promovem a relação entre cultura e inovação; “Procida aprende” aborda, em particular, os processos educativos.

“A peculiaridade do nosso programa – que tece grandes exposições de arte contemporânea, festivais, performances mas sobretudo processos culturais em construção – será a de abraçar todo o arco de 2022, com a oportunidade de descobrir luzes e cores que variam de estação para estação. Cada um de nós poderá adquirir uma pequena residência temporária para 2022. O mais importante é que não vamos abrir Procida ao chamado sobre turismo, mas a um turismo rigorosamente lento, responsável, ecológico, ‘meridiano’ – para usar uma definição afortunada de Franco Cassano – que pode incluir a vizinha Ischia, o Campi Flegrei e toda a Campânia”.

Procida 2022 é apoiado pela Região da Campânia, com a qual foi criado um comité diretor, as universidades locais, organismos, associações e parceiros privados.

www.enit.pt

Autor: Agência Nacional Turismo de Itália

 

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos

Itália – Região Marche: às margens do Adriático

Uma combinação do melhor que a culinária e a tradição artística italiana podem oferecer

Brand SHARE

Existem ótimas razões para descobrir e visitar a região Marche, uma região surpreendente que conseguiu manter uma atmosfera ligeiramente isolada com respeito à tradição e ao seu passado, capaz de surpreender e fascinar até o visitante mais exigente. A região Marche captura a atenção, porque transmite a sensação de viver em outra dimensão, onde o tempo parece ter desacelerado e o ambiente continua a ser tranquilo e íntimo como o de uma pintura renascentista. Tudo isto se encontra num ambiente ainda intacto, onde o respeito e o amor pela tradição também se refletem na preservação do artesanato antigo e na promoção de tradições gastronómicas milenares. Na região Marche, a tradição encontra-se no cenário das muitas aldeias históricas, numa experiência agradável e vantajosa: uma nova forma de explorar o território e redescobrir a excelência das melhores realidades produtivas locais.

Quinze Doc e cinco vinhos Docg acompanham os pratos típicos de peixe ou carne da cozinha local. Na região Marche, cada encosta tem o seu próprio vinho e cada mudança na paisagem corresponde a aromas mais ou menos intensos e decisivos: desde o peixe fresco do Adriático aos queijos “salgados”, carnes curadas, azeite, massas e carne das doces colinas, até às montanhas dos Apeninos onde predominam os sabores fortes das carnes curadas, queijos de renome, trufas e cogumelos premiados. Ao longo do ano, as várias localidades acolhem uma série de exposições, eventos, festivais de música, representações teatrais e de dança, festivais folclóricos, reconstituições históricas e eventos gastronómicos onde os visitantes podem saborear as especialidades da região Marche.

 

Senigallia – Restaurante Uliassi

A história do restaurante “Uliassi”, que possui três estrelas Michelin, começou com um pai, Franco Uliassi, que era agricultor, mas que agricultor não queria ser e, depois de ter tentado várias carreiras profissionais, lançou-se no negócio da restauração comprando e abrindo um bar com sua esposa, que em 1990 se tornou o restaurante que conhecemos hoje.

Isto marcou o início da longa história do lendário estabelecimento na frente marítima de Senigallia, que este ano voltou a receber o cobiçado prémio Michelin e que é agora dirigido pelo chefe de cozinha Mauro e a sua irmã Catia Uliassi. Depois de se recusar inicialmente a continuar o negócio de seu pai, o chef com estrela Michelin acima mencionado dedicou-se de alma e coração à aumentar o prestígio e a qualidade dos pratos oferecidos, tendo como objetivo deliciar os paladares de seus clientes. A cozinha elaborada e imaginativa de Uliassi baseia-se principalmente nos extraordinários sabores do peixe, dada a sua proximidade com o mar, mas também oferece uma grande variedade de carne.

Mauro Uliassi faz parte dos chefes com três estrelas. Recebeu três garfos de Gambero Rosso e foi incluído no prestigioso guia.

No entanto, o restaurante não é a única razão para ir a Senigallia, pois a cidade oferece muitas atracções para todos os gostos. Famosa pela sua praia de veludo e pelo seu passeio com a famosa Rotonda, Senigallia oferece aos turistas belezas para serem admiradas mesmo no inverno. Um ponto de passagem obrigatório é o seu centro histórico caracterizado pela Rocca Roveresca, completada em 1480 por Baccio Pontelli, Palazzo Mastai Ferretti, local de nascimento do Papa Pio IX, a Catedral e os Portici Ercolani.

A costa do Adriático inclui muitas “pérolas do Adriático” (perle dell’Adriatico). Não longe de Senigallia encontra-se a fascinante cidade de Fano, o antigo e nobre Fanum Fortunae, um importante centro sagrado romano dedicado à deusa Fortuna, que ostenta numerosos monumentos da era Augustan, como o Arco de Augusto, porta de entrada para a antiga Via Flaminia. De origem mais recente são a Corte, do período Malatesta, e a Fontana della Fortuna do século XVI, no centro da cidade. Fano também oferece lugares de meditação e espiritualidade como o Hermitage de Monte Giove.

https://www.turismo.marche.it/it-it/Cosa-vedere/Sapori-e-Saper-fare/Senigallia-Ristorante-Uliassi/8986

Senigallia – A Madonna do Pescador 

Em frente ao mar e a praia “sem fim”, por detrás das acolhedoras e verdes colinas, nas proximidades das cidades e aldeias ricas em arte e história; aninhadas no esplêndido cenário da região Marche, protegida por uma estela devocional ainda fortemente venerada por aqueles que vivem graças ao mar, e da qual tira o seu nome, se encontra a Madonnina del Pescatore. Pronto a recebê-los para desfrutar dos pratos extraordinários e inovadores do chef – patron Moreno. A cozinha concentra-se principalmente no peixe e combina a imaginação com a capacidade de misturar matérias-primas. Não perca seu famoso Sushi, a costela de pregado e o pequeno-almoço.

Moreno Cedroni é o chef de 2 estrelas Michelin que abriu o restaurante La Madonnina del Pescatore em Senigallia quando tinha apenas 20 anos de idade (nomeado um dos dez melhores restaurantes europeus de frutos do mar de 2011 pelo Wall Street Journal). Além disso, o restaurante recebeu o ilustre reconhecimento Tre Forchette por Gambero Rosso, uma das publicações italianas mais influentes na área da gastronomia e do vinho. A sua inovação e especialidade é o Susci, uma forma inovadora de reinterpretar o peixe cru, que começou como uma imitação da idéia tradicional do sushi japonês e mais tarde tornou-se um verdadeiro estudo independente que levou à abertura de “Susci Bars” em várias cidades da região Marche e da Itália. A localidade de Marzocca está localizada perto de Senigallia, como uma extensão natural da sua costa arenosa, caracterizada por uma praia predominantemente pedregosa.  A oferta turística da costa de Senigallia é caracterizada em eventos e espectáculos que são organizados ao longo do verão: desde as clássicas exibições de fogos-de-artifício no mar, até à folclórica Feira de Santo Agostinho (“Fiera di Sant’Agostino”), que anima o centro histórico de Senigallia nos últimos dias de agosto, trazendo mais de 500 expositores para a cidade. A não perder é o “Jamboree de verão”, o festival internacional dedicado à música estadunidense das décadas de 1940 e 1950, com uma semana de concertos com bandas mais conhecidas do género, um fantástico mercado vintage e desfiles de motos e carros das décadas de 1940 e 1950. 

https://www.turismo.marche.it/it-it/Cosa-vedere/Sapori-e-Saper-fare/La-Madonnina-del-Pescatore/9371

Pesaro – Restaurante Nostrano

O restaurante “Nostrano di Stefano Ciotti” em Pesaro foi inaugurado em julho de 2015, em frente ao mar, ao lado da escultura “Palla” de Arnaldo Pomodoro. O chef, originario de Rimini, teve importantes experiências na alta cozinha e ao lado de grandes chefs italianos. Encontra-se agora no auge de sua carreira profissional e sabe criar pratos de alto valor culinário, elegantes e sóbrios ao mesmo tempo, caracterizados por uma personalidade forte e sabores bem definidos. O nome do restaurante foi inspirado pelos materiais de qualidade utilizados pelos artesãos para criar o restaurante e pelo conjunto de técnicas modernas e processos caseiros utilizados na cozinha. O jovem pessoal do restaurante também inclui Thomas Morazzini, criador da altamente apreciada massa de pizza de Stefano Ciotti, e a sua parceira Giorgia Stocchi.

https://www.turismo.marche.it/it-it/Cosa-vedere/Sapori-e-Saper-fare/Pesaro-Ristorante-Nostrano/10947

Loreto – Restaurante Andreina

Na pequena casa colonica, que tem sido o lar da “Andreina” há mais de 50 anos, o restaurante é formado por três salas de jantar e um agradável jardim de verão. O nome do estabelecimento deve a sua origem à fundadora, uma homenagem que lhe é ainda hoje paga graças à gestão que permanece no seio da sua família. De tradicional “trattoria” servindo caça e especialidades da região Marche, o restaurante “Andreina” foi transformado num pequeno Éden onde reina uma mistura de sabores antigos e criatividade moderna, e este ano foi mais uma vez incluído entre os melhores restaurantes de 2015 no guia “Gambero Rosso”. O promotor desta “modernização culinária” é o chef e neto do fundador, Errico Recanati, o mais jovem chef da região Marche a receber uma Estrela Michelin, a primeira recebida em 2012 e confirmada nos anos seguintes. O seu curriculum vitae inclui várias experiências de formação nos mais importantes restaurantes italianos e várias participações em eventos e exposições internacionais de comida e vinho como chef promovedor da culinária da região Marche e italiana no mundo. O restaurante está localizado na famosa cidade de Loreto, sede da Casa Santa de Nossa Senhora de Loreto. A cidade é considerada meta de peregrinação e recebe visitas de todo o mundo.  A sua beleza arquitectónica e espiritual é imensurável. Mas a apenas alguns quilómetros desta pérola da região Marche há lugares de igual beleza. Entre estes, recomendamos vivamente uma viagem a Recanati, cidade natal do famoso poeta Giacomo Leopardi. Em Recanati podem-se visitar os lugares que inspiraram os seus escritos mais famosos, como o mágico “Colle dell’Infinito”, e onde foram rodadas as cenas mais importantes do filme O Jovem Fabuloso ( “Il Giovane Favoloso”). O filme conta a história da vida do jovem escritor, Leopardi, e os lugares que serviram de pano de fundo para a sua infância e adolescência. No que diz respeito aos amantes do mar, qual lugar melhor para um agradável passeio pós-almoço do que os caminhos do Monte Conero, a partir de onde é possível vislumbrar vistas de tirar fôlego e, porque não, dar um mergulho nas águas cristalinas das praias de Portonovo ou Mezzavalle.

https://www.turismo.marche.it/it-it/Cosa-vedere/Sapori-e-Saper-fare/Loreto-Ristorante-Andreina/9372

 

Contatos

Serviço de Desenvolvimento e Valorização da região Marche 

Riccardo Fraternali

Tel. +39 071 800 2410 – email [email protected]

Assessoria de Imprensa 

Anna D’Ettorre

Tel + 39 071 8062301 – email [email protected]

Sites 

www.turismo.marche.it

http://eventi.turismo.marche.it

www.destinazionemarche.it

www.marcheoutdoor.it

HOTEL 5 ESTRELAS

Hotel Excelsior – Pesaro

https://www.excelsiorpesaro.it/it-IT/camere

Grand Hotel Vittoria – Pesaro

https://www.grandhotelvittoriapesaro.it

 

Villa Lattanzi – Torre di Palme (Fermo)

https://www.villalattanzi.it

 

PASSEIO EM SUPER CAR

No centro da Itália, uma incrível viagem de luxo pela região Marche a bordo de um supercar

https://www.supervibestour.com/it/

PASSEIO DE BARCO RIVIERA DEL CONERO

https://www.marinadorica.it

https://www.conero-experience.it

https://coneroboat.it

OPERA

Macerata Opera Festival

https://www.sferisterio.it

https://www.sferisterio.it/news/macerata-opera-festival-2021-100×100-sferisterio-il-programma-completo-del-festival

Rossini Opera Festival

https://www.rossinioperafestival.it

https://www.rossinioperafestival.it/archivio-news/programma-del-rof-2021/

 

COMPRAS DE QUALIDADE – CALÇADO

Décolletés elegantes, botas com um design refinado, mocassins e bailarinas suaves, jóias-sandes, feitas de materiais preciosos e com linhas exclusivas e na moda, verdadeiros embaixadores do Made in Italy: há muitas marcas da região Marche que são líderes mundiais no sector do calçado, cujas colecções criam uma verdadeira excelência de fabrico. Produtos inimitáveis, únicos pela sua elegância e atenção impecável aos detalhes.

https://www.turismo.marche.it/it-it/Vivi/L-arte-del-saper-fare/Shopping-di-qualita-le-calzature

COMPRAS DE QUALIDADE – VESTUÁRIO E ACESSÓRIOS

Requinte, modernidade, materiais de qualidade e atenção aos detalhes são as características distintivas das colecções oferecidas pelos famosos pontos de venda de moda e vestuário. A região Marche oferece itinerários de compras interessantes, onde as compras se tornam uma experiência agradável e conveniente, uma nova forma de explorar a área e redescobrir a excelência local.

https://www.turismo.marche.it/it-it/Vivi/L-arte-del-saper-fare/Shopping-di-qualita-abbigliamento

https://www.turismo.marche.it/it-it/Vivi/L-arte-del-saper-fare/Shopping-di-qualita-gli-accessori

ARTESANATO ARTÍSTICO

No meio de antigas oficinas e pequenas lojas nos centros históricos da região Marche, objetos de todo o tipo assumem características inconfundíveis, ligadas ao hábil trabalho de materiais nobres e preciosos: jóias finamente embutidas, instrumentos musicais artísticos, como o acordeão, mas também cestos feitos à mão, chapéus e rendas, e cerâmicas preciosas, terracota e majolica; cada peça torna-se arte, encapsulando técnicas do passado inspiradas nas tradições e na história do território.  

O Artesanato Artístico e de Qualidade Típica tem o importante papel de salvaguardar o artesanato de prestígio e, ao mesmo tempo, oferecer oportunidades profissionais a muitos jovens capazes e criativos. O artesanato é de facto o repositório de tradições, deusas, valores e técnicas profissionais transmitidos através da combinação de indústrias e engenho, fantasia e rigor, tradição e inovação. 

https://www.turismo.marche.it/it-it/Vivi/L-arte-del-saper-fare/Artigianato-artistico

www.enit.it

Autor: Agência Nacional Turismo de Itália

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.