W2M: “Queremos apoiar a distribuição turística”

Por a 31 de Março de 2021 as 13:15

Presente no mercado português desde 2016 com o receptivo e o banco de camas, o grupo World2Meet, propriedade do grupo espanhol Iberostar, vai focar-se este ano na nova companhia aérea World2Fly e no operador turístico Newblue, que vão começar a programar voos charters para as Caraíbas a partir do mês de julho.

Representado em Portugal por Duarte Correia, o grupo W2M vai assim apresentar ao mercado ibérico “uma  nova proposta de valor que engloba outras atividades além das que tem desenvolvido até agora”. Em conferência de imprensa, o responsável português explicou que  o operador Newblue  vai ser “uma nova forma de viajar para as Caraíbas e ilhas espanholas”.

Este operador do grupo W2M vai assim operar à partida de Lisboa para Cancun (México) a 11 de julho, Varadero (Cuba) a 17 julho e Punta Cana (República Dominicana) a 19 de julho até setembro com uma frequência semanal para cada um dos destinos num A330 com 388 lugares em classe única. Mediante o desenvolvimento do mercado, o operador pode reforçar as frequências e, futuramente, colocar o segundo A350 que vai chegar à frota da World2Fly, atualmente composta por um A3530 e um A350 (432 lugares).

A proposta de valor que o Newblue oferece ao mercado português pretende “ser fora do convencional”, querendo o operador ser “totalmente digital” e apresentar uma oferta “absolutamente personalizada”. É neste sentido que a oferta que o Newblue lança ao mercado reparte-se por três categorias: Essence, Quality e Absolut. Cada uma oferece uma diferenciação de produtos, começando a primeira pelo pacote turístico normal, enquanto as seguintes oferecem serviços extra, como tratamento da bagagem, prioridade na entrada nos voos, transferes, entre outras.

Nas Caraíbas, o operador vai trabalhar com três cadeias hoteleiras estratégicas: a cadeia hoteleira da casa, Iberostar Hotels & Resorts; Catalonia Hotels & Resorts; e RIU Hotels & Resorts. “Oferecemos uma panóplia de produtos à escolha do cliente, mas nestas três cadeias são produtos exclusivos Newblue”.

Quanto à programação para as ilhas espanholas, Gabriel Subías, CEo do Grupo W2M e mentor do lançamento dos novos projetos de companhia aérea e dos operadores turísticos do grupo W2M, referiu que vai ser disponibilizada numa segunda fase ao mercado. “Nesta primeira fase, faremos voos para as Caraíbas com a nossa própria companhia, numa segunda fase, no princípio do verão, faremos voos para as ilhas espanholas e estamos a ver se fazemos algo se fazemos algo em médias distâncias, como Cabo Verde ou Açores”.

Quanto ao segundo operador turístico do grupo W2M, o Icárion, este só vai ser lançado em Portugal depois de setembro, prevendo-se que no início do próximo ano já estará a comercializar no mercado português, apresentando-se como “um especialista global” em viagens.

Proximidade às agências de viagens

Uma das bandeiras que o grupo W2M enverga é a relação com a distribuição turística, com Gabriel Subías a deixar claro que o grupo não pretende lançar a sua própria rede de agências de viagens no mercado, contando assim com o fortalecimento da relação com as agências de viagens atualmente presentes no mercado.

Duarte Correia sublinhou que as agências de viagens portuguesas podem contar com “transparência total, honestidade, estabilidade a longo prazo, uma equipa profissional e preços competitivos e política de preços única”. “Contamos muito com o setor da distribuição”, afirmou o responsável pela W2M em Portugal, sublinhando que o operador pretende “apoiar a distribuição em Portugal”.

Duarte Correia destacou que, em termos de distribuição dos operadores Newblue e Icárion, os serviços extra vão ser comissionados, exemplificando: “Se o cliente passar da Essence para o Quality ou Absolut, ou contratar qualquer outro dos serviços opcionais, o agente de viagens irá ter uma comissão”. A reserva de alojamento nas cadeias de hotéis estratégicas, de excursões no destino ou outro serviço extra vão ser também comissionadas, além de uma comissão extra “à distribuição pela situação em que se vive” fazendo referência à pandemia e situação adversa que a distribuição turística experiencia. Os operadores vão também garantir a existência de um ‘rappel’ imediato após a primeira venda.

Uma das novidades é também a retribuição do bilhete aéreo aos agentes de viagens, salientando o responsável que o “voo seco” vai estar disponível para comercialização no mercado, quando obtiverem as autorizações para tal, e será comissionado. Uma “vantagem competitiva” perante a atual operação regular da companhia aérea TAP para Cancun no México que não é comissionada às agências de viagens.

Quanto às previsões para este primeiro ano de operação, Gabriel Subias refere que se a expectativa é “muito difícil, porque a cada mês mudam as coisas e estamos mais dependentes da regulação sanitária do que da procura”. “Creio que quando a situação sanitária for normalizada e possamos sair de casa e vacinados, a vontade de viajar é muito e haverá uma grande procura. Assim esperamos”, concluiu o responsável, realçando que vai depender da estabilização da situação sanitária o lançamento de novos destinos.

Para já, o grupo W2M vai reforçar a sua equipa em Portugal, desde comercial, produto e operação.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *