Assine já
Alojamento

Alojamento turístico mantém quebra dramática

Se o primeiro mês de 2021 já tinha mostrado número muito negativos, fevereiro veio reforçar a crise no setor do alojamento turístico.

Victor Jorge
Alojamento

Alojamento turístico mantém quebra dramática

Se o primeiro mês de 2021 já tinha mostrado número muito negativos, fevereiro veio reforçar a crise no setor do alojamento turístico.

Victor Jorge
Sobre o autor
Victor Jorge
Artigos relacionados

A quebra registada no setor do alojamento turístico não só manteve-se como se agravou, sendo dados divulgados esta quarta-feira (31 de março) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Depois de assinalar uma descida de 78,8% nos hóspedes e 78,5% nas dormidas, em janeiro de 2021 face ao mês anterior, no segundo mês deste ano, a quebra foi ainda maior: -86,9% e -87,7%, respetivamente. Isto significa que, em fevereiro de 2021, o INE registou 208,2 mil hóspedes e 472,9 mil dormidas, salientando que, desde o início da pandemia, fevereiro foi o terceiro mês com maior redução do número de dormidas, tendo sido apenas ultrapassado pelos meses de abril e maio de 2020 (-97,4% e -95,8%, respetivamente).

Os resultados do mês de fevereiro de 2021 fora, segundo o INE, claramente, influenciados pela não realização de qualquer evento associado ao Carnaval devido à pandemia de COVID-19.
Analisando os números divulgados pelo INE, pode ver-se que as dormidas na hotelaria (70,1% do total) diminuíram 89,7%, enquanto as dormidas nos estabelecimentos de alojamento local (peso de 25,6% do total) decresceram 78% e as de turismo no espaço rural e de habitação (quota de 4,4%) recuaram 75,8%.

Acresce que, em fevereiro, 61,8% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes (57% em janeiro).

Quanto à origem das dormidas, o mercado interno (peso de 69,8%) contribuiu com 329,9 mil dormidas, o que representou um decréscimo de 74,8% (-60% em janeiro). Já as dormidas dos mercados externos diminuíram 94,4% (-87,2% no mês anterior) e atingiram 143 mil.

No conjunto dos primeiros dois meses de 2021, verificou-se uma diminuição de 83,5% das dormidas totais, resultante de variações de -68,6% nos residentes e de -91,1% nos não residentes.

Dos 17 principais mercados emissores, todos mantiveram decréscimos expressivos em fevereiro, tendo representado 80,3% das dormidas de não residentes nos estabelecimentos de alojamento turístico neste mês. As maiores reduções registaram-se nos mercados canadiano (-99,2%), chinês (-97,4%), dos EUA (-97,3%), sueco (-96,8%), dinamarquês (-96,5%) e britânico (-96,3%).

Madeira e Algarve mais penalizadas
Apesar de todas as regiões mostrarem decréscimos expressivos das dormidas, em fevereiro de 2021, superiores a 75%, as maiores reduções foram registadas na Região Autónoma da Madeira (-92,6%) e Algarve (-91,9%). Seguem-se a Área Metropolitana de Lisboa (-88,5%), Norte (-83,8%), Centro (-83,5%), Região Autónoma dos Açores (-78,15) e, finalmente, Alentejo (-75,9%). De resto, a AM Lisboa concentrou 27,4% das dormidas, seguindo-se o Norte (21,5%), o Centro (14,6%) e o Algarve (14,5%).
No conjunto dos primeiros dois meses do ano, as regiões que apresentaram menores diminuições no número de dormidas foram o Alentejo (-70%), RA Açores (-76,6%) e Centro (-77,8%). Já em sentido contrário, as maiores reduções verificaram-se no Algarve (-87,6%), RA Madeira (-87%) e AM Lisboa (-85,4%).

Em fevereiro, todas as regiões apresentaram decréscimo no número de dormidas de residentes, tendo as menores reduções sido registadas na RA Açores (-68,1%) e AM Lisboa (-70,8%).

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Artigos relacionados
Alojamento

Em véspera de eleições autárquicas, AHRESP deixa apelo aos candidatos

A associação recorda que as decisões das Câmaras Municipais e das Juntas de Freguesia têm “um efeito direto no funcionamento das atividades” que representa.

Publituris
tagsAHRESP

Neste domingo, 26 de setembro, decidem-se os novos executivos  para as 308 câmaras municipais do país, uma ocasião que a AHRESP – Associação de Hotelaria, Restauração e Empreendimentos Similares de Portugal não deixa passar em branco sem chamar a atenção aos candidatos para que “contribuam, valorizem e apoiem as empresas das atividades do Alojamento Turístico e da Restauração e Similares dos seus territórios”.

“Dadas as competências próprias do poder local, nomeadamente das Câmaras Municipais e das Juntas de Freguesia, as suas decisões têm um efeito direto no funcionamento das atividades que a AHRESP representa, particularmente no que diz respeito aos estabelecimentos de Alojamento Turístico e de Restauração e Similares”, evoca a associação.

A regulamentação/limitação à atividade de Alojamento Local, ao estacionamento e às cargas e descargas, passando pelos horários de funcionamento, pela ocupação do espaço público por esplanadas e pela aplicação/isenção de taxas municipais são algumas das áreas com influência direta dos executivos municipais.

A AHRESP recorda que “apesar de, muitas vezes, os agentes económicos não residirem no local onde decidiram abrir o seu negócio, estes não deixam de contribuir, de forma decisiva, para o desenvolvimento e para a atratividade dos territórios, proporcionando bens essenciais a residentes e a visitantes, criando emprego (direto e indireto) e atraindo riqueza”.

A associação revela-se disponível para manter uma relação de colaboração com as autarquias nas matérias que impactam nos agentes económicos por ela representados,  “apelando a todos os autarcas candidatos que, quando eleitos, não deixem de reconhecer e levar a cabo as medidas necessárias para que se crie um ambiente amigo destes negócios que, como é reconhecido, e com a pandemia COVID-19, foram dos mais prejudicados, mas também são dos mais resilientes”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Dossier relacionado
AHRESP
Alojamento

Hotéis Sentido premiados com TUI Quality Award 2020

As duas unidades estão localizadas na costa sul da ilha da Madeira.

Publituris
tagstui

Os hotéis Sentido Galosol e Sentido Galomar, no Caniço-de-Baixo, receberam esta semana o prémio TUI Quality Award 2020, atribuído no âmbito dos TUI Global Hotel Awards 2020, cuja entrega foi adiada pela pandemia.

Localizados na costa sul da ilha da Madeira, junto à reserva natural parcial do Garajau, os hotéis Sentido distinguem-se pelo seu posicionamento de eco-hotels, oferecendo infra-estruturas que combinam conforto com sustentabilidade. Além dos quartos com vista para o mar, os hotéis contam ainda com acesso directo ao mar através do complexo balnear Lido Galomar, piscinas interior e exterior com água salgada, ginásio, SPA e saunas panorâmicas, e ainda com o restaurante Atlantis e o Capoeira Lounge Bar, suspensos na falésia com vistas panorâmicas sobre o mar. Todos os serviços estão abertos ao público.

Para Eric Schumann, administrador dos Hotéis Sentido na Madeira, “é com enorme orgulho que anunciamos este novo prémio atribuído por um parceiro tão importante como a TUI. Os TUI Global Awards foram criados pelo operador para celebrar “os melhores dos melhores” a nível da hotelaria. Este é sobretudo reconhecimento do nosso trabalho pelos nossos queridos hóspedes em tempos difíceis e é também um voto de confiança nos nossos hotéis.”

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Marriott abre nova unidade em Punta Cana

O AC Punta Cana fica localizado a 15 minutos do Aeroporto Internacional de Punta Cana.

Publituris

A AC Hotels by Marriott, marca da Marriott International, anunciou a sua estreia em Punta Cana com a abertura de um hotel com 129 quartos  com espaços públicos abertos e multifuncionais.

O AC Hotel by Marriott Punta Cana está localizado a 15 minutos do Aeroporto Internacional de Punta Cana (PUJ) e do Centro Comercial San Juan. As ofertas exclusivas da marca incluem o AC Kitchen, de inspiração espanhola, aberto para o pequeno-almoço, jantar e brunch aos finais de semana. Os hóspedes são recebidos num ambiente com um design contemporâneo em tons naturais, acabamentos  texturizados e peças cuidadosamente selecionadas.

Já o AC Lounge® oferece cocktails, como gin tónico de inspiração local, cervejas artesanais locais e uma oferta de vinhos diversificada. As tapas complementam o menu.
Os hóspedes também podem saborear  bebidas ao ar livre no terraço com piscina infinita, uma área infantil para reuniões familiares, equipado com  espreguiçadeiras. O terraço oferece uma seleção de comidas, bebidas e entretenimento durante o dia para os hóspedes do hotel e oferece uma programação semanal que inclui música e eventos sociais.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

LJs Ratxó é o primeiro hotel europeu a integrar a rede Eco Hotels & Resorts

A Eco Hotels & Resorts pretende reunir uma oferta de hotéis e resorts que promovam o luxo ecológico.

Publituris

A Eco Hotels & Resorts, associação que atualmente conta com 16 hotéis em Aruba, St Barth, Fiji, Antigua Barbuda, Chile, Costa Rica, Nicarágua, México e Tanzânia, integrou o seu primeio hotel na Europa: o LJs Ratxó, em Maiorca.

A Eco Hotels & Resorts foi criada, em 2019, pela mexicana María Olazábal com o objetivo de disponibilizar uma plataforma que reunisse hotéis e resorts únicos que ofereçam um luxo ecológico, preservando e restaurando o meio ambiente, a cultura e as tradições da comunidade local onde estão integrados.

Situado na serra de Tramuntana, declarada Património Mundial da UNESCO, o LJs Ratxó persegue precisamente o propósito da Eco Hotels & Resorts, em que a geração de riqueza e emprego é absolutamente compatível com o cuidado pelo meio ambiente, respeitando e promovendo as tradições locais, e proporcionando experiências únicas que, para muitos, respondem ao novo significado que a grande maioria atribui ao conceito de luxo.

Eduardo Salazar, Director de Operações do Grupo LJs, “queremos que o LJs Ratxó permita aos clientes que possam descobrir como era Maiorca antes do boom do turismo fazer da ilha o destino internacional que é agora. Queremos recuperar o valor da terra, que naquela época pré-turística era o fio condutor da economia maiorquina, e mostrar como é possível conciliar o seu cuidado com a prática de uma das atividades que mais geram riquezas e emprego em todo o mundo. O segredo é aplicar de forma sustentável todas as ações que realizamos na nossa cadeia produtiva. É um projeto muito ambicioso, que esperamos concretizar a médio e longo prazo. Temos a certeza que ser membro da Eco Hotels & Resorts nos ajudará a identificar iniciativas muito interessantes e a tirar partido das sinergias que temos a certeza de partilhar com os restantes parceiros desta plataforma”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

“Descida do IVA para a restauração deve ser equacionada”, diz antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais

Carlos Lobo considera que esta medida pode ser significativa na recapitalização das empresas do setor da restauração.

Publituris
tagsIVA

O antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais Carlos Lobo considera que deveria ser equacionada uma descida do IVA para a restauração – como o setor tem reclamado – sinalizando que a medida, a ser adotada, teria de ser temporária.

“Na ótica do risco foi uma das atividades económicas que sofreu significativamente [com a pandemia]. Temos de dar um contributo para a capitalização dos empresários da restauração. Acho efetivamente que a questão do IVA, temporária, pode ser uma medida significativa nesta recapitalização”, referiu o antigo governante e especialista em direito fiscal, em entrevista à Lusa.

O IVA da restauração, refere, não é neutro – uma vez que os ‘inputs’ desta atividade são maioritariamente adquiridos à taxa reduzida, havendo depois uma taxa de IVA mais elevada no momento da entrega do imposto -, o que acaba por afetar a capitalização destas empresas.

“Numa ótica de coesão e de distribuição temos que tomar aqui uma medida de tentativa de auxílio de um setor, que é um setor intensivo em termos de mão de obra e é crítico para a recuperação e em termos de emprego, e temos que o auxiliar neste movimento, já que foi dos mais afetados”, precisa.

Assim, “faz todo o sentido, numa forma temporária” equacionar uma descida do IVA na restauração.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Grupo Hotusa fecha 2021 com 21 hotéis em Portugal

O grupo Hotusa encerrará o exercício de 2021 com 21 hotéis no nosso país. As próximas aberturas, previstas para outubro, acontecerão no Parque das Nações, em Lisboa.

Victor Jorge

O grupo Hotusa irá terminar o ano de 2021 com 21 hotéis em Portugal, contribuindo para isso, as duas aberturas que estão previstas acontecer até ao final do mês de outubro, adiantou Amancio Lopez Seijas, presidente do grupo Hotusa, no encontro com a imprensa, salientando que se trata “somente de resolver os habituais processos burocráticos” para a abertura.

Os dois novos hotéis da Eurostars Hotel Company, cadeia de hotéis do grupo Hotusa, ficam lado a lado, com o Eurostars Universal Lisboa de 5* e o Ikonik Lisboa 3* a serem, respetivamente, a 20.ª e 21.ª unidade hoteleira do grupo em Portugal, ficando os dois hotéis em regime de propriedade e localizados no Parque das Nações, em Lisboa.

Com 108 quartos, o Eurostars Universal Lisboa 5*, 108 quartos, é conceptualmente um hotel inspirado pela rosa dos ventos simbolizada por um pátio interior. No interior do hotel, a homenagem é prestada, em cada um dos andares, à história e tradição de Lisboa, através da cerâmica, escultura, arquitetura, fado e literatura, marcas que, segundo Amancio Lopez Seijas, presidente do grupo Hotusa, “são a história universal que Lisboa oferece ao mundo”.

Amancio Lopez Seijas, presidente do grupo Hotusa

De resto, o legado histórica da cidade sobressai nas referências a peças de grande valor cultural, recolhidas na própria cidade, enaltecendo o trabalho dos artesãos locais.

A escultura é outro dos traços distintivos com que o Eurostars Universal Lisboa presenteia os futuros hóspedes, com algumas paredes a exibirem esculturas em bronze de figuras nacionais, ao lado da arquitetura que merece um capítulo à parte, com destaque para alguns monumentos.

A nostalgia está presente com o fado, enquanto a literatura tem em autores como Eça de Queiroz, Saramago, Pessoa ou Camões os maiores destaques.

Já no Ikonik de 3*, que se interliga com Eurostars Universal Lisboa através do pátio e do espaço dedicado às salas de reuniões, estamos perante um hotel moderno e funcional, expressando, assim, um design mais vanguardista e com uma dinâmica que irá ao encontro de um público mais jovem.

Este é o primeiro hotel “Ikonik” em Portugal, tratando-se de uma marca que representa “uma nova forma de conceber hotéis”, admitindo o presidente do grupo Hotusa no encontro com a imprensa, que o hotel tem como inspiração temática o “verdadeiro reflexo da capital jovem, moderna e funcional que é Lisboa”.

Com 230 quartos, o Ikonik Lisboa 3* diferencia-se ainda pelos espaços para a realização de reuniões profissionais, bem como celebrações privadas e eventos sociais, contribuindo para tal os mais de 650 m2 de espaço disponível. Juntando aos mais de 200 m2 do Eurostars Universal Lisboa 5*, as duas unidades do grupo possuem quase 900 m2 de espaço.

Para finalizar, Amancio Lopez Seijas salientou a “boa experiência” do grupo em Portugal, admitindo que encara o futuro com “positivismo”, depois de todo o setor do turismo e viagens ter “paralisado”.

No final, Lopez Seijas afirmou ainda que “o turismo do futuro fugirá da massificação”, concluindo ainda esperar “um futuro expectavelmente positivo para Portugal e Espanha”.

Recorde-se que em entrevista recente, o presidente do grupo Hotusa admitiu que, em 2022, os resultados possam aproximar-se de 2019 e ultrapassá-los mesmo, já em 2023.

De referir que Portugal é, depois de Espanha, o mercado com maior implantação da área hoteleira do grupo Hotusa.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Alojamento

Vistos ‘gold’ caem 38% em agosto

Foram concedidos 19 vistos ‘dourados’ à China, nove aos Estados Unidos, cinco à Rússia, três ao Canadá e outros três ao Brasil.

Publituris

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ recuou 38% em agosto, em termos homólogos, para 35,3 milhões de euros, mas subiu quase 60% face ao mês anterior, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados do SEF.

Em agosto, o investimento resultante do programa de Autorização de Residência para Investimento (ARI) somou 35.333.660,06 euros, menos 38,7% face a igual mês de 2020 (57,6 milhões de euros).  Face a julho (22,1 milhões de euros), o investimento cresceu 59,7%.

De acordo com os dados estatísticos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), em agosto foram concedidos 64 ARI, dos quais 56 por via da aquisição de bens imóveis (16 para reabilitação urbana) e oito através do critério de transferência de capitais.

A compra de bens imóveis totalizou em agosto um investimento de 30,4 milhões de euros, dos quais 5,9 milhões de euros para reabilitação urbana, enquanto a transferência de capitais somou mais de 4,8 milhões de euros.

Por países, foram concedidos 19 vistos ‘dourados’ à China, nove aos Estados Unidos, cinco à Rússia, três ao Canadá e outros três ao Brasil.

Nos primeiros oito meses do ano foram atribuídos 550 vistos ‘gold’, dos quais 55 em janeiro, 100 em fevereiro, 73 em março, 98 em abril, 52 em maio, 67 em junho, 41 em julho e 64 em agosto.

Neste período, o investimento captado por via deste instrumento totalizou 295,1 milhões de euros, um recuo de cerca de 40% face aos mais de 496 milhões de euros registados nos primeiros oito meses de 2020.

O programa de concessão de ARI, lançado em outubro de 2012, registou até julho último – em termos acumulados – um investimento de 5.934.165.237,77 euros.

Deste montante, a maior parte continua a corresponder à compra de bens imóveis, que ao fim de quase nove anos (desde outubro de 2012) de programa soma 5.367.959.163,13 euros, sendo que a compra para reabilitação urbana totaliza 325.117.549,43 euros.

O investimento resultante da transferência de capitais é de 566.206.074,64 euros.

Desde a criação deste instrumento, que visa a captação de investimento estrangeiro, foram atribuídos 9.875 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016, 1.351 em 2017, 1.409 em 2018, 1.245 em 2019, 1.182 em 2020 e 550 em 2021.

Até agosto foram atribuídos 9.321 vistos por via de compra de imóveis, dos quais 901 tendo em vista a reabilitação urbana.

Por requisito da transferência de capital, os vistos concedidos totalizam 598 e 20 por criação de postos de trabalho.

Por nacionalidades, a China lidera a atribuição de vistos (4.972), seguida do Brasil (1.031), Turquia (472), África do Sul (412) e Rússia (393).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Ribeira Collection convida a descobrir os segredos do vinho verde

A tradição ainda é o que era! Este é o mote do programa vínico que o Ribeira Collection Hotel, em Arcos de Valdevez, acaba de lançar. Desvendar os segredos do afamado vinho verde da região é o convite que a unidade faz a todos os hóspedes, até ao dia 22 de março. Os Vinhos de Arcos de… Continue reading Ribeira Collection convida a descobrir os segredos do vinho verde

Publituris

A tradição ainda é o que era! Este é o mote do programa vínico que o Ribeira Collection Hotel, em Arcos de Valdevez, acaba de lançar. Desvendar os segredos do afamado vinho verde da região é o convite que a unidade faz a todos os
hóspedes, até ao dia 22 de março.

Os Vinhos de Arcos de Valdevez são uma marca territorial que resulta da identidade própria que o território de entre Lima e Vez proporciona de forma inequívoca aos seus vinhos. Conhecer todo o processo da vindima é o desafio que o Ribeira Collection Hotel lança a todos quantos tenham curiosidade de ingressar nesta viagem. O programa contempla a visita guiada à Quinta do Cerqueiral, uma das quintas de referência na região minhota, com produção de vinho verde tinto e vinho verde branco. Para deleite dos verdadeiros amantes da boa gastronomia, o programa contempla ainda a prova de vinhos e produtos locais na loja da Associação dos Vinhos de Arcos de Valdevez.

A experiência estende-se até ao hotel, onde além do alojamento de 2 noites, em quarto vista rio, os hóspedes podem ainda desfrutar de um passeio de kayak ou aventurarem-se a fazer stand up paddle no rio Vez, que corre aos pés da unidade hoteleira. Para quem preferir algo mais reservado, o Spa Ribeira Essence está aberto 24 horas, com piscina híbrida, sauna, banho turco e jacuzzi.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Rua das Flores recebe a nova Pestana Pousada do Porto

A unidade abre portas já no início de outubro.

Publituris

É já no próximo dia 7 de outubro que o grupo Pestana inaugura a Pestana Pousada do Porto – Historic Hotel, a quarta unidade da marca Pestana Collection Hotels na Invicta. Localizada no centro histórico da cidade, na Rua das Flores, a nova unidade dispõe de 84 quartos e suites, sala de reuniões, piscina interior, sauna e fitness center além de um restaurante, o  P Gastro Bar.

“A Pestana Pousada do Porto – Historic Hotel está instalada num destes edifícios perfeitamente enquadrada na arquitetura do local. Durante a sua recuperação foram preservadas as caraterísticas do edifício original do século XVIII e é possível apreciar os tetos abobados e as pedras destacadas, agora assumidas na decoração da Pousada de Portugal que pretende conjugar esta traça original com um ambiente moderno e elegante. Como homenagem à denominação desta rua, apreciam-se os detalhes com flores que compõem a decoração deste espaço”, explica o grupo em comunicado.

A poucos dias da inauguração o novo hotel do Porto tem já as reservas abertas com uma campanha de abertura de 79 euros por noite em quarto duplo com pequeno-almoço.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Hilton Porto Gaia abre portas esta segunda-feira

No total, o Hilton Porto Gaia ocupa uma área útil de cerca de 32 mil m2, divididos por oito pisos, e oferece 194 quartos e suites, além de um espaço de 2.200 m2de salas e espaços de eventos e reuniões.

Publituris
tagsHilton

Depois de uma requalificação de antigos armazéns de Vinho do Porto, na zona histórica de Vila Nova de Gaia, na Rua Serpa Pinto, o Hotel Hilton Porto Gaia abre as suas portas ao público já esta segunda-feira, dia 20 de setembro.
O projeto, que contou com um investimento de mais de 40 milhões de euros, resulta de um acordo de franchising com a Sabersal – Promoção Turística e Imobiliária, S.A. e será a segunda propriedade com a marca Hilton em Portugal, onde já existe o Hilton Vilamoura As Cascatas Golf Resort & Spa, no Algarve.

Apesar de abrir numa altura de grandes desafios para o turismo e a hotelaria, Mónica Gonçalves, diretora geral do Hilton Porto Gaia, revela-se confiante de 
que “a força da marca Hilton será uma enorme mais-valia para o posicionamento do eixo Porto-Gaia. Não queremos ser um hotel voltado para si mesmo, queremos fazer parte de um coletivo forte e capaz de competir ao mais alto nível no panorama internacional, seja no turismo de lazer, seja na atração dos grandes eventos para a região”.

O projeto de arquitetura do cinco estrelas foi da responsabilidade do atelier de arquitetura ARQ 2525, liderado pelo   arquiteto Miguel Miranda, já o design de interiores tem a assinatura da  Nini de Andrade Silva.

No total, o Hilton Porto Gaia ocupa uma área útil de cerca de 32 mil m2, divididos por oito pisos, e oferece 194 quartos e suites  com luz natural, alguns dos quais com vista para o rio Douro e centro histórico do Porto. Já as tipologias superiores garantem acesso a um exclusivo “Executive Lounge”, com sala privada para refeições e serviço permanente de café e snacks ligeiros.

Nas áreas sociais do hotel, desenhadas para receber, sem formalismos, a comunidade local, destaca-se o restaurante, cuja gastronomia é liderada pelo jovem Chefe Hugo Portela, que procura promover a identidade da cozinha autêntica do Porto e Norte de Portugal, reinterpretada com uma visão moderna e contemporânea, nos seus pratos. 

Os dois bares do edifício são uma extensão deste conceito. O bar contíguo ao restaurante, vai funcionar durante todo o dia, tendo um menu especial de snacks ligeiros e cocktails de assinatura e o bar panorâmico, localizado no Piso 3, vai disponibilizar,  o tradicional Chá das 5 e uma seleção premium de vinhos, espumantes e Champagne.  

O Hilton Porto Gaia disponibiliza ainda o Welness Center, um espaço de saúde e bem-estar, com um total de 1.100 m2.   Em destaque está a piscina interior aquecida, caracterizada pelos tons grenat e vermelho, um espelho de água e uma área de descanso e relaxamento. Este é complementado por um Fitness Center, com ginásio totalmente equipado e aberto ao público em geral, e um  estúdio de yoga, pilates e pilates clínico.

O segmento MICE é uma das fortes apostas do cinco estrelas, que dedica cerca de 2.200 m2 às salas de eventos e reuniões, onde se destaca o “ballroom” com capacidade total para cerca de 600 pessoas, e o confortável auditório, equipado com tecnologia de ponta.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.