Assine já
Destinos

Portugal entre os destinos mais escolhidos pelos espanhóis para viajar em 2021 e 2022

Portugal aparece 2.º destino mais escolhido pelos espanhóis para viajar em 2021 e 2022, aparecendo ainda a referência isolada aos Açores. Contudo, viajar para os espanhóis, só a partir de setembro.

Victor Jorge
Destinos

Portugal entre os destinos mais escolhidos pelos espanhóis para viajar em 2021 e 2022

Portugal aparece 2.º destino mais escolhido pelos espanhóis para viajar em 2021 e 2022, aparecendo ainda a referência isolada aos Açores. Contudo, viajar para os espanhóis, só a partir de setembro.

Victor Jorge
Sobre o autor
Victor Jorge
Artigos relacionados
Portugal é o melhor país a visitar na Europa em 2021
Destinos
“Há uma grande fidelidade do turista luso por Espanha e vice-versa”
Análise
Portugal no topo dos destinos preferidos para este verão
Destinos
Dia “sim” para a chegada dos turistas britânicos (e não só) a Portugal
Destinos

De acordo com uma sondagem efetuada, recentemente, pelo Travelzoo, Portugal está entre os destinos estrangeiros preferidos dos espanhóis para as suas férias não só em 2021, como, igualmente, em 2022, uma vez levantadas as restrições às viagens.

A sondagem adverte, contudo, que não se trata de uma sondagem geral, mas sim e somente aos consumidores registados no Travelzoo e predispostos a viajar.

Portugal aparece em segundo lugar com 18,2% das respostas, somente atrás de Itália que recebe 18,9%, mas à frente de França (15,5%) ou Grécia (8,6%). Destaque ainda para a referência aos Açores, que aparece com 4,3% das menções.

Quanto a outros destinos mais distantes, Brasil recebe 1,3% das respostas, enquanto México 4,2%, Caraíbas 9,5%EAU, 1,4%, Fiji, 0,1%, Filipinas 0,8%, Indonésia 2,3%, Maldivas 4,2%Tailândia 0,8%; EUA 8,7% ou Turquia 3,4%.

Espanha lidera, contudo, o ranking, apontando 53,7% dos espanhóis que este será o destino preferido para as suas férias em 2021 e 2022.

Não se pense, no entanto, que existe uma correria desenfreada aos destinos mais procurados. A pesquisa do Travelzoo indica, também, quando é que os espanhóis planeiam as próximas viagens internas e externas, aparecendo o mês de setembro de 2021 como a altura mais referenciada para fazer férias domésticas ou mais regionais.

A pesquisa refere ainda que 16,7% dos espanhóis ainda não sabe quando viajará por Espanha, não se sentido confortável em efetuar reservas neste momento, subindo esse valor para 26,7% quando se trata de viagens ao estrangeiro, embora 19,3% indique que o mais provável é só viajar em 2022.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Artigos relacionados
Turismo

Educação e investimentos considerados pilares para transformar o turismo na reunião da OMT

Zurab Pololikashvili, secretário-geral da OMT, deixou a mensagem que “a janela de oportunidade para transformar o setor não ficará aberta por muito tempo”, enfatizando ainda que “agora é a hora de acelerar a construção de um setor mais inclusivo, resiliente e sustentável”.

Publituris

Organização Mundial do Turismo (OMT) reuniu em Marrakesh, Marrocos, os líderes do turismo de todas as regiões do mundo para apresentar planos para transformar o setor num cenário de “desafios antigos e novos”.

Segundo dados da OMT divulgados recentes, as chegadas internacionais estão a caminho de atingir 65% dos níveis pré-pandêmicos até o final do ano. No entanto, com base no seu apelo de há um ano para que os líderes do setor público e privado “repensem o turismo”, a OMT colocou a “inovação, os investimentos, a educação e o empoderamento da juventude” no centro das discussões, ao mesmo tempo em que enfatizou o “maior interesse pela transformação por meio da Ação Climática” e da “importância do setor para o desenvolvimento rural em todos os lugares”.

Zurab Pololikashvili, secretário-geral da OMT, referiu no discurso de boas-vindas aos 16 ministros do Turismo e delegações de 36 países, por altura da 117.ª reunião do Conselho Executivo da organização, que “a janela de oportunidade para transformar o nosso setor não ficará aberta por muito tempo”, enfatizando ainda que “agora é a hora de acelerar a construção de um setor mais inclusivo, resiliente e sustentável”.

Pololikashvili lembrou também que o sucesso do turismo não pode mais ser medido com base apenas em números, “mas sim no impacto que nosso setor tem nas vidas, nos meios de subsistência e no bem-estar das pessoas e do planeta”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Air Cairo abre voos para Lisboa e passa a ser representada pela ATR em Portugal

A companhia aérea egípcia de baixo custo Air Cairo passou a ser representada em Portugal pela ATR e prepara-se para abrir, a 30 de dezembro, voos entre Lisboa, Assuão e o Cairo, passando a ligar, no verão, Lisboa a Hurghada.

Publituris

A companhia aérea egípcia de baixo custo Air Cairo vai abrir, a 30 de dezembro, voos entre Lisboa, Assuão e o Cairo, capital do Egito, informação que é avançada em comunicado pela ATR, que passou a representar a transportadora no mercado português.

“Atualmente, a Air Cairo é uma companhia aérea nacional egípcia de baixo custo com uma frota de 10 aviões, operando mais de 200 voos semanais para 25 destinos internacionais e domésticos”, indica a ATR, recordando que a companhia aérea nasceu em 2003.

A 30 de dezembro, a Air Cairo inicia uma operação de inverno que vai ligar Lisboa, o Cairo e Assuão, que conta com um voo por semana, às sextas-feiras, e que vai operar até 24 de março de 2023.

A partir de 28 de março, os voos da Air Cairo passam a ligar a capital portuguesa a Hurghada, estância balnear egípcia localizada no Mar Vermelho, que vai contar com voos às terças-feiras, até 24 de outubro de 2023.

“Em breve teremos mais novidades em relação ao verão IATA”, acrescenta a ATR, revelando que os voos e as tarifas já se encontram carregados no GDS da Amadeus, enquanto as agências que utilizam o Galileo, da Travelport, devem contactar a ATR através do e-mail [email protected] ou pelo número de telefone +351 217618987.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Walter Chicharro admite suceder a Pedro Machado na Turismo do Centro

O presidente da Câmara Municipal da Nazaré, Walter Chicharro, admite que tem reunidas as condições para ser candidato, no próximo ano, à presidência da entidade regional de turismo, para a qual tem vindo a recolher apoios.

Publituris

O presidente da Câmara Municipal da Nazaré, Walter Chicharro, admite vir a candidatar-se à liderança da Turismo Centro de Portugal (TCP), sucedendo a Pedro Machado, atual presidente da entidade regional de turismo, cujo mandato termina em 2023.

Em entrevista aos jornais do grupo Diário de Coimbra, Walter Chicharro destaca os resultados alcançados no seu concelho e admite que tem reunidas as condições para ser candidato, no próximo ano, à presidência da entidade regional de turismo, para a qual tem vindo a recolher apoios.

Recorde-se que Pedro Machado foi reeleito, em julho de 2018, para a liderança da Turismo Centro de Portugal, num mandato que termina no próximo ano e que o responsável não poderá renovar, uma vez que chegou ao limite de mandatos na entidade regional de turismo.

Walter Chicharro tem 52 anos, é presidente da Câmara Municipal da Nazaré desde 2013 e também está em fim de ciclo devido à limitação de mandatos autárquicos.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Ryanair abre nova rota entre o Porto e Shannon no verão de 2023

A nova rota da Ryanair entre o Porto e Shannon, na Irlanda, vai contar com duas frequências semanais e, para assinalar o lançamento, a companhia aérea lançou uma promoção, com preços desde 29,99 euros.

Publituris

A Ryanair vai abrir uma nova rota no Porto no próximo verão, passando a ligar a cidade Invicta a Shannon, na Irlanda, a partir de 23 de abril, anunciou a companhia aérea de baixo custo em comunicado.

A nova rota da Ryanair entre o Porto e Shannon vai contar com duas frequências semanais e, para assinalar o lançamento, a companhia aérea lançou uma promoção, com preços desde 29,99 euros, disponível para reservas através do site da Ryanair.

“Com a Páscoa e o Verão de 23 a aproximarem-se rapidamente, estamos muito satisfeitos por trazer ainda mais opções e valor aos nossos clientes no Norte de Portugal, com a adição desta nova rota de Shannon à nossa programação de Verão de 23”, afirma Dara Brady, da Ryanair.

Segundo o responsável da companhia aérea, a nova rota oferece aos passageiros da Ryanair a oportunidade de visitarem “a Ilha Esmeralda e explorar as muitas maravilhas do centro-oeste” da Irlanda, como castelos cheios de história ou cruzeiros panorâmicos nas falésias e grutas da região.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Solférias e Viajar Tours lançam charters de Lisboa e Porto para Saïdia no verão

 A operação da Solférias e da Viajar Tours para Saïdia conta com um voo charter desde Lisboa e outro do Porto, ambos com partida aos sábados, com a primeira saída a decorrer a 3 de junho, enquanto a última acontece a 16 de setembro.

Publituris

A Solférias e a Viajar Tours vão voltar a contar com uma operação charter para Saïdia, em Marrocos, disponibilizando voos à saída de Lisboa e Porto ao longo do próximo verão, cuja programação foi já lançada de forma antecipada.

Segundo um comunicado dos operadores turísticos, “a estância balnear de Saïdia, a apenas 1h30 de voo à partida de Portugal, tem já um lugar relevante junto dos viajantes portugueses, sobretudo como um excelente destino para as férias de verão”, motivo pelo qual voltam a programar charters para este destino marroquino.

 A operação conta com um voo charter desde Lisboa e outro desde o Porto, ambos com partida aos sábados, com a primeira saída a decorrer a 3 de junho, enquanto a última acontece a 16 de setembro.

“A Solférias e o Viajar Tours, numa estreita colaboração com todos os seus parceiros no destino, mantêm a convicção que a antecipação da oferta vai aumentar ainda mais a capacidade dos agentes de viagem em responder à crescente procura dos viajantes nacionais, que optam por reservar as suas férias atempadamente”, acrescentam os operadores turísticos, na informação divulgada.

Todas as informações sobre a programação para Saïdia está já disponível através dos sites de ambos os operadores turísticos, através dos quais é também possível realizar a reserva.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Turismo internacional recupera e deve atingir 65% dos níveis pré-pandemia, prevê OMT

Até setembro, as chegadas internacionais alcançaram 63% dos níveis pré-pandemia, enquanto os gastos turísticos ultrapassaram 2019 em vários países, incluindo Portugal. No entanto, o ambiente económico continua a ser “desafiante”, o que leva a OMT a mostrar-se “cautelosamente otimista” para os últimos meses do ano.

Inês de Matos

Até setembro, cerca de 700 milhões de turistas realizaram viagens internacionais, mais do dobro (+133%) do registado em igual período do ano passado, o que permitiu uma recuperação para 63% dos níveis pré-pandemia, indica a Organização Mundial do Turismo (OMT), que prevê, no entanto, que até final do ano seja possível chegar a 65% dos níveis de 2019.

De acordo com a OMT, a recuperação registada até setembro foi impulsionada “pela forte procura reprimida, pela melhoria dos níveis de confiança e pelo levantamento de restrições num número crescente de destinos”.

Os resultados, que constam do mais recente Barómetro Mundial do Turismo da OMT, indicam que as chegadas mensais ficaram 64% abaixo dos níveis de 2019 em janeiro de 2022 e atingiram -27% em setembro, com a OMT a estimar ainda que cerca de 340 milhões de chegadas internacionais tenham sido registradas apenas no terceiro trimestre de 2022, o que corresponde a quase 50% do total dos nove meses.

Por regiões, a Europa continua a liderar a recuperação no que diz respeito ao internacional e, até setembro, contabilizou 477 milhões de chegadas internacionais, o que corresponde a 68% do total mundial e permitiu atingir 81% dos níveis pré-pandémicos.

Segundo a OMT, os resultados alcançados na Europa representaram mais do dobro de 2021 (+126%) e foram impulsionados pela “forte procura intrarregional e viagens dos Estados Unidos”, que ditaram um desempenho “particularmente robusto” da Europa no terceiro trimestre de 2022, “quando as chegadas atingiram quase 90% dos níveis de 2019”.

No mesmo período, também o Médio Oriente se destacou, já que as chegadas internacionais mais do que triplicaram e cresceram 225%, subindo para 77% dos níveis pré-pandémicos.

Em África, houve ainda um crescimento de 166% nas chegadas internacionais e nas Américas a subida foi de 106%, atingindo 63% e 66% dos níveis de 2019, respetivamente.

Já nas região Ásia-Pacífico, as chegadas internacionais aumentaram 230%, o que corresponde a mais do triplo do mesmo período do ano passado, o que, segundo a OMT, reflete a “abertura de muitos destinos, incluindo o Japão no final de setembro”.

Contudo, acrescenta a OMT, as chegadas internacionais na Ásia-Pacífico permaneceram 83% abaixo dos níveis de 2019, uma vez que a China, que é “um importante mercado de origem para a região, permanece fechada”.

Por sub-regiões, a OMT acrescenta ainda que várias “atingiram 80% a 90% das chegadas pré-pandémicas em janeiro-setembro de 2022”, a exemplo da Europa Ocidental (88%) e do sul da Europa mediterrânea (86%) que, segundo a OMT, registaram a “recuperação mais rápida em relação aos níveis de 2019”.

Já as Caraíbas, a América Central (ambas com 82%) e o norte da Europa (81%) “também registraram bons resultados”, com a OMT a destacar ainda países como Albânia, Etiópia, Honduras, Andorra, Porto Rico, República Dominicana, Colômbia, El Salvador e Islândia onde as chegadas ficaram acima dos níveis pré-pandémicos.

Apenas em setembro, as chegadas superaram os níveis pré-pandémicos no Oriente Médio (+3% em relação a 2019) e nas Caraíbas (+1%), enquanto na América Central registaram uma aproximação ao resultado de mês homólogo de 2019, ficando apenas -7% abaixo. Já a Europa do Norte houve uma descida de 9% e na Europa Meridional e Mediterrânica as descidas foram de 10% .

Portugal entre os destinos com maior aumento nas receitas turísticas

Apesar da recuperação ainda estar em curso, a OMT destaca que vários países já “conseguiram aumentos notáveis ​​nas receitas do turismo internacional nos primeiros sete a nove meses de 2022”, a exemplo de Portugal.

Além de Portugal, as receitas turísticas aumentaram também na Sérvia, Roménia, Turquia, Letónia, Paquistão, México, Marrocos e França.

Além das receitas, a OMT invoca também a recuperação dos gastos com turismo emissor dos principais mercados de origem e dá como exemplo a França, onde os gastos atingiram -8% até setembro, em comparação com 2019.

Tal como a França, também a Alemanha, Bélgica, Itália, Estados Unidos, Catar, Índia e Arábia Saudita registaram “fortes gastos nos primeiros seis a nove meses de 2022”, indica a OMT.

Os resultados dos primeiros nove meses de 2022 levam a OMT a mostrar-se otimista face aos próximos meses, ainda que a organização sublinhe que este otimismo é cauteloso, uma vez que o ambiente económico continua a ser “desafiante” e a inflação continua “persistentemente alta”, o que se junta ao aumento dos preços da energia, que foi “agravado pela ofensiva russa na Ucrânia”.

Todos estes fatores, defende a OMT, podem “pesar no ritmo de recuperação” no quarto trimestre e em 2023, até porque os últimos resultados do inquérito ao Painel de Especialistas em Turismo da OMT indicam uma descida da confiança face aos últimos quatro meses do ano, o que reflete um “otimismo mais cauteloso”.

Ainda assim, a OMT estima que as receitas provenientes da atividade turística se situem entre os 1,2 a 1,3 biliões de dólares em 2022, o que corresponde a um aumento de 60% a 70% face a 2021 e a 70% a 80% 1,8 biliões de dólares contabilizados em 2019.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Distribuição

Nortravel anuncia charters de Lisboa e Porto para Cabo Verde no verão de 2023

A Nortravel vai programar dois charters para a ilha do Sal, com partidas de Lisboa e Porto, assim como uma operação desde o Porto para a Boa Vista. Os preços começam nos 726 euros e as reservas online já estão disponíveis.

Publituris

O arquipélago de Cabo Verde vai ser uma das apostas da Nortravel para o próximo verão, com o operador turístico a anunciar charters com partida de Lisboa e Porto, com destino às ilhas do Sal e Boa Vista.

De acordo com um comunicado da Nortravel, para a ilha do Sal estão previstos charters com saída de Lisboa e do Porto, com as partidas de Lisboa a acontecerem todas as sextas, de 7 de julho a 8 de setembro, enquanto as partidas do Porto, que também decorrem às sextas-feiras, realizam-se entre 2 de junho a 29 de setembro.

Já no caso da ilha da Boa Vista, o operador turístico vai ainda programar um charter à partida do Porto, com saídas às quintas-feiras, entre 22 de Junho a 14 de Setembro.

“Estas propostas serão realizadas em modernos aviões Boeing 737/800 da companhia polaca Enter Air, com capacidade para 189 passageiros”, indica ainda a Nortravel no comunicado divulgado.

Para as partidas de Lisboa com destino ao Sal, o operador turístico disponibiliza preços desde 834 euros, em regime de alojamento e pequeno-almoço, enquanto no caso das partidas do Porto os preços começam nos 726 euros, também em regime de alojamento e pequeno-almoço.

Já para a operação com destino à Boa Vista, cujas partidas decorrem do Porto, a Nortravel está a disponibilizar valores que começam nos 1.019 euros, em regime de tudo incluído.

As propostas do operador turístico para o verão de 2023 em Cabo Verde já se encontram disponíveis para reservas online com confirmação imediata, através do site da Nortravel.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Grupo MSC desiste de comprar a Ita Airways

O Grupo MSC retirou a proposta para adquirir o capital da companhia aérea italiana Ita Airways, que nasceu em 2021, depois da insolvência e liquidação da Alitalia.

Publituris

O Grupo MSC retirou a proposta para adquirir o capital da companhia aérea italiana Ita Airways, que nasceu em 2021, depois da insolvência e liquidação da Alitalia.

De acordo com a Lusa, o grupo marítimo, a que pertence a MSC Cruzeiros, informou em comunicado a desistência do negócio, explicando que já tinha informado “as autoridades competentes que não tem mais interesse em participar na privatização da Ita Airways”.

A desistência da compra da Ita Airways deve-se ao facto de o Grupo MSC não entender “as condições atuais do procedimento”, optando, assim, por retirar a proposta que tinha sido apresentada.

A Lusa recorda que, em outubro, o executivo de Giorgia Meloni já tinha interrompido as negociações com um consórcio formado pelas companhias aéreas Delta e Air France e pelo fundo americano Certares.

No entanto, as negociações com o Grupo MSC e com a Lufthansa continuaram, tendo mesmo chegado a ser apresentada uma proposta que previa a aquisição de 80% do capital da Ita Airways, ficando o Grupo MSC com 60% da companhia aérea italiana e a Lufthansa com os restantes 20%.

Recorde-se que a Ita Airways foi fundada em outubro de 2021, depois da liquidação da Alitalia, cuja situação financeira, que já era difícil antes da pandemia da COVID-19, se ter tornado insustentável e ter ditado a criação da nova companhia aérea.

O Ministério da Economia de Itália é, atualmente, o único acionista da Ita Airways.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Emirates começa a introduzir nova classe Premium Economy na frota A380

A nova cabina Premium Economy da Emirates vai oferecer “lugares luxuosos, mais espaço para as pernas, e um serviço que rivaliza com a oferta de muitas companhias aéreas de Classe Executiva”, segundo a companhia aérea.

Publituris

A Emirates deu início ao programa que prevê a renovação e introdução da nova classe de bordo Premium Economy na sua frota de aviões A380, alterações que vão chegar a 67 aviões A380 e a 53 B777 da Emirates e que deverão estar concluídas no prazo de dois anos.

De acordo com um comunicado da companhia aérea do Dubai, “este projeto ambicioso representa um investimento multibilionário para assegurar que os passageiros voem melhor nos próximos anos”.

Até 23 de maio de 2024, a Emirates conta ter todos os 67 aviões A380 destinados ao programa de reequipamento de volta ao serviço, seguindo-se, posteriormente, intervenções em 53 aparelhos Boeing 777, num trabalho que deverá estar concluído até março de 2025 e que vai levar a nova classe de bordo a um total de 120 aviões da Emirates.

O primeiro avião A380 da Emirates a ser sujeito à renovação e reequipamento já se encontra no Centro de Engenharia da Emirates, onde, “durante os próximos dias e 24 horas por dia, equipas de engenheiros e técnicos desmontarão todo o interior da cabina”, que será posteriormente montado “numa sequência cuidadosamente planeada e testada”.

Depois da renovação, que vai até implicar mudanças nas Shower Spa da Emirates, o avião vai passar a contar com 56 lugares em Premium Economy, o que obriga a retirar 88 assentos Economy da parte da frente do avião.

Mas a renovação chega também às cabines de executiva e primeira classe, localizadas no primeiro andar do aparelho, cujos assentos vão ser igualmente substituídos por outros mais recentes, sendo que também as alcatifas e pavimentos das cabines dos aviões serão substituídos antes da reinstalação dos novos assentos.

Depois deste primeiro avião, a Emirates tem já prevista a renovação do próximo aparelho para 1 de dezembro, uma vez que, à medida que o programa vai avançando, os engenheiros da companhia aérea vão poder trabalhar em dois aviões em simultâneo.

“Isto significa que, a cada oito dias, um avião será imobilizado e transportado para a Emirates Engineering para reequipamento”, indica a Emirates, num comunicado divulgado esta terça-feira, 22 de novembro.

A nova cabina Premium Economy da Emirates vai oferecer “lugares luxuosos, mais espaço para as pernas, e um serviço que rivaliza com a oferta de muitas companhias aéreas de Classe Executiva” e que, atualmente, está apenas disponível nos aparelhos A380 que realizam as rotas de Londres, Paris e Sydney.

Até final de março de 2023, a Emirates conta ter também a Premium Economy nas rotas para Nova Iorque JFK, São Francisco, Melbourne, Auckland e Singapura.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Americanos consideram várias opções para voar mais barato

São várias as possibilidades que os americanos equacionam para obter voos mais baratos. Desde viajar de pé, não ter acesso a casas de banho ou sujeitar-se a diversos ‘stopovers’, se o desconto for adequado, estes são alguns dos “sacrifícios” que os viajantes estão dispostos fazer.

Publituris

Uma recente pesquisa realizada pela WayAway, motor de busca de viagens, revela que a maioria dos americanos consideraria diversas opções para obter viagens de avião mais baratas. Entre as opções estão viajar de pé, não ter acesso às casas de banho ou realizar cinco ‘stopovers’, tudo para ter voos mais baratos no próximo ‘Black Friday’, dia que inaugura a temporada de compras natalícias com significativas promoções e que tem início um dia depois do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, ou seja, no dia seguinte à quarta quinta-feira do mês de novembro.

Com os preços dos voos a subir, a pesquisa conclui que os viajantes procuram preços mais baixos, revelando que 8,6% estaria disposto a voar de pé se obtivessem um desconto entre 5 a 10%. Já 30,8% consideraria esta opção se o desconto fosse de 20 a 30% e 31,6% admite esta possibilidade se a promoção chegasse aos 50%. Já 29% não consideraria qualquer dessas possibilidades de desconto.

No que diz respeito à opção de viajar sem acesso às casas de banho, 8,7% dos inquiridos consideraria essa hipótese se o desconto fosse de 5 a 10%, sendo que 23% optaria por um voo com esta limitação se o desconto chegasse aos 20 a 30%. Já 29,2% admite voar caso o desconto fosse de 50%, enquanto 39% não considera voar com estas limitações nos voos.

Finalmente, no que diz respeito aos ‘stopovers’, 4,6% considera essa possibilidade se o desconto chegasse aos 10%, subindo para 18% em descontos entre os 20 a 30%. Já 35,4% optaria por este tipo de voos, caso o desconto atingisse os 50%, enquanto 42% não optaria por esta possibilidade.

Janis Dzenis, porta-voz da WayAway, diz-se “surpreendida com a quantidade de americanos que estão dispostos a enfrentar alguns inconvenientes realmente sérios para obter preços com desconto”, considerando que “não podemos deixar de nos perguntar se isso reflete os atuais altos preços dos bilhetes ou se sempre foi esse o caso”.

Dzenis refere, contudo, que existem opções mais fáceis de economizar nos voos. Em primeiro lugar, “ser flexível com as datas”, frisando que “escolher um dia da semana em vez de um fim de semana pode ser a chave”. Em segundo lugar, “reservar com antecedência, especialmente ao escolher os destinos mais procurados”. E, finalmente, “assinar um plano de assinatura pago para obter reembolso de até 7% em todas as ofertas de viagens”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.