Metade dos europeus planeia viajar nos próximos seis meses

Por a 20 de Janeiro de 2021 as 15:39

Mais de 50% dos europeus planeia viajar nos próximos seis meses, e cerca de um terço diz que o tenciona fazer até à primavera, essencialmente por motivos de lazer, apurou um inquérito da European Travel Commission (ETC), divulgado esta terça-feira, 19 de janeiro.

De acordo com o inquérito, que foi realizado no final de 2020 pela entidade europeia de turismo, que atualmente é liderada por Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, 52% dos inquiridos afirmam ter planos para viagens de curta duração ou querer viajar nos próximos seis meses, enquanto 32% dizem que o vão fazer já na primavera.

O inquérito, relativo ao Sentimento de Monitorização de Viagens Domésticas e Intraeuropeias, apurou ainda que apenas 12% dos europeus que responderam ao questionário querem viajar já entre janeiro e fevereiro.

“A confiança nas viagens aéreas também parece estar a aumentar constantemente: 52% dos europeus declaram agora que estão dispostos a viajar de avião, em comparação com 49% em setembro”, aponta a ETC no comunicado, atribuindo a melhoria das intenções dos turistas europeus aos processos de vacinação contra a COVID-19 em curso na UE e às facilidades nas reservas de transporte e alojamento.

Quanto a destinos, a maioria pretende visitar países europeus (40%), ainda que 36% digam que vão realizar viagens domésticas, sendo o lazer o motivo apontado por 63% dos inquiridos, seguindo-se a visita a amigos e familiares (21%) e as viagens de negócios (9%).

Para a ETC, estes dados revelam que “protocolos rigorosos de saúde e segurança criam confiança e paz de espírito e tornam as viagens mais agradáveis”, numa altura em que a pandemia de covid-19 ainda não está controlada.

“Cerca de 67% dos inquiridos sentem-se suficientemente seguros e relaxados para desfrutar da sua viagem quando os protocolos rigorosos estão em vigor e apenas 22% dos europeus afirmam que tais medidas podem, até certo ponto, estragar a experiência de viagem, enquanto outros 11% afirmam que não lhes faz diferença”, elenca o organismo.

Ainda assim, “as medidas de quarentena, o aumento dos casos de COVID-19 no destino e um eventual adoecimento durante as férias continuam a ser as principais preocupações para 15%, 14% e 14% dos europeus com planos de viagem a curto prazo, respetivamente”, refere também a ETC.

O inquérito foi realizado entre 20 de novembro e 03 de dezembro de 2020, a um total de 5.742 cidadãos da União Europeia (EU).

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *