Canárias voltam a receber cruzeiros a 5 de novembro

Por a 20 de Outubro de 2020 as 10:26

O Governo das Canárias autorizou a TUI Cruises e a Hapag Lloyd Cruises a realizar cruzeiros entre os portos das ilhas Canárias a partir de 5 de novembro, depois das companhias de cruzeiros se comprometerem a cumprir um rigoroso protocolo sanitário que, entre outras medidas, prevê que todos os passageiros possuam um teste negativo à COVID-19.

De acordo com o jornal espanhol Hosteltur, além da obrigatoriedade dos testes, as companhias de cruzeiros devem também contratar um seguro que cubra possíveis incidentes de COVID-19, contar com uma equipa médica a bordo e contratar hotéis para prevenir a necessidade de realizar quarentenas.

Além das medidas já referidas, as companhias de cruzeiros devem ainda contar com um plano de higiene especial para os navios, cuja ocupação não poderá ser superior a 60% ou 70%, e os passageiros já devem ter um teste negativo à COVID-19, seja PCR ou serológico, antes do embarque.

Paralelamente, os passageiros devem também preencher um formulário discriminando todos os seus movimentos nos últimos 15 dias antes de chegarem às ilhas Canárias, e confirmar se tiveram contacto com algum infetado.

Os navios Mein Schiff II, da TUI Cruises, e Europa II, da Hapag Lloyd Cruises, são os primeiros a realizar itinerários nos portos das Canárias a partir da 5 de novembro, com o primeiro a partir de Las Palmas, na Gran Canaria, enquanto o Europa II vai contar com saídas de Santa Cruz de Tenerife.

“As companhias TUI Cruises e Hapag Lloyd Cruises foram as primeiras a obter esta autorização, depois de assumirem ambas, mediante uma declaração de responsabilidade, o cumprimento na íntegra do protocolo sanitário estabelecido pelas autoridades autonómicas”, informou o Governo das Canárias em comunicado, citado pelo Hosteltur.

Apesar da TUI Cruises e da Hapag Lloyd Cruises terem sido as primeiras companhias autorizadas a retomarem a operação nas Canárias, o Hosteltur diz que há várias outras interessadas em realizar cruzeiros nas ilhas, mas sublinha que, nos próximos tempos, apenas as companhias europeias deverão ser igualmente autorizadas a operar, uma vez que, destaca o Governo das Canárias, “os protocolos sanitários que a União Europeia estabeleceu são dos mais exigentes do mundo”.

O Governo das Canárias justifica a autorização concedida a estas duas companhias de cruzeiros com a necessidade de reativar o turismo no arquipélago, que tem um forte impacto económico nas Canárias, esperando-se que, com estes itinerários seja possível chegar aos 400 mil cruzeiristas e recuperar cerca de 40% dos turistas até maio de 2021.

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *