Cláudia Monteiro de Aguiar coloca falência das low cost na agenda europeia

Por a 11 de Julho de 2019 as 12:29

A eurodeputada portuguesa Cláudia Monteiro de Aguiar, que é deputada efetiva na Comissão de Transportes e Turismo do Parlamento Europeu, vai dar prioridade às acessibilidades e ao turismo durante o seu novo mandato, que arrancou esta semana, reclamando um “maior peso político para o sector” e “uma resposta europeia para minimizar os impactos das falências” das companhias low-cost.

De acordo com um comunicado da eurodeputada portuguesa, eleita pelo PSD, Cláudia Monteiro de Aguiar pretende “maior peso político para o sector através da criação de um fundo para o Turismo, que já foi aprovado pelos seus pares no Parlamento Europeu, mas também que haja uma resposta europeia para minimizar os impactos das falências das denominadas companhias low-cost, nomeadamente na proteção do direito dos passageiros”.

Para Cláudia Monteiro de Aguiar, lê-se ainda no comunicado, também os estados-membro, a exemplo de Portugal, devem “criar mecanismos através de uma estratégia a médio prazo que salvaguarde os destinos”.

A eurodeputada portuguesa, natural da Madeira, garante também que vai continuar o seu trabalho em temas de interesse para o setor, como a concretização dos destinos inteligentes, o combate às alterações climáticas, a formação e e-skills dos recursos humanos.

Já na área dos Transportes, Cláudia Monteiro de Aguiar destaca a revolução digital, assim como as acessibilidades, tema que se vai manter na agenda da representante portuguesa no Parlamento Europeu, de forma a que “todas as regiões da União estejam ligadas ao continente europeu, através do transporte aéreo e marítimo”.

Destaque ainda para a descarbonização do setor, em particular do transporte marítimo, que, segundo o comunicado de Cláudia Monteiro de Aguiar, vai passar a contar com uma “agenda marítima, aliando inovação e tecnologia”.

O novo Parlamento Europeu é composto por 751 deputados de 190 partidos políticos, que foram eleitos em representação dos 28 estados-membro, incluindo os 21 eurodeputados portugueses eleitos a 26 de maio, nas Eleições Europeias.

Um comentário

  1. Victor Silva

    12 de Julho de 2019 at 15:28

    Começo por citar:- o Parlamento Europeu tem uma carga muito elevada no que respeita a euro-deputados,em representação de 28 estados membros.

    Quanto á posição da euro deputada do PSD Claudia Aguiar, muito terá que desenvolver para que a actividade turistica seja melhor considerada, pois viajamos na europa a duas ou três velocidades , O sul da Europa tem uma visão sobre o sector diferente do norte da Europa, mas todos os estados abordam a temática como se tratasse da torre de ” Babel” ainda não há entendimento, e de regras estamos muito longe. Se hoje pensamos a nível global Europeu teem os deputados de criar mecanismos de modo a que haja uma visão e tratamento sobre o sector mínimo por uma década mesmo que no percurso tenhamos de fazer correcões .
    è preferível corrigir do que fazer de contas ( cabeça na areia)

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *