Pousadas de Juventude aponta estratégia à internacionalização

Por a 23 de Abril de 2019 as 10:07

2018 foi um ano de crescimento em toda a rede das 41 Pousadas de Juventude espalhadas por todo o país. Pela primeira vez, foi ultrapassado o meio milhão de dormidas nas cerca de 41 unidades que compõem a rede. Para Nuno Chaves, presidente da Movijovem, cooperativa de capitais públicos, com o seu foco na mobilidade juvenil e na promoção de políticas públicas juvenis, estes são “números históricos para a instituição que renovam a nossa ambição e reforçam a nossa responsabilidade”. “As Pousadas de Juventude estão em crescimento e melhoria, e o ano de 2018 foi, sem dúvida, um dos melhores anos de sempre”, acrescenta.
Lisboa e Porto registaram crescimentos naturais derivados da “constante procura”, sendo os destinos que verificam também as “melhores performances” da rede. A par destas, a Movijovem destaca também o crescimento assinalado em Almada, Aveiro, Beja, Espinho, Ofir, Torres Vedras, Vila Nova de Cerveira e São Pedro do Sul. O responsável refere que “ultrapassados os anos de incerteza, estamos a provar que é possível gerir uma rede de turismo juvenil, assente na utilidade pública e no apoio à mobilidade, de uma forma sustentável e rigorosa, mantendo a missão que nos é confiada”.
Para o decorrer deste ano, a expectativa é um aumento de 4% da atividade das Pousadas de Juventude. Para tal, a Movijovem vai apostar numa estratégia focada na internacionalização, que passa “pela diversificação dos canais de venda, crescente presença nos canais online, pelo aprofundamento da ligação à rede Hostelling International, que conta com cerca de 4 mil hostels no mundo”, explica. A divulgação e promoção nas principais feiras de turismo nacionais e internacionais complementa também a estratégia de internacionalização seguida, à qual acresce “um investimento acrescido no marketing e produção de conteúdos dirigidos a jovens estrangeiros interessados em viagens e em Portugal”, bem como a presença em Festivais de Verão e eventos musicais e culturais, a par do lançamento de uma loja online “para exponenciarmos produtos turísticos, experiências e roteiros associados a cada Pousada da Juventude da nossa rede”.
Atualmente, a principal faixa etária das Pousadas de Juventude e foco de ação continuam a ser os jovens, explica o responsável. “Contudo, está longe de se resumir a isso. Recebemos muitos grupos escolares, cada vez mais famílias e outros viajantes portugueses e estrangeiros acima dos 25 anos que procuram uma boa proposta qualidade/preço e uma cobertura geográfica que não tem comparação em Portugal”, indica o presidente da Movijovem.

Renovação

Depois de um período menos fácil, a Movijovem está a ultimar, com um “importante apoio da tutela”, uma “estratégia para que possamos investir e manter uma gestão rigorosa, sustentável e responsável”, declara Nuno Chaves. Dentro em breve, vai ser apresentada uma “nova estratégia de renovação, consubstanciada num ambicioso plano de investimentos que assenta sobretudo em três eixos: Melhoria das condições laborais e investimento nos Recursos Humanos; modernização das Pousadas e da sua imagem; e reabilitação do edificado”. Pois, a Movijovem, “através das Pousadas de Juventude, assume o compromisso de ser a rede de alojamento económica por excelência em Portugal, reconhecida pela relação qualidade-preço e extensa cobertura geográfica. As Pousadas de Juventude colocam à disposição de todos os jovens uma rede de alojamento turístico segura, económica e confortável, constituída por espaços de convívio e de intercâmbio social e cultural, associando-lhe instrumentos de mobilidade”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *