BTL Cultural vai ter 300m2 e 16 instituições representadas

Por a 13 de Fevereiro de 2019 as 12:47

A BTL Cultural, espaço que é uma das principais novidades da próxima edição da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que decorre entre 13 e 17 de Março, na FIL, em Lisboa, vai contar com uma área total de 300 metros quadrados, na qual vão estar representadas 16 das principais instituições culturais portuguesas.

“Cada vez mais, os operadores fazem viagens culturais e faz todo o sentido que na BTL houvesse um espaço onde Portugal pudesse mostrar a sua oferta”, afirmou Fátima Vila Maior, directora de Feiras da FIL, durante a apresentação da iniciativa, que conta com a Fundação Calouste Gulbenkian como parceira.

“Fazia parte da estratégia da BTL enquadrar uma área de cultura. Era um objectivo nosso já desde há três anos e, felizmente, encontrámos o parceiro certo, a Fundação Calouste Gulbenkian”, acrescentou a responsável, explicando que a ideia surgiu devido à ITB Berlim, uma das feiras que, segundo Fátima Vila Maior, “tem esta área mais desenvolvida”.

O espaço da BTL Cultural vai ficar localizado no Pavilhão 2 da FIL e conta com uma área de 300 metros quadrados em forma circular, onde as 16 instituições convidadas vão estar representadas de igual forma, com um pequeno núcleo, e no centro da qual estará um “espaço café cultura”, segundo Susana Prudêncio, directora adjunta de Marketing da Fundação Calouste Gulbenkian, que também marcou presença na apresentação da BTL Cultural, esta quarta-feira, na sede da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

De acordo com Susana Prudêncio, o espaço vai contar com uma programação própria, mais virada para o público profissional nos primeiros três dias da feira, sendo mais diversificada no fim-de-semana, quando a BTL abre ao público em geral.

“Temos uma programação especial, no primeiros três dias com uma programação virada para os profissionais e onde vamos partilhar boas práticas de como as instituições se devem posicionar junto dos públicos do Turismo, quer nacionais quer internacionais”, explicou Susana Prudêncio, revelando que “ nos dois dias de abertura ao público, a programação vai ser mais diversificada, com workshops, conversas e música”.

“No fundo, a ideia é que os nacionais que visitem este espaço possam perceber quais são os grandes eventos nacionais ao longo do ano, que não podem perder”, sublinhou a responsável da Fundação Calouste Gulbenkian.

Além da Fundação Calouste Gulbenkian, a BTL Cultural vai também contar com a participação da Fundação Oriente, MAAT, CCB, Parques de Sintra, Fundação de Serralves, Culturgest, Direcção Geral do Património Cultural (DGPC), Museu da Vista Alegre, Teatro Nacional D. Maria II, Casa da Música, Casa da Histórias Paula Rego, entre outras instituições ainda por revelar.

“São as instituições mais marcantes da cultura portuguesa, as que se têm distinguidos na programação e na forma como se apresentam ao público”, explicou Susana Prudêncio, revelando que, nesta edição, as instituições foram convidadas a participar na iniciativa, algo que deverá mudar no próximo ano, já que está previsto que a participação se passe a fazer através de inscrição.

 

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *