Assine já
Destinos

Publituris apresenta um novo logótipo e grafismo

Desenvolvido pela The Story Telling, o novo projecto gráfico resulta numa afirmação da identidade do Publituris enquanto jornal da indústria turística, conferindo-lhe uma imagem mais actual e uma leitura mais facilitada por novos arranjos gráficos e visuais.

Carina Monteiro
Destinos

Publituris apresenta um novo logótipo e grafismo

Desenvolvido pela The Story Telling, o novo projecto gráfico resulta numa afirmação da identidade do Publituris enquanto jornal da indústria turística, conferindo-lhe uma imagem mais actual e uma leitura mais facilitada por novos arranjos gráficos e visuais.

Carina Monteiro
Sobre o autor
Carina Monteiro
Artigos relacionados
Brasil quer chegar aos 18 milhões de turistas até 2022
Homepage
WTA: Portugal volta a ser o melhor destino turístico do mundo
Homepage
Centro de Portugal estima chegar aos 13 milhões de dormidas em 2030
Homepage
“Turismo investe muito pouco em tecnologia”
Homepage

A partir de hoje, o jornal Publituris apresenta um novo logótipo e grafismo. Desenvolvido pela The Story Telling, o novo projecto gráfico resulta numa afirmação da identidade do Publituris enquanto jornal da indústria turística, conferindo-lhe uma imagem mais actual e uma leitura mais facilitada por novos arranjos gráficos e visuais.

A capa do jornal passa a ser mais flexível e dinâmica, podendo ter mais do que um tema em destaque, os dossiers temáticos e as reportagens de viagens passam a ter um destaque especial, podendo a capa, com este novo grafismo, ter mais imagens e destaques.

Vai continuar a encontrar as caras conhecidas das nossas opiniões (com novidades em breve), as mesmas secções, embora em alguns casos com nomes diferentes (T0’s e Agentes passou a Distribuição e Hotelaria&Restauração a Alojamento); criámos as secções de Análise, Política e Viagens. Agora podemos ter opiniões num formato mais curto em qualquer secção.

Mantivemos rubricas como o “Conversas à Mesa” e vamos criar novas. É o caso das “Empresas com história”, onde queremos a contar a história de empresas com mais de dez anos; e “Cá Dentro”, que será uma reportagem sobre um destino em Portugal, um hotel, etc.

 

Sobre o autorCarina Monteiro

Carina Monteiro

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

easyJet mantém resultados no negativo, mas aponta recuperação total para final de 2022

Com resultados ainda no vermelho no ano fiscal de 2021, terminado em setembro, a easyJet aponta para estar a níveis pré-pandémicos no 4.º trimestre de 2022.

A easyJet obteve, no exercício fiscal de 2021, terminado em setembro, receitas de 1.458 milhões de libras (cerca de 1.725 milhões de euros), comparando com os 3.000 mil milhões de libras (cerca de 3.540 mil milhões de euros) do exercício transato de 2020, correspondendo a um decréscimo de 52%.

No que toca aos lucros, a companhia aérea anuncia, no comunicado ao mercado, que obteve prejuízos de 858 milhões de libras (ligeiramente acima de mil milhões de euros), após contabilizar perdas de 1.079 milhões de libras (1.270 milhões de euros) no ano anterior.

Ao comentar os resultados, Johan Lundgren, CEO da easyJet, admite que a companhia está a passar pela pandemia com “força renovada”, tendo “transformado o negócio ao otimizar a rede e flexibilidade, proporcionando uma economia significativa de custos”.

Depois de apresentados os números referentes ao ano fiscal de 2021, pode ler-se no comunicado que a companhia vê “um início encorajador para este ano [2022]”, destacando a “forte procura para os períodos de pico de férias de inverno, juntamente com o aumento da procura de verão”, admitindo que a capacidade no último trimestre de 2022, ou seja, de julho a setembro do próximo ano, “esteja perto dos níveis do ano fiscal de 2019”.

“Com planos ambiciosos de crescimento, estamos a expandir as nossas posições de liderança em bases importantes como Gatwick e Milão com ‘slots’ e aeronaves adicionais este ano e com 118 aeronaves encomendadas com uma compra adicional de 59 opções e direitos confirmados para continuar a desenvolver nos próximos anos”, diz Lundgren, vendo uma “oportunidade para a easyJet conquistar clientes e quota no mercado” aos rivais neste período.

Quanto à nova variante da COVID-19, Ómicron, a companhia refere no comunicado que, “é muito cedo para dizer que impacto a variante terá nas viagens na Europa e as consequências que quaisquer restrições de curto prazo possam ter”.

“Continuamos a ver os bons níveis das novas reservas para a segunda metade do ano e continuamos a esperar que o quarto trimestre de 2021-2022 mostre um regresso aos níveis próximos da pré-pandemia em termos de capacidade, já que as pessoas optam por fazer as suas esperadas férias de verão”, refere a companhia no comunicado.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Mudanças na Lufthansa Portugal: sai Patrick, entra Thomas

Aós cinco anos a liderar o departamento de vendas em Portugal, Patrick Borg Hedley dá o lugar a Thomas Ahlers.

A Lufthansa renovou a sua estrutura diretiva de vendas em Portugal, com a saída de Patrick Borg Hedley, há cinco anos à frente do departamento de vendas no nosso país e que “viaja” para a Finlândia para ficar à frente dos destinos da companhia no país escandinavo, mas também com a supervisão do mercado belga.

Para substituir Patrick Borg Hedley, a Lufthansa nomeou Thomas Ahlers como general manager of sales depois de ter passado por Nova Iorque, Xangai ou Frankfurt, entre outros mercados.

Na apresentação do novo executivo do grupo Lufthansa em Portugal, Julia Hillenbrand, diretora-geral do grupo para a Europa Ocidental, teve a oportunidade de agradecer o trabalho realizado por Patrick Borg Hedley, destacando os desafios que foram colocados à companhia ao longo deste período, admitindo que “a indústria da aviação foi a primeira a entrar na crise e, provavelmente, será última a sair”. Contudo, a executiva, baseada em Madrid (Espanha) mostrou-se “otimista quanto ao futuro”, revelando que 55% da frota “está no ar” e a voar para 80% dos destinos comparativamente a 2019.

Patrick Borg Hedley referiu, por sua vez, que os cinco anos que passou em Portugal foram “gratificantes”, destacando o aumento do número de passageiros transportados, tendo passado de 1,6 milhões, em 2016, para 2,4 milhões, em 2021.

Salientando que a companhia está no nosso país há 66 anos, o anterior diretor de vendas no nosso país fez ainda referência às novas rotas introduzidas pela Lufthansa, admitindo que, para tal, “é preciso conhecer a procura”. Assim, depois de várias rotas que passaram a ligar a Madeira a cidades alemãs, nomeadamente, Munique e Frankfurt, Borg Hedley destacou as rotas abertas recentemente com os Açores, a partir de Ponta Delgada e que passaram a ligar a ilha a Genebra, Frankfurt.

Embora os tempos sejam de alguma incerteza, Julia Hillenbrand fez ainda referência aos 80.000 lugares adicionais e 440 voos extra para a época de Natal e Ano Novo que o grupo alemão anunciou no início de novembro.

Do lado de quem acaba de chegar, ou seja, Thomas Ahlers, a promessa é a de “continuar” o trabalho feito pelo seu antecessor, destacando a “flexibilidade e adaptabilidade” como “pilares de atuação para os tempos desafiantes que vivemos”, destacando o processo de vacinação desenvolvido em Portugal que contribui para um “clima de confiança”.

De resto, o novo diretor-geral de Vendas em Portugal do Lufthansa Group, responsável pela atividade comercial e vendas de todas as transportadoras aéreas do grupo (Lufthansa, Austrian Airlines, Brussels Airlines, Eurowings e SWISS) que operam no mercado português, admitiu que, nestes tempos, “as pessoas passaram a procurar mais destinos de proximidade e de lazer”, evidenciando a importância de Lisboa e Porto (responsável por 80% da operação da companhia no nosso país). “Creio que os destinos que envolvam voos de longa distância vão demorar mais a recuperar” e, por isso, “a operação em Portugal será muito importante”, estimando Ahlers um crescimento de “duplo dígito para este inverno”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

Presidente do Governo Regional defende reforço de mecanismos de informação junto de turistas que visitam os Açores

Na sessão de encerramento do primeiro VisitAzores Tourism Forum, o presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, valorizou o facto da região ser “uma referência cada vez mais relevante no contexto planetário”.

O presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, defendeu esta segunda-feira, 29 de novembro, o reforço pela Região de mecanismos de informação, nomeadamente digital, junto dos turistas que visitam as nove ilhas, garantindo-se dessa forma momentos “não apenas de lazer, mas também de elevação cultural”.

“Temos, efetivamente, tanto para oferecer em termos de informação em todas as áreas: natureza, património edificado, património identitário, condições inatas da nossa existência e surgimento planetário, a nossa posição geoestratégica, a relação com as novas economias como o mar, o espaço”, enumerou José Manuel Bolieiro, na sessão de encerramento do primeiro VisitAzores Tourism Forum, evento que cruzou as tendências do ‘marketing’ territorial com os novos caminhos do setor do turismo.

“Enquanto destino, somos uma referência cada vez mais relevante no contexto planetário, fruto da especial sensibilidade que o turismo, pela sustentabilidade, cala fundo nas opções de tantos dos nossos visitantes”, valorizou José Manuel Bolieiro.

O governante falava no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, reafirmando “a confiança que o Governo tem neste potencial da capacidade instalada e daqueles que podem alargar essa capacidade com novos investimentos”.

Para contrariar uma eventual “contemplação ignorante” do que as nove ilhas têm para oferecer, o presidente do Governo defende um reforço da informação, nomeadamente de base científica, junto dos turistas.

“Precisamos urgentemente de encontrar soluções multilingue para encontrar apoio científico”, sublinhou, antes de valorizar o trabalho dos diferentes centros de interpretação neste campo.

A “experiência” do visitante deve ser prosseguida pela Região de modo a “elevar a experiência turística” de quem se desloca em lazer aos Açores, concretizou José Manuel Bolieiro, que se mostrou confiante nos indicadores económicos da Região neste campo e a preparação desenvolvida para o período pós-pandemia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Hotel Eurostars Aliados inaugurado

O Hotel Eurostars Aliados, unidade de 5 estrelas na cidade do Porto, que abriu portas no passado mês de maio, acaba de ser inaugurado oficialmente.

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, e o presidente do Grupo Hotusa, Amancio López Seijas acabam de inaugurar oficialmente o Hotel Eurostars Aliados, unidade de 5 estrelas na Invicta, que abriu portas no passado mês de maio.

Situado na Avenida dos Aliados, o hotel oferece 149 quartos em instalações tematizadas em torno de quatro dos principais atrativos da cidade: a arquitetura, as suas pontes, o rio e o vinho.

Trata-se do primeiro hotel de 5 estrelas da Eurostars Hotel Company, área hoteleira do Grupo Hotusa, na cidade do Porto. História e vanguarda estão juntos neste luxuoso estabelecimento construído num edifício modernista que brilha em perfeita consonância com o estilo que caracteriza o centro da cidade.

A unidade hoteleira dispõe ainda de uma ampla oferta de serviços, entre os quais se destaca o seu restaurante, com uma seleção de pratos tanto da tradição local como da culinária de vanguarda, um ginásio totalmente equipado, moderna e completa zona de Spa dotada de sauna, banho turco, fonte de gelo, duche de sensações, sala de massagens e vitality Pool, bem como quatro salões concebidos para a organização de eventos e celebrações tanto de índole profissional como pessoal.

Na ocasião, o presidente do Grupo Hotusa reforçou a importância de Portugal, que é, depois de Espanha, o mercado com maior implantação da Eurostars Hotel Company. A companhia administra atualmente um total de 21 estabelecimentos e aproximadamente 2000 quartos.

Além do Eurostars Aliados, de 5 estrelas, a área hoteleira do Grupo Hotusa já explora na cidade do Porto um total de sete estabelecimentos: o Eurostars Das Artes, o Eurostars Porto, o Eurostars Heroismo, o Eurostars Porto Douro, o Eurostars Porto Centro, o Exe Almada Portoe e o Eurostars Matosinhos, todos de 4 estrelas.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

“Em 2022 seremos maiores que a TAP”, garante CEO da Ryanair

Mais uma vez critico da atuação do Governo português relativamente à TAP, o CEO da Ryanair, Michael O’Leary, destaca que a companhia nacional poderá “facilmente” desbloquear 250 ‘slots’ por semana no aeroporto de Lisboa.

Victor Jorge

Em mais uma visita a Portugal, Michael O’Leary, CEO do grupo Ryanair, deixou, não um recado, mas uma certeza: “Em 2022 seremos maiores que a TAP”.

O responsável pela companhia low cost irlandesa voltou a criticar a política do Governo português relativamente à TAP, demonstrando que “a Ryanair irá crescer mais do que a TAP sem desperdiçar 3,2 mil milhões de euros”. Munido dos slides de apresentação, O’Leary anunciou a maior programação de verão para Portugal para 2022, com 17 novas rotas, totalizando, assim, 170 rotas a partir de Lisboa, Porto, Faro, Ponta Delgada e Funchal, a mais recente e 5.ª base da companhia no nosso país.

Assinalando que a Ryanair possui as tarifas “mais baixas da Europa”, O’Leary assinalou que, em 2022, voará para 170 destinos a partir dos aeroportos nacionais, enquanto a TAP voará para 65. Certo é que as estimativas do responsável irlandês apontam para que a companhia consiga transportar mais de 13 milhões de passageiros, “enquanto a TAP, com os mais de três mil milhões de euros recebidos pelo Estado português, não irá além dos 11 milhões”.

Para Portugal, O’Leary anunciou ainda mais 28 aeronaves, num investimento de 2,8 mil milhões de euros, o que corresponde a cerca de 2,5 mil milhões de euros, criando, assim, segundo o mesmo, mais 1.000 empregos diretos e 9.000 indiretos.

Afirmando que a Ryanair “cria empregos, enquanto a TAP reduz e que “lidera o turismo e a recuperação económica”, O’Leary afirmou ainda que a companhia irlandesa não cresce mais, “porque o novo aeroporto ainda não existe”.

A crítica maior do CEO da Ryanair foi, contudo, direcionada ao “desperdício” dos ‘slots’ desaproveitados pelas companhias aéreas concorrentes da TAP, salientando que “essa acumulação de ‘slots por parte da TAO bloqueia a recuperação do turismo” em Portugal.

Esse bloqueio dos ‘slots levou,m segundo o’Leary ao cancelamento de mais de 700 voos por parte da Ryanair, “o que significa menos 130.000 passageiros e turistas para o país”.

“A TAP sabe que nunca irá utilizar esses ‘slots’, mas não os desbloqueia”, acusa o CEO da Ryanair, adiantando ainda que, “quando a TAP liberta os ‘slots’, fá-lo em cima da hora, de modo a que mais nenhuma companhia possa utilizar”, apelando ao Governo e entidades regulatórias que “atuam”.

Contabilizando o número de ‘slots’ que a TAP poderia libertar, O’Leary afirmou que a companhia portuguesa poderia “facilmente desbloquear 250 ‘slots’ por semana, até porque mesmo esse número [250] ficará abaixo dos ‘slots’ desperdiçados semanalmente”.

Garantindo que irá diminuir “drasticamente” os preços dos voos da Madeira para Lisboa e Porto, O’Leary mostrou-se “preocupado” com a nova variante do coronavírus (Omicron), criticando os governantes europeus por “avançarem de imediato para as restrições e proibições”. “Não cancelámos voos e iremos cumprir com todas as diretrizes que sejam postas em práticas pelas autoridades de saúde e segurança dos diversos países”, deixando a certeza que “iremos cumpri-las”, destacando ainda “não ver razão para que passageiros com certificado e testes negativos não possam voar”.

Quanto ao novo Governo a sair das eleições de 30 de janeiro de 2022, o CEO da Ryanair não quis tecer qualquer comentário, afirmando que “sou um simples irlandês que não se quer meter na política portuguesa”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Distribuição

Solférias reforça Tunísia com várias operações especiais

A Solférias reforça a sua aposta no destino Tunísia com diversas operações especiais programadas para o próximo ano, nomeadamente para Djerba e Monastir.

Publituris

A Solférias reforça a sua aposta no destino Tunísia com diversas operações especiais programadas para o próximo ano, nomeadamente para Djerba e Monastir, com partidas não só de Lisboa como do Porto. 

Assim, e em colaboração com alguns dos seus parceiros, o operador turístico disponibiliza desde já a sua oferta para 2022 em voos Nouvelair, para duas datas tradicionalmente chave nas deslocações de férias dos portugueses, que são a Páscoa e verão. 

A preços desde 591 euros por pessoa em quarto duplo e em regime de meia pensão, a operação especial Páscoa do próximo ano inclui duas partidas de Lisboa aos sábados, nos dias 02 e 09 de abril, para Djerba. 

A operação especial verão 2022 para Djerba inclui voos de Lisboa e do Porto, com saídas aos sábados, de 04 de junho a 10 de setembro (última partida). O pacote tem o valor desde 591 euros por pessoa em quarto duplo e modalidade do tudo incluído. Igualmente, para as férias de verão em Monastir, a Solférias vai realizar saídas de Lisboa e do Porto, todas as segundas-feiras, com a operação a decorrer entre 3 de junho a 05 de setembro (última partida), com preços a partir de 540 euros por pessoa em regime do tudo incluído 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

El Corte Inglés cria espaço para clientes turistas para devolução imediata do ‘Tax Free’

O “Tax Free Lounge” do El Corte Inglés possui uma máquina de reembolso da Global Blue para que o cliente com acesso a “tax free” possa aceder antecipadamente ao IVA das suas compras, de forma mais rápida e cómoda, evitando este processo no aeroporto..

Publituris

O El Corte Inglés inaugurou recentemente um novíssimo espaço “International Desk” nos Grandes Armazéns de Lisboa, com serviço premium personalizado e cuja principal novidade é a possibilidade de os turistas receberem de imediato a devolução do IVA após as suas compras.

No “Tax Free Lounge”, existe uma máquina de reembolso da Global Blue para que o cliente com acesso a “tax free” possa aceder antecipadamente ao IVA das suas compras, de forma mais rápida e cómoda, evitando este processo no aeroporto.

Esta máquina permite o reembolso imediato de qualquer compra feita no El Corte Inglés ou noutro estabelecimento comercial em Portugal, podendo ser efetuado em dinheiro, cartão de crédito ou Alipay, sendo valido apenas para quem pretender sair da União Europeia, a partir de Portugal, num prazo máximo de 21 dias após as suas compras.

Apesar da devolução antecipada do IVA, o El Corte Inglés informa que “o cliente necessita à mesma de obter a validação do ‘Tax Free’ junto da alfândega no aeroporto”.

Este novo espaço, com gabinetes privados, dispõe de equipas multilíngues para um atendimento personalizado a clientes estrangeiros e ainda serviço de “Personal Shopper” para acompanhar os turistas nas suas compras.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Grupo DIT prepara ação contra Ryanair

Depois de várias tentativas e de alguns associados não terem recebido qualquer reembolso, o grupo DIT decidiu preparar uma ação coletiva contra a Ryanair.

Publituris

O grupo DIT está a preparar uma ação coletiva contra a Ryanair, revela o grupo de gestão de agências de viagens em comunicado, adiantando que este processo vem na sequência de muitos associados, “apesar de terem preenchido e enviado pedidos de reembolso à companhia aérea”, não terem recebido quaisquer reembolsos, seguindo, assim, indicações dos advogados do grupo.

O grupo refere ainda que, “no seguimento das recomendações que o grupo deu aos seus associados, e como o reembolso por lei pertence ao passageiro, alguns dos associados assinaram um contrato de cessão de crédito com os clientes que os advogados do grupo DIT enviaram para os advogados da Ryanair”.

Após conversas entre advogados e cruzamento de documentação, o grupo refere que a Ryanair “continua a sua política de não tratar bem as agências e através do seu departamento jurídico comunicou à DIT que as reclamações feitas não seriam atendidas”.

O grupo comunica que “é sempre preferível não ir a tribunal”, mas que, após todas as tentativas, do ponto de vista jurídico e face à resposta dada pela Ryanair, iniciou-se “um processo de reclamação legal”, encontrando-se o grupo a trabalhar numa ação coletiva.

“Se nos podemos orgulhar de uma coisa como grupo, principalmente durante a pandemia, é nunca nos escondermos, lutar contra todas as adversidades para os nossos associados e para o setor das agências de viagens em geral. Temos a certeza de que continuaremos a lutar contra todas as injustiças para com os nossos associados com todos os meios à nossa disposição, que felizmente são cada vez mais”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

Escolas do Turismo de Portugal criam manual técnico de Cozinha

As Escolas do Turismo de Portugal desenvolveram um manual que reúne informação básica necessária a quem estuda e ensina na área da Cozinha.  

Publituris

As Escolas do Turismo de Portugal desenvolveram um manual dirigido a alunos e formadores, que reúne a informação básica necessária a quem estuda e ensina na área da Cozinha.  

O livro, com o título ‘Tecnologia de Cozinha: Equipamentos e Produtos’, disponível nas 12 Escolas do Turismo de Portugal, com preço de capa de 15 euros, expõe de forma simples e acessível os principais fundamentos necessários ao entendimento da Cozinha enquanto arte e ciência. 

As Escolas do Turismo de Portugal já desenvolveram manuais técnicos para as áreas de Pastelaria, Serviço de Vinhos e Receção, agora complementados por este manual de Cozinha. 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Aldeias Históricas de Portugal são o ‘melhor destino português’

As Aldeias Históricas de Portugal foram distinguidas como o melhor destino português na sexta edição dos prémios ‘Gente Viajera al Turismo Extremeño’.

Publituris

As Aldeias Históricas de Portugal acabam de ser distinguidas como o melhor destino português na sexta edição dos prémios ‘Gente Viajera al Turismo Extremeño’, promovidos pela rádio espanhola Onda Cero Extremadura, que decorreu em Cáceres. 

Estes prémios visam reconhecer o valor do setor turístico e a profissionalização de um setor que tem cada vez mais peso na economia. Os premiados são escolhidos por um comité composto por especialistas da área. 

As Aldeias Históricas de Portugal acumulam, assim, mais uma distinção, após o seu novo filme promocional ter recebido o prémio de Melhor Filme de Turismo do Mundo, na maior competição de filmes de turismo à escala mundial, os ‘World’s Best Tourism Film Awards – CIFFT Circuit’.  

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.