Assine já
Alojamento

AHRESP apresenta nova iniciativa para promoção da gastronomia

A AHRESP desafia todos os seus associados a elegerem a sua “estrela da casa”.

Raquel Relvas Neto
Alojamento

AHRESP apresenta nova iniciativa para promoção da gastronomia

A AHRESP desafia todos os seus associados a elegerem a sua “estrela da casa”.

Sobre o autor
Raquel Relvas Neto
Artigos relacionados
AHRESP defende compensações financeiras proporcionais a prejuízos de Natal e Ano Novo
Alojamento
Iniciativa gastronómica 12 Meses, 12 Pratos, 12 Euros está de volta aos Vila Galé
Alojamento
Inscrições para os Prémios AHRESP 2020 arrancam esta sexta-feira
Alojamento
Medidas do Governo “são positivas mas ainda não satisfazem” o exigido pela AHRESP
Alojamento

“Estrela da Casa” é uma iniciativa da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) que visa enaltecer a gastronomia e valorizar os estabelecimentos de restauração e bebidas.

Aproveitando a semana em que decorre em Lisboa a gala de lançamento do Guia Michelin Portugal-Espanha 2019, a AHRESP desafia todos os seus associados a elegerem a sua “estrela”, um prato da sua carta, uma bebida, um pão ou um bolo como a sua “iguaria” de destaque.

“A cozinha portuguesa é apreciada em todo o mundo pelos sabores únicos e pela qualidade dos nossos produtos. Este é um património cultural reconhecido pela UNESCO em 2008 e que já constitui um factor decisivo na escolha de Portugal como destino turístico. Uma vez mais, a AHRESP vem dar o seu contributo para a promoção da gastronomia portuguesa e dos seus produtos endógenos. Numa campanha simples e transversal a todos os seus sectores de actividade, que pretende destacar o que cada estabelecimento tem de melhor, prestando homenagem a este bem imaterial do património cultural nacional.

Com a identificação destas iguarias poderemos mapear um conjunto de roteiros que podem assumir, no futuro, vários formatos de destaque, como um guia para utilizadores, e tantas outras acções de dinamização dos nossos associados, que se irão reflectir num maior dinamismo para o setor do turismo, destacando sempre o que temos de melhor”, adianta Rui Sanches, vice-presidente da AHRESP.

A primeira acção da “Estrela da Casa” realiza-se a partir, desta quarta-feira, dia 21 de Ñovembro.

Sobre o autorRaquel Relvas Neto

Raquel Relvas Neto

Mais artigos
Artigos relacionados
Alojamento

AL: GuestReady registou mais de 65 mil reservas nas propriedades que gere em Portugal

Em 2022, a GuestReady registou mais de 65 mil reservas, nas 1.100 propriedades de alojamento local que gere em Portugal. A maioria da procura chegou dos franceses, espanhóis e portugueses, mas o interesse dos norte-americanos continua a crescer e já representam quase 10% do total de reservas recebidas pela empresa no ano passado.

Publituris

A GuestReady fechou o ano de 2022 com 65 mil reservas feitas em Portugal nas mais de 1.100 propriedades de alojamento local que que gere de norte a sul do país e também no arquipélago da Madeira.

A nível global, e no período em análise, nos sete países onde está presente, a GuestReady recebeu quase meio milhão de hóspedes e gerou mais de 90 milhões de dólares para os seus proprietários.

Entretanto, os objetivos para Portugal em 2023 já estão definidos destaca a empresa em nota de imprensa, e passam pelo aumento do portefólio de propriedades geridas em território nacional em 70% e, em paralelo, continuar a apostar na melhoria dos serviços para os hóspedes e na formação da equipa.

“Este foi um ano com ótimos resultados e atingimos grandes objetivos, incluindo a nossa a chegada ao arquipélago da Madeira,” explica Rui Silva, diretor geral da GuestReady em Portugal. “Em 2023 queremos consolidar ainda mais a nossa presença no mercado nacional com um crescimento sustentável do nosso portefólio”, disse.

Para a GuestReady, o verão foi o período de maior procura, com a taxa de ocupação mais alta a registar-se em agosto – mês com uma média de ocupação superior a 94%. Ao longo do ano, a empresa refere ainda que a maioria dos hóspedes escolhe viajar ao fim-de-semana, com chegada à sexta-feira e partida ao domingo ou segunda. Em 2022, a estadia média foi de 3,8 dias, com mais de 90% dos viajantes a optar por viajar sem crianças (menores de 12 anos).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Gastos com cartões estrangeiros em Portugal aumentam 69% face a 2019. No alojamento crescem 30%

Os números avançados pela SIBS relativamente aos gastos com cartões de pagamento estrangeiros em Portugal, em 2022, indicam uma clara subida em valor e volume. A subida no alojamento foi superior a 30% e na restauração de 74%.

Victor Jorge

De acordo com a SIBS, o número de transações anuais com cartões estrangeiros em Portugal mais do que duplicou, em 2022, em comparação com 2021, totalizando quase 126 milhões de transações, correspondendo a +106,5% face a 2021 e mais 68,9% em comparação com 2019.

Já quanto ao volume total de compras que se cifrou nos 5.598 milhões de euros, a SIBS indica que ficou 92,9% acima do registado em 2021 e mais 36,1% face ao ano de 2019.

Contudo, valor médio de transação baixou relativamente aos outros dois anos em análise, com a comparação com 2021 a indicar uma quebra de 6,6%, enquanto face a 2019 essa descida foi de 8,8%.

As transações em compras com cartões bancários estrangeiros, em 2022, ficaram marcadas por dois aspetos, já que, com exceção de janeiro, em todos os outros meses foram registados máximos absolutos. Em comparação com os meses homólogos de 2019, janeiro foi o que registou menores ganhos. Um segundo aspeto apontado pela SIBS refere que, a partir do 2.º trimestre a utilização de cartões bancários para compras aumentou mais de 70% relativamente ao meses homólogos de 2019.

No global, a distribuição regional das transações não foi equitativa, indicando a SIBS que a Área Metropolitana de Lisboa concentrou mais de 40% do total de transações; o Algarve e a Região Norte ficaram numa posição intermédia, cada uma com cerca de 20% do valor total; e os Açores e o Alentejo foram as regiões com menor número de transações, ambas abaixo dos 3%.

Globalmente, a distribuição das transações por mercado de origem assume uma evidente hierarquização, com a liderança a ser partilhada pelo Reino Unido e pela França com quotas próximas dos 15%. Espanha ocupa a posição seguinte, com uma quota de 11%; os EUA ultrapassaram, ainda que muito ligeiramente, a Alemanha, ocupando respetivamente o 4.º e 5.º lugares entre os principais mercados emissores.

Tal como nas transações, a distribuição regional dos consumos não foi equitativa, tendo a Área Metropolitana de Lisboa concentrado perto de 40% dos gastos totais; o Algarve, com 24%, e a Região Norte, com 19%, ficaram em posições intermédias. Já os Açores e o Alentejo foram as regiões com menores valores gastos, ficando ambas as regiões entre os 2,5% e os 3,5%.

A distribuição dos consumos, por mercado de origem, também evidencia uma clara hierarquização com o Reino Unido e a França ocupam as posições cimeiras, com quotas a rondar os 15%; os EUA posicionaram-se em 3.º lugar, como líderes destacados entre os mercados intercontinentais, com 11%. Alemanha e Espanha, apesar de aumentarem as suas quotas face a anos anteriores, são ultrapassadas pelos EUA.

O gasto médio em compras com cartões bancários estrangeiros em 2022 reforçou a tendência de “diminuição já verificada em anos anteriores”, sendo o valor mais reduzido desde 2019. “Na origem desta tendência e do crescimento significativo do número de operações está a generalização do uso do cartão bancário como meio de pagamento mais utilizado, mesmo para despesas mais correntes e de baixo valor”, refere a SIBS.

A distribuição regional dos gastos médios, tal como os outros indicadores, também mostrou diferenças. Os Açores e o Algarve apresentam o valor médio por compra mais elevado, superior a 50€; o Alentejo, a Região Centro e a Madeira ficaram em posições intermédias, com montantes entre 45 e 50€; a Área Metropolitana de Lisboa registou o valor médio por compra mais baixo, pouco acima dos 40€.

A distribuição dos gastos médios, por mercado de origem, ao contrário dos outros indicadores, mostra um relativo equilíbrio, com os EUA a posicionaram-se como líderes absolutos, com um gasto médio próximo dos 60€; seguem-se França, Reino Unido e Alemanha, com valores pouco acima de 40€.

Gastos em alojamento a crescer a partir do 2.º trimestre
Em 2022, os gastos em compras com cartões bancários estrangeiros no alojamento foram sempre crescentes até agosto, mês em que foi atingido o valor máximo.

Os dados da SIBS mostram um valor acumulado, em 2022, de 1,526 milhões de euros, comparando com os 1.166 milhões de 2019, representando, assim, uma evolução de mais de 30%, enquanto com o ano de 2022 (580 milhões de euros), esse crescimento cifra-se acima dos 160%.

Comparando com os meses homólogos de 2019, registaram-se ganhos relativos a partir do início do 2.º trimestre. Os meses de julho e agosto apresentaram ganhos relativos quase 50% superiores face aos meses homólogos de 2019.

A distribuição relativa dos gastos em alojamento, por região, evidencia, mais uma vez, uma marcada hierarquia entre regiões, com a Área Metropolitana de Lisboa a representar quase 40% dos gastos; o Algarve conquistou a 2.ª posição, com uma quota de 27%; os Açores (4%) e o Alentejo (2%) foram as regiões com menores gastos relativos em serviços de alojamento.

A distribuição dos consumos em alojamento, por mercado emissor, evidencia uma liderança partilhada pelos EUA e Reino Unido que superam claramente os maiores mercados europeus.

Neste ponto, tal como na globalidade da análise da SIBS, o valor médio gasto desce face a 2019, passando de 172,8 euros para 153,6 euros.

Já na restauração, os gastos em compras com cartões bancários estrangeiros foram, em 2022, sempre crescentes até ao mês de agosto, altura em que foi atingido o valor máximo.

No acumulado do ano 2022, a SIBS indica um valor de 1.685 milhões de euros, o que compara com os 688,5 milhões de 2021 e com os 965,5 milhões de 2019.

Comparando com os meses homólogos de 2019, registaram-se ganhos relativos logo desde o início do ano. Em todos os meses do 2.º semestre, os ganhos relativos tiveram aumentos pelo menos 75% superiores face aos meses homólogos de 2019.

Quanto ao valor médio por compra, esta cifrou-se nos 30,3 euros, enquanto em 2021 estava nos 32,3 euros e, em 2019, nos 36,6 euros.

A distribuição relativa dos gastos em restauração, por região, evidencia uma forte hierarquia entre regiões, com a Área Metropolitana de Lisboa representou cerca de 44% dos gastos; o Algarve ocupou a 2.ª posição, com 26%; os Açores (2,5%) e o Alentejo (2%) foram as regiões com menores gastos relativos em serviços de restauração.

Quanto à distribuição dos consumos por mercado emissor evidencia uma liderança destacada do Reino Unido, secundado pela França e pelos Estados Unidos da América que superam Espanha e Alemanha.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Free Stock photos by Vecteezy
Alojamento

Investimento em programas de gestão ambiental em unidades de alojamento traz benefícios económicos e de satisfação do cliente

77,9% dos gestores consideram que um alojamento ambientalmente sustentável é importante ou muito importante, no âmbito do desenvolvimento da sua atividade.

Publituris

Um estudo realizado pela Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (ESTGOH) em parceria com a Divisão de Consultoria Estratégica em Turismo da Portugal Green Travel e com o apoio do Serviço de Saúde Ocupacional do Instituto Politécnico de Coimbra, revelou que o investimento em programas de gestão ambiental por parte de gestores de Unidades de Alojamento tem benefícios económicos e aumenta a satisfação global do cliente.

Este estudo sugere também que o investimento “é rentável a vários níveis, como na melhoria da imagem e reputação do alojamento, melhoria da experiência do cliente e aumento da procura”.

Para a realização deste estudo, foi considera uma amostra de 109 gestores de Unidades de Alojamento, através de um questionário online. Variáveis como a perceção sobre programas ambientais e práticas de gestão ambiental aplicadas a Unidades de Alojamento, intenção comportamental dos colaboradores e comportamento ecológico foram consideradas para o desenvolvimento desta pesquisa.

Os resultados deste estudo indicam que os gestores valorizam e reconhecem a importância da adoção de práticas ambientalmente sustentáveis para a sustentabilidade financeira. 77,9% dos gestores consideram que um alojamento ambientalmente sustentável é importante ou muito importante, no âmbito do desenvolvimento da sua atividade.

Segundo Ana Beatriz Sousa, aluna da ESTGOH e uma das autoras do estudo, “este estudo confirma o que já sabíamos: que o investimento em programas de gestão ambiental é rentável a vários níveis e que é importante que as Unidades de Alojamento continuem a investir nestas práticas para garantir um futuro mais sustentável.”

Hugo Teixeira Francisco, co-fundador e Chief Marketing Officer da Portugal Green Travel afirma que “há ainda falta de análise de mercado no que toca ao resultado operacional da aplicação de estratégia de sustentabilidade nas unidades de alojamento em Portugal. A recente parceria com a ESTGOH permite criar intelligence no sector, criando métricas e KPI´s fácies de interpretar pelos empresários, que em complemento com o Travel BI do Turismo de Portugal e o Observatório do Turismo Sustentável do Centro de Portugal permitem uma análise mais profunda do resultado do setor.”

Os resultados deste estudo são uma chamada de atenção para as Unidades de Alojamento a investir em práticas ambientalmente sustentáveis e a sensibilizar os clientes para esta questão. A indústria deve liderar o caminho e lançar tendências na luta contra as mudanças climáticas e preservação do meio ambiente, devendo abraçar o investimento em programas de gestão ambiental.

A Portugal Green Travel enquanto agente de operação turística que prioriza a sustentabilidade ambiental no desenvolvimento das suas atividades, tem vindo a apostar na estreita relação com a academia e, em particular, com o Instituto Politécnico de Coimbra e com a ESTGOH. Estas três entidades acreditam que esta é uma parceria win-win que potencia a troca e desenvolvimento de conhecimentos imperativos para o desenvolvimento do setor turístico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Figuras

CLIA nomeia novo vice-presidente para a Sustentabilidade

A Cruise Lines International Association (CLIA) acaba de recrutar um especialista na área da sustentabilidade para ajudar o setor dos cruzeiros a atingir zero emissões de carbono até 2050.

Publituris

Trata-se de Sascha Gill, um profissional com ampla experiência que já trabalhou para Seabourn e Cunard, além de várias empresas hoteleiras líderes, como Marriott, Intercontinental e Hilton, nos departamentos de operações, formação e desenvolvimento. Até ingressar na CLIA Europe, foi vice-presidente de operações marítimas da Viking.

Antes de iniciar sua carreira profissional na indústria de cruzeiros, Sascha Gill foi consultor sénior de proteção de marca na Richey International, com responsabilidades na Ásia e nos Estados Unidos.

O profissional é doutorado em Negócios pela Nottingham Trent University e possui um MBA pela Oxford Brookes University. Atualmente estuda Elaboração de Políticas Ambientais e Negociações Internacionais.

“A indústria de cruzeiros demonstrou a sua capacidade de liderar a inovação ambiental no setor marítimo e estou ansioso para trabalhar com os nossos membros e parceiros na Europa para ajudar a indústria a atingir as suas metas de sustentabilidade ”, disse Sascha Gill em relação ao seu novo cargo.

Marie-Caroline Laurent, diretora geral da CLIA Europe, referiu que “a Europa é um líder global com as suas ambições de sustentabilidade e o futuro dos cruzeiros tem a sustentabilidade no seu núcleo”.

“Fortalecer ainda mais a nossa experiência e capacidade na Europa aumentará a nossa capacidade de apoiar os nossos membros enquanto eles navegam nos caminhos para alcançar emissões líquidas zero de carbono até 2050”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

México: Tulum vai ganhar megaprojeto com 20 hotéis

A Gestora Patrimonial Asset Management Spain Gestmadrid e a empresa Apex Capital criaram uma joint venture para construir 20 hotéis em Tulum, no México.

Publituris

As obras, que têm duração prevista de cinco anos, terão início dentro de três meses e as unidades hoteleiras, serão administradas por redes internacionais que já estão posicionadas nas Caraíbas, serão inauguradas à medida que forem sendo concluídas.

Para concretizar o desenvolvimento destes projetos, as empresas dispõem de um terreno de um milhão de metros quadrados de área hoteleira, localizados num enclave estratégico, muito próximo de outros projetos já em curso como Four Seasons, W Marriot e Azulik.

Junto a este terreno localize-se o Papaya Playa Project, um dos beach clubs mais famosos da região, que reúne turistas e artistas de todo o mundo para participar em eventos musicais,

Neste acordo, a Apex Capital fornecerá os fundos para a construção destes 20 hotéis com entre 50 e 500 quartos, enquanto a Asset Management Spain Gestmadrid assumirá a gestão do projeto, engenharia, marketing e fornecerá todos os recursos do Departamento Jurídico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Hotelbeds expande portfólio com aliança com “The Leading Hotels of the World”

Através da colaboração com a The Leading Hotels of the World (LHW), a Hotelbeds expande a sua coleção de luxo nas mais de 400 propriedades do grupo.

Publituris

O novo contrato de fornecedor preferencial dá aos clientes da Hotelbeds acesso a um portfólio de luxo significativo, oferecendo propriedades em mais de 80 países em todo o mundo. Por sua vez, o acordo abre o sistema de distribuição de 195 países da Hotelbeds para os hotéis da LHW, proporcionando benefícios, incluindo aumento dos fluxos de receita e a capacidade de garantir a paridade de tarifas em todos os seus canais.

“Este novo acordo abre a The Leading Hotels of the World para a nossa vasta lista de plataformas de reserva, incluindo 64.000 agentes de viagens de retalho, ao mesmo tempo que expande a nossa gama de propriedades de alto padrão”, refere Paul Anthony, diretor de Comercialização Digital da Hotelbeds, em comunciado. “Vimos um aumento na procura por propriedades de alto padrão este ano e essa nova aliança ajudar-nos-á a atender esse setor em crescimento.”

A Hotelbeds tornou-se parte do programa Leading Strategic Sourcing (LSS) da LHW, liderado pela LHW e pela DayBlink GPO. A iniciativa oferece um programa estratégico de compras em grupo para o portfólio de hotéis independentes globais da LHW, que atende os membros ajudando-os a capturar novas procuras, aceder a vendas inovadoras, bem como soluções de marketing e tecnologia para fortalecer o sucesso e gerar valor para hotéis noutras categorias estrategicamente importantes.

No ano passado, a Hotelbeds registou um aumento nas reservas de luxo, com muitos destinos apresentando crescimento acima de 50%.

“Estamos entusiasmados por colaborar com um dos maiores distribuidores globais de hotéis para apoiar as estratégias inovadoras de distribuição dos nossos hotéis”, refere, por sua vez, Phil Koserowski, vice-presidente sénior e diretor de marketing da The Leading Hotels of the World. “A Hotelbeds é uma adição valiosa ao programa Leading Strategic Sourcing e uma componente chave para os nossos esforços de distribuição otimizados em 2023 e além.”

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Associados da AHETA vão poder usufruir dos serviços da RISE CENTER

Os associados da AHETA – Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve vão poder usufruir dos serviços da RISE CENTER no que diz respeito ao apoio ao investimento e financiamento em diversas áreas, incluindo a sustentabilidade e certificação.

Publituris

A RISE CENTER, empresa especializada na prestação de serviços de apoio ao crescimento e inovação e sustentabilidade das organizações, acaba de celebrar um protocolo de colaboração com a AHETA.

Ao abrigo deste acordo, os associados da AHETA passam a poder usufruir serviços de apoio ao investimento e financiamento em diversas áreas, incluindo a sustentabilidade, bem como ao nível da certificação, tão necessárias na gestão dos dias de hoje.

Aos associados da AHETA serão proporcionadas condições especiais no apoio a todas as áreas de atuação necessárias, acompanhando a evolução das candidaturas e a sua execução.

A RISE pode ainda colaborar noutras áreas, tais como no desenvolvimento de sistemas de mentoring para startups, incentivos fiscais e na implementação de processos de inovação internos.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Turismo de Portugal inaugura novo edifício da Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão

O ministro da Economia e Mar, António Costa e Silva, e o secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Nuno Fazenda, vão inaugurar as novas instalações da Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão (EHTP) esta segunda-feira, 23 de janeiro, às 16h30.

Publituris

A sessão conta ainda com a presença da presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes, do presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, do presidente da ESTAMO – empresa responsável pela gestão do património do Estado –, António Furtado, e do diretor da EHTP, Pedro Moreira.

Fruto de um investimento de 2,3 milhões de euros, o novo edifício da EHTP localiza-se no antigo estabelecimento prisional da cidade, “combinando espaços técnicos inovadores com características sustentáveis e eficientes, que permitirão incrementar a qualidade da formação e reduzir os consumos de energia e de água”, como adiantado em comunicado.

A nova escola é composta por oito salas de aula equipadas com a mais recente tecnologia, “que vem facilitar o ensino híbrido, com formação presencial e à distância”. Disponibiliza ainda duas cozinhas de aplicação com equipamentos topo de gama, um auditório com capacidade para 140 pessoas, laboratório com cozinhas individuais, bar e restaurante de aplicação – estes últimos abertos ao público em geral.

Com esta requalificação, o Turismo de Portugal afirma em comunicado que “mantém a sua aposta na formação e capacitação de recursos do sector, através do reforço da oferta formativa com novas áreas de formação, de um foco na digitalização dos programas e de infraestruturas que permitem o desenvolvimento de produtos e investigação, com a possibilidade de ser usada por empreendedores locais para o desenvolvimento dos seus próprios projetos”.

A programação completa da inauguração pode ser consultada abaixo.

16h30: Acolhimento;

16h45: Boas-vindas
– Presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes;
– Diretor da Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão, Pedro Moreira;
– Secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Nuno Fazenda.

17h15: Intervenção do presidente da ESTAMO, António Furtado;

17h30: Escolas de Hotelaria e Turismo – Contributos para a qualificação das pessoas e do turismo
– Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo.

18h00: Encerramento
– Ministro da Economia e Mar, António Costa e Silva.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Gaia quer suspender por seis meses os novos registos de AL

A Câmara de Vila Nova de Gaia quer suspender por seis meses os novos registos de alojamento local e criar um regulamento municipal para tentar “regular melhor” o mercado e contribuir para a redução de preços no arrendamento.

Publituris

O objetivo da proposta, que vai ser analisada e votada na reunião camarária agendada para segunda-feira, é “colocar um travão” para que o alojamento local não substitua o arrendamento e contribuir para a “baixa de preços”. Posteriormente o tema será levado a Assembleia Municipal. Sendo aprovada, esta proposta será válida por seis meses, podendo ser renovada, por igual período.

“Acompanhamos a evolução da oferta de alojamento local e entendemos que para aquilo que é a dimensão de Gaia, temos já uma resposta sólida. É preciso colocar um travão para que o alojamento local não seja a primeira prioridade que um proprietário tem para o seu imóvel. O alojamento local, neste momento, está a ser não a reabilitação de casas pré-existentes, mas está a funcionar como substituição do arrendamento. Então, parece-nos evidente que tem de haver uma intervenção que discipline um bocadinho isto. E, de alguma forma, contribuímos para a baixa de preços [no arrendamento]”, disse à Lusa, o presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues.

O autarca explicou, à mesma fonte, que “em causa está também a questão da qualidade” e que se percebeu a necessidade de “alguma atividade fiscalizadora”, para acrescentar que “achamos que já temos o número suficiente de alojamentos, mas é preciso agora, na renovação anual, ter um regulamento suficientemente criterioso para garantir que o que estamos a disponibilizar é de facto de qualidade”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Aldeia de Álvaro oferece casa que flutua

A Aldeia de Álvaro, que faz parte da Rede das Aldeias de Xisto, tem agora um novo equipamento turístico e de alojamento. Trata-se do Floating Álvaro, a casa que flutua.

Publituris

A casa que flutua é a sinergia perfeita entre a sustentabilidade, a paisagem natural e o respeito por toda a história da aldeia, abraçada pelo Rio Zêzere.

Segundo Pedro Castanheira, um dos rostos do projeto, queria que “fosse algo que respeitasse a paisagem natural da aldeia e que, em simultâneo, cuidasse do nosso planeta”. Assim, o Floating Álvaro foi desenhado com materiais de baixo impacto ambiental, utiliza tecnologia que reduz a pegada ecológica, conta com uma estação de tratamento de águas residuais por lamas ativadas e a embarcação é, ainda alimentada por energias renováveis.

Atracado na marina de Álvaro, a embarcação que serve diferentes propósitos, permite um passeio numa extensão de 30km em águas calmas e relaxantes. Em determinadas alturas do ano podem observar-se ruínas de casas que ficaram submersas pela construção da barragem trazendo ainda mais magia a esta Aldeia de Xisto sem sair de casa.

Esta é uma alternativa diferente e única para todos os que procuram equilíbrio e bem-estar durante todo o ano, incluindo “alturas em que as temperaturas são mais baixas, pois temos aquecimento a pellets que traz a comodidade necessária para um ambiente de verdadeiro conforto”, reforça Pedro Castanheira

Preparado de forma a que todos consigam desfrutar ao máximo desta conexão, o Floating Álvaro tem capacidade até seis pessoas, por 130 euros/ noite, cozinha equipada, casa de banho e ainda um espaço exterior para passar algumas horas a pescar, a ler ou a relaxar. A estadia pode ser conjugada com um passeio de uma hora pelo rio, por 60 euros/hora e tem capacidade para 12 pessoas. Para os que pretendem apenas fazer um passeio de barco podem contratar este serviço.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.