AHP: Ocupação da hotelaria nacional desceu em Agosto

Por a 17 de Outubro de 2018 as 14:52

A ocupação da hotelaria nacional desceu 1,3 pontos percentuais em Agosto, fixando-se nos 87%, tendência que foi comum a todas as categorias de hotéis, com excepção dos de duas estrelas, ainda que tenham existido também variações positivas, com destaque para o Algarve, que registou a primeira subida desde o início do ano, segundo a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), que realiza uma análise mensal através da ferramenta AHP Tourism Monitors.

“Em Agosto de 2018, a taxa de ocupação quarto a nível nacional decresceu 1,3 p.p., fixando-se nos 87%. Por destinos turísticos, Algarve (93%), Costa Azul (92%) e Grande Porto (90%) registaram as taxas de ocupação mais elevadas. Por categorias, verificou-se uma variação positiva apenas nas duas estrelas que tiveram um aumento ligeiro de 0,4 p.p., face a Agosto de 2017”, refere a AHP, num comunicado enviado à imprensa.

Já o ARR, ou preço médio por quarto ocupado, subiu 6% no oitavo mês do ano, fixando-se nos 121 euros, indicador que registou um aumento em todas as categorias de hotéis, “com destaque para as três estrelas onde a variação foi de mais 12% face a Agosto de 2017”, destaca a associação.

O RevPar, por sua vez, fixou-se nos 105 euros, depois de uma subida de 4% face a igual mês de 2017, com o Algarve (173 euros), Estoril/Sintra (113 euros) e Lisboa (98 euros) a destacarem-se como os destinos onde este indicador foi mais elevado.

“Estávamos com alguma expectativa relativamente ao comportamento da operação hoteleira no mês de Agosto. Apesar de a TO ter decrescido, os resultados são globalmente bons. Em termos absolutos, este foi, sem surpresas, o melhor mês do ano”, afirma Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, explicando que, “dos 14 destinos do Hotel Monitor, apenas três (Beiras, Viseu e Leiria/Fátima/Templários), registaram ocupações abaixo dos 80%” e que “no ARR e RevPAR, os resultados continuam a ser bastante positivos”.

Em relação aos destinos, os destaques menos positivos vão para o Grande Porto e para o Oeste, onde a ocupação desceu 0,4 e 0,5 pontos percentuais, respectivamente, com o Grande Porto a apresentar também decréscimo de 3% ao nível do RevPar e ARR, registando-se um resultado idêntico no Oeste, onde o ARR também desceu 3%.

Ainda assim, Cristina Siza Vieira diz que só quando os dados de Setembro estiverem apurados será possível fazer um balanço sobre o “comportamento da hotelaria nos meses de Verão”, lê-se na mesma informação.

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *