Assine já
Alojamento

AHP dá a conhecer a plataforma CLICK2PORTUGAL

Plataforma agregadora de hotéis permite a reserva directa, está integrada no visitportugal.pt e vai ser lançada no 4.º trimestre de 2018.

Patricia Afonso
Alojamento

AHP dá a conhecer a plataforma CLICK2PORTUGAL

Plataforma agregadora de hotéis permite a reserva directa, está integrada no visitportugal.pt e vai ser lançada no 4.º trimestre de 2018.

Patricia Afonso
Sobre o autor
Patricia Afonso
Artigos relacionados
eDreams ODIGEO regista 16,2 milhões de reservas e aumenta rentabilidade no último ano fiscal
Distribuição
Orçamento dos portugueses para férias de verão cresce 5% em 2023
Destinos
Header Stock photos by Vecteezy
Tripulantes portugueses da easyJet voltam à greve
Transportes
Taxa turística de Cabo Verde rende 1M€ por mês
Destinos
Coimbra recebe congresso internacional sobre Diversidade & Sustentabilidade no Turismo
Destinos
ADHP e by THF apresentam nova formação de gestão humana e inteligência emocional
Emprego e Formação
Agência Abreu é Marca de Confiança há 23 anos consecutivos
Distribuição
AnadoluJet abre voos diários entre Istambul e Roma
Transportes
Parque Aquático de Amarante reabre na quarta-feira
Destinos
André Gomes já entregou candidatura à presidência da RTA
Destinos

A Associação da Hotelaria de Portugal – AHP apresentou esta quarta-feira, 16 de Maio, a plataforma CLICK2PORTUGAL, um agregador de hotéis que permite a reserva directa e que visa capacitar e elevar o posicionamento digital da hotelaria nacional, aumentando a sua competitividade e promovendo a sua internacionalização. A plataforma, desenvolvida pela GuestCentric, estará online no último trimestre, com a AHP a perspectivar a presença de 400 hotéis, entre os quais alguns dos principais grupos portugueses.

Raul Martins, presidente da AHP

A CLICK2PORTUGAL é uma plataforma de adesão gratuita aberta a todos os empreendimentos turísticos presentes no mercado português, associados ou não da AHP, que permite às unidades reforçar a sua presença digital; funciona como motor de reservas aos hotéis que ainda não o disponibilizam; e actua com meio complementar de reserva que funciona “como uma extensão do próprio” canal do hotel, permitindo a integração com o Channel Manager sem custos associados.

Este motor de reservas vai estar integrado no site de promoção do Turismo de Portugal, www.visitportugal.pt, permitindo o acesso directo dos visitantes às reservas hoteleiras. As reservas podem ser feitas na plataforma ou no site do hotel, mas a transacção é sempre feita directamente no canal próprio da unidade.

A presença na CLICK2PORTUGAL, que funciona em sistema random (aleatório, apenas usando os requisitos seleccionados pelo visitantes da página), inclui fotografias de alta qualidade, um vídeo do hotel (opcional), traduções em quatro idiomas (correspondentes aos principais emissores para Portugal – inglês, francês, espanhol e alemão), informações sobre os pontos de interesse seleccionados pelos hotéis e o sistema de rating da ReviewPro, que agrega as avaliações de 175 sites.

O pacote de adesão é gratuito e inclui as traduções e pontos de interesse. As fotografias são mandatórias, mas todos os conteúdos serão fornecidos pelo próprio hotel. Caso não tenham os conteúdos de imagem necessários ou estes não tenham a qualidade exigida, a AHP estabeleceu contratos com fornecedores de confiança para que estes serviços sejam assegurados a preços competitivos (o serviço de fotografias está disponível a partir de 80 euros e o de vídeo a partir de 250 euros, valores sem IVA).

A descrição das unidades será fornecida pelas marcas hoteleiras e revista pela AHP de forma a estar disponível de acordo com as melhores práticas da presença online, nomeadamente orientado ao SEO. Todos os conteúdos, quer de escrita, quer de imagem, serão da propriedade do hotel, pelo que poderão ser usados pelos próprios noutros meios e canais de comunicação.

Leia mais sobre este artigo aqui   e  aqui .

Sobre o autorPatricia Afonso

Patricia Afonso

Mais artigos
Artigos relacionados
eDreams ODIGEO regista 16,2 milhões de reservas e aumenta rentabilidade no último ano fiscal
Distribuição
Header Stock photos by Vecteezy
Orçamento dos portugueses para férias de verão cresce 5% em 2023
Destinos
Tripulantes portugueses da easyJet voltam à greve
Transportes
Taxa turística de Cabo Verde rende 1M€ por mês
Destinos
Coimbra recebe congresso internacional sobre Diversidade & Sustentabilidade no Turismo
Destinos
ADHP e by THF apresentam nova formação de gestão humana e inteligência emocional
Emprego e Formação
Agência Abreu é Marca de Confiança há 23 anos consecutivos
Distribuição
AnadoluJet abre voos diários entre Istambul e Roma
Transportes
Parque Aquático de Amarante reabre na quarta-feira
Destinos
André Gomes já entregou candidatura à presidência da RTA
Destinos
Destinos

Taxa turística de Cabo Verde rende 1M€ por mês

No primeiro trimestre de 2023, Cabo Verde arrecadou três milhões de euros com a taxa turística, o que corresponde a cerca de um milhão de euros por mês, o dobro do arrecadado em igual período do ano passado.

Publituris

No primeiro trimestre de 2023, Cabo Verde arrecadou três milhões de euros com a taxa turística, o que corresponde a cerca de um milhão de euros por mês, o dobro do arrecadado em igual período do ano passado, avança a Lusa.

Os dados relativos à taxa turística de Cabo Verde surgem num relatório do Ministério das Finanças sobre a execução orçamental até março, que mostra que as receitas da contribuição turística ascenderam, em três meses, a mais de 334 milhões de escudos (três milhões de euros), o equivalente a 35,3% do orçamentado pelo Governo para todo o ano de 2023, num total de 946 milhões de escudos (8,6 milhões de euros).

A Lusa lembra que o valor supera também o do período pré-pandemia, uma vez que, em 2019, a taxa turística tinha rendido a Cabo Verde cerca de 83 milhões de escudos (749 mil euros) por mês.

O desempenho representa ainda um crescimento de 92,4% face aos três primeiros meses de 2022, cuja arrecadação foi então de 178 milhões de escudos (1,6 milhões de euros), o que reflete um “aumento substancial da procura turística no trimestre”, justifica-se ainda no relatório.

Recorde-se que a taxa turística foi introduzida em Cabo Verde em maio de 2013, obrigando as unidades hoteleiras e similares a cobrar 220 escudos (dois euros) por cada pernoita até 10 dias, a cada turista com mais de 16 anos. O valor aumentou posteriormente 25%, passando para 276 escudos (2,50 euros) por noite, conforme previsto no Orçamento do Estado para 2023.

Os hotéis cabo-verdianos receberam em 2022 um recorde de 835.945 turistas e mais de quatro milhões de dormidas, segundo dados anunciados no final de março pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o relatório de Movimentação de Hóspedes em Cabo Verde em 2022, com as estatísticas do turismo produzidas pelo INE, o número de hóspedes ultrapassou no ano passado o recorde anterior, que foi de 819.308 turistas em 2019, antes da pandemia, e cresceu ainda 394% face aos 169.068 turistas em 2021.

As receitas com a taxa paga obrigatoriamente pelos turistas em Cabo Verde caíram para metade de 2020 para 2021, renovando mínimos de 145 milhões de escudos (1,3 milhões de euros), segundo um relatório anterior do Ministério das Finanças. Em 2022 cresceram para 735,1 milhões de escudos (6,6 milhões de euros).

Em 2019, este imposto tinha garantido um máximo histórico de 992 milhões de escudos (8,9 milhões de euros) em receitas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

André Gomes já entregou candidatura à presidência da RTA

Num comunicado enviado à imprensa pela candidatura de André Gomes, sublinha-se que o ato eleitoral para a presidência da Região de Turismo do Algarve (RTA) vai decorrer a 13 de junho e que o candidato conta com o apoio de dois terços da base eleitoral.

Publituris

O candidato único à presidência da Região de Turismo do Algarve (RTA), André Gomes, entregou esta sexta-feira, 26 de maio, pelas 09h00, a sua candidatura na sede da entidade regional de turismo, em Faro.

Num comunicado enviado à imprensa pela candidatura de André Gomes, sublinha-se que o ato eleitoral vai decorrer a 13 de junho e que o candidato conta com o apoio de dois terços da base eleitoral.

“O projeto desta candidatura regista o apoio e subscrição de 25 das 33
entidades com direito de voto, uma esmagadora maioria que supera largamente o mínimo exigível de um terço da base eleitoral, assim como demonstradora da união dos agentes do setor – público e privado – do turismo no Algarve em torno da estratégia apresentada para os próximos cinco anos”, indica o comunicado divulgado por André Gomes.

Entre os subscritores da candidatura encontram-se mais de dois terços dos munícipios da região do Algarve, concretamente Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Lagoa, Lagos, Loulé, Monchique, Olhão, Portimão, São Brás de Alportel, Tavira, Vila do Bispo e Vila Real de Santo António, sendo que, a estes 13 munícipios, junta-se ainda o apoio da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR) e de outras 11 associações representativas do setor privado do turismo na região, concretamente Algarve Anima, ACRAL, AHETA, AIHSA, NERA, ANJE, ARAC, APAVT, APC, APPR e Algarve Golfe.

André Gomes, que é atualmente diretor do Núcleo de Promoção, Animação e Informação Turística da RTA, já anunciou que as suas prioridades para este mandato passam pela “viabilidade financeira desta entidade”, assim como pela “diversificação das fontes de receita, melhoria da qualidade dos serviços, defesa da valorização do Turismo na região e o reforço da sustentabilidade ambiental e social do setor, designadamente através de apoios à formação e qualificação dos trabalhadores no Algarve”.

A candidatura de André Gomes tem o empresário Renato Pereira (Júpiter Hotel Group) como mandatário e conta ainda com vários nomes com provadas dadas no turismo da região, como Alberto Mota Borges, diretor do Aeroporto Internacional de Faro.

A Mesa da Assembleia volta a ter como candidato Hélder Martins (Presidente da AHETA), que concorre a um novo mandato de Presidente, enquanto Isolete Correia (Associação Portuguesa de Portos de Recreio) propõe-se prosseguir o trabalho feito
enquanto Secretária da Mesa da Assembleia Geral. Já a Comissão Executiva, além de Alberto Mota Borges, conta ainda com a candidatura de Fátima Catarina, atual vice-presidente da RTA e candidata a novo mandato.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Consultia Business Travel e APAVT criam parceria para apoiar viagens de negócios

A parceria entre a Consultia Business Travel e a APAVT visa “proporcionar apoios e benefícios para satisfazer as necessidades dos clientes no planeamento das viagens de negócios”.

Publituris

A Consultia Business Travel e a Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo (APAVT) estabeleceram uma parceria que visa “proporcionar apoios e benefícios para satisfazer as necessidades dos clientes no planeamento das viagens de negócios”.

Num comunicado enviado à imprensa, a empresa, que é especializada na gestão integral das viagens de negócios através da plataforma Destinux, que foi lançada no ano passado, explica que esta parceria vai resultar num “conjunto de benefícios adicionais”.

“Para além do acesso gratuito a formações e seminários técnicos a Consultia Business Travel em conjunto com a APAVT disponibilizam aos clientes o serviço Provedor do Cliente que garante a resolução e acompanhamento das reclamações dos passageiros de forma rápida e justa durante o processo de planeamento e mesmo durante a experiência de viagem”, indica o comunicado divulgado.

Esta parceria, acrescenta a Consultia Business Travel, vem também contribuir para reforçar a posição da empresa no mercado português, assim como o seu “compromisso com os clientes através da disponibilização de novas ferramentas para o planeamento e assistência durante as viagens de negócios”.

“A nossa incorporação na APAVT é um sinal claro do nosso compromisso com o mercado português, e por isso quisemos fazê-lo de mãos dadas com esta organização de referência no setor. Devemos estar muito atentos e antecipar o mercado e, por isso, é crucial contar com os melhores aliados e a APAVT é uma associação com uma vasta experiência no sector que proporciona aos seus membros recursos para continuar a melhorar”, defende Carlos Martínez, CEO da Consultia Business Travel.

De acordo com o responsável, a empresa está focada em “continuar a ajudar cada vez mais empresas nos seus objetivos empresariais, através da gestão eficiente das suas viagens com a Destinux”, a plataforma que “digitaliza a gestão das viagens de negócios sem perder o toque humano com uma pessoa com nome e apelido que os assiste antes, durante e depois da viagem”.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Coldplay e Queima das Fitas trazem aumento de 63% para a faturação da restauração e hotelaria de Coimbra

A faturação da restauração e hotelaria no concelho de Coimbra verificou um crescimento de 63% entre 17 e 21 de maio, quando comparada com a média deste período semanal registada desde o início do ano.

Publituris

A conclusão é do REDUNIQ Insights, relatório da rede nacional de aceitação de cartões nacionais e estrangeiros REDUNIQ e marca da UNICRE, que verificou que aquando da realização de dois grandes eventos na cidade neste período – nomeadamente os concertos da banda Coldplay e a Queima das Fitas – a faturação destes setores registou um crescimento “bastante expressivo”, como a rede refere em comunicado.

Analisando a performance homóloga da faturação destes dois setores, a restauração registou uma variação positiva de 55%, com um aumento do consumo estrangeiro (113%) e nacional (45%).

Por sua vez, a hotelaria registou um crescimento de 48%, marcado pelo aumento de 84% do consumo estrangeiro e 22% do consumo nacional. No setor da hotelaria, em particular, a transação média registada entre 17 e 21 de maio foi de 112,90 euros – um valor mais elevado do que o registado na mesma semana de 2022 (87,90 euros) e da média desde o início do ano (95,80 euros).

A procura por este e outros setores de atividade resultou num aumento de 15% do número de transações e de 8,4% da faturação dos negócios no concelho de Coimbra, entre 17 e 21 de maio e face à mesma semana do ano anterior – com o distrito a registar um crescimento de 12% no mesmo período.

A REDUNIQ explica que este crescimento pode ser justificado pelo aumento da faturação estrangeira no concelho, que representou 10,2% do total da faturação, cerca de 63% acima do registado no ano passado.

Para Tiago Oom, Chief Commercial Officer da UNICRE e porta-voz oficial do REDUNIQ Insights, estes dados “comprovam que a organização de grandes eventos, como os concertos dos Coldplay e a Queima das Fitas, permitem atrair os clientes nacionais e estrangeiros para estas regiões do país. Este género de atividades, que têm uma duração superior a um dia, acabam por obrigar a permanecer na localidade, impulsionado, assim, uma maior procura por hotéis e restaurantes”.

Numa análise mais aprofundada, comparando com a média desde o início do ano, a quarta-feira de 17 de maio, dia do primeiro concerto dos Coldplay, registou um crescimento de 14% na faturação total, face às restantes quartas-feiras do ano.

O relatório destaca ainda o domingo de 21 de maio, dia do último concerto dos Coldplay e terceiro dia de Queima das Fitas, que registou uma variação positiva de 11% face à média dos restantes domingos do ano.

Já quando analisado o consumo estrangeiro no concelho entre 17 e 21 de maio, o REDUNIQ Insights demonstra que este foi composto, essencialmente, por Espanha (22%), França (14%), Brasil (10%), Estados Unidos (8%) e Irlanda (8%). Comparativamente com o período homólogo, a faturação espanhola registou um crescimento de 258%.

Os dados recolhidos têm como base o REDUNIQ Insights, a solução de conhecimento que analisa as transações registadas pela rede de aceitação de pagamentos da REDUNIQ.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Portugal no Top 10 do ranking da ICCA

Portugal volta a figurar no Top 10 do ranking da ICCA relativamente aos países e cidades que organizaram eventos em 2022. Já Lisboa aparece em 2.º lugar, mas há outras cidades portuguesas listadas no ranking de 2022.

Victor Jorge

Num ano em que, segundo as contas da International Congress and Convention Association (ICCA), se realizaram mais de 10.500 eventos e congresso em todo o mundo, a análise feita a 2022 indica que 85% concretizaram-se de forma presencial (correspondendo a 9.042), o que, de acordo com o CEO da associação, Senthil Gopinath, mostra “uma tentativa de regresso à normalidade”, referiu durante a conferência de imprensa realizada na IMEX 2023, em Frankfurt (Alemanha).

Portugal figura na 7.ª posição, com 294 eventos/congressos realizados ao longo de 2022 de forma presencial.

À frente de Portugal surgem EUA (690 evento/congressos), Espanha (528), Itália (522), Alemanha (484), França (472) e Reino Unido (449), respetivamente. A fechar o Top 10, surgem Países Baixos (253), Bélgica (234) e Canadá (233), com El Salvador, Mónaco e Omã a fecharem o ranking com cinco eventos cada ao longo do ano 2022.

Numa análise às cidades, Lisboa surge em 2.º lugar, somente atrás de Viena (Áustria). Enquanto a capital austríaca foi palco de 162 eventos/congressos, Lisboa foi a cidade escolhida para 144 eventos/congresso ao longo de 2022.

O Top 10 do ranking elaborado pela ICCA, no que diz respeito às cidades, é ainda composto por Paris (134), Barcelona (133), Praga (129), Madrid (128), Berlim (113), Atenas (109), Bruxelas (108) e Londres (106).

Neste ranking das cidades surgem ainda outras cidades portuguesas: Porto, em 27.º lugar com 54 eventos/congressos; Cascais, em 129.º lugar com 16 eventos/congressos; Braga, em 153.ª posição com 13 eventos/congressos; Coimbra, em 164.º lugar com 12 eventos/congressos; Aveiro, em 173.º lugar com 11 eventos/congressos; Vilamoura/Algarve, em 256.º lugar com 7 eventos/congressos; Guimarães, na 292.ª posição com 6 eventos/congressos; e Funchal/Madeira, em 326.º lugar com 5 eventos/congressos organizados em 2022.

No ranking europeu, com a saída dos EUA, Portugal sobe ao 6.º lugar com os 294 eventos e congressos realizados em território nacional.

Na análise referente ao total de eventos/congressos que foram planeados para Portugal, alguns deles, depois não se concretizaram, a ICCA revela que o número foi de 310, ou seja, Portugal “perdeu” 16 eventos/congressos em 2022.

Já a cidade de Lisboa, que no ranking das cidades aparece em 2.º lugar, com 144 eventos/congressos realizados ao longo de 2022, a ICCA indica que estavam planeados 153 para a capital portuguesa, não se tendo realizado, assim, nove eventos.

No caso da cidade do Porto, em 27.º lugar, com um total de 54 eventos/congressos realizados, a ICCA diz que, originalmente, estavam planeados 59 eventos/congressos, ou seja, não se concretizaram cinco.

Foto crédito: Depositphotos.com
Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

Estudo da Mastercard coloca Portugal como o oitavo destino turístico preferido dos europeus para 2023

O estudo do Mastercard Economic Institute concluiu que tanto as viagens de lazer como as de negócios já recuperaram e estão a crescer acima do registado no ano passado, o que traz boas perspectivas a Portugal.

Publituris

Portugal é o oitavo destino preferido dos turistas europeus para 2023, apurou o estudo Travel Industry Trends 2023, recentemente divulgado pelo Mastercard Economic Institute, que concluiu que os turistas europeus estão a optar por destinos de proximidade.

“Portugal posiciona-se como o oitavo destino turístico no Top dos 10 destinos preferidos pelos Europeus, de acordo com dados de Janeiro e Fevereiro deste ano, superando os Países Baixos, a Suécia e a Irlanda. O Reino Unido e a Espanha surgem no primeiro e segundo lugar, respetivamente, e os Estados Unidos são o único país não europeu a integrar o ranking”, aponta o estudo, que foi divulgado esta quarta-feira, 24 de maio.

O estudo do Mastercard Economic Institute concluiu que tanto as viagens de lazer como as de negócios já recuperaram e estão a crescer acima do registado no ano passado, sendo que, no caso das viagens de negócios, a recuperação “aconteceu, sobretudo, a partir do segundo semestre de 2022 e até ao início de 2023, altura em que superaram os voos de lazer, nas regiões que privilegiaram o regresso ao “escritório””.

Já as viagens de lazer mantiveram “uma trajetória robusta de crescimento, com um aumento de 25% em relação ao ano anterior”, acrescenta o estudo, que reúne informações sobre o estado global das viagens e tem em consideração as alterações dos cenários económicos e a crescente procura dos consumidores.

Entre as principais conclusões deste estudo está também o facto de os turistas continuarem a dar prioridade às experiências, registando-se mesmo um “crescimento da procura por experiências mais exclusivas”.

“O estudo mostra que os turistas europeus estão a desembarcar em destinos menos conhecidos em busca de imersão cultural e viagens mais sustentáveis. Esta tendência deve-se, por um lado, ao regresso a algum nível de conforto pré-pandemia, mas também à influência das redes sociais”, justifica o estudo.

Em Portugal e de acordo com o Mastercard Economic Institute, a procura por experiências mais do que duplicou (151,6%) em relação a 2019 e aumentou 45,3% comparando março de 2023 com o ano anterior, numa tendência contrária aos gastos com a compra de bens, que registaram um crescimento inferior, de 68% comparando com 2019 e 35% em termos homólogos.

Mas a degradação das condições económicas também tem tido impacto nas escolhas dos turistas, que estão a optar cada vez mais por companhia aéreas low cost para as suas viagens.

Este estudo procurou ainda avaliar o impacto da reabertura da China na indústria das viagens e turismo global, concluindo que o regresso do mercado chinês ao panorama mundial vai ter um “impacto positivo no turismo de experiências”.

“Em 2019, as viagens da China continental representaram 16% de todos os gastos globais com viagens e transporte e em março de 2023, os gastos com experiências já atingiam os 93% das que existiam em 2019.  E são vários os países que estão a beneficiar desta abertura, incluindo Portugal”, acrescenta o estudo.

No caso de Lisboa, por exemplo, os gastos dos turistas chineses com a compra de bens cresceram 57,5% em março de 2023 face a igual período de 2019, enquanto os gastos com experiências mais do que duplicaram (196%) e os gastos no segmento do Luxo aumentaram 74%.

“O desejo de viajar volta a impulsionar o crescimento europeu em 2023, depois da recuperação a que assistimos no ano passado”, salienta Natalia Lechmanova, Economista Sénior do Mastercard Economic Institute, sublinhando que a “Europa continua a ser um dos principais destinos globais para turistas de todo o mundo”.

O relatório completo das tendências da indústria de viagens para 2023 pode ser consultado aqui.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Linha de financiamento de 50M€ para a sustentabilidade chega no próximo mês

Segundo o Ministério da Economia e Mar, esta linha vai ser operacionalizada no próximo mês e conta com uma verba de 20 milhões de euros para os territórios de baixa densidade, ao abrigo da Agenda do Turismo para o Interior.

Publituris

A linha de financiamento para apoiar investimentos na área da sustentabilidade, com uma dotação de 50 milhões de euros, vai estar disponível no próximo mês, informou o Ministério da Economia e Mar, em comunicado.

De acordo com a informação divulgada, esta linha conta com garantia mútua e apoio máximo por operação de 500 mil euros e destina-se “a projetos de investimento na área da sustentabilidade promovidos por empresas do turismo”.

“A medida prevê a atribuição de um prémio de desempenho, que se traduz na conversão a fundo perdido de uma parte do financiamento, em função do cumprimento de objetivos relacionados, nomeadamente, com a redução de consumos, com a utilização de fontes de energia renovável ou com a gestão mais eficiente dos resíduos”, explica o Ministério da Economia e Mar.

Esta linha que, segundo o Ministério, se insere no âmbito do Programa Empresas Turismo 360.º, vai ser operacionalizada no próximo mês e conta com uma verba de 20 milhões de euros para os territórios de baixa densidade, ao abrigo da Agenda do Turismo para o Interior, lançada no início de maio.

Os restantes 30 milhões de euros destinam-se a projetos promovidos fora dos territórios de baixa densidade, sendo o prémio de desempenho, no caso das empresas localizadas nos territórios de baixa densidade, correspondente a 20%, enquanto as empresas localizadas fora desses territórios beneficiam de um prémio de desempenho de 10%.

“A sustentabilidade das nossas empresas é uma prioridade da nossa ação governativa. Um tecido empresarial com ferramentas de monitorização do seu desempenho em sustentabilidade e com incentivos concretos para a sua persecução é essencial para uma economia saudável, com um claro desígnio para o futuro: liderar, com as nossas empresas, a transição verde”, afirma António Costa e Silva, ministro da Economia e Mar.

Já Nuno Fazenda, secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, considera que esta linha vem dar às empresas “mais uma ferramenta para a concretização das suas metas de sustentabilidade e responsabilidade social, com um prémio majorado para as que traçam esse caminho”.

“A aposta na sustentabilidade é transversal, estratégica e essencial para liderarmos o turismo do futuro”, acrescenta o governante responsável pela pasta do turismo.

Recorde-se que o Programa Empresas Turismo 360.º foi lançado em novembro de 2021 e incentiva as empresas a reportar o seu desempenho em sustentabilidade através da integração dos fatores ESG – Environmental, Social and Governance na cultura organizacional e na estratégia de negócio, orientando-as no processo através de um sistema de indicadores criado com o objetivo de refletir as suas práticas ambientais, sociais e de governação.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Tribunal Geral da UE anula decisão da Comissão Europeia relativamente a ajudas a companhias aéreas italianas

Depois da Lufthansa é a vez das ajudas dadas pelo Governo italiano às companhias aéreas do país ser anulado pelo Tribunal Geral da UE. Quanto ao caso da TAP, o comissário europeu dos Assuntos Económicos, Paolo Gentiloni, diz que o caso pode vir a ser “discutido no futuro”.

Victor Jorge

Depois de ter anulado a decisão da Comissão Europeia (CE) que aprovou a recapitalização da Lufthansa levada a cabo pelo Governo da Alemanha, no montante de seis mil milhões de euros, no contexto da pandemia de Covid-19, o Tribunal Geral da União Europeia (TGUE) vem agora anular a mesma decisão da CE que aprovou uma medida de auxílio que consistia em subvenções pagas pela Itália a companhias aéreas italianas através de um fundo de indemnização no valor de 130 milhões de euros.

Esta medida visava reparar os danos sofridos pelas companhias aéreas elegíveis em razão das restrições de deslocação e de outras medidas de confinamento adotadas no âmbito da pandemia de Covid-19.

Em conformidade com uma das condições de elegibilidade previstas pela medida em causa, para poderem beneficiar da mesma, as companhias aéreas deviam aplicar aos seus funcionários cuja base de afetação era em Itália, bem como aos funcionários de outras empresas que participam na sua atividade, uma remuneração igual ou superior à remuneração mínima fixada pela convenção coletiva nacional aplicável ao setor dos transportes aéreos, celebrada pelas organizações patronais e sindicais consideradas como as mais representativas a nível nacional.

O TGUE salienta que, na decisão impugnada, Comissão” afirmou simultaneamente que a exigência de remuneração mínima estava indissociavelmente ligada à medida em causa, e que esta exigência não era inerente ao objetivo da referida medida, sem, contudo, revelar, de forma clara e inequívoca, o raciocínio que a levou a essa dupla afirmação.

Por outro lado, o Tribunal constata que “a conclusão da decisão impugnada, segundo a qual a exigência de remuneração mínima não era contrária a ‘outras disposições do direito da União’ além dos artigos 107.° e 108.° TFUE, também padece de falta de fundamentação”.

Recorde-se que a Ryanair também contestou o apoio dado pelo Governo português à TAP, indicando Polo Gentiloni, comissário europeu dos Assuntos Económicos, durante a sua passagem por Lisboa, que, relativamente à companhia aérea nacional “as questões de concorrência são tratadas caso a caso” e que “não há um documento único para estas questões”.

“Imagino que o caso da TAP seja discutido no futuro”, concluiu Paolo Gentiloni.

Foto créditos: Depositphotos.com
Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Turismo

Miguel Quintas anuncia candidatura à presidência da ASGAVT

Miguel Quintas, CEO do Consolidador.com e Chairman da Airmet anunciou, esta terça-feira, que é candidato à presidência da ASGAVT (Associação de Sócios-Gerentes das Agências de Viagens e Turismo) para o biénio 2023-2025, cujas eleições estão marcadas já para sexta-feira dia 26 de maio.

Publituris

O gestor referiu, em comunicado, que a sua candidatura à presidência da ASGAVT, até ao momento, a única, tem como objetivo principal “defender os interesses de todas as agências de viagens em Portugal, sem qualquer exceção” e que tal passa por “criar um ambiente mais livre, mais transparente, mais inclusivo, mais concorrencial, mas acima de tudo, mais democrático no setor das agências de viagens”.

Sobre a lista que vai apresentar a sufrágio, Miguel Quintas assegura que “irá ser a mais inclusiva alguma vez vista no setor em Portugal, compreendendo agências participantes em associações e grupos concorrentes como por exemplo: Airmet, Airventure, By-Travel, DIT, GEA e Mercado das Viagens.

Neste sentido, o candidato acrescenta que “e um sinal claro que o setor, mesmo atuando em espaços e unidades concorrenciais diferentes, está unido em torno de um objetivo comum e que passa por conseguir dar uma resposta efetiva às suas necessidades diárias”, para realçar que acredita que “as agências de viagens em Portugal se irão rever nesta lista e nesta missão, cuja prioridade máxima é a sua individualidade e o setor que representam, sem espaço para quaisquer mecânicas de interesses económicos empresariais ou mesmo engenhos e artifícios de poder”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Turismo

Dia Mundial do Turismo 2023 vai ser consagrado aos investimentos verdes no setor

O tema escolhido pela Organização Mundial de Turismo (OMT) para celebrar a edição de 2023 do Dia Mundial do Turismo (DMT) é “Turismo e Investimentos Verdes”, que considera uma das principais prioridades para a recuperação do turismo, crescimento e desenvolvimento futuros.

O mundo vai celebrar o próximo Dia Mundial do Turismo, iniciativa da OMT que se assinala a 27 de setembro, com um apelo à necessidade de mais investimentos direcionados para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade, com a temática global “Turismo e Investimentos Verdes”.

A OMT pretende que se encontrem soluções inovadoras que promovam e sustentem o crescimento económico e a produtividade, convergindo para as metas de​ sustentabilidade.

Por outro lado, a Organização Mundial do Turismo, que ainda não anunciou o local das celebrações oficiais da edição de 2023, espera que o mundo inteiro reflita sobre a imprescindibilidade da realização de investimentos que beneficiem as pessoas, numa aposta na educação e competências, o planeta (incidindo em infraestruturas sustentáveis e acelerando a transformação ecológica) e a prosperidade (promovendo a inovação, a tecnologia e o ​empreendedorismo).

O Dia Mundial do Turismo 2023 faz, assim, apelo à comunidade internacional, aos governos, instituições financeiras multilaterais, parceiros de desenvolvimento e investidores do setor privado, para todos se unirem em torno de uma nova estratégia de investimento num turismo cada vez mais sustentável.​

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.