Restauração e Alojamento criaram 120 novos postos de trabalho por dia em 2017

Por a 8 de Fevereiro de 2018 as 15:44

Em 2017, os sectores da Restauração e Bebidas e do Alojamento Turístico registaram 323,2 mil postos de trabalho, o que significa um aumento de 15,8% (+44.000 postos de trabalho) e 120 novos postos de trabalho por dia, segundo os dados revelados esta quinta-feira, pelo INE.

Em 2017, o Canal HORECA foi líder na criação de novo emprego, em que os 44.000 novos postos de trabalho criados representaram 29,1% do total de novo emprego.

Refira-se que o sector da Restauração gerou, por si só, 35.000 novos postos de trabalho (+16,1%) e o setor do Alojamento mais 9.000 (+14,5%).

No que se refere especificamente ao 4º trimestre de 2017, os setores da Restauração e Bebidas e do Alojamento Turístico registaram 314,0 mil postos de trabalho, representando uma variação homóloga positiva de +9,6% (+27.400 postos de trabalho).

Segundo Mário Pereira Gonçalves, presidente da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP): “Estamos convictos de que esta tendência positiva da confiança instalada nas nossas empresas e nos nossos clientes se vai manter nos próximos anos, com o Turismo a ser o motor da nossa economia. Não obstante os constrangimentos que nos vão surgindo, sejam em matéria de legislação laboral e do próprio mercado de trabalho, sejam na agenda do investimento e da recapitalização das empresas, sejam nos custos de  contexto, com novas ameaças quase permanentes, desde a problemática da protecção de dados à sustentabilidade ambiental, sabemos resistir e reforçar a nossa competitividade internacional. Somos o melhor destino turístico do mundo, temos o melhor Chefe de Cozinha do mundo, lançamos a Rede de Restaurantes Portugueses no mundo/Taste Portugal, ou seja, temos ovos, vamos fazer omeletes”.

Um comentário

  1. Igor

    12 de Fevereiro de 2018 at 13:09

    Acredito que tenham sido criados postos de trabalho, mas quantos não são a pagar o salário mínimo permitido? Alguém que seja empregado várias vezes conta como novos postos? Todos nós desempenhamos tarefas que não são da nossa competência no estatuto laboral. E tal como disse somos pagos pelo mínimo estipulado pelo CTT. Não me lembro de um colega hoteleiro que se sinta respeitado enquanto pessoa/trabalhador.

    Mais do que emprego, importante é criar estabilidade. Não sinto que hajam perspectivas de carreira para muita gente.

    Enquanto permitirem que sejamos mal pagos e “chantageados” em que trabalhamos 12 horas por dia e depois só temos direito a férias em época baixa, todos os indicadores estatísticos são para inglês ver.

    Já trabalhei em restaurantes que é tudo corrido a recibos verdes ou é estagiário. Não é possível contrair empréstimos.

    O custo de viver em Lisboa está ao nível de estrelas de Hollywood, já a qualidade de vida para quem cá habita…

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *