Assine já
Destinos

Fundo para captar filmagens internacionais com dotação de 50M€

SET diz que o programa está a ser “um sucesso” e que tem despertado a atenção de realizadores internacionais.

Publituris
Destinos

Fundo para captar filmagens internacionais com dotação de 50M€

SET diz que o programa está a ser “um sucesso” e que tem despertado a atenção de realizadores internacionais.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados

O fundo para captação de filmagens e eventos internacionais, previsto no Orçamento do Estado 2018, vai contar com uma dotação de 50 milhões de euros, revelou a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, durante o 43.º Congresso Nacional da Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo (APAVT), em Macau.

“No Orçamento do Estado para 2018 criamos um novo fundo de turismo em cinema com uma dotação de 50 milhões de euros para tornar Portugal um destino ainda mais competitivo para fazer filmagens”, referiu a governante.

Ana Mendes Godinho diz que o programa está a ser “um sucesso” e que tem despertado o interesse de vários realizadores internacionais, nomeadamente dos Estados Unidos e Índia.

“Estamos neste momento a organizar viagens pelo país com uma série de realizadores internacionais para poderem vir aqui filmar”, referiu Ana Mendes Godinho.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Miguel Sanz eleito presidente da European Travel Commission

Miguel Sanz é o diretor-geral do Instituto de Turismo de España (Turespaña) e sucede a Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, que ocupou a presidência da European Travel Commission (ETC) nos últimos três anos.

A European Travel Commission (ETC) elegeu esta quinta-feira, 25 de maio, Miguel Sanz, do Instituto de Turismo de Espanha (Turespaña), para presidente da associação, num mandato de três anos.

“Miguel Sanz foi escolhido para liderar os esforços da ETC em direção a um futuro sustentável e inclusivo para a indústria do turismo na Europa na 105ª Reunião Geral que ocorreu em Tallinn, na Estónia”, lê-se no comunicado da ETC.

Miguel Sanz sucede a Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, que ocupou a presidência da ETC nos últimos três anos.

Com mais de quinze anos de experiência na indústria do turismo, Miguel Sanz é também diretor-geral do Instituto de Turismo de España (Turespaña) desde 2020 e foi ainda, entre 2016 e 2020, diretor-geral do Turismo de Madrid, onde liderou o desenvolvimento e implementação da estratégia e marketing de turismo da capital espanhola.

No novo cargo na ETC, Miguel Sanz vai trabalhar na implementação da nova Estratégia ETC 2030, que pretende contribuir para um turismo “mais inovador, sustentável, verde e inclusivo na Europa pós-Covid-19”.

“Sanz vai apoiar a ETC na implementação do seu recém-lançado Plano de Ação Climática, que visa reduzir para metade as emissões operacionais da organização até 2030 e ajudar seus membros a alcançar as zero emissões. Além disso, vai concentrar-se no fortalecimento da cooperação com a Comissão Europeia e as principais partes interessadas para manter a posição da Europa como o principal destino global de turismo”, explica o comunicado da ETC.

Miguel Sanz já reagiu à eleição e afirma ser uma “honra poder liderar a European Travel Commission em nome da Turespaña”, principalmente numa altura em que “o turismo europeu enfrenta uma grande oportunidade de emergir como líder em sustentabilidade e inclusão”.

“Devemos garantir que o turismo tem uma voz mais forte na Europa e na União Europeia e aproveitar o seu poder para beneficiar as empresas e comunidades europeias. Reunindo todos os destinos europeus, a ETC tem um papel central no aprofundamento da marca europeia, promovendo os valores de liberdade e diversidade dos continentes e moldando um futuro mais responsável para a indústria do turismo”, acrescentou o responsável.

Enquanto presidente da ETC, Miguel Sanz vai contar com o apoio dos vice-presidentes Martin Nydegger, do Turismo da Suíça; Magda Antonioli, do Conselho de Turismo do Governo Italiano (ENIT); e Kristjan Staničić, do Conselho Nacional de Turismo da Croácia (CNTB), que foi recentemente eleito.

No comunicado em que anuncia a eleição de Miguel Sanz, a ETC lembra também o trabalho de Luís Araújo à frente da associação europeia, destacando que o responsável liderou a ETC “na crise e recuperação da Covid-19” e teve outras “contribuições significativas”, nomeadamente por ter levado novos membros para a associação, como França, Áustria e Ucrânia.

Luís Araújo também “desempenhou um papel fundamental no desenvolvimento da nova ETC Strategy 2030, um roteiro abrangente que estabelece a visão e as metas da organização para os próximos sete anos, garantindo uma direção estratégica para o desenvolvimento sustentável”, acrescenta a ETC.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Turismo Centro de Portugal lamenta falecimento de António Carneiro

António Carneiro, antigo presidente da Região de Turismo do Oeste, faleceu esta quinta-feira, 25 de maio, vítima de doença prolongada.

A Turismo Centro de Portugal (TCP) já reagiu ao falecimento de António Carneiro, antigo presidente da Região de Turismo do Oeste, que morreu esta quinta-feira, 25 de maio, vítima de doença prolongada.

Num comunicado enviado à imprensa, a TCP lamenta o falecimento do antigo responsável pelo Turismo do Oeste e diz que foi com “pesar” que soube do desaparecimento de António Carneiro, prestando-lhe, na figura do seu presidente, Pedro Machado, “reconhecimento público ao legado que deixou à região e ao país no exercício dos seus mandatos”.

“Entre os contributos de António Carneiro ao nível do turismo, destaca-se a presidência da Região de Turismo do Oeste, entre 1984 e 2013. Nessa qualidade, presidiu à Direção da Associação Nacional das Regiões de Turismo, entre outras funções de grande relevo”, lê-se também no comunicado enviado à imprensa pela TCP.

A entidade regional de turismo aproveita ainda para endereçar “as mais sentidas condolências” à a família e amigos de António Carneiro.

Recorde-se que António Carneiro foi presidente da Região de Turismo do Oeste durante quase três décadas, até 2013, data em que foram criadas as cinco regiões de turismo do Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve. Com as novas estruturas regionais, o polo turístico do Oeste foi integrado na entidade regional de Turismo do Centro de Portugal.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Governo aprova Dia Nacional da Sustentabilidade a 25 de setembro e alteração da orgânica do Turismo de Portugal

O Governo aprovou esta quinta-feira, 25 de maio, em Conselho de Ministros, a resolução que institui o dia 25 de setembro como o Dia Nacional da Sustentabilidade, assim como o decreto-lei que altera a orgânica do Instituto do Turismo de Portugal.

O Governo aprovou esta quinta-feira, 25 de maio, em Conselho de Ministros, a resolução que institui o dia 25 de setembro como o Dia Nacional da Sustentabilidade, assim como o decreto-lei que altera a orgânica do Instituto do Turismo de Portugal.

De acordo com o comunicado do Conselho de Ministros, o dia 25 de setembro foi escolhido para assinalar o Dia Nacional da Sustentabilidade porque coincide com a data da adoção pelas Nações Unidas da Agenda 2030 e dos Objetivos do Desenvolvimentos Sustentável.

“O estabelecimento do Dia Nacional da Sustentabilidade vem dar cumprimento à Resolução da Assembleia da República n.º 47/2021, de 3 de fevereiro, procurando-se que tal iniciativa contribua de forma relevante para a divulgação de informação, a promoção do conhecimento e a capacitação de todos os atores sociais para a mudança consciente de comportamentos com potencial transformador para um futuro sustentável”, lê-se no comunicado do Conselho de Ministros.

O Conselho de Ministros desta quinta-feira, 25 de maio, aprovou também um decreto-lei que altera a orgânica do Instituto do Turismo de Portugal e que, segundo o comunicado divulgado, visa “garantir uma organização interna mais adequada aos atuais desafios e necessidades do setor”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Estudo da Mastercard coloca Portugal como o oitavo destino turístico preferido dos europeus para 2023

O estudo do Mastercard Economic Institute concluiu que tanto as viagens de lazer como as de negócios já recuperaram e estão a crescer acima do registado no ano passado, o que traz boas perspectivas a Portugal.

Publituris

Portugal é o oitavo destino preferido dos turistas europeus para 2023, apurou o estudo Travel Industry Trends 2023, recentemente divulgado pelo Mastercard Economic Institute, que concluiu que os turistas europeus estão a optar por destinos de proximidade.

“Portugal posiciona-se como o oitavo destino turístico no Top dos 10 destinos preferidos pelos Europeus, de acordo com dados de Janeiro e Fevereiro deste ano, superando os Países Baixos, a Suécia e a Irlanda. O Reino Unido e a Espanha surgem no primeiro e segundo lugar, respetivamente, e os Estados Unidos são o único país não europeu a integrar o ranking”, aponta o estudo, que foi divulgado esta quarta-feira, 24 de maio.

O estudo do Mastercard Economic Institute concluiu que tanto as viagens de lazer como as de negócios já recuperaram e estão a crescer acima do registado no ano passado, sendo que, no caso das viagens de negócios, a recuperação “aconteceu, sobretudo, a partir do segundo semestre de 2022 e até ao início de 2023, altura em que superaram os voos de lazer, nas regiões que privilegiaram o regresso ao “escritório””.

Já as viagens de lazer mantiveram “uma trajetória robusta de crescimento, com um aumento de 25% em relação ao ano anterior”, acrescenta o estudo, que reúne informações sobre o estado global das viagens e tem em consideração as alterações dos cenários económicos e a crescente procura dos consumidores.

Entre as principais conclusões deste estudo está também o facto de os turistas continuarem a dar prioridade às experiências, registando-se mesmo um “crescimento da procura por experiências mais exclusivas”.

“O estudo mostra que os turistas europeus estão a desembarcar em destinos menos conhecidos em busca de imersão cultural e viagens mais sustentáveis. Esta tendência deve-se, por um lado, ao regresso a algum nível de conforto pré-pandemia, mas também à influência das redes sociais”, justifica o estudo.

Em Portugal e de acordo com o Mastercard Economic Institute, a procura por experiências mais do que duplicou (151,6%) em relação a 2019 e aumentou 45,3% comparando março de 2023 com o ano anterior, numa tendência contrária aos gastos com a compra de bens, que registaram um crescimento inferior, de 68% comparando com 2019 e 35% em termos homólogos.

Mas a degradação das condições económicas também tem tido impacto nas escolhas dos turistas, que estão a optar cada vez mais por companhia aéreas low cost para as suas viagens.

Este estudo procurou ainda avaliar o impacto da reabertura da China na indústria das viagens e turismo global, concluindo que o regresso do mercado chinês ao panorama mundial vai ter um “impacto positivo no turismo de experiências”.

“Em 2019, as viagens da China continental representaram 16% de todos os gastos globais com viagens e transporte e em março de 2023, os gastos com experiências já atingiam os 93% das que existiam em 2019.  E são vários os países que estão a beneficiar desta abertura, incluindo Portugal”, acrescenta o estudo.

No caso de Lisboa, por exemplo, os gastos dos turistas chineses com a compra de bens cresceram 57,5% em março de 2023 face a igual período de 2019, enquanto os gastos com experiências mais do que duplicaram (196%) e os gastos no segmento do Luxo aumentaram 74%.

“O desejo de viajar volta a impulsionar o crescimento europeu em 2023, depois da recuperação a que assistimos no ano passado”, salienta Natalia Lechmanova, Economista Sénior do Mastercard Economic Institute, sublinhando que a “Europa continua a ser um dos principais destinos globais para turistas de todo o mundo”.

O relatório completo das tendências da indústria de viagens para 2023 pode ser consultado aqui.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Linha de financiamento de 50M€ para a sustentabilidade chega no próximo mês

Segundo o Ministério da Economia e Mar, esta linha vai ser operacionalizada no próximo mês e conta com uma verba de 20 milhões de euros para os territórios de baixa densidade, ao abrigo da Agenda do Turismo para o Interior.

Publituris

A linha de financiamento para apoiar investimentos na área da sustentabilidade, com uma dotação de 50 milhões de euros, vai estar disponível no próximo mês, informou o Ministério da Economia e Mar, em comunicado.

De acordo com a informação divulgada, esta linha conta com garantia mútua e apoio máximo por operação de 500 mil euros e destina-se “a projetos de investimento na área da sustentabilidade promovidos por empresas do turismo”.

“A medida prevê a atribuição de um prémio de desempenho, que se traduz na conversão a fundo perdido de uma parte do financiamento, em função do cumprimento de objetivos relacionados, nomeadamente, com a redução de consumos, com a utilização de fontes de energia renovável ou com a gestão mais eficiente dos resíduos”, explica o Ministério da Economia e Mar.

Esta linha que, segundo o Ministério, se insere no âmbito do Programa Empresas Turismo 360.º, vai ser operacionalizada no próximo mês e conta com uma verba de 20 milhões de euros para os territórios de baixa densidade, ao abrigo da Agenda do Turismo para o Interior, lançada no início de maio.

Os restantes 30 milhões de euros destinam-se a projetos promovidos fora dos territórios de baixa densidade, sendo o prémio de desempenho, no caso das empresas localizadas nos territórios de baixa densidade, correspondente a 20%, enquanto as empresas localizadas fora desses territórios beneficiam de um prémio de desempenho de 10%.

“A sustentabilidade das nossas empresas é uma prioridade da nossa ação governativa. Um tecido empresarial com ferramentas de monitorização do seu desempenho em sustentabilidade e com incentivos concretos para a sua persecução é essencial para uma economia saudável, com um claro desígnio para o futuro: liderar, com as nossas empresas, a transição verde”, afirma António Costa e Silva, ministro da Economia e Mar.

Já Nuno Fazenda, secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, considera que esta linha vem dar às empresas “mais uma ferramenta para a concretização das suas metas de sustentabilidade e responsabilidade social, com um prémio majorado para as que traçam esse caminho”.

“A aposta na sustentabilidade é transversal, estratégica e essencial para liderarmos o turismo do futuro”, acrescenta o governante responsável pela pasta do turismo.

Recorde-se que o Programa Empresas Turismo 360.º foi lançado em novembro de 2021 e incentiva as empresas a reportar o seu desempenho em sustentabilidade através da integração dos fatores ESG – Environmental, Social and Governance na cultura organizacional e na estratégia de negócio, orientando-as no processo através de um sistema de indicadores criado com o objetivo de refletir as suas práticas ambientais, sociais e de governação.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Cabo Verde vai introduzir faróis históricos nas rotas culturais e turísticas

Sete a oito faróis históricos de Cabo Verde vão passar a fazer parte dos itinerários culturais e turísticos do país, num projeto que será financiado pela cooperação espanhola.

Publituris

A introdução dos faróis nas rotas culturais e turísticas de Cabo Verde é tema de um seminário no país, promovido pelo Instituto do Património Cultural, que visa estabelecer as bases e fazer o diagnóstico para o desenho de um projeto de valorização desse património cabo-verdiano.

Trata-se de um projeto com duração de três anos e orçamento mínimo de 150 mil euros por ano, para valorizar um património que está a emergir como produto do turismo cultural.

A intenção é, ainda, fornecer conhecimento e possibilidades que as rotas e itinerários culturais têm como instrumento de desenvolvimento do território, através da cultura e dos elementos próprios de Cabo Verde.

O projeto, refira-se vai envolver restaurações, sinalizações e sensibilização às comunidades, e tudo quanto for possível para permitir que os faróis sejam incluídos nas rotas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Posto de Turismo da Moita reabre ao público totalmente reabilitado

Após obras de reabilitação, o Posto de Turismo da Moita reabre ao público esta quinta-feira, dia 25 de maio.

Publituris

Inserido no plano estratégico para o Turismo, que tem vindo a ser delineado pela Câmara Municipal, o Posto de Turismo da Moita sofreu, recentemente, obras de requalificação que transformaram, por completo, este espaço.

Mais atrativo e com novos pontos de interesse, a autarquia, segundo comunicado de imprensa, “pretende que este equipamento seja mais do que um ponto de passagem para todos aqueles que nos visitam. É aqui que é feita a primeira abordagem sobre o concelho, as suas raízes, as suas tradições pelo que este, deverá ser um espaço de partilha e lazer”.

A requalificação deste equipamento contou com investimento do município, mas alguns particulares quiseram associar-se ao projeto, doando alguns dos materiais que estão em exposição no Posto de Turismo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Sem orçamento Embratur pode fechar as portas em 2024, diz Marcelo Freixo

A Embratur pode ter de fechar as portas em 2024 se não receber mais verba, avisa Marcelo Freixo presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo, que afirma precisar de mais orçamento.

Publituris

Em entrevista à Folha de S. Paulo publicada esta segunda-feira, dia 22 de maio, e citada em vários órgãos de comunicação social brasileiros, Marcelo Freixo afirmou que a instituição que lidera pode ficar sem orçamento no início do próximo ano caso o Congresso Nacional não aprove a transferência de verbas do Sistema S. “Se nada for feito, no próximo ano a Embratur fecha as portas. Não vai haver mais empresa de promoção de turismo no Brasil”.

A Medida Provisória (MP) de 2022, que estipula a transferência de 5% dos excedentes do Sesc (Serviço Social do Comércio) e Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) para a Embratur, espera votação do Senado, depois de ter sido aprovada pela Câmara.

O presidente da Embratur já havia afirmado que lutará pelo dinheiro, mas que considera o valor baixo. “O que eu estou a debater é que não pode haver uma empresa tão estratégica, tão importante para o desenvolvimento, emprego e receita no Brasil, como é a Embratur, de um setor onde o Brasil é tão potente, que é o turismo, sem orçamento”, critica na entrevista.

Freixo declarou, recentemente, que o Brasil tem potencial para bater o último recorde de turistas estrangeiros no país, referente ao ano de 2019. Indicou que o país recebeu 2,6 milhões de turistas internacionais no primeiro quadrimestre do ano, o que resultou em 8,6 mil milhões de reais de receitas, enquanto o ano recorde registou ao todo 6,5 milhões de visitantes, considerado um número muito abaixo nas expectativas do presidente da Embratur.

Em 2020, uma MP validada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro transformou a Embratur em uma entidade autónoma. Apesar de continuar vinculada ao Ministério do Turismo, do governo, a entidade não pode mais receber investimentos públicos.

O presidente da agência, no cargo desde o início do ano, afirma que tentou propor um acordo de uma transferência à Embratur com o valor fixo 300 milhões de reais, por 4 anos, enquanto o órgão tenta novas formas de financiamento. A proposta, porém, não foi aceite pelas entidades.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Funchal ganha nova atração cultural e turística

O Funchal acaba de ganhar nova atração cultural e turística com a reabilitação e restauro do Convento de Santa Clara, monumento nacional onde também foi criado um projeto de museologia, que integra um circuito visitável.

Publituris

O Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, que foi, recentemente, conhecer o resultado da obra, afirmou que “fizemos mais uma reabilitação exemplar do nosso património edificado e do nosso património móvel, disponibilizando, agora, zonas visitáveis para os madeirenses e àqueles que nos visitam e que queiram conhecer esta maravilha do nosso património nacional”.

Trata-se de um investimento do Governo Regional, agora concretizado, foi apoiado por fundos europeus e ascendeu aos 2,3 milhões de euros.

Segundo a página oficial do Governo Regional da Madeira, os trabalhos desenvolveram-se a dois níveis – implementação do projeto de museologia/museografia das áreas visitáveis e a beneficiação global da Igreja e do Convento – tendo, contemplando, entre outros aspetos, conservação e restauro do património artístico, móvel e integrado, designadamente conservação e restauro de pintura, escultura e talha dourada, conservação e restauro de azulejos do Convento e escavação arqueológica dos poços-cisterna.

O projeto museologia incluiu ainda a elaboração de um guia bilingue sobre o Convento de Santa Clara e a implementação de suportes gráficos, nomeadamente no circuito visitável.

O Convento de Santa Clara constitui um dos mais importantes testemunhos do património cultural e histórico da região, estando classificado como Monumento Nacional desde 1940.

Construído no período manuelino (século XV), é um imóvel gótico tardio que, apesar das profundas transformações artísticas e arquitetónicas ocorridas nos séculos XVII e XVIII, em plena época barroca, conserva ainda testemunhos da sua traça primitiva.

Este é o único convento do século XV da região – as suas obras iniciaram-se em 1492 –, sendo uma das casas religiosas mais importantes a nível nacional, à época, e contém, no seu espólio pinturas, esculturas, azulejos, talha, mobiliário, elementos construtivos e decorativos únicos. Tendo, originalmente, pertencido a uma ordem religiosa de clausura, atualmente encontra-se aberto aos visitantes. Na época, o objetivo da construção destas instalações passava, então, por recolher as filhas da nobreza local.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Neoturis atualiza oferta de serviços e novas facilidades de contacto através do site

A consultora especializada em turismo, Noeturis, com mais de 20 anos de experiência, oferece, atualmente, uma ampla gama de serviços que cobre todas as etapas cruciais no desenvolvimento e crescimento dos negócios turísticos, numa abordagem de 360º.

Publituris

Por outro lado, com o objetivo de estar mais próxima do setor, a consultora disponibiliza no site, um chat direto, onde a equipa está disponível para esclarecer qualquer dúvida. É também possível fazer o agendamento de uma primeira reunião de exploração, num link que conecta um calendário com a disponibilidade mais imediata.

A Neoturis indica, em informação ao mercado, que oferece serviços de planeamento estratégico, que visa compreender o potencial de desenvolvimento de destinos turísticos e de produtos turísticos, definir políticas de desenvolvimento – transportes, estruturação da oferta, comunicação e marketing turístico, organização institucional, fazer análise de portfolios de ativos turísticos, assim como definição e implementação de rotas estratégicas.

No rol de serviços, constam ainda os estudos de mercado, viabilidade económica e apoio ao investimento. Além de Benchmarking, elaboração de Business Plan (P&L, Cash-flow) e análises de sensibilidade, são oferecidos serviços abrangentes de apoio ao investimento, incluindo due diligence comercial, avaliação de ativos, identificação de modelos de gestão apropriados e preparação de dossiês de apresentação de oportunidades de investimento.

Há também o apoio à arquitetura e pre-opening. Trata-se de um serviço de distribuição eficiente de áreas públicas, planeamento de espaços funcionais e antecipação de inovações tecnológicas, considerando os critérios ESG e garantindo o sucesso futuro dos projetos, bem como de suporte abrangente desde a fase de pré-abertura até a operação contínua de hotéis, no desenvolvimento da estrutura operacional, recrutamento de membros-chave, implementação de soluções tecnológicas e desenvolvimento de ofertas experienciais.

No plano do marketing, os apoios passam pela definição do posicionamento e conceito, planeamento de branding e comunicação. Com uma estratégia de marketing abrangente, incluindo estudos de mercado, presença online eficaz e estratégias de publicidade, os clientes são apoiados na maximização da sua visibilidade e atratividade para o público-alvo.

Junta-se ainda o apoio à operação, que tem como objetivo garantir o alinhamento das operações com os objetivos estratégicos de negócio através da definição de estratégias de vendas – pricing e comercialização, diagnósticos de desempenho, revisão da oferta de serviços, dos standards, criação de planos de formação e implementação de soluções de otimização da produtividade.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.