Edição digital
Assine já
PUB
Destinos

Ministra do Mar dá parecer favorável a ferry entre o Continente e a Madeira

Ligação ferry deverá estar concretizada e a funcionar no primeiro semestre de 2018.

Publituris
Destinos

Ministra do Mar dá parecer favorável a ferry entre o Continente e a Madeira

Ligação ferry deverá estar concretizada e a funcionar no primeiro semestre de 2018.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Grupo Altis investe 27 milhões de euros em novo hotel no Porto
Hotelaria
Estão lançados os “Portugal Meeting Forums by Publituris” 2024
Eventos Publituris
Reforço da pista do aeroporto do Porto custa 50 milhões e vai demorar 19 meses
Aviação
Turismo da ONU quer integração da biodiversidade nas políticas nacionais do setor
Destinos
Clientes Bestravel podem aderir às Aventuras Solidárias da AMI
Agências
Rio Grande do Sul precisará de 1 bilião de reais para recuperar turismo
Destinos
Grupo GEA celebra os Santos Populares com arraiais em Lisboa e no Porto
Agências
RoomRaccoon contrata Cyril Lavenant para diretor global de Customer Success
Figuras do Turismo
Portugal leva 20 empresas à maior feira de turismo da China
Destinos
Lusanova com ofertas especiais para o Fim-de-Ano na Madeira e em São Miguel
Distribuição

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, deu parecer favorável à ligação marítima entre a Madeira e o continente, abrindo espaço para o lançamento do concurso público internacional, segundo a Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura da Madeira.

“Depois da pronúncia da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), chegou a vez de o Governo Regional receber o parecer favorável da Ministra do Mar relativamente às peças do procedimento do Concurso Público Internacional para a concessão de serviço de transporte marítimo regular, por ferry, entre a região e o continente português”, refere o governo regional num comunicado divulgado pela Lusa.

Com o parecer técnico favorável, o governo regional da Madeira pode agora dar cumprimento a “mais um passo no desenvolvimento deste processo e o lançamento, na plataforma, do Concurso Público Internacional, no decorrer da semana que agora se inicia, ou seja, entre os dias 22 e 25 de Agosto”.

Eduardo Jesus, secretário da Economia, Turismo e Cultura da Madeira, refere “que o trabalho que competia à região foi desde cedo assegurado e que, agora, cabe proceder à abertura do concurso e tudo fazer para que o mesmo suscite o interesse do mercado”.

A Secretaria de Economia, Turismo e Cultura da Madeira diz ainda que em termos de calendário, “mantêm-se as condições previstas e já publicamente avançadas, ou seja, aberto o concurso na plataforma, segue-se um prazo de 70 dias para a apresentação de propostas dos armadores, seguindo-se, depois, o tempo relativo à montagem da operação”, que espera concretizada e a funcionar no primeiro semestre de 2018.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Grupo Altis investe 27 milhões de euros em novo hotel no Porto
Hotelaria
Estão lançados os “Portugal Meeting Forums by Publituris” 2024
Eventos Publituris
Reforço da pista do aeroporto do Porto custa 50 milhões e vai demorar 19 meses
Aviação
Turismo da ONU quer integração da biodiversidade nas políticas nacionais do setor
Destinos
Clientes Bestravel podem aderir às Aventuras Solidárias da AMI
Agências
Rio Grande do Sul precisará de 1 bilião de reais para recuperar turismo
Destinos
Grupo GEA celebra os Santos Populares com arraiais em Lisboa e no Porto
Agências
RoomRaccoon contrata Cyril Lavenant para diretor global de Customer Success
Figuras do Turismo
Portugal leva 20 empresas à maior feira de turismo da China
Destinos
Lusanova com ofertas especiais para o Fim-de-Ano na Madeira e em São Miguel
Distribuição
PUB
Destinos

Turismo da ONU quer integração da biodiversidade nas políticas nacionais do setor

Embora 95% das políticas nacionais de turismo reconheçam a natureza como um bem primário para o setor, muitas vezes faltam planos detalhados para práticas de gestão sustentável, revela um novo relatório do Turismo da ONU.

O relatório “A Integração da Biodiversidade nas Políticas Nacionais de Turismo”, que acaba de ser publicado pelo Turismo da ONU, explora a intrínseca relação entre os dois setores, que engloba a diversidade dentro das espécies, entre espécies e de ecossistemas. Avalia como 80 políticas nacionais de turismo incorporam valores de biodiversidade e visa aprofundar a compreensão das referências à biodiversidade nessas políticas.

O documento compreende quatro subsecções detalhadas que examinam a integração da biodiversidade nas narrativas e declarações políticas, programas estratégicos e compromissos de monitorização. Ao fornecer informações sobre a amplitude e profundidade dos atuais esforços de integração, serve, segundo o Turismo da ONU, como um recurso valioso para os decisores políticos, as partes interessadas e a comunidade global, apelando a novas ações para um futuro sustentável.

O Secretário-Geral da organização, Zurab Pololikashvili, afirma que, “como guardiões dos recursos naturais da Terra, é crucial que promovamos uma relação harmoniosa entre o turismo e o ambiente”, para acentuar que esta publicação não só destaca a interdependência da biodiversidade e do turismo, como também sublinha o papel essencial que políticas bem integradas desempenham na garantia de um futuro sustentável para todos.

Este novo relatório surge como parte dos compromissos assumidos na Conferência da ONU sobre Biodiversidade COP-15, realizada em Montreal em dezembro de 2022, onde foi adotado o histórico Plano de Biodiversidade. Além disso, o relatório complementa a publicação recentemente lançada “Nature Positive Travel & Tourism Action” amplificando o impulso para práticas ambientalmente responsáveis ​​no setor do turismo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Rio Grande do Sul precisará de 1 bilião de reais para recuperar turismo

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, afirmou, que serão necessários cerca de um bilião de reais para recuperar o setor turístico do estado assolado pela tragédia das chuvas torrenciais, e voltou a defender a reedição de um benefício federal semelhante ao programa de emergência de manutenção do emprego e da receita, lançado em 2020 para minimizar os prejuízos económicos decorrentes da pandemia da covid-19.

Em reunião com o ministro do Turismo, Celso Sabino, e o presidente da Embratur, Marcelo Freixo, o governador afirmou, conforme avança a imprensa brasileira, que o turismo é um dos temas que preocupa, por ser uma atividade que o estado tem vocação e que envolve muitos empregos em áreas atingidas pelas fortes chuvas.

Leite mencionou que, embora o Ministério do Turismo tenha decidido libertar 100 milhões de reais via Fungetur, além de mais 100 milhões em seguida, ainda serão necessários mais recursos. “Em conversa com o trade turístico, vemos a necessidade de chegar até 1 bilião de reais”, afirmou o governador.

O Fungetur, um fundo especial de empréstimo vinculado ao Ministério do Turismo, possui taxas de juros atrativas, com carência de até cinco anos e prazo de pagamento de até 12 anos. Para o Rio Grande do Sul, esses prazos foram ampliados e os pagamentos dos financiamentos foram suspensos por seis meses, conforme informado pelo ministro Celso Sabino.

O objetivo é socorrer os empreendedores; proprietários de pousadas, bares, restaurantes e hotéis; transportadores, operadores turísticos e agentes de viagens” cujas atividades tenham sido afetadas pelas consequências dos recentes eventos climáticos extremos.

O ministro Sabino explicou que foi editada uma portaria inédita para que os recursos do Fungetur sejam usados exclusivamente no Rio Grande do Sul. O objetivo é socorrer os empreendedores; proprietários de pousadas, bares, restaurantes e hotéis; transportadores, operadores turísticos e agentes de viagens” cujas atividades tenham sido afetadas pelas consequências dos recentes eventos climáticos extremos. “Todos os que adquiriram financiamento através do Fungetur terão mais seis meses de fôlego”, acrescentou.

Durante a reunião, Leite também defendeu a criação de um benefício de emergência para manutenção de empregos e receita, similar ao concedido durante a pandemia. Argumentou que esta medida é fundamental para evitar demissões em massa no setor turístico, impactado pelas estradas bloqueadas e o principal aeroporto do estado inoperante.

Estas medidas, segundo o governador do estado do Rio Grande do Sul, Leite, visam apoiar os empregadores a custear parte dos salários dos empregados de empresas afetadas, e uma forma “rápida e ágil” de evitar demissões enquanto o setor turístico se reestrutura.

Além disso, propôs a isenção do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para artigos da linha branca, reduzindo os custos de renovação de equipamentos em restaurantes, hotéis e pousadas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Portugal leva 20 empresas à maior feira de turismo da China

Depois da participação na ITB China, que decorre entre 27 e 31 de maio, o Turismo de Portugal vai promover um roadshow por Pequim, Cantão e Macau que deverá reunir mais de 200 empresas chinesas e motivar encontros com os principais parceiros da operação turística.

Portugal está presente na ITB China, a maior feira de turismo da China, que decorre entre 27 e 31 de maio, e na qual o país está representado por uma delegação de 20 empresas, liderada pelo Turismo de Portugal.

Num comunicado enviado à imprensa, o Turismo de Portugal explica que a participação na ITB China visa “explorar oportunidades de cooperação entre as entidades turísticas dos dois países, fomentar a cooperação na área da formação de estudantes e a capacitação de profissionais de turismo e incentivar as empresas locais a investirem na indústria do Turismo, em Portugal”.

“Trata-se efetivamente de um mercado emissor com uma importância estratégica, não só pela sua dimensão, mas também pela história que nos une. O turismo desempenha um papel fulcral no aprofundar das relações bilaterais e na prossecução de um maior equilíbrio da balança comercial de Portugal com a China”, afirma Carlos Abade, presidente do Turismo de Portugal, lembrando que esta ação coincide com o 45.º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas entre Portugal e China.

Além da participação na feira, a ocasião vai ser também aproveitada para celebrar contratos com empresas locais para o lançamento de campanhas de marketing para promoção de Portugal em toda a China, dando ainda origem a um roadshow que vai passar por Pequim, Cantão e Macau, e que deverá reunir mais de 200 empresas chinesas e motivar encontros com CEO dos principais parceiros da operação turística.

A participação do Turismo de Portugal na ITB China, assim como a realização do roadshow em Pequim, Cantão e Macau, já tinham sido revelados no início de abril por Lídia Monteiro, vogal do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal. (https://www.publituris.pt/2024/04/02/turismo-de-portugal-retoma-promocao-na-china-e-promove-roadshow-no-final-de-maio)

Recorde-se que a China é o maior mercado de turismo outbound do mundo, motivo pelo qual é encarado de forma estratégica, até porque continua a ser um mercado com um elevado potencial para Portugal, uma vez que, entre janeiro e fevereiro de 2024, foi o 17.º mercado turístico da procura externa para o destino Portugal aferido pelo indicador dormidas (quota 1,3%) e ocupou o 14.º lugar no indicador hóspedes (quota 2,1%) totalizando 37,1 mil.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Região de Lisboa promove-se na maior feira de turismo da Galiza

Na Turexpo Galicia, que decorre entre 30 de maio e 2 de junho, a região de turismo nacional participa com um stand próprio, de 25m2, no qual vão ser promovidos os “destinos e recursos junto do mercado espanhol”.

A Região de Lisboa vai participar, entre 30 de maio e 2 de junho, na Turexpo Galicia, a maior feira de turismo da Galiza, em Espanha, na qual a região de turismo nacional participa com um stand próprio, de 25m2, no qual vão ser promovidos os “destinos e recursos junto do mercado espanhol”.

“Sendo a Turexpo Galicia uma montra daquilo que melhor a Região de Lisboa tem para oferecer, os visitantes terão a oportunidade de conhecer em detalhe todas as atrações e experiências a usufruir. Além da presença institucional da ERT-RL, os municípios de Mafra e Vila Franca de Xira terão igualmente uma participação ativa”, indica a Região de Lisboa, num comunicado enviado à imprensa.

Segundo Carla Salsinha, presidente da ERT-RL, “a Turexpo Galicia é um ponto de encontro excecional para partilhar e descobrir” o que o presente e o futuro reservam ao setor do turismo, pelo que esta presença representa uma “oportunidade para reforçar” o posicionamento da Região de Lisboa e “incentivar” os turistas a visitarem esta região portuguesa.

Além desta feira na Galiza, a Região de Lisboa está empenha na promoção no mercado espanhol e, por isso, já esteve presente em diversas feiras de renome, como a FITUR, em Madrid, a Navartur, em Pamplona, a B-Travel, em Barcelona, e a Expovacaciones, em Bilbao, contando vir ainda a participar, entre 14 e 17 de novembro, na INTUR – Feira Internacional do Turismo de Interior.

Recorde-se que a Turexpo Galicia recebeu,  no ano passado, 102.689 visitantes, e insere-se numa proposta multissectorial – Feira Internacional ABANCA – Semana Verde da Galiza, que regista uma procura elevada por parte do público.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Oferta hoteleira de Moçambique aumenta no primeiro trimestre

No primeiro trimestre do ano, Moçambique assistiu à entrada em funcionamento de 66 empreendimentos, dos quais 28 de alojamento, 33 de restauração e bebidas e cinco agências de viagens, o que corresponde a um aumento de 57,1% face ao mesmo período de 2023.

Publituris

Até março, Moçambique assistiu à abertura de 66 novos empreendimentos ligados à restauração e turismo, o que ditou um aumento de 414 quartos na hotelaria, avança a Lusa, que cita dados divulgados esta sexta-feira, 24 de março, pelo governo moçambicano.

Segundo um relatório de execução orçamental do Ministério da Economia e Finanças de Moçambique, no primeiro trimestre de 2024, o investimento privado mais do que triplicou face ao ano passado, somando 18,7 milhões de euros, o que ditou também o aumento dos postos de trabalho criados, que chegou aos 559 face aos 470 gerados no mesmo período do ano passado.

O relatório diz que, neste período, “entraram em funcionamento 66 empreendimentos contra 42 empreendimentos do primeiro trimestre de 2023, dos quais 28 de alojamento, 33 de restauração e bebidas e cinco agências de viagens, o que corresponde a um aumento de 57,1%”.

“As aberturas incrementaram a capacidade com 414 quartos contra 323 do primeiro trimestre de 2023, o que representa um crescimento de 28,2%”, lê-se ainda no relatório a que a Lusa teve acesso.

O aumento do investimento chega numa altura em que também o número de turistas está a aumentar em Moçambique, o que se deve à isenção de vistos decretada no ano passado para  países de baixo risco, o que levou à emissão de quase 30 mil vistos de fronteira ainda em 2023.

No relatório de execução orçamental do último trimestre de 2023, o governo moçambicano recorda que “foi criada uma plataforma para requisição de vistos ‘online’ e a isenção de vistos de turismo e negócios para uma lista de países de baixo risco”, num total de 29 Estados, o que “resultou na emissão de 28.963 vistos solicitados por visitantes”, até dezembro.

“A medida vem tornando Moçambique mais competitivo e facilitando o acesso de potenciais investidores ao país”, é ainda referido no documento citado pela Lusa.

A Lusa recorda também que o governo moçambicano já tinha afirmado no relatório de execução orçamental do terceiro trimestre do ano passado que a decisão de facilitar e isentar de vistos turistas de países de baixo risco fez aumentar o número de visitas ao país em 34% nos primeiros 90 dias de implementação da medida.

O Governo estima uma “despesa média” por cada visitante em 110 dólares e o tempo médio de visita de quatro dias, pelo que cada visitante representa 440 dólares “de novos fundos” para a economia.

“O aumento de visitantes ao país em virtude desta medida representa um crescimento do setor e um efeito multiplicador na economia moçambicana”, acrescenta-se no relatório sobre a execução orçamental no terceiro trimestre.

O Governo moçambicano já tinha avançado, em agosto de 2023, que mais de 13.000 cidadãos estrangeiros entraram em Moçambique ao abrigo da medida de isenção de vistos introduzida em maio, a grande maioria turistas, incluindo de Portugal.

De acordo com dados avançados pela ministra da Cultura e do Turismo, Eldevina Materula, dessas isenções, com vistos concedidos na fronteira, “mais de 10.000” entraram em Moçambique “com o propósito de turismo e os restantes três mil em negócios”.

“Este é um sinal claro que as medidas tomadas pelo Governo estão a surtir efeitos na dinamização do nosso setor. Com estas medidas, temos claramente um novo padrão de turistas, sendo que as nacionalidades americana, britânica, portuguesa, chinesa e alemã se destacam como as cinco principais entradas em Moçambique”, afirmou a governante, em agosto.

Recorde-se que Moçambique introduziu em dezembro de 2022 o Visto Eletrónico (e-Visa) e, no dia 1 de maio, entrou em vigor a isenção de vistos para cidadãos de 29 países, tendo sido ainda revista a medida de concessão de vistos de investimentos para períodos mais alargados aos cidadãos estrangeiros que detenham investimento em Moçambique, simplificando os requisitos de atribuição.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Governo dos Açores cria grupo de trabalho para revisão do Plano Ordenamento Turístico da região

Um grupo de trabalho, com a missão de coordenar todo o processo de revisão do Plano Ordenamento Turístico da Região Autónoma dos Açores-POTRAA, e liderado por Rui Coutinho Pereira, técnico superior da Direção Regional do Turismo, acaba de ser criado.

Publituris

Um despacho, que acaba de ser publicado no Jornal Oficial dos Açores, revela que o Governo Regional constituiu um grupo de trabalho para coordenar a revisão do Plano de Ordenamento Turístico da Região Autónoma (POTRAA), que será presidido por Rui Coutinho Pereira, técnico superior da Direção Regional do Turismo.

Considerando a aprovação do Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores – Horizonte 2030 [PEMTA2030], “mostra-se, agora, necessário reiniciar o processo de revisão do Plano Ordenamento Turístico da Região”, daí a constituição deste grupo de trabalho, de âmbito técnico, com a missão de coordenar este processo “no que diz respeito à organização procedimental, orientação dos consultores, caso existam, e da equipa técnica, acompanhamento da execução contratual, preparação e organização de reuniões e outros eventos, entre outras tarefas necessárias para a boa prossecução do presente procedimento”, indica o documento.

De acordo com o Governo Regional, importa “territorializar a nova visão, missão e objetivos estratégicos para o turismo dos Açores, plasmados no PEMTA2030, numa perspectiva de qualificação dos ativos identitários e qualificadores da experiência turística e de promoção dos produtos estratégicos definidos, tendo por base a sustentabilidade do destino turístico e, quando possível, a assunção da sua capacidade regenerativa”.

Pretende-se a implementação, nas nove ilhas dos Açores, de um “instrumento de planeamento e gestão territorial do setor do turismo, inovador e eficaz, na linha do que de melhor se faz noutros destinos turísticos internacionais sustentáveis”, contribuindo para a “salvaguarda e valorização dos recursos naturais, ambientais e paisagísticos”, segundo o despacho.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Mais de 82 mil turistas portugueses visitaram o Brasil em quatro meses

Nos primeiros quatro meses deste ano 82.164 turistas portugueses visitaram o Brasil, o que corresponde a uma subida de 13,8% face ao mesmo período de 2023. No ranking dos mercados emissores Portugal posiciona-se em 7º lugar, o segundo europeu, atrás da França.

Os dados mais recentes da Embratur revelam que dos 2,9 milhões de turistas estrangeiros que visitaram o Brasil, de janeiro a abril deste ano, considerada a terceira melhor marca da história do destino, 1.070.545 são argentinos, mesmo assim, com uma quebra do 11,1% quando comparado com os primeiros quatro meses do ano anterior, enquanto na segunda posição são estão os chilenos (258.523), mercado que mais cresceu em termos percentuais (+32,2%).

Os Estados Unidos, com 251.419 turistas (+9%) foi o terceiro país emissor para o Brasil no período analisado, seguindo-se o Paraguai 217.392 (+9,8%) e o Uruguai 199.316 (+13,8%).

No ranking da Embratur, o primeiro mercado europeu é o francês, (84.468 turistas – 25,5%) colocado na sexta posição. Depois é que vem o mercado português Portugal 82.164 (+13,8%), que ultrapassou o alemão 75.025 (+15,7%), o britânico 65.994 (+15%), e o italiano, com 55.165 turistas (+18,5%), a fechar o top 10.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Destinos

Centro de Portugal é o Destino Internacional Protagonista da Naturcyl 2024 em Espanha

A oferta de ecoturismo e de turismo de natureza do Centro de Portugal vai estar em destaque na Naturcyl 2024, em Espanha, uma vez que a região acaba de ser eleita, pela organização da Feira de Ecoturismo de Castela e Leão o Destino Internacional Protagonista.

Publituris

O Centro de Portugal vai ser o primeiro Destino Internacional Protagonista da edição de 2024 da Naturcyl, evento de referência na promoção do ecoturismo que se realiza em Espanha, de 20 a 22 de setembro. O anúncio foi feito pela organização, que destaca “as muitas maravilhas que esconde este território”.

A Feira de Ecoturismo de Castela e Leão é um evento anual que, desde a sua primeira edição, em 2018, se tem afirmado como um fórum essencial para a troca de ideias e oportunidades de negócios entre profissionais e amantes do ecoturismo e do meio rural. Na última edição, a feira atraiu 10.500 visitantes.

A grande novidade deste ano é a eleição de um Destino Internacional Protagonista. A escolha recaiu no Centro de Portugal, que terá assim uma participação e notoriedade especial na feira. A Turismo Centro de Portugal estará presente na Naturcyl com um stand próprio de 27m2, onde divulgará e promoverá o vastíssimo património natural da região. Além disso, participará nas jornadas de comercialização de Turismo de Natureza (B2B) que ocorrerão em paralelo.

Um dos motivos que levou a que o Centro de Portugal tenha sido o preferido foi a grande diversidade da oferta de turismo de natureza da região, que inclui os Geoparques da UNESCO Estrela, Naturtejo e Oeste, os Parques Naturais do Tejo Internacional, da Serra da Estrela e do Douro Internacional, bem como as reservas da Malcata e da Faia Brava, entre muitas outras áreas protegidas. Além disso, possui duas Cartas Europeias de Turismo Sustentável: as Montanhas Mágicas e as Terras do Lince.

De acordo com Raul Almeida, presidente da Turismo Centro de Portugal, Espanha é um mercado estratégico para a região, “pela proximidade – é o principal emissor de turistas para a região – e por receber mais de 80 milhões de turistas por ano”, referindo ainda que “em Espanha, como no Centro de Portugal, tem havido um grande aumento da procura pelo turismo de natureza e pelo mundo rural, produtos turísticos que estão na génese da Naturcyl. Por isso, foi com grande satisfação que recebemos a informação de que o nosso território será o primeiro Destino Internacional Protagonista da feira”.

O responsável regional acredita que este facto “é uma oportunidade de ouro para promovermos a oferta de ecoturismo existente na região e para consolidarmos a nossa identidade territorial enquanto destino de Turismo de Natureza”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Turismo, Mobilidade e Infraestruturas dos Açores com 321,1 M€ no Plano e Orçamento para 2024

Os setores do Governo Regional dos Açores tutelados por Berta Cabral, ou seja, o Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, contam com uma dotação total de 321,1 milhões de euros do Plano e Orçamento (PO) para 2024.

Publituris

Intervindo no Parlamento açoriano, na discussão das propostas de Orientações de Médio Prazo 2024-2028 e do Plano e Orçamento para 2024, a secretária Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, Berta Cabral sublinhou que esta verba está “fundamentada nas necessidades prementes” das ilhas, da economia dos Açores “e, acima de tudo, das pessoas, sem ignorar desafios que urge resolver e oportunidades que não podem ser desperdiçadas”.

No Turismo, com uma dotação de 19,1 milhões de euros, a governante disse, citada em nota publicada na página oficial do Governo Regional, não abdicar do objetivo fundamental de ter turismo todo o ano em todas as ilhas e refere que, sendo o setor mais transversal da economia e aquele que mais alavanca todos os outros setores produtivos, há a responsabilidade coletiva de “contribuir de forma positiva e construtiva para o seu desenvolvimento sustentável fundado na qualidade, na excelência e na produção de bem-estar para os residentes”.

Reafirmando que 2024 será um ano bastante positivo para este setor na Região, Berta Cabral assegurou que vai “dar continuidade à política de qualificação dos recursos e do produto turístico, investindo na sustentabilidade do destino, na digitalização do setor, na promoção externa e no desenvolvimento da conetividade internacional, de acordo com o Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores 2030”.

Para a Mobilidade, a secretária Regional considerou que o investimento superior a 134 milhões de euros visa assegurar intervenções em infraestruturas portuárias de todas as ilhas, incluindo obras nos portos de Vila do Porto, Ponta Delgada e Praia da Vitória, assim como nos aeródromos à responsabilidade da Região, nomeadamente a aerogare da Graciosa e o processo para ampliação da pista do aeroporto do Pico.

Berta Cabral deu conta ainda que a “Tarifa Açores” é para manter, sendo complementada com o “Passe Açores 9 Ilhas”, com o objetivo de estimular, de forma cada vez mais assertiva, a construção de um mercado interno, a mitigação dos efeitos da sazonalidade turística, a criação de condições de excelência para que os jovens conheçam, promovam e contribuam ativamente para o espírito de açorianidade e para o desenvolvimento de todas as ilhas.

“A proposta de investimento que estruturámos dá sequência a diversas medidas e obras estruturantes, que terão um impacto direto em importantes objetivos económicos na Região, incluindo o desenvolvimento sustentável do turismo, a mobilidade dos açorianos, a descarbonização da economia e a preparação de infraestruturas fundamentais”, concluiu.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

DCIM100MEDIADJI_0132.JPG

Destinos

Coimbra: Projeto de turismo sustentável tem apoio de 4,9M€ da Comissão Europeia

A Câmara Municipal de Coimbra e a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, entre outros parceiros, viram aprovada uma candidatura à European Urban Initiative com um projeto de turismo sustentável intitulado “COIMBRA ST LLM”, que implica um financiamento de 4,9 milhões de euros para a sua implementação.

Publituris

A candidatura vai permitir o desenvolvimento de ferramentas de monitorização e de apoio ao desenvolvimento de práticas turísticas mais sustentáveis, que vão contribuir para responder a desafios associados à mobilidade, à criação de emprego, à qualidade do serviço prestado e à perceção dos residentes sobre o impacto do turismo, avança a autarquia de Coimbra no seu site oficial.

Refira-se que a European Urban Initiative é uma iniciativa europeia que visa apoiar cidades na implementação de projetos inovadores para tornar as áreas urbanas mais sustentáveis, inclusivas e resilientes, apresentando um projeto de turismo sustentável.

O projeto de Coimbra destacou-se entre as 112 candidaturas apresentadas por 12 estados-membros da União Europeia. Coimbra destaca-se como a única cidade portuguesa selecionada.

Este projeto, elaborado numa parceria entre a CM Coimbra e a CIM-RC, é liderado pela autarquia e tem ainda como parceiros o Turismo de Portugal, a Universidade de Coimbra, o Instituto Politécnico de Coimbra, o Instituto Pedro Nunes, a Present Technology e a Inova +. Estes parceiros vão, agora, trabalhar em conjunto na implementação das ações e das medidas propostas.

“Esta inédita aprovação de um projeto camarário desta índole e desta dimensão, em Coimbra, extra quadros comunitários clássicos e numa lógica de captação de instrumentos de financiamento diretamente dirigidos pela Comissão Europeia, reunindo todos os parceiros e apoios que o tornaram possível, vai colocar Coimbra de uma forma inovadora no radar turístico nacional, internacional e das instituições europeias, incluindo a própria Comissão Europeia, e muito contribuirá para a afirmação criativa da marca Coimbra, concorrendo de forma sólida para o desenvolvimento turístico, económico, cultural e ambiental do concelho de Coimbra”, refere o presidente da autarquia, José Manuel Silva, citado na notícia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.