Assine já
Destinos

Hotelaria mantém crescimento excepto nas dormidas de residentes

Em Junho, a Hotelaria nacional manteve o forte crescimento no número de hóspedes e nas dormidas, com excepção para as dormidas dos residentes, que desceram 0,2%.

Inês de Matos
Destinos

Hotelaria mantém crescimento excepto nas dormidas de residentes

Em Junho, a Hotelaria nacional manteve o forte crescimento no número de hóspedes e nas dormidas, com excepção para as dormidas dos residentes, que desceram 0,2%.

Inês de Matos
Sobre o autor
Inês de Matos
Artigos relacionados
Hotelaria algarvia com aumentos na ocupação e volume de vendas em Fevereiro
Homepage
Carnaval condicionou resultados do alojamento turístico em fevereiro
Homepage
INE: Menos dormidas de residentes agravam quebras da hotelaria em outubro
Homepage
Número de hóspedes e dormidas acentuam queda do turismo no início de 2021
Alojamento

Em Junho, a hotelaria nacional manteve o forte crescimento no número de hóspedes e nas dormidas, contabilizando 2,1 milhões de hóspedes e 5,9 milhões de dormidas, subidas de 8,5% e 8,0%, respectivamente, com a excepção a serem as dormidas dos não residentes, que desceram 0,2% face a igual mês do ano passado, segundo dados revelados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os dados do INE mostram que se registou uma evolução no número de dormidas em hotéis, que cresceram 9,7%, representando 66,8% do total, seguindo-se as pousadas, com mais 10,9% de dormidas, os apartamentos turísticos (+9,4%) e os aldeamentos turísticos (+9,0%).

Relativamente à origem dos hóspedes, o INE mostra que o mercado nacional foi responsável por 1,5 milhões de dormidas em Junho, o que representa um decréscimo de 0,2% face a Junho de 2016, que foi compensado pelo forte aumento das dormidas dos turistas internacionais, que subiram 11,2%, para 4,4 milhões. No conjunto do primeiro semestre, as dormidas de residentes aumentaram 4,3% e as de não residentes 11,6%.

Os 13 principais mercados estrangeiros foram responsáveis por 86,1% das dormidas de turistas internacionais, com o INE a destacar a forte subida do mercado alemão, que representou 13,6% do total, crescendo 14,8% em Junho. No primeiro semestre, o crescimento deste mercado foi de 9%.

Apesar do forte crescimento alemão, o principal mercado continuou a ser o britânico, que representou 25,8% das dormidas de não residentes, crescimento de 4,6% em Junho. No primeiro semestre de 2017, este mercado apresentou uma subida de 5,8%.

O INE realça ainda os crescimentos nas dormidas dos turistas espanhóis e franceses, que 7% e 9,6% do total de dormidas de não residentes, resultando em crescimentos de 3,8% e 3,9% em Junho, respectivamente. No acumulado dos primeiros seis meses, o crescimento destes mercados foi de 4,9% e 4,4%, respectivamente.

Entre os principais países, destaque ainda para o crescimentos apresentado, em Junho, pelos mercados brasileiro (+55,0%), americano (+35,0%) e polaco (+19,0%), com o INE a revelar que “estes mercados, entre os principais, foram também os que mais aumentaram no primeiro semestre do ano (+55,4%, +31,4% e +35,6%, respectivamente)”.

Regiões

Segundo o INE, o crescimento das dormidas foi comum a todas as regiões, com destaque para os Açores (+18,6%) e Centro (+14,0%), ainda que o Algarve e Lisboa detenham as maiores parcelas, com as dormidas no Algarve a representarem 38,2% do total e 22,4% em Lisboa.

O INE revela que, em Junho, foram registadas mais 438,5 mil dormidas em comparação com o ano anterior, das quais 28,3% foram geradas pelo acréscimo de dormidas em Lisboa (124,1 mil dormidas adicionais) e 27,5% pelo acréscimo verificado no Algarve (120,6 mil dormidas adicionais).

Apesar das dormidas de residentes terem caído em Junho, o INE destaca o peso destas dormidas nos crescimentos verificados nos Açores, onde as dormidas de residentes subiram 14,2%, e no Alentejo, com uma subida de 7,7%. Pelo contrário, no Algarve as dormidas de residentes desceram 4,6% e em Lisboa a queda foi de 1,7%. Já no primeiro semestre do ano, todas as regiões apresentaram evoluções positivas, com enfoque nos Açores (+20,3%).

As dormidas de não residentes cresceram em todas as regiões em Junho, sobressaindo o Centro (+28,0%), os Açores (+21,5%) e o Alentejo (+18,6%), enquanto o Algarve (+8,6%) captou 41,0% das dormidas de hóspedes vindos do estrangeiro. Nos primeiros seis meses, o Centro demarcou-se com um assinalável crescimento de 28,2% nas dormidas de não residentes, secundado pelos Açores (+16,6%) e por Lisboa (+15,1%).

O INE indica também uma ligeira descida na estada média, decréscimo de 0,5%, para 2,89 noites, com o Alentejo a ser a região que maior decréscimo apresentou neste indicador, com menos 2,6% na estada média. Já no Algarve, a estada média subiu 3%.

A taxa de ocupação subiu 3,8 p.p., para 61,3%, com as ocupações mais elevadas a encontrarem-se na Madeira, com uma taxa de 79,2%, Açores, onde a ocupação subiu 8,9 p.p. para 67,5%, Algarve, com uma taxa de 66,7%, e Lisboa, onde a ocupação cresceu 6,1 p.p., para 66,2%.

Os proveitos totais atingiram os 350,4 milhões de euros e os de aposento 258,3 milhões de euros, acrescimentos de 18,3% e 20,3%, respectivamente, com os aumentos a serem comuns a todas as regiões, mas mais evidentes nos Açores, onde os proveitos totais subiram 27,8% e os de aposento 24,9%, e no Centro, com subidas de 24,3% e 24,1%, respectivamente.

Já o RevPAR foi de 60,2 euros, o que se traduziu num aumento de 19,4% em Junho, com o INE a sublinhar Lisboa e o Algarve, onde o RevPAR ascendeu a 82,0 euros e 68,6 euros, respectivamente. A evolução do RevPAR foi globalmente positiva entre as diversas tipologias, com realce para os hotéis-apartamentos (+20,5%) e hotéis (+19,6%), nos quais se destacou a categorias de três estrelas (+23,7%).

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Passadiços do Mondego abrem a 6 de novembro

Inaugurados este domingo, 30 de outubro, os Passadiços do Mondego abrem oficialmente ao público no dia 6 de novembro, oferecendo um percurso de cerca de 12 quilómetros pelas margens do rio Mondego e seus afluentes.

Os Passadiços do Mondego, que resultam de um investimento de quatro milhões de euros, cofinanciado por fundos comunitários, abrem ao público a 6 de novembro, informou a autarquia da Guarda, em comunicado.

“Garanto-vos que haverá um antes e um depois dos Passadiços do Mondego. Este é um investimento fundamental para o Turismo da Guarda e para toda a Região. Esta obra será a referência para o turismo e lazer do nosso Concelho e de todo o nosso território, com a qual poderemos pensar positivamente no seu sucesso futuro”, considera Sérgio Costa, presidente da Câmara Municipal da Guarda.

Com um percurso de cerca de 12 quilómetros pelas margens do rio Mondego e seus afluentes, os Passadiços do Mondego começam junto à Barragem do Caldeirão e estendem-se pelo vale, nos territórios das localidades de Trinta, Vila Soeiro, terminando já na montanha, em Videmonte.

O percurso inclui cinco quilómetros de caminhos já existentes e integra uma zona de sete quilómetros de travessias, passadiços e três pontes suspensas, com vista para veredas, açudes, cascatas, levadas e moinhos.

“O itinerário compreende Geossítios como o Miradouro do Mocho Real, escombreiras e cascalheiras, do Alto Mondego e ainda os vestígios de património industrial de antigas fábricas e engenhos de lanifícios ou de produção de eletricidade”, indica a Câmara Municipal da Guarda.

De acordo com a autarquia, “esta é uma obra de valorização do património natural da Guarda que pretende mostrar a importância deste rio para a região e para o país, destacando o valor cultural e paisagístico das aldeias de montanha que atravessa”.

Inaugurados este domingo, 30 de outubro, os Passadiços do Mondego estão integrados no Parque Natural da Serra da Estrela e no Estrela Geopark Mundial da UNESCO e resultam de um investimento de quatro milhões de euros, apoiados a 85% por fundos comunitários, no âmbito do Centro 2020, FEDER.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

“The Majestic Adventures of Ofélia de Souza” vence Festival de Cinema de Turismo ART&TUR

Entre os 281 filmes promocionais e documentários, de 32 países, o filme da região de Turismo do Porto e Norte de Portugal venceu o prémio mais importante.

O filme “The Majestic Adventures of Ofélia de Souza”, apresentado pela região de Turismo Porto e Norte de Portugal foi o grande vencedor do festival ART&TUR, que se realizou entre 25 e 28 de outubro, em Ourém.

Esta produção promocional ganhou o Grande Prémio, referente ao melhor filme, nas duas competições que integram o evento, a competição nacional e a internacional.

O Festival ART&TUR é um evento de grande importância no panorama internacional dos festivais de cinema de turismo, atraindo todos os anos os melhores filmes promocionais e documentários sobre turismo, nacionais e internacionais que se produzem no mundo. As últimas cinco edições do festival realizaram-se no Centro de Portugal, nomeadamente em Leiria, Torres Vedras, Viseu, Aveiro e, agora, Ourém. O ART&TUR integra a rede mundial do CIFFT – Comité Internacional dos Festivais de Filmes de Turismo, que elege anualmente o melhor filme de turismo a nível mundial, entre todos os filmes que percorrem o circuito internacional de 14 festivais. Alexander Kammel e Hugo Marcos, respetivamente diretor e secretário-geral do CIFFT, estiveram presentes na gala.

Durante os quatro dias do Festival, foram exibidos os filmes que integraram a shortlist da competição, selecionados entre os 281 filmes promocionais e documentários, de 32 países, que se inscreveram e que foram avaliados pelo júri internacional. No total, foram exibidos 87 filmes.

Destaque, também, para os dois filmes da Turismo Centro de Portugal premiados, em diferentes categorias. Foi o caso do filme “Aqui Entre Nós”, produzido pela “Ideias Com Pernas”, que conquistou o 2.º lugar na categoria “Destinos Turísticos: Regiões” (tanto na competição nacional como na internacional); e o filme “A romance-trip through the Gastronomy and Wines of Centro de Portugal, by Chef Diogo Rocha”, produzido pela “INC FILMS”, segundo classificado na categoria “Gastronomia”.

Francisco Dias, diretor do Festival, salienta que “o 15.º Festival ART&TUR, em Ourém, conseguiu atrair visitantes de países tão remotos como Japão, Filipinas, Taiwan, Indonésia, Nova Zelândia, Maurícia, Irão, Paquistão e África do Sul. A abrangência internacional do ART&TUR é um reconhecimento inequívoco da sua importância a nível global. A comprová-lo estão também as cerca de 200 notícias que já foram publicadas sobre o Festival, a maioria delas em países tão diversos como Croácia, Japão, Chile ou Taiwan”.

Já Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal, sublinha que “o ART&TUR é um instrumento poderoso, não só na estruturação da promoção dos destinos, mas também um ativo muito forte no cross selling com outros produtos e outros destinos. Acredito que deste Festival sai um contributo muito válido para o caminho de afirmação e consolidação nacional e internacional dos filmes de turismo”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

National Geographic elege 25 destinos para 2023 e um deles é português

As nove ilhas dos Açores aparecem em destaque na categoria “Natureza”.

A National Geographic elegeu os melhores 25 destinos e experiências para o próximo ano de 2023 e um deles fica em Portugal.

Os Açores aparecem em destaque na categoria “Natureza”, revelando a National Geographic tratar-se de uma “terra nascida do fogo, mas agora envolta em verde”, salientando que “os Açores trabalham para garantir o seu futuro”.

“Os Açores são nove ilhas com hábitos e sotaques diferentes que mudam de ilha para ilha”, refere a exploradora da National Geographic Miriam Cuesta Garcia, bióloga marinha que estuda o comportamento noturno das aves marinhas na ilha do Pico. “Mas os Açores têm uma visão unificada para a sustentabilidade”, frisando a bióloga marinha que os Açores “sabem que precisam [proteger] o seu ambiente único, para permanecer o mesmo quando ocorrem mudanças.”

A National Geographic destaca ainda que quatro das nove ilhas são reservas da biosfera da UNESCO – e reconhecidas pelo World Wildlife Fund como um oásis para 28 espécies de baleias e golfinhos –, afirmando que “os Açores levam o turismo sustentável a sério”.

“Tornou-se o primeiro arquipélago do mundo a ser certificado pelo EarthCheck, um conselho consultivo internacional com sede na Austrália e líder de turismo verde que conferiu o prémio em 2019”.

Os restantes destinos e categorias destacadas pela National Geographic foram:

CULTURA
Via Ápia, Itália
Busan, Coreia do Sul
Grutas de Longmen, Província de Henan, China
Egito
Charleston, Carolina do Sul

NATUREZA
Terras Altas Escocesas
Botsuana
Eslovénia
Parque Nacional Big Bend, Texas
Açores

AVENTURA
Nova Zelândia
Choquequirao, Peru
Utah
Alpes austríacos
Parque Nacional Revillagigedo, México

COMUNIDADE
Ilhas do Dodecaneso, Grécia
Milwaukee, Wisconsin
Alberta, Canadá
Laos
Gana

FAMÍLIA
Trindade e Tobago
Crosstown Trail de São Francisco, Califórnia
Colômbia
Manchester, Reino Unido
Suíça

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Avião Fotos de banco de imagens por Vecteezy

Destinos

Viagens continuam a ser prioridade para os europeus apesar do aumento dos preços

O mais recente estudo da European Travel Commission (ETC) apurou que 70% dos europeus pretendem viajar nos próximos seis meses, apesar do aumento dos preços.

Inês de Matos

As viagens continuam a ser uma prioridade para os turistas europeus, apurou o mais recente estudo da European Travel Commission (ETC), que indica que 70% dos europeus pretendem realizar, pelo menos, uma viagem nos próximos seis meses.

Segundo o estudo, a intenção de viajar nos próximos seis meses tem vindo a aumentar e está agora 4% acima dos resultados do ano passado, o que, segundo a ETC, revela um “apetite crescente por viagens”.

Alta é também a percentagem de turistas europeus que pretendem realizar, pelo menos, duas viagens nos próximos meses, indicador que chega aos 52%, o que, considera a ETC, mostra que existe uma “procura reprimida por férias”.

Do total de entrevistados neste estudo, 62% dizem que planeiam viajar na Europa durante o outono e inverno, naquela que é a percentagem mais elevada desde o outono de 2020.

Por outro lado, também o receio relativamente à guerra na Ucrânia parece estar, cada vez menos, a interferir com os planos de viagem dos europeus, uma vez que, desde o último estudo, se registou uma descida de 6% entre os europeus que admitem que o conflito armado levou a uma mudança dos planos de viagens.

De acordo com o estudo da ETC, 52% dos europeus dizem mesmo que o conflito armado na Ucrânia não terá efeito direto nos seus planos de viagem nos próximos meses.

Tal como a guerra, também a COVID-19 parece interferir cada vez menos nos planos de viagem dos turistas europeus, já que apenas 5% dos entrevistados afirmaram que as preocupações relacionadas com a pandemia os impediram de realizar uma viagem que estava planeada.

O que parece estar a aumentar é a preocupação face ao aumento dos preços, com 23% dos entrevistados a manifestarem preocupação face à previsível subida dos preços das viagens, e enquanto 17% mostram-se mais preocupados com o impacto da inflação nas suas finanças.

O estudo apurou também que, ao contrário dos preços, os orçamentos para viajar não apresentam grande variação, uma vez que 32% dos entrevistados dizem que vão gastar entre 501 e 1000 euros por pessoa nas próximas férias, incluindo custos de alojamento e transporte, o que quer dizer que muitos europeus estarão a ponderar reduzir o período de férias, de forma a suportar os aumentos de preços.

Neste sentido, o estudo mostra que a percentagem de turistas europeus que contam passar até três dias de férias subiu para 23%, quando em setembro de 2021 esta percentagem estava nos 18%, enquanto as viagens com sete ou mais noites entram nos planos de 37% dos entrevistados, o que  traduz uma quebra de 9%.

O estudo diz ainda que a vontade de viajar parece ser menor entre os turistas mais novos, a exemplo da geração Z, cujas idades variam entre os 18 e os 24 anos, uma vez que apenas 58% dos turistas europeus desta geração contam viajar nos próximos meses, quando nas restantes faixas etárias esta percentagem ultrapassa os 70%.

“Isto revela uma perspectiva mais hesitante para os viajantes mais jovens, o que também pode ser atribuído às preocupações com as finanças pessoais e aumento dos custos de viagem”, refere o estudo da ETC.

Já os europeus com mais de 45 anos de idade são os que maior probabilidade para viajar revelam, com o estudo a apurar que mais de 73% destes turistas pretendem realizar viagens de city break e explorar a cultura e história dos destinos.

Por destinos, França assume-se como o destino mais popular para os europeus, com 11% dos entrevistados a indicar que contam viajar para este país nos próximos seis meses, seguindo-se Espanha e Itália, países que entram nas opções de 9% dos turistas europeus inquiridos.

“Os esforços incansáveis ​​do setor de viagens europeu para se fortalecer estão começando a dar frutos”, considera Luís Araújo, presidente da ETC e do Turismo de Portugal.

De acordo com o responsável, a ETC está “animada” com estes resultados, apesar de considerar que a crise dos preços e do custo de vida é “outro desafio inegável para o turismo na Europa”.

“É da maior importância para a Europa garantir uma indústria mais resiliente, apoiando a transição digital e ambiental, e colocando as pessoas no centro do desenvolvimento”, acrescenta o responsável.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Destinos

Porto Duck Tours lança passeios no Douro em veículos anfíbios

Os passeios que são realizados em terra e na água, a bordo de veículos anfíbios, originais da segunda guerra mundial, conhecidos como DUKW.

Publituris

A Porto Duck Tours vai passar a disponibilizar uma nova forma de conhecer o Porto e Gaia a partir do rio Douro, passeios que são realizados em terra e na água, a bordo de veículos anfíbios, originais da segunda guerra mundial, conhecidos como DUKW.

“Diferentemente de outros anfíbios modernos, os nossos “patos” têm características únicas e transportam-nos aos meados do século passado com o seu design da época”, indica a Porto Duck Tours, num comunicado enviado à imprensa esta quinta-feira, 27 de outubro.

Os novos passeios, cujos bilhetes vão estar em breve à venda, não implicam mudança de veículo, já que os DUKW podem circular em terra e na água, o que, segundo a empresa, permite disponibilizar “o passeio mais elegante da cidade”.

Para mais informações sobre estas nova atividade no Porto, está disponível o e-mail [email protected], assim como o número de telefone 913 029 944.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Arquivo: WTM London 2017

Destinos

WTM London confirma realização apesar da greve nos transportes na capital britânica

O WTM London está a aconselhar os participantes a utilizarem “rotas alternativas” para chegarem ao ExCel London, já que está marcada uma greve que deverá afetar os comboios de Londres no primeiro e último dia do certame.

Publituris

A organização do World Travel Market London (WTM) veio esta quinta-feira, 27 de outubro, confirmar a realização da feira, apesar da greve que deverá afetar os comboios na capital britânica, no primeiro e último dia do certame.

“É decepcionante que tenham sido convocadas greves no primeiro e no último dia do World Travel Market London, mas a nossa mensagem é: negócios como de costume”, considera Juliette Losardo, diretora do WTM London.

Devido à greve, que deverá provocar perturbações nos comboios e possivelmente também em algumas linhas de metro de Londres, o WTM London está a aconselhar expositores e visitantes a confirmarem a disponibilidade dos transportes antes de se deslocarem para a feira, através do site www.tfl.gov.uk ou a aplicação “TfL Go”.

A organização da feira sugere também a utilização de viatura própria nas deslocações para o certame, uma vez que o ExCel London disponibiliza 1.500 lugares de estacionamento, além de contar com vários outros parques de estacionamento nas proximidades.

“Não é tarde demais para participar do principal evento da indústria de viagens”, acrescenta Juliette Losardo, indicando que “existem rotas alternativas” e que a feira está a aconselhar os participantes a “planearem a sua deslocação com antecedência”.

Recorde-se que o WTM London vai decorrer entre 7 e 9 de novembro, no ExCel London, na capital britânica, sendo considerada uma das principais feiras de turismo da Europa.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Nova Edição: Publituris Portugal Travel Awards 2022 e Mundial do Qatar

A mais recente edição do Publituris faz capa com os Publituris Portugal Travel Awards 2022, que foram entregues a 18 de outubro, numa cerimónia que teve lugar na Quinta da Pimenteira, em Lisboa, e que voltou a juntar o trade turístico nacional, depois de dois anos de interregno.

Publituris

A mais recente edição do Publituris, a última de outubro, faz capa com os Publituris Portugal Travel Awards 2022, que foram entregues a 18 de outubro, numa cerimónia que teve lugar na Quinta da Pimenteira, em Lisboa.

Conheça os vencedores da última edição dos prémios, assim como a personalidade que recebeu o Prémio Belmiro Santos, entregue diretamente pela redação do Publituris, e veja ainda a fotorreportagem sobre a festa, que voltou a juntar o trade turístico nacional, depois de dois anos de interregno.

Nesta edição, não perca também um artigo sobre o Mundial de Futebol de 2022, que vai decorrer no Qatar, entre 20 de novembro e 18 de dezembro. A competição, para a qual a seleção nacional de futebol se apurou, conta já com uma vasta oferta no mercado para levar os adeptos portugueses até este país do Médio Oriente, que promete surpreender os turistas nacionais.

Destaque também para um trabalho especial dedicado ao World Travel Market London (WTM), uma das principais feiras de turismo europeias, que vai decorrer na capital britânica, entre 7 e 9 de novembro. Não perca as sete entrevistas aos sete responsáveis pelas regiões de turismo de Portugal, que regressam à feira britânica para dar a conhecer a melhor oferta turística dos seus territórios.

Na secção Distribuição, leia ainda sobre a AREA Travel, agência de viagens que abriu em fevereiro deste ano e que faz do atendimento personalizado uma bandeira, enquanto em Transportes o destaque vai para a abertura da nova rota da easyJet entre Lisboa e Marraquexe, que arranca na segunda-feira, 31 de outubro, e em relação à qual a companhia aérea indica expetativas em alta.

Além do Check-in, as opiniões desta edição são de Sílvia Dias (diretora de Marketing da Savoy Signature), Jorge Sobrado (coordenador da Pós-Graduação em Comunicação Autárquica do ISAG), Paulo F. Cardoso (especialista em Segurança de Informação CISA), António Paquete (economista) e Pedro Castro (diretor da SkyExpert Consulting e docente no ISCE).

Boas leituras!

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do Publituris. Pode comprar apenas esta edição ou efetuar uma assinatura do Publituris aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Carmo David | [email protected] | 215 825 43

Nota: Se já é subscritor do Publituris entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção Premium – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler, abra o epaper com os dados de acesso indicados no final do resumo de cada edição.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Edição Digital: Publituris Portugal Travel Awards 2022 e Mundial do Qatar

A mais recente edição do Publituris faz capa com os Publituris Portugal Travel Awards 2022, que foram entregues a 18 de outubro, numa cerimónia que teve lugar na Quinta da Pimenteira, em Lisboa, e que voltou a juntar o trade turístico nacional, depois de dois anos de interregno.

Publituris

A mais recente edição do Publituris, a última de outubro, faz capa com os Publituris Portugal Travel Awards 2022, que foram entregues a 18 de outubro, numa cerimónia que teve lugar na Quinta da Pimenteira, em Lisboa.

Conheça os vencedores da última edição dos prémios, assim como a personalidade que recebeu o Prémio Belmiro Santos, entregue diretamente pela redação do Publituris, e veja ainda a fotorreportagem sobre a festa, que voltou a juntar o trade turístico nacional, depois de dois anos de interregno.

Nesta edição, não perca também um artigo sobre o Mundial de Futebol de 2022, que vai decorrer no Qatar, entre 20 de novembro e 18 de dezembro. A competição, para a qual a seleção nacional de futebol se apurou, conta já com uma vasta oferta no mercado para levar os adeptos portugueses até este país do Médio Oriente, que promete surpreender os turistas nacionais.

Destaque também para um trabalho especial dedicado ao World Travel Market London (WTM), uma das principais feiras de turismo europeias, que vai decorrer na capital britânica, entre 7 e 9 de novembro. Não perca as sete entrevistas aos sete responsáveis pelas regiões de turismo de Portugal, que regressam à feira britânica para dar a conhecer a melhor oferta turística dos seus territórios.

Na secção Distribuição, leia ainda sobre a AREA Travel, agência de viagens que abriu em fevereiro deste ano e que faz do atendimento personalizado uma bandeira, enquanto em Transportes o destaque vai para a abertura da nova rota da easyJet entre Lisboa e Marraquexe, que arranca na segunda-feira, 31 de outubro, e em relação à qual a companhia aérea indica expetativas em alta.

Além do Check-in, as opiniões desta edição são de Sílvia Dias (diretora de Marketing da Savoy Signature), Jorge Sobrado (coordenador da Pós-Graduação em Comunicação Autárquica do ISAG), Paulo F. Cardoso (especialista em Segurança de Informação CISA), António Paquete (economista) e Pedro Castro (diretor da SkyExpert Consulting e docente no ISCE).

Leia a edição aqui.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Viagens de residentes ao estrangeiro aumentam 592,8% mas continuam 6,5% abaixo de 2019

Segundo o INE, entre abril e junho, os residentes em Portugal realizaram 5,5 milhões de viagens, aumento de 52,2% face a igual período do ano passado e descida de 1,7% face a igual período de 2019, com destaque para as viagens ao estrangeiro, que subiram 592,8%, apesar de manterem uma descida face a igual período de 2019.

Inês de Matos

No segundo trimestre de 2022, os residentes em Portugal realizaram 5,5 milhões de viagens, o que corresponde a um aumento de 52,2% face a igual período do ano passado, mas a uma descida de 1,7% face a igual período de 2019, com destaque para as viagens ao estrangeiro, que subiram 592,8%, apesar de ainda continuarem abaixo do mesmo período de 2019.

De acordo com as estatística da procura turística dos residentes, divulgadas esta quinta-feira, 27 de outubro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), entre abril e junho, os residentes em Portugal realizaram ainda 4,7 milhões de viagens em território nacional, o que traduz um aumento de 34,9% face ao mesmo trimestre do ano passado e um descida de 0,9% face ao segundo trimestre de 2019.

Já as viagens com destino ao estrangeiro, que totalizaram 774,2 mil viagens entre abril e junho, cresceram 592,8% em comparação com o segundo trimestre de 2021, mas continuam 6,5% abaixo dos níveis de 2019.

O INE diz ainda que o “número de viagens aumentou em todos os meses do trimestre”, concretamente 102,8% em abril, 35,9% em maio e 31,1% em junho, ainda que, em comparação com o mesmo período de 2019, apenas se tenha registado um crescimento de 0,5% em maio, uma vez que, em abril e junho, se observaram reduções de 2,9% e 2,3%, respetivamente. O INE lembra, no entanto, que em abril de 2021, o país estava em estado de emergência e com “diversas restrições à mobilidade”, devido à pandemia da COVID-19.

Por motivação, as “lazer, recreio ou férias” foram as mais realizadas e representaram 47,6% do total, com o INE a indicar que originaram  2,6 milhões de viagens, o que traduz um aumento de 49,9% face ao segundo trimestre de 2021, mas uma descida de 3,7% em comparação com o mesmo período de 2019.

Já as “visitas a familiares ou amigos” corresponderam a 2,1 milhões de viagens e representaram 38,0% do total, o que evidencia um aumento de 44,4% face ao segundo trimestre de 2021, mas uma descida de 1,0% em comparação com período homólogo de 2019.

Por outro lado, as viagens “profissionais ou de negócios”, que justificaram 495,8 mil deslocações, aumentaram 118,0%, ainda que continuem a apresentar uma descida de 4,9% face ao segundo trimestre de 2019. As viagens “profissionais ou de negócios” foram, no entanto, as únicas que assistiram a um aumento da representatividade, uma vez que motivaram 9,0% do total de viagens, o que traduz um aumento de 2,7 pontos percentuais face ao mesmo trimestre de 2021. Já no segundo trimestre de 2019, estas viagens representam 9,3% do total.

A principal ferramenta utilizada para marcar as viagens foi a internet, com o INE a indicar que 26,9% das deslocações foram marcadas online, o que traduz um aumento de 12,7 pontos percentuais, tendo este meio sido opção em 71,9% das viagens para o estrangeiro e em 19,5% das viagens em território nacional, o que traduz aumentos de 18,4 e 6,6 pontos percentuais, respetivamente.

Já os “hotéis e similares” concentraram 31,7% das dormidas resultantes das viagens turísticas, o que corresponde a 6,0 milhões de dormidas, num aumento de 181,1% face a igual período de 2021 e a uma descida de 1,5% face ao segundo trimestre de 2019.

O alojamento em “hotéis e similares” também assistiu a um aumento da representatividade, que cresceu 15,2 pontos percentuais face a igual período do ano passado e a um aumento de 0,2 pontos percentuais em comparação com o mesmo período de 2019.

Já o “alojamento particular gratuito” manteve-se, segundo o INE, como a principal
opção de alojamento, representando 62,1% do total e 11,7 milhões de dormidas, o que traduz uma subida de 18,0% face ao mesmo período de 2021 e a um aumento de 5,6% em comparação com igual trimestre de 2019, ainda que se tenha registado uma diminuição do seu peso no total, que desceu 14,8 pontos percentuais em comparação com o mesmo trimestre de 2021, ainda que se tenha verificado um subida de 57,5% face ao mesmo período de 2019.

No segundo trimestre do ano, foi ainda registada uma redução da duração média de cada viagem, que passou para 3,42 noites, quando em igual período do ano passado era de 3,57 noites e de 3,44 noites no mesmo trimestre de 2019.

“A duração média mais baixa foi registada no mês de maio (2, 81 noites) enquanto a mais elevada foi registada em junho (4,07 noites)”, acrescenta o INE, no comunicado divulgado.

A concluir, o INE indica também que, neste trimestre, se registou um aumento da proporção de turistas residentes, uma vez que, entre abril e junho, 24,4% dos residentes realizaram pelo menos uma deslocação turística, o que traduz um acréscimo de 8,2 pontos percentuais face ao mesmo período do ano anterior, mas abaixo da proporção observada no segundo trimestre de 2019, que foi de 28,7%.

Já a percentagem de residentes que viajou registou acréscimos em todos os meses face aos mesmos meses de 2021, subindo 7,7 pontos percentuais, 3,3 pontos percentuais e 3,5 pontos percentuais, entre abril e junho.

“Em comparação com os mesmos meses de 2019, as variações observadas foram de -5,2 p.p., -1,4 p.p. e -0,3 p.p., respetivamente”, conclui o INE.

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Destinos

Porto de Lisboa promove conferência sobre sustentabilidade para assinalar 135.º aniversário

Para assinalar o 135.º aniversário, o Porto de Lisboa promove esta sexta-feira, 28 de outubro, uma conferência sobre o tema “Na Rota da Sustentabilidade”, a decorrer, a partir das 09h45, na Gare Marítima de Alcântara.

Publituris

O Porto de Lisboa promove esta sexta-feira, 28 de outubro, uma conferência sobre sustentabilidade para assinalar o 135.º aniversário da infraestruturas, que vai ter lugar na Gare Marítima de Alcântara, a partir das 09h45.

A iniciativa, que está inserida nos “Encontros do Porto de Lisboa”, vai ser dedicada ao tema “Na Rota da Sustentabilidade” e conta com a participação de vários responsáveis da Administração do Porto de Lisboa (APL), assim como de especialistas em sustentabilidade e ambiente.

A conferência arranca, pelas 09h45, com a receção aos participantes, à qual se segue, às 10h00, uma intervenção de boas-vindas de Carlos Correia, presidente da APL.

O debate em torno da sustentabilidade começa às 10h15, com uma intervenção de Paula Sengo, chefe do Gabinete de Estudos e Planeamento (APL), que vai falar sobre a “Sustentabilidade no Porto de Lisboa”.

Pelas 10h45, o tema em debate é a “Redução da pegada de CO2 nos terminais”, que vai ser abordado por Bruno Vale, General Manager da YILPORT- Liscont, ao qual se segue, pelas 11h20, o tema “Caminho para emissões zero, o papel dos portos”, com Ivo Melin, Client Manager Ports da Quadrante.

Pelas 11h20, vai ainda estar em destaque o tema “Tendências no relato do desempenho em sustentabilidade”, que será apresentado por Anabela Vaz Ribeiro, Executive Diretor da Global Compact.

A conferência termina pelas 12h00, com um período dedicado a perguntas e respostas.

Recorde-se que o Porto de Lisboa está assinalar o seu aniversário, efeméride que se assinala na próxima segunda-feira, 31 de outubro, e que marca os 135 anos desde o início das obras de construção da infraestrutura. As celebrações decorrem até terça-feira, 1 de novembro.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.