Assine já
Aviação

Monarch prevê mais 60 mil passageiros em Lisboa no Verão

Companhia britânica cresce mais de 30% no Verão de 2017 e tem já previsto o transporte de 755.000 passageiros.

Publituris
Aviação

Monarch prevê mais 60 mil passageiros em Lisboa no Verão

Companhia britânica cresce mais de 30% no Verão de 2017 e tem já previsto o transporte de 755.000 passageiros.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Vinci Airports: Aeroportos nacionais somaram quase 60 milhões de passageiros em 2019
Homepage
Aeroporto de Lisboa
easyJet espera crescer 9% em Portugal em 2019
Homepage
TAP conta crescer entre 10% a 15% em 2019
Homepage
Azores Airlines anuncia reforço das ligações Lisboa-Horta no Verão
Homepage

A Monarch prevê transportar 755.000 passageiros no Verão, número que representa uma subida de 30% face a igual período do ano passado, com a companhia a destacar o Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, como aquele que deverá apresentar uma maior subida no número de passageiros, com mais 60 mil do que no Verão de 2016.

“Monarch, a companhia de aviação britânica que integra um grupo independente cresce mais de 30% no Verão de 2017 e tem já previsto o transporte de 755.000 passageiros, um crescimento de 200.000 passageiros face ao ano anterior.  O aeroporto Humberto Delgado (Lisboa) é o que mais cresce com mais 60.000 passageiros face ao ano anterior”, refere a companhia em nota à imprensa.

A Monarch destaca também os voos abertos em Abril para o Porto, numa operação que começou por ser sazonal mas que, entretanto, foi estendida a todo o ano e que deverá igualmente contribuir para que um balanço positivo do Verão de 2017.

À partida de Lisboa, a Monarch voa para Gatwick às segundas, terças, quintas, sextas, sábados e domingos, para Birmingham às segundas, quintas, sextas e domingos, bem como para Manchester às segundas, quintas, sextas e domingos, com tarifas a partir de 28 euros.

Já desde o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, a Monarch conta com voos para Luton às terças, sábados e domingos, para Birmingham às terças, sextas e domingos, e ainda para Manchester às quintas, sextas e domingos, com tarifas a partir de 22 euros.

Além de Lisboa e Porto, a Monarch voa também de Faro directamente para Leeds Bradford às terças, quartas, quintas, sábados e domingos, para Gatwick, Luton, Birmingham e Manchester com voos diários, neste caso com tarifas a partir de 21 euros.

Na Madeira, a Monarch conta com voos para Gatwick às segundas, quartas, sextas e domingos, bem como para Birmingham às segundas e sextas, e ainda para Manchester às quartas e sábados, com preços a partir de 36 euros.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Pilotos aprovam acordo com a TAP

A proposta da TAP foi aprovada por 92,8% dos 639 pilotos presentes ou representados na Assembleia-Geral do SPAC – Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil, que decorreu esta quinta-feira, 15 de setembro, em Lisboa.

Publituris

O SPAC-Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil aprovou esta quinta-feira, 15 de setembro, em Assembleia-Geral em Lisboa, a proposta da TAP para compensar os pilotos pelas perdas remuneratórias e que já tinha sido anunciada no final da semana passada.

“Nos termos da proposta aprovada pelos Pilotos, a TAP irá entregar a cada um dos Pilotos Associados do SPAC, até ao dia 29 de setembro de 2022, um valor individual, apurado em função do seu perfil de Piloto TAP, que será pago a título de compensação extraordinária”, explica o sindicato, indicando que a proposta foi aprovada por 92,8% dos 639 pilotos presentes ou representados na reunião.

O SPAC explica ainda que a proposta agora aprovada nasceu das negociações entre a Direção do SPAC, a Administração da TAP e o Ministro da tutela, Pedro Nuno Santos, realizadas no âmbito do Acórdão Interpretativo do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) do início de julho de 2022, que foi favorável aos pilotos, relativamente ao computo da retribuição de Férias e do Subsídio de Férias pela TAP, há mais de uma década.

“Com esta aprovação, a TAP e o SPAC acordam ainda em retomar as negociações para o novo AE até 30 de setembro de 2022 e, a partir do dia 1 de janeiro de 2023, será eliminado o corte adicional de salário dos Pilotos TAP (atualmente de 10%), previsto no Acordo Temporário de Emergência, mantendo-se o corte de transversal em vigor para todos os Trabalhadores TAP (de 25%)”, acrescenta o sindicato no comunicado divulgado.

O SPA congratula-se com a “forte participação” registada nesta reunião, que vem provar o “compromisso e preocupação” dos pilotos para com a TAP e reforça que o acordo agora aprovado “demonstra igualmente a disponibilidade e o interesse dos pilotos para encontrar soluções de futuro para a TAP, sempre que enquadradas com a realidade e as especificidades do setor, beneficiando ambas as partes”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAAG: “Despedimentos não fazem parte da nossa agenda”, garante ministro angolano dos Transportes

O ministro angolano do Transportes, Ricardo de Abreu, garantiu esta quinta-feira, 15 de setembro, que a TAAG – Linhas Aéreas Angolanas não vai despedir funcionários, apesar do processo de reestruturação em curso na companhia aérea.

Publituris

O ministro angolano do Transportes, Ricardo de Abreu, garantiu esta quinta-feira, 15 de setembro, que a TAAG – Linhas Aéreas Angolanas não vai despedir funcionários, apesar do processo de reestruturação em curso na companhia aérea.

“É obvio que temos um processo de restruturação em curso, mas, obviamente, que não estamos a contar com despedimentos que não fazem parte da nossa agenda, e é muito importante explicar à população que, mesmo ao longo da pandemia, com os aviões no chão, não houve um único despedimento”, garantiu Ricardo de Abreu, citado pela Lusa.

O ministro angolano dos Transportes foi questionado sobre os possíveis despedimentos na TAAG depois de, a 21 de agosto, os funcionários da TAAG terem realizado uma manifestação que pretendia alertar para alegados atropelos da nova administração da empresa angolana e impedir um processo de despedimento coletivo que, alegavam os trabalhadores da companhia aérea, poderia começar assim que o novo Presidente de Angola tomasse posse.

À questão concreta dos possíveis despedimentos, Ricardo Abreu respondeu que é “normal” que exista esse receio por parte dos trabalhadores da companhia aérea, explicando, no entanto, que o executivo angolano olha para essa questão como sendo um dos “grandes desafios de transformação e reestruturação” da economia e empresas do país.

O governante defendeu ainda que a companhia aérea de bandeira angolana tem de procurar sustentabilidade profissional, técnica e de gestão de custos.

“A TAAG é uma companhia aérea que tem que se garantir sustentável, num negócio altamente exigente, do ponto de vista profissional, técnico e de gestão de custos, para que seja sustentável. Nós não estamos num caminho em que podemos exigir que o Estado permaneça fiel ao subsídio das ineficiências das várias empresas públicas, porque os Estados não têm recursos para sustentar as ineficiências que existem em várias empresas públicas. Todas as empresas vão ter que passar por transformação semelhante”, explicou.

Recorde-se que, na semana passada, a TAAG e o Sindicato Provincial do Pessoal Navegante de Cabine (SINPROPNC) reuniram-se para discutir a atual situação da companhia de bandeira angolana, dias depois de o ministro dos Transportes ter exigido a abertura de conversações.

Mais tarde, a companhia emitiu um comunicado a explicar que o encontro durou cerca de três horas e serviu para “auscultação mútua e exposição de informação relevante sobre a situação atual da TAAG, bem como as preocupações da classe do Pessoal Navegante de Cabine”.

“Foi o que sempre quisemos, que a empresa estivesse aberta a ouvir as legítimas preocupações dos trabalhadores através do órgão que os representa e que acima de tudo, esteja aberta ao diálogo e a negociação”, disse na altura à Lusa o secretário adjunto do SINPROPCN, Délio Gomes.

O comunicado da TAAG adianta que foi estabelecido o compromisso de manter as sessões “para a boa resolução de questões laborais e preocupações relacionadas com o desenvolvimento da companhia”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

INE: Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais ainda ficou 1,5% abaixo de julho de 2019

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), em julho, os aeroportos nacionais movimentaram 6,2 milhões de passageiros, valor que ainda corresponde a um decréscimo de 1,5% face a mês homólogo de 2019.

Publituris

Em julho, os aeroportos nacionais movimentaram 6,2 milhões de passageiros, número que traduz um aumento de 122,5% face a igual mês do ano passado mas que, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), ainda corresponde a um decréscimo de 1,5% face a mês homólogo de 2019.

De acordo com os dados divulgados esta quinta-feira, 15 de setembro, pelo INE, em julho, “registou-se o desembarque médio diário de 104,3 mil passageiros nos aeroportos nacionais”, valor que já se aproximou do observado em julho de 2019, quando tinha sido registado o desembarque de 105,5 mil passageiros por dia.

Em julho, 81,1% dos passageiros que chegaram aos aeroportos nacionais corresponderam a tráfego internacional, dos quais 68,6% foi proveniente da Europa, enquanto nos passageiros embarcados 79,5% correspondia a tráfego internacional, sendo que 65,7% do total tinha como destino o continente europeu.

“O início do ano 2022 revelou uma tendência de aproximação aos níveis registados no período pré-pandémico. Em julho de 2022, registou-se o desembarque médio diário de 104,3 mil passageiros nos aeroportos nacionais (95,9 mil no mês anterior), aproximando-se do valor observado em julho de 2019 (105,5 mil)”, refere o INE, no comunicado divulgado esta quinta-feira, 15 de setembro.

No que diz respeito a aeronaves, o INE indica que, em julho, aterraram nos aeroportos nacionais 22,8 mil aeronaves em voos comerciais, número que também traduz uma decréscimo de 2,1% face ao mesmo mês de 2019.

Já no acumulado do ano até julho, o número de passageiros movimentados nos aeroportos nacionais aumentou 269,1% em comparação com o mesmo período de 2021, ainda que, na comparação com o mesmo período de 2019, se continue a identificar uma descida de 10,7%.

Por aeroportos, foi a infraestrutura lisboeta que concentrou a maior parte do tráfego de julho, tendo movimentado 49,3% do total de passageiros, o que correspondeu a 15,1 milhões de passageiros e traduz um crescimento de 300,0% comparando com igual período de 2021. No entanto, face a julho de 2019, o aeroporto de Lisboa apresentou ainda uma descida de 15,0% face ao mesmo período de 2019.

Apesar de Lisboa ter concentrado a maior parte do tráfego, foi em Faro que se registou a maior subida, num aumento que chegou aos 397,7% face ao mesmo mês de 2021, enquanto o Porto registou a maior aproximação aos níveis de 2019, registando, no entanto, uma descida de 8,3% face a julho do último ano antes da pandemia da COVID-19.

Por mercados, o Reino Unido foi o principal país de origem e de destino dos voos entre janeiro e julho, apresentando um crescimento de 589,2% no número de passageiros desembarcados e de 675,4% no número de passageiros embarcados face ao mesmo período de 2021.

Já a França ocupou a segunda posição, com aumentos de 192,3% nos passageiros
desembarcados e 221,9% nos passageiros embarcados, face ao mesmo período de 2021, enquanto a Espanha ficou na terceira posição do ranking.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Azul já recebeu primeiro avião A350

Novo avião da Azul é o primeiro dos dois que são esperados até ao final do ano e que vão substituir os A330CEO que a companhia aérea brasileira ainda está a operar.

Publituris

A Azul recebeu recebeu esta quarta-feira, 14 de setembro, o seu primeiro avião A350, aparelho que tem capacidade para transportar 334 passageiros e que, segundo comunicado da companhia aérea brasileira, é o primeiro dos dois que são esperados até ao final do ano e que vão substituir os A330CEO.

“Estamos muito felizes em apresentar esta novidade aos nossos Clientes, Tripulantes e parceiros. O Airbus A350 é uma das aeronaves mais modernas existentes, o que vai trazer muito mais conforto para nossos clientes e mais eficiência em termos de consumo de combustível e emissão de CO2, trazendo redução no custo por assento quando comparado às aeronaves A330CEO, que hoje fazem os voos de longo curso da Azul”, afirma John Rodgerson, presidente da Azul.

O A350 é um aparelho de última geração e que é também mais amigo do ambiente, já que tem menos 20% de consumo de combustível por assento, o que resulta em emissões de CO2 por assento muito inferiores em comparação com o A330CEO.

O aparelho é também mais confortável que os de anterior geração, uma vez que disponibiliza uma cabine mais silenciosa, mais ampla, além de janelas panorâmicas mais largas e maior espaço nos compartimentos de bagagem.

Nas próximas semanas, a aeronave deve concluir o processo de certificação junto dos órgãos reguladores brasileiros e, até o final do ano, a Azul espera a entrega de mais um destes aparelhos para substituir as duas aeronaves de antiga geração A330CEO que a Azul ainda opera.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

UAL and Emirates announcement at Dulles International Airport in Dulles, VA
September 14, 2022. Credit: Chris Kleponis

Transportes

Emirates e United Airlines estabelecem parceria para voos nos EUA e Dubai

Acordo de parceria entra em vigor em novembro e, segundo comunicado das companhias aéreas, vai melhorar a rede de ambas e oferecer um maior número de ligações aos passageiros que voam entre os EUA e o Dubai.

Publituris

A Emirates e a United Airlines estabeleceram um acordo de parceria que entra em vigor em novembro e que, segundo comunicado das companhias aéreas, vai melhorar a rede de ambas e oferecer um maior número de ligações aos passageiros que voam entre os EUA e o Dubai.

De acordo com a informação divulgada, a partir de novembro, os passageiros da Emirates que voam para Chicago, São Francisco e Houston, nos EUA, passam a ter à sua disposição mais de 200 voos da United em território norte-americano, com um único bilhete.

Além de Chicago, São Francisco e Houston, passa ainda a existir um acordo de  interligação nos outros nove aeroportos dos EUA onde a Emirates opera, concretamente Boston, Dallas, Los Angeles, Miami, Newark, JFK, Orlando, Seattle e Washington DC.

A partir de março de 2023, a United Airlines vai lançar também um novo voo direto entre Nova Iorque/Newark e o Dubai, cujos passageiros passam também a ter acesso, a partir dessa data, a mais de 100 cidades para onde a Emirates e a flydubai voam. Os bilhetes para o novo voo da companhia aérea norte-americana já se encontram à venda.

O acordo entre as duas companhias aéreas foi assinado esta quinta-feira, 15 de setembro, numa cerimónia que decorreu no Aeroporto Internacional de Dulles, em Washington, nos EUA, e que contou com a presença do CEO da United, Scott Kirby, e do presidente da Emirates, Tim Clark.

“Duas das maiores, e mais conhecidas companhias aéreas do mundo estão unir-se para transportar melhor as pessoas e para mais lugares, numa altura em que a procura de viagens está a recuperar em força. É uma parceria significativa que irá desbloquear enormes benefícios para os passageiros e aproximar ainda mais os Emirados Árabes Unidos e os Estados Unidos”, destaca Tim Clark, presidente da Emirates Airline.

Já Scott Kirby considera que “este acordo une duas companhias aéreas icónicas e com grande notabilidade que partilham um compromisso comum de criar a melhor experiência de passageiro no ar” e realça que esta parceria vai “facilitar as viagens globais a milhões” de passageiros, ajudando também “a impulsionar as economias locais e a reforçar os laços culturais”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

easyJet abre nova rota para Paris Beauvais em novembro

Com a abertura desta rota, que começa a ser operada em novembro, com três voos por semana, a easyJet passa a voar para os três aeroportos que servem a capital francesa, concretamente Paris Beauvais, Paris-Charles de Gaulle e Paris Orly.

Publituris

A easyJet abriu esta segunda-feira, 12 de setembro, as vendas para a rota Lisboa-Paris Beauvais, que a companhia aérea low cost vai começar a operar em novembro, com três ligações por semana.

Num comunicado enviado à imprensa, a companhia aérea explica que, com a abertura desta rota, passa a voar para os três aeroportos que servem a capital francesa, concretamente Paris Beauvais, Paris-Charles de Gaulle e Paris Orly.

“O trajeto será garantido através de três frequências semanais: às terças, quintas e sábados; em adição às rotas para Paris-Charles de Gaulle e Paris Orly, o que significa que a companhia aérea estará a voar para os três aeroportos da cidade”, refere a easyJet em comunicado, explicando que, com este reforço, vai disponibilizar 118.890 lugares este inverno para Paris, o que representa um aumento de 50% em relação ao inverno passado.

Os bilhetes para a nova rota da easyJet para Paris Beauvais já se encontram à venda e apresentam preços desde 23,99 euros por pessoa.

“Alargar a nossa operação para Paris Beauvais, a partir de novembro, significa estarmos presentes nos três aeroportos de Paris. Estamos bastante contentes por reforçar a nossa posição enquanto companhia aérea número #1 a voar de Portugal para França e por oferecer cada vez mais ligações aos nossos clientes”, congratula-se José Lopes, Country Manager da easyJet para Portugal.

Além da nova rota para Paris Beauvais, a easyJet vai também reforçar a operação entre Lisboa e Barcelona, que atualmente conta com cinco ligações aéreas por semana, passando a disponibilizar um voo diário entre a capital portuguesa e a capital catalã.

Com este aumento de voos para Barcelona, acrescenta a informação divulgada pela companhia aérea, a easyJet passa a disponibilizar 19.740 lugares adicionais para o inverno de 2022, o que corresponde a uma capacidade total de 69.000 lugares para o destino espanhol.

“Também estamos muito contentes por aumentar a nossa rota de Lisboa para Barcelona de cinco para sete frequências semanais, o que responde aos nossos níveis cada vez maiores de procura para o destino e proporciona uma maior flexibilidade de horários para todos aqueles que voam connosco”, sublinha ainda José Lopes.

A easyJet atribui este aumento de operação aos 18 novos slots diários no aeroporto de Lisboa, que eram da TAP e que foram atribuídos à companhia aérea low cost pela Comissão Europeia.

Devido aos novos slots, a easyJet anunciou já que vai basear mais três aviões A321neo na capital portuguesa, o que permite o lançamento de “novas rotas e o reforço da capacidade para outros destinos”.

“Assim, a easyJet torna-se a companhia aérea #2 no aeroporto de Lisboa, com uma rede de 33 rotas – 31 internacionais e duas domésticas -, a tocar em 10 países”, conclui a companhia aérea low cost.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Azul aumenta operação e lança 21 novas rotas para o verão no Brasil

Companhia aérea brasileira vai lançar 21 novas rotas para o verão brasileiro, 11 das quais para destinos do sul do país, ainda que o principal aumento de oferta seja para o Nordeste.

Publituris

A Azul anunciou um aumento de operação para dar resposta à procura turística que é esperada para a próxima temporada de verão no Brasil e vai lançar 21 novas rotas, 11 das quais para destinos do sul do país, ainda que o principal aumento de oferta seja para o Nordeste brasileiro.

“Para atender a alta demanda do período mais quente do ano, a Azul lança a sua malha de verão e aposta em 21 novas rotas conectando o Brasil com aumento na oferta de assentos em rotas de lazer, entre dezembro de 2022 até ao final de janeiro de 2023”, destaca a companhia aérea brasileira, num comunicado enviado à imprensa.

De acordo com a informação divulgada, Campinas (SP), Belo Horizonte (MG) e Recife (PE), que são os três principais centros de conexão da companhia aérea no país, são os aeroportos que vão contar com um maior número de partidas durante o verão brasileiro, ainda que esteja também previsto um aumento nas cidades de Cuiabá (MT), Salvador (BA), Porto Alegre (RS) e Rio de Janeiro (RJ).

“A malha planeada para o verão amplia a oferta de assentos em voos com destino a cidades turísticas bastante procuradas nessa época do ano. O Nordeste é a região que mais vai receber aeronaves com as cores da companhia”, indica a Azul no comunicado enviado à imprensa.

Para o Nordeste brasileiro, a Azul vai lançar sete novas rotas à partida de diferentes regiões do país, concretamente Confins-Aracaju, Congonhas-Porto Seguro, Congonhas-Maceió, Goiânia-Salvador, Foz do Iguaçu-Salvador, Rio de Janeiro (SDU)-Ilhéus e Montes Claros-Salvador, bem como uma nova rota em Minas Gerais, que vai ligar Confins a Santarém, no Pará.

Além destas novidades, a Azul vai também aumentar o número de voos em 30 outras rotas, a exemplo das ligações entre Confins-João Pessoa, Viracopos-Fortaleza, Rio de Janeiro (SDU)-Maceió e Viracopos-Fernando de Noronha.

Mas a Azul vai ainda aumentar a oferta na região sul do Brasil com o lançamento de 11 novas rotas, concretamente Cuiabá-Florianópolis, Cuiabá-Chapecó, Confins-Navegantes, Florianópolis-Santo Ângelo, Florianópolis-Pelotas, Florianópolis-Passo Fundo, Florianópolis-Santa Maria, Florianópolis-Uruguaiana, Navegantes-Santos Dumont, Navegantes-Chapecó e Porto Alegre-Chapecó.

A Azul destaca a operação para Foz do Iguaçu, no extremo oeste do Paraná, que vai passar a contar com ligações aéreas desde Cuiabá, Confins e Salvador, além de um aumento da oferta de assentos de Florianópolis, Navegantes, Porto Alegre e de Viracopos, em Campinas.

“Com a adição dessas 21 rotas na nossa malha, ampliamos a oferta de assentos em praticamente todo o país, privilegiando rotas de lazer com partidas de aeroportos nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, conectando direto com o Norte e Nordeste”, afirma Vitor Silva, gerente de Planeamento de Malha da Azul.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Turkish Airlines e Air Seychelles estabelecem acordo de codeshare

O acordo de codeshare entra oficialmente em vigor a 15 de outubro e abrange os voos da Air Seychelles entre Mahe e Praslin, bem como da Turkish Airlines entre Istambul e Mahe, Istambul e Telavive, e Istambul e Paris. 

Publituris

A Turkish Airlines e a Air Seychelles estabeleceram esta sexta-feira, 9 de setembro, um acordo de codeshare que vai impulsionar as relações comerciais entre as duas companhias aéreas e oferecer um maior número de opções de viagens aos seus passageiros. O acordo entra em vigor a 15 de outubro.

A cerimónia de assinatura do acordo de codeshare decorreu esta sexta-feira, 9 de setembro, nas instalações da Turkish Airlines em Istambul, na Turquia, e, além do CEO da companhia aérea turca, Bilal Ekşi, contou também com a presença de Sandy Benoiton, CEO da Air Seychelles.

“Estamos encantados por assinar este acordo de codeshare com a Air Seychelles com o objetivo de impulsionar a nossa parceria para maximizar as oportunidades de viagem oferecidas aos nossos passageiros através das nossas redes. Acreditamos que esta parceria vai trazer benefícios, não só para as duas companhias aéreas de uma perspetiva comercial, mas também para a melhoria das relações culturais e turísticas entre os dois países”, afirma Bilal Ekşi, CEO da Turkish Airlines.

Já Sandy Benoiton, CEO da Air Seychelles, diz estar encantado com este acordo, que vai permitir à companhia aérea das Seicheles colocar o código da Turkish Airlines nos seus voos domésticos, nomeadamente entre Mahe e Praslin, que passa a exigir apenas um bilhete de avião, facilitando as viagens para a segunda maior ilha do arquipélago.

“Adicionalmente, o código da Air Seychelles também vai aparecer nos voos para cidades-chave na Europa e Médio Oriente, oferecendo um maior número de opções e uma maior flexibilidade de datas aos nossos passageiros”, acrescenta Sandy Benoiton.

O acordo de codeshare entre a Turkish Airlines e a Air Seychelles entra oficialmente em vigor a 15 de outubro, sendo a partir dessa data que o código da Turkish Airlines começa a aparecer também nos voos da Air Seychelles entre Mahe e Praslin, enquanto o código da companhia das Seicheles passa a figurar nos voos da transportadora turca entre Istambul e Mahe, Istambul e Telavive, e Istambul e Paris.

As companhias aéreas dizem ainda ter a intenção de expandir este acordo de codeshare a outros destinos no futuro.

 

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP anuncia acordo com sindicato dos pilotos

De acordo com um comunicado da companhia aérea de bandeira nacional, o acordo alcançado é “vantajoso para ambas as partes” e representa um “importante marco no caminho da paz social” na empresa.

Publituris

A TAP e o SPAC – Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil chegaram a acordo a “propósito do subsídio complementar de refeições em serviço (subsídio de aterragem) e da ajuda de custo complementar (per diem), o qual vai ser sujeito a ratificação em assembleia de pilotos”.

De acordo com um comunicado da companhia aérea de bandeira nacional, o acordo alcançado é “vantajoso para ambas as partes”, uma vez que, devido sentido de responsabilidade dos pilotos, “será possível reduzir o impacto financeiro para a TAP”.

“O acordo prevê ainda a retoma, a partir do próximo mês de setembro, das negociações para um novo Acordo de Empresa, que se deseja concluído nos próximos meses”, acrescenta a TAP na informação divulgada.

Para a TAP, este acordo representa um “importante marco no caminho da paz social”, uma vez que além de resolver o diferendo entre as duas partes, compromete a companhia aérea e o SPAC “a privilegiarem o diálogo como meio de resolução de eventuais divergências e conflitos coletivos”.

“A TAP e o SPAC estão confiantes de que poderá ser dado um passo determinante no sentido de normalizar as suas relações e de garantir uma cooperação ativa, tendo em vista a recuperação da empresa, no quadro do Plano de Reestruturação, aprovado pela Comissão Europeia, essencial para a sobrevivência da companhia”, lê-se ainda na informação divulgada.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Azul reforça oferta de voos para o GP de F1 de São Paulo

A Azul vai adicionar 10 voos extra entre os aeroportos de Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS), com destino a Congonhas, a 12 e 13 de novembro, para dar resposta à procura para o GP de Fórmula 1 de São Paulo.

Publituris

A Azul vai reforçar a oferta para dar resposta à procura expectável para o Grande Prémio de Fórmula 1 de São Paulo, que decorre entre 11 e 13 de novembro, adicionando 10 voos extra entre os aeroportos de Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS), com destino a Congonhas.

“Ao todo, serão 10 voos a mais distribuídos entre as duas cidades”, explica a companhia aérea brasileira, que planeia um aumento de seis voos na rota Congonhas-Curitiba e quatro entre Congonhas e Porto Alegre.

“O reforço foi programado para os dias 12 e 13 de novembro, com voos operando a partir das 8h e retorno programado para às 19h”, acrescenta a Azul, revelando que estes voos extra vão ser realizados em aviões Embraer E1, com capacidade para até 118 passageiros.

“Estamos sempre atentos para atender eventos importantes, como o GP de Fórmula 1, e outros importantes para o turismo brasileiro, que está cada vez mais aquecido, e programamos operações especiais para atender a demanda de um dos principais centros de conexões do País, como é o caso de Congonhas”, explica Vitor Silva, gerente de Planeamento de Malha da Azul.

Os bilhetes para os voos extra com destino ao GP de F1 de São Paulo já se encontram à venda através dos canais oficiais da companhia aérea.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.