AHP pede “respeito” e “transparência”

Por a 17 de Outubro de 2016 as 15:17

A AHP pede “respeito” e “transparência” no processo da taxa turística a implementar em Cascais, disse à Publituris Hotelaria Raul Martins, presidente da associação.

Em entrevista à Publituris Hotelaria na manhã desta segunda-feira, ainda antes de se saber que a Câmara de Cascais vai implementar a taxa turística, Raul Martins confirmou ter participado na reunião entre a ARHCESMO – Associação Regional dos Hoteleiros da Costa do Estoril, Sintra, Mafra e Oeiras  e a autarquia a pedido de associados da AHP que têm unidades hoteleiras na região de Cascais.

Questionado sobre o resultado desta reunião, o responsável disse, apenas, que a AHP é da opinião de que seria “saudável que os valores da taxa turística sejam revelados onde são aplicáveis”.

“Penso que a transparência é fundamental e tentámos sensibilizar o presidente da Câmara [de Cascais] e a ATC [Associação de Turismo de Cascais] para a necessidade de haver essa transparência”, afirmou o presidente da AHP, dando como exemplo Lisboa e o feedback positivo aquando da apresentação da aplicação da turística.

“Demos foi o nosso contributo, o nosso conselho de que deve haver uma relação com os hoteleiros que são os grandes investidores do turismo. Pedimos para que haja respeito pelo empreendedorismo dos hoteleiros.”

Raul Martins deu, ainda, como exemplo o município de Vila Real de Santo António, que se encontra em negociações com os hoteleiros sobre onde pode aplicar a taxa turística de forma a fomentar a actividade na região, depois de, no início do ano, ter desistido do imposto, cujas verbas reverteriam para a construção de um pavilhão gimnodesportivo.

A ARHCESMO e a ADHP já reagiram a esta notícia, com os directores hoteleiros a manifestarem-se contra a taxa turística.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *