Assine já
Alentejo
Destinos

Vencedores dos Prémios “Turismo do Alentejo” e “Turismo do Ribatejo” 2015

A Entidade Regional de Turismo entregou os Prémios “Turismo do Alentejo” e “Turismo do Ribatejo” 2015, numa cerimónia realizada no Auditório do Centro de Artes de Sines.

Publituris
Alentejo
Destinos

Vencedores dos Prémios “Turismo do Alentejo” e “Turismo do Ribatejo” 2015

A Entidade Regional de Turismo entregou os Prémios “Turismo do Alentejo” e “Turismo do Ribatejo” 2015, numa cerimónia realizada no Auditório do Centro de Artes de Sines.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Termas de Chaves tem novos produtos para a reabertura
Homepage
Faro volta a promover formação sobre o potencial turístico do destino
Homepage
Algarve: “Estamos preparados para o Brexit”
Homepage
Brexit: continua tudo igual para os viajantes britânicos até ao final de 2020
Destinos

A Entidade Regional de Turismo entregou no passado Domingo, dia 13 de Março, os Prémios “Turismo do Alentejo” e “Turismo do Ribatejo” 2015, numa cerimónia que, realizada no Auditório do Centro de Artes de Sines, contou com a presença da Secretária de Estado, Ana Mendes Godinho, do Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, e de inúmeros parceiros, entre públicos e privados.
Dos 122 projetos a concurso – 102 do Alentejo e 20 do Ribatejo -, o júri decidiu atribuir os seguintes galardões aos candidatos às sete categorias a concurso:

Prémios “Turismo do Ribatejo”
Melhor Evento
Menção Honrosa – Mês da Enguia
Prémio – Proj In.Str / Iniciativa verão In.Str …é um espanto!

Melhor Enoturismo
Prémio – Sociedade Agrícola da Quinta da Lagoalva
Melhor Gastronomia
Prémio – Festival Nacional de Gastronomia de Santarém

Melhor Animação Turística
Prémio – Santarém ao Luar – Mitos & Lendas

Melhor Turismo Rural
Prémio – Moinho.com

Melhor Projecto Público
Prémio – Casa dos Patudos- Museu de Alpiaça
Prémios “Turismo do Alentejo”

Melhor Evento
Prémio – 8º Festival Islâmico de Mértola e Festas do Povo de Campo Maior

Melhor Enoturismo
Menção Honrosa – Enoturismo Cartuxa e Herdade da Malhadinha Nova – Country House & Spa
Prémio – Ribafreixo Wines

Melhor Gastronomia
Menção honrosa – Mostra de Doçaria em Alcáçovas
Prémio – Mercearia Gadanha e Tasca do Celso

Melhor Animação Turística
Menção Honrosa – Badoka Safari Park
Prémio – Falcoaria Alter Real

Melhor Turismo Rural

Menção Honrosa – Quinta do Vau
Prémio – Sublime Comporta Country Retreat & SPA e Herdade da Malhadinha Nova – Country House & Spa e Pé no Monte

Melhor  Empreendimento Turístico
Menção Honrosa – Maria Mar, Surf Guesthouse
Prémio – Hotel Vila Galé Évora

Melhor Projecto Público
Menção Honrosa – Museu do Sabão e “Mina de Ciência: Explorar Ciência, Extrair Conhecimento”.
Prémio – Forte da Graça

Prémios Extra Concurso
Distinção Iniciativa
Almarte – Festival Internacional de Artes de Rua
Portalegre Jazzfest
Évora Hotel

Prémio “Comunicação Alentejo / Ribatejo”
Distinção comunicação
Rádio Pax
Rádio Voz da Planície
Rádio Vidigueira
Rádio Castrense
Rádio Nova Antena
Rádio Diana
Rádio Telefonia do Alentejo
Rádio Sines
Rádio Campanário
Rádio Portalegre
Rádio Elvas
Rádio Antena Mirobriga
Rádio Iris FM
Rádio Tejo Jornal

Distinção comunicação
Carlos Nascimento (SIC)

Prémio Comunicação
Revista UP

Prémio Agência Regional de Promoção Turística Externa do Alentejo / Ribatejo
Prémio – João Sampaio e Castro e Manuel Pinto

Melhor Iniciativa / Internacionalização 2015
Reguengos de Monsaraz – Cidade Europeia do Vinho

Prémio Especial “Turismo do Alentejo / Ribatejo”
Distinção comunicação
Francisco Alves Rito
Hugo Alcântara
Isabel Meira
José Carrilho
Mário Galego
Paulo Barriga
Paulo Nobre
Raul Tavares

Prémio Especial Turismo do Alentejo
Candidatura do Fabrico de Chocalhos a Património da Humanidade (Paulo Lima, Junta de Freguesia das Alcáçovas, Câmara Municipal de Viana do Alentejo, Turismo do Alentejo / Ribatejo)

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Transportes e Alojamento e Restauração entre os setores que mais novas empresas constituíram até julho

Os setores dos Transportes e do Alojamento e Restauração registaram aumento de 124% e 25%, respetivamente, na constituição de novas empresas até julho, segundo o mais recente relatório da consultora Informa D&B.

Publituris

O setores dos Transportes e Alojamento e Restauração foram dois dos que registaram maior subida na constituição de novas empresas nos primeiros sete meses do ano, avança a Informa D&B, cujo mais recente relatório aponta crescimentos de 124% e 25%, respetivamente.

“No acumulado desde janeiro até julho de 2022, a maioria dos setores regista um aumento na constituição de empresas face a 2021”, indica a consultora num comunicado divulgado esta segunda-feira, 8 de agosto.

Os Transportes foi um dos setores que mais se destacou na constituição de novas empresas até julho, com mais 1.228 novas empresas que em igual período do ano passado, o que corresponde a um aumento de 124%.

Já no setor do Alojamento e Restauração foram constituídas, nos primeiros sete meses do ano, mais 551 empresas, o que traduz um aumento de 25% em comparação com período homólogo de 2021.

Além destes, também os setores dos Serviços Gerais (+936 constituições, +30%) e dos Serviços Empresariais (+582 constituições, +13%) se destacaram na constituição de novas empresas nos primeiros sete meses de 2022.

No total, entre janeiro e julho, foram criadas em Portugal 28.989 novas empresas, o que representa um crescimento de 17% face ao mesmo período de 2021, ainda que a Informa D&B alerte que, em julho, houve menos 236 constituições, o que corresponde a uma descida de 7% face a julho de 2021.

Segundo a consultora, este decréscimo registado em julho veio quebrar “um ciclo de crescimento que vinha desde outubro passado e que só tinha sido interrompido em abril”, tendo esta descida sido mais “concentrada nas regiões do Norte e Centro, influenciando significativamente o decréscimo total”.

Já o Retalho e a Agricultura e outros recursos naturais foram os setores que assistiram a uma descida na constituição de novas empresas, apresentando quebras de 13% e 1,6%, respetivamente, com a Informa D&B a explicar que, no caso do Retalho, a descida “ocorre há já cinco meses e é transversal a quase todos os seus subsetores”, sobretudo o Retalho de Têxtil e Moda, Generalista e outros.

Apesar da melhoria face a 2021, em comparação com 2019, os dados da Informa D&B mostram que “a criação de novas empresas mantém-se abaixo em quase todos os setores de atividade”, com exceção das Tecnologias de Informação e Comunicação (+27%) e das Atividades Imobiliárias (+18%).

“A subida das constituições no período de janeiro a julho deste ano é também transversal a todas as regiões, com destaque para a Área Metropolitana de Lisboa (+2 700 constituições, +31%)”, indica ainda a consultora.

A descer continuam também as insolvências e encerramentos, uma vez que, nos primeiros sete meses do ano, encerraram 6.815 empresas, menos 2,5% que no período homólogo, e 962 empresas iniciaram um processo de insolvência, valor que representa uma descida de 21% face a 2021.

No caso dos encerramentos, “a maioria dos setores de atividade registam valores de encerramento inferiores a 2021”, sendo que apenas o Retalho (+89 encerramentos, +8,9%), Atividades Imobiliárias (+24 encerramentos, +5,2%) e Indústrias (+13 encerramentos, +2%) registaram mais encerramentos que no ano passado.

Nas insolvências, o setor do Alojamento e Restauração encontra-se, no entanto, entre os setores que maior número de processos de insolvência iniciaram, assim como o dos Transportes, que foi mesmo “o único setor que regista um aumento no número de processos de insolência neste período (+16 processos; +31%)”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Literario
Emprego e Formação

Instituto Politécnico do Porto cria pós-graduação em Turismo Literário

A pós-graduação da Escola Superior de Hotelaria e Turismo começa a 17 de outubro.

Carla_Nunes

A Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Instituto Politécnico do Porto (ESHT – P.Porto) abre as portas ao ano letivo 2022/2023 com uma nova pós-graduação em Turismo Literário.

O objetivo passa por “desenvolver competências na área do Turismo Literário, privilegiando uma perspetiva ao nível do desenvolvimento e implementação de roteiros literários como produto de dinamização dos destinos turísticos”, como se pode ler na brochura deste novo curso.

Dirigida a quem já exerce a atividade profissional em Turismo Literário, mas também a quem pretende iniciar o percurso nesta área, a pós-graduação começa a 17 de outubro de 2022, em regime pós-laboral e formato B-learning.

A segunda fase de inscrições para as 25 vagas disponíveis decorre de 16 de agosto a 2 de setembro, existindo ainda a possibilidade de uma terceira fase de inscrições, de 28 de setembro a 9 de outubro.

Algumas das unidades curriculares desta pós-graduação incluem temáticas como a “Conceção de Eventos Literários”, “Implementação de Produtos Turísticos em Turismo Literário” e “Desenho de Roteiros Literários”. O plano de estudos contempla dois semestres e 60 ECTS, num conjunto de dez disciplinas.

A professora-adjunta convidada da ESHT Ana Ferreira assume a coordenação da nova pós-graduação. Doutorada em Turismo pela Universidade de Vigo, a profissional tem desenvolvido trabalho de investigação focado na área de turismo literário e de eventos, elaborando roteiros com base na vida e obra de Camilo Castelo Branco, adaptados à cidade do Porto.

Em entrevista à Publituris Hotelaria em maio deste ano, Ana Ferreira ressalvou como o turismo literário “pode combater de forma determinante a sazonalidade associada a outros tipos de turismo”, já que este turista “não se desloca apenas numa época do ano”.

A pós-graduação em Turismo Literário tem um valor de 1.750 euros, sendo que o pagamento pode ser realizado numa única prestação, no ato da matrícula, ou em dez vezes.

Os interessados devem candidatar-se através do link de acesso e ingresso do IPP, sendo condição necessária de acesso uma das seguintes valências: título do grau de licenciatura ou equivalente legal; título de um grau superior estrangeiro, conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do processo de Bolonha por um Estado aderente a esse processo; título de um grau académico superior estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objetivos do grau de licenciado pelo Conselho Técnico-Científico da ESHT ou a detenção de um currículo académico, científico e/ou profissional que seja reconhecido pelo Conselho Técnico-Científico da ESHT, como atestando capacidade para a realização com êxito deste curso.

Sobre o autorCarla_Nunes

Carla_Nunes

Mais artigos
Distribuição

Solférias reforça equipa comercial com contratação de Bruno Pinho

Bruno Pinho conta já com anos de experiência na área de Turismo e transita para a Solférias depois de ter trabalhado na Quadrante.

Publituris

A Solférias contratou Bruno Pinho para reforçar a sua equipa comercial, profissional que conta já com anos de experiência na área de Turismo e que transita para a Solférias depois de ter trabalhado na Quadrante.

De acordo com uma nota do operador turístico, na Solférias, Bruno Pinho vai trabalhar em conjunto com o Eduardo Falcão para a zona Norte de Portugal e com o Ivo Batista e Pedro Ferreira na zona Sul de Portugal.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Iberia estabelece acordo de codeshare com a Viva Aerobus

Acordo de codeshare permite combinar os voos operados pelas duas transportadoras e os bilhetes estão à venda a partir desta segunda-feira, 8 de agosto.

Publituris

A Iberia estabeleceu um acordo de codeshare com a Viva Aerobus para oferecer um maior número de opções aos passageiros que viajam entre Espanha e o México, numa parceria que, segundo a companhia aérea espanhola, permite combinar os voos operados pelas duas transportadoras e cujos bilhetes estão à venda a partir desta segunda-feira, 8 de agosto.

De acordo com um comunicado enviado à imprensa pela Iberia, o acordo de codeshare abrange os voos da Viva Aerobus no México para os passageiros que viajam na rota Madrid-Cidade do México, enquanto os passageiros que viajam para a capital espanhola podem ter acesso a qualquer um dos 25 destinos da Viva Aerobus com destino ao aeroporto da capital mexicana, seguindo, depois, para Madrid.

Atualmente, a Iberia conta com 19 voos semanais entre Madrid e a Cidade do México, enquanto a Viva Aerobus disponibiliza voos para 19 cidades mexicanas à partida da capital do país, concretamente Guadalajara, Cancun, Monterrey , Veracruz, Mérida, Tampico, Puerto Vallarta, Los Cabos, Tuxtla Gutiérrez, Tijuana, Hermosillo, Oaxaca, Huatulco, Torreon, Puerto Escondido, Ciudad Juarez, La Paz, Chetumal e Mazatlán.

Com este acordo, os passageiros da Iberia necessitam apenas de realizar uma única reserva, sendo também possível despachar a bagagem diretamente até ao destino final.

Os bilhetes com este acordo de codeshare começaram a ser vendidos esta segunda-feira, 8 de agosto, e os voos começam a ser operados neste sistema a partir de 30 de agosto.

Os voos da Iberia para a Cidade do México são operados num avião A-350/900, que tem capacidade para 348 passageiros e é 35% mais eficiente no consumo de combustível que os anteriores modelos de avião.

A Viva Aerobus é uma companhia aérea mexicana que conta com a frota mais moderna do México e a terceira mais jovem de toda a América do Norte, na qual se contam 62 aviões Airbus, incluindo 40 Airbus A320 e 22 Airbus A321 com idade média de cinco anos.

“Na Iberia, sempre optámos pelo México como um dos nossos mercados estratégicos, tanto do ponto de vista do turismo como do tráfego de negócios. Com o crescimento da procura, atendemos essa recuperação com um aumento de capacidade muito próximo dos níveis pré-pandemia. Com 19 voos por semana, a Cidade do México é a cidade com maior número de frequências em todo o continente americano. Agora, graças ao acordo de codeshare com a Viva Aerobus, poderemos oferecer um melhor serviço aos nossos clientes”, afirma M.ª Jesús López Solás, Chief Commercial, Network Development and Alliances Oficial da Ibéria.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

REDE-T tem novo parceiro na área da decoração profissional

A Laskasas Kontract é o novo parceiro da REDE-T para a área de Projetos de Decoração Profissionais.

Publituris

A REDE-T tem, desde este mês de agosto, um novo parceiro na área da decoração profissional, contando com a Laskasas Kontract como parceiro de Projetos de Decoração Profissionais.

“Com uma experiência reconhecida em Projetos Profissionais e uma equipa inteiramente dedicada e especializada, a Laskasas Kontract apresenta soluções 100% customizáveis para garantir que respondemos às necessidades de cada projeto. Tudo isto aliado às nossas mais de 200 opções de personalização entre lacados, madeiras, tecidos, vidros, mármores e outros materiais para garantirmos que nenhum projeto é padronizado”, indica a REDE-T, num comunicado enviado à imprensa.

De acordo com a REDE-T, a Laskasas Kontract esteve já envolvida no desenvolvimento de hotéis, Spas, Lounges & Lobbys, Discos & Clubs e restaurantes, além de contar com um serviço especial e exclusivo para negócios, que é acompanhado e desenvolvido por uma equipa especializada na área que tem como mote, entregar uma nova perspectiva ao espaço.

A marca é também capaz de de produzir e de criar qualquer peça, através da sua unidade de produção, que permite também a personalização de cada projeto a qualquer medida e com qualquer acabamento.

Com a parceria entre a REDE-T e a Laskasas Kontract, estão disponíveis descontos até 30% para profissionais, assim como um desconto extra de 5% para particulares que é exclusivo para os associados da REDE-T.

A REDE-T conta já com perto de 18.000 profissionais do canal HORECA registados, disponibilizou quase 19.000 ofertas de trabalho e quase 1.500 documentos para download. A plataforma permite também o acesso a mais de 2.000 CVs dos melhores profissionais do setor e disponibiliza um diretório de empresas com as conhecidas marcas .

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Alojamento local com ocupação 25% acima de julho de 2019

Em julho, Portugal representou um terço das mais de 16 mil reservas geridas pela GuestReady nas mais de 30 cidades em que a empresa está presente no Reino Unido, França, Emirados Árabes Unidos e Espanha.

Publituris

Em julho, as unidades de alojamento local em Portugal registaram uma ocupação de 90%, valor que ficou 25% acima de igual mês de 2019, antes da chegada da COVID-19, avança a GuestReady, em comunicado.

“O alojamento local está a viver um período de grande procura. A nossa taxa de ocupação em Portugal é superior à nossa média global. No nosso país temos recebido principalmente hóspedes estrangeiros, mas também continuamos a receber muitos portugueses,” afirma Rui Silva, Managing Director da GuestReady em Portugal e em Espanha.

De acordo com o responsável, em julho, a média global de ocupação subiu 25% face a igual mês de 2019, e Portugal representou um terço das mais de 16 mil reservas geridas pela GuestReady nas mais de 30 cidades em que a empresa está presente no Reino Unido, França, Emirados Árabes Unidos e Espanha.

Atualmente, a empresa gere mais de mil propriedades em todo o país, a maioria na zona norte, e, entre julho de 2019 e julho de 2022, reportou um crescimento de 350% do seu portefólio no mercado português.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

1.ª fase do Programa Transformar Turismo foi concluída com cinco projetos aprovados

A 1.ª fase do Programa Transformar Turismo foi concluída no passado mês de julho e conta com cinco projetos aprovados nas linhas Linhas Territórios Inteligentes e Regenerar Territórios, que totalizam um investimento superior a 1,7 milhões de euros.

Publituris

A 1.ª fase do Programa Transformar Turismo foi concluída no passado mês de julho e conta com cinco projetos aprovados nas linhas Linhas Territórios Inteligentes e Regenerar Territórios, que totalizam um investimento superior a 1,7 milhões de euros.

De acordo com um comunicado do Ministério da Economia e Mar, estes projetos, que vão ser apoiados em 775 mil euros, visam a concretização de um marketplace multicanal na região Norte, aplicação de redes inteligentes no contexto do turismo de saúde e bem-estar, assim como a concretização de novas infraestruturas para o turismo náutico.

Os projetos, acrescenta a informação divulgada, “assentam em estratégias sólidas de sustentabilidade nas dimensões económica, social e ambiental com impactos relevantes e mensuráveis na região onde se inserem, contribuindo deste modo para a concretização dos objetivos definidos no Plano “Reativar o Turismo. Construir o Futuro” (PRT) e na Estratégia Turismo 2027 (ET2027)”.

Nesta primeira fase do Programa Transformar Turismo foram analisadas 47 candidaturas, o que, segundo o comunicado do Ministério da Economia e Mar, permitiu perceber que existia a “necessidade e oportunidade de se proceder a alguns ajustes nos Despachos Normativos que regulamentam o Programa e as Linhas que lhe estão subjacentes”.

“Assim, passará a ser possível a abertura de avisos específicos para a apresentação de candidaturas por concurso ou por convite, no contexto da valorização de produtos turísticos que, pela sua qualidade, singularidade e alinhamento com os desafios, objetivos e metas definidos nos referenciais estratégicos do setor, promovam o potencial turístico e o desenvolvimento sustentável do território. Passará também a ser possível, em situações excecionais e devidamente justificadas, a elegibilidade de promotores que, à data da candidatura, possuam mais de um projeto aprovado e ainda não concluído no âmbito do Programa Valorizar ou Programa Transformar Turismo”, acrescenta a informação.

Recorde-se que o Programa Transformar Turismo, cuja primeira fase de candidaturas abriu no início do ano, destina-se a apoiar o investimento público e privado na qualificação de Portugal enquanto destino turístico e conta com duas linhas de apoio, que se destinam a entidades públicas e privadas do setor.

“Estes projetos, agora apoiados, ajudarão à qualificação do destino turístico Portugal, promovendo não só a regeneração e reabilitação dos espaços públicos com interesse para o turismo, mas também a desconcentração da procura, a redução da sazonalidade e maiores índices de criação de valor – justamente o que queremos para esta indústria”, considera Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Rent-a-car adquiriu 5.073 viaturas em julho

O setor do rent-a-car adquiriu 5.073 viaturas em julho, entre veículos ligeiros de passageiros, comerciais ligeiros, motos e pesados, número que representa uma descida de 6,2% face a igual mês do ano passado, segundo a ARAC.

Publituris

No passado mês de julho, o setor do rent-a-car adquiriu 5.073 viaturas, entre veículos ligeiros de passageiros, comerciais ligeiros, motos e pesados, número que representa uma descida de 6,2% face a igual mês do ano passado, quando tinham sido adquiridas 5.411 viaturas pelas empresas de rent-a-car.

De acordo com a Associação dos Industriais de Automóveis sem Condutor (ARAC), entre o total de veículos adquiridos pelas empresas de rent-a-car que operam em Portugal, contam-se 4.602 viaturas ligeiras de passageiros e 354 veículos ligeiros de mercadorias, número que, segundo a associação, indicam que “o rent-a-car continua a afirmar-se de forma clara como o maior comprador de veículos automóveis novos em Portugal”.

“Na composição das aquisições referidas, prevalecem (à semelhança do mercado nacional de um modo geral) os segmentos A, B e C, que representaram, em julho, a maioria das aquisições efetuadas pelas empresas de rent-a-car”, indica a ARAC na informação divulgada.

No total, mercado português de veículos ligeiros de passageiros e comerciais ligeiros encerrou o mês de julho com um volume de vendas de 16.369 unidades, registando um crescimento de 17,4% face mês homólogo do ano anterior, segundo elementos fornecidos pela ACAP – Associação Automóvel de Portugal.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Editory Collection Hotels investe 1,5M€ na renovação de hotel de Tróia

Investimento transformou o The Editory by The Sea num hotel de cinco estrelas, com 132 apartamentos, na Península de Tróia.

Publituris

A Sonae Capital investiu 1,5 milhões de euros na renovação do The Editory by The Sea, unidade na Península de Tróia, que foi transformada num hotel de cinco estrelas, com 132 apartamentos

Com as intervenções, a unidade passou a contar com nove tipologias de alojamento, divididas entre 65 estúdios e 67 suites “de linhas modernas e funcionais”, com kitchenette equipada, varanda privada, room service 24 horas, wi-fi e Chromecast, como o grupo enumera em comunicado.

Das restantes valências fazem parte uma piscina exterior e outra interior aquecida, um ginásio aberto 24 horas por dia, um wellness center e duas salas de reuniões com capacidade até 100 pessoas.

Acresce o restaurante Salicórnia, com 127 lugares sentados e uma carta à base de “matérias-primas regionais e propostas de partilha”, bem como o Bar by The Sea, com 21 lugares sentados,

A decoração “sofisticada” da unidade aposta nos tons neutros e madeiras claras, incluindo obras da artista plástica Tamara Alves, que em parceria com a Underdogs criou três trabalhos para The Editory by The Sea. A artista desenvolveu ainda duas aguarelas para o hotel, Troia I e II.

Em maio deste ano a Sonae Capital, através das suas participadas, vendeu um conjunto de ativos hoteleiros em Tróia – Aqualuz Tróia Mar&Rio e The Editory By The Sea Tróia-Comporta – constituindo este negócio uma das maiores operações de investimento imobiliário em hotéis realizada no mercado português desde o início do ano. O valor transacionado não foi divulgado.

Nesta operação a The Editory Hotels, unidade de negócio de Hospitality da Sonae Capital, manteve a gestão destes ativos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Solférias, Soltrópico e Abreu reforçam programação para Cabo Verde com charters no fim do ano

Operadores turísticos vão disponibilizar duas operações charter à partida de Lisboa e Porto, em novembro e dezembro, bem como com voos extra no réveillon.

Publituris

A Solférias, a Soltrópico e a Abreu anunciaram um reforço da programação para Cabo Verde no fim do ano, que vai contar com duas operações charter à partida de Lisboa e Porto, em novembro e dezembro, bem como com voos extra no réveillon.

“Dando continuidade a bem-sucedidas colaborações anteriores, a Solférias, em colaboração com os operadores Soltrópico e Abreu, volta a juntar esforços no reforço de operações em voos especiais para um dos destinos favoritos dos Portugueses – Cabo Verde – no período de final de ano”, lê-se num comunicado conjunto dos operadores turísticos.

 No caso do Porto, os voos diretos são operados pela Smartwings, entre 28 de novembro e 2 de janeiro (data do último regresso), estando disponíveis pacotes com sete noites de alojamento no destino.

Já os voos diretos desde Lisboa são operados pela SATA, entre 27 de novembro e 18 de dezembro, contando com pacotes de sete noites de alojamento, ainda que estejam também disponíveis partidas da capital portuguesa a 18 e 26 de dezembro, para oito e sete noites de alojamento, respetivamente.

Além destes voos, os operadores turísticos vão ainda disponibilizar partidas especiais de Lisboa a 27 de dezembro, cujo regresso acontece a 3 de janeiro, neste caso, em voo direto da SATA.

“A Solférias e os seus parceiros acreditam que estes novos voos vão ao encontro das necessidades sentidas pelos agentes de viagem portugueses em dar resposta à crescente procura dos viajantes nacionais para um destino tão fantástico como Cabo Verde, reforçando o seu compromisso de apresentar, atempadamente, as melhores ofertas para os melhores destinos”, acrescenta o comunicado divulgado pelos operadores turísticos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.