Taxa de ocupação de Lisboa sobe 3,8% em Maio

Por a 1 de Julho de 2015 as 12:20

lisboa.jpgNo passado mês de Maio de 2015, a hotelaria da cidade de Lisboa apresentou novamente um crescimento em relação à taxa de ocupação por quarto, alcançando os 90,14%, o que representa um crescimento de 3,8%, face ao mês homólogo no ano anterior.

Segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo Observatório do Turismo de Lisboa, foram as unidades de quatro estrelas que apresentaram a maior taxa de ocupação, com 93,59%, mas o maior crescimento, de 7,0%, foi representado pelos hotéis de três estrelas, alcançando os 91,39%.

Já no que diz respeito ao Average (preço médio por quarto vendido), durante o mês de Maio a hotelaria lisboeta mostra uma descida de 7,3% face ao mesmo período do ano de 2014, reflectida no preço médio de 91,03 euros.

De igual modo, o RevPar (preço médio por quarto disponível) registou, durante o mesmo período, um abrandamento de 3,8% face a Maio do ano transacto, mês em que a capital portuguesa foi palco da final da Liga dos Campeões. Porém, a categoria de três estrelas foi a única a apresentar um crescimento neste indicador, em 0,4%.

Já no acumulado de Janeiro a Maio, a hotelaria lisboeta registou um aumento de 7,8% na taxa de ocupação, atingindo os 70,18%. Já o Average e RevPar aumentaram, durante o mesmo período, em 1,6% e 9,5%, respectivamente.

 

Resultados da hotelaria na região de Lisboa 

No que diz respeito às unidades hoteleiras da região de Lisboa, durante o mês de Maio a taxa de ocupação alcançou um acréscimo de 2,5%, situando-se nos 85,81%. Foram as unidades de três estrelas que apresentaram o maior crescimento, de 5,3%, fixando-se nos 86,93%.

Tal como nas unidades da capital, a região de Lisboa apresentou um decréscimo tanto em termos de Average como RevPar, de 6,4% e 4,0%, respectivamente.

Já no acumulado de Janeiro a Maio deste ano, o sector hoteleiro da região viu a taxa de ocupação subir em 7,5%, para os 65,06%. Em termos de Average e RevPar, os aumentos foram de 2,3% e 9,9%, respectivamente.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *