Rotas das Estrelas está de volta à Madeira

Por a 13 de Março de 2015 as 21:28

O primeiro evento da sexta edição da Rota das Estrelas está de volta ao Funchal, na Madeira, cuja inauguração decorreu esta sexta-feira, 13 de Março, no restaurante do hotel The Cliff Bay, Il Gallo d’Oro, e prolonga-se até dia 17 de Março. 

A cargo do chef residente, Benoît Sinthon, o festival gastronómico conta com presença de chefs vindos de Portugal, Espanha, França, Alemanha, Holanda e Áustria.

Entre os convidados estão Thomas Bühner (La Vie, 3 estrelas Michelin), Dieter Koschina (Vila Joya, 2 estrelas Michelin), Erlantz Gorostiza (M.B, 2 estrelas Michelin), Hans Neuner (Ocean, 2 estrela Michelin), Davy Tissot (Les Terrasses de Lyon, 1 estrela Michelin), João Rodrigues (Feitoria, 1 estrela Michelin), Joachim Koerper (Eleven, 1 estrela Michelin), Jordi Esteve (Nectari, 1 estrela Michelin), Olivier Barbarin (Châteaux d’Audrieu, 1 estrela Michelin), Michel Van der Kroft, (‘t nonnetje, 1 estrela Michelin), Paulo Morais (Umai), Ljubomir Stanisic (100 Maneiras), Jacqueline Pfeiffer (Vestibül), Albano Lourenço (Arcadas), Fabian Nguyen (Ritz Four Seasons Hotel Lisboa), Miguel Gameiro (formação Alain Ducasse), Rui Martins (Cook avec moi, chefe consultor). 

Este ano, o evento gastronómico chegará também, pela primeira vez, a Espanha, a 17 e 18 de Setembro, no restaurante As Garzas, na Corunha. 

Ainda no Funchal, esta sexta edição conta com um jantar volante, com interacção dos chefs, além dos já tradicionais jantares à mesa. 

No âmbito da abertura da Rota das Estrelas 2015, António Trindade, administrador do grupo Porto Bay, referiu, esta sexta-feira, em conferência de imprensa que “qualidade não é um termo absoluto. Nós gostamos de ser os primeiros e estar na linha da frente a fazer coisas, mas queremos sempre superar as expectativas de quem nos visita”. 

Aos jornalistas nacionais e internacionais presentes na ocasião, o responsável explicou ainda que “fazer um evento destes na Madeira corresponde à satisfação do cliente”, na medida em que é-lhe apresentado “uma boa experiência de natureza, de mar, mas também uma realidade urbana, de uma cidade como o Funchal”. 

António Trindade conclui dizendo que, cada vez mais, a gastronomia deve ser um factor de diferenciação num destino.

 

*No Funchal

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *