Assine já
Homepage

Transdev cria serviço de ligação ao Aeroporto do Porto

Facilita acesso ao centro do Porto e a todo o país, bem como da Central de Autocarros do Porto ao Aeroporto Sá Carneiro.

Publituris
Homepage

Transdev cria serviço de ligação ao Aeroporto do Porto

Facilita acesso ao centro do Porto e a todo o país, bem como da Central de Autocarros do Porto ao Aeroporto Sá Carneiro.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
TAP Miles&Go é o novo programa de fidelização da companhia aérea portuguesa
Aviação
Programa de fidelização da Emirates lança aplicação para ajudar a acumular milhas
Homepage
Lisboa vai ter nova ligação aérea para Kyiv
Homepage
Grupo SATA reforça ligações inter-ilhas, mas não só
Homepage

Ligação a todo o mundo e a todo o país é o mote da nova linha da Transdev que facilita o acesso de turistas nacionais e internacionais ao Aeroporto do Porto, bem como deste local ao centro do Porto e a vários pontos do país.

Cada viagem tem o custo de 2,5€, com uma frequência de hora em hora, entre as 8h e as 19h, diariamente. Entre outros destinos, destacam-se os concelhos de Santa Maria da Feira, Aveiro, Coimbra, Guarda, Viseu, Vila Real, Porto, Chaves e Bragança.

A criação deste novo serviço vem dar resposta a uma necessidade sentida pelos clientes, na procura de uma maior aproximação ao aeroporto, facilitando o acesso de quem parte e de quem chega. O aeroporto do Porto tem registado uma elevada afluência devido a uma muito positiva frequência de voos internacionais, sendo cada vez mais frequente a viagem de turistas nacionais, residentes e emigrantes, nomeadamente em determinadas épocas do ano como Natal e férias de Verão.

É sugerida a consulta do site http://www.transdev.pt/aeroportoporto/ para conhecimento de horários e mais informações .

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Royal Caribbean aligeira protocolos de navegação na Europa

A Royal Caribbean acaba de anunciar que irá implementar, a partir de 5 de setembro próximo, novas regras nos protocolos de navegação em cruzeiros pela Europa, incluindo o Reino Unido, tornando-as menos rígidas.

A Royal Caribbean garante, em comunicado, que tem trabalhado continuamente em parceria com as entidades competentes dos destinos e fez grandes progressos para receber todos os hóspedes a bordo dos seus navios em segurança.

A intenção, segundo a companhia de cruzeiros, é trabalhar por fases à medida que vai alterand os  protocolos, para indicar que,  sempre que implementa alterações, informa todos os hóspedes com reservas que sejam afetadas.

Com as novas medidas, passará a haver a recomendação para que os seus hóspedes estejam totalmente vacinados contra o COVID19, caso sejam elegíveis. A vacinação já não será um requisito obrigatório, no entanto a companhia solicita aos passageiros que divulguem a sua situação vacinal durante o check-in para garantir que mantem uma população a bordo altamente vacinada.

Os passageiros considerados não vacinados ou sem a vacinação completa pela EMA (Agência Europeia do Medicamento), podem precisar de testes adicionais a bordo com base nas escalas do seu itinerário.

Os hóspedes vacinados deverão viajar com o seu certificado de Vacinação, pois alguns locais nos nossos portos de escala podem exigir essa documentação.

Entretanto, os testes pré-cruzeiro e a bordo permanecerão inalterados.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

easyJet anuncia nova rota entre Lisboa e Rennes e coloca à venda as ligações a partir da capital portuguesa

Para além do seu novo trajeto entre Lisboa e a cidade francesa de Rennes, a easyJet colocou à venda, esta terça-feira os outros 13 destinos que opera à partida da capital portuguesa.

A nova rota, que começa a ser operada a partir de novembro deste ano, será garantida através de três frequências semanais: às terças, quintas e sábados, disponibilizando quase 30 mil lugares a mais.

Além das novas rotas, a easyJet irá disponibilizar outras 13 novas ligações entre Lisboa e diversas cidades da sua rede europeia. Assim, esta terça-feira foram também colocados à venda voos para Barcelona, Milão Bergamo, Bilbau, Porto Santo, Toulouse e Zurique, que serão operados a partir de 30 de outubro. Assim como para Fuerteventura, Las Palmas de Gran Canária, Marselha Provença e Marraquexe, cujos voos começam no dia 31 de outubro. Também é possível comprar já viagens para Rennes e Valência – que começam as suas operações dia 1 de novembro -, e Tenerife Sul e Birmingham – que iniciam a 2 de novembro.

Segundo José Lopes, Country Manager da easyJet para Portugal, com este novo destino a partir de Lisboa, “reforçamos ainda mais a nossa operação no país. A ligação entre a capital e Rennes começa a sua operação já em novembro, o que permitirá aos nossos clientes viajar com mais facilidade”.

O responsável revela igualmente que ao serem colocados à venda outras 13 novas ligações entre Lisboa e a rede europeia da companhia, “os nossos clientes já podem marcar os destinos que desejam, satisfazendo as suas necessidades.”

Refira-se, conforme comunicado da easyJet, este investimento surge na sequência da atribuição de 18 novos slots diários no aeroporto de Lisboa pela Comissão Europeia.

A companhia aérea anunciou recentemente que irá basear mais três Airbus A321neo, em Lisboa, o que permitirá o lançamento de novas rotas e o reforço da capacidade para outros destinos. Assim, a easyJet, diz o comunicado, torna-se a companhia aérea número dois no aeroporto de Lisboa, com uma rede de 32 rotas – 30 internacionais e duas domésticas – num total de10 países.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Torel Avantgarde é o hotel com melhor vista em Portugal

O Torel Avantgarde, cinco estelas no Porto, foi considerado como o “Hotel com a Melhor Vista” em Portugal nos Haute Grandeur Global Awards.

Publituris

O Torel Avantgarde, unidade de cinco estrelas no Porto, foi considerado como o “Hotel com a Melhor Vista” em Portugal nos Haute Grandeur Global Awards, uma prestigiada iniciativa global que distingue a excelência em hotéis, villas, resorts, retiros, spas e restaurantes em todo o mundo.

“O prémio é considerado um marco no setor hoteleiro”, considera a Torel Boutiques, coleção de hotéis que, além do Torel Avantgarde, inclui mais três unidades hoteleiras, concretamente o Torel Palace Lisbon, o Torel 1884 – Suites & Apartments e o Torel Palace Porto.

Já Ingrid Koeck, partner e porta-voz da coleção Torel Boutiques, considera que este prémio vem comprovar o compromisso da cadeia com a excelência e funciona como “uma grande motivação para toda a equipa da unidade hoteleira.

“É muito importante para nós, um boutique hotel de luxo independente, poder fazer parte do grupo dos melhores hotéis do mundo”, acrescenta a responsável, que lembra que, no Torel Avantgarde, todos os quartos são dedicados a um artista avant-gard e celebram o melhor do design nacional.

O Torel Avantgarde é um city resort cinco estrelas, que oferece vistas deslumbrantes sobre a cidade do Porto e sobre o rio Douro, e conta com 60 quartos e suites, piscinas, Spa, além da Maisonette, um espaço exclusivo com privada e jacuzzi, que é dedicado ao realizador cinematográfico Alfred Hitchcock.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Turismo Centro de Portugal manifesta solidariedade com vitimas do incêndio na Serra da Estrela

A Turismo Centro de Portugal lamenta que alguns dos locais atingidos pelo incêndio na Serra da Estrela “dificilmente voltarão a ser o que eram”, mas diz ter a certeza que, “com o esforço de todos, o Parque Natural vai reerguer-se”.

Publituris

A Turismo Centro  de Portugal veio esta sexta-feira, 12 de agosto, manifestar a sua solidariedade para com as vitimas do incêndio na Serra da Estrela, a área protegida mais extensa do país e que tem sido severamente atingida pelos incêndios.

“A Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal manifesta a sua solidariedade para com todos aqueles que sofreram danos pessoais e materiais nos inclementes fogos deste verão e lamenta profundamente que um ecossistema tão sensível como o da Serra da Estrela tenha sido tão duramente atingido”.

A Turismo Centro de Portugal lamenta que alguns dos locais atingidos pelo incêndio na Serra da Estrela “dificilmente voltarão a ser o que eram”, mas diz ter a certeza que, “com o esforço de todos, o Parque Natural vai reerguer-se e continuar a ser o destino turístico de excelência que sempre foi”.

A entidade regional de turismo envia ainda um “abraço solidário” a todos os municípios e empresários afetados, lembrando que o “esforço de recuperação vai exigir o empenho sobre-humano de todos” e garantindo que “municípios e empresários sabem que podem contar com todo o apoio da Turismo Centro de Portugal nesta tarefa tão árdua”.

A Turismo Centro de Portugal conclui o comunicado enviando ainda “as maiores palavras de louvor” aos bombeiros e proteção civil que têm combatido o incêndio na Serra da Estrela, considerando que, “perante uma situação tão adversa, voltaram a mostrar a fibra de heróis que reconhecidamente são” e pedindo aos visitantes do destino que “redobrem a atenção nos seus comportamentos, evitando os de risco, em especial numa altura tão delicada”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

AHRESP apresenta nove propostas para inverter crise dos recursos humanos

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) defende que as empresas devem “empreender estratégias criativas para atrair e reter profissionais, que devem ir além da retribuição”.

Publituris

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) apresentou um conjunto de nove propostas para “ajudar a resolver o problema crónico da falta de profissionais para os setores da restauração, similares e do alojamento turístico”.

Num comunicado enviado à imprensa, a associação considera que é “urgente a adoção de medidas que atenuem o impacto da diminuição do poder de compra dos portugueses” e defende que, se “a agilização dos vistos para os imigrantes oriundos da Comunidade de Países de Língua Portuguesa é de saudar”, o Governo e os operadores não podem deixar de tomar outras medidas.

Nesse sentido, a associação defende que as empresas devem “empreender estratégias criativas para atrair e reter profissionais, que devem ir além da retribuição e que podem passar por sistemas de avaliação, práticas de reconhecimento, garantias de progressão na carreira e a uma melhor conciliação entre vida profissional e vida familiar”.

Para a associação, fundamental é também que o valor da retribuição tenha “sempre em consideração os ganhos de produtividade, fruto do desempenho individual do trabalhador, mas também do desempenho coletivo ao nível de toda a estrutura empregadora”, assim como a “criação de um ambiente mais favorável ao funcionamento das empresas, nomeadamente por via da redução de encargos fiscais, em particular aqueles diretamente relacionados com o trabalho”.

Paralelamente, é também necessário que exista uma “melhor e mais adequada gestão da organização do tempo de trabalho”, fator que, segundo a AHRESP, “gera maior produtividade, o que aumenta a disponibilidade financeira para que as empresas possam proporcionar melhores condições de trabalho”.

A associação defende ainda a promoção de “iniciativas e mecanismos ao nível da dignificação e da valorização das profissões, para o que pode contribuir uma redenominação das categorias profissionais e uma adequação dos seus conteúdos funcionais, por forma a adequá-los à realidade atual e às exigências das nossas atividades” e considera que é “urgente uma aposta séria e estruturada na qualificação dos trabalhadores do turismo, promovendo-se um sistema de ensino dual, complementando a aprendizagem com a experiência prática”.

O desenvolvimento e implementação de um “programa de formação de início de carreira”, de curta duração, para as categorias profissionais mais carentes de mão-de-obra qualificada, assim como o encarar a imigração como parte da solução, são também soluções que podem ajudar a resolver o problema dos recursos humanos.

Tudo isto deve, no entanto, ser acompanhado da elaboração de um ‘Livro Verde do Mercado do Trabalho HORECA’ que, de forma clara e precisa, permita “identificar as atuais carências do mercado, quer em termos de quantidade de recursos humanos, quer em termos da sua qualificação”, uma vez que, defende a associação, “só desta forma é possível preparar as melhores e mais adequadas soluções”.

“Apesar da atividade turística estar com desempenhos positivos neste verão, o final da época alta vai trazer fortes desafios. Com a maioria das empresas ainda em recuperação dos impactos de dois anos de pandemia, o contexto inflacionista e a subida das taxas de juro irão provocar uma perda acrescida do poder de compra das famílias. Este é um fator de extrema relevância para a atividade nos diversos setores representados na AHRESP”, considera a associação, na informação divulgada esta sexta-feira, 12 de agosto.

A AHRESP apela ainda ao Governo para que as medidas de apoio sejam lançadas já no próximo mês, de forma a que seja possível responder “às adversidades que se anteveem” para o setor da hotelaria e restauração.

“As empresas do alojamento turístico e da restauração e similares não podem ficar esquecidas e devem ser contempladas nas medidas que venham a ser disponibilizadas”, conclui a associação.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Princess Cruises cancela 11 cruzeiros por falta de recursos humanos

Cancelamento afeta as viagens do navio Diamond Princess, na Califórnia, EUA, entre 1 de setembro e 13 de novembro.

Publituris

A Princess Cruises foi obrigada a cancelar 11 viagens de navios de cruzeiro devido à falta de recursos humanos, numa decisão que afeta as viagens do navio Diamond Princess, na Califórnia, EUA, entre 1 de setembro e 13 de novembro.

De acordo com um comunicado da companhia de cruzeiros, que em Portugal é representada pela Mundomar Cruzeiros, a crise dos recursos humanos, que se seguiu à crise provocada pela pandemia, atingiu fortemente a Princess Cruises, que se viu agora obrigada a cancelar as viagens de um dos seus navios por falta de tripulação.

A decisão foi comunicada ao mercado por comunicado, no qual a Princess Cruises admite que foi obrigada a tomar esta “difícil decisão” de cancelar 11 viagens do Diamond Princess devido a “desafios laborais”, como a companhia de cruzeiros se refere à crise dos recursos humanos.

“No ano passado, operámos centenas de cruzeiros graças às dezenas de milhares de trabalhadores que regressaram à nossa frota. No entanto, como outros na indústria de viagens, temos vivido alguns desafios”, explica a Princess Cruises.

Todos os cruzeiros cancelados do Diamond Princess tinham partida e chegada ao porto de San Diego, na Califórnia, EUA, e os clientes afetados podem agora pedir a substituição da viagem por outra no mesmo navio ou no Crown Princess, com uma oferta extra de 100 dólares para gastar durante o cruzeiro.

Os passageiros afetados podem também adiar o cruzeiro para uma data posterior, gozando igualmente da oferta de 100 dólares para usar durante a viagem, ou pedir ainda o reembolso total da viagem.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Subida dos preços das low cost vai reduzir acessibilidade das viagens internacionais, prevê GlobalData

Segundo a GlobalData, o aumento dos preços dos bilhetes nas companhias aéreas low cost já está a ameaçar a recuperação turística do Reino Unido, que estava prevista até 2024.

Inês de Matos

O aumento dos preços dos bilhetes nas companhias aéreas low cost, a exemplo da Ryanair, cujo presidente executivo, Michael O’Leary, admitiu recentemente que a época dos preços baixos na aviação terminou, vai reduzir a acessibilidade das viagens internacionais, prevê a GlobalData.

“As companhias aéreas de baixo custo, como a Ryanair, permitiram que mais e mais pessoas viajassem para o exterior. No entanto, o aumento dos preços dos bilhetes só agravará a atual crise do custo de vida, e aqueles que já estão a ter dificuldade podem ser excluídos do mercado das viagens”, afirma Benedict Bradley, analista temático da GlobalData.

De acordo com o responsável, esta crise dos preços já está a pressionar o mercado das viagens internacionais, arrastando no tempo a crise que a pandemia já tinha vindo provocar, pelo que não é de estranhar que se venha a assistir a um crescimento das viagens domésticas, enquanto as viagens internacionais vão ser pressionadas pelos cancelamentos.

A GlobalData alerta que o aumento de preços pode ser insignificante para muitos viajantes, mas ter um efeito dissuasor para muitos outros, podendo mesmo levar a que os planos de férias nos próximos anos sejam reconsiderados, a exemplo do mercado britânico, cuja recuperação estava prevista para 2024 mas em relação ao qual a GlobalData vem agora dizer que o aumento dos preços pode colocar essa perspetiva “em risco”.

“Quando questionados na pesquisa de consumidores do segundo trimestre de 2022 da GlobalData, 66% dos entrevistados do Reino Unido disseram estar extremamente ou ligeiramente preocupados com o impacto da inflação no orçamento doméstico. Viajar pode ser a primeira coisa a deixar cair para aliviar esses problemas de custo de vida”, lê-se na informação divulgada pela empresa de análise de dados.

“O aumento nas tarifas está a ser impulsionado por um aumento dramático nos custos do combustível. Desde o início de 2022, o preço do combustível de aviação aumentou 90%. A Ryanair é a primeira companhia aérea de baixo custo a declarar publicamente o fim dos voos super low-cost. No entanto, a inflação do preço do combustível não é exclusiva da Ryanair e aumentará os custos gerais em todo o setor, impactando negativamente não apenas a Ryanair, mas concorrentes como easyJet e Wizz Air. Esta não é uma boa notícia para os turistas”, conclui Keir Maclean, analista da GlobalData.

Recorde-se que o presidente executivo da Ryanair, Michael O’Leary, deu recentemente uma entrevista à BBC Radio 4, na qual admitiu que os preços da aviação vão subir, incluindo nas companhias aéreas low cost, e que o tempo dos bilhetes a 10 euros acabou, devido ao aumento dos preços provocado pela guerra na Ucrânia, principalmente do combustível da aviação.

(Leia a notícia sobre as declarações de Michael O’Leary aqui)

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Transportes

Recurso a empresas externas é visto como “traição” pelos técnicos de manutenção da TAP

O Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves (SITEMA) denuncia também que o recurso a empresas externas para realização da manutenção dos aviões tem custos muitos mais elevados do que se a manutenção fosse feita na TAP.

Publituris

O Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves (SITEMA) considera que o recurso a empresas externas para realização de trabalho de manutenção é “uma traição” aos técnicos de manutenção da TAP, que recentemente aceitaram a proposta da companhia aérea para regressarem ao regime de horário full time, pondo fim à greve às horas extraordinárias que estava em curso.

Num comunicado enviado à imprensa, o SITEMA, que representa 666 técnicos de manutenção de aeronaves (TMA) da TAP, diz estar preocupado com o “rumo que a TAP está a levar”, até porque a contratação de empresas externas para a realização da manutenção dos aparelhos da companhia aérea de bandeira nacional tem um custo muito superior do que se a manutenção fosse realizada pelos trabalhadores da companhia aérea.

“Os TMA veem, por isso, como uma traição o recurso a empresas externas para realizarem o trabalho de manutenção que podia estar a ser prestado dentro da companhia, poupando centenas de milhares de euros à TAP, ao Estado e aos contribuintes”, considera o sindicato, num comunicado enviado à imprensa esta sexta-feira, 12 de agosto.

Para o sindicato, além de prejudicar a imagem da TAP, esta situação leva também a companhia aérea a perder “receita importante com a recusa de trabalhos para terceiros”, assim como a perder “com o pagamento que faz às empresas onde contrata trabalho que antes realizava na TAP”.

A situação é ainda pior, acusa o SITEMA, porque a TAP “continua a deixar sair para a concorrência técnicos qualificados e a manter TMA em processo de despedimento coletivo, quando está urgentemente a precisar deles”.

“O SITEMA não compreende a razão de decisões contraditórias que só prejudicam a imagem da companhia e os seus trabalhadores, que nos últimos dois anos têm feito esforços enormes para tentarem ajudar a companhia a retomar o seu lugar de direito na aviação internacional”, acrescenta o sindicato, que se mostra, contudo, “disponível para fazer parte da solução para que a TAP continue a ser considerada uma companhia de excelência”, mas sem deixar que “o bom nome dos TMA seja posto em causa”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Osiris Travel procura colaborador para reforçar equipa de eventos e incentivos com clientes internacionais

Os candidatos à vaga para a área de eventos e incentivos com clientes internacionais devem ter entre 5 e 10 anos de experiência na gestão de projetos M.I.C.E. (Meetings & Incentives).

Publituris

A Osiris Travel está à procura de um colaborador para preencher uma vaga na sua equipa de eventos e incentivos, profissional que deverá ter  entre 5 e 10 anos de experiência na gestão de projetos M.I.C.E. (Meetings & Incentives).

Numa nota enviada à imprensa, a Osiris Travel explica que os candidatos devem ter experiência na gestão de projetos M.I.C.E. (Meetings & Incentives), “desde a preparação da proposta até a sua execução no terreno”, assim como capacidade criativa e de gestão logística, enquanto a fluência em línguas estrangeiras será um elemento primordial.

Na informação divulgada, a Osiris Travel indica que, depois dos anos difíceis da pandemia, está já em recuperação e diz que “o ano de 2022 permitiu que a faturação já tenha superado os valores pré-pandemia e os recursos humanos também registaram um incremento significativo e já estão ao nível de 2019”.

A agência de viagens sublinha também que, mais importante que o recrutamento, é o “reforço da capacidade de resposta de toda a cadeia logística de apoio ao turismo”, motivo pelo qual está também a reforçar as suas equipas, com destaque para a área de eventos e incentivos com clientes internacionais.

Mais informações sobre a Osiris Travel e candidaturas através do site www.osiris.pt ou do e-mail [email protected]

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Azul retoma voos entre Belém e a Flórida a 15 de dezembro

Companhia aérea brasileira vai disponibilizar quatro ligações aéreas por semana entre a capital do estado brasileiro do Pará e Fort Lauderdale, na Flórida, EUA.

Publituris

A Azul vai retomar, a 15 de dezembro, as ligações aéreas entre Belém, capital do Pará, Brasil, e Fort Lauderdale, na Flórida, EUA, disponibilizando quatro voos por semana entre os dois destinos, informou a companhia aérea brasileira em comunicado.

De acordo com a Azul, a informação sobre o regresso dos voos foi avançada durante uma conferência de imprensa de Cesar Grandolfo, responsável de Relações Institucionais da Azul, que considerou que esta operação vem contribuir para a descentralização das operações aéreas no Brasil.

“A programação de voos partindo de Belém vai ao encontro da premissa da Azul, que é descentralizar as nossas operações e fomentar o turismo nas mais diferentes regiões do país e do mundo. Estamos bastante felizes com a retomada dessa conexão partindo de uma cidade tão importante do país e agradecidos pela parceria do governo para chegarmos a esse dia”, explicou o responsável. 

Os voos entre Belém e Fort Lauderdale são diretos e não têm escalas, e vão ser operados num avião A321neo, com capacidade para transportar 174 passageiros.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.