Assine já
Transportes

Douro Azul vai realizar OPV na Bolsa

A DouroAzul pretende realizar uma OPV (Oferta Pública de Venda) na Euronext Lisbon, durante o primeiro semestre de 2010, através da colocação em Bolsa de um valor “superior a 40% do capital da empresa”, adiantou Mário Ferreira, CEO da Douro Azul.

Susana Leitão
Transportes

Douro Azul vai realizar OPV na Bolsa

A DouroAzul pretende realizar uma OPV (Oferta Pública de Venda) na Euronext Lisbon, durante o primeiro semestre de 2010, através da colocação em Bolsa de um valor “superior a 40% do capital da empresa”, adiantou Mário Ferreira, CEO da Douro Azul.

Sobre o autor
Susana Leitão
Artigos relacionados
Pullmantur analisa itinerários com Lisboa e Madeira
Homepage
“Queremos vir a Portugal numa base muito mais regular”
Homepage
“Neste momento, um governo para autorizar cruzeiros nos seus portos obriga à vacina”
Homepage
O épico regresso da Norwegian Cruise Line ao Mediterrâneo
Transportes

“A DouroAzul pretende ser admitida à cotação na Euronext Lisbon, tendo já constituído a equipa que vai montar a operação de dispersão de capital em Bolsa que se prevê possa acontecer ainda no primeiro semestre de 2010”, disse Mário Ferreira, salvaguardando que a “admissão à cotação da DouroAzul constitui a estreia de uma empresa do sector do turismo no mercado oficial da Euronext Lisbon”.

Novos projectos

O projecto da Amazónia vai necessitar de embarcações específicas para navegar nas águas do rio Amazonas, por isso a Douro Azul vai, ainda este ano, proceder à encomenda do primeiro de três navios-hotel para este projecto que deverão ser entregues em 2012, 2014 e 2016. Estas embarcações estarão operacionais para os dois grandes eventos desportivos que se vão realizar no Brasil: o Mundial de futebol (2014) e os Jogos Olímpicos do Rio (2016). “O cruzeiro fluvial que a DouroAzul se propõe fazer no rio Amazonas através dos seus navios-hotel percorrerá dois mil quilómetros entre Manaus e Iquitos, num trajecto ainda não explorado comercialmente, passando por vários pontos de interesse paisagístico, cultural, arquitectónico e turístico, respeitando as especificidades culturais e ambientais únicas da zona”, reforça a empresa.

Relativamente ao reforço da operação no Douro, a DouroAzul assinou, na semana passada, um contrato com a Navalria, do Grupo Martifer, para a construção de um navio-hotel com 65 quartos duplos que vai entrar em operação em 2011, tendo ainda planos para avançar para a aquisição de duas novas embarcações hoteleiras semelhantes.

Sobre o autorSusana Leitão

Susana Leitão

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Empresas de David Neeleman não estão falidas e empresário quer pedido de desculpas de António Costa

Antigo acionista da TAP acusa o primeiro-ministro de ter “faltado à verdade” quando disse que as empresas de David Neeleman estavam falidas e lembra a criação da Breeze Airways nos EUA, que nasceu em “plena pandemia”.

O empresário e ex-acionista da TAP, David Neeleman, reagiu esta terça-feira, 18 de janeiro, às palavras de António Costa, acusando o primeiro-ministro e líder do Partido Socialista (PS) de ter “faltado à verdade” num debate para as eleições legislativas de 30 de janeiro, uma vez que, apesar do período difícil por que a aviação tem passado com a pandemia, nenhuma das suas “empresas foi à falência nem foi sujeita a qualquer tipo de intervenção similar até à presente data”.

Num comunicado enviado à Lusa, David Neeleman considera que, no debate que opôs António Costa a Rui Rio, presidente do Partido Social Democrata (PSD), a 13 de janeiro, o primeiro-ministro e secretário-geral do PS proferiu “afirmações falsas”, que afetaram o seu “nome e reputação”, quando disse que o Estado nacionalizou a TAP “para prevenir precisamente que aquele privado que lá estava e que não merecia confiança, não daria cabo da TAP no dia em que fosse à falência'”.

Na reação enviada à Lusa, o empresário explica que “desde o início” da sua carreira teve “a oportunidade de criar cinco empresas de aviação em diferentes países como os Estados Unidos da América, Canadá e Brasil” e que, “apesar de nos dois últimos anos a indústria da aviação ter passado pela sua maior crise de sempre, nenhuma dessas empresas foi à falência nem foi sujeita a qualquer tipo de intervenção similar até à presente data”.

“Ao contrário do que o Dr. António Costa disse nesse debate, todas as empresas de aviação que fundei foram e continuam a ser projetos de grande sucesso com valorizações consideráveis para os seus ‘stakeholders’, tendo demonstrado ser sustentáveis e resilientes o suficiente para sobreviver neste cenário de crise”, reforça David Neeleman na nota enviada à Lusa.

David Neeleman garante que nenhuma das suas empresas está falida e diz até que isso pode ser comprovado, uma vez que  “há muita informação sobre essas empresas, desde logo por serem cotadas”, considerando, por isso, que não é necessário “detalhar a situação de cada uma delas”, ainda que destaque notícias que dão conta dos “enormes sucessos” da Jet Blue e da Azul, assim como do mais recente projeto do empresário nos EUA, a Breeze Airways, que “iniciou atividade em plena pandemia”.

“É com surpresa que noto que o Dr. António Costa entende que eu não sou merecedor de ‘confiança’, isto depois de após o início da pandemia o Dr. António Costa ter reconhecido em 30 de abril de 2020 em entrevista à RTP que a TAP até à pandemia estava a executar o plano estratégico que tinha sido aprovado pelo Estado”, acrescenta David Neeleman, que quer um pedido de desculpas por parte do primeiro-ministro.

“O Dr. António Costa faltou à verdade e com as suas declarações afetou o meu nome e a minha reputação, pelo que espero um pedido de desculpas”, lê-se na nota enviada à Lusa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Algarve mostra natureza, gastronomia e turismo criativo na Fitur

O Algarve quer conquistar os espanhóis e não só, através da natureza, da gastronomia e da oferta de turismo criativo. São estes os principais produtos que a região vai apresentar na Fitur.

As grandes rotas pedestres, o cicloturismo, o turismo criativo, a gastronomia e os vinhos são algumas propostas que o Algarve vai apresentar na Fitur, que se inicia esta quarta-feira em Madrid.

Uma das apostas da região é o turismo ativo, que encontra na Ecovia do Litoral/Eurovelo 1, na Rota Vicentina, na Via Algarviana e na Grande Rota do Guadiana os pontos altos de atração turística. São rotas que podem ser percorridas a pé ou de bicicleta.

O turismo criativo, representado por projetos como o Loulé Criativo, o TASA, o Algarve Cooking Vacations e o novo Algarve Craft & Food, é outra das sugestões para os que gostam de atividades ligadas às tradições, à cultura ou ao património.

A gastronomia e os vinhos, numa região que conta atualmente com mais de 30 produtores de vinho, bem como o tradicional produto sol e mar, completam a lista de produtos e potencialidades que o Algarve vai promover junto dos profissionais do turismo (19 a 21) e o público em geral (22 e 23).

O mercado espanhol, refira-se, foi responsável, em 2019, por mais de 407 mil hóspedes (+14% face a 2018) no Algarve, tendo gerado mais de 1,1 milhões de dormidas (+8,6% do que em 2018).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Barómetro AHRESP conclui: aumento dos custos da energia já está a causar danos

A subida dos custos energéticos e das matérias-primas já está a ter impacto nas atividades das empresas dos setores que a AHRESP representa.

O Barómetro da AHRESP conclui que, para 88% dos inquiridos, na sua grande maioria micro e pequenas empresas, o impacto da subida dos custos de energia e de matérias-primas na sua atividade económica já está a ser sentido.

O documento refere ainda que a subida de custos poderá mesmo vir a ter impacto nos preços de venda aos seus clientes, com 54,5% das respostas a apresentarem essa possibilidade.

A Associação anuncia que irá colocar, mensalmente, questões concretas aos decisores das empresas de restauração e similares e alojamento turístico de todo o território nacional, com cargos de representação na AHRESP.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Bestravel abre nova agência na Maia

Nova agência representa o regresso da marca Bestravel ao município da Maia.

A Bestravel abriu uma nova agência de viagens no distrito do Porto, localizada na Maia e que foi inaugurada esta segunda-feira, 17 de janeiro, informou o grupo de agências de viagens em comunicado.

“É com grande satisfação que assinalamos esta abertura, não só pelo regresso da marca Bestravel a um Município que identificamos como de elevado potencial, como também, por toda a luta que travámos enquanto rede e sector nos últimos dois anos. Trata-se de mais um reforço da marca a norte do país e numa região periférica ao Grande Porto”, refere Carlos Baptista, administrador da Bestravel.

A nova agência da Bestravel na Maia é dirigida por Sérgio Rocha, que se afirma “muito satisfeito” com esta nova etapa e “por fazer parte deste projeto de referência que é a Bestravel”, aponta, citado no comunicado divulgado pelo grupo de agências de viagens.

“Contamos com um enorme entusiasmo para prestar o melhor e mais personalizado serviço na área das viagens. Em nome da Bestravel da Maia convido todos a visitar-nos e a reservar as suas férias de sonho”, acrescenta Sérgio Rocha.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Maioria dos profissionais de turismo espera recuperação em 2022, diz OMT

O Barómetro Mundial do Turismo, divulgado esta terça-feira, 18 de janeiro, pela Organização Mundial do Turismo (OMT), prevê que as chegadas de turistas internacionais podem crescer, este ano, entre 30% e 78% em relação a 2021.

A maioria dos profissionais de turismo está mais confiante para 2022 e 61% espera que, este ano, traga melhorias, apurou o mais recente Barómetro Mundial de Turismo da Organização Mundial do Turismo (OMT), cujos resultados preliminares foram esta terça-feira, 18 de janeiro, divulgados.

De acordo com a OMT, entre os profissionais ouvidos 58% mostram-se confiantes numa recuperação já em 2022, “principalmente durante o terceiro trimestre” do ano, enquanto para 42% dos inquiridos a recuperação deverá apenas chegar em 2023.

“A maioria dos especialistas (64%) agora espera que as chegadas internacionais retornem aos níveis de 2019 apenas em 2024 ou depois, acima dos 45% na pesquisa de setembro”, acrescenta a OMT.

Já o Índice de Confiança da OMT mostra um “ligeiro declínio” nos meses de janeiro a abril de 2022, com a organização a indicar que “a rápida e ampla implementação da vacinação, seguida de um levantamento das restrições às viagens, maior coordenação e informação mais clara” são fatores que os especialistas indicam como fundamentais para a recuperação do turismo internacional.

De acordo com a OMT, as previsões para este ano indicam que as chegadas de turistas internacionais podem crescer entre 30% e 78% em relação a 2021, num crescimento que, aponta a organização, “ainda está 50% a 63% abaixo dos níveis pré-pandemia”.

“O recente aumento nos casos de COVID-19 e a variante Ómicron devem interromper a recuperação e afetar a confiança até ao início de 2022, à medida que alguns países reintroduzem proibições e restrições de viagens para determinados mercados”, justifica a OMT, que realça também o facto do nível de vacinação continuar a ser desigual em todo o mundo como um problema acrescido para a recuperação.

Outro dos problemas é a manutenção de restrições às viagens, que continua a ser um forte obstáculo à recuperação do turismo internacional, principalmente em países da Ásia-Pacífico,  que continuam com as “fronteiras completamente fechadas”.

Além destes obstáculos, a OMT aponta ainda o aumento do preço do petróleo e da inflação, bem como a potencial subida das taxas de juro e dos volumes de dívida, assim como a “contínua interrupção das cadeias de abastecimento” como factores que podem contribuir para um ambiente económico mais “desafiador”, que pode comprometer a recuperação turística.

No entanto, nem tudo são más notícias e também há perspetivas positivas, com a OMT a indicar que “a recuperação contínua do turismo em muitos mercados, principalmente na Europa e nas Américas, juntamente com a ampla implementação da vacinação e um levantamento mais coordenado das restrições de viagem, pode ajudar a restaurar a confiança do consumidor e acelerar a recuperação do turismo internacional em 2022”.

Até à recuperação do turismo internacional, a OMT espera que o turismo doméstico possa “impulsionar a recuperação do setor num número crescente de destinos, principalmente aqueles com grandes mercados domésticos”, até porque, segundo apontam os especialistas, o turismo doméstico e as viagens perto de casa, bem como as atividades ao ar livre e produtos baseados na natureza e o turismo rural “estão entre as principais tendências de viagens que vão continuar a moldar o turismo em 2022”.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Alojamento

Grupo Vila Baleira adquire Aparthotel Luamar no Porto Santo

O grupo Vila Baleira adquiriu o Aparthotel Luamar, no Porto Santo, detido desde 1992 pelo grupo Sousa. O valor da transação não foi revelado.

O grupo Vila Baleira Hotels & Resorts reforçou a sua posição no arquipélago da Madeira com a aquisição do Aparthotel Luamar, na ilha de Porto Santo, unidade detida desde 1992 pelo grupo Sousa.

Localizado junto ao Vila Baleira Resort Porto Santo, o Aparthotel Luamar, que dispõe de 57 apartamentos, vem aumentar para 455 quartos a oferta do grupo detido pela Ferpinta Turismo.

Gonçalo Teixeira, administrador do grupo Vila Baleira Hotels & Resorts. considera importante esta aquisição, pois “vem fortalecer a nossa posição e oferta numa zona nobre da ilha do Porto Santo, alargando a nossa frente de praia”.

“Sempre foi nossa intenção reforçar a nossa oferta turística no arquipélago, seja por ampliação das unidades já existentes, seja por aquisição de outros hotéis”, explica Gonçalo Teixeira, para acrescentar que “trata-se de um negócio que faz sentido para aquela que é a estratégia e posicionamento do grupo no arquipélago da Madeira”.

Além deste novo hotel, o portefólio do grupo integra o Vila Baleira Porto Santo Resort, com 312 quartos, dos quais 56 são apartamentos, bem como o Vila Baleira Funchal, com 86 quartos, adquirido em 2020. No pico da operação, o grupo hoteleiro emprega 270 pessoas.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Turismo recupera 4% em 2021 mas continua 72% abaixo dos níveis de 2019, aponta OMT

Dados preliminares do Barómetro Mundial de Turismo da Organização Mundial do Turismo (OMT) mostram que “o ritmo de recuperação permanece lento e desigual”.

Em 2021, o turismo a nível global recuperou e cresceu 4%, aponta a Organização Mundial do Turismo (OMT), que realça, no entanto, que as chegadas internacionais continuam 72% abaixo de 2019, o último ano antes da pandemia da COVID-19.

De acordo com os dados preliminares do Barómetro de Turismo da OMT, divulgados esta terça-feira, 18 de janeiro, no ano passado, as chegadas internacionais de turistas ficaram ligeiramente acima de 2020, quando este indicador tinha apresentado um decréscimo de 73% face a período pré-pandemia.

Segundo a OMT, “o aumento das taxas de vacinação, combinado com a flexibilização das restrições às viagem devido ao aumento da coordenação e protocolos transfronteiriços, ajudaram a liberar a procura reprimida”, o que permitiu uma “recuperação moderada” do setor, nomeadamente no segundo semestre de 2021, quando o decréscimo nas chegadas internacionais foi de 62%.

Em dezembro, acrescenta a OMT, as chegadas internacionais apresentaram uma descida de 65% face a igual mês de 2019, ainda que a organização sublinhe que, neste mês, ainda não se sentiu o impacto da nova variante Ómicron.

A recuperação observada no ano passado não foi, contudo, igual em todo o mundo, com a OMT a constatar que “o ritmo de recuperação permanece lento e desigual”, o que se deve aos diferentes graus de restrições que existem.

Por regiões, o destaque vai para a Europa e para as Américas que, segundo a OMT,  “registaram os resultados mais fortes em 2021 em comparação com 2020”, com aumentos de 19% e 17%, respetivamente, ainda que se mantenha um decréscimo de 63% face a 2019.

Na América, foi nas Caraíbas que foi registado o melhor desempenho, com uma subida de 63% face a 2019, mas uma descida de 37% em comparação com 2019, enquanto a zona mediterrânica da Europa apresentou uma subida de 57% face a 2020 e a América Central de 54%, resultados que, ainda assim, apresentam uma descida de 54% e 56%, respetivamente. Já na América do Norte houve um aumento de 17% face a 2020 e, na Europa Central e Ocidental, a subida foi de 18%.

Em África, as chegadas internacionais aumentaram 12% face a 2020, ainda que também nesta região os resultados continuem 74% abaixo de 2019, enquanto no Médio Oriente as chegadas diminuíram 24% em relação a 2020 e 79% em relação a 2019.

Já a Ásia foi a região que apresentou resultados mais  negativos, com as chegadas internacionais a descerem 65% face aos níveis de 2020 e 94% quando comparada com os valores pré-pandemia.

E se a recuperação das chegadas internacionais foi apenas moderada, também o aumento dos gastos provenientes do turismo seguiu a mesma tendência, já que a contribuição económica do turismo para o PIB mundial chegou aos 1,9 biliões de dólares, acima dos 1,6 biliões apurados em 2020, mas ainda “bem abaixo do valor pré-pandemia de 3,5 biliões de dólares”.

Já as receitas provenientes das exportações turísticas somaram 700 mil milhões de euros, também com uma “pequena melhoria” face a 2020, “devido aos maiores gastos por viagem”, mas ainda a “menos de metade dos 1,7 biliões de dólares registados em 2019”.

De acordo com a OMT, estima-se ainda que a receita média por viagem tenha chegado, no ano passado, aos 1.500 dólares, indicador que também está acima dos 1.300 dólares apurados em 2020, o que se deve a “estadias mais longas, bem como a preços mais altos no transporte e alojamento”.

A França e a Bélgica foram, segundo a OMT, os destaques no que diz respeitos aos gastos por viagem, uma vez que apresentaram “quedas comparativamente menores nas despesas com turismo, com -37% e -28%, respetivamente, em relação a 2019”, enquanto a Arábia Saudita e o Qatar, com descidas de 27% e 2%, respetivamente, também apresentaram “resultados um pouco melhores e 2021”.

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Transportes

Costa Cruzeiros oferece “Cruise & Golf”

A Costa Cruzeiros vai possibilitar aos entusiastas do golfe jogar em alguns clubes no Mediterrâneo ocidental, ao mesmo tempo que desfrutam de uma viagem a bordo do Costa Smeralda. A nova oferta “Cruise & Golf” vai estar disponível a partir de maio, com reservas a abrir a 01 de fevereiro.

A Costa Cruzeiros apresenta uma nova oferta desenhada especificamente para os entusiastas de golfe e famílias. A “Cruise & Golf” permitirá combinar uma experiência de golfe com a descontração e o divertimento a bordo do Costa Smeralda.

Ao reservar “Cruise & Golf”, os entusiastas desta modalidade desportiva terão a oportunidade de jogar em alguns clubes de Itália, França e Espanha durante as escalas dos cruzeiros. Enquanto isso, as suas famílias poderão desfrutar dos serviços a bordo ou explorar os destinos através das excursões organizadas pela empresa.

A nova oferta “Cruise & Golf” vai estar disponível a partir do próximo mês de maio, a bordo do Costa Smeralda, nos cruzeiros de uma semana no Mediterrâneo ocidental, com visitas em Savona, Marselha, Barcelona, Palma de Mallorca, Palermo, Civitavecchia/Roma. As reservas vão abrir a partir de 01 de fevereiro.

Entretanto, a companhia de cruzeiros, é “Official Cruise Line” da Ryder Cup 2023, a mais importante competição por equipas de golfe, que irá decorrer pela primeira vez em Itália, no Marco Simone Golf & Country Club em Roma, de 29 de setembro a 1 de outubro de 2023.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Amazing Evolution lança ofertas especiais para estadias longas

Os hotéis geridos pela Amazing Evolution apresentam ofertas especiais para estadias longas, ideais para quem procura uma ‘segunda casa’, aliando o lazer e o trabalho.

A Amazing Evolution, empresa gestora de unidades hoteleiras, acaba de lançar a campanha ‘Segunda Casa’, com condições especiais para todos aqueles que pretendem exercer a sua atividade profissional fora do escritório, aliando assim o lazer e o trabalho.

A campanha, que também visa potenciar o turismo na época baixa, é válida para estadias mínimas de 15 noites, em unidades hoteleiras situadas em diferentes pontos geográficos do país.

Todas as reservas incluem ainda pequeno-almoço, wi-fi gratuito e limpeza uma vez por semana. Há outas facilidades disponíveis, que variam conforme o hotel, e podem ser consultadas através dos websites de cada unidade.

Com preços que variam entre os 525 euros e os 1.050 euros, a campanha está disponível nas seguintes unidades: Aldeia dos Capuchos, Aldeia da Pedralva, Algarve Race Apartments, Placid Village, Hello Villas, Pelican Alvor, White Shell, Monte da Bemposta, e The Shipyard Angra.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Portugal leva 52 empresas e sete regiões turísticas à FITUR

Na 42.ª edição da FITUR, Portugal vai contar com um stand de 682 metros quadrados, que foi “concebido para proporcionar um grande impacto visual no espaço da feira” e que coloca em destaque as sete regiões turísticas do país.

A 42.ª edição da FITUR, a feira de turismo de Madrid, Espanha, que decorre entre 19 e 23 de janeiro, vai voltar a contar com uma forte participação portuguesa, na qual está previstas a presença do Turismo de Portugal, 52 empresas e das sete regiões turísticas do país, informou o organismo público em comunicado.

“Em 2022, num visível esforço coletivo de retoma, a participação nacional é consideravelmente mais expressiva em número de empresas do que no ano anterior, contando com a participação de 52 empresas, as 7 regiões turísticas e o Turismo de Portugal”, lê-se no comunicado divulgado esta segunda-feira, 17 de janeiro.

Na FITUR, Portugal vai contar com um stand de 682 metros quadrados, que foi “concebido para proporcionar um grande impacto visual no espaço da feira, com destaque para os sete sóis que iluminam a cúpula do stand, numa alegoria às sete regiões, e um elemento decorativo que simula as ondas do oceano e que abraça as empresas portuguesas presentes”.

Ao longo da feira, o Turismo de Portugal tem prevista a apresentação de projetos, a exemplo da iniciativa “Viagem a Portugal Revisited” que, no âmbito das comemorações do Centenário de Saramago e com a curadoria do escritor José Luís Peixoto, “propõe a revisitação aos itinerários da obra do autor e convida escritores contemporâneos a inspirarem-se nesses locais”.

“Nessa mesma ocasião será também revelado o nome do escritor espanhol que participa no projeto. “Viagem a Portugal Revisited” resulta da parceria entre o Turismo de Portugal e a Fundação José Saramago e será uma das âncoras de promoção do Turismo Literário em 2022″, acrescenta o Turismo de Portugal.

Presentes na FITUR vão estar também Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, e Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, onde vão manter encontros “com as empresas e o trade e manterão contacto com os principais players do mercado”.

“A presença do Turismo de Portugal na 42.ª edição da FITUR tem como principal objetivo reativar os fluxos turísticos espanhóis e colmatar a quebra de turismo provocada pela crise pandémica”, explica Rita Marques, sublinhando que o mercado espanhol é “uma das grandes apostas em 2022″ e que “a relação de proximidade com a Espanha é claramente uma oportunidade”.

De acordo com o Turismo de Portugal, “apesar do contexto pandémico e da redução dos níveis da procura internacional, em 2020 Espanha posicionou-se como o 1.º mercado turístico para Portugal aferido pelo indicador hóspedes, com registo de 763,4 mil hóspedes que geraram 1.686 mil dormidas”, numa tendência que se manteve também em 2021.

Durante a FITUR, a secretária de Estado do Turismo vai ainda ser distinguida com a Medalha da Internacionalização, durante a XXV Conferência Iberoamericana de Ministros e Empresários do Turismo (CIMET), que se realiza na véspera da FITUR, no Auditório do IFEMA Madrid, aproveitando presença na FITUR e dada a estreita ligação ao mercado espanhol e, por conseguinte, aos mercados da América Latina, onde Portugal tem vindo a desenvolver um “trabalho relevante”.

 

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.