Edição digital
Assine já
PUB
Enoturismo

Caves Graham’s estreiam nova sala de provas

Uma nova sala de provas é a sugestão da reconhecida casa de Vinho do Porto para este verão.

Publituris
Enoturismo

Caves Graham’s estreiam nova sala de provas

Uma nova sala de provas é a sugestão da reconhecida casa de Vinho do Porto para este verão.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados

As Caves da Graham’s – casa de Vinho do Porto, propriedade da Symington Family Estates – propõe uma viagem imersiva pelo universo do Vinho do Porto, que tem início com uma visita guiada por um especialista na área, culminando com as provas, que contam agora com novas sugestões, assim como com uma nova sala.

Descobrir o Vinho do Porto, com calma, conforto e privacidade, é a proposta da recém-inaugurada Sala Trilogia, um espaço totalmente novo, dedicado a provas especiais. O nome da sala encontra inspiração na coleção “The Cellar Master’s Trilogy”, da Graham’s, um conjunto de três vinhos Single Harvest Tawny – The Master, The Artisan e The Apprentice –, que pretende refletir a caminhada de aprendizagem de um (futuro) enólogo.

Mas as novidades na “casa” secular da Graham’s, em Vila Nova de Gaia, não ficam por aqui. No seguimento do lançamento, no início do mês de maio, dos novos Graham’s Porto Tawny 40 e 50 Anos, que integram a exclusiva Aged Tawny Collection, a Sala Vintage das Caves Graham’s dispõe, agora, de um espaço dedicado a estes vinhos. A nova instalação, assinada pelo Flórida Studio, evoca os elementos da fauna e flora da paisagem do Vale do Douro que adornam, em ilustrações assinadas por Mariana Rodrigues, as caixas renovadas dos Graham’s 40 e 50 anos.

Ambos os espaços foram pensados para acolher uma variedade de provas exclusivas, que prometem uma viagem pelo portefólio de vinhos da Graham’s. Os visitantes poderão escolher entre a prova Graham’s (55 euros), as provas Super Premium Tawny e Super Premium Vintage (ambas com o valor de 65 euros), e, para uma experiência alargada ao portefólio de vinho do Porto da família Symington, a prova Symington (135 euros).

Refira-se, em alternativa, a possibilidade de conhecer um dos restantes espaços de provas das Caves Graham’s. Na Sala de Provas Principal, com opções a partir de 25 euros, também há novidades: a nova prova Port Essentials, disponível por 40 euros, inclui quatro vinhos de diferentes tipos – Graham’s Blend Nº5, Six Grapes, Quinta dos Malvedos e Porto Tawny 30 Anos –, convidando à descoberta das múltiplas facetas do Vinho do Porto.

Durante a época alta (1 de abril a 31 de outubro), é possível visitar as Caves Graham’s entre as 10h00 e as 17h30, sublinhando-se que o horário das provas se prolonga até às 18h00. A realização das visitas e as provas está sujeita a reserva prévia, que poderá ser efetuada através do site, por e-mail ([email protected]) ou por telefone (+351 223 776 490).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
Destinos

Porto Business School lança Observatório do Talento Migratório no Turismo

O novo Observatório do Talento Migratório no Turismo da Porto Business School (PBS) visa “destacar a importância do talento oriundo da migração para a competitividade da economia portuguesa, particularmente no setor do turismo”.

A Porto Business School (PBS) lançou o Observatório do Talento Migratório no Turismo, iniciativa inovadora que visa “destacar a importância do talento oriundo da migração para a competitividade da economia portuguesa, particularmente no setor do turismo”.

Em comunicado, a PBS explica que “esta iniciativa pretende identificar os desafios, as oportunidades e as práticas exemplares de integração e gestão dos talentos imigrantes no setor”, que já conta com 120 mil trabalhadores entre os 785 mil imigrantes existentes em Portugal.

Da responsabilidade do Tourism Futures Center, que integra o Innovation X Hub da Porto Business School, este observatório vai permitir ainda “entender como os talentos imigrantes têm sido valorizados e qualificados em comparação com os talentos nacionais”, já que mais de 20% dos trabalhadores estrangeiros em Portugal estão empregados nas atividades de alojamento, restauração e similares.

A PBS lembra que, segundo o o Relatório de Imigração, Fronteiras e Asilo, no ano passado, registou-se um aumento da população estrangeira residente em Portugal, numa subida de 33% face a 2022, o que levou o número de estrangeiros residentes em Portugal a aumentar de 781.247 para 1.040.000 em 2023, representando já mais de 10% da população total.

“Estes migrantes asseguram uma parte significativa da atividade económica do país, particularmente no turismo, que em 2023 bateu todos os recordes de dormidas em território nacional”, destaca ainda a PBS.

Segundo Rita Marques, coordenadora do Tourism Futures Center da Porto Business School, “é essencial capacitar todos aqueles que estão envolvidos no setor de turismo, sejam imigrantes ou não”.

“Ao focar na qualificação e inclusão dos migrantes, que representam já 20% da força de trabalho no turismo, o Observatório contribuirá para o crescimento económico sustentável do setor e para a promoção de práticas inclusivas e alinhadas aos princípios de responsabilidade social corporativa e ESG”, defende a responsável.

Já José Esteves, dean da Porto Business School, diz que “a Porto Business School está empenhada em promover a inclusão e a qualificação dos talentos migrantes no turismo”, pelo que, defende, o lançamento “deste Observatório é um passo crucial para garantir que Portugal continue a ser um destino acolhedor e competitivo, onde todos os profissionais têm a oportunidade de prosperar e contribuir para o desenvolvimento económico e social do país”.

Desenvolvido pelo Innovation X Hub da Porto Business School, este Observatório vai coligir e analisar dados sobre a participação dos migrantes no turismo em Portugal, bem como desenvolver programas de formação específicos para migrantes no setor turístico e incentivar práticas inclusivas, garantindo que os migrantes tenham acesso a oportunidades de desenvolvimento profissional.

O Observatório visa ainda estabelecer colaborações com empresas, instituições de ensino e outras entidades para promoção da inclusão e qualificação dos trabalhadores migrantes, estando também preparado para estudar o impacto da migração na autenticidade dos destinos turísticos, bem como a proposta de estratégias para a construção de um setor turístico mais responsável e integrador, gerador de valor para todos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Quatro milhões de italianos vão viajar este verão, revela pesquisa da Assoviaggi

A inflação, os aumentos de preços e as guerras não impediram o desejo dos italianos de viajar este verão. Uma pesquisa da Assoviaggi (Associação Italiana de Agências de Viagens e Turismo) dá conta que, entre junho e agosto, cerca de quatro milhões de pessoas viajarão graças aos serviços das agências de viagens, para um aumento global nas reservas de 3,5% em relação ao verão de 2023.

A associação revela que cerca de 70% das reservas para o verão foram feitas para serviços para destinos transfronteiriços, avançando que “segundo as nossas estimativas, os pedidos para o estrangeiro apresentam uma subida de 6,7% face ao período junho-agosto de 2023, contra uma quebra de 3,1% nos pedidos para destinos italianos, um fenómeno que é afetado pela concorrência dos destinos estrangeiros, pela redução do poder de compra das famílias e pelo aumento dos preços registados em Itália, a começar pelos preços dos transportes”. Assim, 2,8 milhões escolherão uma viagem fora da Itália, enquanto 1,2 milhão ficarão em “Bel Paese”.

No que diz respeito às viagens de ‘curta distância’ ao estrangeiro, o maior número de pedidos foi verificado para a Grécia e Espanha, mas também suscitaram interesse para Portugal, França, Marrocos, Tunísia e Albânia.

Nas viagens de “médio curso”, o Egito confirma a sua posição, tendo compensado a queda da procura devido à explosão das tensões geopolíticas na zona do Médio Oriente com uma política de preços acessíveis, seguido, com menos frequência, pela Noruega e pela Islândia.

Para quem optou por um destino ‘longo curso’, porém, destaca-se a viagem aos EUA, além do Japão, Caraíbas, Tailândia e Madagascar. No entanto, nos relatórios dos empresários foram indicados mais de 30 países diferentes, incluindo Tanzânia, Malásia, Polinésia, Vietname, Índia, Austrália, Peru e Namíbia, destinos caracterizados por experiências e serviços de alta qualidade.

A Assoviaggi indica ainda que os excelentes resultados dos primeiros quatro meses do ano (+9,5% face a 2023) foram seguidos de um período de abrandamento, abaixo das expectativas das empresas de turismo organizado.

Segundo indicações dos empresários, o volume de negócios da primeira parte do ano deverá fechar positivamente, com um crescimento estimado em 9,5%, com resultados acima da média do Nordeste e Centro, mas a tendência desenvolveu-se a velocidades alternadas: uma fase inicial apoiada por uma procura robusta de viagens de lazer, seguida por um abrandamento acentuado da procura durante maio e junho. Prevê-se que as viagens de lazer representem cerca de 60% do volume total de negócios, enquanto a percentagem da venda de transportes e outros serviços turísticos deverá ascender a 18%, e as viagens de negócios a 14%, seguidas por 8% por cento dos seguros.

Para os próximos meses estima-se também um aumento moderado dos pedidos para o período de verão, mas não aos níveis esperados pelas empresas do setor. Uma parcela significativa das reservas para o verão também foi registada com reservas antecipadas nos primeiros quatro meses do ano, sendo evidente um abrandamento da procura durante os meses de maio e junho. “Assistimos a uma queda no interesse em particular pelo produto “Mare Italia”, bem como a um aumento de pedidos para destinos curtos para conter custos de transporte, mas especialmente para destinos próximos com uma oferta competitiva”, aponta o inquérito da Assoviaggi Confesercenti, realizado pelo Centro de Estudos Turístico de Florença, numa amostra de 671 agências de viagens.

Ainda em 2024, os cruzeiros estão entre as modalidades de viagem que mantêm o interesse dos italianos. Há também um forte aumento nos pedidos de viagens à medida, em pacotes ‘sob medida’ de acordo com os tempos e interesses dos viajantes, graças à competência profissional das agências. As viagens intercontinentais e as viagens para estâncias balneares nos países mediterrânicos estão a aumentar ligeiramente. Também se registou um forte crescimento do interesse nas viagens em grupo, em particular, nas viagens organizadas que também permitem a quem sai sozinho – um pedido que vem principalmente de mulheres viajantes – juntar-se a um pequeno grupo acompanhado por um especialista no destino. Entre os outros tipos de produtos, confirmam-se as escolhas para as Capitais Europeias e Cidades de Arte Italianas, enquanto a fórmula Fly & Drive também está a aumentar – mesmo que ainda seja uma participação minoritária: soluções combinadas, que permitem chegar a um destino de avião e depois deslocar-se sobre quatro (ou duas) rodas pelas diversas etapas do itinerário planeado em conjunto com a agência de viagens.

“Estamos confiantes de que 2024 pode representar uma viragem decisiva para as empresas que operam no setor do turismo organizado”, comenta Gianni Rebecchi, presidente da Assoviaggi Confesercenti. “Após anos de desafios sem precedentes, o objetivo é ver um impulso renovado e uma recuperação robusta que possa trazer o setor de volta aos níveis anteriores à pandemia, e talvez até mais além”.

Acrescenta que “trabalhamos assiduamente para inovar a oferta e melhorar a experiência do viajante e para fortalecer a colaboração com os fornecedores”, no entanto, “estamos preocupados com o abrandamento das reservas nos últimos meses, um sinal que, em nossa opinião, deve ser monitorizado com atenção: o risco é que o aumento dos preços, a começar pelos dos transportes e dos serviços turísticos, mas não só, possa levar a uma contração da procura”.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Aviação

Kilimanjaro é o novo destino da Air France para o inverno

Os voos da Air France para Kilimanjaro arrancam a 18 de novembro e decorrem às segundas, quartas e sábados, em continuação das ligações para Zanzibar, também na Tanzânia, e vão ser operados num avião Airbus A350-900.

A Air France anunciou que, este inverno, vai abrir uma nova rota para Kilimanjaro, na Tanzânia, cuja inauguração está prevista para 18 de novembro e que vai contar com três voos por semana, substituindo as ligações a Dar Es Salam.

Segundo um comunicado da companhia aérea, os voos para Kilimanjaro decorrem às segundas, quartas e sábados, em continuação das ligações da Air France para Zanzibar, também na Tanzânia, e vão ser operados num avião Airbus A350-900, com 34 assentos na Business, 24 em Premium Economy e 266 em Economy.

“A rota Paris – Zanzibar – Kilimanjaro vai substituir a Paris – Zanzibar – Dar Es Salam, operada pela Air France até agora. Dar Es Salam permanece acessível via Amesterdão com a parceira KLM, que opera 7 voos/semana para a capital da Tanzânia”, indica a Air France.

Os voos vão partir de Paris-CDG às 10h10 para chegar a Zanzibar às 21h10, de onde voltam a partir às 22h55, chegando a Kilimanjaro às 23h55. Em sentido contrário, os voos decorrem às terças, quintas e domingos, com partida de Kilimanjaro pelas 1h25 e chegada a Paris-CDG às 8h50.

Para os passageiros portugueses, a nova rota vai estar disponível através das rotas que a Air France disponibiliza desde Lisboa ou do Porto, via hub em Paris-CDG.

Além da oferta da Air France, também a KLM conta com várias ligações à Tanzânia, como Dar Es Salam, Kilimanjaro (5 voos/semana) e Zanzibar (2 voos/semana), numa oferta que pode ser coordenada com a da Air France.

Segundo a Air France, “o Monte Kilimanjaro é a montanha mais alta do continente” e conta com três picos vulcânicos principais, Mawenzi, Kibo e Shira, oferecendo “uma ampla variedade de itinerários para os caminhantes”.

Além do Monte Kilimanjaro, os turistas podem também visitar o Parque Nacional do Kilimanjaro, que está classificado como Património Mundial da UNESCO, e que é o ponto de partida ideal para um safari no Quénia ou na Tanzânia.

Todos os detalhes sobre a operação podem ser consultados aqui.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Depois de percorrer Portugal de Norte a Sul do país, a empresa de recursos humanos inaugura uma nova delegação, agora no Funchal

A Timing, empresa líder no setor de recursos humanos anuncia a inauguração da nova delegação no Funchal

Com esta expansão, a empresa visa fortalecer a sua presença na Região Autónoma da Madeira e oferecer serviços de alta qualidade a um número ainda maior de clientes.

Desde a sua abertura, em 2015, a empresa estabeleceu-se como uma referência no mercado de recursos humanos, especialmente no setor da hotelaria. Com uma forte presença no Algarve, desde Tavira a Lagos, e também em Setúbal, Lisboa, São João da Madeira e Porto, a empresa procura um compromisso constante com a excelência e a satisfação dos seus clientes.

“Estamos entusiasmados com a abertura da nossa nova delegação, no Funchal.”, refere Ricardo Mariano, CEO da empresa. “A expansão para a Madeira representa um passo importante na nossa estratégia de crescimento e reflete o nosso compromisso em oferecer soluções de recursos humanos em todas as regiões de Portugal.”, remata.

A abertura da Timing, no Funchal assinala o 9.º aniversário da marca. Com uma grande presença em diversos setores, desde a hotelaria à construção, retalho, indústria, logística, entre outros, entra na Madeira com a certeza de que “vamos ajudar as empresas da Madeira e do Porto Santo, com mão-de-obra qualificada, formação e soluções personalizadas, adaptadas a cada setor de atividade.”, destaca Eva Quitério, Coordenadora de Recursos Humanos do Algarve e Ilhas.

“Abrirmos a nossa primeira delegação fora do continente, no Funchal, é sinónimo da confiança na nossa equipa da Madeira. A formação na área da hotelaria é um dos nossos trunfos e o acompanhamento regular da satisfação dos nossos clientes é uma mais valia na implementação de melhorias constantes.”, remata Eva Quitério, Coordenadora de RH do Algarve e Ilhas.

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Distribuição

Solférias lança novo canal de WhatsApp para agentes de viagens

O operador turístico Solférias anuncia o lançamento do seu novo canal de WhatsApp, permitindo ao agente de viagens acesso exclusivo a novidades, ofertas e muito mais, tudo na palma da mão.

Com este novo canal de WhatsApp, o agente de viagens encontrará informações exclusivas sobre novos destinos e produtos, ou seja, será o primeiro a saber sobre as últimas ofertas e pacotes da Solférias, perfeitos para os seus clientes.

Estarão, igualmente, disponíveis promoções e ofertas imperdíveis, permitindo ao agente de viagens não perder oportunidade de garantir preços incríveis para os seus clientes.

Por outro lado, os eventos e webinares exclusivos do operador turístico para agentes de viagens serão conhecidos através deste novo canal.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Turquia lança nova rota turística ferroviária

O Expresso Mesopotâmia consiste numa viagem 1.051 quilómetros, que liga Ancara a Diyarbakır ao longo de 24 horas, incluindo várias paragens em localidades de interesse turístico.

A Turquia lançou uma nova rota turística ferroviária para que os turistas possam conhecer o país, o Expresso Mesopotâmia, uma viagem 1.051 quilómetros, que liga Ancara, capital da Turquia, a Diyarbakır, cidade turca localizada no sudeste do país.

“Esta aventura ferroviária permite aos viajantes percorrer as icónicas cidades da Anatólia, assim como os fascinantes cenários que atravessam o seu caminho”, destaca a Agência de Promoção e Desenvolvimento Turístico da Turquia, num comunicado divulgado esta terça-feira, 25 de junho.

Ao longo desta viagem, que tem a duração de 24 horas, os passageiros podem visitar várias localidades, como Kayseri, Sivas, Malatya, Elazığ e Bingöl, uma vez que o comboio tem previstas várias paragens

“A rota inclui visitas de três horas em Kayseri e Malatya, e uma excursão de quatro horas em Elazığ, dando aos passageiros tempo para descansar e explorar a arquitetura única e os deliciosos sabores locais de cada uma das cidades. Além disso, o comboio tem capacidade para 180 passageiros e oferece serviços de restauração”, realça a Agência de Promoção e Desenvolvimento Turístico da Turquia.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Transavia abre nova rota entre o Porto e Bordéus a 13 de dezembro

Os voos da Transavia entre o Porto e Bordéus arrancam a 13 de dezembro e vão decorrer duas vezes por semana, às segundas e sextas-feiras, apresentando preços desde 34 euros para voos de ida.

A Transavia vai abrir, a partir de 13 de dezembro, uma nova rota que vai ligar o Porto a Bordéus, numa operação com dois voos por semana e cujos bilhetes têm preços desde 34 euros para voos de ida.

“Com 2 voos/semana (segundas e sextas-feiras), a nova ligação entre as 2 cidades conhecidas globalmente também pelos seus vinhos é uma das 6 novas rotas operadas de/para Bordéus pela companhia low-cost do grupo Air France-KLM”, lê-se no comunicado divulgado pela Transavia, esta terça-feira, 25 de junho.

Segundo Nicolas Hénin, Chief Commercial Officer da Transavia France, o Porto e Bordéus são cidades que “partilham a mesma cultura da gastronomia e do vinho”, pelo que a companhia aérea se mostra satisfeita por oferecer aos seus passageiros “a oportunidade de descobrirem uma nova cidade em França”, enquanto reforça a sua rede à partida do Porto.

Os voos da Transavia entre o Porto e Bordéus vão decorrer duas vezes por semana, às segundas e sextas-feiras, e os preços começam nos 34 euros para voos de ida. Os bilhetes já se encontram disponíveis para aquisição aqui.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

A Qatar Airways voltou a ser distinguida como a Melhor Companhia Aérea do Mundo nos Skytrax World Airline Awards

Aviação

Prémios Skytrax elegem Qatar Airways como melhor companhia aérea do mundo

Além da Qatar Airways, o Top3 dos Skytrax World Airline Awards fica completo com a Singapore Airlines e a Emirates, que ficaram nas segunda e terceira posições deste ranking, respetivamente. A TAP foi a única companhia aérea portuguesa contemplada e ficou na 71ª posição.

Inês de Matos

Os Skytrax World Airline Awards já foram atribuídos e reconheceram a Qatar Airways como melhor companhia aérea do mundo, naquela que foi a 8.ª vez que a companhia aérea de bandeira do Qatar venceu este prémio, considerado um dos mais importantes da indústria da aviação.

Além do prémio de melhor companhia aérea do mundo, a Qatar Airways foi também eleita como a Melhor Companhia Aérea do Oriente Médio, tendo arrecadado ainda os prémios para Melhor Classe Executiva do Mundo e Melhor Lounge de Companhia Aérea da Classe Executiva do Mundo.

“Este é um momento de orgulho para a Qatar Airways. Tenho a honra de compartilhar este prémio com a minha equipa. Este prémio é um testemunho do nosso compromisso incansável em fornecer serviços e inovação incomparáveis. Esperamos continuar a servir os nossos clientes com o mais alto nível de excelência”, congratulou-se Badr Mohammed Al-Meer, CEO do Grupo Qatar Airways.

Além dos prémios diretamente atribuídos à Qatar Airways, a companhia aérea do Qatar viu também o Hamad International Airport, no Qatar, ser eleito como o melhor do mundo e o melhor para compras.

O Top 3 dos Skytrax World Airline Awards fica ainda completo com as companhias aéreas Singapore Airlines e Emirates, que ficaram nas segunda e terceira posições deste ranking, respetivamente.

Já a Turkish Airlines, que foi a sétima melhor companhia aérea a nível mundial, foi eleita como a melhor companhia aérea da Europa, vencendo ainda o prémio de Melhor Companhia Aérea do Sul da Europa, bem como de Melhor Serviço de Catering de Classe Executiva do Mundo.

No caso de Portugal, a TAP foi a única companhia aérea contemplada neste ranking, figurando na posição 71ª entre as 100 melhores companhias aéreas do mundo.

Premiada foi ainda a Star Alliance, aliança de companhias aéreas à qual pertence a TAP, e que viu o Paris Charles de Gaulle Airport Lounge distinguido como o melhor lounge de alianças de companhias aéreas do mundo, num prémio entregue ao espaço poucos meses depois da sua abertura, já que este lounge está a funcionar desde outubro de 2023.

A Star Alliance viu ainda 16 das suas companhias aéreas reconhecidas com 47 menções honrosas em diversas categorias, incluindo de World’s Best First Class, Best Business Class Catering e vários prémios de melhor companhia aérea regional.

Recorde-se que os Skytrax World Airline Awards, que este ano estão a celebrar o 25.º aniversário, são considerados os Óscares da Aviação, cujos galardões são atribuídos com base na avaliação dos passageiros, tendo a votação desta edição decorrido entre setembro de 2023 a março de 2024, contando com 21,42 milhões de votos.

A lista completa das melhores companhias aéreas do mundo para a Skytrax pode ser consultada aqui.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Destinos

Receitas turísticas ultrapassam pela primeira vez 2MM€ em abril

As receitas turísticas ultrapassaram, pela primeira vez, o valor de dois mil milhões de euros num mês de abril, somando 2.058,32 milhões de euros, num aumento de 6,2% face a mês homólogo do ano passado, segundo o Banco de Portugal (BdP).

Inês de Matos

As receitas provenientes da atividade turística cresceram 6,2% no passado mês de abril, somando 2.058,32 milhões de euros, naquela que foi a primeira vez que este indicador ultrapassou os dois mil milhões de euros num mês de abril, de acordo com os dados do Banco de Portugal (BdP), divulgados na semana passada.

Os dados do BdP mostram que, em abril, as receitas provenientes da atividade turística, que se encontram pelos gastos dos turistas estrangeiros em Portugal, ficaram 6,2% acima dos 1.938,34 milhões de euros apurados em igual mês do ano passado, bem como 49% acima dos 1.381,15 milhões de euros que tinham sido contabilizados em abril de 2019, antes da pandemia.

“As exportações de viagens e turismo totalizaram 2.058 milhões de euros, o valor mais elevado da série para um mês de abril”, lê-se no comunicado do BdP que acompanha os números de abril, mês que, este ano, não contou com o impulso da Páscoa, que se celebrou a 31 de março.

Tal como as receitas turísticas, também as importações do turismo – que se encontram pelos gastos dos turistas portugueses no estrangeiro – cresceram em abril, somando 595,47 milhões de euros, valor que ficou 2,7% acima dos 580,04 milhões de euros apurados em igual período do ano passado e 25,7% acima do mesmo período de 2019, quando este indicador tinha ficado nos 473,77 milhões de euros.

Já o saldo da rubrica Viagens e Turismo somou 1.462,85 milhões de euros em abril, valor que traduz um aumento de 7,7% face a abril do ano passado, quando este indicador estava nos 1.358,30 milhões de euros, e 61,2% face a abril de 2019, quando o saldo da rubrica Viagens e Turismo tinha sido de 907,37 milhões de euros.

Acumulado até abril também traz notícias positivas

Tal como o mês de abril, também o acumulado até ao quarto mês do ano traduz notícias positivas, com as receitas turísticas a somarem já 6.829,11 milhões de euros, o que traduz um aumento de 12,2% face ao acumulado até abril de 2023, quando este valor se ficava pelos 6.084,71 milhões de euros.

Nas importações turísticas, a tendência volta a ser semelhante, uma vez que, até abril, este valor soma já 1.567,34 milhões de euros, quando em igual período de 2023 este valor estava nos 1.482,84 milhões de euros, o que traduz um aumento de 5,7%.

No que diz respeito ao saldo da rubrica Viagens e Turismo, verificou-se a mesma tendência de subida nos primeiros quatro meses do ano, uma vez que o valor deste indicador foi de 5.261,77 milhões de euros, o que representa um aumento de 14,3% face aos 4.601,87 milhões de euros apurados no mesmo período do ano passado.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos

Foto: Depositphotos.com

Destinos

Peso do PIB turístico espanhol atingirá 13% do PIB total em 2024

Uma recente análise do CaixaBank aponta para crescimentos do setor do turismo em 2024 e 2025. Para este ano de 2024 as estimativas apontam para um crescimento na ordem dos 5% e a possibilidade de se chegar bem perto dos 100 milhões de turistas internacionais.

Victor Jorge

Depois de um ano de 2023 excecional para o turismo em Espanha, com níveis recorde de chegadas internacionais, gastos, dormidas e turismo interno, os números de 2024 superam as expectativas e marcam o melhor início de ano da história do setor, revela o CaixaBank Research que prevê que o peso do PIB turístico cresça 5% em 2024 (mais do dobro do esperado para o conjunto da economia) e que o número de visitas de turistas internacionais ultrapasse os 90 milhões. Esta estimativa baseia-se “na recuperação do poder de compra das famílias europeias num contexto de queda da inflação, à recuperação económica da Europa e à perceção de maior segurança que Espanha transmite em relação a outros destinos concorrentes”, assinala a entidade bancária.

O turismo interno manter-se-á em níveis historicamente elevados, mas crescerá a taxas mais modestas do que o turismo internacional, uma vez que se espera uma reativação do turismo emissor espanhol. “O êxito do setor não deve ser em detrimento da necessidade de continuar a melhorar a gestão dos fluxos turísticos para mitigar as externalidades negativas que podem causar e avançar para um modelo de turismo menos sazonal que reforce a sustentabilidade”, refere ainda a análise.

Começar bem o ano
Depois de um 2023 em que a economia espanhola 2,5%, num contexto de fraco crescimento das principais economias europeias, o início de 2024 voltou a surpreender pela positiva. No primeiro trimestre de 2024, o PIB cresceu 0,7% em termos trimestrais, impulsionado por uma reativação do investimento e um novo aumento das exportações de serviços turísticos (+19% em termos trimestrais). Este bom desempenho do turismo reflete-se também no aumento do excedente da balança de serviços turísticos, que em março de 2024 atingiu 4,2% do PIB em comparação com 3,7% um ano antes (dados acumulados de 12 meses). “Esta melhoria, de 0,5 p. p. do PIB, implica que as exportações de turismo são responsáveis por mais de metade da melhoria do saldo da balança corrente de Espanha no último ano”, diz o CaixaBank.

“Não há dúvida de que parte do atual dinamismo da economia espanhola pode ser explicado pelo bom momento do setor do turismo”, admitindo a análise que, “na sequência dos excelentes registos do setor durante o ano passado, todos os indicadores da atividade turística aceleraram nos primeiros quatro meses de 2024 (ultrapassando os registos do mesmo período de 2023), o que constitui um bom presságio para um forte crescimento em 2024”.

Assim, de acordo com as estimativas, o PIB do turismo representou 0,9 p.p. do crescimento anual do PIB de Espanha de 2,5% em 2023. De acordo com as novas previsões para 2024, o setor contribuirá com cerca de 0,6 p. p. para o crescimento esperado de 2,4%. O peso do PIB do turismo no PIB total atingirá, assim, os 13%.

Até abril, chegaram a Espanha 24 milhões de turistas internacionais, o melhor arranque de ano da série disponível. Em poucos meses, já visitaram o país mais três milhões de turistas estrangeiros do que em igual período de 2023 (um crescimento homólogo de 14,8%).

A despesa média por pessoa ultrapassa os 1.300 euros (média de janeiro a abril), cerca de 245 euros acima da média pré-pandémica, representando um aumento de 19% em relação a 2019, “embora isto se deva mais a um efeito de preço do que a uma maior disponibilidade para gastar em termos reais por parte dos turistas (a inflação turística tem um crescimento acumulado de 21% desde 2019)”, admitem os analistas do CaixaBank.

Por outro lado, os indicadores do turismo interno continuam em boa forma, mantendo-se em níveis elevados, embora o saldo global dos primeiros quatro meses do ano reflita já menos viagens (-2,2% em termos homólogos em janeiro-abril), dormidas (-1,1%) e uma moderação dos gastos dos turistas no país (+5,4% em média anual, de acordo com o indicador do portal CaixaBank Research Real-Time Economics).

Este dinamismo também se reflete no mercado de trabalho, que também bateu recordes em 2023 com três milhões de inscritos nos ramos de atividade característicos do setor do turismo (em 2019, empregavam cerca de 2,7 milhões de pessoas). Nos primeiros quatro meses de 2024, o emprego no turismo cresceu 4,2% em termos homólogos (média de janeiro a abril), com o transporte aéreo (11%) e as agências de viagens (7,8%) a apresentarem o mercado mais dinâmico, e o transporte marítimo o menos (1,8%).

“Gracias” aos alemães e britânicos
Em termos de origem dos turistas, uma das poucas deceções para o setor em 2023 foi que dois dos principais mercados de origem do turismo espanhol, o Reino Unido (primeiro país de origem) e a Alemanha (segundo, antes da pandemia), fecharam o ano com um número de turistas inferior ao de 2019 (-3,7% e -0,9%, respetivamente). O turismo britânico tem sido prejudicado nos últimos anos pelo Brexit, pela queda de grandes operadores turísticos nacionais (como a Thomas Cook no final de 2019) e, mais recentemente, pela crise económica. Por seu lado, a Alemanha chegou a perder o segundo lugar como país de origem para a França nos últimos anos, também prejudicada pela crise económica e pela sua particular vulnerabilidade à crise energética. No entanto, no primeiro trimestre de 2024, chegaram 4,4 milhões de turistas britânicos e 3,2 milhões de turistas alemães, o número mais elevado de ambas as nacionalidades na série disponível nesse período.

Por outro lado, os países asiáticos (-12,8% em relação a 2019), os países nórdicos (-6,1%) e a Rússia (sem dados desde o início da guerra na Ucrânia) destacam-se como os únicos que ainda não retomaram os registos pré-pandémicos.

O motor que arrancou e não parará em 2025
De acordo com as estimativas do CaixaBank Research, o PIB turístico real cresceu 7,6% em 2023, permitindo a recuperação dos níveis de atividade pré-pandémicos (superando o pico de 2019 em 5,2%). Este crescimento permitiu que o setor recuperasse o seu peso no conjunto da economia espanhola, atingindo 12,6% do PIB em 2023 (o mesmo registo de 2019).

Até 2024, a análise do CaixaBank prevê que o PIB turístico cresça 5% em termos reais, impulsionado pelo turismo internacional, esperando-se que cresça de forma muito robusta (+5,5%), ultrapassando as 90 milhões de chegadas de turistas internacionais graças à recuperação do poder de compra das famílias europeias num contexto de queda da inflação, à recuperação económica na Europa e à maior perceção de segurança oferecida pelo nosso país num contexto de elevada instabilidade geopolítica nos países do Mediterrâneo Oriental.

Esta previsão prevê um certo abrandamento do sector em relação ao elevado dinamismo do início do ano, uma vez que existem vários fatores que tenderão a moderar o ritmo de progressão, como a recuperação gradual de outros destinos concorrentes, o impacto dos Jogos Olímpicos de Paris em 2024 e a expetativa de que o turismo interno tenha um crescimento relativamente fraco (+0,8%).

“Após vários anos de recuperação, em que os turistas espanhóis optaram por destinos locais, esperamos que este ano se assista a um aumento das viagens para fora das nossas fronteiras, graças ao aumento do rendimento disponível das famílias e à procura reprimida de turismo no estrangeiro”, conclui o CaixaBank Research.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2024 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.