Assine já
Natureza Fotos de banco de imagens por Vecteezy
Destinos

Centro e Porto e Norte de Portugal juntam-se aos Observatórios Regionais de Turismo Sustentável

O Observatório para o Turismo Sustentável do Centro de Portugal e o Observatório para o Turismo Sustentável do Porto e Norte juntam-se ao Observatório do Turismo Sustentável do Alentejo (ASTO), dos Açores e o Observatório Regional para o Turismo Sustentável do Algarve (AlgSTO).

Publituris
Natureza Fotos de banco de imagens por Vecteezy
Destinos

Centro e Porto e Norte de Portugal juntam-se aos Observatórios Regionais de Turismo Sustentável

O Observatório para o Turismo Sustentável do Centro de Portugal e o Observatório para o Turismo Sustentável do Porto e Norte juntam-se ao Observatório do Turismo Sustentável do Alentejo (ASTO), dos Açores e o Observatório Regional para o Turismo Sustentável do Algarve (AlgSTO).

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Algarve lança Observatório de Turismo Sustentável e torna Portugal numa “referência internacional”
Homepage
Viagens turísticas
Plano de Ação para reativar turismo conta com 6 mil milhões de euros
Homepage
Impacto da COVID-19 no turismo pode custar 4 biliões de dólares à economia mundial
Sem categoria
Fotos de banco de imagens por Vecteezy
2.ª edição do programa “Algarve 365” mantém investimento de 1,5M€
Destinos

O Observatório para o Turismo Sustentável do Centro de Portugal e o Observatório para o Turismo Sustentável do Porto e Norte foram recentemente lançados através da formalização dos respetivos protocolos entre as entidades envolvidas.

Ambos os observatórios pretendem ser reconhecidos pela Organização Mundial do Turismo (OMT) enquanto membros da sua Rede Internacional de Observatórios de Turismo Sustentável (INSTO), consolidando assim a posição de Portugal como líder da monitorização da sustentabilidade dos destinos. Atualmente Portugal tem três observatórios a funcionar na rede nacional: o Observatório do Turismo Sustentável do Alentejo (ASTO), o Observatório de Turismo dos Açores e o Observatório Regional para o Turismo Sustentável do Algarve (AlgSTO), todos pertencentes à rede internacional da OMT (INSTO).

De referir que o Turismo de Portugal tem vindo a trabalhar com as entidades regionais para a criação de observatórios de sustentabilidade nas diversas regiões, dando prossecução aos objetivos definidos na Estratégia Turismo 2027 que preconiza que o destino Portugal se deve posicionar como um dos mais competitivos e sustentáveis do Mundo. O objetivo, segundo a entidade, é “obter um conhecimento aprofundado dos impactes da atividade no território e uma maior eficiência no planeamento e gestão dos destinos”.

Enquanto autoridade turística nacional e responsável pela implementação do Plano “Reativar o Turismo |Construir o Futuro”, o Turismo de Portugal tem vindo a desenvolver uma série de iniciativas para afirmar o turismo como hub para o desenvolvimento de todo o território, desencadeando ações e iniciativas várias, e estabelecendo metas específicas de sustentabilidade, nomeadamente através do recentemente lançado Plano Turismo +Sustentável 20-23.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Lufthansa lança campanha de recrutamento

Depois dos cortes efetuados, a Lufthansa lançou uma campanha para recrutar 20.000 novos colaboradores. A procura centra-se em funções como técnicos, advogados, especialistas em TI, além de pilotos e tripulantes de cabine.

A Lufthansa lançou uma campanha como parte de um esforço para recrutar um total de 20.000 funcionários na Europa, com a decisão a seguir a recuperação significativa do setor do tráfego aéreo, bem como a escassez de pessoal neste setor.

Em comunicado, a companhia aérea de bandeira da Alemanha, prevê a contratação de 20.000 novos funcionários para 45 funções para as suas bases na Alemanha, Suíça, Áustria e Bélgica, salientando que a procura se centra, particularmente, em técnicos, advogados, especialistas em TI, além de pilotos e tripulantes de cabine.

Os números fornecidos anteriormente pelo Aerotime, um hub digital noticioso sobre aviação, revelava que a Lufthansa tinha 140.000 funcionários no final de 2020, tendo tomado, no decorrer deste ano, algumas medidas de corte de custos e de pessoal, causando dificuldades operacionais.

Em setembro, a companhia aérea anunciou que não faria mais greves até junho de 2023, depois de confirmar que chegou a um acordo com o sindicato de pilotos alemães “Vereinigung Cockpit”.

Os pilotos da companhia, representados por este sindicato na Alemanha, foram elegíveis para obter salários e bónus mais altos após negociações bem-sucedidas com a Lufthansa.

As dificuldades vividas pela companhia aérea alemã fizeram com que, em julho, tivesse sido relatado que um total de 130.000 viajantes estavam sujeitos a cancelamentos de voos pela Lufthansa, tendo a companhia anunciado, também nessa altura, que teve de cancelar mais de 1.000 voos devido a greves.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Sem categoria

Airmet reforça equipa no Norte e Madeira

Com 23 anos de experiência, Célia Castro reforça a equipa comercial da Airmet no Norte e na Madeira.

A rede de agências Airmet acaba de reforçar a sua equipa na zona Norte e Madeira, com a contratação de Célia Castro.

A nova comercial reúne 23 anos de experiência no setor do turismo, tendo passado pela Soltour, BedsOnline e Hotelbeds.

“Esta nova integração vem ao encontro dos valores e objetivos estabelecidos pela Airmet: proximidade, confiança, cooperação e inovação. Assistir os nossos associados de perto é o que torna a Airmet um grupo sólido e em constante desenvolvimento. Estamos confiantes que reforçar o nosso departamento comercial com profissionais experientes, é uma mais-valia não só para fortalecer o acompanhamento dos nossos associados, mas também para a angariação de novas agências”, refere Luís Henriques, diretor-geral da Airmet, em comunicado.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

WTTC revela que viagens internacionais estão no pico mais alto desde o início da pandemia

Os australianos aparecem como os turistas mais gastadores, sendo que o estudo do WTTC aponta para viajantes cada vez mais social e ambientalmente responsáveis.

Aproveitando a abertura da 22.ª edição do Global Summit, em Riade (Arábia Saudita), o World Travel & Tourism Council (WTTC) revela que as viagens internacionais estão no pico mais alto desde o início da pandemia.

Segundo os dados, mais de um quarto (27%) dos consumidores prevê realizar três ou mais viagens em 2023, com os australianos a liderarem este ranking em termos de gastos, destacando-se, igualmente, os viajantes do Canadá, Arábia Saudita e Filipinas.

Este novo estudo, realizado junto de 26.000 consumidores em 25 países pelo YouGov para o WTTC, analisa o interesse pelas viagens internacionais, indicando que 63% dos inquiridos planeiam efetuar uma viagem nos próximos 12 meses.

O estudo revela que o interesse por viagens não mostra sinais de desaceleração, com a Arábia Saudita a aparecer destacada no que diz respeito à atratividade e impressão positiva num destino que continua a crescer, registando as pontuações mais altas relativamente a todos os países da região do Golfo, a par da Índia, Malásia e Tailândia.

Julia Simpson, president e CEO do WTTC, refere que os resultados do estudo mostram, igualmente, “a crescente importância das viagens sustentáveis entre os consumidores”.

Quase dois terços dos entrevistados (61%) afirmaram preferir marcas e destinos mais sustentáveis, enquanto quase metade (45%) admitiu só gastar dinheiro com marcas social e ambientalmente responsáveis.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Turismo

“Turismo, Competitividade e Destino Portugal” em livro

O livro, além da interpretação dos eventos que influenciaram o bom momento vivido no turismo em Portugal (pré-pandemia), propõe ainda novas rotas de atuação para o turismo nacional.

“Turismo, Competitividade e Destino Portugal. Fatores de Sucesso e Imagem Internacional” é o primeiro livro da especialista em comunicação, Vânia Sousa, que analisa os eventos recentes e marcantes do turismo nacional e internacional.

Como lançamento marcado para esta terça-feira, 29 de novembro, na FNAC de Santa Catarina, no Porto, o livro, além da interpretação dos eventos que influenciaram o bom momento vivido no turismo em Portugal (pré-pandemia), propõe ainda novas rotas de atuação para o turismo nacional, como recurso ao marketing digital, às operadoras low-cost, à inovação, às experiências integradas e à cocriação são alguns dos aspetos valorizados.

Para tal, a obra abrange a visão e recomendações de diversos especialistas de renome internacional, que identificam aspetos positivos e de melhoria no turismo português. Entre os entrevistados encontram-se personalidades de renome das áreas do turismo, do marketing e do jornalismo, como Edson Athayde, Álvaro Covões, Francisco Jaime Quesado, Ricardo Jorge Pinto, Carlos Costa, Antónia Correia, Dimitrius Buhalis, Ricardo Fonseca de Almeida, Manuel Pinto Teixeira, Joana Neves, Marta Sá Lemos ou Jorge Pedro Sousa.

O livro engloba também perspetivas diferenciadoras sobre a imagem internacional de Portugal nos média e a opinião dos estrangeiros, bem como políticas públicas e de marketing e comunicação e a influência da Troika na notoriedade do Destino Portugal.

Reflete ainda sobre acontecimentos recentes que marcaram o turismo nacional e identifica direções a tomar para superar os desafios do mercado.

Segundo Vânia Sousa, “é fundamental que os profissionais do turismo comuniquem de forma estratégica, para que se possam tornar mais competitivos”.

A apresentação do livro “Turismo, Competitividade e Destino Portugal. Fatores de Sucesso e Imagem Internacional” conta com a participação de Mário Augusto (jornalista), Luís Pedro Martins (Presidente do Turismo Porto e Norte), Francisco Jaime Quesado (economista e gestor, especialista em Inovação e Competitividade) e Paulo Faustino (Diretor do mestrado em comunicação e gestão de indústrias criativas, da Universidade do Porto).

A obra conta com o posfácio de Filipa Maria Cardoso, diretora de Comunicação e Marketing Digital do Turismo de Portugal I.P.; com o epílogo de Francisco Jaime Quesado, economista e gestor, especialista em Inovação e Competitividade; e com o preâmbulo assinado por Paulo Faustino, diretor do mestrado Comunicação e Gestão de Indústrias Criativas da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

AirHelp aposta em assistentes robot

AGA, LARA, Herman e ECS são os novos assistentes robots da AirHelp que tratam de tarefas mais mecânicas e que requerem o processamento de grandes quantidades de documentação e dados.

A AirHelp “contratou”, recentemente, diversos assistentes robots, seguindo uma estratégia “digital-first”, em que a tecnologia desempenha um papel fundamental. Nos últimos anos, as equipas jurídicas e técnicas da AirHelp desenvolveram robots baseados em Inteligência Artificial (IA) para apoiar os processos de reclamação dos seus clientes, admitindo Miguel Madaleno, advogado especialista que representa a AirHelp em Portugal, que a IA é “altamente eficaz quando usada como um apoio para o trabalho humano, designadamente na área jurídica”.

Na AirHelp, estes robots tratam de tarefas mais mecânicas e que requerem o processamento de grandes quantidades de documentação e dados, revelando a plataforma online, em comunicado, que desta forma, “a produtividade e eficácia podem ser melhoradas, diminuindo a possibilidade de erro humano, acelerando o processo e, consequentemente, melhorando a experiência do cliente”.

Além, disso, referem que, os membros (humanos) da equipa podem “concentrar-se noutras tarefas, tais como a procura constante de novas soluções que possam conduzir a uma melhor qualidade de serviço ao cliente, a recolha de informação para detetar novos nichos de mercado ou até mesmo o estudo de novas regulamentações”.

Cada ‘bot’ desenvolvido desempenha um papel muito importante durante o processo de reclamações aéreas gerido pela Airhelp, desde o início e a recolha de dados até chegar a uma resolução precisa e precisa.

Os assistentes:

AGA (Agent Assistant)
Criada em 2018, trata da fase inicial de qualquer processo de reclamação: recolha de dados. A AGA irá informar o cliente se este apresenta os documentos necessários e dará as instruções necessárias para assegurar que os dados são corretamente preenchidos. A AGA é capaz de avaliar 40% dos casos com praticamente nenhuma margem de erro. Caso não seja clara a sua decisão, diz aos agentes quais os processos que precisam de ser monitorizados.

LARA (Legal Assessment Referral Assistant)
A LARA foi criada em 2017 e é responsável pelo apoio à equipa jurídica. LARA considera todos os aspetos legais de uma reclamação e, para além de levar a cabo o processo de reclamação, estuda a viabilidade de o caso terminar com uma resolução favorável ao cliente. Atualmente, a LARA é capaz de resolver 70% dos casos por si só.

HERMAN
HERMAN é o veterano do grupo, criado em 2016. No seu papel de agente jurídico, determina a melhor jurisdição para resolver cada caso, com base na taxa de sucesso de reclamações semelhantes, na duração do processo e noutros fatores. O seu nome deriva do caso Wallentin Hermann, uma das decisões mais importantes do Tribunal de Justiça Europeu para a proteção dos direitos dos passageiros aéreos na Europa.

ECS
ECS é a mais recente adição à equipa de robots da AirHelp. O ECS atua como um filtro e determina se a interrupção do voo é justificada ou causada pela companhia aérea e se o passageiro deve ser compensado. 100% de todas as reclamações passam pelo ECS, que examina a situação do aeroporto, informações de tráfego aéreo, dados de voo e se existe de facto um atraso injustificado.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Reino Unido pode limitar restrições de líquidos em aeroportos

Um novo sistema de controlo de segurança está a ser testado nos aeroportos britânicos para eliminar as restrições dos 100 mililitros nos líquidos nas bagagens de mão.

Segundo informações avançadas pelo jornal The Times, as restrições de segurança relativamente aos líquidos poderão vir a ser eliminadas nos aeroportos britânicos num prazo de dois anos.

Esta medida vem na sequência da instalação de novos scanners 3D que possibilitam ao pessoal de segurança dos aeroportos verem detalhadamente o conteúdo do interior das malas e bolsas, encontrando-se a tecnologia em fase de teste nos aeroportos de Heathrow e Gatwick.

Recorde-se que, desde 2006, a quantidade de líquidos a serem transportados na bagagem de mão está limitada a 100 mililitros e deve ser transportada em bolsas transparentes individuais.

De acordo com os especialistas, esta medida, sob a qual ainda pende uma aprovação e decisão final, ajudaria a reduzir as filas nos controlos de segurança nos aeroportos, além de reduzir, consideravelmente, o uso de plástico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP inclui Europa, Brasil, EUA, Canadá e Norte de África na “Black Friday”

Além dos voos de ida-e-volta a partir de 49 euros para destinos da companhia na Europa, Brasil, Estados Unidos da América, Canadá e Norte de África, a TAP alarga esta promoção, também, para viagens em classe Executiva, com preços a partir de 299 euros para voos de ida-e-volta.

Publituris

A promoção de “Black Friday” da TAP – disponível até ao dia 28 de novembro – oferece voos de ida-e-volta a partir de 49 euros para destinos da Companhia na Europa, Brasil, Estados Unidos da América, Canadá e Norte de África, alargando esta promoção, também, para viagens em classe Executiva, com preços a partir de 299 euros para voos de ida-e-volta.

A promoção Black Friday aplica-se a vendas realizadas até 28 de novembro, para voos a realizar entre 16 de janeiro e 30 de novembro de 2023 (exceto os períodos de 31 de março a 17 de abril e de 15 de julho a 31 de agosto de 2023).

Esta promoção da TAP está também disponível nos mercados de Portugal, Áustria, Bélgica, Suíça, Chéquia, Alemanha, Espanha, França, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Noruega, Polónia, Dinamarca, Suécia, Croácia e Reino Unido, na Europa, mas também no Brasil (Belém, Natal, Maceió e Salvador), Estados Unidos e Canadá.

Os preços são válidos para estadas mínimas no destino de três dias (Europa e norte de África) e de cinco dias nos restantes mercados.

Para lançar esta campanha, com o mote “grandes viagens ficam para sempre, estes preços só até 28/11”, a TAP divulga um vídeo nos seus canais de internet e redes sociais, em que mostra uma partida realizada em parceria com o estúdio de tatuagens Ink and Wheels.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

“Black Friday” da easyJet 28.000 lugares para este inverno

Este ano, a easyJet disponibiliza 4,8 milhões de lugares para a estação de inverno (entre outubro de 2022 e março de 2023), um aumento de 51% em relação ao período pré-pandémico.

Publituris

A easyJet lança a sua campanha de “Black Friday”, disponibilizando 28.000 lugares de e para Portugal a partir de 19,99 euros, promoção válida para viagens que decorram entre os dias 10 de dezembro de 2022 e 31 de março de 2023.

A campanha em vigor inclui voos para mais de 80 destinos, sendo que os lugares estão disponíveis para reserva até dia 28 de novembro, em easyjet.com.

Entre as diversas viagens que os clientes podem escolher, destacam-se as rotas que foram recentemente anunciadas Lisboa para Rennes, Toulouse, Funchal, Luxemburgo e Tenerife Sul; bem como Porto para Rennes, Toulouse, Funchal e Luxemburgo.

José Lopes, Country Manager da easyJet para Portugal, refere, em comunicado, que “como é hábito, nesta altura da Black Friday gostamos de presentear os nossos clientes com descontos que os permitam viajar, a custos ainda mais baixos, para os seus destinos preferidos”, salientando que, “ao longo dos últimos meses, temos vindo a alargar a nossa rede europeia para aumentarmos a variedade da nossa oferta e conseguirmos aproximar os portugueses dos seus locais de interesse”.

De referir que, em Portugal, a easyJet serve cinco aeroportos e oferece voos diários para mais de 80 destinos na Europa, disponibilizando, este ano, 4,8 milhões de lugares para a estação de inverno (entre outubro de 2022 e março de 2023), um aumento de 51% em relação ao período pré-pandémico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

“Aqui Entre Nós” do Centro de Portugal no pódio do circuito mundial de festivais de filmes turísticos

O filme do Centro de Portugal foi o terceiro mais bem classificado entre aqueles que concorreram na categoria “Destinos Turísticos – Regiões”.

Publituris

O filme promocional “Aqui Entre Nós”, da Turismo Centro de Portugal (TCP), recebeu o troféu correspondente ao terceiro lugar na categoria “Destinos Turísticos – Regiões”, nos World Tourism Film Awards, organizada pelo Comité Internacional de Festivais de Filmes de Turismo (CIFFT).

O filme do Centro de Portugal foi o terceiro mais bem classificado entre aqueles que concorreram na categoria “Destinos Turísticos – Regiões”, ficando apenas atrás de filmes da Andaluzia (Espanha) e do Peloponeso (Grécia).

Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal, destaca o prémio recebido, “numa categoria que distingue as regiões enquanto destinos turísticos. A região magnífica que é o Centro de Portugal não merece menos”.

O circuito internacional do CIFFT engloba 10 festivais em outros tantos países. O filme “Aqui Entre Nós” foi premiado no Festival Internacional de Filmes de Turismo de África, na África do Sul, no Festival TourFilm de Zagreb, na Croácia, no ART&TUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo, em Ourém, Portugal, e no Amorgos Tourism Film Festival, na Grécia.

Produzido para a Turismo Centro de Portugal pela Ideias Com Pernas – Creative Films, partindo de um conceito desenvolvido pela agência criativa Bang Bang Creative Shots, o filme “Aqui Entre Nós” inseriu-se numa campanha lançada pelo TCP em 2021, que teve como como grande objetivo dar a conhecer aos portugueses a essência do Centro de Portugal e solidificar a região como o primeiro destino de férias dos portugueses.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Algarve acolhe o V Fórum Regional de Enoturismo APENO – Ageas Seguros

Descentralizar tem sido a palavra-chave da APENO e da Ageas Seguros para se fazer mais e melhor pelo enoturismo em Portugal.

Publituris

A Associação Portuguesa de Enoturismo (APENO) e a Ageas Seguros, em parceria com as Comissões Vitivinícolas Regionais nacionais (CVR), realizam no próximo dia 5 de dezembro, o V Fórum de Enoturismo como objetivo de debater os pontos fortes e de melhoria do enoturismo nacional.

Este fórum no Algarve segue outros fóruns regionais realizados na região de Lisboa, região do Tejo, região de Setúbal e região do Alentejo.

Descentralizar tem sido a palavra-chave da APENO e da Ageas Seguros para se fazer mais e melhor pelo enoturismo em Portugal. A missão, desta vez, “é abrir portas a ciclos de debates, em que o foco é discutir os pontos fortes e fracos do enoturismo nacional, com o intuito de se encontrarem soluções para fazer crescer ainda mais um setor já de si em franca expansão, mas com muito mais ainda para dar em território português”, refere a associação em comunicado.

“Queremos reforçar o nosso posicionamento no setor de Enoturismo, junto destes profissionais, contribuindo para um setor mais seguro e sustentável. É nosso compromisso estar presentes na vida das empresas de uma forma relevante, próxima e emocional», reforça Gustavo Barreto, membro da Comissão Executiva do Grupo Ageas Portugal.

Do lado da APENO, o presidente da associação, Maria João de Almeida, refere que “fala-se muito de enoturismo, mas ainda ninguém tem definições nem números que ajudem a compreendê-lo, entre outras questões que têm de ser debatidas”, considerando que a APENO tem estado “focada em resolver estas questões e em criar bases sólidas de trabalho para que Portugal seja considerado uma região de referência no enoturismo a nível mundial”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.