Assine já
Alojamento

Portugal Boutique Hotel celebra 8.º aniversário

Unidade hoteleira de luxo da PHC Hotels – Portuguese Hospitality Collection, localizada no centro de Lisboa, comemora o aniversário no próximo domingo, 30 de janeiro.

Publituris
Alojamento

Portugal Boutique Hotel celebra 8.º aniversário

Unidade hoteleira de luxo da PHC Hotels – Portuguese Hospitality Collection, localizada no centro de Lisboa, comemora o aniversário no próximo domingo, 30 de janeiro.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Discovery Hotel Management tem novo CEO
Sem categoria
Lisboa com maior disponibilidade de hotéis de 5 estrelas entre os 12 destinos com “luz verde”
Alojamento
Nasce o Quinta de Santo António — Country House & Villas
Alojamento
Novo Vincci abre a olhar para o Porto
Alojamento

O Portugal Boutique Hotel, no centro de Lisboa, celebra este domingo, 30 de janeiro, o seu 8.º aniversário e continua a afirmar-se pelos “excelentes resultados” alcançados, seja ao nível da  procura ou da avaliação dos clientes.

Numa nota enviada à imprensa em que dá conta do aniversário da unidade, a PHC Hotels – Portuguese Hospitality Collection, marca gestora das unidades Hotel Mundial, Portugal Boutique Hotel e My Suite Lisbon Guest House – Príncipe Real, revela que a unidade tem vindo a ser avaliado “consistentemente com um nível “Soberbo” na Booking.com”.

“O charmoso boutique hotel gerido pela PHC Hotels – Portuguese Hospitality Collection, nascido da reconstrução de um edifício histórico da era pombalina, é recomendado
principalmente pela oferta de luxo e conforto no centro da cidade de Lisboa e por um
serviço marcado pelo máximo nível de atenção e dedicação ao cliente, que não deixa
nenhum hóspede indiferente”, lê-se no comunicado divulgado.

Na nota enviada à imprensa, a PHC Hotels agradece ainda a toda a equipa da unidade hoteleira pelos “oito anos de crescimento, sucesso, e contínua motivação para superar as expectativas do cliente”, sublinhando ainda que o Portugal Boutique Hotel continua “empenhado em responder aos desafios de um futuro que será certamente diferente”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Alojamento

Anantara Royal Vila Viçosa Resort abre portas em 2024

Com a abertura do Anantara Royal Vila Viçosa Resort, em 2024, a marca passa a contar com duas unidades hoteleiras de luxo em Portugal.

Publituris

O projeto, que se enquadra no âmbito da expansão estratégica da cadeia hoteleira por toda a Europa, resulta de uma parceria estratégica com o grupo português Investaureum, com o objetivo de transformar um antigo mosteiro em Vila Viçosa, edifício icónico do século XV, num hotel de cinco estrelas.

Localizado no centro de Vila Viçosa, conhecida como a “Princesa do Alentejo”, este novo resort será constituído por 50 quartos, 10 suites, 16 residências, uma piscina exterior e interior, três restaurantes, incluindo uma área reservada a jantares, um bar e uma adega. O Anantara Spa, uma sala de fitness e três salas de conferência também farão parte das comodidades do resort.

O design de interiores é liderado pelo estúdio de arquitetura, urbanismo e design, Broadway Malyan, com o objetivo de manter e respeitar a história do edifício e o património de Vila Viçosa. O Anantara Royal Vila Viçosa vai ser distribuído por três pisos e o seu design procurará destacar as caraterísticas dos espaços originais do antigo convento.

A marca estreou-se na Europa em 2017 com o lançamento do Anantara Vilamoura Algarve Resort, seguido de um retiro de luxo em Marbella, o Anantara Villa Padierna Palace Resort. A marca tem prosseguido a sua expansão na Europa, e tem novas aberturas previstas até ao final de 2022.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

AHP quer solução “urgente” para o aeroporto e diz que polémica recente “é muito má para o país”

O presidente da AHP, Bernardo Trindade, considera que “a situação recentemente criada é muito má para o país”, pois arrasta a questão do aeroporto, que tem levado à “perda de oportunidades devido à incapacidade de resposta”, com consequências negativas para o turismo e economia.

Publituris

O presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), Bernardo Trindade, veio esta segunda-feira, 4 de julho, lamentar a polémica em torno do aeroporto de Lisboa, considerando que “a situação recentemente criada é muito má para o país”, já que arrasta a questão do aeroporto, cujo esgotamento tem levado à “perda de oportunidades devido à incapacidade de resposta”, com consequências negativas para o turismo e para a economia.

“A solução para o Aeroporto de Lisboa é, há muito, urgente, urgentíssima no curto prazo”, começa por considerar o presidente da AHP, que lamenta as oportunidades perdidas e o seu consequente efeito “prejudicial para o setor do Turismo, mas também para a economia do país”.

Bernardo Trindade considera que “Portugal não se pode dar ao luxo de rejeitar clientes por falta de soluções de mobilidade”, pelo que, defende o responsável, “uma decisão imediata, seja ela qual for, é estrutural”, principalmente numa altura em que o país ainda está a recuperar da pandemia e se vivem momento de instabilidade geopolítica.

“Esta indefinição traz, para já, problemas no imediato, mas também a médio e longo prazo que têm de ser resolvidos. Todas as soluções agora encontradas só trarão benefícios para Portugal daqui a uns anos”, considera o presidente da AHP, que defende também a necessidade de realização de “obras no Aeroporto Humberto Delgado que permitam aumentar o número de lugares de estacionamento, melhorar a circulação em terra com aumento do número de movimentos, tudo articulado com uma mais eficaz monitorização do espaço aéreo”.

Apesar do ruído político, Bernardo Trindade considera que as declarações dos responsáveis políticos mostram que “há vontade em definitivamente tomar decisões”, até porque o recém-eleito líder do maior partido da oposição, o Partido Social-Democrata (PSD), reconheceu que “o país e Lisboa precisam de reforçar a capacidade aeroportuária e suprir insuficiências que existem e prejudicam o interesse nacional”.

“Espero que assim seja e, sobretudo, que, além de tomadas, as mesmas sejam rapidamente executadas”, acrescenta o presidente da AHP, que apela ainda ao Governo e aos demais intervenientes para que, “apesar deste retrocesso, não se perca o foco e se trabalhe de forma célere para encontrar uma solução aeroportuária definitiva”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

chic & basic Gravity hotel celebra 1.º aniversário com oferta de estadias e muitos outros prémios

Além das estadias, neste primeiro aniversário, o chic & basic Gravity hotel vai também oferecer refeições no Restaurante Valentina’s, cocktails no bar do hotel e vales de desconto.

Publituris

O chic & basic Gravity hotel, no Porto, está a comemorar o seu 1.º aniversário e, para assinalar a efeméride, está a oferecer estadias e muitos outros prémios aos hóspedes que, até 15 de julho, fiquem alojados na unidade hoteleira.

Além das estadias na unidade hoteleira, neste primeiro aniversário, o chic & basic Gravity hotel vai também oferecer refeições no Restaurante Valentina’s, cocktails no bar do hotel e vales de desconto.

“Queremos marcar esta data a parabenizar quem nos tem como hotel de eleição. Felizmente temos muitos hóspedes repetentes, mas na sua maioria são turistas que estão de visita à cidade do Porto. Com esta ação estamos, também, a mostrar a essência das gentes da terra, que gostam de receber bem”, justifica o diretor da unidade, Jorge Oliveira.

Para ganhar uma destas ofertas, os hóspedes do chic & basic Gravity hotel apenas necessitam de girar a tombola que se encontra na receção da unidade hoteleira e ter a sorte de lhe sair um dos muitos prémios em jogo, “sendo que é sempre garantido prémio”, segundo o comunicado divulgado.

O chic & basic Gravity hotel conta com 70 quartos e abriu portas em julho de 2021, apresentando um conceito diferenciador, já que se apresenta como um hotel que testa as leias da gravidade, “desde logo por ter uma piscina invertida, sapatilhas coladas no teto, vasos de plantas virados ao contrário ou letras que pairam no ar”.

A experiência começa logo na entrada do hotel, já que para entrarem no chic & basic Gravity hotel os hóspedes têm de passar por um cubo de espelhos que reproduz o seu reflexo ao infinito, enquanto no lobby “as letras parecem suspensas, as plantas estão invertidas no teto, o papel de parede está virado de cima para baixo e ainda existe um grande quadro negro de 11 metros repleto de fórmulas invertidas”.

No entanto, a grande atração “encontra-se no pátio interior e trata-se de uma piscina inversa” que, na realidade, é “uma escultura de arte contemporânea transitável do artista Luis Vidal, que consiste num jardim com uma piscina ao centro, dobrada ao meio, que faz com que tanto a relva do terreno como as plantas, mesas, cadeiras e a própria piscina, subam numa das paredes do playgroung”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

The Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa recruta Diretor-Geral e Assistente de Direção

O Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa é uma nova unidade de cinco estrelas em Vila do Conde, que tem abertura prevista para dezembro de 2022.

Publituris

O The Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa, nova unidade em Vila do Conde, que tem abertura prevista para dezembro de 2022, já abriu o processo de recrutamento para as vagas de Diretor-Geral e Assistente de Direção.

Num comunicado enviado à imprensa, a nova unidade hoteleira da cadeia The Lince Hotels & Resorts, que fica localizada no antigo Convento de Santa Clara, indica que os interessados em apresentar a sua candidatura às vagas de Diretor-Geral e Assistente de Direção devem candidatar-se através do site https://www.thelincehotels.com/recrutamento-tls.

Localizado no topo de uma colina na periferia de Vila do Conde, com excelentes vistas sobre o oceano, o Rio Ave e sobre a própria cidade, o The Lince Santa Clara Historic Hotel & Spa é uma unidade de cinco estrelas, que resulta da requalificação e ampliação do edifício existente e que conta com 89 quartos, incluindo nove suites, uma das quais preparada para hóspedes com mobilidade reduzida.

O hotel vai também disponibilizar biblioteca, livraria, sala de eventos, restauração, piscinas exterior e interior, SPA, além de centro interpretativo dedicado ao património histórico do edifício e adega e prova de vinhos.

“Estas valências, aliadas à riqueza histórica e arquitetónica do edifício, permitem posicionar este produto para o Turismo de Cultura e de Experiências, criando um produto turístico diferenciado, inovador na região e com um posicionamento distintivo”, lê-se num comunicado divulgado esta segunda-feira, 4 de julho.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

NH Hotel Group conta abrir 2.500 novos quartos até 2025 e inclui Portugal

O NH Hotel Group planeia abrir cerca de 2.500 novos quartos entre 2022 e 2025 em vários países, incluindo Portugal. Já assinou contratos para 16 hotéis com quatro de suas marcas, sendo que 45% estão sob o modelo de gestão.

Publituris

A notícia avançada pelo jornal espanhol Hosteltur, cita Ramón Aragonés, CEO da cadeia hoteleira que sustenta que existe uma “grande oportunidade” no segmento de luxo através da marca Anantara e no segmento de férias com a Tivoli.

Durante a Assembleia Geral de Acionistas, Aragonés explicou que há 16 hotéis assinados, e outros em negociação, para abrir nos próximos três anos. O foco está no segmento superior, com contratos de gestão ou participações, e o que se procura é o fortalecimento em mercados-chave.

Cerca de 12% dos novos quartos que vão abrir nos próximos três anos serão divididos entre Portugal, Espanha e França, enquanto 38% estão na América Latina, 30% na Europa Central, e 20% em Itália.

O NH Collection concentra 37% dos futuros quartos, 31% corresponde ao Nhow, 26% ao NH Hotels e 6% à marca de luxo Anantara, segundo aquele jornal.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

GuestCentric deixa dicas para hotéis aumentarem reservas diretas este verão

À medida que os negócios se recompõem no verão de 2022, a Guestcentric Systems considera importante que os hoteleiros continuem a investir nos seus canais diretos e, neste sentido, deixa algumas sugestões para os hotéis aumentarem as suas reservas diretas.

Embora as OTAs (online travel agencies) possam dominar em termos de visibilidade online, os hotéis independentes têm a vantagem de conhecer os seus hóspedes e saber exatamente aquilo que estes gostam de fazer durante as suas estadias, indica este fornecedor de websites hoteleiros.

A GuestCentric desafia os hoteleiros a reavaliarem o seu principal canal de reservas diretas – o website do seu hotel – analisando como é que o site comunica a unidade hoteleira, como é que inspira os seus clientes com a história da sua marca, em que medida os conduz até à reserva efetiva. E deixa algumas dicas para ajudar o setor a obter mais reservas diretas neste verão.

Tendo em conta que o website do hotel é o primeiro ponto de contacto para os hóspedes compreenderem mais sobre o que podem esperar da unidade e do destino, será necessário, segundo a GuestCentric, assegurar que as visitas podem ser convertidas em reservas de estadias, para gerar mais negócio direto.  O primeiro passo é usar o poder visual do website para fazer com que os hóspedes sonhem em visitar o hotel.

Refira-se que um inquérito da Hospitality Net concluiu que a decisão de reservar é 60% emocional e 40% racional. As imagens não só valem mil palavras, como inspiram uma reação emocional nos hóspedes – que os levará a reservar ou a abandonar o website do hotel. Assim, a empresa diz que, usando o poder de fotografias e vídeos, durante a tomada de decisão dos hóspedes, o hotel consegue converter visitas em reservas.

Além disso, é importante saber o que os visitantes querem e orientar as suas decisões de reserva.

“Quando se trata de saber aquilo de que os hóspedes gostam, os hotéis têm uma grande vantagem sobre as OTAs porque observam, em primeira mão, as preferências dos clientes durante a sua estadia”, considera a Guestcentric Systems, para acrescentar que “o hotel deve assumir a liderança no processo de compreender bem os seus hóspedes. Caso contrário, é bem possível que deixe de beneficiar desta posição privilegiada”.

Depois de observar os hóspedes e compreender as suas preferências (ou aversões), há quatro passos que devem ser implementados pelo hotel no seu website: Criar ofertas e serviços em torno do que os hóspedes querem e incentivá-los a reservarem diretamente; Comunicar informações precisas e atualizadas sobre o hotel e destino; Manter e comunicar políticas flexíveis; Falar a mesma língua que os hóspedes.

Finalmente, a empresa destaca que, tal como no website do hotel, o motor de reservas deve encorajar todos os comportamentos ligados à compra em si. Assim, o melhor preço garantido, as ofertas especiais, promoções e alertas de ativação/recuperação de compras irão criar um sentido de urgência e inspirar os visitantes a reservar.

 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Alojamento

Novo cinco estrelas Art Legacy Hotel abre em Lisboa até ao final do ano

O Art Legacy Hotel vai contar com 53 quartos e cinco suites, e vai funcionar num conceito “top luxury”, ficando localizada na Rua do Ouro, na Baixa lisboeta.

Publituris

O AT Group vai abrir, até ao final do ano, um novo hotel de cinco estrelas em Lisboa, o Art Legacy Hotel, unidade de luxo, com 53 quartos e cinco suites, que fica localizada na Rua do Ouro, na Baixa lisboeta.

Num comunicado divulgado esta quinta-feira, 30 de junho, o AT Group revela que o Art Legacy Hotel vai posicionar-se “num conceito “top luxury”, que se impõe desde logo pela originalidade do Design Mooi, marca de referência na área de decoração a nível internacional”.

“O Art Legacy apresenta-se assim com um diferencial de imagem que, do mobiliário dos quartos e casas-de-banho, aos quadros e outras peças decorativas, assenta na diferenciação, bom gosto e modernidade”, indica o grupo, no comunicado divulgado.

A unidade fica localizada no edifício onde, no passado, funcionaram os escritórios da Companhia de Seguros Sagres, em plena Baixa lisboeta, e que foi reabilita e convertido em hotel pelo arquiteto Luis Rebelo de Andrade.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Alojamento turístico recupera em maio mas mantém descida nas dormidas de não residentes

Segundo o INE, em maio, o mercado interno contribuiu com 1,8 milhões de dormidas e os mercados externos totalizaram 4,7 milhões, valores que traduzem um crescimento de 11,6% e uma descida de 4,7% face ao mesmo mês de 2019, respetivamente.

Inês de Matos

Em maio, o alojamento turístico nacional contabilizou 2,5 milhões de hóspedes e 6,5 milhões de dormidas, valores que traduzem diminuições de 3,2% e 0,7% face a igual mês de 2019, avança o Instituto Nacional de Estatística (INE), que indica que, no caso das dormidas, este indicador foi influenciado pelo decréscimo de 4,7% registado nos mercados externos.

“Em maio, o mercado interno contribuiu com 1,8 milhões de dormidas e os mercados externos totalizaram 4,7 milhões. Face a maio de 2019, o mercado interno cresceu 11,6% e os mercados externos diminuíram 4,7%”, lê-se no comunicado divulgado esta quinta-feira, 30 de junho, pelo INE.

Face a maio do ano passado, o cenário é, no entanto, mais animador, uma vez que os 2,5 milhões de hóspedes e 6,5 milhões de dormidas contabilizados representam subidas de 162,1% e 221,8%, respetivamente.

O INE diz que “os mercados externos predominaram”, já que representaram 72,2% das dormidas contabilizadas nos estabelecimentos de alojamento turístico nacionais, num aumento de 489,5% face ao ano passado, enquanto o aumento no mercado interno foi de 47,7%.

No acumulado dos primeiros cinco meses do ano, as dormidas totalizam já mais de 21,4 milhões, o que representa uma descida de 9,0% face a igual período de 2019, com o INE a indicar que esta descida foi “consequência da diminuição das dormidas de não residentes (-14,4%), dado que as de residentes cresceram 4,9%”.

Em comparação com o acumulado dos primeiros cinco meses de 2021, o cenário volta a ser diferente, uma vez que existe um aumento de 355,2%, incluindo uma subida de 128,5% nos residentes e de 775,8% nos não residentes.

“No conjunto dos primeiros cinco meses do ano, registou-se um aumento de 355,2% das dormidas totais, +128,5% nos residentes e +775,8% nos não residentes. Comparando com o mesmo período de 2019, as dormidas diminuíram 9,0%, como consequência da diminuição das dormidas de não residentes (-14,4%), dado que as de residentes aumentaram 4,9%”, resume o INE, no comunicado divulgado.

Por tipo de alojamento, o INE indica que as dormidas na hotelaria representaram 82,9% do total e que, face a igual mês de 2019, este tipo de alojamento registou um descida de -0,9%, ainda que, face a maio de 2021, haja um aumento de 237,5%.

No alojamento local, onde as dormidas representaram 13,8% do total, o cenário foi idêntico, já que as dormidas nestes tipo de estabelecimentos aumentaram 200,4% face a maio de 2021, mas desceram 4,8% face a maio de 2019.

Já nas unidades de turismo no espaço rural e de habitação, cujas dormidas representaram 3,3% do total, houve um aumento de 70,4% face a maio do ano passado, assim como de 30,1% face a maio de 2019.

Por mercados, o INE indica que a “totalidade dos dezassete principais mercados emissores
registou aumentos expressivos em maio”, representando 88,2% das dormidas de não residentes nos estabelecimentos de alojamento turístico neste mês.

No entanto, três dos principais mercados emissores de turistas para Portugal, nomeadamente britânico, alemão e francês, continuaram a evidenciar descidas face a 2019, com o mercado britânico, que representou 21,7% do total das dormidas de não residentes, a cair 0,8%, enquanto o alemão, que representou 11,8% do total, desceu 7,3%, e o francês, que teve uma quota de 10,7%, recuou 10,0%.

“Comparando com maio de 2019, os maiores crescimentos foram registados nos mercados dinamarquês (+38,2%), romeno (+36,7%), checo (+32,8%) e norte americano (+21,9%). As maiores diminuições foram registadas nos mercados brasileiro (-25,8%), sueco (-18,0%) e austríaco (-11,7%)”, acrescenta o INE.

Aumento de dormidas em todas as regiões

Por regiões, o INE diz que, face ao ano passado, “registaram-se aumentos das dormidas em todas as regiões”, com destaque para o Algarve, que “concentrou 28,6% das dormidas,
seguindo-se a AM Lisboa (26,3%), o Norte (16,4%) e a RA Madeira (12,1%)”.

Face a 2019, a situação é, contudo, diferente, uma vez que apenas houve subidas na RA Madeira (+18,8%), Norte (+6,5%) e Alentejo (+1,2%), enquanto o Centro (-7,4%) contabilizou “o maior decréscimo observado”.

No que diz respeito às dormidas de residentes, também se registaram “aumentos em todas as regiões”, neste caso com destaque para a RA Madeira (+66,2%), Norte (+14,2) e Alentejo (+10,0%), enquanto as dormidas de não residentes aumentaram na RA Madeira (+12,6%) e no Norte (+2,4%), “tendo as maiores diminuições sido observadas no Centro (-23,1%) e Alentejo (-11,1%)”, segundo o INE.

Em maio, a estada média a nos estabelecimentos de alojamento turístico totalizou 2,56 noites, num aumento de 22,7% face a igual mês do ano passado, com destaque para a estada média dos residentes, que foi de 1,89 noites e aumentou 6,8%. Já a estada média dos não residentes foi de 2,98 noites, o que traduz uma subida de 2,3%.

O INE diz ainda que “na RA Madeira e no Algarve as estadas médias atingiram os valores mais elevados: 4,52 e 3,77 noites, respetivamente”.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Restauração

Ana Magalhães vence Chefe Cozinheiro do Ano 2022

Ana Magalhães, chefe de partida no Six Senses Douro Valley, em Lamego, sagrou-se vencedora do Chefe Cozinheiro do Ano 2022. A Final Nacional da 33ª edição deste concurso de cozinha profissional aconteceu na Feira Internacional de Artesanato, na FIL, em Lisboa.

Publituris

Em segundo lugar ficou Fábio Santos do Restaurante Landeira, em Tomar, e a terceira posição foi para Nuno Dinis Ferreira do Bairro Alto Hotel, em Lisboa. Foi ainda entregue o Prémio Helmut Ziebell à sobremesa da autoria de Manuel Pires, do Santa Maria Petisca Ria, enquanto o Prémio Virgílio Gomes foi entregue à sobremesa leite creme de alfazema, chocolate, mel e limão.

Ana Magalhães tem 26 anos. É formada em Gestão e Produção de cozinha na Escola de Hotelaria e Turismo de Lamego, tendo iniciado o seu percurso profissional no Hotel Rural Quinta de Nossa Senhora do Carmo, passando depois pelo Hotel Vila Park e pelo Falésia Hotel. Em 2014, foi trabalhar para o The Yeatman. Em 2019, juntou-se à equipa do Hotel Six Senses Douro Valley, onde exerce o cargo de chefe de partida. O prémio Sustentabilidade Makro foi entregue também a Ana Magalhães.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Airbnb proíbe festas no verão em Portugal

Com vista a manter segura a comunidade de viajantes e anfitriões na Airbnb em Portugal, a plataforma lançou um plano integral para este verão, que inclui, entre outros, a proibição de festas.

Esta proibição. iniciada no verão de 2020 é agora assumida como definitiva nas políticas de alojamento da plataforma, com o lançamento, nomeadamente, do guia Bem-vindo a Lisboa e o reforço dos canais de apoio aos vizinhos e comunidades.

Refira-se que, no final de 2019, a Airbnb começou a reforçar as medidas e proibiu as festas de “convite aberto” (ou seja, as que eram anunciadas nas redes sociais) e proibiu os anúncios que estavam especialmente posicionados para acolher festas numa base recorrente.

Quando chegou a pandemia, anunciou uma proibição total como medida “em interesse da saúde pública”. Com o tempo, esta proibição tornou-se uma política fundamental de apoio aos anfitriões e vizinhos, pelo que a Airbnb decidiu que a partir de hoje esta proibição fica consolidada nas políticas de alojamento da plataforma.

A política de proibição temporária de festas anunciada no verão de 2020 incluía um limite de ocupação de 16 pessoas, medida que foi motivada principalmente por preocupações com a Covid-19 em relação a grandes reuniões de pessoas. Como parte da política atualizada, e com base nos comentários de vários anfitriões que têm alojamentos que podem acomodar mais de 16 pessoas, a Airbnb irá remover este limite.

Para ajudar a combater festas e outros distúrbios para a vizinhança, a Airbnb lançou em Portugal, em novembro de 2021, a sua tecnologia de reservas de Alto Risco, como parte de um novo compromisso de recuperação do turismo saudável para o país. Esta tecnologia visa melhorar a capacidade da Airbnb de bloquear tentativas de reservar estadias que possam apresentar um risco elevado de certos tipos de festas perturbadoras, e ajudar a detê-las antes de começarem.

Por outro lado, de modo a oferecer aos vizinhos uma linha direta de comunicação para a Airbnb para comunicar preocupações urgentes sobre um anúncio ou comportamentos de hóspedes na sua comunidade local, a Airbnb lançou a linha de Apoio ao Bairro em português.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.