Assine já
Alojamento

AL: Autarquia de Lisboa aprova “suspensão imediata” de novos registos

Até que entre em vigor uma nova versão do regulamento de alojamento local, os novos registos para esta atividade na capital estão suspensos por decisão da Câmara Municipal de Lisboa.

Publituris
Alojamento

AL: Autarquia de Lisboa aprova “suspensão imediata” de novos registos

Até que entre em vigor uma nova versão do regulamento de alojamento local, os novos registos para esta atividade na capital estão suspensos por decisão da Câmara Municipal de Lisboa.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
AHRESP critica suspensão “cega, arbitrária e sem critérios” de registos de Alojamento Local
Alojamento
Alojamento local em Lisboa e Porto perde 7.800 unidades devido à pandemia
Sem categoria
Quarto Fotos de banco de imagens por Vecteezy
Alojamento Local em Lisboa e Porto perde milhares de reservas diárias com pandemia
Alojamento
Quarto Fotos de banco de imagens por Vecteezy
Alojamento Local com taxas de ocupação de 40% em Lisboa e Porto no verão
Alojamento

A Câmara de Lisboa decidiu esta quarta-feira a “suspensão imediata” de novos registos de alojamento local na capital até à entrada em vigor da alteração ao regulamento municipal desta atividade, o que não acontecerá antes dos seis meses.

A proposta dos vereadores eleitos pela coligação PS/Livre foi votada em reunião privada do executivo camarário, presidido por Carlos Moedas, e foi viabilizada com os votos contra de PSD e CDS-PP, a abstenção de BE, e os votos a favor de PS, Livre, vereadora independente Paula Marques (eleita pela coligação PS/Livre) e PCP, noticia a Lusa, que cita oficial do município.

Um dos objetivos da iniciativa passa por “submeter à Assembleia Municipal a suspensão imediata da autorização de novos registos de estabelecimentos de alojamento local, por um prazo de seis meses, sem prejuízo da sua renovação por igual período, até à entrada em vigor da alteração ao Regulamento Municipal do Alojamento Local”.

A medida está prevista ser aplicada “nas zonas turísticas homogéneas, sob monitorização, com um rácio entre o número de estabelecimentos de alojamento local e o número de fogos de habitação permanente igual ou superior a 2,5%, bem como na restante cidade, as freguesias, no todo ou em parte, onde se verifique um rácio entre o número de estabelecimentos de alojamento local e o número de fogos de habitação permanente igual ou superior a 2,5%, sem prejuízo das zonas de contenção em vigor”, segundo a proposta dos eleitos pela coligação “Mais Lisboa”.

“As atuais limitações, como a proibição de licenças em sete bairros históricos da cidade, mantêm-se em vigor durante este processo”, acrescentou à Lusa fonte do PS.

Para o processo de alteração do regulamento municipal desta atividade, o executivo compromete-se a implementar mecanismos adicionais que fomentem a participação, para um amplo debate na cidade, inclusive a realização de, pelo menos, três debates públicos promovidos e divulgados pela Câmara Municipal de Lisboa, inclusivos de diferentes sensibilidades, aberto à participação presencial e meios telemáticos, e nos quais possam participar as várias forças políticas com representação no executivo municipal.

Em reação à iniciativa, a Associação do Alojamento Local em Portugal contestou a proposta e indica que “não há nenhum dado concreto que justifique esta proposta de suspensão feita pelo PS Lisboa”, até porque “os indicadores mostram que a oferta real do alojamento local na capital diminuiu consideravelmente nestes dois anos”, refere a ALEP em comunicado.

Por sua vez, a AHRESP considera que a suspensão da abertura de novos espaços de alojamento local vem de forma “‘cega’, arbitrária e sem critérios, prejudicar o desenvolvimento de uma atividade”.

Para a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, a medida é injustificada, “até porque a oferta global de alojamento local nos últimos dois anos se manteve inalterada”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Meeting Industry

“Winds of Change” marca tema do 33.º Congresso Nacional da Hotelaria e Turismo

O congresso organizado pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) decorre de 16 a 18 de novembro.

A Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) desvendou esta terça-feira o programa do 33.º Congresso Nacional da Hotelaria e Turismo, que este ano decorre de 16 a 18 de novembro em Fátima, no Centro Pastoral Paulo VI.

Sob o tema “Winds of Change”, a associação assegura em comunicado que a edição deste ano “irá abrir com uma visão da sociedade aos dias de hoje e dos principais temas fraturantes transversais, para depois mergulhar em temas mais específicos da Hotelaria”.

“Têm sido anos de desafios e ameaças, tão inéditas quanto inesperadas – pandemia, guerra e inflação –, com consequências e impactos inegáveis no nosso setor de atividade, num calendário que está ainda por definir. Ignorar tudo o que já mudou, e ainda poderá mudar, ou agir recorrendo a lógicas e mecanismos do passado, dificilmente se constituirá como uma solução válida, ou fórmula vencedora”, defende a AHP em comunicado.

Nesse sentido, a associação declara que este é “o momento de ‘redesenhar o jogo’, enfrentando, juntos, estes ventos de mudança”. O programa completo do congresso, que aborda temas como a sustentabilidade, a captação de recursos humanos e as tendências e desafios do wellbeing para a indústria hoteleira, pode ser consultado aqui.

As inscrições para o Congresso encontram-se abertas até 11 de novembro. Para lá dos associados da AHP, também os associados da ADHP e da ACISO – Associação Empresarial de Ourém têm condições especiais de inscrição. Conheça as condições e inscreva-se no website do congresso.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

TripWonder estreia-se em Lisboa

A nova plataforma online que quer revolucionar a forma como viajamos, TripWonder, acaba de chegar a Lisboa.

Com uma aposta em itinerários personalizados e na experiência e conhecimentos de pessoas locais, a TripWonder, que se estreia em Lisboa, quer mudar a forma como se viaja e como se experiência cada destino.

A nova plataforma promete, assim, mostrar os lugares mais escondidos de uma cidade, pouco turísticos que merecem mesmo a pena visitar, as melhores atrações para quem quer fugir das enchentes de turistas, ou que restaurantes recomendam os locais.

Para tal, isso, a startup portuguesa conta com uma plataforma com dezenas de “Locals” (pessoas locais) que a ajudam a garantir uma experiência totalmente personalizada e genuína, mesmo antes da chegada ao destino. No site da Tripwonder os “Travelers” poderão encomendar itinerários com base numa vasta seleção de interesses escolhidos por si previamente. Com essa informação os Locais registados na plataforma preparam as recomendações perfeitas com os conhecimentos de quem melhor conhece o destino.

Numa primeira fase, a startup decidiu apostar na cidade de Lisboa para lançar a sua nova plataforma online e conta já com mais de 26 lisboetas dispostos a desvendar todos os segredos da cidade.

Para quem está a pensar visitar a capital portuguesa, basta entrar no site da TripWonder, preencher o formulário com as informações necessárias, incluindo o destino, duração da viagem, categorias de interesse e orçamento, e a seguir é só selecionar um “Local” para desenhar o itinerário perfeito para a sua estadia.

A plataforma oferece ainda uma opção de criação de itinerários urgentes para pedidos de última hora que garantem um roteiro personalizado em apenas 24h.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Glion
Emprego e Formação

Glion Institute of Higher Education nomeia novos profissionais

A escola de hospitalidade e gestão de luxo com campus na Suíça e em Londres passa a contar com novos docentes no início deste ano letivo.

O Glion Institute of Higher Education, uma escola especializada em hospitalidade e gestão de luxo com campus na Suíça e Londres, anunciou novas nomeações de docentes no início do ano académico 2022/23.

Nesse sentido, Mariam Megally é agora a nova diretora do programa da Glion’s Master’s in Hospitality, Entrepreneurship and Innovation. Sediada na Suíça, Mariam traz para o mestrado “uma vasta experiência empresarial internacional centrada nas competências empresariais”, como indicado em comunicado. Iniciou a carreira como consultora na McKinsey & Co antes de entrar no setor empresarial de alimentos e bebidas na Starbucks e Nestlé, um percurso que culminou com as funções de diretora de Inovação Estratégica Global da Starbucks para a Nestlé.

Desde 2012, Mariam tem trabalhado como professora de Estratégia para o MBA Executivo na Solvay Brussels School, no Vietname. É também juíza e mentora do acelerador Global Mass Challenge, onde fornece mentoria para as empresas em fase de arranque em matéria de alimentação e sustentabilidade.

A partir de 1 de outubro, a equipa da Glion passou também a contar com Eleonora Cattaneo como diretora no Master’s in Luxury Management and Guest Experience. Anteriormente, a profissional lecionava a cadeira de Building Brand Equity no mesmo mestrado. Com um doutoramento em Marketing pela Universidade de Pavia em Itália, um MBA pela SDA Bocconi, e um BA pela Universidade de Bristol, Eleonora Cattaneo centra a sua investigação em rebranding, marca de património e comportamento de compra sustentável no campo do luxo.

Antes de entrar na Glion, esta profissional foi diretora de educação executiva na Swiss Education Group. Foi também chefe de programa do mestrado em Gestão de Marcas de Luxo na Regent’s University e membro do corpo docente da SDA Bocconi em Milão, onde concebeu e dirigiu programas de educação executiva e MBA.

Novos cargos de direção estendem-se à Glion Londres

Entretanto, Debra Adams assume o cargo de diretora do programa Master’s in Real Estate, Finance and Development, com sede no campus da Glion em Londres.

Anteriormente, ocupou cargos em várias escolas de hotelaria no Reino Unido e na Suíça, sendo especialista em formações de finanças hoteleiras dirigidas a profissionais de finanças e chefes de departamento operacionais em hotéis, restaurantes e instalações de lazer. Debra é também administradora e membro do Conselho Nacional de Supervisão do Instituto de Hotelaria e Restauração.

Por fim, Nicholas Northam também se junta à Glion London para lecionar a cadeira de Global Real Estate Markets no mestrado em Imobiliário, Finanças e Desenvolvimento. Durante a sua carreira de 40 anos no ramo da hotelaria, Nicholas foi diretor-geral de vários hotéis Marriott e foi diretor de operações da Marriott no Reino Unido. Além disso, passou mais de uma década na gestão de ativos, mais recentemente como vice-presidente executivo da Interstate Hotels and Resorts, a maior empresa de gestão da Europa e o braço internacional da Aimbridge Hospitality.

“Cada uma destas nomeações é estrategicamente significativa para a Glion ao iniciarmos o novo ano académico”, afirma em comunicado Michel Philippart, diretor-executivo do Glion Institute of Higher Education.

“Tenho o prazer de receber [estes profissionais] em apoio ao crescente interesse pelos nossos mestrados, não só em hospitalidade, mas também em campos adjacentes, tais como o imobiliário, experiência de hóspedes de luxo, e empreendedorismo, que constituem agora quase metade dos percursos de carreira prosseguidos pelos nossos estudantes”, termina.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Antigo Hotel de Turismo da Guarda sai do Programa REVIVE

O Governo decidiu desafetar o antigo Hotel de Turismo da Guarda do Programa REVIVE, por o mercado não ter respondido às ofertas públicas e porque “urge recorrer a soluções alternativas”.

Um despacho do Governo publicado esta terça-feira determina “a desafetação do Programa REVIVE do imóvel do domínio privado do Instituto do Turismo de Portugal, I. P., denominado Hotel Turismo da Guarda, sito na cidade da Guarda”.

A decisão, segundo o texto publicado em Diário da República deste terça-feira, o Executivo justifica a decisão, referindo que “urge recorrer a soluções alternativas que permitam estancar a degradação contínua do imóvel e promover o respetivo aproveitamento económico, em benefício do Estado e da economia nacional”.

Refira-se que o Programa REVIVE foi lançado com o objetivo de promover a requalificação e o subsequente aproveitamento turístico de um conjunto de imóveis do Estado com valor arquitetónico, patrimonial, histórico e cultural, que se encontravam degradados.

É neste quadro que o antigo Hotel Turismo da Guarda foi afeto ao programa. No entanto, após várias tentativas e esforços desenvolvidos, o mercado não respondeu às sucessivas ofertas públicas para a exploração privada do imóvel.

O edifício foi vendido em 2010, pela Câmara Municipal, então liderada Joaquim Valente, ao Turismo de Portugal, por 3,5 milhões de euros, para ser recuperado e transformado em hotel de charme com escola de hotelaria, mas o projeto não saiu do papel e o imóvel mantém-se de portas fechadas e a degradar-se.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Assembleia Municipal do Porto aprova suspender registos de AL no centro histórico e Bonfim

Aprovada a 7 de outubro pelo executivo da Câmara do Porto, a proposta de suspensão de novos registos de Alojamento Local (AL) nas freguesias do centro histórico e do Bonfim, entra em vigor esta terça-feira, 11 de outubro, e vigorará por um período de seis meses.

A Assembleia Municipal do Porto aprovou esta terça-feira, 11 de outubro, a suspensão de novos registos de Alojamento Local (AL) nas freguesias do centro histórico e do Bonfim, com a oposição a considerar que a decisão “peca por tardia”.

A suspensão de novos registos de Alojamento Local nas duas freguesias foi aprovada com os votos favoráveis do movimento independente “Aqui Há Porto”, PS, BE, PAN e CDU, e com a abstenção do PSD, Chega e de três deputados do movimento independente.

Pelo PSD, o eleito Rodrigo Passos disse “não ser possível votar favoravelmente” a suspensão de uma atividade que “tantos benefícios trouxe à cidade”.

Considerando que a suspensão de novos registos é “um penso pequeno para uma grande ferida”, o social-democrata lembrou que foi o Alojamento Local que permitiu “reabilitar locais que jamais seriam reabilitados” na cidade.

“Num momento como este, em que vemos uma inflação galopante, partirmos para a suspensão de novos licenciamentos levanta diversos perigos”, destacou Rodrigo Passos, apelando ao executivo para que seja célere na apresentação do esboço do regulamento e considerando que “este desafio não se resolverá com medidas avulsas”.

Também o eleito pelo PS, Rui Lage, destacou que o AL foi “uma força motriz importantíssima” para a reabilitação dos centros históricos das cidades, em particular, do Porto, lembrando que em muitos momentos este foi “uma tábua de salvação” para muitas famílias.

Destacando que teria sido “conveniente e útil” que o setor tivesse sido regulado mais cedo, o socialista saudou, no entanto, a “sensatez” do executivo e apelou, à semelhança do PSD, à rápida concretização do documento.

“A notícia do advento do regulamento do AL é boa. Aguardamos a proposta e não falharemos em dar o nosso contributo”, adiantou Rui Lage.

Já a eleita do BE, Susana Constante Pereira, congratulou-se com a “mudança de rumo do executivo”, ainda que lamentando que a suspensão “peque por tardia”.

“O momento é tardio face à crise que já se vive na cidade”, defendeu Susana Constante Pereira, dizendo serem necessárias “medidas ativas”.

“Não só o executivo deve assumir o compromisso de acompanhar a suspensão com um regulamento robusto, como políticas públicas que recuperem o edificado habitacional”, acrescentou.

Também o deputado único do PAN, Paulo Vieira de Castro, salientou a necessidade de regular o AL na cidade, considerando, no entanto, que se “impõe cautela e salvaguarda do interesse público”.

“A regulação em falta pode vir a trazer harmonia para o futuro”, referiu.

Pela CDU, o eleito Rui Sá destacou que o turismo foi e é “um aspeto positivo para a cidade”, mas que “muitas vezes a diferença entre o remédio e o veneno está na dose”.

“O AL traduziu-se na cidade do Porto em problemas que todos estamos a sentir”, referiu, lembrando que apesar dos apelos feitos em 2018, a câmara “escolheu a opção ideológica de que o mercado se autorregulava”.

“A Câmara já deveria ter feito o seu trabalho de casa e ter o regulamento”, defendeu, apelando, no entanto, para que o documento seja posto à consideração do executivo “o mais rápido possível”.

Por sua vez, o eleito pelo movimento independente “Aqui Há Porto”, José Maria Montenegro, destacou o investimento feito pelos proprietários de AL na cidade do Porto, dizendo que a suspensão não representa “um ataque ou desrespeito” pelos proprietários.

“Não é desrespeito por esse investimento. Não há nenhuma suspensão da atividade, quem lá está, continua”, disse.

José Maria Montenegro rejeitou ainda que o regulamento do AL tenha por base “preconceitos” ou “diretórios ideológicos”.

A suspensão da autorização de novos registos de estabelecimentos de alojamento local na União de Freguesias de Cedofeita, St. Ildefonso, Sé, Miragaia, S. Nicolau, Vitória e na Freguesia do Bonfim tem “efeitos imediatos”, entrando em vigor nesta terça-feira.

A suspensão vigorará por um período de seis meses, “prorrogável por igual período, ou, em alternativa, se esta ocorrer primeiro, até à entrada em vigor do regulamento”.

A proposta de suspensão foi aprovada a 7 de outubro pelo executivo da Câmara do Porto com os votos favoráveis dos vereadores do movimento independente de Rui Moreira, do PS, BE e CDU e com a abstenção do PSD.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Há 10 hotéis portugueses entre os nomeados aos Prémios de Excelência Condé Nast Johansens 2023

Os hotéis portugueses estão nomeados em várias categorias destes galardões de referência para o setor da hotelaria europeia, que vão ser entregues a 7 de novembro, no hotel Kimpton Fitzroy London, na capital  britânica.

Portugal conta com 10 hotéis entre os nomeados para os Prémios de Excelência Condé Nast Johansens 2023, galardões de referência para o setor da hotelaria, que vão ser entregues a 7 de novembro, no hotel Kimpton Fitzroy London, na capital  britânica.

Os hotéis portugueses estão nomeados para os Prémios de Excelência da Europa e Zona do Mediterrâneo e concorrem nas categorias de ‘Best for Romance’, ‘Best Small & Exclusive Property’, ‘Best Dining Experience’, ‘Best Waterside Hotel (Riverside, Lakeside, Seaside)’, ‘Best Countryside Hotel’, ‘Best Breakfast’, ‘Best for Weddings, Parties & Celebrations’, e ‘Best for Meetings and Conferences’.

Solar do Castelo – A Lisbon Heritage Collection (Best Romance); Verride Palácio de Santa Catarina (Best Small & Exclusive Property); The Albatroz Hotel (Best Dining Experience); Domes Lake Algarve (Best Waterside Hotel); Terra Nostra Garden Hotel (Best Countryside Hotel); Santiago de Alfama – Boutique Hotel e Quinta Jardins do Lago (Best Breakfast); Torre de Gomariz Wine & Spa Hotel (Best Weddings, Parties & Celebrations); e Palácio Estoril Hotel Golf & Wellness e The Lodge (Best for Meetings & Conferences) são os hotéis portugueses nomeados.

As votações para escolher os melhores hotéis da Europa e Mediterrâneo estão abertas até 24 de outubro e estão disponíveis aqui.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Portugal recebe pela primeira vez conferência da associação internacional de escolas de hotelaria e turismo

A EURHODIP, associação internacional de escolas de hotelaria e turismo que reúne mais de 130 escolas e universidades de todo o mundo, vai realizar a sua conferência anual em Évora, entre 9 e 13 de novembro.

Publituris

A EURHODIP, associação internacional de escolas de hotelaria e turismo que reúne mais de 130 escolas e universidades de todo o mundo, vai realizar, pela primeira vez, a sua conferência anual em Portugal, num encontro a decorrer em Évora, entre 9 e 13 de novembro, dedicado ao tema “Now! Time to be Outstanding”.

De acordo com um comunicado da associação, este será “um evento focado no futuro, na aprendizagem, inovação e foco na excelência”, que deverá levar até à capital alentejana “mais de 100 participantes provenientes do mundo inteiro”.

Além da conferência, este encontro, que vai levar até Évora alunos, dirigentes e responsáveis de escolas de hotelaria e turismo do mundo inteiro, inclui também “outras atividades que contribuem para pensar e preparar o futuro do setor, no que à formação diz respeito, mas não só”.

A realização desta iniciativa pela primeira vez em território nacional coincide com a presidência portuguesa desta associação, que é atualmente liderada por Paulo Revés.

“É um privilégio ímpar, porque temos a oportunidade de, além de proporcionar uma experiência que pretendemos seja inesquecível aos participantes, podermos recebê-los no nosso país, reforçando os nossos valores de hospitalidade e contribuindo para que cada um se possa, também, transformar num embaixador de tudo o que o nosso turismo tem para oferecer”, refere o presidente da EURHODIP.

A Conferência “Now! Time to be outstanding” decorre no dia 11 de novembro, no Hotel Convento do Espinheiro, e, segundo a EURHODIP, vai contar um “com  relevante conjunto de oradores nacionais e internacionais que procurarão responder ao repto lançado pelo tema da Conferência através da perspectiva da qualidade, da sustentabilidade e do talento”.

Entre as participações já confirmadas, encontra-se a da secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marque.

Mais informações sobre o evento aqui.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

AHETA: Ocupação da hotelaria algarvia soma 79,7% em setembro e desce face a 2019

As unidades de alojamento turístico do Algarve registaram uma taxa de ocupação quarto de 79,7% em setembro, 14,6 pontos percentuais acima de igual mês de 2021 mas 7,3 pontos percentuais abaixo de setembro de 2019, segundo a AHETA.

Publituris

Em setembro, as unidades de alojamento turístico do Algarve registaram uma taxa de ocupação quarto de 79,7%, valor que ficou 14,6 pontos percentuais acima de igual mês de 2021 mas 7,3 pontos percentuais abaixo de setembro de 2019, segundo a Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA).

Os dados provisórios divulgados pela AHETA na passada sexta-feira, 7 de outubro, mostram que, face ao mesmo mês de 2019, o mercado nacional (+1,4pp) e o irlandês (+0,8pp) “foram os que mais contrariaram a descida verificada”.

Em sentido contrário, foram os mercados alemão (-3,5pp), francês (-1,3pp) e holandês (-1,0pp) que apresentaram as maiores descidas em setembro.

Já o volume de vendas dos hotéis e empreendimentos turísticos do Algarve “aumentou 13,7 por cento face ao mesmo mês de 2019”, indica ainda a AHETA.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
AL

AL: GuestReady tem nova responsável para área de expansão internacional

Andreea Petrisor será responsável pelo plano de crescimento internacional da GuestReady, empresa de gestão de alojamento local que “pretende tornar-se líder global em inovação e qualidade”.

Publituris

A GuestReady, que opera em Portugal desde 2018, acaba de anunciar a contratação de Andreea Petrisor como Chief Growth Officer. Esta é a terceira de uma série de contratações para cargos sénior que a empresa está a realizar até ao final do ano de 2022.

A profissional estará responsável pelo crescimento internacional da GuestReady que tem “o objetivo ambicioso de se tornar no serviço de gestão de alojamento local mais moderno e confiável do mundo”, indica a empresa em comunicado de imprensa, que acrescenta que, além de supervisionar esta expansão internacional, Andreea Petrisor estará ainda responsável pela expansão do PMS (Property Management Software) da GuestReady, “uma inovadora solução de software para otimizar a gestão das operações do setor da hospitalidade, e pelo crescimento de outras secções centrais como o marketing e as vendas”.

Com um MBA em Gestão pelo INSEAD (Institut européen d’administration des affaires), o seu percurso académico passou por Paris, Buenos Aires e ainda Londres, onde foi reconhecida como a melhor estudante do seu ano pela European Business School.

Andreea Petrisor tem já provas dadas na gestão de projetos e de equipas, tendo ocupado o cargo de Project Manager, por mais de oito anos, na Roland Berger, entre outros, designadamente, no seu país de origem, a Roménia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Minor Hotels contabiliza 35 distinções nos Condé Nast Traveler Readers’ Choice Awards 2022

A Minor Hotels arrecadou, este ano, 35 distinções nos Condé Nast Traveler Readers’ Choice Awards nas suas unidades em todo o mundo, inclusive de Portugal, com o Anantara Vilamoura Algarve Resort, mais uma vez entre os 25 melhores resorts da Europa. O Tivoli Palácio dos Seteais está igualmente no ranking dos melhores.

Publituris

A Minor Hotels, que detém as marcas Anantara, Avani, Tivoli, NH Collection e Elewana, obteve um total de 35 distinções em todo o mundo nos Condé Nast Traveler Readers’ Choice Awards de 2022. Atualmente com um portfólio de mais de 530 hotéis, resorts e residências de marca em seis continentes, a Minor Hotels destaca-se, com estes prémios, pela hospitalidade, estilo de vida de luxo e a confiança da comunidade de viagens nas marcas do grupo.

Os Condé Nast Traveler Readers’ Choice Awards são os mais antigos e prestigiantes prémios que reconhecem a excelência na indústria do turismo. Todos os anos, as publicações levam a cabo um questionário online no qual os leitores avaliam as suas experiências de viagem fornecendo um relato verídico dos melhores hotéis, resorts, cidades, países, ilhas, spas, comboios, companhias aéreas, aeroportos e cruzeiros de todo o mundo. Este ano, que marca o 25º aniversário dos prémios, 240 mil leitores votaram nestas categorias para premiar um serviço exemplar e momentos de viagem memoráveis.

De entre os diversos galardões, a primeira propriedade do Anantara na Europa, o Anantara Vilamoura Algarve Resort, está mais uma vez entre os 25 melhores resorts da Europa, ficando em 11º lugar. O resort, que abriu em 2017, subiu quatro posições no ranking deste prémio.

Para os 25 melhores hotéis de Espanha e Portugal, o Tivoli Palácio de Seteais Sintra Hotel entrou na lista, pelo segundo ano consecutivo, em 17º lugar, ficando em 4º lugar nos top dos oito melhores hotéis do nosso país.

NO que diz ainda respeito à marca Tivoli Hotels & Resorts, que atualmente opera 16 hotéis com propriedades em Portugal, Brasil, China e Qatar, obteve sucesso na categoria da América do Sul. O Tivoli Mofarrej São Paulo, voltou à lista dos 20 melhores hotéis da América do Sul em 12º.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.