Assine já
Distribuição

Daniel Marchante (Lusanova Brasil): “O turismo massificado vai ter dificuldade em recompor-se”

Com a necessidade de “reposicionar os nossos produtos”, Daniel Marchante, diretor da Lusanova Brasil, acredita que “2022 possa ser o ano da normalização operativa”.

Victor Jorge
Distribuição

Daniel Marchante (Lusanova Brasil): “O turismo massificado vai ter dificuldade em recompor-se”

Com a necessidade de “reposicionar os nossos produtos”, Daniel Marchante, diretor da Lusanova Brasil, acredita que “2022 possa ser o ano da normalização operativa”.

Victor Jorge
Sobre o autor
Victor Jorge
Artigos relacionados
Lusanova tem novos programas de inverno
Distribuição
Aroldo Schultz (Schultz): “A tecnologia aproxima-nos dos nossos clientes e agora mais ainda”
Distribuição
Fabiana Lima (Club Turis): “O futuro dos agentes passa por uma união cada vez maior para sobreviverem”
Distribuição
Incerteza provocada pela pandemia obriga a maior prudência na operação
Distribuição

Com a proximidade e atenção ao passageiro a serem “ainda mais prementes para o futuro”, o diretor da Lusanova Brasil, Daniel Marchante, admite que, no futuro, “não é mais suportável que o operador procure um fornecedor no exterior por preço e não pela qualidade dos serviços”.

Com operação em Portugal e Brasil, que preferências e experiências possuem os “novos consumidores”? A que necessidades passaram a ter de responder e com esta maior vertente tecnológica, passaram a ter de fazê-lo com mais rapidez e em diversas plataformas?
No atual momento de retoma das vendas com as condicionantes por força das precauções sanitárias ainda em vigor, tivemos de reposicionar os nossos produtos de forma a atender à procura dos passageiros que, nesta fase, procuram pacotes privados em Portugal, estadias mais longas nas cidades europeia já abertas ao mercado brasileiro, circuitos em mini-van e estadias em resorts de baixa intensidade e mais exclusivos.

A nossa plataforma informática está preparada para a venda online dos principais produtos, a informação ao passageiro obriga a detalhes, como: seguros de viagem mais abrangentes, regras existentes em cada país e normas de segurança sanitária. A proximidade e atenção ao passageiro são ainda mais prementes para o futuro.

Que mudanças espera no e para o turismo de forma geral e quais são, efetivamente, os maiores ensinamentos que retira desta crise para o futuro da sua atividade e negócio?
Os passageiros estão ávidos de poder percorrer o mundo nos patamares de 2019. À medida que as fronteiras e condições de operação se vão abrindo, iremos lançar a nossa operação, prevendo que 2022 possa ser o ano da normalização operativa. Esta crise a nível mundial, como sempre acontece em momentos de dificuldade a nível global, obriga os operadores turísticos a entender o mercado e, neste caso, podemos ver que o turismo massificado vai ter dificuldade em recompor-se, que o passageiro vai preferir qualidade e segurança pagando o valor justo, que vai entregar a sua viagem de sonho ao operador que lhe oferece credibilidade e idoneidade, que os agentes de viagem vão selecionar o operador credível que lhe entrega o serviço nos termos contratados.

Não é mais suportável que o operador procure um fornecedor no exterior por preço e não pela qualidade dos serviços. Aprendemos que devemos centrar o passageiro na nossa preocupação ética e operacional, de forma que possamos cumprir com sucesso a nossa função empresarial.

 

*Para participar no webinar de dia 20 de outubro, basta inscrever-se aqui.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Artigos relacionados
Distribuição

Bestravel realiza XVII Convenção entre 3 e 6 de fevereiro de 2022

Convenção que vai marcar o “reencontro” da rede de agências de viagens vai decorrer em Portugal continental, apesar de ainda não ser conhecido o local exato, nem o programa do evento.

A XVII Convenção Bestravel vai decorrer entre 3 e 6 de fevereiro de 2022, marcando o “reencontro” da rede de agências de viagens, informou a Newtour, que detém a marca Bestravel.

Apesar da data já estar confirmada, o mesmo ainda não acontece com o local, com a informação avançada pela Newtour a indicar apenas que a XVII Convenção Bestravel vai decorrer em Portugal Continental.

Por enquanto, também ainda não é conhecido o programa do evento, com a Newtour a acrescentar que este será divulgado assim que o programa estiver fechado.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Airmet lança comparador de voos

A nova plataforma tecnológica da Airmet integrará não só os voos dos GDS Travelport e Amadeus, como também as companhias low cost e as ligações diretas aos NDC das companhias aéreas.

A Airmet Portugal irá lançar, no primeiro trimestre de 2022, um sistema de comparador de voos, plataforma de emissões online que integrará não só os voos dos GDS Travelport e Amadeus, como também as companhias low cost e as ligações diretas aos NDC das companhias aéreas.

Em comunicado, a empresa refere que “esta nova tecnologia vai permitir às agências de viagens reservarem e emitirem através deste sistema”, enquanto no caso das agências IATA, “existe a vantagem de poderem aceder às melhores tarifas e também emitirem com o seu próprio IATA associado”.

A ferramenta permitirá ainda “vários métodos de pagamento”, contribuindo para “facilitar a gestão do dia a dia da agência, que poderá passar a ser feita numa única plataforma, no que aos voos diz respeito”.

Luís Henriques, diretor geral da Airmet, refere que “o principal objetivo é o de agregar constante valor para as agências de viagens para que estas possam oferecer o melhor serviço ao seu cliente, numa altura em que o mercado está cada vez mais exigente e competitivo e a rentabilidade é fundamental”.

O responsável pelo grupo de gestão acredita ainda que “a inovação tecnológica é o futuro para garantir a competitividade das nossas agências”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

CEO do Trivago admite que regresso do turismo para níveis pré-pandemia só em 2024

Antevendo que em meados de 2022 a situação se normalize entre países com bons níveis de vacinação, o CEO do Trivago, admite que a recuperação total só acontecerá lá mais para 2024.

Victor Jorge

Numa entrevista à consultora McKinsey & Company, Axel Hefer, CEO do Trivago, motor de busca e comparador de preço de hotéis, admite que as receitas no setor do turismo só em 2024 deverão atingir níveis pré-pandemia.

A consultora refere que, embora os efeitos de longo prazo possam parecer esmagadores, “os líderes do setor estão a descobrir que muitas lições da crise da COVID-19 podem ajudar as empresas do turismo e viagens a voltar mais fortes do que eram antes da pandemia”.

“Vimos uma grande mudança para viagens domésticas e para países vizinhos”, diz Hefer, reconhecendo que se trata de “uma mudança e um afastamento das viagens continentais e intercontinentais”. “Essa mudança foi impulsionada predominantemente pelas restrições em vigor e pela incerteza das viagens. Os viajantes querem saber que, chegados a um local, poderão voltar para casa e não ficar presos devido às restrições de viagem que mudam rapidamente”, salienta ainda o CEO do Trivago.

Afirmando-se “menos otimista” relativamente às viagens intercontinentais de longa distância, mesmo a longo prazo, Hefer assinala que “quanto mais longe de casa se viaja, mais incerteza existe”. Excluindo quaisquer novas variantes, a esperança de Hefer é que “em meados de 2022, as medidas se normalizem entre os países à medida que os níveis de vacinação aumentam na maioria dos principais mercados e os viajantes se acostumam com algum nível de restrições e as considerem aceitáveis”. Mas recuperar a confiança que existia antes da pandemia “pode levar anos a reconstruir”, admite o responsável do Trivago.

Quanto às implicações para as agências de viagens no meio de tanta incerteza e à mudança no comportamento do consumidor, Axel Hefer diz que a pandemia “abriu nossos olhos para algumas coisas. Mostrou-nos, efetivamente, que o mercado de viagens pode sofrer mudanças abruptas, passando de um grande crescimento a nenhuma atividade em questão de dias”.

A primeira implicação para as operações das agências de viagens apontada por Hefer é ao nível dos “custos variáveis” que diz serem “muito caros”. “Quanto mais fixa for a estrutura de custos da empresa e quanto mais ativos existirem, mais difícil será lidar com esse tipo de volatilidade”, refere o executivo. “Se estivermos a olhar para um futuro com diversas vagas frequentes de pandemias semelhantes à crise da COVID-19, a maioria das empresas precisará ajustar a sua estrutura de custos”, salienta.

O outro grande desafio assinalado por Hefer, foi “o reembolso. Muitos agentes que haviam recebido pagamentos antecipados viram-se obrigados a reembolsar valores muito rapidamente”, destacando que “esse tipo de impacto no fluxo de caixa de uma empresa é um desafio enorme”.

Por último, os “ativos”. “Mover todos para uma configuração de trabalho completamente nova, enquanto eram atingidos por uma vaga de reembolsos que precisavam ser processados operacionalmente e, em seguida, financiados, foi a tempestade perfeita”, conclui.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Distribuição

“Prime” da eDreams ODIGEO alcança 2 milhões de membros

Tendo triplicado o número de membro em apenas num ano, a companhia prevê atingir os 7,5 milhões de subscritores até 2025.

Publituris

O Prime, serviço de subscrição de viagens da eDreams ODIGEO, alcançou dois milhões de membros, tendo percorrido mais de 16 milhões de quilómetros e visitado 215 países em todo o mundo.

O Prime é um serviço exclusivo e personalizado que oferece aos subscritores acesso a voos, hotéis e aluguer de viaturas, “permitindo-lhes beneficiar das opções de viagem mais flexíveis, convenientes e acessíveis, ao mesmo tempo que conseguem poupanças significativas”, refere a empresa em comunicado.

“À medida que a procura por viagens de lazer continua a recuperar solidamente, o serviço registou também um grande aumento da sua procura”, reconhece a companhia de viagens online, adiantando que o número de novos membros “praticamente triplicou em apenas um ano”, salientando, ainda que “o desempenho e crescimento do Prime provam que o modelo de subscrição é cada vez mais atrativo para os viajantes de todo o mundo”.

Com base no crescimento do Prime, a empresa prevê alcançar “7,5 milhões de membros até ao ano fiscal de 2025”.

Quase dois quintos (39%) das reservas de voos realizadas com as marcas de agências de viagens da eDreams ODIGEO (eDreams, Opodo e GO Voyages) são efetuadas por membros Prime, sendo que os subscritores têm 2-3 vezes maior probabilidade de reservar viagens adicionais do que os clientes que não são membros Prime, indica a companhia. O serviço provou ser “popular em todos os perfis e grupos etários de viajantes, e mais notavelmente na faixa etária dos 18 aos 35 anos”.

Dana Dunne, CEO da eDreams ODIGEO, salienta que “a abordagem impulsionada pela tecnologia e a nossa escala inigualável em termos de voos, sendo o fornecedor número 2 a nível global, ajudaram-nos a estimular o sucesso do Prime”.

No que diz respeito aos serviços de subscrição, destaca que “são muito populares noutras áreas das nossas vidas, mas o Prime é o primeiro serviço de subscrição de viagens do mundo, oferecendo soluções de viagem mais personalizadas, flexíveis e o mais adaptadas possível às necessidades individuais dos nossos membros. O programa ajudou-nos a aprofundar a nossa relação com os nossos clientes e a compreender melhor as suas expectativas crescentes no que toca à relação qualidade-preço, à escolha e à conveniência na reserva das suas férias”.

Dana Dunne, admite que, “à medida que a procura dos consumidores por viagens continua a evoluir no mundo pós-pandemia, acreditamos que nossa abordagem estratégica e os nossos produtos vão permitir-nos continuar na vanguarda do futuro das viagens”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Solférias lança operação charter para o Senegal, de Lisboa e Porto

A Solférias anunciou ao mercado, esta terça-feira, que o Senegal passará a ser uma das apostas do operador para o novo ano, com uma operação charter.

A Solférias anunciou ao mercado, esta terça-feira, que o Senegal passará a ser uma das apostas do operador para o novo ano, com uma operação charter à saída de Lisboa e do Porto. 

A cadeia hoteleira RIU será o centro de uma operação em voos especiais que a Solférias tem já confirmada com partidas de Lisboa e Porto, às segundas-feiras, de 6 junho a 3 outubro 2022. 

 O lançamento deste destino vem na sequência do objetivo da Solférias de disponibilizar às agências e agentes de viagens portugueses a melhor e mais competitiva oferta, procurando desde sempre contribuir para a afirmação de alguns destinos no mercado nacional, indica comunicado da empresa. 

O operador refere o país, localizado na costa ocidental de África, como “um destino com fantásticas praias, uma cultura e tradição de receber assinaláveis, a uma distância de voo comparável com outro dos destinos favoritos dos portugueses (Cabo Verde). O Senegal reúne todas as condições para ser uma das grandes (boas) surpresas de 2022”. 

A operação do Senegal surge também na sequência da abertura do novo RIU Baobab, hotel de 5 estrelas da cadeia RIU, na primeira linha de praia na zona de Pointe Saréne,  prevista para 8 de abril de 2022. 

Antes do início desta operação, a Solférias disponibiliza já ao mercado um programa em voos TAP e com preços desde 887 euros por pessoa, num pacote de cinco noites em quarto duplo e regime do tudo incluído. 

  

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Distribuição

Presidente da República abre Congresso da APAVT

O início do “reencontro” do setor das agências de viagens será presidido pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. O 46.º Congresso da APAVT realiza-se de 1 a 3 de dezembro, em Aveiro.

Publituris

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, presidirá à abertura do 46.º Congresso Nacional da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), no próximo dia 1 de dezembro, em Aveiro.

Tendo como tema base o “reencontro”, o evento reunirá, além de agências de viagens e operadores turísticos, quadros de companhias aéreas, alojamento turístico, rent-a-car, animação turística e restauração, entre outros setores.

O congresso realiza-se de 1 a 3 de dezembro, no Centro de Congressos de Aveiro, contando, também, com a participação, do ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, e da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques.

Entre os oradores do congresso da APAVT contam-se o ex-vice-primeiro-ministro e ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas; o presidente da Associação Holandesa das Agências de Viagens, Frank Oostdam; um importante player do turismo grego, Marios Kammenos; os ativistas ambientais Miguel Lacerda e Naut Kusters; a CCO da TAP, Silvia Mosquera; o CEO da SATA, Luís Rodrigues; o administrador da ANA/Vinci, Francisco Pita, bem como o virologista Pedro Simas, entre outros.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

3.ª convenção da DIT “reencontra-se” com 900 profissionais

A 3.º edição do grupo DIT contou com a participação de mais de 900 profissionais e 1.000 participantes. A próxima edição está marcada para 2023.

Publituris

O grupo DIT reuniu, recentemente, em Punta Umbria, toda a rede de Portugal e Espanha na 3.ª Convenção, na qual participaram 760 agências e 140 fornecedores e mais de 1.000 participantes com o lema “está na hora do reencontro”.

Com o foco da convenção a incidir no otimismo, a 3.ª edição teve mais um dia que as edições anteriores, de forma a ampliar o tempo para conhecer o destino e promover mais sessões de trabalho.

Iniciada com espaços concebidos para conhecer o destino Huelva e workshops nos quais os últimos desenvolvimentos e iniciativas elaborados pela DIT foram apresentados a toda a rede de agências, o evento teve, igualmente, mesas redondas com importantes oradores em palco.

Segundo a organização, o “feedback obtido quer das várias agências quer dos fornecedores foi muito positivo, definindo o evento como ‘a melhor convenção do ano”, lê-se na nota enviada às redações.

Com participação gratuita para agências associadas, a convenção do grupo DIT realiza-se de forma bienal, estando a próxima edição prevista para 2023.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Sonhando com programa especial para o Vila Galé Collection Elvas

O operador turístico Sonhando apresenta ao mercado um programa especial no Hotel Vila Galé Collection Elvas, denominado “Um fim de semana com Luís Represas”.

Publituris

O operador turístico Sonhando apresenta ao mercado um programa especial no Hotel Vila Galé Collection Elvas, denominado “Um fim de semana com Luís Represas”, com início sexta-feira, dia 26 de novembro.

O pacote inclui estada de duas noites na unidade hoteleira de Elvas com pequeno-almoço e dois jantares com degustação da gastronomia alentejana, sendo que a primeira noite culminará com uma atuação do músico Luís Represas, que partilhará algumas das suas mais conhecidas canções.

A manhã e a tarde de sábado, dia 27 de novembro, serão livres para atividades pessoais, terminando o programa no domingo (28), com possibilidade de check-out até às 13h.

Esta proposta especial do operador turístico custa desde 290 euros por pessoa em quarto duplo ou triplo, e 380 euros por pessoa em quarto single.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Top Atlântico, GeoStar e Cartão Continente lançam campanha “Black Friday” para Cabo Verde

A nova campanha conjunta da Top Atlântico, GeoStar e Cartão Continente, com o mote “Black Friday Férias 2022 em Cabo Verde”, visa proporcionar a marcação antecipada de férias para 2022 com condições e preços aos níveis de 2021.

Publituris

A Top Atlântico, a GeoStar e o Cartão Continente juntaram-se para promover uma nova campanha com o mote “Black Friday Férias 2022 em Cabo Verde”. Este pacote é composto por 7 noites com voos, estadia, transferes e seguros na Ilha do Sal, com preços desde 649 euros, aos quais acrescem descontos em Cartão Continente que podem chegar aos 100 euros por pessoa.

A campanha visa promover as férias de 2022, lançando já programas com oferta charter para a Ilha do Sal a preços promocionais e aos quais ainda acrescem descontos em Cartão Continente.

Como incentivo, a campanha não obriga ao pagamento na totalidade da viagem, bastando um sinal de 99 euros por pessoa para assegurar a reserva, indicando a Wamos Portugal que “o restante será pago até 30 dias antes da data da partida”.

Esta campanha  pode ser adquirida nas 55 lojas Top Atlântico e nos sites www.topatlantico.pt e www.geostar.pt, encontrando-se disponível para reservas até 30 de novembro, para usufruir de estadias de 2 de abril até 28 de maio de 2022, incluindo assim o período das férias da Páscoa.

O programa de viagem para a Ilha do Sal inclui voos de ida e volta de Lisboa estadia de 7 noites em quarto standard em ocupação dupla, transferes de e para o aeroporto e Seguro de Viagem. Os hotéis contemplados são o Hotel Água Hotels Sal Vila Verde 4*, em regime de só alojamento, no valor de 649€ por pessoa e com desconto em Cartão Continente no Valor de 60€ por pessoa; Hotel Oásis Belorizonte 4*, em regime de Tudo Incluído, no valor de 849€ por pessoa, e com desconto em Cartão Continente no Valor de 80€ por pessoa; Hotel Oásis Salinas Sea 5*, em regime de Tudo Incluído, no valor de 999€ por pessoa, e com desconto em Cartão Continente no Valor de 100 por pessoa.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Viagens Tempo e Turkish Airlines promovem famtrip a Istambul para mostrar “segurança” do destino

Operador turístico e companhia aérea promovem, entre 15 e 18 de novembro, uma viagem de familiarização para agentes de viagens, que pretende mostrar que “é possível viajar com toda a segurança” para a Turquia.

Inês de Matos

O operador turístico Viagens Tempo e a companhia aérea turca Turkish Airlines vão promover na próxima semana, entre 15 e 18 de novembro, uma viagem de familiarização a Istambul, na Turquia, para um grupo de agentes de viagens, que pretende mostrar que “é possível viajar com toda a segurança” e dar a conhecer a realidade que se vive na Turquia, que é “semelhante à de Portugal”, segundo declarações do operador ao Publituris.

“Pretendemos com esta ação transmitir aos agentes de viagens que estamos aqui para os ajudar a retomar a normalidade nas viagens e para ‘in loco’ confirmarem que é possível viajar com toda a segurança”, explicam as Viagens Tempo, referindo que a ideia surgiu depois da realização, em agosto, de algumas viagens de grupos para a Turquia, que “superaram as expectativas” dos clientes do operador e representaram “um sinal de mudança”.

Na Turquia, dizem as Viagens Tempo ao Publituris, a “situação atual é semelhante à de Portugal e todos os hotéis cumprem as normas de segurança exigidas”, sendo que, para viajar para o destino, é preciso possuir a vacinação completa e apresentar certificado de vacinação ou um teste negativo para a COVID-19, que pode ser PCR e realizado até 72 horas antes da viagem ou antigénio até 48 horas antes da viagem, bem como preencher um formulário online.

Durante esta viagem, os agentes de viagens vão também ficar a conhecer mais sobre a “identidade única” de Istambul e visitar algumas das “principais atrações turísticas da cidade”, como a Mesquita Azul, o labiríntico Grande Bazar e o Estreito do Bósforo, sem esquecer a oferta hoteleira e gastronómica do destino.

“A Turquia e particularmente Istambul ocupam um lugar de destaque na nossa programação. Sendo um ponto de passagem internacional importante através do seu aeroporto, temos também vários combinados de Istambul com outros países, como as praias do Índico”, acrescenta o operador, revelando que, para este reveillon, as Viagens Tempo lançaram também “um programa exclusivo” para a Turquia, em parceria com a Turkis Airlines.

Além da Turquia, as Viagens Tempo vão também apostar no Dubai e contam com um programa para o Fim de Ano que, segundo a responsável, “tem tido uma procura extraordinária este ano graças à Expo 2020”.

As Viagens Tempo contam ainda com um portfólio de circuitos por todo o mundo (Ásia, África, Médio Oriente, Europa e América), bem como oferta para as praias do Índico, que foi reforçada este ano e que, segundo o operador, é para “diversificar ainda mais em 2022”.

“Estamos a acompanhar de perto a reabertura de alguns países ao turismo e a atualizar diariamente a nossa programação online, pelo que poderão encontrar nas próximas semanas muitas novidades no site”, acrescentam as Viagens Tempo.

Apesar da pandemia ainda não estar completamente ultrapassada, o operador diz que “a procura turística começa a surgir” mas alerta que “ainda é muito cedo para perceber se o próximo ano será o ano da retoma”, preferindo chamar-lhe o ano da “estabilização da actividade turística”.

“Pensamos que 2022 será o ano da estabilização da actividade turística e esperamos que em 2023 se assista ao retorno da normalidade e aos números pré-pandemia”, referem as Viagens Tempo, garantindo que o operador vai continuar a trabalhar e a estar perto dos seus parceiros, procurando apoiar, “dentro do possível, campanhas para impulso de vendas ou outras mais específicas como as relacionadas com feiras generalistas ou de luas-de-mel”.

“Contamos ainda realizar uma outra famtrip num futuro muito próximo para outro destino importante dentro da nossa programação”, conclui o operador turístico.

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.