Digitalização, conhecimento e sustentabilidade norteiam estratégia turística de Cascais

Por a 8 de Fevereiro de 2021 as 17:28

2021 vai ser um ano de “grandes desafios” para o turismo em geral e em Cascais não será excepção. Bernardo Corrêa de Barros, presidente Associação de Turismo de Cascais, explica ao Publituris que a estratégia para o turismo vai estar alicerçada em três objetivos: Promoção, Inovação e Cooperação.

“Estes três objetivos assentam também eles em três grandes vetores que consideramos fundamentais para a promoção turística: a digitalização, o conhecimento e a sustentabilidade”, acrescenta. O responsável considera que este é “o ano da transformação, de fazermos em definitivo a passagem para um mundo cada vez mais digital, com decisões baseadas e assentes em informação e no conhecimento que nos chega pelas mais variadas fontes de informação e de parceiros, aproveitando tudo aquilo que esta informação e que este conhecimento nos dá para um apoio à decisão e para uma promoção mais focada e direcionada”.

A par da digitalização, também a sustentabilidade ganha um lugar de destaque. “O mundo cada vez mais procura destinos sustentáveis. Ainda recentemente saiu um artigo em que dizia que 72% dos Britânicos privilegia destinos em que o dinheiro gasto beneficie as comunidades locais, que 65% quer conhecer uma cultura diferente e que 32% vai querer férias perto da natureza.   Somos um exemplo de sustentabilidade e temos de aproveitar todo o trabalho desenvolvido até aqui por Cascais e pelos Cascalenses”.

O plano de promoção e eventos do Turismo de Cascais este ano vai ser de 2.5M €, um valor que sofreu um corte  sobretudo no que diz respeito  às verbas do Jogo atribuídas pelo Turismo de Portugal.  Mas esta diminuição no orçamento do município para a promoção turística não fez baixar a guarda, pelo contrário. “Aproveitámos estes tempos que estamos a viver para estarmos ainda mais próximos dos nossos parceiros, para pensar em conjunto e para restruturar e em 2021 lançaremos diversos projetos novos, dentro da Meetings Industry, da Conectividade e digitalização e também na mobilidade integrada”, adianta Bernardo Corrêa de Barros.

É neste sentido que  Cascais acredita posicionar-se “uma vez mais na vanguarda do que melhor se faz no mundo, estando desta forma mais preparados para o pós pandemia”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *