Portugal é o país da UE com maior percentagem de voos com perturbações

Por a 29 de Novembro de 2019 as 15:37
Gate28

Até 17 de novembro, Portugal foi o país da União Europeia (UE) com maior percentagem de voos com perturbações, com um total de 34% dos voos a chegarem ao destino com um atraso superior a 15 minutos ou a serem cancelados, apurou um estudo da AirHelp, empresa especialista na defesa dos passageiros aéreos.

De acordo com um comunicado enviado à imprensa pela AirHelp, no período em análise registaram-se 64.500 voos com perturbações, tendo o melhor resultado de Portugal sido alcançado no primeiro trimestre do ano, quando 77% dos voos cumpriram o horário previsto.

Já no segundo e terceiro trimestres, registou-se uma quebra no desempenho, com 37% dos voos a apresentarem perturbações entre abril e junho, ainda que o período mais conturbado tenha sido o verão, quando 39% dos voos partiram fora de horas.

“A Europa experienciou mais um ano de caos nas ligações aéreas, com vários países a apresentarem desempenhos preocupantes em termos de pontualidade dos voos. Portugal é um dos países em destaque pelos piores motivos, registando a maior percentagem de perturbações em voos”, destaca Carolina Becker, especialista em direitos dos passageiros aéreos da AirHelp.

Apesar das perturbações terem sido comuns um pouco por toda a Europa, houve países que se destacaram por motivos positivos, a exemplo da Dinamarca, que apresentou o melhor desempenho entre os países com mais de 100 mil voos, já que 81% dos voos à partida de território dinamarquês saíram no horário previsto, seguindo-se a Espanha e a Finlândia, ambos os países com 78% dos voos a partirem a horas.

No extremo oposto, além de Portugal, encontram-se também a Bélgica e a Grécia, com 28% dos voos a falharem o horário, percentagem que baixa para 28% no caso da Holanda, aponta ainda o estudo da AirHelp.

Já o Reino Unido foi o país com maior número de partidas e apresentou, por isso, a maior percentagem de voos com perturbações, já que “cerca de 227.100 voos sofreram atrasos ou foram cancelados”, o que corresponde a 25% do total de voos com partida do Reino Unido.

Falando apenas de cancelamentos, o pior desempenho pertence à Alemanha, onde 12.600 voos não chegaram a descolar durante o período analisado pelo estudo da AirHelp.

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *