“O conceito de package tradicional está a ser posto em causa”

Por a 6 de Novembro de 2019 as 14:31

“A Thomas Cook não se reinventou, esteve sempre preocupada em resolver o seu problema financeiro e não fez as diligências necessárias para olhar o futuro de forma diferente”. A opinião é António Trindade, CEO da cadeia hoteleira PortoBay, que analisa o atual momento da distribuição turística, após a falência da Thomas Cook. “O mercado tem de se reinventar, o conceito de ‘package’ tradicional está a ser posto em causa, agora só se ouve falar em pacotes dinâmicos. Julgo que o mundo das férias de uma ou duas semanas usando o mesmo avião e hotel está a ser posto em causa”, defende o responsável em declarações à margem da WTM Londres, que termina esta quarta-feira, dia 6.
António Trindade sublinha que novos operadores estão a repensar o modelo de negócio e dá o exemplo da easyJet Holidays. “Vamos ouvir falar muito deste operador. Devido ao peso que tem, enquanto companhia aérea, a easyJet entra no mercado do ‘dynamic package’ de forma agressiva porque tem uma rede de transporte interessante. O que se coloca ao cliente é a possibilidade dele construir, dentro do universo easyJet, as suas próprias férias”.
Com unidades hoteleiras nos maiores destinos turísticos portugueses (Madeira, Algarve, Porto e Lisboa) o responsável  da cadeia PortoBay tem uma visão “de perspectiva otimista” para 2020.
“Não quero com isto dizer que o próximo inverno ou verão vão ser melhores, tenho de aceitar que há aqui um ‘shake’ no mercado muito grande”, reconhece.
Quanto aos resultados do grupo este ano, a falência da Thomas Cook não terá o impacto que inicialmente António Trindade previa. “No Algarve foi facilmente substituída a oferta alocada àquele operador e o próximo inverno está acima do ano passado. Há um mês a nossa perspetiva era termos uma quebra de 10% no Inverno quer em receita e ocupação. Agora o que prevejo é uma quebra de 3 a 4% no próximo Inverno na Madeira”.
Pelo facto de ter tido melhores resultados noutros destinos como Lisboa, Porto e Algarve, o grupo vai registar um aumento global de receitas este ano.
Também as unidades do Brasil estão a ter um bom desempenho este ano, com destaque para a unidade no Rio de Janeiro.

*Em Londres

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *