Revive: Concessão do Castelo de Cerveira recebeu três propostas

Por a 28 de Agosto de 2019 as 14:55

A concessão do Castelo de Vila Nova de Cerveira, cujo concurso público foi lançado em julho, no âmbito do programa Revive, recebeu propostas de três empresas nacionais, esperando-se que o processo esteja concluído até ao final do ano, disse à Lusa o presidente da autarquia, Fernando Nogueira.

“A expetativa é a de que finalmente possa haver uma solução que valorize e dignifique o Castelo de Cerveira, o ex-libris do nosso concelho. Dando seguimento aos procedimentos necessários e aos prazos estabelecidos, é expectável que o processo possa estar concluído até ao final do ano”, referiu Fernando Nogueira.

De acordo com o autarca, as propostas foram apresentadas por três empresas nacionais, ligadas aos sectores de hotelaria e restauração, e vão agora ser “analisadas e, posteriormente, submetidas à apreciação do júri do concurso para a elaboração do relatório preliminar”.

As fases seguintes, passam pela realização de “uma audiência prévia, elaboração do relatório final e adjudicação”.

O Castelo de Vila Nova de Cerveira data do século XIII, foi construído por ordem do rei D. Dinis e está classificado como monumento nacional. Até 2008, a infraestrutura acolheu uma Pousada de Portugal com o mesmo nome, que funcionava sob a gestão do grupo Pestana, mas que encerrou no final desse ano, para obras de recuperação, que não chegaram a existir.

A Lusa refere que, desde então, tanto o anterior executivo municipal como o atual têm tentado ultrapassar o impasse, face a várias manifestações de interesse de promotores privados e como forma também de travar o estado de degradação do imóvel.

Em janeiro, o Turismo de Portugal abriu o primeiro concurso para a concessão do espaço, que recebeu duas propostas, mas que acabou “extinto”, por “razões administrativas”, tendo o novo concurso arrancado a 25 de julho, cujo prazo terminou esta terça-feira, 27 de agosto.

O imóvel, propriedade da Direção-Geral do Tesouro e Finanças (DGTF), é um dos 10 edifícios incluídos no programa Revive para serem concessionados a privados, com o compromisso de que sejam recuperados, reabilitados e acessíveis ao público.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *