Assine já
Hotelaria

Opinião | Igualdade, imposta por lei!

Leia a opinião de Ana Jacinto, secretária-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP).

Publituris
Hotelaria

Opinião | Igualdade, imposta por lei!

Leia a opinião de Ana Jacinto, secretária-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP).

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Opinião | O “relativo” direito à greve
Alojamento
Opinião | Este é o momento…
Alojamento
Opinião | Inteligência artificial e impacto no emprego
Alojamento
Estas são as cinco tendências de F&B em Portugal
Alojamento

Não me considero, de todo, uma fervorosa feminista, muito pelo contrário, até sou apreciadora do cada vez menos habitual “cavalheirismo”, que de alguma forma eleva a mulher a um “patamar superior”, que não magoa ninguém e nos faz sentir bem. Tal como desdenho qualquer tipo de machismo, eivado de mediocridade, que pretende diminuir a mulher, apenas por o ser. E esse sim magoa. Não obstante haver uma relação entre os dois termos, o feminismo não é o oposto de machismo. Estamos a falar de conceitos completamente distintos, porque enquanto o feminismo prossegue a igualdade de género (equidade), o machismo trata do domínio do homem sobre a mulher (poder, superioridade).

Clarificados os conceitos, é surpreendente como o tema (des)igualdade trespassou os séculos, desde a reivindicação dos direitos da mulher a partir do século XVIII, com a Revolução Francesa, até ao século XXI, onde ainda hoje é tema. Deixa-me inquieta a pouca importância que a nossa sociedade, homens e mulheres incluídas, atribui à “Igualdade”, no que diz respeito a direitos e oportunidades ao nível político, económico e social, tal como o movimento feminista também defende, e que não se confunde com ideologias de feminismo extremista ou radical.

Não se pretende que mulheres e homens se tornem num padrão único, indistinto, mas antes que se diferenciem naquilo que é próprio das suas identidades e formas de ser, estar e pensar. A igualdade de género deve ser encarada por cada um como uma forma de estar na vida e de sentir, e que deve ser colocada em prática em cada gesto do nosso quotidiano, onde impere a aceitação e o respeito devido pela dignidade de que cada ser humano intrinsecamente goza, independentemente do género.

Tudo isto para lamentar que nos tempos “modernos” que vivemos, ainda seja necessária a publicação de uma lei para impor a igualdade salarial entre homens e mulheres, e para que se efetive um princípio que todos concordamos ser de elementar justiça: salário igual para trabalho igual ou de igual valor. Algo vai muito mal! O que nos faz questionar se serão as mulheres menos competentes, menos capazes, menos eficientes ou qualificadas? É que os números demonstram exatamente o contrário! Ou será que simplesmente lhes são colocados mais entraves e mais constrangimentos em progredir e em chegar a cargos de poder, independentemente do seu mérito pessoal? Esta avaliação, infelizmente, já não depende de factos e poderá estar aqui a resposta.

É importante entendermos que as imposições legais sobre estas matérias só acontecem porque existe uma discriminação de índole cultural que está de tal forma enraizada que não vai desaparecer recorrendo-se apenas a apelos de bom senso ou de justiça. Aliás, as propostas de acordos voluntários feitos no passado e a autorregulação que tanto tenho proclamado, quando toca a estas matérias, não se têm revelado eficazes, o que é de lamentar.

Se nos reportarmos ao turismo e respetivo mercado de trabalho, esta é uma indústria onde se promove a contratação com base na igualdade de oportunidades entre homens e mulheres, rompendo-se também barreiras étnicas e sociais. Mas, como também sabemos, é uma atividade com predominância de mão-de-obra feminina, em especial nas categorias que menos auferem, logo, muito afastadas dos cargos mais elevados e melhor remunerados. Esta é uma realidade que merece uma análise com vista a serem apuradas as suas causas, para que se criem e implementem procedimentos eficazes que possam resolver este problema.

Temos contudo, vindo, devagarinho, a evoluir, mas é preciso mais. É preciso que o turismo dê o sinal, aponte o caminho e possa ser reconhecido como “o” bom exemplo de autorregulação nesta matéria, como já o é em tantas outras áreas! Não porque a lei obriga, mas porque é um setor responsável e que valoriza e reconhece o mérito, e esse não conhece género!

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Alojamento

PHC Hotels tem novos colaboradores

A PHC Hotels – Portuguese Hospitality Collection continua a reforçar a sua equipa, tendo recentemente contratado dois novos colaboradores.

Publituris

São eles, João Monteiro como novo diretor de Alojamento da cadeia, ficando responsável pela estratégia de alojamento e planeamento da operação das três unidades do grupo – Hotel Mundial, Portugal Boutique Hotel e My Suite Lisbon Guest House – Príncipe Real, e João Fonseca, que fica à frente do departamento de Housekeeping, como governante geral.

João Monteiro tem formação em Gestão de Turismo pela Escola Superior de Hotelaria e Turismo de Coimbra, e licenciatura concluída na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril. Conta com uma vasta experiência em hotelaria, tendo integrado diversas marcas hoteleiras como o Grupo Eurostars ou o Grupo TRIUS, onde desempenhou funções de general manager.

Por sua vez, João Fonseca tem formação em Produção Alimentar em Restauração pela Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, e mestrado em Marketing Relacional, tendo construído a sua carreira profissional ao colaborar com marcas de referência na hotelaria nacional, como a NAU Hotels, Vila Vita Parc ou Intercontinental.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

GuestCentric identifica tendências para hotéis em Portugal no verão de 2022

Existem sinais de uma procura exponencial pelos hotéis portugueses, com níveis de crescimento que ultrapassam os números pré-pandemia, mas também o surgimento de clientes mais exigentes, dispostos a pagar mais, desde que em troca de experiências realmente diferenciadoras.

Publituris

Estas são algumas das tendências identificadas pela GuestCentric, empresa de tecnologia de reservas hoteleiras, para os hotéis em Portugal no verão de 2022, após ter analisado centenas de unidades.

De acordo com a pesquisa da Guestcentric, os hóspedes portugueses representam a maioria dos clientes que reservam diretamente os hotéis do país, seguidos dos EUA e do Reino Unido. Embora os Online Travel Agents (OTA) tenham intensificado os seus esforços de marketing, prevendo-se uma agressividade comercial maior no verão 2022, ainda há muito potencial de crescimento das reservas diretas e, portanto, de maior rentabilidade.

O preço médio diário (Average Daily Rate – ADR) está a atingir em 2022 níveis recorde, especialmente na Europa. A GuestCentric revela que os preços dos hotéis na Europa estão atualmente 31% acima de 2019, enquanto os preços dos das unidades dos EUA estão 13% acima de 2019.

As reservas de última hora continuam a ser a norma, e os dados da GuestCentric mostram que entre 40% a 50% das reservas ainda são feitas para o mesmo mês. Embora seja incerto se esta tendência se manterá durante o verão, a capacidade de gerir rapidamente a procura é nova para muitos hotéis, pelo que é importante que estes continuem a ser suficientemente ágeis para responder em conformidade.

A empresa sublinha, por ouro lado que as reservas, para estadas em hotéis para a segunda metade de 2022 estão atualmente 20% acima dos níveis de 2019.

Ao nível das viagens domésticas a expectativa é que se mantenham estáveis, atingindo os níveis de 2021 ou excedendo-os até ao segundo semestre deste ano; tendendo as internacionais a ultrapassar significativamente os níveis de 2019.

Os consultores de viagens (outrora agentes de viagens) estão a regressar, devido à complexidade das viagens, às constantes mudanças nas rotas aéreas e nos voos, e também à incerteza do mundo pós-pandemia. Diz a GuestCentric que, para o verão de 2022, a procura por pacotes mais simples e para destinos mais próximos pode ultrapassar largamente a de viagens exóticas de longo curso, especialmente no caso das famílias.

Outra das conclusões da análise é que a viagem responsável continua importante. Os hóspedes estão particularmente sensíveis às iniciativas sustentáveis que envolvem a comunidade local do hotel, especialmente no que se refere à utilização de fornecedores de comidas e bebidas locais.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Figuras

Hotéis do Super Bock Group têm nova diretora de turismo

As unidades hoteleiras detidas pelo Super Bock Group (Pedras Salgadas Spa & Nature Park e Vidago Palace Hotel) têm nova diretora de turismo.

Publituris

Maria José Machado Fernandes David até aqui coordenadora de operações do Pedras Salgadas Spa & Nature Park acumula agora a coordenação do Vidago Palace Hotel.

A profissional, com uma pós-graduação em Direção Hoteleira, pela Escola Superior de Turismo de Lamego, e licenciada em Gestão, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, iniciou o seu percurso em 1998 na Vidago, Melgaço e Pedras Salgadas, S.A. como assistente de direção das duas unidades hoteleiras.

Em 2011, Maria José David assumiu a função de coordenadora da operação do Pedras Salgadas Spa & Nature Park, tendo tido um papel fulcral no projeto de requalificação deste parque e no seu desenvolvimento.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

TripAdvisor distingue Hotel Corpo Santo

O “Travellers Choice” da plataforma TripAdvisor acaba de distinguir o Corpo Santo Lisbon Historical Hotel, colocando o cinco estrelas em 15º lugar do ranking na categoria “Melhores Hotéis da Europa”.

Publituris

Os prémios TripAdvisor, refira-se, distinguem várias unidades hoteleiras a nível nacional e internacional com base na opinião dos viajantes de todo o mundo, tendo em conta vários critérios nomeadamente taxas de resposta e de aceitação, estadas concluídas ou pontuação das avaliações.

Através da análise de todas as avaliações, recomendações e histórias dos viajantes, o TripAdvisor seleciona as melhores unidades hoteleiras a nível mundial distinguido o trabalho e a dedicação diária de quem desenvolve a sua atividade no setor e orientado todos os viajantes para experiências únicas e autênticas.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Publituris Hotelaria

Nova edição Publituris Hotelaria: Entrevista a Bernardo Trindade, presidente da AHP

A edição de maio da Publituris Hotelaria faz capa com uma entrevista ao novo presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), Bernardo Trindade. Destaque, também, para o dossier dedicado aos recursos humanos.

Publituris

A quinta edição da Publituris Hotelaria de 2022 faz capa com o novo presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP). Nesta entrevista, Bernardo Trindade destaca a recuperação dos balanços das empresas do setor da hotelaria, os impactos da guerra da Ucrânia, a problemática dos recursos humanos e aponta o Banco de Fomento como instrumento essencial para o futuro de um setor fundamental para a economia nacional.

Nos “Indicadores”, a CLEVER e a Lybra Tech analisam as tendências para este verão de 2022, sendo certo que, durante o mês de abril, a procura de viagens para Portugal cresceu. Junho é o mês preferido pelos turistas, mas os protagonistas do verão continuam a ser os britânicos.

A AHRESP debateu “O Mercado de Trabalho: que profissionais teremos amanhã”, apontando seis pontos essenciais para reter profissionais na área da hotelaria e restauração.

A norte, a antiga fábrica da Companhia União Fabril (CUF), que se dedicava â produção de sabão e velas, no Porto, transformou-se no Pestana Douro Riverside, um hotel com 165 quartos e suites, distribuídos por oito pisos temáticos.

A DistrictHive, empresa sediada em Portugal, projetou um hotel cápsula, um módulo transportável e totalmente autossuficiente que pode ser instalado em qualquer local, mesmo onde a construção não seja possível.

Entrevistado para esta edição de maio foi, também, Kurt Michael Gillig, diretor do Vila Vita Parc. À Publituris Hotelaria, o managing director do hotel, admitiu que “o Algarve descobriu-se em vários níveis e ainda está em transformação”.

 

Destaque, igualmente, para o “Turismo Literário” que, através de uma oferta integrada e especializada, permite a valorização do território e o combate à sazonalidade.

No “dossier” desta edição, realce para os recursos humanos e o que vários grupos hoteleiros, e não só, estão a fazer para colmatar um problema que adveio da pandemia: a falta de pessoal para trabalhar no setor da hotelaria.

Falámos com o grupo Pestana, Vila Galé, DHM, Savoy Signature, NAU, Westmont Institute of Tourism and Hospitality, Les Roches, Católica Lisbon School of Business & Economics, Turijobs, AORH+ e Timming.

Na “palavra de chef” fomos conhecer as propostas de Carla Sousa para o Sítio Valverde, e os ingredientes que não podem faltar na cozinha do Valverde Hotel, bem como as ambições que lhe traçam o percurso.

Na “inspeção”, damos a conhecer o novo hotel Four Points by Sheraton Sesimbra, o primeiro da marca em Portugal e que uma ode às navegações e aos momentos de descanso.

As opiniões pertencem a Sander Allegro (Nova SBE Westmont); Luís Pedro Carmo Costa (Neoturis); José Varela Gomes (ISAG); Fabrizio Boscaglia (Universidade Lusófona); Liliana Conde (consultora) e Nuno Abranja (ISCE).

Boas leituras!

*Para ler a versão completa desta edição da Hotelaria – em papel ou digital – subscreva ou encomende aqui.

Contacto: Carmo David | [email protected] | 215 825 430 **

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Azora compra o Pestana Blue Alvor

O Azora European Hotel & Lodging acaba de adquirir o Pestana Blue Alvor, o seu quarto hotel em Portugal. A unidade hoteleira de cinco estrelas, no Algarve, que funciona na modalidade do tudo incluído, continuará, no entanto, a ser operada pelo Pestana Hotel Group.

Com esta compra, o fundo de investimento, que anunciou esta transação, em comunicado, indica que ultrapassou os mil milhões de euros e aproxima-se de 60% do seu compromisso de investimento.

O hotel, construído em 2019 pelo Pestana Hotel Group, é um complexo de 120 mil metros quadrados de 5 estrelas, que conta com quase 500 quartos , seis restaurantes e bares, seis piscinas interiores e exteriores, um centro desportivo e Spa .

“Mantemos o nosso firme compromisso com o setor hoteleiro e de lazer europeu, que tem uma procura acumulada significativa, sobretudo nos mercados de sol e praia, após o longo período de confinamento e restrições devido à pandemia”, disse Concha Osácar, sócia fundadora da Azora, citada no comunicado.

A empresária salienta que “esta transação representa uma oportunidade única tanto para adquirir um resort excecional numa localização muito atrativa, como para reforçar a nossa presença no Algarve, região que está a operar próximo dos níveis pré-Covid graças à força da sua oferta turística”.

José Theotónio, Chief Executive Officer do Pestana Hotel Group, citado também no comunicado,comentou: “O Pestana Blue Alvor é uma referência entre as famílias e todos aqueles que procuram um resort all inclusive diferenciado numa região que é reconhecido como um destino de praia privilegiado na Península Ibérica”, para confirmar que, “mantendo todo o seu profissionalismo, o Pestana Hotel Group vai continuar a executar as operações neste resort exclusivo”

Refira-se que o Pestana Blue Alvor é o quarto investimento da Azora em Portugal, após as recentes aquisições do resort Tivoli Marina Vilamoura, com 384 quartos; o resort Tivoli Carvoeiro, com 248 quartos; e o Vilalara Thalassa Resort, com 118 quartos.

O fundo foi lançado em julho de 2020, com uma carteira seed de 10 ativos hoteleiros turísticos e quatro urbanos em toda a Europa, e teve um fecho final de 815 milhões de euros sobrescritos em setembro do ano passado, conferindo-o uma capacidade de investimento superior a 1.800 milhões de euros. Com esta nova operação, já são oito transações realizadas e 29 ativos totalizando cerca de oito mil quartos.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Alojamento

Quinta dos Machados tem nova oferta de alojamento e restauração

A Quinta dos Machados, localizada em Mafra, acaba de inaugurar os apartamentos e quartos do edifício principal da propriedade. Também, o restaurante do empreendimento reabriu com nova decoração e posicionamento.

Publituris

O atelier Catherine Cabral foi quem teve a seu cargo a redecoração das 19 unidades de alojamento, entre estes, dois apartamentos familiares e 17 quartos, situados numa casa senhorial do século XVII, considerado património histórico protegido. O desafio passou por não descaracterizar o ADN secular de toda a ala tradicional da propriedade.

O restaurante foi igualmente alvo de uma remodelação profunda. O agora Pure Restaurante está mais moderno, com uma decoração Boho chic, espaço agora aberto não só aos hóspedes, mas também a passantes.

A unidade, que está em fase requalificação de categoria, para hotel rural de quatro estrelas, tem previsto, até 2023, a construção de uma piscina interior, que irá juntar-se ao Spa já existente.

Ao todo, esta unidade hoteleira oferece 29 quartos, duas casas, um salão de eventos com capacidade para 280 pessoas e uma piscina exterior.

É a natureza quem dá um caráter aconchegante e tranquilizador a este empreendimento hoteleiro. Dos 15 hectares da propriedade, 11 são ocupados pelo bosque, que faz paredes meias com a casa senhorial e com a ala moderna, onde se localizam o restaurante, o Spa e 12 quartos temáticos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Hotel Meliã Lisboa entra na segunda fase de construção

Nova unidade de cinco estrelas, a primeira da Meliã Hotels International na capital portuguesa, deverá estar concluída na segunda metade de 2023.

Publituris

A segunda fase de construção do novo Hotel Meliã Lisboa, o primeiro de cinco estrelas da cadeia de hotelaria espanhola na capital portuguesa, já teve início e prevê-se que a unidade esteja concluída na segunda metade de 2023, informou a Engexpor, empresa responsável pela gestão da obra.

Localizado no cruzamento da Avenida Fontes Pereira de Melo com a Avenida António Augusto de Aguiar, junto ao Marquês de Pombal, o novo Hotel Meliã Lisboa vai contar com 240 quartos, restaurante, bar-lounge na cobertura com vista panorâmica sobre a cidade, salas de convenções e centro de congressos com capacidade até 550 pessoas.

Segundo a Engexpor, nesta segunda fase, está prevista a construção da estrutura elevada do edifício, que vai contar com 14 pisos acima do solo, bem como as instalações técnicas e acabamentos.

“Os níveis de rigor e exigência num projeto com estas características e localização são, de facto, muito significativos, mas é, sobretudo, um privilégio estarmos envolvidos na execução de uma unidade hoteleira com elevados padrões de qualidade, que vem revitalizar um dos gavetos mais emblemáticos da cidade de Lisboa”, nota Tiago Barros, managing director da Engexpor em Portugal.

A promoção imobiliária do empreendimento está a cargo do Discovery Portugal Real Estate Fund, que é assessorado pela Explorer Investments, e resulta de uma parceria firmada entre esta entidade e a Meliã Hotels International.

No total, o Hotel Meliã Lisboa vai contar com 22.220 m² de área bruta de construção, distribuídos por 14 pisos acima do solo e ainda seis pisos subterrâneos.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Vila Galé Estoril passa a contar com regime de tudo incluído

O Vila Galé Estoril, que passou a ser uma unidade apenas para adultos, ou seja, para maiores de 16 anos, está agora também disponível em regime de tudo incluído. Os preços começam nos 113 euros por pessoa.

Publituris

O Vila Galé Estoril, que passou a ser uma unidade apenas para adultos, ou seja, para maiores de 16 anos, está agora também disponível em regime de tudo incluído, anunciou a Vila Galé Hotéis, em comunicado.

“Já é possível usufruir do regime ‘tudo incluído’ no Vila Galé Estoril, hotel que é agora também recomendado para maiores de 16 anos”, indica a cadeia de hotelaria nacional, num comunicado divulgado esta terça-feira, 10 de maio.

Os hóspedes que optem pelo regime de tudo incluído no Vila Galé Estoril têm à sua disposição várias opções gastronómicas nos três restaurantes do hotel, concretamente o novo Inevitável, dedicado aos sabores de inspiração mediterrânica; uma pizzaria Massa Fina, com esplanada e ambiente descontraído; ou o Divino, com serviço de buffet.

Os preços para alojamento em quarto duplo standard com regime de tudo incluído começam nos 113 euros por pessoa, sendo que, nesta modalidade, os hóspedes têm também acesso ao Satsanga Wellness com piscina de hidromassagem, banho turco, ginásio e salas para massagens e tratamentos estéticos.

“Apesar de ser bastante comum noutros destinos turísticos em Portugal, na costa de Lisboa praticamente não há hotéis com regime ‘tudo incluído’, pelo que considerámos que podia ser uma oportunidade para complementar a nossa oferta e dar mais opções aos nossos clientes”, refere Gonçalo Rebelo de Almeida, administrador do grupo Vila Galé Hotéis.

De acordo com o responsável este é “também um conceito inovador unidades recomendadas para adultos nesta região. Sendo um hotel de praia, mas que também está muito próximo de cidades como Lisboa ou Cascais, acreditamos que o Vila Galé Estoril tem todas as facilidades para funcionar com ‘tudo incluído’, já que reforçámos as nossas propostas gastronómicas e de animação”.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

YOTEL abre segunda unidade em Lisboa em 2024

O YOTEL Lisboa WTC tem abertura prevista para 2024 e vai ficar localizado no World Trade Center do FVC Group, previsto para ser o centro empresarial e de negócios mais inovador de Portugal.

Publituris

A marca de hotelaria YOTEL anunciou a abertura de uma segunda unidade hoteleira na capital portuguesa em 2024, que vai ficar localizada no World Trade Center do FVC Group, previsto para ser o centro empresarial e de negócios mais inovador de Portugal.

“Lisboa sempre foi uma prioridade para a expansão da YOTEL, particularmente após a abertura da YOTEL Porto no ano passado”, explica em comunicado Rohan Thakkar, Chefe de Desenvolvimento da YOTEL, revelando que a marca de hotelaria estabeleceu um acordo de gestão a longo prazo com a Foz Vintage.

Com 127 quartos, o novo YOTEL de Lisboa vai inclui também restaurante, assim como um espaço para eventos e um bar panorâmico no telhado, Grab+Go, áreas de trabalho e um centro de fitness 24/7 com equipamento de última geração.

A unidade hoteleira será uma das empresas que vão ficar instaladas no World Trade Center Lisboa, um empreendimento com uma área de mais de 35 mil metros quadrados e que, além do hotel, vai contar também com área de escritórios, espaços comerciais e recreativos.

“O WTC Lisboa faz parte da rede World Trade Center, a maior plataforma mundial de negócios e investimentos, abrangendo 322 cidades, em 90 países. O YOTEL Lisboa WTC será o primeiro de duas propriedades YOTEL a fazer parte do ecossistema internacional do WTC, sendo o segundo a ser anunciado ainda este ano”, refere ainda a YOTEL, no comunicado divulgado.

De acordo com a marca de hotelaria, o YOTEL Lisboa WTC “será o alojamento ideal para as pessoas que visitam e trabalham no WTC ou num dos outros nove parques empresariais localizados num raio de três quilómetros”.

A YOTEL opera atualmente 19 hotéis em todo o mundo e tem outros 13 em desenvolvimento, com destaque para a aberta de uma propriedade YOTEL /YOTELPAD aberta em Miami em maio e para o YOTEL Geneva Lake, que abre no final deste ano.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.