INE: Mais dormidas e hóspedes, menos ocupação

Por a 13 de Julho de 2018 as 16:39

Portugal registou dois milhões de hóspedes em Maio de 2018, mês e que contabilizou 5,4 milhões de dormidas. Entre Janeiro e Maio, as dormidas já ascenderam às 19,6 milhões. Os valores divulgados esta sexta-feira pelo INE – Instituto Nacional de Estatísticas espelham variações positivas de 3,5%, 1,1% e 1,5%, respectivamente.

Segundo os dados publicados, em Maio, o mercado interno atingiu as 1,2 milhões de dormidas, um acréscimo de 5,4%; enquanto o mercado externo alcançou as 4,2 milhões de dormidas, uma queda de 0,2%.

Entre Janeiro e Maio, o residentes cresceram 3,4% e os não residentes 0,8%.

A estada média verificada no mês e Maio foi de 2,67 noites, uma queda de 2,4%, com os não residentes a contribuir com uma descida de 2% e a os residentes 1,5%.

A Madeira registou a maior subida da taxa (0,5%), para as 5,05 noites; e o Centro a maior quebra, de 7%, para as 1,62 noites.

A ocupação também desceu no período em análise, ao fixar-se nos 54,7% em Maio, uma variação negativa em 0,4 pontos percentuais. A Madeira e a Lisboa foram as zonas com maior ocupação (69,3% e 66,2%, respectivamente). A maior subida foi verificada no Alentejo (4,8 p.p.) e a maior descida na Madeira 4 p.p.).

O RevPar revelou um aumento de 8,1% em Maio de 2018, atingindo os 56,5 euros. Lisboa foi a região com o maior valor de revPar, 98,8%, uma subida de 14,6%; e o maior crescimento foi registado no Alentejo (16,4%).

Em termos de emissores, o destaque pela positiva vai para o mercado norte-americano, com uma subida de 18,3% em Maio e 20,5% nos primeiros cinco meses do ano. Pela negativa, o mercado britânico, que representa 22,7% do total de não residentes, caiu 9% em Maio e 7,4% no acumulado de Janeiro a Maio.

Em termos acumulados, o INE salienta, também, o crescimento do Canadá (12,7%) e do Brasil (12,6%).

Os proveitos totais atingiram 344,7 milhões de euros e os de aposento 252,2 milhões de euros, com crescimentos de 9,1% e 10,4%, respectivamente, significativamente superiores ao das dormidas (+1,1%). Os aumentos nos proveitos, em Maio, situaram-se acima dos verificados em Abril (+2,5% e +2,6%, pela mesma ordem).

Confira a análise de forma mais pormenorizada aqui.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *