Há uma nova marca hoteleira em Portugal

Por a 16 de Março de 2018 as 16:55

O icónico Hotel Mundial, assim como o Portugal Boutique Hotel, ambos pertencentes ao grupo Sotelmo, estão a partir de agora debaixo da marca PHC Hotels. A sigla significa Portuguese Hospitality Collection e, segundo Carla Maximino, CEO do grupo, “inspira-se na importância que a hospitalidade tem para a nossa indústria e que é reconhecidamente uma das principais características da qualidade do nosso serviço”.

Com a criação da marca PHC, o grupo espera que o mercado passe de imediato a adoptar a designação PHC Hotels e associe a marca ao Hotel Mundial, ao Hotel Portugal e a outros que venham a ser adquiridos ou geridos.

“A PHC Hotels tem como objetivos, além de potenciar as várias sinergias de gestão financeira, operacional e comercial do grupo, o aumento das oportunidades entre as suas marcas actuais e futuras. Esta visão global de gestão visa o reforço da plena satisfação dos seus clientes e hóspedes, nas experiências diferenciadas que cada um dos seus Hotéis oferece”, explica a responsável.

Carla Maximino esclarece que a PHC Hotels é uma colecção de hotéis independentes, com “personalidades distintas e que têm em comum o cunho da excelência da hospitalidade portuguesa e a experiência de gestão e operação hoteleiras”. Na prática, diz a responsável, cada hotel mantém o seu próprio site, no entanto, “o objectivo é que o site da PHC Hotels seja futuramente uma plataforma dinâmica para consultar e reservar, ao ter cross selling entre as várias unidades para tornar a experiência digital do cliente o mais confortável, fácil e intuitiva. Já no segmento B2B, a presença em feiras, por exemplo, será assim facilitada por haver um espaço comum que reúne as várias marcas”.

Expansão da marca

Questionada se pretendem expandir o portefólio da marca, a CEO do grupo reconhece que há destinos onde a procura justificaria um investimento, mas por agora o grupo ainda está focado em Lisboa. “O destino Portugal é cada vez mais conhecido e as oportunidades de negócio, quando surgem, devem ser bem ponderadas. Lisboa, Porto, Algarve e Funchal são quase sempre sinónimo de sucesso e garantia de retorno do investimento. Mas se no futuro outras regiões demonstrarem o interesse do mercado, estaremos atentos. De qualquer modo, neste momento ainda olhamos para Lisboa, pela nossa experiência nesta cidade, como um destino que ainda apresenta potencial de crescimento”.

Resultados

O ano de 2017 voltou a ser de crescimento tanto para o Hotel Mundial, como para o Portugal Boutique Hotel. No caso do primeiro, a ocupação fixou-se acima de 90%, com um aumento de 3,5% em relação ao ano de 2016, enquanto o preço médio registou um aumento de 6,3% e o RevPAR 10%.

Já no Portugal Boutique Hotel, a ocupação anual fixou-se também ela acima dos 90%, um valor ligeiramente acima do que foi alcançado em 2016, já o preço médio e RevPAR registaram um aumento de cerca de 11%. A estadia média nas duas unidades é de três noites, em consonância com os valores da cidade. Apesar de se mostrar satisfeita com os resultados, Carla Maximino sublinha que se trata de um “crescimento sustentado”, fruto “do equilíbrio entre a relação qualidade/preço no sentido de manter a boa imagem que temos vindo a deixar presente ao longo dos 60 anos de existência do Hotel Mundial e quatro anos do Portugal Boutique Hotel”.

No que diz respeito a segmentos, no Hotel Mundial o segmento FIT (Fully Independent Tourist) é o segmento que se destaca com um share de 37% em relação aos demais. Já no Hotel Portugal, por ser um hotel boutique, um conceito diferente do hotel Mundial, o segmento em destaque é a Internet, neste caso a venda através de canais B2C representa 40% das vendas totais.

“Além do segmento de individuais como são os FIT, Internet, brokers, o nosso trabalho é também desenvolvido na segmentação de grupos, nomeadamente de lazer com séries e grupos adoc. Temos uma forma de estar onde há espaço para a presença de vários segmentos, esta abrangência, se por um lado pode ser considerada complexa, por outro é também um estímulo para nós pela constante necessidade de adaptação que cada segmento requer”, afirma. Quanto aos principais mercados, o alemão surge em primeiro lugar, totalizando, no conjunto dos dois hotéis, cerca 50 mil dormidas em 2017, algo que é “resultado da nossa forte presença e excelente colaboração dos DMC´s e operadores que nos dão, ao longo de muitos anos, o privilégio de levar mais longe a nossa imagem”, defende. Em segundo e terceiro lugar surgem os mercados brasileiros e americano. Segundo a responsável, em 2018 há uma tendência para um ligeiro aumento destes três mercados, nomeadamente “quando se trata de turistas que viajam individualmente”.

Novidades 2018

Focados na melhoria contínua dos seus produtos, em 2018 o grupo vai novamente realizar algumas renovações. Depois de, em 2017, o Mundial Timeless City Hotel ter sido totalmente renovado a nível de alojamento, em 2018 a prioridade é a renovação do Rooftop Bar e das salas de reuniões deste hotel, obra que deverá acontecer ainda no primeiro semestre do ano. “Após seis anos de intensa actividade – festas, cocktails e eventos corporativos – achámos que em 2018 o espaço tinha de se apresentar aos seus clientes renovado e preparado para fazer face às actuais exigências do mercado que, passou a ter neste tipo de venue uma alternativa aos espaços mais tradicionais, seja para lazer ou eventos corporativos. O Rooftop® Bar irá reabrir no final da Primavera com novas áreas, novos equipamentos e um look ainda mais cuidado, assinado pelo gabinete de arquitectura de interiores Artica by Cristina Santos Silva e Ana Meneses e, pelo gabinete de arquitectura GRCA”, refere. Para as salas de reuniões, o que está perspectivado é uma intervenção ao nível do sistema de audiovisuais incorporado, “tornando-as assim mais competitivas”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *