Assine já
Homepage

Conversas à Mesa | Vitor Neto

Vitor Neto, presidente do NERA e ex-secretário de Estado do Turismo.

Carina Monteiro
Homepage

Conversas à Mesa | Vitor Neto

Vitor Neto, presidente do NERA e ex-secretário de Estado do Turismo.

Carina Monteiro
Sobre o autor
Carina Monteiro
Artigos relacionados

Vítor Neto é seguramente um dos maiores defensores do Turismo e da sua importância e peso na economia do País. Há vários anos que escreve e fala sobre Turismo, com a eloquência de poucos. No Publituris, assina a coluna de opinião da página seis, mas, nesta edição, é o protagonista do Conversas à Mesa.

Foi secretário de Estado do Turismo durante quase cinco anos. No entanto, essa é apenas uma das etapas de “uma vida intensa, mas feliz”.

Algarvio, nasceu na Guia, em 1943. O pai era um empresário de São Bartolomeu de Messines, vila do concelho de Silves. Foi lá que Vítor Neto completou a escola primária, numa turma de alunos da 1ª à 4ª classe. Depois, acabou por se mudar para Faro para completar o liceu.

Em Faro encontrou uma cidade com um ambiente democrático, que se coadunava com a educação democrática e participativa que tinha em casa. Por isso, não é de estranhar que aos 15 anos tenha participado numa sessão com o general Humberto Delgado que, em 1958, na sua campanha eleitoral, fez uma incursão ao Algarve. “Eu também andei atrás dele”, recorda.

Bom aluno, fez o exame de admissão à Universidade Técnica de Lisboa. Ao contrário dos colegas, que iam para Coimbra, Vítor Neto decidiu ir para Lisboa.

Entrou na universidade em 1961 e seis meses depois deu-se a crise académica de 1962. “Eu, com a minha curiosidade democrática e participativa, envolvi-me na luta estudantil, cheguei a ser agredido pela polícia”, conta. Ao ser um dos estudantes que apoiou a greve de fome de umas dezenas de dirigentes universitários, acabou preso e identificado pela PIDE, aos 18 anos. A luta estudantil radicalizou-se com uma greve continuada às aulas, que teve como consequência o chumbo por faltas. Os pais, preocupados com a situação, apoiaram a sua saída para o estrangeiro. “Fui para Itália em 1962. Saí quase clandestinamente de Portugal, através de um barco mercantil que partiu de Vila Real de Santo António”, conta.

Já a viver em Génova, decidiu vir de férias a Portugal de comboio, no Verão seguinte. Mas a viagem não correu como esperava. A PIDE tinha um mandato de captura e acabou preso na fronteira de Vilar Formoso e levado para a prisão de Caxias. “Foi uma prova muito dura e que marca para toda a vida. Interrogaram-me sobre o porquê de ter ido para Itália, um país comunista”, conta.

Quando saiu da prisão, a sua vontade era sair imediatamente de Portugal e voltar para Itália. Foi o que fez. “Só regressei a Portugal em 1974”, afirma.

Em Itália, estudou e fez actividade política, tornando-se um combatente pela liberdade e democracia de Portugal. Juntou-se às forças anti-fascistas que estavam no estrangeiro. “Itália era muito tolerante em relação à actividade de estrangeiros na área democrática”, explica. Viveu sempre em Génova, mas percorria o país todo. Era o responsável da coordenação das actividades de solidariedade com a luta do povo português. Ao mesmo tempo, mantinha contacto com outros colegas que estavam na Suíça: António Barreto, Eurico Figueiredo, Jaime Mendes e Teresa Tito de Morais. Neste período em Itália, casou com Simonetta e teve duas filhas, a Serena e a Hilária.

Regresso a Portugal

Regressou a Portugal em 1974. A família veio um ano depois. Integrou-se na actividade política do País. Foi autarca, vereador, membro da assembleia nacional de Albufeira e deputado.

Em 1988, catorze anos depois de regressar a Portugal, saiu da política. “Saí porque senti esgotada a minha experiência e o meu contributo. Não sou um burocrata que está nas coisas só porque está, porque tem de estar ou porque sempre esteve. Ou sinto que dou um contributo e há uma perspectiva das coisas evoluírem ou estar só por estar deixou de ser atractivo”, explica.

Em 1989, foi dirigir a fábrica fundada pelo pai entretanto falecido, a Teófilo Fontainhas Neto – Comércio e Indústria SA, em São Bartolomeu de Messines. A capacidade de se adaptar a novas situações, sem receios, levou-o a completar com o sucesso mais uma etapa da sua vida, a mais importante, porventura: recuperar o negócio da família. Como é que o fez? “Percebi que a actividade económica se tinha alterado, que uma parte dos negócios estava ultrapassada e que a situação económica estava em movimento. Ou adaptava a empresa a isso ou desaparecia”, explica. Na prática, terminou com o negócio dos frutos secos, vendeu a parte alimentar grossista, manteve a transformação e exportação de alfarroba e concentrou-se na parte das bebidas. “Foi o meu pai que há 45 anos trouxe a Unicer do Porto para o Algarve para a distribuição”, conta. Actualmente, a empresa dá emprego a quase 100 pessoas.

Membro do Governo

O primeiro contacto com o Turismo deu-se na infância e adolescência no Algarve. “Passávamos as férias em Albufeira todos os anos”, recorda. Depois, a vivência em Itália, que era um país de Turismo, voltou a despertar-lhe o interesse por esta actividade. “Comecei a interessar-me pelos números, a interessar-me pela realidade portuguesa e recebia o Publituris em Itália”, conta.

Em 1997, recebeu o convite de Joaquim Pina Moura, ministro da Economia de António Guterres, para secretário de Estado do Turismo. Foi secretário de Estado do Turismo no XIII e XIV governos constitucionais (de 1997 e 2002). Nos quatro anos e meio à frente da Secretaria teve quatro ministros da Economia, quatro das Finanças e vários do Ambiente, num período em que se realizou a Expo 98. Nesse ano, o Turismo em Portugal aumentou um milhão de turistas estrangeiros, passando de 10 para 11 milhões de turistas. E nos anos seguintes aumentou mais um milhão.

“Foram anos em que tive a possibilidade de construir e defender uma estratégia para o Turismo, com o apoio dos vários ministros e do primeiro-ministro”. Além disso, sublinha, “o Turismo teve peso político no Governo, mesmo sem eu ser ministro”. Recorda a primeira vez que recebeu um telefonema do gabinete do primeiro-ministro. “O engenheiro Guterres ia ter uma entrevista sobre o estado do País e queria falar sobre o Turismo também. Isto significou o reconhecimento da importância económica e política do Turismo e confiança na pessoa que tem essa responsabilidade”.

Deste período destaca, ainda, o apoio à Direcção Geral de Turismo (DGT). “A DGT era a memória e o cérebro do conhecimento do Turismo. Elaborámos as linhas estratégicas de desenvolvimento do Turismo em Portugal”.

Por outro lado, demos “muita importância à parte da promoção internacional com o ICEP. Geralmente o Turismo nunca se discutia no ICEP e passou a discutir-se. Cheguei a ir a reuniões do organismo e a fazer reuniões regulares com os delegados do ICEP para saber o que passava em cada mercado”, explica.

Vítor Neto continua interventivo em fóruns de Turismo e nas colunas de opinião que assina na imprensa, chamando a atenção para o peso do Turismo nas exportações. “O Turismo é uma preocupação permanente, porque estou na região onde o Turismo é o sector mais importante e isso tem consequências também na minha empresa. Por outro lado, porque considero o Turismo um dos sectores económicos mais importantes do País”.

Defende a valorização dos resultados positivos do Turismo, mas é preciso “ter a consciência dos desafios que aí estão, nomeadamente, a evolução da economia mundial, a instabilidade, o problema dos mercados emissores”. “Temos de ter uma estratégia que se possa precaver também de aspectos negativos. Qual é essa estratégia? A consolidação da nossa oferta, mas de que maneira? As regiões são todas diferentes, não se pode meter tudo no mesmo saco. Têm crescimentos diferentes e o perfil dos turistas é diferente. Pondo tudo no mesmo saco, erra-se na estratégia. As regiões deviam ter mais capacidade política, mais capacidade financeira, adequada às suas potencialidades”, defende.

Actividade associativa

Além da actividade empresarial, Vítor Neto mantém uma vida associativa muito activa. É presidente da Associação Empresarial da Região do Algarve (NERA), vice-presidente da AIP, vice-presidente da CIP, presidente da comissão organizadora da BTL; membro da Associação Nacional de Turismo (ANT) e membro de vários organismos do Algarve. Foi distinguido, em 2005, pelo Presidente da República com a Ordem do Infante D. Henrique, grau Grande Oficial.  Recentemente foi eleito presidente do Conselho Geral da Universidade do Algarve.

Não concebe a vida de outra forma, sem ser esta de cidadão activo e com responsabilidade social, algo que herdou do pai. “A felicidade não pode ser só a felicidade de cada um de nós, tem de ser de todos e tem de ser partilhada”, defende.

Tenciona escrever um novo livro sobre Turismo. O projecto ainda está apenas na sua cabeça. “Todas as noites escrevo um capítulo na minha cabeça”, revela. O tema já está escolhido. “A realidade do Turismo está em movimento e definir o enfoque e o ângulo de abordagem não é fácil. O livro que fiz foi um livro de balanço. Neste momento, será um livro de perspectiva, mas uma perspectiva num mundo incerto. Tenho de descrever o que temos de consistente, quais são as incertezas e como nos preparamos para as incertezas e como nos preparamos para todas as eventualidades”.

Vítor Neto tem duas filhas e um neto de 8 meses. Vai a Itália quase todos anos visitar a família da mulher. “Sinto-me em casa em Itália, não me sinto um estrangeiro. Conheço bem a cultura, tenho muitos amigos”.

Vive entre a Guia e Lisboa. Tem tempo para tudo, mas não dispensa a agenda em papel onde aponta todos os compromissos. “Sou uma pessoa feliz e serena. Hoje actuo como actuava há trinta ou quarenta anos, com a mesma vontade, todos os dias é um dia novo”, remata.

RIB BEEF & WINE Lisboa
O que é bom é para se repetir e no caso do RIB BEEF & WINE a frase não podia fazer mais sentido. Depois do Pestana Porto, onde o conceito deste restaurante foi caso de sucesso pelas mãos do chef Rui Martins, também já é possível experimentar em Lisboa as iguarias deste conceito. Basta ir à Pousada de Lisboa, em plena Praça do Comércio. No RIB BEEF & WINE LISBOA encontramos a liderança do chef Luís Rodrigues e uma carta de autor. Aqui o destaque são as carnes. Encontramos um vasto leque de opções de cortes com sabores e texturas definidas: o RIB Eye (ligeiro marmoreado, suculento e com boa profundidade de sabor); o Cowboy Steak (corte de novilho maturado a 28 dias, suculento e saboroso) ou a Vazia maturada a 60 dias, entre outras opções. O RIB BEEF & WINE LISBOA conta ainda com uma vasta opção de acompanhamentos e onde as novidades recaem sobre o À Brás de Legumes e o Arroz de Grelos e Chouriça de Cebola. Para surpreender os mais gulosos e à semelhança da sobremesa designada Porto que integra a carta do restaurante no Norte, surge uma homenagem à capital: um arrojado pastel de Nata com gelado de canela e com a típica ginjinha, designado Lisboa. Ao almoço, o restaurante disponibiliza, durante a semana, um Lunch Meating (Menu Executivo) por 15€.

Sobre o autorCarina Monteiro

Carina Monteiro

Mais artigos
Artigos relacionados

Procida é a Capital Italiana da Cultura 2022

Com o slogan “A cultura não isola”, o programa – criado de um processo que viu o envolvimento ativo da população – terá início em 22 de Janeiro de 2022 e abrange 44 projectos culturais, 330 dias de programação, 240 artistas, 40 obras originais e 8 espaços culturais regenerados

Brand SHARE

Pela primeira vez é uma ilha, pela primeira vez uma pequena aldeia. Procida é uma profecia de uma Itália que é menor mas não subordinada, que se concentra fortemente no seu património mas também, e sobretudo, em processos de valorização social e cultural.

Nomeada no dia 18 de Janeiro de 2021, Capital Italiana da Cultura 2022, a mais pequena das ilhas do Golfo de Nápoles – com a sua arquitetura tipicamente mediterrânica, as cores pastel da aldeia de Marina Corricella, rituais milenares como a procissão da Sexta-feira Santa, e a história do Palazzo d’Avalos da Renascença, que foi uma prisão até 1988, o oásis naturalista de Vivara e as ligações fascinantes com a literatura e o cinema – assistiu à adjudicação de um projecto cultural que, como sublinhou a comissão MiBACT, agora MiC, “apresenta elementos de atractividade e qualidade de um nível excelente”, resultando “relevante para todas as realidades das pequenas ilhas mediterrânicas”.  

Um projeto que “poderia determinar uma descontinuidade real no território e representar um modelo para processos sustentáveis de desenvolvimento cultural da ilha e das realidades costeiras do país” e que “é também capaz de transmitir uma mensagem poética, uma visão da cultura, que da pequena realidade da ilha se estende como um desejo para todos nós, para o país”.

Concebido antes da pandemia, o tema de Procida 2022 é “A cultura não é uma ilha”: a ilha é um lugar de exploração, experimentação e conhecimento, um modelo de culturas é uma metáfora para o homem contemporâneo. Procida tornar-se-á um capital exemplar de dinâmica relacional, de práticas de inclusão – aqui já existe um projeto Sprar, com hospitalidade generalizada para migrantes, refugiados e requerentes de asilo – bem como de cuidados com o património cultural e natural.

O programa cultural – criado através de um processo de “capacitação” envolvendo os cidadãos – terá início a 22 de Janeiro de 2022 e inclui 44 projetos culturais, 330 dias de programação, 240 artistas, 40 obras originais e 8 espaços culturais regenerados. Um projecto, como salientou o Ministro da Cultura Dario Franceschini, “válido, inovador e participativo, capaz de se projectar a nível europeu”.

“Procida Capital Italiana da Cultura é uma recompensa pelos esforços de toda a comunidade da ilha e pelo apoio daqueles que, desde a primeira fase, acreditaram num desafio ambicioso e excitante. 

Procida é a capital cultural do Golfo de Nápoles, da região flegrena, da Campânia e de todas as pequenas ilhas da Itália e do Mediterrâneo”, disse o Presidente da Câmara Dino Ambrosino.

“O de Procida é um resultado marcante – sublinha Agostino Riitano, director de Procida 2022 – porque a comissão entendeu que o projeto de Procida incorpora uma mudança no paradigma da cultura no nosso país, não só grandes cidades de arte, mas também e sobretudo o extraordinário património cultural espalhado em pequenas cidades. Estamos convencidos de que o conceito de “menor” contém o sentido da profecia. Neste sentido, a nossa vitória encarna a profecia da mudança nas políticas culturais do país.

Mais de 50 testemunhos foram mobilizados em torno da candidatura de Procida, incluindo os actores Toni Servillo, Isa Danieli e Peppe Barra e os escritores Maurizio De Giovanni e Valeria Parrella.

O programa, que conduzirá à regeneração de lugares simbólicos como o Palazzo d’Avalos, está dividido em cinco secções resumidas por cinco verbos: “Procida inventa” engloba projectos artísticos (exposições, cinema, espetáculos e obras específicas do local); “Procida inspira” projectos que surgem da ilha como fonte de inspiração; “Procida inclui” entrelaça arte e inclusão social; “Procida inova” engloba projectos que promovem a relação entre cultura e inovação; “Procida aprende” aborda, em particular, os processos educativos.

“A peculiaridade do nosso programa – que tece grandes exposições de arte contemporânea, festivais, performances mas sobretudo processos culturais em construção – será a de abraçar todo o arco de 2022, com a oportunidade de descobrir luzes e cores que variam de estação para estação. Cada um de nós poderá adquirir uma pequena residência temporária para 2022. O mais importante é que não vamos abrir Procida ao chamado sobre turismo, mas a um turismo rigorosamente lento, responsável, ecológico, ‘meridiano’ – para usar uma definição afortunada de Franco Cassano – que pode incluir a vizinha Ischia, o Campi Flegrei e toda a Campânia”.

Procida 2022 é apoiado pela Região da Campânia, com a qual foi criado um comité diretor, as universidades locais, organismos, associações e parceiros privados.

www.enit.pt

Autor: Agência Nacional Turismo de Itália

 

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos

Itália – Região Marche: às margens do Adriático

Uma combinação do melhor que a culinária e a tradição artística italiana podem oferecer

Brand SHARE

Existem ótimas razões para descobrir e visitar a região Marche, uma região surpreendente que conseguiu manter uma atmosfera ligeiramente isolada com respeito à tradição e ao seu passado, capaz de surpreender e fascinar até o visitante mais exigente. A região Marche captura a atenção, porque transmite a sensação de viver em outra dimensão, onde o tempo parece ter desacelerado e o ambiente continua a ser tranquilo e íntimo como o de uma pintura renascentista. Tudo isto se encontra num ambiente ainda intacto, onde o respeito e o amor pela tradição também se refletem na preservação do artesanato antigo e na promoção de tradições gastronómicas milenares. Na região Marche, a tradição encontra-se no cenário das muitas aldeias históricas, numa experiência agradável e vantajosa: uma nova forma de explorar o território e redescobrir a excelência das melhores realidades produtivas locais.

Quinze Doc e cinco vinhos Docg acompanham os pratos típicos de peixe ou carne da cozinha local. Na região Marche, cada encosta tem o seu próprio vinho e cada mudança na paisagem corresponde a aromas mais ou menos intensos e decisivos: desde o peixe fresco do Adriático aos queijos “salgados”, carnes curadas, azeite, massas e carne das doces colinas, até às montanhas dos Apeninos onde predominam os sabores fortes das carnes curadas, queijos de renome, trufas e cogumelos premiados. Ao longo do ano, as várias localidades acolhem uma série de exposições, eventos, festivais de música, representações teatrais e de dança, festivais folclóricos, reconstituições históricas e eventos gastronómicos onde os visitantes podem saborear as especialidades da região Marche.

 

Senigallia – Restaurante Uliassi

A história do restaurante “Uliassi”, que possui três estrelas Michelin, começou com um pai, Franco Uliassi, que era agricultor, mas que agricultor não queria ser e, depois de ter tentado várias carreiras profissionais, lançou-se no negócio da restauração comprando e abrindo um bar com sua esposa, que em 1990 se tornou o restaurante que conhecemos hoje.

Isto marcou o início da longa história do lendário estabelecimento na frente marítima de Senigallia, que este ano voltou a receber o cobiçado prémio Michelin e que é agora dirigido pelo chefe de cozinha Mauro e a sua irmã Catia Uliassi. Depois de se recusar inicialmente a continuar o negócio de seu pai, o chef com estrela Michelin acima mencionado dedicou-se de alma e coração à aumentar o prestígio e a qualidade dos pratos oferecidos, tendo como objetivo deliciar os paladares de seus clientes. A cozinha elaborada e imaginativa de Uliassi baseia-se principalmente nos extraordinários sabores do peixe, dada a sua proximidade com o mar, mas também oferece uma grande variedade de carne.

Mauro Uliassi faz parte dos chefes com três estrelas. Recebeu três garfos de Gambero Rosso e foi incluído no prestigioso guia.

No entanto, o restaurante não é a única razão para ir a Senigallia, pois a cidade oferece muitas atracções para todos os gostos. Famosa pela sua praia de veludo e pelo seu passeio com a famosa Rotonda, Senigallia oferece aos turistas belezas para serem admiradas mesmo no inverno. Um ponto de passagem obrigatório é o seu centro histórico caracterizado pela Rocca Roveresca, completada em 1480 por Baccio Pontelli, Palazzo Mastai Ferretti, local de nascimento do Papa Pio IX, a Catedral e os Portici Ercolani.

A costa do Adriático inclui muitas “pérolas do Adriático” (perle dell’Adriatico). Não longe de Senigallia encontra-se a fascinante cidade de Fano, o antigo e nobre Fanum Fortunae, um importante centro sagrado romano dedicado à deusa Fortuna, que ostenta numerosos monumentos da era Augustan, como o Arco de Augusto, porta de entrada para a antiga Via Flaminia. De origem mais recente são a Corte, do período Malatesta, e a Fontana della Fortuna do século XVI, no centro da cidade. Fano também oferece lugares de meditação e espiritualidade como o Hermitage de Monte Giove.

https://www.turismo.marche.it/it-it/Cosa-vedere/Sapori-e-Saper-fare/Senigallia-Ristorante-Uliassi/8986

Senigallia – A Madonna do Pescador 

Em frente ao mar e a praia “sem fim”, por detrás das acolhedoras e verdes colinas, nas proximidades das cidades e aldeias ricas em arte e história; aninhadas no esplêndido cenário da região Marche, protegida por uma estela devocional ainda fortemente venerada por aqueles que vivem graças ao mar, e da qual tira o seu nome, se encontra a Madonnina del Pescatore. Pronto a recebê-los para desfrutar dos pratos extraordinários e inovadores do chef – patron Moreno. A cozinha concentra-se principalmente no peixe e combina a imaginação com a capacidade de misturar matérias-primas. Não perca seu famoso Sushi, a costela de pregado e o pequeno-almoço.

Moreno Cedroni é o chef de 2 estrelas Michelin que abriu o restaurante La Madonnina del Pescatore em Senigallia quando tinha apenas 20 anos de idade (nomeado um dos dez melhores restaurantes europeus de frutos do mar de 2011 pelo Wall Street Journal). Além disso, o restaurante recebeu o ilustre reconhecimento Tre Forchette por Gambero Rosso, uma das publicações italianas mais influentes na área da gastronomia e do vinho. A sua inovação e especialidade é o Susci, uma forma inovadora de reinterpretar o peixe cru, que começou como uma imitação da idéia tradicional do sushi japonês e mais tarde tornou-se um verdadeiro estudo independente que levou à abertura de “Susci Bars” em várias cidades da região Marche e da Itália. A localidade de Marzocca está localizada perto de Senigallia, como uma extensão natural da sua costa arenosa, caracterizada por uma praia predominantemente pedregosa.  A oferta turística da costa de Senigallia é caracterizada em eventos e espectáculos que são organizados ao longo do verão: desde as clássicas exibições de fogos-de-artifício no mar, até à folclórica Feira de Santo Agostinho (“Fiera di Sant’Agostino”), que anima o centro histórico de Senigallia nos últimos dias de agosto, trazendo mais de 500 expositores para a cidade. A não perder é o “Jamboree de verão”, o festival internacional dedicado à música estadunidense das décadas de 1940 e 1950, com uma semana de concertos com bandas mais conhecidas do género, um fantástico mercado vintage e desfiles de motos e carros das décadas de 1940 e 1950. 

https://www.turismo.marche.it/it-it/Cosa-vedere/Sapori-e-Saper-fare/La-Madonnina-del-Pescatore/9371

Pesaro – Restaurante Nostrano

O restaurante “Nostrano di Stefano Ciotti” em Pesaro foi inaugurado em julho de 2015, em frente ao mar, ao lado da escultura “Palla” de Arnaldo Pomodoro. O chef, originario de Rimini, teve importantes experiências na alta cozinha e ao lado de grandes chefs italianos. Encontra-se agora no auge de sua carreira profissional e sabe criar pratos de alto valor culinário, elegantes e sóbrios ao mesmo tempo, caracterizados por uma personalidade forte e sabores bem definidos. O nome do restaurante foi inspirado pelos materiais de qualidade utilizados pelos artesãos para criar o restaurante e pelo conjunto de técnicas modernas e processos caseiros utilizados na cozinha. O jovem pessoal do restaurante também inclui Thomas Morazzini, criador da altamente apreciada massa de pizza de Stefano Ciotti, e a sua parceira Giorgia Stocchi.

https://www.turismo.marche.it/it-it/Cosa-vedere/Sapori-e-Saper-fare/Pesaro-Ristorante-Nostrano/10947

Loreto – Restaurante Andreina

Na pequena casa colonica, que tem sido o lar da “Andreina” há mais de 50 anos, o restaurante é formado por três salas de jantar e um agradável jardim de verão. O nome do estabelecimento deve a sua origem à fundadora, uma homenagem que lhe é ainda hoje paga graças à gestão que permanece no seio da sua família. De tradicional “trattoria” servindo caça e especialidades da região Marche, o restaurante “Andreina” foi transformado num pequeno Éden onde reina uma mistura de sabores antigos e criatividade moderna, e este ano foi mais uma vez incluído entre os melhores restaurantes de 2015 no guia “Gambero Rosso”. O promotor desta “modernização culinária” é o chef e neto do fundador, Errico Recanati, o mais jovem chef da região Marche a receber uma Estrela Michelin, a primeira recebida em 2012 e confirmada nos anos seguintes. O seu curriculum vitae inclui várias experiências de formação nos mais importantes restaurantes italianos e várias participações em eventos e exposições internacionais de comida e vinho como chef promovedor da culinária da região Marche e italiana no mundo. O restaurante está localizado na famosa cidade de Loreto, sede da Casa Santa de Nossa Senhora de Loreto. A cidade é considerada meta de peregrinação e recebe visitas de todo o mundo.  A sua beleza arquitectónica e espiritual é imensurável. Mas a apenas alguns quilómetros desta pérola da região Marche há lugares de igual beleza. Entre estes, recomendamos vivamente uma viagem a Recanati, cidade natal do famoso poeta Giacomo Leopardi. Em Recanati podem-se visitar os lugares que inspiraram os seus escritos mais famosos, como o mágico “Colle dell’Infinito”, e onde foram rodadas as cenas mais importantes do filme O Jovem Fabuloso ( “Il Giovane Favoloso”). O filme conta a história da vida do jovem escritor, Leopardi, e os lugares que serviram de pano de fundo para a sua infância e adolescência. No que diz respeito aos amantes do mar, qual lugar melhor para um agradável passeio pós-almoço do que os caminhos do Monte Conero, a partir de onde é possível vislumbrar vistas de tirar fôlego e, porque não, dar um mergulho nas águas cristalinas das praias de Portonovo ou Mezzavalle.

https://www.turismo.marche.it/it-it/Cosa-vedere/Sapori-e-Saper-fare/Loreto-Ristorante-Andreina/9372

 

Contatos

Serviço de Desenvolvimento e Valorização da região Marche 

Riccardo Fraternali

Tel. +39 071 800 2410 – email [email protected]

Assessoria de Imprensa 

Anna D’Ettorre

Tel + 39 071 8062301 – email [email protected]

Sites 

www.turismo.marche.it

http://eventi.turismo.marche.it

www.destinazionemarche.it

www.marcheoutdoor.it

HOTEL 5 ESTRELAS

Hotel Excelsior – Pesaro

https://www.excelsiorpesaro.it/it-IT/camere

Grand Hotel Vittoria – Pesaro

https://www.grandhotelvittoriapesaro.it

 

Villa Lattanzi – Torre di Palme (Fermo)

https://www.villalattanzi.it

 

PASSEIO EM SUPER CAR

No centro da Itália, uma incrível viagem de luxo pela região Marche a bordo de um supercar

https://www.supervibestour.com/it/

PASSEIO DE BARCO RIVIERA DEL CONERO

https://www.marinadorica.it

https://www.conero-experience.it

https://coneroboat.it

OPERA

Macerata Opera Festival

https://www.sferisterio.it

https://www.sferisterio.it/news/macerata-opera-festival-2021-100×100-sferisterio-il-programma-completo-del-festival

Rossini Opera Festival

https://www.rossinioperafestival.it

https://www.rossinioperafestival.it/archivio-news/programma-del-rof-2021/

 

COMPRAS DE QUALIDADE – CALÇADO

Décolletés elegantes, botas com um design refinado, mocassins e bailarinas suaves, jóias-sandes, feitas de materiais preciosos e com linhas exclusivas e na moda, verdadeiros embaixadores do Made in Italy: há muitas marcas da região Marche que são líderes mundiais no sector do calçado, cujas colecções criam uma verdadeira excelência de fabrico. Produtos inimitáveis, únicos pela sua elegância e atenção impecável aos detalhes.

https://www.turismo.marche.it/it-it/Vivi/L-arte-del-saper-fare/Shopping-di-qualita-le-calzature

COMPRAS DE QUALIDADE – VESTUÁRIO E ACESSÓRIOS

Requinte, modernidade, materiais de qualidade e atenção aos detalhes são as características distintivas das colecções oferecidas pelos famosos pontos de venda de moda e vestuário. A região Marche oferece itinerários de compras interessantes, onde as compras se tornam uma experiência agradável e conveniente, uma nova forma de explorar a área e redescobrir a excelência local.

https://www.turismo.marche.it/it-it/Vivi/L-arte-del-saper-fare/Shopping-di-qualita-abbigliamento

https://www.turismo.marche.it/it-it/Vivi/L-arte-del-saper-fare/Shopping-di-qualita-gli-accessori

ARTESANATO ARTÍSTICO

No meio de antigas oficinas e pequenas lojas nos centros históricos da região Marche, objetos de todo o tipo assumem características inconfundíveis, ligadas ao hábil trabalho de materiais nobres e preciosos: jóias finamente embutidas, instrumentos musicais artísticos, como o acordeão, mas também cestos feitos à mão, chapéus e rendas, e cerâmicas preciosas, terracota e majolica; cada peça torna-se arte, encapsulando técnicas do passado inspiradas nas tradições e na história do território.  

O Artesanato Artístico e de Qualidade Típica tem o importante papel de salvaguardar o artesanato de prestígio e, ao mesmo tempo, oferecer oportunidades profissionais a muitos jovens capazes e criativos. O artesanato é de facto o repositório de tradições, deusas, valores e técnicas profissionais transmitidos através da combinação de indústrias e engenho, fantasia e rigor, tradição e inovação. 

https://www.turismo.marche.it/it-it/Vivi/L-arte-del-saper-fare/Artigianato-artistico

www.enit.it

Autor: Agência Nacional Turismo de Itália

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos

Roma, um dos destinos perfeitos para se combinar arte, moda e compras

Muito mais que um património de tesouros artísticos e históricos únicos no mundo

Brand SHARE

Além de um património de tesouros artísticos e históricos únicos no mundo, Roma oferece aos turistas mais requintados e exigentes um rico panorama de experiências de vida de alta qualidade capazes de tornar a viagem inesquecível e exclusiva: um dos destinos perfeitos para se combinar arte, moda e compras.

Um passeio pelas belezas históricas do Pincio

Partindo do Viale della Trinità dei Monti, você pode visitar a esplêndida Villa Medici, a Academia Francesa, por ocasião da exposição do momento ou passear no magnífico jardim interno, que ainda mantém em grande parte sua aparência do século XVI. O Caffè Colbert merece uma parada, entre estátuas antigas, almofadas coloridas e sofás de ferro forjado. Um pouco mais adiante, a Casina Valadier, obra-prima projetada pelo arquiteto neoclássico de mesmo nome, abriga um restaurante de renome.

Partindo do Pincio, de onde se pode desfrutar de uma vista espetacular da cidade, chega-se às portas da Villa Borghese, o coração verde do centro de Roma, de onde se chega à suntuosa e barroca Galleria Borghese, uma das os mais surpreendentes museus da cidade eterna, e a Galleria Nazionale d’ Arte Moderna e Contemporanea, que abriga o mais completo acervo dedicado à arte italiana e estrangeira entre os séculos XIX e XX.

Deixe-se encantar pelas vistas espetaculares de Roma desde os terraços mais exclusivos

Roma é a cidade dos panoramas por excelência e sua posição estratégica em sete colinas parece confirmar totalmente esse título. A Cidade Eterna possui uma infinidade de pontos panorâmicos, mas entre estes os mais belos são garantidos por hotéis de primeira linha que acompanham um panorama deslumbrante com um serviço impecável: ingredientes perfeitos para uma experiência inesquecível com vista para Roma.

Para um jantar com uma vista encantadora de Roma, pare no restaurante estrelado La Terrazza, o carro-chefe do Hotel Eden, que foi premiado com uma estrela Michelin em novembro de 2017. Localizado no último andar, oferece aos hóspedes vistas encantadoras sobre Roma e uma cozinha mediterrânea sazonal criativa e inovadora. Utilizando produtos de alta qualidade, frescos e sazonais, a culinária do La Terrazza se concentra nos aspectos nutricionais dos ingredientes e no bem-estar geral e é curada pelo premiado chef executivo Fabio Ciervo. Viajante nato, Fabio Ciervo acredita fortemente que a alta gastronomia deve buscar inspiração em todas as culturas para produzir uma sinergia gastronômica única. La Terrazza, abre todas as noites (exceto terças-feiras) e foi pensado para quebrar a barreira da cozinha do restaurante e desenvolver a relação entre chef e hóspede. Os designers Jouin Manku incorporaram de fato uma janela na cozinha para admirar o chef e sua equipe no trabalho. O design do restaurante com estrela Michelin é inspirado na tradição italiana de artesanato como inspiração, com madeira envernizada brilhante combinada com móveis elegantes. Com iluminação suave em todo o restaurante, Jouin Manku cria uma atmosfera teatral complementada pela parede de vidro com afrescos de Philippe David, que traz profundidade e uma sensação de espaço para La Terrazza.

No sexto andar do Grand Plaza Hotel, a vista sobre Roma varia da Academia Francesa à Trinità dei Monti, do Monte Quirinal ao Vittoriano. A cozinha do restaurante é uma experiência mediterrânea que engloba os sabores originais da região, transformando-os com criatividade mas sem alterar o sabor original. Pode-se dizer que o Grand Hotel Plaza é um grande livro aberto para se ler Roma, a partir do momento de sua inauguração em 1864 como um “Hotel em Roma”. É também um lugar onde o cinema e a moda se encontram numa união especial. Filmes como “Il Gattopardo” de Visconti ou a sequência de “John Wick” com Keanue Reeves foram rodados nos salões opulentos: enquanto um dos restaurantes do hotel era dedicado à marca italiana de alta moda “Le Sorelle Fontana”, onde o artesanato esquetes de estilistas famosos, juntamente com vestidos de noite, constituem um cenário de prestígio.

Se quiser experimentar a experiência inesquecível do único restaurante três estrelas da capital, vá ao La Pergola, o Hotel Rome Cavalieri A Waldorf Astoria, com uma vista deslumbrante de Roma onde a cozinha, comandada por Heinz Beck, é um templo de gastronomia internacional e uma combinação de talento e criatividade. Heinz Beck é reconhecido como um dos expoentes mais conhecidos da gastronomia mundial. A filosofia da sua cozinha mediterrânica assenta em dois princípios fundamentais: equilíbrio e sabor, por um lado, sustentabilidade, leveza e saúde, por outro. O desafio que Beck enfrenta todos os dias é propor novos sabores interpretando os pratos tradicionais de forma moderna, com o maior respeito pelas matérias-primas, o ambiente e a saúde. Um estudioso dos efeitos da nutrição no organismo, Heinz Beck – em colaboração com cientistas renomados e luminares internacionais – desenvolveu pesquisas e publicou textos sobre tópicos específicos, participando também de inúmeras conferências e congressos como palestrante.

A cozinha do La Pergola é sagaz, comedida, perfumada, caracterizada pela genuinidade dos ingredientes locais e sazonais, oferecidos em pratos esteticamente perfeitos, uma síntese totalmente italiana do conceito de saudável, bonito e bom.

O Restaurante La Pergola é também um excelente endereço para os amantes dos vinhos de primeira qualidade. A escolha cabe ao chef sommelier Marco Reitano, que elaborou duas extraordinárias cartas de vinhos, uma com uma seleção de vinhos internacionais e outra apenas com vinhos italianos.

A oferta gourmet do Rome Cavalieri é também o “L’Uliveto”, o restaurante com vista para o parque, junto à piscina, com menus de cozinha italiana e internacional assinados pelo chef Fabio Boschero e pelo chef pasteleiro Dario Nuti.

A experiência gastronómica Cavalieri não se esgota nos dois restaurantes citados, mas também continua fora dos locais mais emblemáticos da cidade, com um percurso que inclui três etapas básicas: a degustação de azeites, a aula de massa e de gelados.

O Rome Cavalieri também criou uma série de experiências de luxo sazonais e perenes para seus hóspedes desfrutarem quando estiverem em Roma e nos arredores, como terapia florestal no Grand Spa Club, passeios a cavalo no sítio arqueológico de Ostia Antica ou caça de trufas no campo colinas do norte da Lazio.

Além disso, graças à sua posição única e ao seu Spa, o Rome Cavalieri oferece um programa completo e articulado de ForestTherapy, através do qual é possível desfrutar de uma verdadeira imersão na floresta seguida de um eficaz tratamento de bem-estar.

Uma das vistas mais espetaculares pode ser apreciada do Cielo Terrace, dentro do Hotel de la Ville, parte do grupo Rocco Forte Hotels e inaugurado em 2019. Após o sucesso dos aperitivos da última temporada, o Cielo Terrace recebe seus hóspedes durante todo o dia oferecendo Uma variedade de deliciosos cardápios elaborados por Fulvio Pierangelini, Diretor de Alimentos da Rocco Forte, internacionalmente conhecido pela simplicidade e autenticidade de seus pratos.

De cafés da manhã a almoços com vista panorâmica, de aperitivos de tirar o fôlego e jantares românticos à luz de velas, os aficionados poderão saborear o melhor dos produtos sazonais combinados com o domínio indiscutível do Chef Pierangelini e sua brigada.

Para aqueles que desejam experimentar uma experiência exclusiva e sob medida, o hotel também oferece a oportunidade de jantar em um dos terraços privativos com uma vista maravilhosa da Cidade Eterna. Além disso, para quem deseja aprender a arte da culinária local e mixologia, aulas de culinária em suíte e master classes de mixologia estão disponíveis com o apoio dos talentosos Chefs e Bartenders de Hotel.

Localizado em uma rua tranquila no epicentro de Roma, o Sofitel Rome Villa Borghese é um antigo palácio romano do século 19 que fica a poucos passos de alguns dos monumentos e parques culturais mais conhecidos da cidade, incluindo a Fonte de Trevi, Villa Medici e o Passos espanhóis. Evocando a atmosfera de uma casa romana, o hotel possui um ambiente descontraído que dá a sensação de estar verdadeiramente imerso na essência desta pitoresca cidade italiana.

O orgulho do hotel, localizado no sétimo andar, é o restaurante e bar “Settimo”. Um dos restaurantes na cobertura mais altos da cidade, Settimo é um elegante retiro botânico que oferece vistas panorâmicas dos jardins da Villa Borghese, da Cidade do Vaticano e da Basílica de São Pedro. Os apreciadores de coquetéis em Settimo podem desfrutar de drinques ao pôr do sol com vista, com um dos drinks exclusivos de Settimo, que vem com petiscos especialmente combinados. O Chef Executivo, Giuseppe D’Alessio, incorpora os estilos culinários da tradição romana com seu toque de assinatura em todo o menu.

Outra dica para o jantar: o restaurante panorâmico com estrela Michelin Imago, no sexto andar do Hotel Hassler, de Roberto E. Wirth, garante um serviço impecável e uma vista deslumbrante. A cozinha orientada pelo Chef Executivo Andrea Antonini oferece pratos paradisíacos. Imagem, sonho, visão… um lugar onde a estética e o gosto se entrelaçam para oferecer uma experiência gastronómica única.

 

Desfrute de um aperitivo nos locais mais sugestivos de Roma

Como em muitos outros países do sul da Europa, os italianos também gostam de saborear um aperitivo antes do jantar, geralmente junto com pequenos lanches.

O LUMEN Cocktails & Cuisine, que deve seu nome à unidade de medida da luz, é um lugar imperdível para um aperitivo, quando o ritual St. Regis Sabering anuncia a chegada da noite, até depois do jantar, onde a experiência de beber se torna um evento social.

O Bar Stravinskij do Hotel de Russie é um dos pontos de encontro mais evocativos de Roma pelo seu estilo inconfundível e pelo seu maravilhoso jardim privado localizado no sopé do Pincio. O Bar tem uma atmosfera de elegância discreta com poltronas de veludo roxo dentro e mesas e cadeiras de ferro forjado com elegantes assentos verdes na parte externa da Piazzetta Valadier adjacente.

De frente para um jardim elegante com suas próprias ruínas romanas, o 5 estrelas NH Collection Roma Palazzo Cinquecento – assinado pela marca de luxo NH Collection Hotel Group – está estrategicamente localizado no coração de Roma, a poucos passos da estação Termini. No Restaurante “Grand Tour” poderá saborear a deliciosa cozinha regional e internacional e deixar-se encantar pela vista do jardim que oferece uma relíquia exclusiva da antiga história de Roma: um trecho das Muralhas Servianas que remonta ao século VI BC. Você também pode respirar toda a história de Roma no esplêndido terraço panorâmico do 5º andar: aqui, depois de um dia de trabalho ou compras, você pode tomar um excelente aperitivo ou organizar seu próprio evento privado acompanhado pela vista mágica da cidade.

 

Compras de luxo e artesanato de qualidade

Cidade turística por definição, Roma esconde uma alma genuína e característica em cada bairro, num misto de tradição e inovação: entre palácios barrocos, igrejas e monumentos milenares encontram-se ateliers de arte, restaurantes gourmet, boutiques de moda e deliciosos cafés, que revelam o verdadeiro aspecto diário da vida local.

Se procura ateliers requintados, depois de conhecer as galerias de arte da Via Margutta, entre a Via della Penna e a Via dell’Oca encontrará lojas-conceito (Artisanal Cornucopia), perfumarias de nicho (Eau d’Italie) e o Atelier Cristina Bomba, que veste personalidades do mundo da arte, da literatura e do cinema e onde a coleção de malhas também é desenhada internamente a partir de uma seleção de fios nobres naturais e produzida por dois laboratórios colaborativos de longa duração. Não muito longe, na Via di Ripetta, está a Profumum, a última das quatro lojas flagships dos irmãos Durante, que oferece coleções de fragrâncias originais e refinadas. E novamente, indo em direção à Via di Monserrato, você encontrará o laboratório de moda e acessórios da Maison Halaby, o ateliê Soledad Twombly para escolher mini jaquetas estilo quimono ou túnicas com ikat antigo, as joias criativas e originais de Fabio Salini e as exclusivas coleções de acessórios de moda e acessórios de decoração por Chez Dede. Para os fanáticos por óculos e armações artesanais exclusivas, a Monocle na Via di Campo Marzio é o destino ideal, também para encontrar acessórios de alta qualidade como os perfumes Meo Fusciuni e os objetos de design japonês “Claustrum”.

Ao pé da Piazza di Spagna estão concentrados todos os grandes nomes, mas também existem pequenas boutiques de luxo, de qualidade artesanal, como a joalheria Peppino Capuano, dentro do Palazzo Caffarelli, e o Atelier Maria Fiorello, projetado para pequenos fashionistas e localizado em o cenário fascinante do Oratório do Santíssimo Sacramento. A poucos passos você encontrará o Caffè Greco, o café italiano mais antigo depois de Florian em Veneza, um ponto de encontro de intelectuais e artistas do século XVIII.

Em Roma existem também numerosos artesãos de alta qualidade, que oferecem produtos preciosos e exclusivos de alta manufatura. O futuro de uma cidade como Roma também passa por suas mãos ásperas, seus olhos brilhando de paixão, suas mesas de trabalho habitadas – porque você não pode realmente entender uma cidade extraordinária como Roma se você não conhece as artes e ofícios que eles ajudaram a torná-lo assim. Olhando para um artesão, temos uma fotografia da cidade que se cristalizou ao longo do tempo.

Chez Dede

Chez Dede é uma marca independente fundada em 2011 por Andrea Ferolla e Daria Reina, com passaporte franco-italiano e público internacional.

Coleções exclusivas de acessórios, moda, acessórios de decoração e joias são exibidas ao lado de pequenas éditions de charme com marcas de luxo em todo o mundo. Artesanato italiano, materiais refinados, indiferença e um espírito de finesse são as marcas registradas da marca. Desde 2015 Chez Dede abriu sua loja principal em Roma, um Cabinet de Curiosités localizado em um dos bairros mais aristocráticos de Roma, Rione Regola.

Peppino Capuano

Na Via Condotti, dentro do Palazzo Caffarelli, os irmãos napolitanos Peppino e Vincenzo Capuano inauguraram seu ateliê romano em 1960. Seu trabalho reforçou a herança do alto artesanato italiano, que representa a força vital das lojas históricas do centro. De Roma. O processamento manual é a pedra angular que caracteriza a história do atelier. Todas as criações são feitas à mão e inteiramente à mão com atendimento personalizado e feito sob medida.

Cada criação vem da paixão de artesãos italianos qualificados em suas oficinas. As jóias são feitas com muita atenção e mão de obra habilidosa, uma qualidade que imediatamente as levou ao sucesso como uma expressão autêntica da experiência exclusiva italiana.

Marini Calzature

Por mais de 100 anos, Marini Calzature permanece fiel ao seu patrimônio e às suas técnicas de produção, traçando fielmente suas verdadeiras origens e tradições a cada criação até os dias atuais. Cada peça é inteiramente artesanal, desde a medição direta do pé de cada colecionador até o acabamento do produto final. Carlo Marini e sua equipe de especialistas continuam a supervisionar e implementar cada detalhe nas 200 etapas diferentes necessárias para criar um par de sapatos sob medida, orgulhosamente rotulado por Marini Calzature.

Roma também merece uma visita pela excelência do prestigioso Tax Free Mall dentro do Aeroporto Fiumicino Leonardo Da Vinci, o único na Europa onde pode encontrar mais de 50 lojas das melhores marcas internacionais de alta moda e made in Italy onde, se o seu destino é um país fora da UE, você pode comprar a preços de 22% sem IVA com economia extraordinária em comparação com as lojas no centro. Você encontrará um serviço de personal shopper e outros serviços personalizados para desfrutar de uma experiência exclusiva mesmo durante a espera do seu voo, em um ambiente elegante e luxuoso.

Além disso, o Aeroporto de Fiumicino também é considerado o melhor do ponto de vista da segurança anti Covid-19. Na verdade, o aeroporto foi o primeiro no mundo a ser certificado com a “COVID-19 5-Star Airport Rating”, pela agência internacional de classificação de transporte aéreo Skytrax, e – entre outras certificações – foi o primeiro entre os aeroportos da UE a obter o “Airport Health Accreditation”, emitido pelo Airport Council International.

Moradas úteis:

Villa Medici

Viale Trinità dei Monti, 1

https://www.villamedici.it/en/

Casina Valadier

Piazza Bucarest, Villa Borghese

https://casinavaladier.it/

Galleria Borghese

Piazzale Scipione Borghese, 5

https://galleriaborghese.beniculturali.it/info/

National Gallery of Modern and Contemporary Art

Viale delle Belle Arti 131

https://lagallerianazionale.com/

La Terrazza

Via Ludovisi 49

https://www.dorchestercollection.com/it/rome/hotel-eden/ristoranti-bar/la-terrazza/

Grand Plaza Hotel

Via del Corso 126 

https://www.grandhotelplaza.com/

La Pergola

Rome Cavalieri – A Waldorf Astoria Hotel

Via Alberto Cadlolo 101 

www.romecavalieri.com

Cielo Terrace

Via Sistina 69

www.roccofortehotels.com

Sofitel Villa Borghese

Via Lombardia 47

https://all.accor.com/hotel/1312/index.en.shtml#origin=sofitel

Imago

Piazza Trinità dei Monti

hotelhasslerroma.com

LUMEN Cocktails & Cuisine

Via Vittorio E. Orlando, 3

https://www.marriott.it/hotels/travel/romxr-the-st-regis-rome/

Hotel de Russie

Via del Babuino, 9

www.roccofortehotels.com

NH Collection Roma Palazzo Cinquecento

Piazza dei Cinquecento 90

https://www.nh-collection.com/it/hotel/nh-collection-roma-palazzo-cinquecento

Eau d’Italie

Via della Penna 55

https://eauditalie.com/it/all

Cristina Bomba

Via dell’Oca, 39

https://atelierbomba.com/

Profumum

Via di Ripetta, 248

http://www.profumum.com/

Maison Halaby

Via di Monserrato 21

https://www.maisonhalaby.com/

Soledad Twombly

Via di Monserrato 150

http://www.soledadtwombly.com/soledad-twombly/

Fabio Salini

Via di Monserrato 18

http://www.fabiosalini.it/

Chez Dede

Via di Monserrato, 35

https://www.chezdede.com/

Monocle

Via di Campo Marzio, 13

https://www.monocle.it/index.php

Peppino Capuano

Via Condotti 61

https://www.peppinocapuano.com/

Maria Fiorello

Via Belsiana 48

https://mariafiorello.com/atelier/

Caffè Greco 

Via dei Condotti 86

https://anticocaffegreco.eu/

Marini Calzature

Via Francesco Crispi, 97

https://marinicalzature.it/

Tax Free Shopping

Aeroporto di Roma Fiumicino

http://www.adr.it/LuxuryGuide/en/index.html

 

www.enit.pt

Autor: Agência Nacional Turismo de Itália

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos

Veneza, a capital do artesanato, do luxo e da arte.

Arte, cultura e artesanato de luxo

Brand SHARE

Veneza é uma cidade que oferece aos amantes da beleza e das experiências exclusivas uma variedade de alternativas, todas do mais alto nível. De facto, na cidade lagunar pode viver dias inesquecíveis entre cozinha estrelada, alta moda, serviços cinco estrelas e a possibilidade de mergulhar na esplêndida atmosfera da cidade da música e do teatro por excelência.

Para conhecer Veneza, porém, é necessário admirá-la de um ponto de vista específico: à beira da água. É desta perspectiva que se pode apreciar plenamente a sua magnificência. É por isso que um passeio de gôndola no Grande Canal é sempre uma experiência inesquecível (há muitas estações de gôndolas na cidade, com visitas reservadas). Se, por outro lado, preferir apreciar de relance a beleza da lagoa, em Lido di Venezia, uma ilha que pode ser alcançada por “vaporetto”, existe um serviço que oferece passeios de helicóptero, permitindo-lhe descobrir todas as suas ilhas a partir de cima.

Para além dos tesouros artísticos inestimáveis, em Veneza pode distrair-se nos tapetes verdes do Casino, no Ca’ Vendramin Calergi, um esplêndido palácio do século XVI no Grande Canal desenhado pelo arquiteto Mauro Codussi e com uma das mais belas fachadas do Renascimento veneziano. O Casino está localizado perto da Igreja de San Marcuola, e pode ser alcançado a partir da Piazzale Roma por um autocarro gratuito: um lugar onde ainda se pode respirar a grande música clássica, uma vez que alberga o museu de Richard Wagner, a última residência do compositor. Os amantes de ópera, por outro lado, podem concentrar a sua atenção no teatro La Fenice, no coração do distrito de San Marco, um dos palcos mais famosos do mundo. O programa apresenta os maiores artistas, incluindo comédia, ballet e concertos pop. Veneza, afinal, é a cidade dos teatros e todas as noites é possível mergulhar na esplêndida atmosfera do Goldoni, do Malibran, no auditório Lo Squero ou no pequeno teatro Groggia.

O luxo é o trait d’union que une os hotéis da cidade que oferecem serviços de spa aos seus hóspedes, como o San Clemente Palace Kempinski, nomeado o melhor hotel da Europa em 2019 no “World SPA Awards”, ou o Cipriani, o Hotel Saturnia & International ou o Aman Veneza, para citar algumas das várias propostas.

A cidade tem também vários restaurantes, tanto estrelados como não estrelados, pousadas e típicos “bacari” onde se pode almoçar ou jantar rodeado pela atmosfera veneziana. Um carácter veneziano que pode ser plenamente apreciado é o labirinto de “calli e campielli” embelezado com excelentes oficinas de artesanato. Os laboratórios têxteis, de vidro, de pérolas, oficinas de ouro e papel, ateliers de moda, galerias de arte e antiquários fazem parte da tradição de Veneza há séculos, o que torna os produtos artesanais típicos procurados em todo o mundo. 

Entre os produtos mais conhecidos encontram-se os tecidos Rubelli no sestiere de San Marco, os veludos e damascos feitos à mão com teares do século XVIII da Tessitura Luigi Bevilacqua no sestiere de Santa Croce, e o Fornace Orsoni, o último forno histórico a fogo aberto em Veneza, que utiliza os mesmos métodos desde 1888 para produzir mosaicos de folhas de ouro 24K, ouro colorido e esmaltes venezianos em mais de 3.500 tonalidades. Para não mencionar a tradição secular do vidro de Murano, cuja os lustres de Barovier & Toso, os vasos de Venini e os cálices de Salviati, bem como todas as vidrarias artísticas da ilha, são embaixadores mundiais.

Não é por acaso que as maiores casas de moda internacionais como Dolce & Gabbana, decidiram apresentar as suas novas coleções de alta costura durante o verão na cidade de Serenissima com eventos exclusivos: os estilistas puderam contar com a contribuição dos melhores artesãos da cidade, num triunfo de joalharia, tecidos, veludo, brocado, murrine, pérolas e vidro. Estes eventos trouxeram à lagoa celebridades internacionais e importantes operadores do setor, demonstrando que Veneza é inigualável em termos de qualidade e luxo. 

www.enit.it
Autor: Agência Nacional Turismo de Itália

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos

OS PRÉMIOS COMUNICAÇÃO M&P

O M&P vai premiar, pelo nono ano, a excelência na Comunicação

Brand SHARE

Como já é tradição os Prémios Comunicação M&P vão distinguir os melhores trabalhos de consultoras de comunicação e relações públicas, projectos de comunicação, acções de sustentabilidade levadas a cabo pelas organizações, eventos e acções feitas em conjunto com os media. Também aberto aos Mercados Externos, a concurso temos 11 grandes categorias: Sectores de Actividade, Digital/Social/Influenciadores, Branded Content, Eventos e Patrocínios, Comunicação Interna, Reputação e Public Affairs, Sustentabilidade e Responsabilidade Social Corporativa, Comunicação Institucional, Comunicação Integrada e Assessoria de Imprensa.

A escolha dos vencedores, que serão revelados em Dezembro, está a cargo de António Mendes (RFM), António Costa (Eco), António Cunha Vaz (CV&A), Bruno Batista (grupo GCI), Elgar Rosa (Pure), Inês Mendes da Silva (Notable) Isabel Rodrigues (Cofina Media), Jorge Magalhães (Grupo Stellantis Portugal), José Franco (Corpcom), Maria Domingas Carvalhosa (Wisdom Consulting e APECOM), Maria João Soares (JLM & Associados), Pedro Cruz (TSF), Rui Piteira (Tabaqueira), Teresa Figueira (Central de Informação), Tiago Ferreira (Grupo Nabeiro-Delta Cafés) e Tiago Simões (Sonae MC e APAN).

Recorde aqui aqui os vencedores de 2020 e consulte aqui toda a informação sobre a 9ª edição dos Prémios Comunicação M&P.

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos

Autêntica Costa Amalfitana : descubra as páginas do livro que ainda não leu

As três vilas históricas da Costa Amalfitana.

Brand SHARE

Desde a mais pequena vila da Itália, à arte como veículo de espiritualidade. As vilas históricas da Costa de Amalfi 

Uma viagem às antigas aldeias da Costa Amalfitana onde o tempo parece ter parado, mas na tranquilidade a história tem sido capaz de continuar a viver, inovando-se, graças à contribuição e à habilidade dos seus habitantes.

Amalfi by night (photo-Salvatore-Guadagno)

Atrani (photo Vito Fusco)

Atrani: a aldeia mais pequena de Itália.

É o mais pequeno município italiano. A apenas 800 metros de Amalfi, em Atrani parece que o tempo parou. Um lugar rico em história que relembra de forma impecável o esplendor da antiga República Amalfitana. Em Atrani, cada vislumbre oferece momentos preciosos de descoberta entre perspectivas espetaculares ou recantos decorados com colunas e capitéis romanos e medievais (que datam dos séculos XII a XIII).

Aqui as angústias da vida dissolvem-se, dando lugar ao suspiro do mar. Um vínculo, aquele com o mar, tão intenso e visceral que o município inaugurou recentemente um novo museu ao ar livre: “Vasi d’a … mare”. O projeto reúne os vasos confeccionados por mestres oleiros locais, entre eles Lucio Liguori, Francesco Raimondi, Vincenzo Caruso, Sasà Mautone, Pasquale Liguori (Azul infinito), todos instalados em suportes moldados à mão pelo artista-ferreiro Giovanni Spada. Dispostas ao longo do Largo Marinella, as obras celebram a cultura pesqueira local e a ligação com o mar. Do Largo Marinella chegamos ao centro nevrálgico da vila, a sugestiva Piazza Umberto I. Aqui nos encontramos para momentos de festa, para um café ou um aperitivo com os amigos. E é num dos bares dessa praça que nasceu o Lemon Spritz, feito com o Sfusato Amalfitano. A partir da praça entrevê-se a Igreja de San Salvatore de Birecto, cuja torre sineira marca as horas do dia como antigamente. Fundada no século X, é um dos mais antigos monumentos do patrimônio cultural e espiritual da Costa Amalfitana.

Diz-se que a cerimónia de investidura do duque de Amalfi teve lugar aqui. Foi precisamente essa relação sutil entre o sagrado e o profano, entre jogos impercetíveis de geometrias que fascinou e influenciou as obras visionárias de uma das personalidades mais extraordinárias e ecléticas do século XX, Maurits Cornelis Escher, que durante a sua estadia na Costa por volta dos anos ’30 amou Atrani pela sua “mágica atmosfera”.

Pontone: a história da Costa de Amalfi nasce aqui.

Aninhado nas montanhas entre Amalfi e Scala, a pacata aldeia de Pontone é o berço da Costa Amalfitana. Entre ruas de pedra e jardins em socalcos, Pontone foi uma das povoações mais antigas, nomeadamente do ponto de vista cultural, que deu origem ao que viria a ser a primeira República Marítima da Itália, ou seja, a República de Amalfi. Pontone representa a expressão emocional da cultura. E aqui nas calmas ruas da aldeia é possível sentir a história ganhar vida. Bem no centro de Pontone está a Piazza San Giovanni Battista, hoje um lugar tranquilo para se sentar por baixo das árvores ou apreciar a vista das paisagens verdes que do vale chegam a Amalfi. Pontone era um importante centro de produção têxtil e a Piazza San Giovanni Battista era o coração do negócio. Aqui era feito o tecido de lã que os mercadores de Amalfi vendiam em todo o sul da Itália e na Sicília.

À beira da Piazza San Giovanni Battista está a igreja com o mesmo nome. A partir da Piazza San Giovanni Battista uma escada íngreme leva a uma das joias da Costa Amalfitana. A Igreja de San Filippo Neri, fundada no século X, é o fulcro do patrimônio religioso e cultural da aldeia. Antes de entrar, os olhos voltam-se para o céu para observar a torre sineira de pedra do século X. A torre sineira não está diretamente conectada à igreja. Ela está posicionada, de fato, em frente a um átrio abobadado na entrada do edifício. O caminho de pedra passa mesmo através do átrio. Mesmo sem entrar na igreja, a incrível abóbada cruzada leva de volta no tempo e lembra as do Arsenale de Amalfi, onde os navios foram construídos durante a Idade Média.

Amalfi: a espiritualidade em obras de arte.

Caminhando pelas vielas de Amalfi, aquelas ruas estreitas e sombreadas, respira-se uma atmosfera de outros tempos, mas sempre atual e agradável para ser desfrutada em qualquer época do ano. No verão, um banho nas águas cristalinas alterna-se com uma granita fresca de limão ou uma deliciosa sfogliatella. Nos períodos mais frios, porém, é romântico passear pelas ruas do centro entre fontes, arcos e igrejas iluminadas por luzes que, quando acesas, aquecem a alma. A Piazza Duomo é o coração pulsante onde a famosa e icônica catedral ergue-se majestosamente.

A Catedral de Amalfi é hoje considerada um dos mais importantes e belos monumentos da Itália, onde o estilo bizantino junta-se aos estilos românico, islâmico e barroco. O conjunto monumental constituído pela Catedral, pelo Claustro do Paraíso e pela Igreja do Crucifixo, sede do Museu Diocesano, tem um valor histórico e social que vai além do artístico. Ricos em história e cultura, a poucos passos da praça principal, estão os Arsenais Antigos, locais onde, num passado distante, os barcos foram construídos e depois colocados diretamente no mar. Tornou-se hoje o principal museu da cidade, e no seu interior pode-se admirar importantes exposições de arte ou fotografia, rodeadas por abóbadas e estruturas arquitetónicas originais.

Duomo di Amalfi (photo by Andrea Gallucci)

La fontana dedicata al patrono di Amalfi-SantAndrea in Piazza-Duomo (photo by Salvatore Guadagno)

Entre na revista Authentic Amalfi Coast e descubra as páginas do livro que ainda não leu sobre a Costa Amalfitana www.authenticamalficoast.it

Autor: Italia National Tourism Board

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Homepage

75% dos portugueses diz que próximas férias vão ser em Portugal, revela estudo da Bloom Consulting

Estudo da consultora Bloom Consulting apurou que 44% dos portugueses conta gozar um período de descanso ainda este ano e que apenas 27% deixa para o próximo ano os planos de férias.

Publituris

Para 75% dos portugueses, as próximas férias vão ser passadas em território nacional, apurou um estudo da Bloom Consulting, que revela também que, apesar da pandemia, 44% dos portugueses conta gozar um período de descanso ainda este ano e que apenas 27% deixa para o próximo ano os planos de férias.

Ainda assim, diz a Bloom Consulting num comunicado divulgado esta sexta-feira, 17 de setembro, “ma grande fatia da população inquirida afirmou ainda não estar decidida quanto à sua próxima viagem de lazer (22%), sendo que apenas 5,8% afirma que apenas viajará em 2023”.

“Os dados do estudo são reveladores de algo que a indústria turística portuguesa já tem vindo a sentir_ uma maior movimentação dos portugueses em viagens de lazer. Com o avançar da vacinação e aproximação à tão desejada imunidade de grupo, é expectável que alguns destes portugueses vão progressivamente alterando a sua posição em relação ao turismo sendo no entanto irrealista pensar que a situação reverterá para as tendências registadas em 2019 num futuro próximo”, considera Filipe Roquette, diretor geral da Bloom Consulting Portugal.

O estudo mostra também que, quanto mais jovens os inquiridos, maior a disposição para viajar ainda este ano, com a Bloom Consulting a revelar que, “o grupo de 54 ou mais anos é o mais conservador e também o mais indeciso nesta matéria”.

Quanto a destinos, o mercado nacional é o que sai a ganhar, até porque, dos 75% dos portugueses que conta fazer férias em destinos nacionais, em 60% dos casos nem são consideradas outras hipóteses. Ainda assim, há 14% de portugueses que dizem não saber onde vão passar as próximas férias, enquanto 11% descarta férias no território nacional e só pensa em férias no estrangeiro.

“Entre os que afirmam que o seu próximo destino será em território nacional, o Algarve é a região mais referida com 20% do total de menções. Seguem-se as regiões autónomas dos Açores e da Madeira com 18% e 16% respetivamente. Também com 16% estão o Alentejo e a região do Porto e Norte de Portugal. O Centro de Portugal com 8% e a Região de Lisboa são as regiões sob as quais recaem menos intenções de visitação por parte dos portugueses num futuro próximo”, indica o comunicado.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Homepage

Iberia mantém voos para as Maldivas no inverno

Depois do sucesso no verão, a Iberia vai manter a operação para as Maldivas este inverno, com dois voos por semana, e, em Portugal, tem planos para aumentar a capacidade nas rotas de Lisboa e Porto.

Publituris

A Iberia vai manter os voos para as Maldivas, que arrancaram no início de julho, também  durante a temporada de inverno, com a companhia aérea espanhola a revelar que a decisão foi tomada na sequência do “bom funcionamento desta rota nos meses de verão” e que, na época baixa, os voos decorrem entre dezembro e fevereiro, com duas ligações por semana. Já para Lisboa e Porto, está previsto um aumento para o triplo dos voos diários, ao longo dos próximos meses.

“Entre as principais novidades, destaca-se a incorporação do destino estrela do verão, as Ilhas Maldivas. Após o bom funcionamento da rota nos meses de verão, a companhia aérea decidiu retomar os voos a partir de dezembro com duas frequências diretas por semana, que vão até fevereiro de 2022”, lê-se na informação divulgada pela companhia aérea sobre o plano de rotas para este inverno.

Além das Maldivas, a Iberia vai manter também no inverno os voos para Cali, na Colômbia, outra das rotas que a companhia aérea também operou este verão e que, no inverno vai contar com três frequências por  semana, entre dezembro e março.

Neste inverno, a Iberia vai ainda aumentar o número de voos disponíveis na ponte aérea entre Madrid e Barcelona, que em setembro já tinha sido aumentada em 32%, mas que, segundo a Iberia, vai ainda conhecer novos aumentos este inverno, até um total de 68 voos por semana, o que totaliza 11 voos por dia em cada trajeto.

Na informação divulgada, a Iberia explica que os aumentos previstos para a ponte aérea visam a reativação das viagens de negócios, motivo pelo qual a transportadora vai também reforçar a operação em alguns destinos europeus, a exemplo de Paris, para onde a Iberia conta disponibilizar até sete voos por dia em cada sentido, mas também de Londres, que passa a contar com até cinco voos por dia e por trajeto, enquanto cidades como Lisboa, Porto, Frankfurt, Bruxelas, Genebra, Milão, Roma, Zurique, Dusseldorf, Munique, Veneza, Lyon e Marselha vão chegar aos três voos por dia, ao longo deste inverno. Já Frankfurt, vai contar com um aumento até 18 frequências por semana.

Na rede de longo curso, e além das Maldivas e de Cali, a Iberia vai também aumentar a sua oferta para a América Latina e EUA, estimando voar para 23 cidades em 17 países, num total de 280 voos por semana, à partida de Madrid. Apenas na América Latina, a companhia aérea vai operar para 17 destinos em 15 países, superando os 200 voos por semana.

“Os mercados com maiores taxas de crescimento são o México – que já conta com dois voos diários -, a República Dominicana – com mais três voos semanais, até 13 frequências – e a Colômbia, com mais três frequências para Bogotá, chegando a 10; e Cali, para onde a Iberia voa três vezes por semana”, indica a transportadora.

Além disso, acrescenta a Iberia, vai ser também aumentada a capacidade para a América do Centro e Caraíbas, em concreto para o Panamá, Costa Rica e Guatemala/El Salvador, que passam a contar com mais um voo por semana, até seis frequências semanais no caso do Panamá e Costa Rica, enquanto a Guatemala/El  Salvador passa a contar com cinco ligações semanais.

Para San Juan de Porto Rico, a Iberia vai passar de três para quatro frequências por semana, enquanto o Uruguai passa a seis voos diretos por semana. Já Buenos Aires, Lima, São Paulo e Santiago do Chile mantêm um voo diário, ainda que, no caso da capital argentina, a operação esteja ainda sujeita a aprovação governamental.

Já nos EUA, onde a Iberia diz estar ainda dependente da reabertura turística, a companhia tem planos para recuperar as frequências que oferecia antes da pandemia, e conta operar 10 voos por semana para Nova Iorque e Miami, ou seja, mais três que no verão, e espera manter ainda as ligações a Chicago, Boston e Los Angeles.

Este inverno, a Iberia conta ainda com uma campanha especial que pretende estimular a procura ao longo dos próximos meses e que oferece tarifas especiais para reservas até 22 de setembro e que se aplica a viagens até 9 de junho de 2022.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Homepage

Operadores retomam operação de Fim-de-Ano para Salvador e Natal

Os charters dos operadores Solférias, Exoticoonline e Sonhando têm partida programada para 26 e 27 de dezembro.

Publituris

Os operadores turísticos Solférias, Exoticoonline e  Sonhando voltam a juntar-se para lançar uma operação especial de Fim-de-Ano com destino a Salvador da Bahia e Natal no Brasil, com partidas de Lisboa e Porto.

 Esta operação especial de Réveillon em Salvador, com saída a 26 de dezembro e regresso a 2 de janeiro, terá partida de Lisboa via Porto. 

Para a cidade de Natal, a saída será dia 27 de dezembro e regresso dia 3 de janeiro e também com partida de Lisboa via Porto. 

No sentido inverso, estas operações estão ser comercializadas pelo operador Alto Astral, em parceria com Lusanova e outros parceiros locais.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Homepage

Ryanair abre nova rota entre o Porto e Clermont-Ferrand no inverno

Companhia aérea vai realizar dois voos por semana entre o Porto e a cidade francesa de Clermont-Ferrand, a partir de novembro.

Publituris

A Ryanair anunciou a abertura de uma nova rota entre o Porto e a cidade francesa de Clermont-Ferrand no próximo inverno, operação que vai contar com dois voos por semana e que, segundo comunicado da companhia aérea low cost, arranca em novembro.

“Estamos encantados por anunciar esta nova rota do Porto para Clermont-Ferrand com dois voos semanais, a partir de novembro. A Ryanair continua empenhada em reconstruir a industria turística em Portugal e em reforçar a conetividade, à medida que continua a crescer na Europa e as viagens regressam aos níveis pré-COVID-19”, congratula-se Jason McGuinness, diretor Comercial da Ryanair.

Para assinalar o lançamento da nova rota de inverno, a Ryanair lançou uma promoção com preços desde 19,99 euros, para viagens que decorram até março de 2022 e cujas reservas sejam realizadas até à meia-noite do próximo sábado, 18 de setembro, através do site da companhia aérea,  em  www.Ryanair.com

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.