Assine já
Alojamento

Congresso AHP: “O tempo da política tem de se aproximar das necessidades da economia”

A afirmação é de Bernardo Trindade, presidente da AHP, na abertura do 33.º congresso desta associação, que este ano versa sobre o tema “Winds of Change”.

Carla Nunes
Alojamento

Congresso AHP: “O tempo da política tem de se aproximar das necessidades da economia”

A afirmação é de Bernardo Trindade, presidente da AHP, na abertura do 33.º congresso desta associação, que este ano versa sobre o tema “Winds of Change”.

Carla Nunes
Sobre o autor
Carla Nunes
Artigos relacionados
Hospital psiquiátrico Miguel Bombarda vai dar lugar a hotel
Homepage
Miguel Bombarda
Portugal concentra mais de 10% da oferta da Eurostars Hotel Company
Alojamento
Eurostars Hotel Company
Nova edição Publituris Hotelaria: Entrevista a José Frazão, administrador da ExpoSalão e dinamizador da DecorHotel
Homepage
“Winds of Change” marca tema do 33.º Congresso Nacional da Hotelaria e Turismo
Meeting Industry

Decorreu na manhã desta quinta-feira, 17 de novembro, a sessão de abertura do 33.º Congresso da AHP, que contou com a participação de Bernardo Trindade, presidente da AHP; Luís Miguel Albuquerque, presidente da Câmara Municipal de Ourém; Carlos Manuel Pedrosa Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima; Francisco Calheiros, presidente da CTP; Pedro Machado, presidente da ERT Centro e António Costa Silva, ministro da Economia e do Mar.

Na sua intervenção, Bernardo Trindade apontou para a necessidade de o tempo da política ter “de se aproximar das necessidades da economia”, remetendo-se à questão da celebração do acordo com a CPLP para trazer cidadãos do espaço da lusofonia para trabalhar em Portugal. Neste contexto, defende que deve existir “um processo desburocratizado e simples”, numa altura em que o setor do turismo viu perder na pandemia 45.000 ativos.

“Da recuperação mais rápida do que prevíamos em 2022, resultou também uma qualidade de serviço pior. Tenhamos todos essa consciência. Sabemos que para repor esta força de trabalho perdida não nos bastamos a nós próprios. Foi por isso que apoiamos a celebração do acordo com a CPLP”, afirma.

Sobre esta questão, o Ministro da Economia e do Mar, António Costa e Silva, afirmou compreender “bem os problemas dos empresários”, dado o seu percurso no setor privado, reconhecendo que “de facto”, o tempo da administração não é o mesmo das empresas, sendo necessário “aumentar esta sincronização” – apesar de não apontar os meios necessários para o fazer.

O presidente da AHP fez notar ainda que, apesar de 2022 ser neste momento “um ano excecional na recuperação da confiança dos nossos clientes”, com Portugal a “liderar o crescimento económico na União Europeia”, não nos podemos “iludir”, já que “os anos da pandemia fizeram-nos recuar 20 anos em termos de dormidas e 10 anos em termos de proveitos”.

Aponta que “a autonomia financeira das empresas hoteleiras degradou-se durante a pandemia”, e se as linhas de créditos de apoio “foram importantes”, estas “caminham para a sua maturidade”. Definindo a tesouraria futura como “uma incógnita”, Bernardo Trindade reporta para a necessidade de se verem “alargadas as maturidades das linhas de crédito e premiados projetos em função de metas realizadas”.

“Basta copiar o ótimo exemplo do turismo de Portugal no microcrédito. Temos hoje um sistema financeiro robusto, temos baixíssimos níveis de incumprimento na banca, temos a garantia mútua, ajudemos as empresas”, declara o presidente da AHP.

Relativamente a este ponto, também Francisco Calheiros defendeu que “o grande problema do nosso país nos últimos 25 anos tem sido a falta de crescimento económico”. Apesar de afirmar que “foi dado um primeiro passo com a assinatura do acordo de rendimentos no mês passado”, é da opinião de que “temos de ser realistas: é preciso conseguir muito mais”.

“Temos todos de estar contra [a semana de quatro dias de trabalho] nesta altura”

Se Bernardo Trindade afirma que neste congresso não será debatido “o novo aeroporto”, importando sim ouvir “como se posicionam as companhias aéreas, o regulador, o concessionário, a sua congénere europeia”, Francisco Calheiros assegura que enquanto participante no evento “não pode deixar de falar do aeroporto”.

“A resiliência dos empresários do turismo em geral e da hotelaria em particular fez com que, contra todas as expetativas, ultrapassámos em 2022 o melhor ano turístico de sempre. Tentamos fazer tudo bem e, de repente, não podemos melhorar porque não há sítio para que os nossos visitantes turísticos nos possam visitar. Isto não é aceitável, é uma vergonha nacional. E que de uma vez por todas se decidam”, declara.

O modelo da semana laboral de quatro dias também esteve em cima da mesa nesta sessão de abertura, com Francisco Calheiros a assegurar que “temos todos de estar contra este projeto nesta altura”.

“A semana passada o conselho permanente da concertação social foi inteiramente dedicada à semana dos quatro dias. Bem sei que é facultativo, uma experiência piloto, mas já sabemos como é que estas experiências acabam. Numa altura em que estamos em pleno emprego, em que assinámos o acordo para o crescimento de rendimentos, a primeira coisa que fazemos é passar para menos 20% de trabalho, não faz sentido”, afinca.

Os próximos projetos

Já no final da sua intervenção, António Costa e Silva dá conta de um novo  programa a ser comunicado esta quinta-feira, o “Call 50 Turismo e Indústria”, que terá disponíveis 50 milhões de euros para ajudar o investimento das empresas.

“É uma espécie de programa que já foi também desenvolvido no passado de sale e lease back, para ajudar as empresas de turismo em relação a todos os seus edifícios e imóveis, para [que se possam] modernizar, recuperar e desenvolver”, explica o Ministro da Economia e do Mar, adiantando que “o programa será gerido pelo turismo de fundos, do Turismo de Portugal, para a aquisição destes imóveis como opção de recompra para as empresas”.

Enfatiza ainda que os empresários têm disponíveis ” 380 milhões de euros em programas que foram lançados anteriormente: cerca de 150 milhões de euros do Apoiar Turismo e mais 230 milhões do programa Requalifica”.

“São programas que estão disponíveis e trabalharemos sempre em parceria, como deve ser, para tentar construir soluções”, termina.

 

Numa nota final, Bernardo Trindade deu conta dos próximos projetos da AHP, nomeadamente a organização do “primeiro Marketplace AHP” no segundo trimestre do próximo ano, onde a associação irá procurar juntar os seus associados e parceiros, “dando expressão ao reforço desta parceria”.

Refere ainda a ambição da associação de “reforçar” o programa OSPES, programa de sustentabilidade ambiental e responsabilidade social da AHP, além de dar conta do lançamento da nova plataforma digital AHP Tourism Monitors, “já praticamente concluída, agora muito mais simples, atual e rápida, com novos indicadores”.

Sobre o autorCarla Nunes

Carla Nunes

Mais artigos
Artigos relacionados
Alojamento

Hóspedes e dormidas de outubro crescem 5,0% e 6,2% face a 2019

Segundo o INE, em outubro “registaram-se aumentos de 21,0% nas dormidas de residentes e 1,5% nas de não residentes”, tendo os não residentes apresentado mesmo “o maior crescimento face a 2019”.

Inês de Matos

Em outubro, o setor do alojamento turístico nacional contabilizou 2,6 milhões de hóspedes e 6,8 milhões de dormidas, números que traduzem aumentos de 23,4% e 23,5% face a mês homólogo do ano passado e de 5,0% e 6,2%, respetivamente, em comparação com outubro de 2019, o último ano antes da pandemia.

De acordo com os dados divulgado esta quarta-feira, 30 de novembro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em outubro, o mercado interno contribuiu com 1,8 milhões de dormidas, enquanto os mercados externos totalizaram 4,9 milhões, o que traduz uma descida de 2,7% no mercado interno mas um aumento de 37,3% no que respeita às dormidas dos mercados externos.

No entanto, face a outubro de 2019, acrescenta o INE, “registaram-se aumentos de 21,0% nas dormidas de residentes e 1,5% nas de não residentes”, tendo os não residentes apresentado mesmo “o maior crescimento face a 2019”.

Por tipo de estabelecimento, as dormidas na hotelaria, que representaram 83,4% do total de dormidas, aumentaram 23,4% em comparação com outubro de 2021 e 6,1% face ao mesmo mês de 2019, enquanto as dormidas nos estabelecimentos de alojamento local, que representaram 13,3% do total, cresceram 28,4% e 0,6% face aos mesmos meses de 2021 e 2019, respetivamente. Já as dormidas em unidades de turismo no espaço rural e de habitação, que representaram 3,2% do total, apresentaram um aumento de 9,0% face a outubro de 2021 e de 45,2% em comparação com o mesmo mês de 2019.

O INE diz ainda que, em outubro, 21,6% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes, quando em igual mês do ano passado esta percentagem chegava aos 26,5%.

Por mercados, o destaque vai para o britânico, que apesar de ter representado 20,8% do total das dormidas de não residentes em outubro, apresentou uma descida de 1,7% relativamente a outubro de 2019.

Já as dormidas dos turistas alemães, cuja quota foi de 12%, registaram, de acordo com o INE, a “segunda maior diminuição no grupo dos 17 principais mercados emissores”, com uma quebra de 10,2%, ainda que o maior decréscimo se tenha registado no mercado brasileiro, que caiu 15,3%. A descer esteve também o mercado francês, que representou 8,3% do total, mas que apresentou uma descida de 2,2%.

Em sentido contrário manteve-se o mercado norte-americano, que representou 8,8% do total e “continuou a destacar-se, com um crescimento de 39,5% em outubro face a igual mês de 2019”, enquanto o mercado espanhol, cuja quota foi de 8,2%, aumentou 17,4% face a outubro de 2019.

O INE destaca ainda o crescimento das dormidas do mercado checo, que subiram 63,1% face a outubro de 2019.

O INE diz também que, em outubro, se registaram “aumentos das dormidas em todas as regiões”, com o Algarve a concentrar 28,2% das dormidas, seguindo-se a AM Lisboa (26,6%) e o Norte (16,5%).

Face a outubro de 2019, apenas o Algarve registou um decréscimo de 1,3%, aponta o INE, acrescentando que “os maiores aumentos ocorreram na RA Madeira (+25,0%) e na RA Açores (+17,5%)”.

Em outubro, também as dormidas dos residentes aumentaram em todas as regiões mas, neste caso, o destaque vai para a RA Madeira (+97,1%), seguida do Algarve
(+24,8%), Alentejo (+23,9%) e Centro (+20,1%).

Já as dormidas de não residentes aumentaram na RA Açores (+21,4%), RA Madeira (+15,4%), Norte (+7,9%) e AM Lisboa (+2,5%) e diminuíram no Centro (-9,5%), Algarve (-4,9%) e Alentejo (-3,4%).

A estada média de outubro ficou nas 2,57 noites, o que traduz um aumento de 0,1% face a outubro de 2021, ainda que a estada média dos residentes, que se situou nas 1,88 noites, tenha recuado 1,4%, enquanto a dos não residentes desceu 5,2%, fixando-se nas 2,98 noites.

A estada média mais elevada foi registada na Madeira, com 4,55 noites, seguindo-se o Algarve, onde os turistas ficaram, em média 3,99 noites, com o INE a indicar que, à exceção da RA Madeira (-4,0%) e da AM Lisboa (-0,9%), “todas as restantes regiões apresentaram aumentos da estada média”.

No acumulado desde janeiro, as dormidas aumentaram 97,3%, com destaque para as dormidas dos não residentes, que apresentaram um acréscimo de 177,9%, enquanto as dormidas dos residentes cresceram 23,7% face ao mesmo período de 2021.

“Comparando com o mesmo período de 2019, as dormidas decresceram 1,6%,
como consequência da diminuição das dormidas de não residentes (-6,0%), dado que as de residentes cresceram 9,0%”, acrescenta o INE.

 

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Alojamento

The Lumiares e The Vintage Hotel & Spa tornam-se ‘pet-friendly’

O The Lumiares e o The Vintage Hotel & Spa, unidades do Grupo Bomporto em Lisboa, passaram a permitir que os donos de animais de estimação levem o melhor amigo de férias e tornaram-se unidades ‘pet-friendly’.

Publituris

O The Lumiares e o The Vintage Hotel & Spa, unidades do Grupo Bomporto em Lisboa, passaram a permitir que os donos de animais de estimação levem o melhor amigo de férias e tornaram-se unidades ‘pet-friendly’.

Num comunicado divulgado esta terça-feira, 29 de novembro, o Grupo Bomporto revela que, à chegada à duas unidades de cinco estrelas, os hóspedes que viajem com o seu animal de estimação recebem um “‘pet friendly welcome kit’, que inclui snacks saudáveis, cobertor e cama para dormirem e tudo o que for necessário para que os seus companheiros se sintam em casa”.

Nas proximidades das unidades, os donos destes animais podem ainda encontrar “vários serviços dedicados aos seus animais, desde dog walking a pet sitting”, acrescenta o Grupo Bomporto, que sublinha ainda que a equipa das unidades “está sempre pronta a ajudar”, recomendando “uma lista completa de restaurantes ‘pet-friendly’ na cidade”.

A estadia de animais de estimação implica o pagamento de uma taxa adicional de 30 euros e os amigos de quatro patas não devem ultrapassar o limite de peso de 15kg.

Recorde-se que o The Lumiares funciona num palacete do século XVIII, que foi completamente renovado, e que conta com uma seleção impressionante de quartos em estilo apartamento e onde cada suíte tem uma cozinha totalmente equipada para que os clientes possam “desfrutar da estadia com o seu animal de estimação com todos os confortos da sua casa”.

Já o The Vintage, por outro lado, é hotel boutique que presta tributo à cultura artística da cidade de Lisboa e cujos quartos contam com todo o tipo de peças de arte, desde lindos quadros a esculturas e peças de cerâmica.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Restauração

Já estão abertas as inscrições do concurso para jovens sommeliers que leva os vencedores a Itália

A iniciativa “Viaje no seu futuro! Jovem Sommelier De Vinhos Italianos” é dividida numa competição de duas partes. No final, dois participantes ganham um curso de formação em Itália.

Publituris

O concurso para jovens sommeliers tem inscrições abertas até 15 de dezembro, de acordo com informação avançada em comunicado. A iniciativa “Viaje no seu futuro! Jovem Sommelier De Vinhos Italianos”, lançada no âmbito da Semana da Cozinha Italiana no Mundo, vai levar dois participantes até Itália para um curso de formação, na Escola Internacional de Cozinha Italiana da ALMA, em Colorno, em Parma.

O concurso está aberto a portugueses até aos 40 anos que sejam sommeliers, escanções, profissionais da indústria hoteleira e da restauração, distribuição de alimentos e bebidas ou estudantes em escolas superiores especializadas e centros de formação. Os candidatos devem ter conhecimentos teóricos e práticos da viticultura em geral, devendo também estar interessados em desenvolver um conhecimento profissional sobre o vinho italiano, tanto em termos de vinhas clássicas italianas como também da sua geografia vinícola.

A iniciativa está divida em duas fases. A primeira diz respeito à fase de qualificação, na qual serão admitidos os candidatos que satisfaçam os requisitos básicos da inscrição e que possam comprovar os seus conhecimentos, sujeitos à avaliação dos organizadores. Aqui os candidatos serão submetidos a uma prova escrita, com perguntas gerais relativas à enologia, à enografia e à técnica de degustação, seguida de uma prova prática sobre a identificação e descrição da organolética do vinho italiano.

Por fim, a segunda fase contará apenas com a participação de cinco candidatos – os que obtiverem a melhor pontuação na fase de qualificação.

Dos cinco participantes serão selecionados dois vencedores, que terão a oportunidade de participar num curso de formação teórico e prático, com a duração de uma semana, na Escola Internacional de Cozinha Italiana da ALMA em Colorno (Parma). O curso inclui visitas a adegas, restaurantes italianos, produtores de vinho e provas de produtos típicos dos territórios italianos mais representativos da gastronomia e da cultura vínica daquele país. O prémio inclui ainda as despesas de viagem e alojamento.

Para participarem, os interessados devem preencher o formulário disponibilizado na página da Embaixada de Itália em Lisboa (https://amblisbona.esteri.it/ambasciata_lisbona/pt), enviando-o, juntamente com o seu CV, para o email [email protected]

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

EHTO organiza primeiro concurso de pastelaria literária

O concurso “Once Upon a Pastry” decorre na Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste (EHTO) no início do próximo ano e é aberto a todos os alunos de hotelaria do país.

Publituris

De 11 a 12 de janeiro de 2023, a Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste (EHTO) terá a decorrer a primeira edição do concurso de pastelaria Once Upon a Pastry, onde os participantes serão desafiados a escolher uma obra literária e criar uma sobremesa baseada na mesma.

A iniciativa, que parte da turma de Gestão e Produção de Pastelaria desta instituição, “pretende incentivar a criatividade, inovação e o hábito da leitura nos concorrentes”, como indicado em comunicado enviado pela EHTO.

No mesmo documento é adiantado que o concurso é “pensado e desenhado de alunos para alunos”, já que constitui “o projeto final da turma de Gestão e Produção de Pastelaria” desta escola. Além das provas teóricas e práticas, a iniciativa contará com mostras de produtos e um jantar.

O painel de jurados será composto por: Ricardo Duque, representante da Óbidos Creativa; José Pinho, presidente do F(Ó)LIO; Lara Figueiredo, pasteleira no restaurante Midori, do Penha Longa Resort, e Francisco Siopa, chef executivo de pastelaria do Penha Longa Resort.

A competição Once Upon a Pastry é aberta a todos os alunos de hotelaria do país, sendo que as inscrições devem ser realizadas através de um formulário até 2 de dezembro.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Air Cairo abre voos para Lisboa e passa a ser representada pela ATR em Portugal

A companhia aérea egípcia de baixo custo Air Cairo passou a ser representada em Portugal pela ATR e prepara-se para abrir, a 30 de dezembro, voos entre Lisboa, Assuão e o Cairo, passando a ligar, no verão, Lisboa a Hurghada.

Publituris

A companhia aérea egípcia de baixo custo Air Cairo vai abrir, a 30 de dezembro, voos entre Lisboa, Assuão e o Cairo, capital do Egito, informação que é avançada em comunicado pela ATR, que passou a representar a transportadora no mercado português.

“Atualmente, a Air Cairo é uma companhia aérea nacional egípcia de baixo custo com uma frota de 10 aviões, operando mais de 200 voos semanais para 25 destinos internacionais e domésticos”, indica a ATR, recordando que a companhia aérea nasceu em 2003.

A 30 de dezembro, a Air Cairo inicia uma operação de inverno que vai ligar Lisboa, o Cairo e Assuão, que conta com um voo por semana, às sextas-feiras, e que vai operar até 24 de março de 2023.

A partir de 28 de março, os voos da Air Cairo passam a ligar a capital portuguesa a Hurghada, estância balnear egípcia localizada no Mar Vermelho, que vai contar com voos às terças-feiras, até 24 de outubro de 2023.

“Em breve teremos mais novidades em relação ao verão IATA”, acrescenta a ATR, revelando que os voos e as tarifas já se encontram carregados no GDS da Amadeus, enquanto as agências que utilizam o Galileo, da Travelport, devem contactar a ATR através do e-mail [email protected] ou pelo número de telefone +351 217618987.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Guia Complethotel 2023 já está disponível

Após um interregno de dois anos, o guia Complethotel está de volta, listando os melhores fornecedores para hotelaria.

Publituris

Após um interregno de dois anos motivado pela pandemia, o guia Complethotel está de volta, listando os melhores fornecedores para hotelaria nas áreas de Arquitetura e Construção, Equipamento Hoteleiro, Food & Beverage (F&B), Mobiliário e Decoração, Novas Tecnologias, Pavimentos e Revestimento, Serviços e Têxteis.

Um guia pensado para os gestores hoteleiros para os ajudar na tomada de decisão quanto aos melhores serviços e fornecedores para os seus hotéis, garantindo a excelência do serviço.

Após uma primeira distribuição no 33.º Congresso da Hotelaria e Turismo, organizado pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) em Fátima, de 16 a 18 de novembro, o CompletHotel fica agora disponível nos suportes digitais da Publituris Hotelaria, para os assinantes do Publituris e da revista Publituris Hotelaria e nas feiras e eventos ligados ao setor, além das ações organizadas pela Publituris Hotelaria.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Meliá Escapes é a nova aposta da Meliá Hotels International e Logitravel para viajantes

O novo projeto ficará disponível em nove países.

Publituris

A Meliá Hotels International e a Logitravel juntaram-se para criar a Meliá Escapes, um novo projeto que oferece aos clientes várias possibilidades na hora de organizarem as suas viagens.

Integrando-os no programa de fidelidade da empresa hoteleira, os membros MeliáRewards podem agora adquirir pacotes de estadia e voos, para além de contratar diferentes experiências e serviços adicionais para a sua viagem – seja aluguer de carro, transfers, excursões ou compra de entradas.

Desta forma, e como indicado em comunicado, este novo projeto conta com a capacidade tecnológica e experiência na criação de pacotes dinâmicos da Logitravel, combinada com o conhecimento do cliente e a capacidade hoteleira da Meliá Hotels International.

Na mesa nota de imprensa, o Grupo Viajes El Corte Inglés indica que “este projeto pressupõe mais um passo na aposta da empresa pelo desenvolvimento de inovações tecnológicas que gerem propostas de valor acrescido na customer journey, através da criação de pacotes dinâmicos e da oferta de serviços auxiliares ou atividades no destino”.

A Meliá Escapes, acessível em melia.com, estará disponível em nove países. O acesso para os clientes MeliáRewards de Espanha, Reino Unido e Estados Unidos fica disponível a partir desta quarta-feira, sendo que, brevemente, será possível fazê-lo também em Itália, França, Alemanha, Portugal, México e Canadá. Em comunicado indicam que, numa fase futura, esperam que a Meliá Escapes seja disponibilizada em mais mercados.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Convenção da Keytel em Portugal analisa futuro dos hotéis independentes

O evento em Lisboa contou com a participação de mais de 280 hotéis e analisou as estratégias a seguir para que os hotéis independentes possam continuar a competir com as grandes cadeias.

Publituris

A Keytel, a primeira aliança mundial de hotéis independentes, realizou esta quarta-feira, 24 de novembro, no hotel Eurostars Universal Lisboa, a segunda das três convenções anuais que organiza até ao final do ano em três dos seus principais mercados de influência na Europa, sendo a próxima paragem Paris, como indicado em comunicado.

O encontro contou com a participação de mais de 280 hotéis e analisou o futuro dos hotéis independentes, bem como as estratégias a seguir para poder competir com as grandes cadeias.

Exemplo disso foi a sessão de encerramento, onde se realizou o workshop “Aceleração dos negócios”. Neste, os participantes puderam explorar novos serviços e estratégias de crescimento com a equipa Keytel e especialistas do setor, como a WeGlobeYou, Ágora Central de Compras, RoomZero, Fideltour, Iberian MICE Forums, The Hotels Technology (THT), The Good Concierge e Resoluciona.

Lino Martins, diretor comercial da Ap Hotels, e Frederico Costa, Head of Google Travel em Portugal, participaram como convidados de honra no programa e deram a sua visão do setor.

O presidente do Grupo Hotusa, Amancio López, foi responsável pela abertura da convenção e passou em revista as dificuldades pelas quais o setor passou durante a pandemia e os grandes desafios que enfrenta: a digitalização e a sustentabilidade.

Salientou também a importância dos hotéis independentes e afirmou que “qualquer estabelecimento individual pode sobreviver, independentemente do número de cadeias que existam, desde que disponha dos instrumentos fundamentais para a sua gestão”.

Neste sentido, acrescentou que “na Keytel tentámos, através dos nossos próprios serviços, através de joint ventures ou de recomendações de acordos com outras organizações, colocar ao dispor dos hotéis todos os instrumentos que lhes permitem jogar em igualdade de condições com qualquer grupo. Este tem sido sempre o nosso grande desafio e, através da tecnologia e graças à nossa dimensão como empresa, tornámo-lo realidade”.

Já Xavier Cortés, CEO da Keytel, destacou a importância de ser competitivo: “a competitividade é o resultado da melhoria da proposta experiencial do alojamento, acrescentando valor ao imóvel. Foi isso que Keytel tentou e continua a tentar, e fê-lo desenvolvendo sete serviços, a que chamamos os vetores de aceleração”.

Por outro lado, o CEO da Keytel elencou as chaves diferenciais do alojamento turístico para alcançar maiores resultados: “Procurar a diversificação, ter uma clara orientação na relação direta com o cliente, trabalhar em prol da sustentabilidade, valorizar o valor do imóvel e o valor dos serviços que este oferece”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Gonçalo Narciso dos Santos reeleito delegado da Relais & Châteaux para Portugal e Espanha

O profissional alia o cargo de diretor-geral no BELA VISTA Hotel & SPA, em Portimão, às funções de estratégia e prospeção no mercado ibérico e de apoio aos membros da delegação em Portugal e Espanha.

Publituris

A associação hoteleira Relais & Châteaux (R&C) renova Gonçalo Narciso dos Santos, diretor-geral do BELA VISTA Hotel & SPA, em Portimão, como seu delegado na Península Ibérica, cargo que exerce desde 2020.

Desta forma, o profissional alia o cargo de diretor-geral às funções de estratégia e prospeção no mercado ibérico e de apoio aos membros da delegação em Portugal e Espanha, apoiando e promovendo as propriedades, fazendo a comunicação com a sede da R&C, em Paris, e identificando potenciais novos hotéis e restaurantes situados nos dois países.

“Os anos de 2020 e 2021 foram muito desafiantes para o mundo e, sobretudo, para a nossa indústria. Por isso, mais do que nunca, quero continuar a apoiar os membros da nossa delegação, [constituída] atualmente por 29 hotéis e três restaurantes, e expandir a presença da Relais & Châteaux em Portugal e Espanha. E para me apoiar nessa missão tenho o prazer de ter no comité Ohiana Subijana, como vice-delegada, e Pedro Subijana, como representante do chef, de Akelarre”, afirma  Gonçalo Narciso dos Santos.

O profissional é licenciado em Gestão Hoteleira pela Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Algarve e pós-graduado em Gestão Hoteleira pela Universidade do Algarve. Iniciou a sua carreira em 2005, no grupo Hotéis Real Algarve, como executivo de vendas no Hotel Spa & Resort Grande Real Santa Eulália.

Em 2010, deixou a área comercial dos Hotéis Real para assumir as funções de mordomo e guest relations no Tivoli Victoria Golf Resort – atual Anantara –, onde permaneceu até maio de 2011. Em junho desse ano, ingressou na equipa do Bela Vista Hotel & Spa como diretor de vendas, duty manager e diretor adjunto, sendo que em 2013 foi nomeado diretor-geral do hotel.

Desde novembro de 2020 que ocupa o cargo de delegado da Relais & Châteaux para Espanha e Portugal.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Nova data: A mudança do perfil hoteleiro marca próxima sessão da “Be Our Guest”

Na próxima segunda-feira, 5 de dezembro, pelas 17h00, terá lugar mais uma conversa “Be Our Guest”, desta vez sobre a “a mudança do perfil hoteleiro”.

Publituris

A sessão em ambiente digital contará com a presença de Carlos Alves, diretor regional de operações do Vila Galé Hotéis para a região Norte e Centro e coordenador da Adega Val Moreira – um projeto do grupo com produção de Vinhos DOC Douro. A conversa será moderada por Marcos Sousa, dirigente da ADHP responsável pela pasta de Finance & Data.

“Nesta sexta conversa, o Be Our Guest traz mais um grande nome ligado à hotelaria. Será uma excelente oportunidade para perceber as perspetivas de um convidado com tanta experiência sobre a gestão hoteleira, a relação com os colaboradores, com os hóspedes, e as alterações no perfil hoteleiro”, refere Patrícia Correia, dirigente da ADHP responsável pelo projeto “Be Our Guest”.

À semelhança das conversas anteriores, a sessão decorrerá através do Zoom, sendo que as inscrições já se encontram abertas e devem ser efetuadas através de um breve formulário. Apesar de as inscrições serem gratuitas, a organização alerta que estas são limitadas.

Esta será a sexta conversa online promovida pela ADHP – Associação dos Diretores de Hotéis de Portugal, uma iniciativa da ADHP que promove conversas informais com diretores de hotéis e nomes de referência do turismo sobre as suas experiências profissionais, a hotelaria e o setor turístico.

A conversa tem o patrocínio da e-GDS Global Distribution Solutions.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.