Edição digital
Assine já
PUB
Emprego e Formação

Bolsa de Empregabilidade volta ao Brazil Travel Market

Voltar, pelo segundo ano consecutivo, a reunir empresas com oportunidades de emprego no setor do Turismo e Hotelaria, é objetivo da participação da Bolsa da Empregabilidade na 11ª edição do Brazil Travel Market, que terá lugar nos dias 20 e 21 em Fortaleza.

Publituris
Emprego e Formação

Bolsa de Empregabilidade volta ao Brazil Travel Market

Voltar, pelo segundo ano consecutivo, a reunir empresas com oportunidades de emprego no setor do Turismo e Hotelaria, é objetivo da participação da Bolsa da Empregabilidade na 11ª edição do Brazil Travel Market, que terá lugar nos dias 20 e 21 em Fortaleza.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Coming2 pretende ser reconhecida como marca própria no mercado português
Distribuição
BTL recebeu mais de 79 mil visitantes na maior edição de sempre
Meeting Industry
CATAI dá a conhecer programação em roadshow por cinco cidades portuguesas
Distribuição
Algarve soma recordes e apresenta extenso plano de ações para 2024
Destinos
Solférias e Disneyland Paris lançam incentivo para agentes de viagens
Distribuição
V Convenção Nacional da ARAC decorre em Óbidos a 18 de outubro
Transportes
Região espanhola Castilla-La Mancha de olhos postos no mercado português
Destinos
Procura supera oferta na ESHTE
Emprego e Formação
Tunisair regressa a Lisboa com um voo por semana a partir de 6 de maio
Aviação
Turismo do Dubai promove roadshow para o trade português
Destinos

Conhecida como o “maior hub de contratação no Turismo em Portugal”, a Bolsa de Empregabilidade é uma iniciativa do Fórum Turismo, que teve o seu início em 2016 e já contou com a participação de mais de 350 empresas e 12.500 profissionais e estudantes. O objetivo do projeto é juntar no mesmo espaço físico empresas com ofertas de emprego aos profissionais e estudantes, que procuram uma oportunidade de trabalho.

Neste regresso ao Brasil, a Bolsa de Empregabilidade leva, como aliás aconteceu na edição de 2021 do BTM, uma versão do projeto, numa parceria entre a entidade portuguesa que desenvolve atividades no setor do emprego e formação e o Brazil Travel Market, evento que tem como principal objetivo reunir e promover a integração do setor de viagens e turismo, ao mesmo tempo que oferece novos produtos ao mercado.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Coming2 pretende ser reconhecida como marca própria no mercado português
Distribuição
BTL recebeu mais de 79 mil visitantes na maior edição de sempre
Meeting Industry
CATAI dá a conhecer programação em roadshow por cinco cidades portuguesas
Distribuição
Algarve soma recordes e apresenta extenso plano de ações para 2024
Destinos
Solférias e Disneyland Paris lançam incentivo para agentes de viagens
Distribuição
V Convenção Nacional da ARAC decorre em Óbidos a 18 de outubro
Transportes
Região espanhola Castilla-La Mancha de olhos postos no mercado português
Destinos
Procura supera oferta na ESHTE
Emprego e Formação
Tunisair regressa a Lisboa com um voo por semana a partir de 6 de maio
Aviação
Turismo do Dubai promove roadshow para o trade português
Destinos
PUB
Emprego e Formação

Procura supera oferta na ESHTE

“Nestes últimos anos, ainda de forma mais vincada, a procura empresarial pelos alunos da ESHTE é claramente superior à oferta”, salienta o presidente da instituição, Carlos Brandão, numa análise partilhada por João Pronto, professor adjunto e coordenador de estágios da instituição.

Publituris

Nas instalações da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril viveram-se dias intensos entre 19 e 23 de fevereiro, com diversas iniciativas que “comprovam a preparação dos estudantes para os desafios do futuro e o elevado interesse do mercado nos alunos formados na ESHTE, que exibe uma taxa de empregabilidade de 95,9% e origina um cenário de quase pleno emprego para os estudantes da instituição”, refere o estabelecimento de ensino superior em nota de imprensa.

O Fórum Estágios e Carreiras da ESHTE reuniu 82 entidades representativas do setor e fortaleceu a ligação entre a academia e o mercado de trabalho. “O Fórum começou com um pedido nosso às empresas e, neste momento, estamos já numa posição contrária, ou seja, temos dificuldades em aceitar todos os que querem cá vir”, disse o presidente da instituição, Carlos Brandão.

“Nós não precisamos de dizer para onde é que queremos que os nossos alunos vão. Já cá estou desde 1996 e não me recordo de termos tido um aluno que não tenha pelo menos estagiado. Nunca aconteceu”, considera, por sua vez, João Pronto, professor adjunto e coordenador de estágios da instituição.

A presença de um considerável número de alunos da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril no Fórum Estágios e Carreiras, em representação de uma ampla variedade de empresas, evidencia o impacto duradouro da formação oferecida pela instituição. Por outro lado, a crescente procura, proveniente do estrangeiro, de recém-formados justifica profunda reflexão em Portugal.

“Fomos a primeira instituição de ensino superior dedicada exclusivamente ao turismo em Portugal e a ESHTE foi criada precisamente por uma necessidade de resposta à qualificação de nível superior para a área do turismo. Faz parte da nossa estratégia sempre adaptar-nos ao que o mercado precisa, às novas tendências. Há uma grande procura pelos nossos alunos, mas sobretudo no período pós-Covid, nota-se alguma relutância destes jovens em ficarem no nosso País”, avisa o presidente Carlos Brandão.

Os estágios são uma disciplina de cariz obrigatório na instituição de ensino, permitindo a interação direta entre os alunos e o setor, antes da entrada definitiva no mercado de trabalho. Procurando dissipar eventuais dúvidas na comunidade, a instituição promoveu sessões de esclarecimento ao longo dos últimos dias.

Após duas sessões sobre estágios curriculares, o Gabinete de Mobilidades e Relações Internacionais organizou uma sessão de esclarecimento ERASMUS+ para toda a comunidade, com a colaboração de representantes da Agência Nacional Erasmus e da Erasmus Student Network Lisboa.

Entre planos de estágios e carreiras, a ESHTE vai dotando os alunos de conhecimentos sobre o passado e o futuro, essenciais para a capacitação plena dos estudantes. Na passada semana, o Dia Internacional do Guia-Intérprete foi assinalado com uma mesa-redonda que teve como tema “A Revolução dos Cravos – cambiantes na prática dos guias-intérpretes”.

E de olhos postos no futuro, que na realidade já é o presente, teve lugar um seminário intitulado “Robótica na Hotelaria: iremos ser substituídos por robôs?”, organizado pela Associação dos Diretores de Hotéis de Portugal (ADHP Júnior), em colaboração com a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril.

“Tentamos sempre esta ambivalência: não só o mundo académico, mas também a sua materialização em termos das competências, que os nossos alunos levam para o mercado de trabalho. Por isso temos tido esta procura, e, como tal, quase não damos resposta ao que os players nos pedem”, frisa Pedro Moita, pró-presidente da ESHTE para a área do IT.

No entanto, a instituição não trava a marcha e avança para novas frentes, como a abertura de inscrições para os mestrados. “Temos novos figurinos para os mestrados, novas designações, novos conteúdos, muito atrativos. Foi uma alteração muito refletida e vamos fazer com que todos sintam que podem ter aqui, nos segundos ciclos, uma excelente complementaridade às licenciaturas”, conclui o presidente Carlos Brandão.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

Área de Turismo e Hospitalidade da Universidade Europeia assinala 60 anos com conjunto de atividades e eventos

A Universidade Europeia assinala, em 2024, os 60 anos do lançamento do seu primeiro curso na área de Turismo e Hospitalidade, com um conjunto de atividades e eventos ao longo do ano, entre os quais a criação de IN_SPIRA, uma Bolsa de Mentores e do podcast “NÓS, VOZ”, cujo 1º episódio já está disponível.

Publituris

As diferentes atividades de celebração também vão visar o corpo docente e não docente, parceiros do setor, organizações, associações de referência e o tecido empresarial do turismo e hospitalidade em Portugal, de acordo com Sofia Almeida, Coordenadora da Área de Turismo e Hospitalidade da Universidade Europeia.

Uma destas iniciativas é a criação da Bolsa de Mentores IN_SPIRA, em que profissionais experientes, reconhecidos como mentores, oferecem orientação, conselhos e suporte a estudantes e/ou recém-licenciados. Esta relação de mentoria visa ajudar no desenvolvimento e crescimento profissional e pessoal do mentorado, partilhando conhecimentos, experiências e insights relevantes para o crescimento da sua carreira. A Bolsa de Mentores IN_SPIRA será apresentada formalmente durante as comemorações dos 60 anos.

Previsto está também o lançamento de uma temporada de podcasts que têm como objetivo destacar os 60 anos de excelência académica e contribuições significativas da Universidade Europeia para o desenvolvimento e avanço da indústria do turismo, reconhecendo e celebrando os projetos e as iniciativas atuais, passadas e futuras. O podcast “NÓS, VOZ” pretende envolver ativamente professores e profissionais do setor em discussões relevantes sobre o turismo, incentivando a participação, o orgulho institucional e a colaboração em iniciativas futuras relacionadas com a área de Turismo na Universidade.

O podcast visa promover a conscientização sobre questões importantes relacionadas com a área do Turismo, como sustentabilidade, responsabilidade social, diversidade e inclusão, além de incentivar o diálogo e o engagement da comunidade académica e do público em geral. O podcast estará disponível mensalmente nas plataformas de YouTube e Spotify da Universidade Europeia, bem como através das redes sociais. O 1º episódio já está disponível.

Outra das iniciativas que visa assinalar a celebração dos 60 anos é o lançamento do “Livro 60 Anos Turismo e Hospitalidade”, que vai compilar 60 Anos de história e legado na área do Turismo e Hospitalidade que a Universidade Europeia continua a preservar.

A oferta formativa em Turismo e Gestão Hoteleira da Universidade Europeia destaca-se pelo seu modelo académico inovador, que combina aulas presenciais com conteúdos digitais, oferecendo uma experiência de aprendizagem flexível e personalizada. Estes cursos são também reconhecidos pela abordagem única que integra a mais avançada tecnologia com o conhecimento humano, preparando os estudantes para alcançar os seus objetivos profissionais.

Com esta celebração, a Universidade Europeia pretende valorizar o setor do turismo e hospitalidade em Portugal e reforçar o seu papel enquanto agente ativo de promoção e divulgação do turismo e hospitalidade.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

Há uma nova formação em “Atividades de Turismo de Natureza: Serra da Aboboreira”

A Associação de Municípios do Douro e Tâmega (AMDT) com os Municípios de Amarante, Baião e Marco de Canaveses e em parceria com o Turismo de Portugal, vão promover a formação “Atividades de Turismo de Natureza: Serra da Aboboreira” entre o mês de março e abril.

Publituris

A ação de formação é presencial, com duração de 24 horas e irá decorrer na Biblioteca Municipal de Baião de 7 de março a 4 de abril, com atividades teóricas nos dias 7, 14 e 21 março, entre as 14h e 17h. As atividades de terreno decorrerão nos dias 28 de março e 04 de abril entre as 9h00 e as 13h, 14h e 18h.

Esta formação é destinada a profissionais de atividades de turismo de natureza e aventura, RH internos dos municípios da região com o objetivo de elevar a qualificação dos trabalhadores do setor.

A mesma é dada através do programa Formação +Próxima com objetivos claros na qualificação dos profissionais, permitindo que estes consigam reconhecer o enquadramento legal do turismo de natureza e aventura, identificar o conceito e as tipologias de turismo de natureza e aventura, os territórios e equipamentos mais relevantes para a sua prática. Ainda, planear e gerir atividades de turismo de natureza e aventura, tendo como objetivos a utilização eficiente dos recursos e o cumprimento dos parâmetros de qualidade que devem presidir à prestação do serviço de cliente, bem como a capacidade para aplicar metodologias adequadas de gestão do risco em atividades de turismo de natureza e aventura.

A formação terá como conteúdos de aprendizagem a contextualização e enquadramento legal do turismo de natureza e aventura; a qualidade e sistemas de certificação aplicados ao turismo de natureza e aventura; atividades de turismo de natureza e aventura: caminhadas e percursos pedestres; passeios e atividades em bicicleta; birdwatching; a introdução à gestão do risco e sua relevância e, ainda, o planeamento e gestão de atividades de turismo de natureza e aventura.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Créditos: Les Roches

Emprego e Formação

Estudo Fórum Turismo: 69% dos estudantes de turismo pretende emigrar

A percentagem resulta de um inquérito aplicado pela Associação Fórum Turismo a 189 estudantes, que justificaram a sua expetativa de trabalhar no estrangeiro com a maior oferta de emprego e melhores condições de trabalho, salários e qualidade de vida.

Carla Nunes

Um estudo realizado pela Associação Fórum Turismo, que contou com uma amostra de 189 alunos de cursos de turismo em Portugal, conclui que 69% dos estudantes pretende emigrar.

A questão lançada pela associação era se estes tencionavam, “nos próximos cinco anos, ir trabalhar para o estrangeiro”. Apenas 31% respondeu que não pretendia trabalhar fora do país, sendo que, dos 69% que responderam positivamente, 17% indicou que esperam vir a trabalhar “fora da Europa”, em regiões como a Ásia, Emirados Árabes Unidos ou Estados Unidos.

A Suíça segue-se como o destino de preferência dos estudantes que querem trabalhar no estrangeiro, tendo sido indicada por 16% dos inquiridos que responderam afirmativamente à questão, a par do Reino Unido (indicado por 13% dos inquiridos).

Quando questionados sobre os motivos para quererem trabalhar no estrangeiro, os estudantes indicaram razões como o enriquecimento pessoal, o gosto por explorar mais destinos, a maior oferta de emprego, a expectativa de melhorar línguas estrangeiras, as melhores condições de trabalho, os melhores salários e qualidade de vida, o desejo por novas experiências, a proximidade com familiares emigrados e as questões culturais.

Apesar da melhoria de línguas estrangeiras ser indicada como um dos motivos para trabalhar no estrangeiro, note-se que, do total de estudantes inquiridos, 48% indicou falar três idiomas. Na linha de percentagens seguem-se os estudantes que apontaram falar dois idiomas (29%) e quatro idiomas (13%).

Apenas 6% dos inquiridos apontou só falar um idioma, com 4% a indicar mais de cinco idiomas.

63% dos estudantes antecipam primeiro salário entre os 800 e os 1.200 euros

No mesmo estudo, 33% dos inquiridos afirmam que ambicionam receber entre 800 a 1.000 euros no primeiro emprego, enquanto 30% aponta para os 1.000 a 1.200 euros de salário para a primeira experiência laboral.

Apenas 6% dos estudantes espera receber até 600 euros no seu primeiro trabalho na área, com 5% a indicar uma expetativa de 1.400 a 1.600 euros para o mesmo tipo de emprego.

A Associação Fórum Turismo apurou ainda que 61% dos estudantes inquiridos pretende prosseguir os estudos, com 32% a indicar a área de Gestão, seja turística ou hoteleira, como o curso preferencial.

Seguem-se a área de Turismo (19%), Food & Beverage (15%) e Marketing e Comunicação (14%). Nos cursos que reúnem a menor percentagem de preferência para prosseguir estudos encontram-se aqueles que não estão relacionados com o turismo (7%) e a área de Recursos Humanos (5%).

Apesar de 79% dos inquiridos assegurar que se sente preparado para entrar no mercado de trabalho, 87% afirma que os conteúdos do seu curso não são relevantes para as tendências atuais da indústria. Para Ivan Ferreira, secretário-geral da Associação Fórum Turismo, apesar de “o ensino turístico português ter bastante qualidade”, existe a necessidade de se apostar em abordagens mais práticas.

“Deve-se apostar mais em abordagens práticas e contínuas e permitir a possibilidade de personalização dos currículos académicos face aos interesses pessoais, mas as dificuldades na transição da fase académica para o mercado de trabalho são evidentes, com dois em cada três estudantes a admitirem emigrar durante os próximos cinco anos”, refere Ivan Ferreira em nota de imprensa.

O profissional explica ainda que “entre os vários fatores apontados, as condições de trabalho incompatíveis com os níveis de qualificação possuídos são a principal causa de ansiedade nos futuros profissionais do setor, algo que está inclusive a colocar em causa a sustentabilidade do Turismo em Portugal, com a queda da cultura da ‘arte de bem receber’, que sempre foi considerada uma distinção de valor acrescentado face a destinos concorrentes de Portugal”.

Por essa razão, aponta como “necessárias e urgentes ações que valorizem e retenham os recursos humanos qualificados, para continuar a incrementar a qualidade do serviço prestado aos turistas que nos visitam”.

O inquérito da Associação Fórum Turismo, do qual resultam os presentes dados, foi aplicado durante os meses de novembro e dezembro de 2023. Da amostra de estudantes inquiridos, 71% frequenta atualmente uma licenciatura e 16% Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP).

Na nota metodológica é referido que o estudo continua em aberto para “seguir a perspectiva dos estudantes ao longo do tempo” e averiguar “como esta altera face a determinados fatores externos”.

Os resultados atuais do inquérito podem ser consultados na íntegra a partir do website da Associação Fórum Turismo.

Sobre o autorCarla Nunes

Carla Nunes

Mais artigos
Emprego e Formação

ISCE promove conferência “Turismo e Hotelaria Futureland: Sustentabilidade e Tecnologias para o Futuro”

A iniciativa, organizada pelo Departamento de Turismo do ISCE, pretende promover a reflexão sobre o futuro do turismo tendo por base as tecnologias e a sustentabilidade.

Publituris

O ISCE – Instituto Superior de Lisboa e Vale do Tejo, numa iniciativa organizado pelo seu Departamento de Turismo em parceria com a Editora Lidel, dinamiza no próximo dia 27 de fevereiro, a Conferência “Turismo e Hotelaria Futureland: Sustentabilidade e Tecnologias para o Futuro”.

O evento conta com a participação de Alfonso Vargas Sanchez, professor catedrático da Universidad de Huelva, Fernando Garrido (diretor geral do Hotel Olissippo Oriente e presidente da ADHP – Associação dos Diretores de Hotéis de Portugal), João Paiva Mendes (membro da direção da APECATE e co-fundador da Boost Portugal e Tiago Miranda (CEO na And This is Reality) para refletir sobre o futuro do Turismo e Hotelaria sob diversas perspetivas, tendo por base as tecnologias e a sustentabilidade.

Com início marcado para as 14h30, o evento que acontece no auditório do Instituto, em Lisboa, tem entrada livre, mas carece de inscrição obrigatória.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

1.ª Bolsa de Empregabilidade no Alentejo com mais de 50 empresas inscritas

A Bolsa de Empregabilidade, uma iniciativa da responsabilidade da Associação Fórum Turismo, realiza-se a 20 de fevereiro e conta já com mais de 50 empresas inscritas.

Publituris

O palco para a 1.ª Bolsa de Empregabilidade na região do Alentejo está montado na Arena d’Évora para dia 20 de fevereiro.

Contando com o apoio institucional do Turismo de Portugal e com a co-organização da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, esta iniciativa destina-se a impulsionar as oportunidades laborais nos setores da hotelaria, restauração, turismo e áreas correlacionadas.

O certame irá acontecer entre as 10h00 e as 17h00, e para esta primeira edição já inscritas mais de 50 empresas, todas com o intuito de recrutar profissionais para diversas áreas.

A sessão de abertura do evento está marcada para as 11h00 e contará com a presença de António Marto, presidente da Associação Fórum Turismo; José Santos, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo; Carlos Pinto de Sá, presidente da Câmara de Évora; Domingos Lopes, presidente do Conselho Diretivo do IEFP; Catarina Paiva, administradora para a Formação do Turismo de Portugal.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

“Think Tanks on the way by NEST” regressam em abril

O projeto “Think Tanks on the way by NEST”, promovido pelo NEST, que percorreu Portugal num roadshow e levou a metodologia do Design Thinking e o seu impacto nas práticas de inovação a mais de 70 PME do turismo, regressa já em abril.

Publituris

Depois do sucesso da primeira edição do “Think Tanks by NEST” em 2020, o NEST – Centro de Inovação do Turismo – decidiu dar continuidade ao projeto em formato presencial, contando com o apoio de diversos parceiros locais para levá-lo a várias cidades do país. O programa passou pelo Estoril, Coimbra, Portimão, Matosinhos e Covilhã, e impactou mais de 70 PME do turismo de vários verticais: turismo náutico, operadores turísticos, agências de viagem, alojamento, empreendedores e associações empresariais.

As empresas participantes tiveram a oportunidade de receber mentoria nas áreas de inovação e adoção de tecnologia na cadeia de valor do setor, apoio ao desenvolvimento de novas ideias empresariais,  testar soluções e capacitação para a transição digital.

De acordo com Roberto Antunes, diretor executivo do NEST, “o nosso objetivo é que os líderes de negócios, após as formações, adotem o Design Thinking como uma abordagem de senso comum para resolver problemas complexos”, acrescentando que “esta metodologia foi fundamental para os negócios contemporâneos que usufruíram da formação, e permitiu criar soluções inovadoras centradas no cliente, que são adaptáveis e promovem a colaboração”.

“Com este projeto, o NEST “aprofundou a sua missão de promover a inovação junto do setor e ajudar as PME a entrarem num universo de descobertas e oportunidades tecnológicas”, conclui.

Em abril, o projeto irá iniciar uma nova ronda de formações. As inscrições estarão abertas brevemente no site oficial do evento.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

Golden Club Cabanas promove “Open Day” de recrutamento

Nos dias 19 e 20 de fevereiro, o Golden Club Cabanas o seu “Open Day” de recrutamento.

Publituris

O Golden Club Cabanas realizará o seu “Open Day” de recrutamento nos próximos dias 19 e 20 de fevereiro, proporcionando uma oportunidade para quem procura fazer carreira no setor da hotelaria.

Durante este evento, que decorrerá nas instalações do Golden Club Cabanas, das 11h às 20h, os interessados terão a possibilidade de conhecer a equipa e descobrir as diversas oportunidades de emprego disponíveis.

Representantes da empresa estarão à disposição para discutir as posições em aberto, responder a perguntas e conduzir entrevistas informais.

Para facilitar a participação, os potenciais candidatos têm a opção de realizar uma pré-inscrição online através do formulário disponível: https://goldenclubcabanas.com/pt-pt/open-day-recrutamento/

Ao fazê-lo, os participantes beneficiarão de um processo ágil e personalizado durante o evento.

Uma vez que nem todos/todas os/as candidatos/candidatas poderão comparecer nos dias do evento, o Golden Club Cabanas convida todos os interessados a enviar a sua candidatura espontânea através do site da empresa.

Para aqueles cuja impossibilidade de comparecimento está relacionada com a distância, existe a possibilidade de alojar candidatos que se desloquem de regiões distantes.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

BTL 2024 aposta na promoção do emprego no turismo

A BTL 2024 vai investir na capacitação de profissionais do setor do turismo e no recrutamento de novos talentos. As inscrições encontram-se abertas.

Publituris

A Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) anuncia o regresso do espaço BTL Formação + Emprego na edição de 2024, com lugar nos dias 1 e 2 de março. Esta aposta, segundo os organizadores da Feira “pretende assumir na superação dos desafios com que o setor do turismo se depara, nomeadamente a nível do recrutamento e da qualificação de profissionais”.

Assim, a BTL Formação + Emprego promete um programa mais robusto e abrangente, com um espaço aberto a todos os players do setor do turismo interessados em captar estudantes, novos profissionais (recém-licenciados), e outros que procuram novas oportunidades de trabalho dentro do seu sector de atividade.

Além de servir como plataforma para exposição e networking, a BTL Formação + Emprego será, segundo a organização, um palco dedicado à reflexão, discussão e partilha de ideias sobre temas cruciais como contratação, formação e requalificação de recursos humanos no setor do turismo.

Dália Palma, gestora coordenadora da BTL refere que este espaço “é da maior importância para fomentar o crescimento e desenvolvimento sustentável do setor”, para realçar que a  BTL Formação + Emprego “tem o propósito de juntar num só local a oferta e procura, permitindo que seja feito o match entre as oportunidades de recrutamento e os candidatos, acelerando todo o processo de resposta às necessidades do setor”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

EHT Portalegre finalista em concurso europeu de vídeo ganho por equipa portuguesa

Projeto ‘Lemon Up’ promoveu a sustentabilidade e o trabalho de equipa vídeo produzido por alunos de Gestão de Restauração e Bebidas. O vencedor do concurso também é português: Escola de Tecnologias Inovação e Criação do Algarve com o vídeo ‘Storytellers’.

Publituris

A Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre foi uma das cinco finalistas no CEDEFOP Video Awards 2023, um concurso de vídeo dirigido a escolas técnico-profissionais de toda a Europa, que contou com a participação de 30 instituições do género provenientes de sete países.

Com o título “Lemon Up”, os alunos da Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre procuraram enquadrar questões como a sustentabilidade, a reutilização, o desperdício e o trabalho de equipa através da forma como é possível utilizar apenas um limão e produzir várias bebidas. O enquadramento do vídeo deve-se ao facto dos alunos serem todos do curso de Gestão de Restauração e Bebidas.

O Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Vocacional (European Centre for the Development of Vocational Training – CEDEFOP) desafiou as escolas europeias a participarem neste concurso de vídeo com propostas curtas, concisas, que espelhassem os valores referidos, além de promoverem e divulgarem competências associadas à formação dos alunos.

“Quando recebemos o desafio do CEFEDOP, os alunos juntaram-se para, em primeiro lugar, debaterem algumas ideias. A partir do momento em que isso ficou definido, trabalharam na criação de um guião. Este projeto implicou que os alunos tivessem contato com competências que não são aquelas com que lidam diariamente, como é o caso da multimedia, e fossem bastante sintéticos porque a história tinha de ser contada em apenas 60 segundos. O objetivo do vídeo foi o de mostrar que, em equipa, os alunos conseguiram utilizar e reutilizar um limão para criar quatro bebidas. Foi um desafio estimulante e que acabou por se tornar gratificante pois o esforço dos nossos alunos foi recompensado”, explica o formador que acompanhou todo o projeto na Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre, Ricardo Lourenço.

A rede de Escolas do Turismo de Portugal foi, aliás, a mais representada entre os finalistas. Além da EHT Portalegre, também a sua congénere de Viana do Castelo conseguiu ficar entre os melhores cinco a seguir à equipa vencedora que foi a Escola de Tecnologias Inovação e Criação do Algarve, também de Portugal.

Se Portugal teve três organizações representadas entre a vencedora e duas finalistas, no restante lote das mais reconhecidas, houve instituições provenientes da Grécia, da Croácia e de Chipre.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.