Edição digital
Assine já
PUB
Alojamento

Herdade Vale do Manantio: um refúgio junto ao Alqueva

A Herdade Vale do Manantio, junto ao Alqueva, estende-se por 1.000 hectares de terreno e conta com 14 quartos.

Publituris
Alojamento

Herdade Vale do Manantio: um refúgio junto ao Alqueva

A Herdade Vale do Manantio, junto ao Alqueva, estende-se por 1.000 hectares de terreno e conta com 14 quartos.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Alentejo veio de “Corpo e Alma” a Lisboa para conquistar turistas da Área Metropolitana
Destinos
Nova Edição: Turismo Náutico, Vê Portugal, Insider, Indaba e ainda Portugal Travel Awards
Turismo
Edição Digital: Turismo Náutico, Vê Portugal, Insider, Indaba e ainda Portugal Travel Awards
Edição Digital
Setúbal aprova criação de taxa turística municipal de 2€
Destinos
Lufthansa disposta a ceder mais para ficar com ITA
Transportes
9 em cada 10 espanhóis viajarão este verão, mas a gastar menos
Destinos
TAAG retoma voos após um ano para província angolana do Bié
Transportes
Avis Budget Group apresenta Self-Service Kiosks:
Transportes
Hospitality Education Awards encerram candidaturas esta semana
Emprego e Formação
Turismo académico internacional cresce 46% em Portugal em oito anos, mas com assimetrias regionais
Destinos

Situada no concelho de Moura, a Herdade Vale do Manantio estende-se por 1.000 hectares de terreno, apresentando uma paisagem em constante evolução, com campos de trigo e olivais, pastos atravessados por ribeiros até às margens que banham o Alqueva.

O projeto nasce a partir do sonho de João Maria Bravo, contando este turismo rural com 14 quartos inspirados nos detalhes do monte, uma piscina infinita sobre o Alqueva e uma paisagem alentejana a perder de vista.

Telma Marques, diretora de marketing da Herdade Vale do Manantio, salienta que “a herdade alia o espírito tradicional de uma coutada de caça seletiva à modernidade e conforto de um recanto único oferecendo aos hóspedes ou visitantes uma experiência verdadeira do que é o Alentejo. Da gastronomia, à paisagem e pela comodidade da sua oferta”.

Além dos serviços prestados na Herdade Vale do Manantio, é possível usufruir de uma quantidade de atividades extras nas suas redondezas que vão desde viagens de barco na barragem onde pode usufruir de um piquenique a bordo; viagens de balão sobre as planícies alentejanas; yoga, para viver o momento e interiorizar o ambiente alentejano; SPA; Ski aquático e wakeboard; até passeios a cavalo.

No restaurante da herdade é possível ter uma experiência de caça misturada com os sabores dos queijos e vinhos alentejanos num ambiente que fomenta a gastronomia típica do Alentejo, sendo que todos os produtos utilizados são de produção local, privilegiando o conceito “from farm to the table”.

Devido à sua dimensão e arquitetura da casa principal, a Herdade do Vale do Manantio também oferece resposta a quem procura seja um evento mais familiar ou mesmo de maiores dimensões, visto o espaço ter capacidade para eventos até 200 pessoas.

Além disso, dispõe também da possibilidade de fazer um programa especializado “made to measure” elaborado à medida das expectativas dos hóspedes, incluindo serviço de transporte de helicóptero, jantar romântico e acesso ao SPA, entre outras atividades.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Alentejo veio de “Corpo e Alma” a Lisboa para conquistar turistas da Área Metropolitana
Destinos
Nova Edição: Turismo Náutico, Vê Portugal, Insider, Indaba e ainda Portugal Travel Awards
Turismo
Edição Digital: Turismo Náutico, Vê Portugal, Insider, Indaba e ainda Portugal Travel Awards
Edição Digital
Setúbal aprova criação de taxa turística municipal de 2€
Destinos
Lufthansa disposta a ceder mais para ficar com ITA
Transportes
9 em cada 10 espanhóis viajarão este verão, mas a gastar menos
Destinos
TAAG retoma voos após um ano para província angolana do Bié
Transportes
Avis Budget Group apresenta Self-Service Kiosks:
Transportes
Hospitality Education Awards encerram candidaturas esta semana
Emprego e Formação
Turismo académico internacional cresce 46% em Portugal em oito anos, mas com assimetrias regionais
Destinos
PUB

Créditos: Maison Albar – Amoure, via Booking.com

Hotelaria

Segundo hotel da Maison Albar em Portugal vai abrir portas em Moure

Com data de abertura marcada para 25 de junho, o Maison Albar – Amoure, no distrito de Braga, é o segundo hotel da coleção em Portugal, após a inauguração do Le Monumental Palace, no Porto. O novo hotel conta com 26 quartos, restaurante e spa.

Carla Nunes

Depois do Porto, a coleção Maison Albar vai abrir uma segunda unidade hoteleira em Portugal, o Maison Albar – Amoure, cuja data de abertura está prevista para 25 de junho na aldeia de Moure, em Vila Verde, Braga.

O cinco estrelas de 26 quartos, dos quais seis são suites, conta com um projeto de arquitetura assinado pela DOMUS CONCEPT, que para este hotel desenhou um conceito inspirado no estilo Art Dêco, como se pode ler no website do novo hotel.

O chef parisiense Julien Montbabut, que lidera a cozinha do restaurante do hotel Le Monument, com uma Estrela Michelin, ficará também responsável pelo restaurante deste novo hotel, o L’Amoure, juntamente com o chef residente Marco Silva.

Com um conceito “da quinta para a mesa”, este restaurante “bistronómico” propõe pratos regionais com um toque moderno. Na página de Instagram deste novo hotel, Julien Montbabut refere que “o L’Amoure será a oportunidade de mostrar o terroir do norte de Portugal”, com uma carta não só com pratos principais, mas também com pratos e entradas para partilhar.

Restaurante L’Amoure | Créditos: Maison Albar – Amoure

Além do restaurante, o Maison Albar – Amoure vai contar com espaços como o salão Aurora, onde serão servidos os pequenos-almoços à carta, e o bar RPM (Revolution Per Minute).

O hotel ainda está a contratar, com o chef Julien Montbabut a referir que estão à procura de quatro a cinco pessoas para completar a equipa de cozinha e sala deste hotel.

As valências do hotel ficam completas com o Spa Amoure, de 244 metros quadrados, que inclui duas salas de tratamento, sauna e banho turco, sala de fitness e duas piscinas – uma interior e outra exterior.

O mais recente Maison Albar – Amoure é a sétima propriedade da coleção, como refere Manuel Santos, general manager deste novo hotel, na página de Instagram da unidade hoteleira. A coleção Maison Albar, cujos hotéis são geridos pela Centaurus Hospitality Management, inclui hotéis em França, Itália e China, tendo ainda prevista a abertura de dois hotéis na Costa do Marfim.

Créditos: Maison Albar – Amoure

Sobre o autorCarla Nunes

Carla Nunes

Mais artigos
Tecnologia

SAP Concur Day 2024 analisa tendências e futuro das viagens e gastos corporativos marcados pela IA

Diferentes intervenientes do setor das viagens e gastos corporativos discutiram as tendências e o futuro do setor marcado pela IA, durante o SAP Concur Day 2024, evento dedicado ao debate de temas como o futuro da digitalização, as últimas tendências do setor de Travel & Expense, Inteligência Artificial (IA), Inovação, Sustentabilidade e as mais recentes novidades do produto SAP Concur.

Publituris

As empresas concordam que o crescimento exponencial da IA permitirá estimar os gastos totais com muito mais precisão, otimizando o processo e gerando mais confiança entre os utilizadores. De acordo com especialistas, a sustentabilidade e o NDC também determinarão o futuro das viagens corporativas e da experiência de compra em 2024.

A SAP Concur, empresa de fornecimento de soluções integradas de gestão de despesas e viagens corporativas baseadas na nuvem, reuniu os principais intervenientes do sector do Travel & Expense no seu evento anual SAP Concur Day para debater três temas principais para as viagens corporativas: a transformação digital, a sustentabilidade e a inteligência artificial. Ao longo do programa, ficou claro que a IA é um dos principais desafios a enfrentar ao longo deste ano, num setor que continua na senda do crescimento.

Nestes tempos de mudança, as organizações enfrentam constantemente novos desafios em termos de digitalização e inteligência artificial. Durante o evento, ficou claro que a gestão de gastos continua a evoluir a cada ano e à medida que as novas tecnologias revelam novas possibilidades, as empresas também se adaptam às melhores práticas e tendências de mercado para se manterem atualizadas e competitivas.

João Carvalho, diretor de SAP Concur para o Sul da Europa, Médio Oriente e África elucida “a mudança é hoje uma constante e as organizações devem priorizar a digitalização e rentabilizar as capacidades da IA generativa para a otimização dos seus processos se se quiserem permanecer competitivas, ágeis e ter uma visão unificada dos dados e processos e gestão de despesas e viagens que lhes permita tomar melhores decisões. A inovação constante faz parte do nosso ADN”.

Como indicam as tendências apresentadas pela SAP Concur para 2024, a sustentabilidade e a aceleração da norma NDC serão fundamentais e obrigarão o mercado a adaptar-se a uma experiência de compra mais personalizada e eficiente. Durante o evento, as empresas presentes salientaram a importância de promover viagens mais sustentáveis, o que se traduz num exercício de corresponsabilidade, com uma maior consciencialização e redução da sua pegada de carbono.

A sustentabilidade tornou-se uma prioridade e um aspeto transversal dos programas de viagens corporativas. Na verdade, muitas organizações concordam em criar equipas dedicadas que possam desenvolver uma sustentabilidade eficaz como parte de um programa contínuo para apoiar os seus colaboradores que viagem na sua tomada de decisão, respondendo a critérios mais sustentáveis e eficientes, e apoiados pelas ferramentas certas.

O evento também destacou como, graças ao crescimento exponencial da IA generativa, a aplicação SAP Concur pode fornecer estimativas de custos com maior precisão, para o planeamento de viagens, otimizando assim todo o processo, gerando maior confiança entre os utilizadores e poupança de tempo. Com isso, dá um passo em frente na digitalização de todas as suas soluções e na melhoria da experiência do utilizador, como é o caso da nova ferramenta Concur Travel, muito mais intuitiva e de fácil utilização.

A nova experiência da app inclui capacidades de omni-busca que combinam automaticamente opções para muitos locais, como aeroportos, centros de cidades ou locais de empresas, fornecidas por um ecossistema de viagens robusto. Oferece também uma maior cobertura de conteúdos globais, incluindo conteúdos adicionais New Distribution Capability (NDC, melhores imagens e descrições mais ricas numa única visualização. O Concur Travel renovado proporciona uma experiência moderna e intuitiva, adaptável à Web e aos telemóveis e adaptada ao viajante e às políticas corporativas.

As novas capacidades da IA generativa nas soluções SAP Concur é relevante, fiável e responsável, e muda fundamentalmente a forma como as empresas operam, permitindo-lhes criar maior valor de forma mais eficiente, garante a empresa de soluções de viagens e despesas, com mais de 92 milhões de utilizadores finais a reservar viagens e/ou a processar despesas.

“Por exemplo, em vez de alguém do setor financeiro ter de analisar manualmente todos os dados das viagens e despesas corporativas, poderia simplesmente delegar esse trabalho à IA generativa que lhes vai fornecer recomendações baseadas em dados reais – levando em consideração padrões que um ser humano talvez nem perceba – como o momento ideal para reservar uma viagem corporativa ou a data ideal para uma reunião de equipa para minimizar os custos de viagem, garantindo que estão a utilizar da melhor maneira possível os recursos da empresa”, explica João Carvalho.

Em relação à nova norma NDC, todas as empresas participantes concordaram que esta irá abordar muitos dos desafios do setor e terá um impacto direto nos custos. Trata-se de uma estratégia fundamental para que as companhias aéreas tornem a experiência de compra mais personalizada e eficiente.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Efeito da Páscoa no Alojamento Local prolonga-se em abril em Lisboa e Porto

No mês que se seguiu à Páscoa, as diárias mantiveram preços e ocupação média aumentou para 70% em Lisboa e 57% no Porto.

Publituris

De acordo com os dados mais recentes da Confidencial Imobiliário, com base nas estatísticas do SIR-Alojamento Local, o mês de abril prolongou o efeito positivo do período da Páscoa, com sustentação dos preços das diárias quer em Lisboa quer no Porto e um aumento dos níveis de ocupação nas duas cidades.

Em Lisboa, o Alojamento Local registou uma ocupação média de 70% no mês de abril, um resultado superior aos 65% verificados em março. No Porto, este tipo de acomodação teve uma taxa média de ocupação de 57% em abril, também superior aos 46% do mês anterior. Os níveis de preços praticados mantiveram-se relativamente estáveis entre os dois meses, comparando-se 119 euros em abril com 121 euros em março no caso de Lisboa, e 105 euros com 104 euros, respetivamente, no caso do Porto.

Traduzindo a maior dinâmica de ocupação, abril registou também um acréscimo do RevPAR face ao mês anterior, com este indicador a atingir 80 euros em Lisboa e 58 euros no Porto, em comparação com os 76 euros e 46 euros, respetivamente, observados no mês de março.

De assinalar ainda, o que parece ser a maior confiança dos operadores e proprietários neste mercado, com a oferta ativa a registar ligeiro acréscimo em abril face a março. Concretamente, em abril contabilizavam-se 3.750 apartamentos T0/T1 ativos em AL para ocupação na capital, mais do que os 3.550 registados em março. No Porto, abril somou 3.770 apartamentos T0/T1 com atividade no AL, também ligeiramente acima dos 3.700 registados no mês da Páscoa. Em qualquer dos casos, o volume de oferta ativa em AL no mês de abril de 2024 é o mais elevado dos últimos quatro anos.

Em abril venderam-se 79.600 noites de AL em Lisboa e 65.460 no Porto, traduzindo maior procura do que a registada em março, quando as duas cidades registaram 71.350 e 53.250 noites vendidas, respetivamente. Tal traduziu-se num volume de negócios de 9,5 milhões de euros em Lisboa e 6,9 milhões de euros no Porto durante o mês de abril.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Quinta do Paral abre Boutique Wine Hotel focado no luxo discreto

A unidade hoteleira de 22 quartos tem nas experiências vínicas e na gastronomia alentejana um dos seus principais focos, a par de um conjunto de atividades para descobrir a região.

Publituris

A Quinta do Paral abriu a 17 de junho o Boutique Wine Hotel, uma unidade hoteleira de 22 quartos onde o foco será o “quiet luxury” – luxo discreto, na sua tradução direta do inglês.

Localizado na Vidigueira, o hotel abriu portas em regime soft opening sob a chancela da Leading Hotels of the World, prometendo um “retiro vínico idílico”, como referido em nota de imprensa.

Além dos 22 quartos – entre os quais suites, com terraço privativo e ainda uma casa senhorial do século XIX – o Boutique Wine Hotel da Quinta do Paral oferece uma piscina infinita, um fitness center e uma sala de congressos e eventos. Já na oferta de food & beverage (F&B), a unidade hoteleira dispõe de três espaços gastronómicos com a consultoria do chef alentejano José Júlio Vintém: The Wine Restaurant, The Estate Lounge e The Grape Rooftop Bar.

Dos serviços do hotel fazem ainda parte a disponibilização de bicicletas elétricas, valet parking, in-room dining, turndown service e serviço de butler personalizado.

Quarto do Boutique Wine Hotel | Créditos: DR

O projeto de arquitetura e design de interiores do Boutique Wine Hotel da Quinta do Paral foi assinado pelo gabinete Saraiva & Associados, que destacou “as arcadas revestidas a tijolo de burro, os muros de cal, os ladrilhos de terracota e as tradicionais celosias geométricas – alguns dos elementos identificativos da arquitetura alentejana”.

Hotel aposta em experiências locais

A mais recente unidade hoteleira da Quinta do Paral aposta em experiências à volta do vinho, da gastronomia e da cultura da região. Desde logo, à chegada, o hotel disponibiliza a hipótese de transfer privado de carro ou de Pilatus PC12, o avião privado da Quinta do Paral. O menu de experiências inclui ainda provas de vinhos, jantares privados, oficinas de cozinha e piqueniques no campo.

A estas juntam-se atividades como “Contemplar o Céu Noturno” numa cama balinesa imersa nas vinhas da propriedade, “Passeio a Cavalo” entre as vinhas e passeios privados por “Évora – a Cidade Museu”.
Já nos quartos, a experiência passa por usufruir de um “refúgio acolhedor”, com ameniteis da Amouage, sistema individual de som wireless, um lote próprio de café 100% arábica que pode ser preparado pelos hóspedes e um blend de chá com os principais aromas do Alentejo.

Piscina do Boutique Wine Hotel | Créditos: DR

“Acreditamos que é na simplicidade e nos pequenos detalhes que se sente o verdadeiro luxo. Existiu uma preocupação em respeitar a herança histórica da propriedade, quer pela reabilitação e conservação de edifícios, nomeadamente da nossa Casa Senhorial do século XIX, quer na nossa oferta gastronómica que celebra a tradição e os sabores alentejanos”, afirma Sofia Moreira, General Manager do hotel que pretende afirmar-se como um selo na hospitalidade portuguesa de “quiet luxury”.

Recorde-se que projeto da Quinta do Paral foi revitalizado em agosto de 2017, quando o empresário Dieter Morszeck adquiriu 85 hectares de terras no Alentejo. A quinta foi posteriormente redesenhada em colaboração com o enólogo Luís Morgado Leão, focada na sustentabilidade e no respeito pela cultura e tradição alentejanas.

Boutique Wine Hotel | Créditos: DR

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Créditos: DR

Hotelaria

Imobiliária Névoa investe mais de 12M€ na construção do novo Holiday Inn Braga

A unidade hoteleira de 111 quartos tem abertura prevista para o segundo semestre de 2024, após um investimento de mais de 12 milhões de euros por parte do grupo Névoa.

Publituris

A Imobiliária Névoa, pertencente ao grupo Névoa – que atua nas áreas de promoção imobiliária, distribuição automóvel, construção civil e centros comerciais – refere em comunicado que o seu mais recente projeto na área da construção hoteleira, localizado em Braga, está atualmente na fase final de construção.

A nova unidade hoteleira, que será explorada pela rede Holiday Inn, foi alvo de um investimento superior a 12 milhões de euros, estimando-se que abra portas no segundo semestre de 2024.

O hotel de cinco pisos conta com 111 quartos, salas de conferências, um centro de fitness e um restaurante, estando localizado perto do Hospital de Braga, da Universidade do Minho e do INL – International Iberian Nanotechnology Institute

“O investimento na construção de uma nova unidade hoteleira em Braga representa um marco significativo para o grupo Névoa. Este projeto reforça a expansão do grupo para outros pontos do país e fomenta vários benefícios económicos para a região, através da criação de emprego e posterior valorização turística e cultural em Braga”, refere Luís Sousa Ribeiro, diretor-geral da Imobiliária Névoa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

II Roadshow Iberostar decorre entre 25 e 27 de junho e espera 450 participantes

A iniciativa arranca em Lisboa, no dia 25 de junho, e segue para Coimbra no dia seguinte, 26 de junho, enquanto a cidade do Porto recebe o roadshow no dia 27 de junho. A Iberostar Hotels & Resorts espera a participação de 450 agentes de viagens no conjunto das três cidades.

Publituris

A Iberostar Hotels & Resorts anunciou que o II Roadshow Iberostar, evento dedicado aos agentes de viagens, vai decorrer entre 25 e 27 de junho, pelas 19h00, passando por Lisboa, Coimbra e Porto.

Numa nota informativa enviada à imprensa, a Iberostar Hotels & Resorts explica que “o evento é composto por uma formação em estilo reuniões rápidas, seguida de um jantar e sorteio de fantásticas estadias”, sendo esperada a participação de 450 agentes de viagens no conjunto das três cidades.

“Este será o momento ideal para conhecer as novidades do Grupo Iberostar, para interagir com outros profissionais do setor e explorar novas oportunidades de negócios para todos os presentes”, indica o grupo, revelando que o roadshow vai contar com a presença de responsáveis da Iberostar em representação de oito destinos, bem como de representantes do operador turístico Newblue.
A iniciativa arranca em Lisboa, no dia 25 de junho, e segue para Coimbra no dia seguinte, 26 de junho, enquanto a cidade do Porto recebe o roadshow no dia 27 de junho, encerrando o evento.
Na informação divulgada, a Iberostar Hotels & Resorts indica que o roadshow está “esgotado em todas as cidades”, motivo pelo qual foi aberta uma formação que vai ter lugar no Porto e para a qual ainda existem vagas para interessados. A iniciativa decorre no dia 27 de junho, pelas 10h00.
Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
AL

ALPN manifesta preocupação face à insegurança na cidade do Porto em carta aberta à MAI

A ALPN – Associação Alojamento Local Porto e Norte manifesta preocupação em relação à insegurança que se tem verificado na cidade, numa carta aberta dirigida à ministra da Administração Interna (MAI), Margarida Blasco.

Publituris

A Associação Alojamento Local Porto e Norte (ALPN) “está profundamente preocupada com a crescente crise de segurança que assola o país e, em particular, a cidade do Porto”, tendo nesse sentido, dirigido uma carta aberta à ministra da Administração Interna.

Face aos mais recentes relatos e notícias vindas a público que denunciam crimes, furtos, roubos, assaltos, violações e um aumento generalizado da violência, que “têm trazido para a sociedade civil um sentimento de insegurança no presente e sobre o que poderá acontecer no futuro próximo”, a associação escreve que “temos tomado conhecimento de pessoas que têm receio de sair à rua porque já foram assaltadas, outras impedidas de se deslocarem livremente com medo de serem a próxima vítima, vários negócios vítimas de vandalismo e com receio de serem tomados de assalto, turistas que são espancados em plena luz do dia, viaturas com vidros partidos que foram assaltadas a qualquer hora do dia ou da noite, assaltos a residências e até a espaços de acolhimento turístico, já para não falar do sentimento de medo na vida noturna na cidade que tem vindo a aumentar de há algum tempo a esta parte, sem que se vejam medidas de contenção efetiva”.

Refere ainda a ALPN que “os nossos associados e os hóspedes a quem prestamos o nosso serviço de alojamento turístico estão receosos e, a manter-se esta situação, corremos o risco sério de ver diminuído o interesse pelo nosso país, quando temos vindo a assistir, impávidos e serenos, à descida no ranking dos países mais seguros – já descemos do 3º lugar para o 7º num espaço de dois anos”.

A associação consta, na carta aberta assinada pelo seu presidente, David Almeida, que “existe falta de presença e/ou eficácia no policiamento de toda a cidade, mas principalmente nas zonas mais sensíveis e movimentadas, tendo já diversas entidades denunciado que é totalmente insuficiente e ineficaz no combate que é necessário e urgente levar a cabo no momento”, para avançar que “uma das razões do sucesso e atratividade do nosso país para os turistas se deve à perceção de segurança, à simpatia das pessoas e ao saber bem receber”. No entanto, com toda esta instabilidade, rapidamente, deixaremos de ser o país seguro que todos gostamos de transmitir a quem nos visita ou tenciona visitar”.

Neste sentido, a ALPN apela à ministra da Administração Interna, Margarida Blasco, “a que não permita que estas ameaças à tranquilidade, à segurança e à liberdade de pessoas e bens, prossigam”, concluindo que “estamos disponíveis, dentro da razoabilidade e proporcionalidade com que possamos contribuir, para que sejam adotadas medidas como o policiamento de proximidade, segurança e vigilância de ruas, recurso a guardas noturnos, que possam surtir efeitos, mais ou menos imediatos, para o bem de todos”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Proveitos do alojamento turístico crescem menos em abril

Os proveitos do alojamento turístico voltaram a crescer em abril, ainda que a um ritmo mais baixo do que vinha a acontecer, o que, segundo o INE, se deve ao facto de, este ano, a Páscoa se ter assinalado em março, motivando a desaceleração das dormidas de residentes no quarto mês do ano.

Inês de Matos

Os proveitos do alojamento turístico voltaram a crescer em abril, ainda que a um ritmo mais baixo do que vinha a acontecer, confirmam os dados revelados esta sexta-feira, 14 de junho, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo os dados do INE, em abril, os proveitos totais do alojamento turístico somaram 508,8 milhões de euros, o que traduz um crescimento de 3,4% face a abril de 2023, enquanto os proveitos de aposento chegaram aos 383,7 milhões de euros, apresentando uma subida de 2,8% comparativamente a abril do ano passado.

O comunicado do INE que acompanha os números diz que, “após dois meses em aceleração, o crescimento dos proveitos totais e de aposento abrandou” em abril, já que, em março, se tinham registado aumentos a dois dígitos em ambos os indicadores, com os proveitos totais a apresentarem uma subida de 20,1%, enquanto os proveitos por aposento tinham crescido 21,1%.

No entanto, é preciso lembrar que, este ano, a Páscoa se assinalou ainda em março, enquanto em 2023 tinha sido festejada no mês de abril, o que pode ajudar a explicar as descidas nos proveitos e também nos hóspedes e dormidas, já que, em abril, foram contabilizados 2,6 milhões de hóspedes, menos 3,6% face a abril do ano passado, e 6,6 milhões de dormidas, decréscimo de 4,2% face a mês homólogo de 2023.

“Importa assinalar que estes resultados foram influenciados pela estrutura móvel do calendário, ou seja, pelo efeito do período de férias associado à Páscoa, que no ano anterior se concentrou em abril, enquanto este ano se repartiu entre março e abril”, alerta o INE, na informação divulgada.

Por regiões, o INE diz que foi a Grande Lisboa que mais contribuiu para a globalidade dos proveitos, representando 34,0% dos proveitos totais e 36,4% dos proveitos de aposento, seguindo-se o Algarve, que representou 21,9% e 20,0%, respetivamente, enquanto o Norte ficou na terceira posição, concentrando 16,4% dos proveitos totais e
17,0% dos proveitos de aposento.

Os dados de abril também trouxeram notícias negativas, uma vez que, assinala o INE, “depois de mais de 3 anos sem registo de variações negativas, os proveitos totais e de aposento apresentaram decréscimos em algumas regiões”, com destaque para o Alentejo, onde estes indicadores caíram 6,4% nos proveitos totais e 6,6% nos de aposento, e também para o Algarve, onde as descidas foram de 6,1% e 4,4%, pela mesma ordem.

Já os maiores aumentos ocorreram na RA Açores, onde os proveitos totais aumentaram 15,3% e os proveitos de aposento subiram 18,2%, seguindo-se a RA Madeira, com subidas de 11,6% e 10,6%, respetivamente, enquanto o Oeste e Vale do Tejo registou aumentos de 10,2% e 6,4%, pela mesma ordem.

Os dados do INE dizem ainda que os três segmentos de alojamento apresentaram subidas nos proveitos em abril, com a hotelaria a apresentar aumentos de 3,1% e 2,6% nos proveitos totais e de aposento, respetivamente, tendo sido este o segmento que mais proveitos concentrou, representando 86,9% e 85,1% dos proveitos totais e de aposento.

Já as unidades de alojamento local, que representaram 9,4% e 11,2% dos proveitos totais e de aposento, respetivamente, tiveram aumentos de 6,7% e 5,3%, enquanto o turismo no espaço rural e de habitação, que concentrou 3,7% dos proveitos totais e 3,8% dos de
aposento, registou aumentos de 2,9% e 1,3%, respetivamente.

Em abril, rendimento médio por quarto disponível  – RevPAR – atingiu os 62,7 euros, o que representa um decréscimo em termos homólogos de 0,5% e que se segue à subida de 14,5% que este indicador tinha registado em março.

Por regiões, voltou a ser na Grande Lisboa que o RevPAR apresentou o valor mais elevado, atingindo os 111,7 euros, seguindo-se a RA Madeira, onde o rendimento médio por quarto disponível foi de 81,6 euros.

Ainda assim, os maiores crescimentos do RevPAR ocorreram nas Regiões Autónomas da Madeira (+9,3%) e dos Açores (+6,2%), enquanto os maiores decréscimos se verificaram no Centro (-7,7%) e no Alentejo (-7,2%).

“Em abril, este indicador cresceu 0,8% na hotelaria (+15,9% em março). No alojamento local e no turismo no espaço rural e de habitação, registaram-se decréscimos de, respetivamente, 4,5% e 3,4% (+5,4% e +33,7%, em março, pela mesma ordem)”, acrescenta o INE.

Já o rendimento médio por quarto ocupado (ADR), chegou aos 109,3 euros no conjunto dos estabelecimentos de alojamento turístico, o que traduz um aumento de 4,3% e que se segue à subida de 11,4% em março que tinha sido apurada em março.

A Grande Lisboa voltou a destacar-se com o valor mais elevado de ADR, que chegou aos 148,9 euros, seguida do Alentejo (106,2 euros) e da RA Madeira (104,5 euros),  com o INE a realçar que “todas as regiões registaram crescimentos neste indicador”, sendo a
Península de Setúbal a única exceção, com uma descida de 3,3%. Já os maiores aumentos no ADR ocorreram nas Regiões Autónomas dos Açores (+8,7%) e da Madeira (+8,1%).

Em abril, o ADR cresceu ainda 4,3% na hotelaria, depois de ter subido 12,1% em março, e 3,4% no alojamento local, que também tinha registado uma subida superior em março, que chegou aos 5,2%. Já o  turismo no espaço rural e de habitação apresentou um crescimento de 10,7%, mais próximo da subida de 15,7% registada em março.

O INE diz ainda que 61,8% das dormidas de abril se concentraram em 10 municípios nacionais, com destaque para Lisboa, que  concentrou 20,9% do total de dormidas, atingindo 1,4 milhões, num aumento de 1,0%.

Na capital, as dormidas de residentes cresceram 2,4%, com o INE a considerar que este resultado contraria “a trajetória de decréscimo dos últimos três meses”, ainda que as dormidas de não residentes tenham apresentado um crescimento mais modesto de 0,7%.

“Entre os principais, Lisboa foi o único município em que as dormidas de residentes evoluíram mais favoravelmente do que as dormidas de não residentes. Este município concentrou cerca de ¼ do total de dormidas de não residentes em abril”, destaca o INE, que refere também que “Albufeira foi o segundo município em que se registaram mais dormidas”, num total de 645,7 mil dormidas, ainda que tenha sido também aquele que registou o decréscimo mais expressivo, com uma descida de 13,5%.

“Para este decréscimo contribuíram as evoluções negativas das dormidas de residentes (-25,3%) e de não residentes (-10,8%)”, acrescenta o INE, que diz que, no Porto, as dormidas chegaram às 533,4 mil, numa descida de 0,5%, enquanto no Funchal foram contabilizadas 526,6 mil dormidas, depois de uma diminuição de 0,1%.

O INE destaca ainda, entre os 10 principais municípios, Ponta Delgada com a cidade que obteve o maior crescimento (+7,3%), para o qual contribuíram as evoluções positivas das dormidas de residentes (+0,9%) e, sobretudo, as de não residentes (+13,3%), “contrariando a trajetória do total das dormidas em Portugal em ambos os mercados”.

Dormidas de não residentes ditam maiores proveitos no acumulado

Contudo, o INE diz que, no acumulado desde o início do ano, foram registadas subidas de 10,6% nos proveitos totais e de 10,3% nos de aposento, somando 1,4 mil milhões de euros e 1,1 mil milhões de euros, respetivamente, o que se deveu ao aumento das dormidas dos não residentes, que aumentaram 5,4%, enquanto as dos residentes caíram 1,7% face a período homólogo de 2023.

Nos primeiros quatro meses do ano, as dormidas nos alojamento turísticos nacionais subiram 3,2%, ultrapassando os 20 milhões de dormidas, com destaque para as dormidas dos não residentes que somaram mais de 14 milhões, enquanto os residentes foram responsáveis por 5,9 milhões de dormidas.

No período acumulado de janeiro a abril de 2024, o RevPAR das unidades de alojamento turístico nacionais atingiu os 45,8 euros, o que traduz uma subida de 4,9% face a período homólogo do ano passado, enquanto o ADR chegou aos 95,4 euros, crescendo 6,7% face aos primeiros quatro meses de 2023.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Alojamento

17 unidades do Story Studio Sortelha são inauguradas oficialmente a 24 de junho

Vão ser inauguradas oficialmente, no próximo dia 24 de junho, as 17 unidades do Story Studio Sortelha, uma nova oferta turística que une história do património cultural português com turismo eco-friendly, num investimento superior a dois milhões de euros.

Publituris

No próximo dia 24 de junho, às 14h00, em plenas muralhas do Castelo de Sortelha, a Story Studio vai inaugurar as suas 17 unidades de alojamento turístico eco-friendly, com capacidade para 56 hóspedes.

Nesta aldeia histórica de Portugal, os studios foram remodelados numa fusão da traça original com novos conceitos arquitetónicos, mantendo-se a sua identidade distintiva, num investimento total que ultrapassou os 2 milhões de euros.

Na inauguração oficial estarão presentes diversas personalidades como Pedro Machado, secretário de Estado do Turismo; Carlos Abade, presidente do Turismo de Portugal; Carlos Ascensão, presidente das Aldeias Históricas de Portugal; Vítor Proença, presidente do Município do Sabugal; e Jorge Lourenço, presidente da Junta de Freguesia de Sortelha.

Assinada pelo arquiteto Gonçalo Louro, com decoração da arquiteta de Interiores Teresa Pinto Ribeiro, esta reabilitação assegura diferentes soluções de arquitetura, ecoeficiência e ecodesign, valorizando recursos e materiais endógenos e as atividades económicas locais. Assim, reforça-se o compromisso da Story Studio com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, em linha com os requisitos da ‘Biosphere’ e com o reconhecimento enquanto marca ‘Sustainable Engaged’.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Os 15 quartos do edifício remodelado do DUO Lisbon Hotel são adornados com azulejos da Viúva Lamego | Créditos: DR

Hotelaria

DUO Hotel Lisbon: A nova unidade hoteleira da Hilton em Lisboa

O DUO Hotel Lisbon, Curio Collection by Hilton, inaugurado esta quarta-feira, faz parte de um conjunto de três hotéis a abrir em Lisboa pela Hilton, fruto de um acordo de gestão com a Feuring Asset Management GmbH. A cadeia hoteleira tem em vista a abertura de mais dez hotéis em Portugal, após ter inaugurado três hotéis este ano.

Carla Nunes

Depois da abertura do Legacy Hotel Cascais, no antigo Cidadela Cascais, a Hilton volta a abrir mais uma unidade hoteleira em Portugal, desta vez o DUO Hotel Lisbon, Curio Collection by Hilton.

Localizado em Lisboa perto da sede da EDP, na zona de Santos, o mais recente Duo Hotel Lisbon, Curio Collection by Hilton abriu portas esta quarta-feira, 12 de junho.

Este é o primeiro dos três Hilton a abrir em Lisboa na sequência de um acordo de gestão com a Feuring Asset Management GmbH, com quem a Hilton acordou a abertura das unidades Canopy by Hilton Lisbon Praça São Paulo, Hampton by Hilton Lisbon Baixa e o mais recente Duo Hotel Lisbon, Curio Collection by Hilton.

Com um total de 75 quartos, o recém-inaugurado Duo Hotel Lisbon reúne dois edifícios, um moderno, e outro de traçado mais tradicional, justificando assim a expressão “Duo”.

Com entrada pela Rua Dom Luís I, o edifício moderno do hotel, construído de raiz, conta com 60 quartos distribuídos por seis pisos. Já o segundo edifício, com fachada para a Rua da Boavista, resulta de um projeto de reabilitação e oferece 15 quartos divididos por quatro pisos.

A separar ambos, um pátio desafogado estende-se para oferecer uma zona de esplanada complementada por uma fonte, adornada com azulejos da Viúva Lamego – que, aliás, constituem vários motivos de interesse no hotel, desde o lobby à decoração das cabeceiras dos quartos.

Pátio do DUO Lisbon Hotel | Créditos: DR

As valências deste hotel ficam completas com uma oferta de Food & Beverage (F&B) que inclui o restaurante Novo Mundo, liderado pelo chef residente Nuno Pizarro, e a pastelaria Voyage, com entrada pela Rua da Boavista e aberta a passantes. Ambos os espaços contam com cartas assinadas pela chef Marlene Vieira.

Principais mercados e segmentos

Concetta Schiano Lomoriello, general manager deste novo hotel, conta em entrevista à Publituris Hotelaria que para esta unidade hoteleira, mais concretamente para a vertente de alojamento, os principais mercados serão os “Estados Unidos da América (EUA), Reino Unido e, dentro da Europa, a Alemanha”, apontando também para o mercado espanhol, “dada a proximidade” ao país. Já o mercado nacional será a aposta para os três pontos de F&B do hotel, mais do que a oferta de alojamento.

“Vemos que há pessoas que viajam dentro do próprio país, para staycations, mas acreditamos que, olhando para os números, o maior mercado será os EUA, Reino Unido e Espanha, como mercado de proximidade”, reforça Concetta Lomoriello.

O segmento de lazer é apontado como o principal público-alvo do hotel. No entanto, a general manager do DUO Hotel Lisbon indica que há espaço para o mercado de negócios, não só pela localização do hotel – junto a empresas como a EDP, Accenture e A&V –, mas também pela existência de espaços como o pátio, que pode ser utilizado “como um local para lançamentos de produto e eventos empresariais”. A possibilidade de fechar zonas do hotel para eventos privados, como o restaurante Novo Mundo ou o edifício remodelado de 15 quartos, mais tradicional, também é colocada por Concetta Lomoriello como uma hipótese para melhor servir o mercado de negócios.

A unidade hoteleira conta com mais de 16.000 azulejos da Viúva Lamego | Créditos: DR

De momento a unidade hoteleira conta com 45 trabalhadores de, pelo menos, 13 nacionalidades, de acordo com a general manager, que indica que ainda estão a contratar para as equipas de food and drinks e da cozinha.

Hilton tem mais dez projetos assinados em Portugal

Para este ano, Joachim Hartl, Area General Manager Iberian Peninsula para a Hilton, indica que já abriram três hotéis em Portugal: o Legacy Hotel Cascais, o DUO Hotel Lisbon e o Double Tree by Hilton Lagoa Açores, que abriu portas no passado sábado, 8 de junho.

Com 101 quartos, o primeiro Double Tree nos Açores, mais concretamente na Lagoa, em Ponta Delgada, conta com um rooftop com piscina bar, restaurante e um spa. A expectativa é a de atrair o mercado dos EUA, mas também do Reino Unido, para este hotel.

“Se olharmos para o número de visitantes nos Açores, constatamos que é um destino em ascensão. É muito sustentável e um dos locais onde ainda não estávamos presentes. A ligação aérea aos Estados Unidos, Reino Unido e alguns mercados europeus é muito forte, além do mercado europeu”, refere Joachim Hartl.

Os quartos do edifício de nova construção diferem do alojamento no edifício reabilitado

Além destes três hotéis, a cadeia hoteleira tem já assinados mais dez hotéis em Portugal, de acordo com Joachim Hartl, que por enquanto não especificou de que unidades hoteleiras se tratam nem o investimento realizado nestes projetos, incluindo o do DUO Hotel Lisbon.

Referiu, no entanto, que em frente ao recém-inaugurado DUO Hotel Lisbon vai abrir um outro hotel Hilton, desta vez da marca Hampton, com 150 quarto. Espera-se que a abertura tenha lugar “no último trimestre de 2025 ou primeiro trimestre de 2026”.

Sobre a presença da Hilton em Portugal, Joachim Hartl afirma que “há espaço para crescer, mas também acreditamos que o mercado português terá potencial para nós”.

“O interesse em Portugal tem vindo a aumentar ano após ano, e para mim é o ano de redescoberta de Portugal. É definitivamente um espaço onde queremos crescer de forma orgânica, através de diferentes marcas”, termina Joachim Hartl.

Leia também: Hilton prepara abertura de três novos hotéis em Lisboa

Sobre o autorCarla Nunes

Carla Nunes

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2024 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.