Assine já
Alojamento

Administração da PHC Hotels homenageia Manuel Pinto

No momento em que cessa funções para entrar numa situação de reforma, a administração da Portuguese Hospitality Collection, homenageia Manuel Pinto, que esteve 28 anos à frente do Hotel Mundial e posteriormente PHC Hotels.

Carolina Morgado
Alojamento

Administração da PHC Hotels homenageia Manuel Pinto

No momento em que cessa funções para entrar numa situação de reforma, a administração da Portuguese Hospitality Collection, homenageia Manuel Pinto, que esteve 28 anos à frente do Hotel Mundial e posteriormente PHC Hotels.

Sobre o autor
Carolina Morgado
Artigos relacionados
Hotel Mundial celebra 60º aniversário
Alojamento
PHC Hotels já tem 80% dos colaboradores vacinados
Homepage
Há uma nova marca hoteleira em Portugal
Alojamento
50 ideias para o Turismo | A obtenção de melhores resultados, com uma simples mudança de estratégia
50 ideias para o Turismo

No momento em que cessa funções para entrar numa situação de reforma, a administração da Portuguese Hospitality Collection, homenageia Manuel Pinto, cuja carreira de 42 anos, conta com 28 dos mesmos à frente do Hotel Mundial e posteriormente PHC Hotels.

Trata-se, de acordo com nota de imprensa, do reconhecimento do exemplo de carreira de Manuel Pinto, atualmente com 72 anos de idade, e a gratidão pela dedicação a este grupo hoteleiro.

É também o reconhecimento “a esta pessoa de caráter extraordinário, que formou uma equipa de sucesso, que ao longo da sua carreira criou pontes entre os agentes do turismo, restauração e até mesmo aviação, contribuindo sempre para o desenvolvimento do sector a nível nacional”.

“É uma vida inteira dedicada à hotelaria e turismo nacional, um verdadeiro embaixador de Portugal no mundo, referência profissional reconhecida internacionalmente e uma inspiração para todos os que hoje dão os primeiros passos na hotelaria, indica ainda o comunicado, para lembrar que Manuel Pinto fecha no final deste mês este ciclo de liderança dos destinos desta marca.

Os administradores da PHC Hotels, consideram que “reconhecido pela sua proatividade, estratégia comercial e de gestão, o diretor Manuel Pinto deixa nas nossas unidades a marca de uma pessoa visionária, que sempre pensou o futuro e o anteviu através dos factos e da sua própria experiência, adaptando-o e alterando-o tantas vezes quantas foram necessárias para responder àquilo que sempre foi o foco do seu trabalho: as necessidades dos clientes”.

Carla Maximino e Mário Maximino, citados na nota de imprensa acrescentam que “foi um privilégio tê-lo como diretor, partilhar o seu dia-a-dia, os altos e baixos deste negócio com que sempre lidou com o mesmo entusiasmo e determinação desde o primeiro dia”.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Artigos relacionados
Alojamento

Eurostars abre este ano nono hotel em Lisboa num investimento de 19M€

Com um investimento de 19 milhões de euros, a Eurostars Hotel Company, cadeia hoteleira do Grupo Hotusa, vai abrir, ainda este ano, a sua nona unidade em Lisboa e a 24.ª em Portugal, segundo país dos 18 no mundo onde o grupo de origem espanhola tem vindo a expandir mais rapidamente. Trata-se do quatro estrelas Eurostars Lisboa Baixa.

Apesar de estar mais concentrado em Lisboa e no Porto, mas um pouco espalhado pelo território nacional, o grupo hoteleiro tem outros projetos na calha em Portugal, designadamente, um hotel em Fátima, junto ao santuário, cujas obras deverão iniciar em 2023, está a olhar para outras oportunidades em cidades com património no país e com vontade de chegar às regiões autónomas, principalmente aos Açores, destino que se identifica com o conceito da cadeia.

Estas explicações foram dadas aos jornalistas que visitaram, esta sexta-feira, as obras finais do que vai ser o quatro estrelas Eurostars Lisboa Baixa, por Luís Cruz, diretor executivo da organização em Portugal.

Trazer a cidade de Lisboa, e mais propriamente a Baixa, para dentro do hotel, foi o conceito desenvolvido para este quatro estrelas que já está em fase final de pré-inauguração, conforme explicou aos jornalistas, Loli Moroño, diretora criativa do estúdio de design de interiores responsável pelo projeto, que juntamente com o arquiteto do projeto, Cristian Naudin, e Luís Cruz, conduziu a visita aos jornalistas. O elétrico, a calçada portuguesa, o azulejo pintado à mão e o artesanato português são os elementos-chave desta nova unidade hoteleira.

O Eurostars Lisboa Baixa localiza-se na Rua da Prata, num edifício clássico que ainda conserva a sua fachada original de estilo Pombalino. Durante a sua remodelação, realizada por ateliês especializados tanto em arquitetura (TYPSA) como em design de interiores (PF1 Interiorismo Contract), todos os pormenores foram pensados até ao último detalhe e trabalhados com total respeito pelos elementos originais da estrutura, garantiram os dois responsáveis pelo projeto.

Este hotel boutique, “com alma portuguesa e vocação universal”, conforme foi revelado na ocasião, vai oferecer de 57 quartos (54 duplos, duas suites e um quarto adaptado para hóspedes com mobilidade reduzida), todos com janelas e virados para a Rua da Prata ou as traseiras de edifício, onde a tradição e a modernidade se casam. Dispõe ainda de receção, bar/cafetaria com esplanada, e zona de estar, inspirados na cidade que o acolhe e impregnados da sua essência em cada recanto.

O design interior é rico em azulejos, veludos, mosaicos e paralelos (um claro aceno para as ruas de Lisboa), bem como em fotografias que imortalizam a sua beleza nostálgica. Nos quartos predominam as madeiras e o mármore, abraçados por murais inspirados nos azulejos tradicionais locais.

Vinte e quatro hotéis em Portugal coloca o nosso país como segundo maior mercado do grupo espanhol, considerou Luís Cruz, representando mais de 10% da oferta total que a rede de hotéis dispõe. De destacar que, os 23 estabelecimentos que estão em funcionamento em Portugal, totalizam 2.471 quartos. Em Espanha, o grupo dispõe de 164 unidades hoteleiras com um total de 15.565 quartos.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Alojamento

INE: RevPAR e ADR atingem máximos históricos em agosto

Segundo o INE, o alojamento turístico registou, em agosto, proveitos totais de 797,0 milhões de euros, enquanto os proveitos por aposento somaram 639,0 milhões de euros, traduzindo subidas de 24,9% e 25,7% face a agosto de 2019.

Inês de Matos

O alojamento turístico registou, em agosto, proveitos totais no valor de 797,0 milhões de euros, enquanto os proveitos por aposento somaram 639,0 milhões de euros, valores que traduzem subidas de 24,9% e 25,7% face a igual mês de 2019, respetivamente, avança o Instituto Nacional de Estatística (INE), que indica mesmo que o RevPAR e o ADR foram os “mais elevados desde que há registo”.

“O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 102,2 euros em agosto e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 137,2 euros, os valores mais elevados desde que há registo (+41,8% e +17,8% face a agosto de 2021). Em relação a agosto de 2019, o RevPAR aumentou 21,1% e o ADR cresceu 18,1%”, indica o INE, no comunicado que acompanha os dados a atividade turística de agosto, divulgados esta sexta-feira, 14 de outubro.

Em agosto, o Algarve concentrou 38,8% dos proveitos totais e 38,4% dos relativos a aposento, seguindo-se a AM Lisboa (21,7% e 22,5%, respetivamente) e o Norte (14,0% e 14,2%, pela mesma ordem). Já os valores de RevPAR mais elevados foram registados no Algarve (151,0 euros) e AM Lisboa (107,8 euros).

O INE revela que, desde o início do ano, o RevPAR “aumentou 90,4%”, com crescimentos de 93,3% na hotelaria, 104,8% no alojamento local e 19,0% no turismo no espaço rural e de habitação.

Já os proveitos cresceram, no acumulado até agosto, 163,7% no total e 163,5% nos relativos a aposento face ao mesmo período de 2021, enquanto na comparação com 2019, “verificaram-se aumentos de 13,2% e 14,3%, respetivamente”.

O INE diz que “a evolução dos proveitos foi positiva nos três segmentos de alojamento” durante os primeiros oito meses de 2022 e revela que, face a 2019, os proveitos totais na hotelaria aumentaram 12,0% e os de aposento cresceram 13,1%, enquanto nos estabelecimentos de alojamento local registaram-se subidas de 10,2% e 11,2%, e no turismo no espaço rural e de habitação os aumentos atingiram
61,6% e 59,0%, pela mesma ordem.

Os dados divulgados esta sexta-feira, 14 de outubro, pelo INE confirmam também que, em agosto, o setor do alojamento turístico nacional registou 3,4 milhões de hóspedes e 9,9 milhões de dormidas, “os valores mensais mais elevados desde que há registo”, o que traduz aumento de 33,0% e 31,9% face a igual mês de 2021 e de 1,2% e 2,8% face a agosto de 2019.

O mercado interno contribuiu com 3,7 milhões de dormidas, o que corresponde a uma descida de 11,4% face a igual mês do ano passado, enquanto os mercados externos, cujo peso chegou aos 62,4%, totalizaram 6,2 milhões de dormidas, o que traduz um aumento de 86,9%. Face a 2019, as dormidas de residentes aumentaram 8,2% enquanto as de não residentes diminuíram 0,2%.

Já a taxa líquida de ocupação-cama (68,3%) aumentou 10,6 pontos percentuais em agosto, “ficando ligeiramente abaixo dos 68,7% observados em agosto de 2019”, acrescenta o INE.

Em agosto, houve “aumentos das dormidas em todas as regiões”, tendo o Algarve concentrado 32,2% das dormidas, seguindo-se a AM Lisboa (21,1%), o Norte (16,5%) e o Centro (11,6%). Em comparação com 2019, apenas o Algarve registou um decréscimo (-7,1%), enquanto s aumentos mais expressivos ocorreram na RA Madeira (+16,9%) e no Norte (+15,9%).

Por municípios, o INE destaca Lisboa e Albufeira como aqueles que registaram “maior representatividade no total nacional da atividade turística”, uma vez que, em conjunto, estes dois municípios “concentraram 27,1% do total de dormidas do país e 32,9% do total de dormidas de não residentes”.

“O município de Lisboa atingiu 1,5 milhões (quota de 14,9% do total). Comparando com agosto de 2019, as dormidas aumentaram 2,1% (+11,4% nos residentes e +0,6% nos não residentes). Em Albufeira, registaram-se 1,2 milhões de dormidas (peso de 12,2% do total), o que representa uma redução de 11,8% face a agosto de 2019 (-6,0% nos residentes e -14,7% nos não residentes)”, indica o INE.

Já as taxas líquidas de ocupação-cama mais elevadas registaram-se no Algarve (76,0%), RA Madeira (74,8%) e RA Açores (71,9%), enquanto os maiores acréscimos neste indicador verificaram-se na AM Lisboa e no Norte (+23,0 p.p. e +14,3 p.p., respetivamente).

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Alojamento

Spa do Corinthia Hotel Lisbon eleito o melhor de Portugal

O Spa do Corinthia Hotel Lisbon foi eleito “Portugal’s Best Hotel Spa” na oitava edição dos World Spa Awards, galardões que são entregues com base na votação de profissionais, media e consumidores de todo o mundo.

Publituris

O Spa do Corinthia Hotel Lisbon foi eleito “Portugal’s Best Hotel Spa” na oitava edição anual dos World Spa Awards, galardões que são entregues com base na votação de profissionais do setor, media e consumidores de todo o mundo.

“Estamos muito orgulhosos por termos vencido este prémio, que celebra a excelência no turismo de spa, saúde e bem-estar.  Este prémio é inspirador e vem reforçar o nosso compromisso de oferecer aos nossos clientes o melhor serviço possível e experiências para revigorar corpo, mente e espírito”, congratula-se Roderick Micallef, diretor-geral do Corinthia Hotel Lisbon.

O prémio vem reconhecer o The Spa como o melhor em Portugal, espaço que conta com 13 salas de tratamento, incluindo duas suites de casal com jacuzzi, banho turco e banheira, duas salas de tratamentos em cápsula, uma sala de tratamento para Duche Vichy, piscina interior aquecida, solário natural e um Circuito de Hidroterapia.

No Circuito de Hidroterapia, o The Spa disponibiliza Duches Sensoriais, Piscina Hidrodinâmica, Jacuzzi, Sauna, Banho Turco, Balde de Água Fria, Tanque de Água Fria, Fonte de Gelo e Pedilúvio.

O Spa do Corinthia Hotel Lisbon é ainda complementado por um Hair Spa; Gabinete de Medicina Estética – D’Abril Medicina Estética, que oferece uma vasta seleção de tratamentos para rosto e corpo; e ginásio com 200 metros quadrados, que está aberto 24 horas por dia para os hóspedes do hotel.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Tecnologia

Travelport+ oferece conteúdo simplificado e uma gama mais ampla de opções de fornecedores

O Travelport+, recentemente lançado, passa a oferecer aos agentes de viagens mais opções de reservas de voos, hotéis e carros para passageiros, com novas conexões de fornecedores, trazendo maior número de ofertas e serviços auxiliares.

Publituris

A Travelport acaba de anunciar mais conteúdo aos agentes de viagens através do Travelport+. Os novos e ampliados acordos com a Booking.com e a Hertz agora trarão mais opções de tarifas de hotéis e aluguer de veículos para os agentes que utilizam o Travelport+. As agências ligadas à Travelport também terão acesso a maiores opções de conteúdo da Air France-KLM e da Lufthansa Group NDC no final de 2022.

Com o aumento da procura por viagens, a Travelport está a garantir que os agentes de viagens tenham mais opções prontamente disponíveis para os seus clientes, fornecendo ainda mais conteúdo para garantir que todos tenham a melhor experiência possível de venda. O conteúdo da Air France-KLM NDC está a ser introduzido no Travelport+, e a empresa também iniciará o lançamento do conteúdo NDC da Lufthansa Group para agências selecionadas, em 2022, com muito mais para vir no início de 2023.

A Travelport também está a adicionar três novas companhias aéreas à plataforma – Congo Airways, FlyGTA e US-Bangla Airlines, juntamente com 11 companhias com serviços auxiliares e quatro com Branded Fares.

Por outro lado, a nova parceria com a Booking.com desbloqueia uma nova gama de tarifas em 140 mil propriedades hoteleiras acessíveis através da plataforma Travelport+ e crescerá para mais de um milhão de propriedades no início de 2023, bem como a padronizar mais conteúdo de hotéis para permitir buscas mais fáceis e maior clareza nas tarifas.

O Travelport+ agora oferece tarifas pré-pagas de aluguer de carros Hertz no âmbito de uma parceria de distribuição ampliada de conteúdo. Os agentes de viagens que usam o Travelport+ agora terão mais oportunidades de geração de receita com aluguer de veículos reservados através da plataforma e poderão oferecer uma melhor experiência ao cliente.

Igualmente, a Travelport está fortemente focada em tornar o processo de gestão de reeemissões ainda mais fácil para os agentes que utilizam a plataforma Travelport+. Nos próximos meses, os clientes que mudarem para Travelport+ terão acesso à próxima geração do Automated Exchanges da Travelport, que automatiza tarefas complexas de reemissão manual de passagens.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

“Winds of Change” marca tema do 33.º Congresso Nacional da Hotelaria e Turismo

O congresso organizado pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) decorre de 16 a 18 de novembro.

Publituris

A Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) desvendou esta terça-feira o programa do 33.º Congresso Nacional da Hotelaria e Turismo, que este ano decorre de 16 a 18 de novembro em Fátima, no Centro Pastoral Paulo VI.

Sob o tema “Winds of Change”, a associação assegura em comunicado que a edição deste ano “irá abrir com uma visão da sociedade aos dias de hoje e dos principais temas fraturantes transversais, para depois mergulhar em temas mais específicos da Hotelaria”.

“Têm sido anos de desafios e ameaças, tão inéditas quanto inesperadas – pandemia, guerra e inflação –, com consequências e impactos inegáveis no nosso setor de atividade, num calendário que está ainda por definir. Ignorar tudo o que já mudou, e ainda poderá mudar, ou agir recorrendo a lógicas e mecanismos do passado, dificilmente se constituirá como uma solução válida, ou fórmula vencedora”, defende a AHP em comunicado.

Nesse sentido, a associação declara que este é “o momento de ‘redesenhar o jogo’, enfrentando, juntos, estes ventos de mudança”. O programa completo do congresso, que aborda temas como a sustentabilidade, a captação de recursos humanos e as tendências e desafios do wellbeing para a indústria hoteleira, pode ser consultado aqui.

As inscrições para o Congresso encontram-se abertas até 11 de novembro. Para lá dos associados da AHP, também os associados da ADHP e da ACISO – Associação Empresarial de Ourém têm condições especiais de inscrição. Conheça as condições e inscreva-se no website do congresso.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

TripWonder estreia-se em Lisboa

A nova plataforma online que quer revolucionar a forma como viajamos, TripWonder, acaba de chegar a Lisboa.

Publituris

Com uma aposta em itinerários personalizados e na experiência e conhecimentos de pessoas locais, a TripWonder, que se estreia em Lisboa, quer mudar a forma como se viaja e como se experiência cada destino.

A nova plataforma promete, assim, mostrar os lugares mais escondidos de uma cidade, pouco turísticos que merecem mesmo a pena visitar, as melhores atrações para quem quer fugir das enchentes de turistas, ou que restaurantes recomendam os locais.

Para tal, isso, a startup portuguesa conta com uma plataforma com dezenas de “Locals” (pessoas locais) que a ajudam a garantir uma experiência totalmente personalizada e genuína, mesmo antes da chegada ao destino. No site da Tripwonder os “Travelers” poderão encomendar itinerários com base numa vasta seleção de interesses escolhidos por si previamente. Com essa informação os Locais registados na plataforma preparam as recomendações perfeitas com os conhecimentos de quem melhor conhece o destino.

Numa primeira fase, a startup decidiu apostar na cidade de Lisboa para lançar a sua nova plataforma online e conta já com mais de 26 lisboetas dispostos a desvendar todos os segredos da cidade.

Para quem está a pensar visitar a capital portuguesa, basta entrar no site da TripWonder, preencher o formulário com as informações necessárias, incluindo o destino, duração da viagem, categorias de interesse e orçamento, e a seguir é só selecionar um “Local” para desenhar o itinerário perfeito para a sua estadia.

A plataforma oferece ainda uma opção de criação de itinerários urgentes para pedidos de última hora que garantem um roteiro personalizado em apenas 24h.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Glion
Emprego e Formação

Glion Institute of Higher Education nomeia novos profissionais

A escola de hospitalidade e gestão de luxo com campus na Suíça e em Londres passa a contar com novos docentes no início deste ano letivo.

Publituris

O Glion Institute of Higher Education, uma escola especializada em hospitalidade e gestão de luxo com campus na Suíça e Londres, anunciou novas nomeações de docentes no início do ano académico 2022/23.

Nesse sentido, Mariam Megally é agora a nova diretora do programa da Glion’s Master’s in Hospitality, Entrepreneurship and Innovation. Sediada na Suíça, Mariam traz para o mestrado “uma vasta experiência empresarial internacional centrada nas competências empresariais”, como indicado em comunicado. Iniciou a carreira como consultora na McKinsey & Co antes de entrar no setor empresarial de alimentos e bebidas na Starbucks e Nestlé, um percurso que culminou com as funções de diretora de Inovação Estratégica Global da Starbucks para a Nestlé.

Desde 2012, Mariam tem trabalhado como professora de Estratégia para o MBA Executivo na Solvay Brussels School, no Vietname. É também juíza e mentora do acelerador Global Mass Challenge, onde fornece mentoria para as empresas em fase de arranque em matéria de alimentação e sustentabilidade.

A partir de 1 de outubro, a equipa da Glion passou também a contar com Eleonora Cattaneo como diretora no Master’s in Luxury Management and Guest Experience. Anteriormente, a profissional lecionava a cadeira de Building Brand Equity no mesmo mestrado. Com um doutoramento em Marketing pela Universidade de Pavia em Itália, um MBA pela SDA Bocconi, e um BA pela Universidade de Bristol, Eleonora Cattaneo centra a sua investigação em rebranding, marca de património e comportamento de compra sustentável no campo do luxo.

Antes de entrar na Glion, esta profissional foi diretora de educação executiva na Swiss Education Group. Foi também chefe de programa do mestrado em Gestão de Marcas de Luxo na Regent’s University e membro do corpo docente da SDA Bocconi em Milão, onde concebeu e dirigiu programas de educação executiva e MBA.

Novos cargos de direção estendem-se à Glion Londres

Entretanto, Debra Adams assume o cargo de diretora do programa Master’s in Real Estate, Finance and Development, com sede no campus da Glion em Londres.

Anteriormente, ocupou cargos em várias escolas de hotelaria no Reino Unido e na Suíça, sendo especialista em formações de finanças hoteleiras dirigidas a profissionais de finanças e chefes de departamento operacionais em hotéis, restaurantes e instalações de lazer. Debra é também administradora e membro do Conselho Nacional de Supervisão do Instituto de Hotelaria e Restauração.

Por fim, Nicholas Northam também se junta à Glion London para lecionar a cadeira de Global Real Estate Markets no mestrado em Imobiliário, Finanças e Desenvolvimento. Durante a sua carreira de 40 anos no ramo da hotelaria, Nicholas foi diretor-geral de vários hotéis Marriott e foi diretor de operações da Marriott no Reino Unido. Além disso, passou mais de uma década na gestão de ativos, mais recentemente como vice-presidente executivo da Interstate Hotels and Resorts, a maior empresa de gestão da Europa e o braço internacional da Aimbridge Hospitality.

“Cada uma destas nomeações é estrategicamente significativa para a Glion ao iniciarmos o novo ano académico”, afirma em comunicado Michel Philippart, diretor-executivo do Glion Institute of Higher Education.

“Tenho o prazer de receber [estes profissionais] em apoio ao crescente interesse pelos nossos mestrados, não só em hospitalidade, mas também em campos adjacentes, tais como o imobiliário, experiência de hóspedes de luxo, e empreendedorismo, que constituem agora quase metade dos percursos de carreira prosseguidos pelos nossos estudantes”, termina.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Antigo Hotel de Turismo da Guarda sai do Programa REVIVE

O Governo decidiu desafetar o antigo Hotel de Turismo da Guarda do Programa REVIVE, por o mercado não ter respondido às ofertas públicas e porque “urge recorrer a soluções alternativas”.

Publituris

Um despacho do Governo publicado esta terça-feira determina “a desafetação do Programa REVIVE do imóvel do domínio privado do Instituto do Turismo de Portugal, I. P., denominado Hotel Turismo da Guarda, sito na cidade da Guarda”.

A decisão, segundo o texto publicado em Diário da República deste terça-feira, o Executivo justifica a decisão, referindo que “urge recorrer a soluções alternativas que permitam estancar a degradação contínua do imóvel e promover o respetivo aproveitamento económico, em benefício do Estado e da economia nacional”.

Refira-se que o Programa REVIVE foi lançado com o objetivo de promover a requalificação e o subsequente aproveitamento turístico de um conjunto de imóveis do Estado com valor arquitetónico, patrimonial, histórico e cultural, que se encontravam degradados.

É neste quadro que o antigo Hotel Turismo da Guarda foi afeto ao programa. No entanto, após várias tentativas e esforços desenvolvidos, o mercado não respondeu às sucessivas ofertas públicas para a exploração privada do imóvel.

O edifício foi vendido em 2010, pela Câmara Municipal, então liderada Joaquim Valente, ao Turismo de Portugal, por 3,5 milhões de euros, para ser recuperado e transformado em hotel de charme com escola de hotelaria, mas o projeto não saiu do papel e o imóvel mantém-se de portas fechadas e a degradar-se.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Assembleia Municipal do Porto aprova suspender registos de AL no centro histórico e Bonfim

Aprovada a 7 de outubro pelo executivo da Câmara do Porto, a proposta de suspensão de novos registos de Alojamento Local (AL) nas freguesias do centro histórico e do Bonfim, entra em vigor esta terça-feira, 11 de outubro, e vigorará por um período de seis meses.

Publituris

A Assembleia Municipal do Porto aprovou esta terça-feira, 11 de outubro, a suspensão de novos registos de Alojamento Local (AL) nas freguesias do centro histórico e do Bonfim, com a oposição a considerar que a decisão “peca por tardia”.

A suspensão de novos registos de Alojamento Local nas duas freguesias foi aprovada com os votos favoráveis do movimento independente “Aqui Há Porto”, PS, BE, PAN e CDU, e com a abstenção do PSD, Chega e de três deputados do movimento independente.

Pelo PSD, o eleito Rodrigo Passos disse “não ser possível votar favoravelmente” a suspensão de uma atividade que “tantos benefícios trouxe à cidade”.

Considerando que a suspensão de novos registos é “um penso pequeno para uma grande ferida”, o social-democrata lembrou que foi o Alojamento Local que permitiu “reabilitar locais que jamais seriam reabilitados” na cidade.

“Num momento como este, em que vemos uma inflação galopante, partirmos para a suspensão de novos licenciamentos levanta diversos perigos”, destacou Rodrigo Passos, apelando ao executivo para que seja célere na apresentação do esboço do regulamento e considerando que “este desafio não se resolverá com medidas avulsas”.

Também o eleito pelo PS, Rui Lage, destacou que o AL foi “uma força motriz importantíssima” para a reabilitação dos centros históricos das cidades, em particular, do Porto, lembrando que em muitos momentos este foi “uma tábua de salvação” para muitas famílias.

Destacando que teria sido “conveniente e útil” que o setor tivesse sido regulado mais cedo, o socialista saudou, no entanto, a “sensatez” do executivo e apelou, à semelhança do PSD, à rápida concretização do documento.

“A notícia do advento do regulamento do AL é boa. Aguardamos a proposta e não falharemos em dar o nosso contributo”, adiantou Rui Lage.

Já a eleita do BE, Susana Constante Pereira, congratulou-se com a “mudança de rumo do executivo”, ainda que lamentando que a suspensão “peque por tardia”.

“O momento é tardio face à crise que já se vive na cidade”, defendeu Susana Constante Pereira, dizendo serem necessárias “medidas ativas”.

“Não só o executivo deve assumir o compromisso de acompanhar a suspensão com um regulamento robusto, como políticas públicas que recuperem o edificado habitacional”, acrescentou.

Também o deputado único do PAN, Paulo Vieira de Castro, salientou a necessidade de regular o AL na cidade, considerando, no entanto, que se “impõe cautela e salvaguarda do interesse público”.

“A regulação em falta pode vir a trazer harmonia para o futuro”, referiu.

Pela CDU, o eleito Rui Sá destacou que o turismo foi e é “um aspeto positivo para a cidade”, mas que “muitas vezes a diferença entre o remédio e o veneno está na dose”.

“O AL traduziu-se na cidade do Porto em problemas que todos estamos a sentir”, referiu, lembrando que apesar dos apelos feitos em 2018, a câmara “escolheu a opção ideológica de que o mercado se autorregulava”.

“A Câmara já deveria ter feito o seu trabalho de casa e ter o regulamento”, defendeu, apelando, no entanto, para que o documento seja posto à consideração do executivo “o mais rápido possível”.

Por sua vez, o eleito pelo movimento independente “Aqui Há Porto”, José Maria Montenegro, destacou o investimento feito pelos proprietários de AL na cidade do Porto, dizendo que a suspensão não representa “um ataque ou desrespeito” pelos proprietários.

“Não é desrespeito por esse investimento. Não há nenhuma suspensão da atividade, quem lá está, continua”, disse.

José Maria Montenegro rejeitou ainda que o regulamento do AL tenha por base “preconceitos” ou “diretórios ideológicos”.

A suspensão da autorização de novos registos de estabelecimentos de alojamento local na União de Freguesias de Cedofeita, St. Ildefonso, Sé, Miragaia, S. Nicolau, Vitória e na Freguesia do Bonfim tem “efeitos imediatos”, entrando em vigor nesta terça-feira.

A suspensão vigorará por um período de seis meses, “prorrogável por igual período, ou, em alternativa, se esta ocorrer primeiro, até à entrada em vigor do regulamento”.

A proposta de suspensão foi aprovada a 7 de outubro pelo executivo da Câmara do Porto com os votos favoráveis dos vereadores do movimento independente de Rui Moreira, do PS, BE e CDU e com a abstenção do PSD.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Há 10 hotéis portugueses entre os nomeados aos Prémios de Excelência Condé Nast Johansens 2023

Os hotéis portugueses estão nomeados em várias categorias destes galardões de referência para o setor da hotelaria europeia, que vão ser entregues a 7 de novembro, no hotel Kimpton Fitzroy London, na capital  britânica.

Publituris

Portugal conta com 10 hotéis entre os nomeados para os Prémios de Excelência Condé Nast Johansens 2023, galardões de referência para o setor da hotelaria, que vão ser entregues a 7 de novembro, no hotel Kimpton Fitzroy London, na capital  britânica.

Os hotéis portugueses estão nomeados para os Prémios de Excelência da Europa e Zona do Mediterrâneo e concorrem nas categorias de ‘Best for Romance’, ‘Best Small & Exclusive Property’, ‘Best Dining Experience’, ‘Best Waterside Hotel (Riverside, Lakeside, Seaside)’, ‘Best Countryside Hotel’, ‘Best Breakfast’, ‘Best for Weddings, Parties & Celebrations’, e ‘Best for Meetings and Conferences’.

Solar do Castelo – A Lisbon Heritage Collection (Best Romance); Verride Palácio de Santa Catarina (Best Small & Exclusive Property); The Albatroz Hotel (Best Dining Experience); Domes Lake Algarve (Best Waterside Hotel); Terra Nostra Garden Hotel (Best Countryside Hotel); Santiago de Alfama – Boutique Hotel e Quinta Jardins do Lago (Best Breakfast); Torre de Gomariz Wine & Spa Hotel (Best Weddings, Parties & Celebrations); e Palácio Estoril Hotel Golf & Wellness e The Lodge (Best for Meetings & Conferences) são os hotéis portugueses nomeados.

As votações para escolher os melhores hotéis da Europa e Mediterrâneo estão abertas até 24 de outubro e estão disponíveis aqui.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.