Assine já
Alojamento

Resorts valorizam e aumentam vendas em 30% no 1.º semestre de 2021

Resorts reforçam trajetória de valorização com expectativas positivas sobre evolução de preço e vendas.

Publituris
Alojamento

Resorts valorizam e aumentam vendas em 30% no 1.º semestre de 2021

Resorts reforçam trajetória de valorização com expectativas positivas sobre evolução de preço e vendas.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Dom Pedro Hotels e Keith Cousins compram Oceânico Golf
Alojamento
Algarve
Alojamento do Algarve de ‘vento em pôpa’ com volume de vendas a crescer 13,2%
Homepage
Alojamento do Algarve mantém tendência de crescimento em Novembro
Homepage
Ocupação no Algarve cresceu 6,6% em 2016
Homepage

Com o mercado de resorts em Portugal muito exposto à procura britânica, o processo do “Brexit” fez com que os preços passassem de uma valorização de 11% para uma queda de 10%, queda essa reforçada pela chegada da pandemia, colocando novo travão nos preços, agravando a contração homóloga para 13% no 1.º semestre de 2020, indica o Índice de Preços de Resorts (SIR-Resorts), criado pela Confidencial Imobiliário em parceria com a Associação Portuguesa de Resorts (APR)e com o apoio do Turismo de Portugal.

Já na segunda metade do ano passado, o mesmo índice mostra que este mercado voltou a valorizar, registando-se uma subida homóloga de 5,3%, entretanto confirmada, também, no 1.º semestre deste ano de 2021.

No que toca a esta nova valorização, o inquérito de confiança Resort Market Survey mostra que “as expetativas combinadas quanto à evolução dos preços e das vendas atingiu neste semestre os 46 pontos percentuais (pp, calculados via saldo de respostas extremas), em forte recuperação face aos 21 pp registados no período anterior e apenas superado pelos 55 pp registados há três anos, em 2018”, refere o comunicado da APR.

Britânicos perdem expressão nas aquisições
Certo parece ser também o facto de esta valorização ter “animado os operadores ativos neste mercado, cujos níveis de confiança não só regressaram a patamares pré-Covid como estão mesmo nivelados com os momentos em que o Brexit levantou menor incerteza, diz ainda a APR.

Segundo Pedro Fontaínhas, diretor-executivo da Associação Portuguesa de Resorts, “o mercado parece ter ganho confiança e acreditar na possibilidade de valorização. O mesmo se passa quanto à evolução das vendas, cujas expectativas estão agora em níveis bastante robustos, quando há um ano imperava o sentimento de que os preços iriam descer e a confiança de que as vendas iam crescer era bastante ténue”.

Certa parece ser, igualmente, a menor expressão dos compradores oriundos do Reino Unido que, apesar de se manterem como principal fonte de procura internacional para os resorts no eixo Albufeira-Loulé, com uma quota de 44% das aquisições por estrangeiros no 1.º semestre do ano, está longe dos 56% do semestre anterior.

De acordo com o relatório da APR observou-se ainda uma diluição da quota por um maior número de nacionalidades ativas na compra deste tipo de habitação na referida localização. Assim, em vez das 9 nacionalidades do 2.º semestre de 2020, nos primeiros seis meses deste ano, esse número subiu para 11, evidenciando a entrada de compradores russos no mercado, que passaram a agregar 4% das vendas internacionais.

Por outro lado, verificou-se um maior dinamismo de mercados já presentes, como o mercado francês, que passou de uma quota de 2% para 8% das compras pelos estrangeiros, e o mercado dos Países Baixos, de 10% para 15%.

Vendas aumentam 30%
No primeiro semestre de 2021, as vendas de habitação em resort aumentaram mais de 30% face ao semestre anterior no total do mercado nacional, indica o relatório da APR, evidenciando, ainda, uma tendência que foi “transversal a todas as regiões, mas que foi especialmente sentida no eixo de Albufeira-Loulé”, mercado que agregou 45% das transações registadas no SIR-Resorts. O preço médio de venda deste tipo de habitação atingiu os 3.928€/m2, superando os 4.450€/m2 no já referido eixo Albufeira-Loulé.

João Richard Costa, diretor comercial e de marketing do Ombria Resort, no Barrocal Algarvio, admite que “os principais fatores de sucesso das vendas têm sido a nossa localização no interior do Algarve e a aposta na criação de um empreendimento cujo foco é a sustentabilidade e a proteção do meio ambiente. Talvez em parte devido à pandemia, temos constatado uma crescente procura por imóveis com grandes áreas e fácil acesso a espaços verdes ou com uma estreita ligação à natureza que os rodeia, que é o caso no Ombria Resort.”

O mesmo diz Pedro Rebelo Pinto, de West Cliffs, na Costa de Prata, que afirma notar-se “alguma pressão da procura por parte de clientes do Norte da Europa, sobretudo por produto acabado, pronto a habitar ou a desfrutar em parte do ano”.

Já Cristina Santos, da Engel & Völkers de Albufeira, diz que “o Algarve mantem uma procura positiva, embora, devido aos constrangimentos das viagens, verificou-se uma desaceleração o que contribuiu para uma estabilidade nos preços de mercado”. A responsável salienta, contudo, que devido, “ao progressivo levantamento das restrições e mantendo-se a procura pelo Algarve os preços tenderão a apresentar uma ligeira subida”.

Já na zona da Comporta, e segundo Isabel Duarte, da Herdade da Comporta – Atividades Agro Silvícolas e Turísticas, S.A., “os períodos de confinamento motivaram uma procura pelos destinos rurais e com pouca densidade populacional e de construção, onde as pessoas se sentem mais seguras e livres.

O diretor-executivo da APR reforça ainda que “a expetativa até ao final do ano é muito positiva, o que apenas confirma a qualidade da oferta e a abundância da procura neste segmento do imobiliário residencial.”

Eixo Albufeira-Loulé sustenta oferta com preços mais altos
A habitação em resort apresentou, no 1.º semestre de 2021, um valor médio de oferta de 4.442€/m2, atingindo os 8.058€/m2 na gama mais elevada do mercado. Tais valores refletem, sobretudo, o nível de preços no principal mercado de resorts, nomeadamente o eixo Albufeira-Loulé, onde se regista um valor médio de 5.266€/m2, que atinge os 9.274€/m2 na gama alta.

Em termos médios, no 1.º semestre, nesta região o valor pedido fica 30% a 60% acima da oferta registada em qualquer um dos outros três destinos de resorts delimitados no SIR-Resorts. O maior contraste (+58%) é com a região do Barlavento do Algarve. O menor diferencial é observado face à Costa Atlântica, onde os valores médios atingiram os 4.093€/m2 nos primeiros seis meses do ano.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Alojamento

Taxa de ocupação de novembro no Algarve sobe 225% face a 2020

Embora ainda se mantenha longe dos números de 2019, a taxa de ocupação global média/quarto no Algarve, subiu subiu 225% face a 2020.

Publituris

De acordo com os dados avançados pela Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), o mês de novembro registou um crescimento de 225% na taxa de ocupação global média/quarto, face a igual período de 2020, situando-se nos 41,3%, menos 5,8% que em igual período pré-pandémico de 2019.

Os números apurados indicam que o mercado nacional aumentou 6,8% e o externo diminuiu 13,3%, face a novembro de 2019.

Já em termos acumulados, desde o início do ano de 2021, a ocupação quarto regista uma descida média de 47,1% e o volume de vendas uma descida de 40,1% face ao mesmo período de 2019.

Por zonas geográficas, face a novembro de 2019, as maiores descidas verificaram-se em Monte Gordo / Vila Real de Santo António (-57,4%), Albufeira (-23%), e Carvoeiro / Armação de Pêra (-16,3%).

O volume de vendas aumentou 1,3% face a novembro de 2019 e 248% face ao mesmo mês de 2020, com 28,5% das vendas, em novembro deste ano, a serem efetuadas através de operadores turísticos tradicionais, valor que compara com os 43,7% de 2019.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

AHP revê Contrato Coletivo de Trabalho e anuncia acordo “justo e equilibrado” com sindicatos

Associação da Hotelaria de Portugal considera que o novo acordo, negociado com os sindicatos que representam os trabalhadores do setor, está “mais adaptado aos novos tempos e necessidades”.

Publituris

A Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) e a Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores de Serviços, Comércio, Restauração e Turismo (SITESE/FETESE) assinaram um novo Contrato Coletivo de Trabalho que, segundo a associação, resulta de “um longo período de negociações” e que representa “uma revisão total do que se encontrava em vigor desde julho de 2008”.

De acordo com Cristina Siza Vieira, vice-presidente executiva da AHP e responsável pela negociação, trata-se de um “acordo justo e equilibrado, mais adaptado aos novos tempos e necessidades, quer das empresas quer dos colaboradores”, que representa uma grande vitória para o setor.

Esta é uma grande vitória para todos. O anterior Contrato Coletivo de Trabalho estava claramente obsoleto e quer a AHP quer o Sindicato que representa os trabalhadores do setor o sentiam.  Ao cabo de longas, exigentes, árduas, mas profícuas negociações para a sua revisão profunda, creio que conseguimos encontrar neste novo CCT o equilíbrio entre a indispensável maior flexibilidade que a gestão impunha na organização dos termos e tempos de trabalho e a valorização das profissões turísticas”, considera a responsável.

O novo Contrato Coletivo de Trabalho entra em vigor a 1 de janeiro de 2022 e, segundo Raul Martins, presidente da AHP, que também se mostra satisfeito com o acordo, “representa um aumento de custos importante para a exploração hoteleira, mas permite a flexibilidade necessária à atividade e condições de trabalho dignas”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Hotel Eurostars Aliados inaugurado

O Hotel Eurostars Aliados, unidade de 5 estrelas na cidade do Porto, que abriu portas no passado mês de maio, acaba de ser inaugurado oficialmente.

Publituris

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, e o presidente do Grupo Hotusa, Amancio López Seijas acabam de inaugurar oficialmente o Hotel Eurostars Aliados, unidade de 5 estrelas na Invicta, que abriu portas no passado mês de maio.

Situado na Avenida dos Aliados, o hotel oferece 149 quartos em instalações tematizadas em torno de quatro dos principais atrativos da cidade: a arquitetura, as suas pontes, o rio e o vinho.

Trata-se do primeiro hotel de 5 estrelas da Eurostars Hotel Company, área hoteleira do Grupo Hotusa, na cidade do Porto. História e vanguarda estão juntos neste luxuoso estabelecimento construído num edifício modernista que brilha em perfeita consonância com o estilo que caracteriza o centro da cidade.

A unidade hoteleira dispõe ainda de uma ampla oferta de serviços, entre os quais se destaca o seu restaurante, com uma seleção de pratos tanto da tradição local como da culinária de vanguarda, um ginásio totalmente equipado, moderna e completa zona de Spa dotada de sauna, banho turco, fonte de gelo, duche de sensações, sala de massagens e vitality Pool, bem como quatro salões concebidos para a organização de eventos e celebrações tanto de índole profissional como pessoal.

Na ocasião, o presidente do Grupo Hotusa reforçou a importância de Portugal, que é, depois de Espanha, o mercado com maior implantação da Eurostars Hotel Company. A companhia administra atualmente um total de 21 estabelecimentos e aproximadamente 2000 quartos.

Além do Eurostars Aliados, de 5 estrelas, a área hoteleira do Grupo Hotusa já explora na cidade do Porto um total de sete estabelecimentos: o Eurostars Das Artes, o Eurostars Porto, o Eurostars Heroismo, o Eurostars Porto Douro, o Eurostars Porto Centro, o Exe Almada Portoe e o Eurostars Matosinhos, todos de 4 estrelas.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Penina Hotel & Golf Resort é ouro na área dos incentivos

Na edição de 2021 dos World Mice Award, que decorreram domingo, o Penina Hotel & Golf Resort foi reconhecido como o melhor hotel em Portugal na área dos incentivos.

Publituris

O Penina Hotel & Golf Resort, no Algarve, foi distinguido com o prémio de melhor hotel no país na área dos incentivos, na edição de 2021 dos World Mice Awards. 

Trata-se de um evento anual que se destina a premiar, celebrar e reconhecer a excelência na área de MICE (reuniões, incentivos, conferências e exposições), e que visa contribuir para o crescimento, inovação e melhores práticas numa escala global neste segmento específico. 

A unidade de 5 estrelas foi reconhecida pelas suas caraterísticas e beleza, mas também pela capacidade de garantir a qualidade dos incentivos ir mais além e proporcionar a realização de eventos originais em espaços diferentes como é o caso dos eventos na praia, clínicas de golfe, cooking classes entre outros. 

O diretor Regional de Vendas da JJW Portugal, Pedro García e Costa, realçou o grande crescimento que o hotel tem sentido no segmento de incentivos “com as empresas a mostrarem a necessidade de fazer eventos diferentes, juntando equipas que estiveram a trabalhar de casa durante os meses da pandemia” 

O responsável disse ainda que a unidade algarvia já fez alguns eventos neste último trimestre e tem um primeiro semestre que já mostra sinais de retoma, com volume de reservas, neste segmento, a ficar muito próximo do de 2019. 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Revive: Consórcio AGNT ganha concessão da Casa do Outeiro

O consórcio AGNT ganhou a concessão para a reabilitação e exploração turística da Casa do Outeiro, em Paredes de Coura, cujo contrato foi assinado na semana passada.   

Publituris

O consórcio AGNT – Gestão e Mediação, Lda. – ganhou a concessão, válida por um período de 50 anos, para a reabilitação e exploração turística da Casa do Outeiro, em Paredes de Coura, distrito de Viana do Castelo, cujo contrato foi assinado na semana passada.   

A cerimónia contou com a presença da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, do presidente da Câmara de Paredes de Coura, Vítor Paulo Pereira, e do representante do consórcio vencedor, Marcelo Murta. 

O investidor privado prevê aplicar cerca de três milhões de euros num espaço que inclui alojamento e componente cultural, com início de exploração previsto para 2023. O concessionário obriga-se, ainda, a pagar ao Estado uma renda anual de 19.801 euros pela concessão. 

O projeto é para construir no local uma pousada diferente de todas as outras. “Nós temos referido uma pousada rural de alto padrão, mas que não se limite somente ao alojamento. Queremos que tenha também uma dinamização do espaço envolvente. Queremos ser um espaço que seja próximo à agenda cultural do concelho”, disse Marcelo Murta, representante do consórcio, que justificou o interesse na Casa do Outeiro com a proximidade a Espanha, ao Caminho de Santiago de Compostela e ao Parque Nacional da Peneda-Gerês.  

Este solar, enquadrado em meio rural, em Agualonga, é uma construção de tipologia seiscentista, ladeada de capela, e que combina modelos de raízes erudita e popular, em que sobressaem os cunhais, cimalhas, molduras e ornamentos em granito. 

Apresentando um amplo corpo de construção de diferentes épocas, a sua arquitetura vagueia pelo maneirismo, pelo barroco, e numa fase mais tardia, pelas linhas simples e direitas de finais do século XIX. 

Revive em velocidade de cruzeiro

O Programa Revive foi lançado em 2016/2017 com 33 imóveis, tendo sido integrados 16 novos imóveis numa segunda fase do programa em 2019 e, em junho de 2021, foram integrados dois novos imóveis de um terceiro lote que deverá ser totalmente anunciado em breve. 

De acordo com comunicação do Turismo de Portugal, até ao momento foram lançados concursos para a concessão de 24 imóveis no Revive, tendo sido adjudicadas 20 concessões, que representam um investimento total estimado em cerca de 149,5 milhões de euros e rendas anuais na ordem dos 2,5 milhões de euros. 

Dois dos imóveis concessionados estão já recuperados e em exploração como unidades hoteleiras (Convento de S. Paulo, em Elvas e Coudelaria de Alter, em Alter do Chão), encontrando-se vários outros projetos em processo de licenciamento ou execução de obra. 

Atualmente, está a decorrer o concurso para concessão do Hotel Turismo da Guarda, prevendo-se que seja relançado em breve o concurso para concessão do Colégio de S. Fiel, em Castelo Branco, e lançados novos concursos para concessão dos Fortes de S. João da Cadaveira e de S. Pedro, em Cascais. 

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, citada pelo comunicado, salienta que “estes números são evidências bem claras, não só do grande interesse por parte dos privados na recuperação e valorização destes imóveis localizados em espaços únicos que dispõem de um elevado potencial de atração turística, mas também da confiança dos agentes na estratégia que estamos a seguir, bem como no futuro do setor, crucial para o desenvolvimento económico e social do país”. 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Pestana Tânger City Centre já abriu portas

Já está a funcionar o Pestana Tânger Center Hotel Suites & Apartments, a segunda unidade hoteleira do grupo português em Marrocos.

Publituris

O Pestana Tânger Center Hotel Suites & Apartments, a segunda unidade hoteleira do grupo português em Marrocos, já abriu portas, adicionando 120 suites e apartamentos à oferta do reabilitado centro daquela cidade marroquina. 

O novo hotel está vocacionado para estadas de lazer e negócios, com particular enfoque numa componente corporate, coincidindo com a estratégia do Grupo Pestana na unidade de Casablanca. 

“Marrocos tem sabido fazer o seu caminho no crescimento e volume de turismo, mantendo a autenticidade e Tânger é hoje um destino de grande potencial onde a marca Pestana passa a estar presente, conjugando o melhor da hospitalidade e tradição portuguesas e marroquinas”, afirmou José Roquette, Chief Development Officer do Pestana Hotel Group, para acrescentar que “estamos certos que o novo Pestana Tanger City Centre será um sucesso, participando da qualificação da oferta hoteleira da cidade.”

Com tarifas a partir dos 82 euros, o Pestana Tânger City Center Hotel Suites & Apartments é a nova aposta do maior grupo hoteleiro português, em linha com o dinamismo vivido no país. O desenvolvimento do turismo e dos negócios tem permitido a criação de infraestruturas de grande relevância para Tânger, vizinhas desta unidade do Pestana Hotel Group. Entre estas, o TGV que liga a Rabat e Casablanca, e cuja estação está a dois passos do hotel, e a Tanja Marina Bay. Nas imediações, existem infraestruturas para prática de desportos náuticos, passeios de barco, circuitos culturais guiados e prática de golfe.   

Marrocos tem sabido fazer o seu caminho no crescimento e volume de turismo, mantendo a autenticidade. Tânger é hoje um destino de grande potencial onde a marca Pestana passa a estar presente, conjugando o melhor da hospitalidade e tradição portuguesas e marroquinas. “, afirma José Roquette, Chief Development Officer do Pestana Hotel Group. “Estamos certos que o novo Pestana Tanger City Centre será um sucesso, participando da qualificação da oferta hoteleira da cidade.” 

O hotel, que pontua pelas suas suítes, oferece 90 apartamentos T1 e outros 30 com dois quartos (T2) e capacidade até quatro pessoas. Disponibiliza ainda wi-fi gratuito, sala com espaço de refeições e zona de lazer ou de trabalho, e kitchenette equipada, incluindo máquina de lavar roupa. Para encontros de negócios, conta com uma sala de reuniões e com um parque de estacionamento com vigilância e capacidade para 86 viaturas. A oferta de serviços do Pestana Hotel Group estende-se ao novo restaurante-bar, especializado em carnes. 

Refira-se que o destino acelera a sua conversão em cidade turística mediterrânica onde tanto se permitem idas às compras nos tradicionais Souks como no moderno Tanger City Mall, vizinho do novo hotel do grupo Pestana e dotado de cinema, lojas internacionais e outras estruturas em 30 mil metros quadrados inseridos numa nova centralidade com centro de negócios e residências de luxo. 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Grupo Hotusa fecha 2021 com 21 hotéis em Portugal (c/ galeria de imagens)

Depois destas duas inaugurações oficiais, o grupo Hotusa fecha 2021 com oito unidades em Lisboa, num total de 21 hotéis em Portugal.

Victor Jorge

O grupo espanhol Hotusa inaugurou oficialmente duas novas unidades em Lisboa, mais concretamente, no Parque das Nações. Trata-se do Eurostars Universal Lisboa 5* e Ikonik Lisboa 3*, com 189 e 230 quartos, respetivamente, terminado o grupo o ano de 2021 com 21 unidades no nosso país, constituindo Portugal, depois de Espanha o mercado com maior presença da área hoteleira do grupo.

A cerimónia inaugural dos dois hotéis contou com a presença do ministro de Estado, Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira, do vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Filipe Anacoreta Correia, e da Embaixadora de Espanha em Portugal, Marta Betanzos.

O presidente do grupo Hotusa, Amancio López Seijas, salientou os oito hotéis que o grupo possui na capital portuguesa e as 21 unidade no país, deixando a certeza que “não pretendemos ficar por aqui”.

Desenhado para “mimar os sentidos do privilegiado hóspede”, o Eurostars Universal Lisboa 5* oferece um completo leque de serviços, destacando-se na sua estrutura uma piscina na cobertura do edifício, uma ampla área de SPA e ginásio, um restaurante e três andares de estacionamento.

O Eurostars Universal Lisboa 5* constitui uma homenagem à história e à tradição da cidade através da cerâmica, escultura, arquitetura, fado e literatura, “sinais de identidade do legado universal que Lisboa presenteia ao mundo, salienta o grupo em comunicado.

Merece menção especial a referência à arquitetura local, através de fotografias que percorrem emblemáticos lugares dos bairros mais populares de Lisboa; as imagens de intérpretes de fados, bem como a evolução das letras portuguesas através do olhar de quatro grandes autores: José Maria Eça de Queiroz, José Saramago, Fernando Pessoa e Luís Vaz de Camões.

Por outro lado, o Ikonik Lisboa é um hotel “moderno e funcional”, oferecendo um design refrescante e cuidado de acordo com a essência de uma das áreas mais dinâmicas da capital, com os seus atuais restaurantes à beira do rio Tejo e áreas de lazer e comerciais para desfrutar em família.

Trata-se do primeiro hotel Ikonik em Portugal, “uma marca que representa uma nova maneira de conceber hotéis, um anagrama colorista e inovador que se adapta ao estilo de vida de cada pessoa, de cada lugar e de cada momento”, assinala o grupo Hotusa.

Em contraste com o Eurostars Universal 5*, cujas instalações pretendem prestar uma “sentimental homenagem à cidade clássica”, a estrutura do Ikonik Lisboa 3* foi construída com uma temática que procura refletir fielmente “a capital jovem, moderna e funcional desta urbe que muda e reinventa-se ao mesmo ritmo que os seus jovens”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Hotelaria

LC é nova consultora de gestão hoteleira em Portugal

Liliana Conde acaba de apresentar ao mercado a LC, nova consultora que pretende impulsionar o futuro da gestão hoteleira e da excelência no serviço do turismo em Portugal.

Publituris

A LC, a nova consultoria da profissional do turismo e hotelaria Liliana Conde, pretende dotar as empresas do sector turístico, hoteleiro e de restauração de ferramentas que promovam um serviço de excelência e elevar o nível de serviço tendo como base a gestão das pessoas. 

Apresentado recentemente ao mercado, a consultora LC – Gestão Hoteleira e Serviço de Excelência inclui serviços de consultoria especializada em gestão hoteleira e serviços de formação para profissionais de turismo, bem como um conjunto de soluções integradas e personalizadas que permitem às empresas operacionalizar os seus serviços consoante as suas necessidades. 

 Como abrir um hotel? Como gerir os profissionais e como garantir uma gestão da felicidade? Como dotar as equipas para um serviço de qualidade? São algumas das perguntas que a LC coloca à disposição no seu website. 

Liliana Conde considera que o projeto, aberto tanto a nível nacional como internacional, pretende ser diferenciador e introduzir serviços distintivos nas organizações de um dos sectores mais preponderantes do nosso país, onde o foco estarão nas pessoas e no capital humano, fórmula para alcançar um serviço de qualidade e a chave do sucesso. 

Com 35 anos de experiência no setor do turismo e hotelaria, de onde se destacam as passagens pelo grupo AP Hotels & Resorts, Internacional Design Hotel ou NH Hotel Group, onde desempenhou funções de gestão como General Manager, Liliana Conde decidiu criar um novo conceito totalmente orientado para estas áreas, de forma a fidelizar talento e garantir equipas motivadas e felizes. 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Não houve interessados à concessão do Hotel Turismo da Guarda

Terminou esta semana o prazo para a apresentação de propostas para a concessão do Hotel Turismo da Guarda, e o certo é que não houve interessados. 

Publituris

Terminou esta semana o prazo para a apresentação de propostas para a concessão do Hotel Turismo da Guarda, e o certo é que não houve interessados. 

Em consequência, o Turismo de Portugal prorrogou por mais três meses o prazo para envio de propostas para a recuperação e gestão da antiga unidade hoteleira. 

O Hotel Turismo da Guarda, encerrado há vários anos, e agora nas mãos do Estado, foi um dos primeiros imóveis colocados a concurso no âmbito do Programa REVIVE.  

Em maio de 2018, foi assinado contrato de concessão para a recuperação e exploração deste imóvel pelo consórcio composto pelas sociedades MRG Property, S.A. e MRG – Construction, S.A., mas o projeto não avançou, devido a dificuldades financeiras com que o grupo concessionário, entretanto, se defrontou. O contrato foi revogado, sendo de seguida sido lançado novo concurso que visava dar, finalmente, uma nova vida a este emblemático edifício da cidade da Guarda, projetado em 1936 pelo arquiteto Vasco Regaleira. 

O imóvel será concessionado por 50 anos para exploração com fins turísticos, por uma renda mínima anual de € 35.317,80.  

Os investidores interessados terão agora 90 dias para apresentação de propostas que, além da recuperação do imóvel, promovam a sua valorização através da exploração turística e contribuam para atrair turistas para a região e para gerar novas dinâmicas na economia local. 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Hyatt Regency Lisboa recruta 150 colaboradores

Processo de recrutamento divide-se em duas fases, a primeira das quais arranca já em dezembro e vai contratar 18 colaboradores, enquanto a segunda tem lugar em janeiro e fevereiro de 2022.

Publituris

O Hyatt Regency, nova unidade hoteleira na capital, cuja abertura está prevista para abril de 2022, anunciou o lançamento de um processo de recrutamento com 150 vagas, no qual procura “talentos para assumir diferentes funções de gestão e operacionais”.

De acordo com um comunicado da United Investments Portugal (UIP), responsável pela unidade hoteleira, o processo de recrutamento vai decorrer em duas fases, a primeira das quais tem lugar até ao final de dezembro para recrutar 18 funcionários para cargos de gestão, incluindo para os cargos de Rooms Division Manager, Reservations Manager, F&B Manager, Executive Chef, SPA Manager, entre outras.

Nesta primeira fase do processo de recrutamento, os interessados já podem enviar as suas candidaturas através do website da UIP, na secção dedicada às ofertas de emprego.

No início de 2022, concretamente entre janeiro e fevereiro, arranca a segunda fase de recrutamento, que vai ser dedicada à procura de profissionais para cargos operacionais, incluindo receção, housekeeping, restaurantes e cozinha, SPA, manutenção e administrativos.

“A chegada da marca Hyatt a Portugal através do grupo UIP é um marco para o setor hoteleiro nacional e uma grande oportunidade de aprendizagem e crescimento profissional. Ao abraçarem este desafio, os colaboradores terão oportunidade de trabalhar numa das cidades mais dinâmicas da Europa e, em simultâneo, integrar uma cadeia com grande projeção internacional, visando a sua felicidade”, considera Jaime Sarmento, Diretor de Recursos Humanos do Grupo UIP.

O Hyatt Regency Lisboa é um empreendimento de cinco estrelas superior, que combina a componente residencial e hoteleira, e que resulta de um investimento de 70 milhões de euros.

Localizado em Belém, a unidade tem abertura prevista para abril de 2022, e vai disponibilizar quartos de hotel e apartamentos de luxo, bar no terraço com vista panorâmica para o rio, restaurante, piscina, ginásio, parque de estacionamento, salas de reunião e spa Serenity – The Art of Well Being.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.