destaque

Um activo chamado Fátima

Por a 11 de Maio de 2017


Escrever acerca de Turismo Religioso no País é abordar inevitavelmente o destino Fátima. Mais ainda quando este ano se celebra o Centenário das Aparições de Nossa Senhora de Fátima. 2017 é o ano de todas as oportunidades para Portugal se consolidar como um destino de Turismo Religioso de âmbito mundial, estendendo os resultados esperados já para os anos vindouros.
Fátima
70% das dormidas registadas em Fátima são efectuadas por mercados internacionais. Do Top 10, destaque para quatro mercados intercontinentais, nomeadamente, os Estados Unidos da América, o Brasil, a Coreia do Sul e as Filipinas/Indonésia. São estes dados que levam Alexandre Marto, vice-presidente da ACISO – Associação de Comércio, Indústria e Serviços do Concelho de Ourém, a defender que a marca Fátima é das mais reconhecidas internacionalmente e que pode funcionar como um activo diferenciador da promoção do destino.
Se nos anos 70/80 existia algum preconceito na afirmação de Fátima como destino turístico, actualmente, as coisas melhoraram, admite o responsável. Antigamente, Fátima era ignorada por “questões políticas, não partidárias, no sentido de separar o Estado da religião. (…) Muitos deles tinham até vergonha de Fátima”. Nos dias de hoje, o caso mudou de figura: “As coisas evoluíram muito”. “A estrutura do Estado olha para Fátima como algo em que devem acreditar ou não, mas como uma âncora forte para promover Portugal lá fora”, constata. Segundo Alexandre Marto, não se pode ignorar o “reconhecimento do destino em todo o mundo”. “Não espero que as pessoas gostem de Fátima e muito menos que acreditem em Fátima. O que estou a pedir ao Estado é que objectivamente olhe para o Santuário e para a cidade como um activo enorme e que define Portugal. Há poucas coisas diferenciadoras em Portugal e esta é uma delas”. Um dos exemplos que o empresário dá é o crescimento significativo da conversão de novos católicos que se está a verificar na Ásia. “Isso é uma oportunidade extraordinária para Fátima, mas também para Portugal” e passa a explicar: “Portugal não se pode posicionar na Ásia com praia. O posicionamento de primeira linha de Portugal tem de ser feito com outro tipo de activos. Em países, como por exemplo a Coreia ou alguns da América Latina, em que existem milhares de católicos, não há nada melhor para promover o País como o Santuário de Fátima. Seria irracional o País continuar a comportar-se como se isto não existisse”.
Segundo dados da Pew Research Center, os 10 países com maior número de católicos são o Brasil (com 11,7% da população mundial católica); México; Filipinas; Estados Unidos; Itália; Colômbia; França; Polónia; Espanha e a República Democrática do Congo.

Em 2010, a América Latina apresentava uma percentagem de 42% de católicos, substituindo-se à Europa, que em 1950, ocupava o primeiro lugar neste ranking, com 49%.

Centenário
Depois de reconhecido o potencial do destino, falemos então do momento-chave e da oportunidade de promoção que Fátima tem este ano: o Centenário das Aparições de Nossa Senhora de Fátima e a visita do Papa Francisco de 12 a 13 de Maio.
Pedro Machado, presidente Turismo Centro de Portugal, passa a explicar o potencial que esta celebração ganha no destino e não só: “Acreditamos que a celebração do Centenário das Aparições de Fátima, aliada à visita do Santo Padre, o Papa Francisco, em 2017, permitirá alavancar a marca “Centro de Portugal” e a marca “Portugal”, através da força de “Fátima”, apresentando-a como a “porta de entrada” de um território que pretende afirmar-se como marca do Turismo da Diversidade, onde há tanto para ver e experimentar”. O responsável completa: “Acrescente-se o facto da coincidência de se comemorarem os 300 anos da Senhora Aparecida [Brasil], o que abre uma porta maior para aquilo que é hoje um dos principais mercados da região centro de Portugal e um dos principais mercados de Portugal, que é o Brasil. Esta comemoração em conjunto com a Senhora Aparecida e o reforço extraordinário que é a vinda do Papa Francisco vai dar ao Turismo Religioso, não o lugar que merece, porque já o tinha por direito próprio, mas a notoriedade e a visibilidade que nós portugueses ainda não tínhamos alcançado”.

Mas falemos do destino. O vice-presidente da ACISO refere que estão previstos cerca de três mil jornalistas no 13 de Maio. O que vai levar o destino a ter “uma visibilidade mediática brutal”. “É um evento extraordinário, não é normal Portugal ter eventos com esta dimensão. A maior parte dos eventos que se possam comparar com este em termos de mediatização, como um Campeonato da Europa, não tem o mesmo impacto do ponto de vista cultural, mas o esforço ao contribuinte é absurdo. Neste não”.
No que diz respeito ainda ao evento do 13 de Maio, o padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, em conferência de imprensa no início de Abril, garantiu que “Fátima é um lugar seguro”. “Hoje, a segurança está na ordem do dia, mas as várias entidades envolvidas na preparação da visita do Papa tudo estão a fazer para garantir a segurança dos que aqui estarão”. Acerca da capacidade que o Santuário tem para receber multidões, o reitor referiu que o Santuário já está habituado a estes acontecimentos e que o recinto estará “sempre aberto aos peregrinos”. Para garantir que todos os peregrinos possam assistir às celebrações, e tendo consciência de que o recinto não suporta mais de 300 mil pessoas, serão instalados ecrãs gigantes fora do recinto e noutras áreas envolventes.

O Santuário de Fátima, que em 2016 registou 5,3 milhões de participantes nas 9890 celebrações que foram realizadas no santuário, perspectivam uma “enorme afluência de peregrinos”. Estes podem esperar, segundo o santuário, “uma enorme festa”. Além dos eventos de natureza cultural que “nos remetem para aquilo que é um Santuário cristão”, está previsto um programa com uma componente cultural, com destaque para o Congresso Pensar Fátima, que acontece em Junho, e para o Concerto de Encerramento do Centenário, a 13 de Outubro.

Captar visitantes de Fátima
Apesar de estar sempre no ranking do top 10 de destinos religiosos do mundo, segundo Alexandre Marto, este momento surge como uma oportunidade de potenciar ainda esse posicionamento. Além de influenciar o turista a vir a Fátima, Pedro Machado refere que este momento que se vive no destino vai permitir desafiar o turista a visitar outros atractivos da região Centro, mas também estender a procura de Fátima a outros destinos religiosos da região, nomeadamente os Caminhos de Santiago e a Rede de Judiarias. “O desafio, de privados e de públicos, será a promoção integrada do produto turismo religioso “Fátima”, de forma concertada com outros produtos, também eles religiosos, existentes por todo o país – Portugal é um país com forte tradição católica”, indica. O presidente Turismo Centro de Portugal acrescenta ainda: “Na Região Centro de Portugal disponibilizamos ao turista/visitante a possibilidade de juntar ao carácter religioso da visita – enquanto motivação principal -, outros factores, tais como a neve, a gastronomia e a natureza, elementos que integram a diversidade desta grande região. É “um país dentro de um país”, uma região muito diversa com vários produtos turísticos, onde é possível rezar no Santuário de Fátima de manhã, irmos à missa ao meio-dia, almoçar num dos muitos restaurantes de referência da nossa região, e da parte da tarde fazer um circuito pela natureza ou pelo património mundial”.
Mas que desafios se colocam também ao destino? Para o padre Elísio Assunção, administrador do Consolata Hotel, “o único desafio que Fátima tem para se afirmar como destino e a qualidade e seriedade. Se formos sérios e tivermos qualidade, o cliente, o turista vai voltar, mas isto a todos os níveis. A nível religioso, social, a nível das infra-estruturas, a qualidade é importante”.

Iniciativas promocionais
Aproveitando este momento e para desenvolver ainda mais o Turismo Religioso, Pedro Machado anuncia que vai ser criada a plataforma de promoção da marca Fátima, no âmbito do projecto global para potenciar a mesma. A isto acresce ainda “o desenvolvimento de um conjunto de suportes promocionais e a criação de um manual de vendas de Turismo Religioso, dirigido a operadores turísticos, nacionais e internacionais. Acresce o apoio à realização de filmes promocionais sobre Fátima, nomeadamente, o “Fátima, Cidade da Paz” (visita ao Santuário e locais de interesse religioso em Fátima, complementada por breves apontamentos sobre a região, com passagem por Tomar, Batalha, Alcobaça, Nazaré e Óbidos); o “Fátima, Silêncio e Luz (centrada na Procissão das Velas e nas vivências que podem ir para lá das imagens mais conhecidas, complementadas com passagens, pouco óbvias, pelos monumentos Património da Humanidade que existem na região: Tomar, Batalha, Alcobaça e Coimbra), pela Vila Medieval de Ourém e pelas Grutas), e o “Fátima, Centro do Mundo” (partindo de uma visita generalista a Fátima mostrar todo um território, a Norte e a Sul, que possa ser alcançado até 1 hora de viagem em automóvel)”. A ACISO, em colaboração com outras entidades – Turismo de Portugal, ARPT Centro, ERT Centro, Santuário de Nossa Senhora de Fátima, Câmara Municipal de Ourém -, pretende desenvolver uma série de actividades de promoção e captação turística, nos mercados identificados como prioritários, os chamados “mercados target”. Vão ser concretizados roadshows promocionais nos EUA, Brasil, Colômbia, México, Filipinas e uma famtrip à Coreia do Sul.

Um comentário

  1. Odisseia Subtil Lda

    16 de Maio de 2017 at 7:29

    Existem outros Santuários tais como a Nossa Senhora da Lapa

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *