Assine já
Alojamento

Mais e melhor Turismo Rural

Como está o Turismo Rural em Portugal e o que deve ser feito na promoção do produto é um dos pontos que abordamos neste dossier, onde damos, também, a conhecer alguns exemplos da oferta nacional.

Patricia Afonso
Alojamento

Mais e melhor Turismo Rural

Como está o Turismo Rural em Portugal e o que deve ser feito na promoção do produto é um dos pontos que abordamos neste dossier, onde damos, também, a conhecer alguns exemplos da oferta nacional.

Patricia Afonso
Sobre o autor
Patricia Afonso
Artigos relacionados
“Temos a certeza que Vilamoura é um activo excepcional”
Publituris Exclusivo
“Temos que continuar muito atentos à saúde financeira das empresas”
Publituris Exclusivo
AMResorts com boa aceitação no mercado português
Alojamento
Lisboa acolhe primeira marca mundial de arrendamento de curta duração
Alojamento

SUBLIME_COMPORTA_PT_100414_0888Como está o Turismo Rural em Portugal e o que deve ser feito na promoção do produto é um dos pontos que abordamos neste dossier, onde damos, também, a conhecer alguns exemplos da oferta nacional.

O Turismo Rural tem vindo a ganhar relevância ano após ano em Portugal. Este tipo de alojamento aproveita as valências de cada destino, tornando-se diferenciador e autêntico. Falámos com a Federação Portuguesa de Turismo Rural e com as Casas Açorianas, duas entidades que se têm destacado na promoção deste tipo de produto e cujas considerações demonstram a sua situação em Portugal.

Análise

Começamos por fazer uma análise ao panorama nacional. Cândido Mendes, da Federação Portuguesa de Turismo Rural, começou por falar pelo lado da oferta: “Tem havido uma forte aposta na criação de estruturas de elevada qualidade e, também, maior racionalidade entre a paixão do investimento e a sua razoabilidade. No passado, os investimentos foram muito mais propiciados e motivados pela parte da emoção, e, na maioria dos casos, mal estruturados quanto à sua razoabilidade económica, nomeadamente, o retorno do investimento, onde a desproporção entre os valores investidos e os prazos de retorno foram claramente mal avaliados.” Uma situação que o responsável diz que “tem vindo a ser corrigida, quer pela parte dos investidores, quer pela parte da tutela, existindo, actualmente, mais rigor na elaboração e análise dos projectos, quanto à sua viabilidade”. Pode, assim, “afirmar-se que houve um crescimento qualitativo que se traduz também numa qualificação da oferta extremamente importante e necessária para a atracção de turistas para os territórios do mundo rural”.

Gilberto Vieira, das Casas Açorianas, ressalvou estar mais perto da realidade no arquipélago, mas que “tem conhecido um crescimento notável, após um esforço de divulgação de muitos anos daquilo que verdadeiramente temos de único e que distingue o arquipélago em vertentes que vão da paisagem, de reconhecidamente deslumbrante, aos modos de vida calmos, às tradições, gastronomia tradicional, interacção com a natureza, cultura sedimentada em séculos de isolamento, mas, ainda assim, com portas abertas ao mundo – como era o caso das carreiras da Índia e do Novo Mundo, que por aqui passavam -, à segurança e à afabilidade intrínseca e natural do povo açoriano para bem receber, tenho constatado que a oferta, no todo nacional, tem vindo a ser aperfeiçoada, apostando em características semelhantes à nossa realidade”.

Gilberto Vieira entende ser este o caminho: “Apostar no que temos de distintivo, num mercado global que anseia por experiências autênticas e diferenciadoras. Este é um nicho de mercado que pode potenciar o destino, já de si atractivo, de Portugal, com motivos de interesse conhecidos que vão desde o sol e as praias, à beleza de uma cidade como Lisboa, com o fado incluído, à magnífica paisagem do Douro, ícones que ‘escondem’ um maná de pequenos recantos e experiências espalhados por todo o país. E é aí que reside a importância do nosso Turismo Rural e de natureza. Que tem um mercado muito mais amplo do que se pode pensar.”

Casas de São José (21)Promoção

Cândido Mendes é da opinião que, “de um modo geral, todos os agentes consideram que não existe uma estratégia concertada que vá ao encontro das necessidades, mas verifica-se uma evolução desde logo quanto ao conceito e à forma da promoção”. Esta evolução “tem a ver com a visão que hoje existe sobre as valências dos territórios, a sua diversidade, os seus factores de atractividade, as suas infra-estruturas e as suas capacidades agregadoras. Hoje, a promoção é mais pensada, e bem, na óptica do turista, daquilo que este procura e na forma de satisfazer essa procura. Por isso, pensamos que a promoção tem que se fazer muito pela vertente dos territórios, e pela sua valorização, pela capacidade de gerar eventos que potenciem a deslocação de turistas”.

“Portugal tem feito apostas muito assertivas na forma de comunicação da sua oferta turística que tem potenciado um desenvolvimento acentuado da actividade, com a qual nos regozijamos. Estas apostas têm tido um excelente efeito sobretudo nos segmentos City Breaks, Touring Cultural e Sol e Praia. Porém, pensamos que será muito importante aproveitar as nossas valências territoriais e de oferta turística do mundo rural para que exista alguma descentralização e descongestionamento de algumas áreas, oferecendo ao turista outras alternativas enriquecedoras das experiências da viagem e, deste modo, podermos também através da actividade turística contribuir para esbater algumas diferenças ao nível do desenvolvimento dos territórios”, defendeu a Federação Portuguesa de Turismo Rural.

Já as Casas Açorianas afirmaram que, “dada a pequena dimensão das unidades que se dedicam ao Turismo Rural e de natureza, creio ser essencial promover o associativismo, como forma de ganhar dimensão promocional e de rentabilização de recursos”. “Foi esse caminho que seguimos nos Açores, particularmente na constituição das Casas Açorianas – Associação de Turismo em Espaço Rural, que junta seis dezenas de unidades, afirmando-se como um parceiro relevante na promoção e divulgação do Turismo Rural e de Natureza, em particular, e do destino Açores, de modo geral”. É, também, fundamental “que as autoridades responsáveis pelo Turismo tenham plena consciência de que a aposta neste segmento é essencial e que ajam de acordo com esse principio. Com uma política de promoção mais abrangente e com estratégias que conduzam o turista a vivenciar o nosso mundo rural, oferecendo na mesma viagem os vários aspectos que resultam das segmentações, estaremos com certeza a contribuir para a consolidação do destino turístico Portugal e a potenciar um aumento dos índices de satisfação dos turistas que nos visitam, sem que isso represente perda para os destinos que se encontram em alta, bem pelo contrário. Ao complementar as experiências, estamos a potenciar ainda mais o aumento de visitantes, e a potenciar um aumento da actividade de uma forma mais sustentável e descentralizadora.”

Posicionamento Ideal

À questão sobre como gostava de ver o Turismo Rural posicionado, Cândido Mendes respondeu: “É fundamental o combate à sazonalidade e promover um maior equilíbrio quer nas taxas de ocupação, quer nos preços médios de venda. Para se gerar esse desejado equilíbrio, é fundamental que exista uma maior visibilidade do produto a nível internacional, como forma de combater a forte dependência da procura interna. Tirar mais partido do potencial de cada uma das regiões de promoção turística e da proximidade territorial potenciada pelos três principais aeroportos que temos, Faro, Lisboa e Porto, para fomentar o segmento Fly & Drive, e apostar no marketing digital, desenvolvendo estratégias de comunicação que dêem a conhecer os territórios, as suas valências, as suas actividades e a sua oferta turística global (alojamento, restauração, paisagem, cultura, animação).” Algo que o responsável diz ser um factor crucial “para fazer crescer as taxas de ocupação no Turismo Rural, melhorar a pequena economia local e contribuir para a fixação de pessoas nos territórios do mundo rural”. Gilberto Vieira, por seu lado, afirmou: “Precisamente no caminho que está a ser trilhado. Que continue a haver a noção de que o nosso Turismo Rural é fundamental, diferenciador, atractivo, visto como uma mais-valia que em nada reduz –  antes pelo contrário – ofertas mais convencionais e consolidadas.”

SUBLIME_COMPORTA_PT Owners Suite_100414_0288OPINIÃO DAS UNIDADES DE ALOJAMENTO
“O segmento de Turismo Rural é um segmento que tem crescido. A procura de experiências genuínas e um produto autêntico é cada vez maior. Neste sentido, não diríamos que é um segmento que apresenta dificuldades, mas sim oportunidades. Aqui, o factor chave é conseguir uma boa visibilidade junto ao nosso potencial cliente”, disse Gonçalo Pessoa, proprietário e director do Sublime Comporta Country Retreat & SPA, questionado sobre as dificuldades que enfrenta.

Por sua vez, Rita Soares, da Malhadinha Nova, é da opinião que o segmento “não enfrenta dificuldades, mas sim oportunidades. De facto, a tendência mundial do turista é a procura de um tipo de turismo diferenciado, onde o tempo é privilegiado, mas não só, o regresso à terra, às origens, o contacto com as tradições locais, com a cultura de uma determinada região”. O turista “procura ser recebido de forma individualizada, experiências ligadas a diversas temáticas, de que são exemplo a Gastronomia, os Vinhos, o desporto, a aventura, a cultura, entre outras. Desta forma, o Turismo Rural tem imensas vantagens pela facilidade que tem em atingir um perfil de turista com um nível socio-económico e cultural bastante elevado, desde que lhe ofereça, em ambiente rural, um conjunto de condições que lhe permitam viver estas experiências de acordo com as suas expectativas, que são elas: o conforto, requinte, luxo, equipas profissionais que recebem de forma diferenciada e muito focada nos detalhes e a oferta de experiências criativas, inovadoras e muito enriquecedoras a todos os níveis .”

Sobre o apoio das entidades e institutos públicos, Governo e autarquias, Gonçalo Pessoa defende que os primeiros “têm acompanhado a crescente procura deste segmento, trazendo oportunidades e criando suportes que dão visibilidade à mesma”. Rita Soares considera, igualmente, que os apoios existem, chamando a atenção para os “vários programas do Turismo de Portugal de apoio ao desenvolvimento de projectos que privilegiam o desenvolvimento do turismo em zonas menos desenvolvidas, em zonas rurais”.

Casas de São José (29)CASAS DE SÃO JOSÉ
As Casas de São José, em Rio Maior, ainda não foram inauguradas, mas já estão em funcionamento três das nove casas que a unidade está a construir, além da piscina, sala de eventos e equipamento infantil. O conceito desta unidade é o de ‘learning while travel’, ou seja, “permitir aos hóspedes interagir com a gente local e conhecer o modo de vida rural, a gastronomias, tradições e costumes da terra, podendo observar e participar na execução de tarefas agrícolas e pecuárias”.

Os preços das casas já em funcionamento variam entre os 70 euros e os 260 euros, consoante o alojamento (Açucenas, Buganvílias e Alecrim) e a época. As metas para 2016 passam pela “consolidação no mercado e aumento da taxa de ocupação”.

PATIO-Lounge 2PÁTIO LODGE REINTERPRETA AGROTURISMO NO FAIAL
O PÁTIO Lodge abriu portas no início do passado mês de Maio no lado Norte da Ilha do Faial, nos Açores. O agroturismo oferece quatro quartos duplos e um apartamento, igualmente com um quarto duplo. Victor Antonius Hucke, proprietário do PÁTIO Lodge, começa por explicar que esta unidade é uma reinterpretação “da modalidade do Agroturismo”, referindo que o objectivo é que os hóspedes se sintam como se de sua casa se tratasse “no meio do mundo dos cavalos e da vida rural, seja nos quartos mobilados com móveis de madeira de Cryptomeria local ou com lavabos de basalto vulcânico, seja no lounge em frente da lareira, no jardim com plantas naturais ou no terraço onde eles aproveitam a cozinha típica dos Açores com uma vista deslumbrante para o Atlântico e para as Ilhas do Grupo Central dos Açores”.

Esta unidade, que abriu portas a 2 de Maio de 2016 e foi inaugurada pelo Secretário do Turismo dos Açores, Vitor Fraga, e o Presidente da Ilha do Faial, José Leonardo, é composto por quatro quartos duplos e um apartamento com quarto duplo. Além do alojamento, o PÁTIO Lodge oferece passeios a cavalo “com os nossos 15 cavalos da raça Lusitano” na Ilha do Faial, entre duas horas e uma semana inteira; trails com guias do Parque Natural da Ilha do Faial, “como, por exemplo, a descida dentro da caldeira do vulcão do Faial”, tours pela ilha a bordo de um dos três Land Rover Defender que a unidade dispõe; canyooning e mergulho; whale watching; e natação com os golfinhos. No que concerne os preços praticados, Victor Antonius Hucke indica que as valores começam nos 80 euros por noite pelo quarto duplo e 100 euros por noite pelo apartamento. “A nossa meta para 2016 é ganhar mais experiência de forma a oferecer o melhor aos nossos clientes para as suas férias no paraíso no meio do Atlântico”, conclui o proprietário.

Cerca Design House (1)CERCA DESIGN HOUSE INVESTE 500MIL€ EM EXPANSÃO

Pouco mais de um ano após ter aberto portas, a unidade Cerca Design House, localizado no Fundão, prepara a sua expansão e vai inaugurar, em Agosto, cinco novas villas, fruto de um investimento de 500 mil euros. Estas novas villas são autónomas do edifício principal e estão totalmente equipadas, além de darem acesso a um jardim privado com uma piscina comum. Estes alojamentos têm capacidade para quatro adultos, com a hipótese, mediante análise, de serem colocadas duas camas extra. De acordo com Marta Rafael, proprietária da Cerca Design House, o principal objectivo com esta expansão é “proporcionar uma oferta mais diferenciada e que vai de encontro à necessidade de oferecer uma privacidade diferente a grupos ou famílias que procuram outro tipo de comodidades”.

A unidade “nasce da harmoniosa fusão entre o design contemporâneo e exclusivo com a sobriedade da pedra que remete para a época original, a dos morgados. Com uma oferta total de 10 quartos, divididos em três tipologias, esta unidade é o resultado do sonho de criar um refúgio elegante e moderno onde poderá relaxar no aconchego das Serras da Estrela e da Gardunha”, lê-se em comunicado. Recorde-se que o Cerca Design House abriu portas em Março de 2015 após a reabilitação do antigo Solar do séc. XVII, num investimento de 800 mil euros, dos quais o programa PRODER financiou 180 mil. Segundo fonte oficial, por altura da abertura da unidade, este projecto aliou também a “recuperação e restauro de imóveis à experiência da hotelaria e ao desejo de inovar e contribuir para o desenvolvimento sustentável do turismo na região da Beira Interior”. “Pretendemos distinguir-nos e proporcionar um ambiente calmo e tranquilo, em que o cliente possa vir repousar do stress citadino e das suas preocupações diárias. Aqui o cliente sentir-se-á num espaço único, onde a decoração e as peças de design presentes na casa foram pensadas e desenhadas exclusivamente para quem nos visita”, explicou, na altura, a mesma fonte.

Qtª do Marco_paisagem1HOTEL RURAL QUINTA DO MARCO QUER REAFIRMAR MARCA
O Hotel Rural Quinta do Marco, localizado em Santa Catarina da Fonte do Bispo, em Tavira, Algarve, reabriu em Fevereiro de 2016 após um investimento de 300 mil euros na remodelação das diversas áreas da unidade. Hélder Martins, director-geral, explica que a remodelação do Hotel Rural Quinta do Marco consistiu na “recuperação total a nível de pintura, canalizações, ar condicionado, electricidade, aquisições da totalidade de mobiliários e equipamentos, na recuperação dos jardins com podas e novas plantações para substituírem árvores e plantas que entretanto tinham morrido, nova sinalética e recuperação de toda a parte agrícola”, entre outros pormenores que reavivaram a imagem de Tavira que a unidade adoptou como conceito.

Com 24 quartos, entre duplos e triplos com capacidade para quatro pessoas, o Hotel Rural Quinta do Marco disponibiliza aos seus clientes piscinas exteriores, jacuzzi, sauna e banho turco, sala de massagens, percursos pedestres dentro e fora da propriedade, bicicletas de BTT com a disponibilização de vários percursos de dificuldades diversas, passeios na Ria Formosa, visitas a lagar de azeite e destilaria de medronho, participação nas actividades agrícolas, alimentar os animais na quinta, entre outras programas. A unidade dispõe, ainda, de um restaurante que não só serve os clientes, como está aberto ao exterior. Os preços médios, nesta época, são de 77 euros por noite em quarto duplo com pequeno-almoço; e de 138 euros por noite para o triplo, igualmente com a primeira refeição do dia incluída. Em Agosto, os preços sobem para os 158 euros e 265 euros consoante a tipologia requerida.

Sobre os objectivos para este ano, Hélder Martins diz que o Hotel Rural Quinta do Marco quer “afirmar a marca, com a fidelização dos clientes; continuar a estratégia de aumentar a percepção da qualidade da unidade que, por exemplo, hoje tem a melhor classificação no Booking para toda a zona; e continuar a aumentar o ‘value for money’ na disponibilização de uma unidade de referência entre os hotéis de charme, localizado no “Verdadeiro Algarve”.”

1A5Y6950CASAS DO LUPO QUEREM APAIXONAR TURISTAS PELO INTERIOR
As Casas do Lupo, situadas na Aldeia da Lapa do Lobo, no concelho de Nelas, iniciaram actividade em Maio de 2014 e querem “continuar a fazer com que as pessoas se apaixonem pelo turismo do interior, promovendo, em simultâneo, a região e proporcionando uma experiência única, diferente e relaxante através daquilo que melhor sabemos fazer: a arte de bem receber as nossas visitas”. Bernardo Torres, proprietário, explica que a unidade trata de “um projecto turístico que nasceu da vontade de preservar algum do património civil da aldeia da Lapa do Lobo, pertencente ao concelho de Nelas, devolvendo-lhe a beleza das suas centenárias casas de granito e dinamizando ao mesmo tempo a vivência quotidiana da sua população”.

“O projecto arquitectónico consistiu na recuperação de quatro casas de traça típica beirã situadas no eixo histórico da aldeia. A reconstrução foi, sempre que possível, fiel à utilização dos materiais construtivos tradicionais da região (granito e madeira), combinando de forma harmoniosa e subtil com alguns traços de contemporaneidade e conferindo às Casas do Lupo um ambiente muito especial e único.” As casas mantiveram o nome dos antigos proprietários: Laurita, Nascimenta, Cintinha e Ester. As casas da Laurita e da Nascimenta possuem ‘lojas’ no rés-do-chão e o piso superior é destinado à habitação. Estão ligadas através de um varandim de madeira tipicamente beirão e dispõe de cinco quartos com características “muito diferenciadas, privilegiando a vivência da aldeia”. A casa do Cintinha está situada no jardim “tem por base uma casa de granito prolongada através de uma intervenção arquitectónica contemporânea, inclui um quarto de ambiente tradicional e dois de atmosfera ‘retro’.” Cada um destes oito quartos, segundo Bernardo Torres, “tem personalidade própria, a começar pelo nome, sugerido pelos motivos, temas e cores que inspiraram a sua decoração e pelas suas características arquitectónicas – o quarto Verde, das Camélias ou dos Galos”. Por fim, “em frente à entrada principal, do outro lado do Terreiro do Antunes, a casa da Ester deu origem a um apartamento T2, com sala, cozinha, varanda e sótão, que permite uma estadia com uma autonomia diferente”.

As Casas do Lupo oferecem, ainda, o que Bernardo Torres considera “experiências muito especiais”: “ligadas à própria aldeia, uma aldeia bem viva e activa, com uma história e tradição muito próprias”; “partir à descoberta da região da Beira Alta e do seu património, através da possibilidade única de usufruir de um roteiro (especial e especificamente criado para o efeito) com um conjunto de percursos que lhe permitirão reviver o prazer de passear”; conhecer a Região Demarcada do Dão, “visitando quintas e adegas”; usufruir “da gastronomia típica da Beira Alta, não esquecendo o famoso Queijo da Serra, conhecendo os famosos restaurantes da região ou usufruindo das refeições ligeiras servidas no sossego das Casas do Lupo”; “estar em contacto com a natureza, conhecendo uma quinta (reserva privada das Casas do Lupo) com vistas deslumbrantes, onde a preservação da paisagem e das espécies é palavra de ordem”; e “fazer caminhadas a pé ou passeios de bicicleta na aldeia e campos circundantes, conhecer a ecopista do Dão ou mesmo fazer “paddle surf” no rio Mondego”. O preço médio das Casas do Lupo é de 100 euros por quarto duplo.

Casas Novas (23)CASAS NOVAS COUNTRYSIDE HOTEL SPA & EVENTS QUER AUMENTAR VENDAS EM 10%
O Casas Novas Countryside Hotel Spa & Events, situado no Redondelo, no concelho de Chaves, oferece diversas valências a quem o visita, mas assenta o seu encanto no solar do século XVIII recuperado e que alberga alguns dos quartos da unidade. Com um total de 27 quartos, cinco dos quais instalados no referido solar, que data de 1749 e foi totalmente recuperado, e os outros 22 localizados numa ala moderna da unidade, o Casas Novas Countryside Hotel Spa & Events, que abriu as suas portas há oito anos, é constituído por dois blocos simétricos e unidos pelo pátio de claustros, apostando na oferta de “qualidade e requinte em ambiente rural”.

Além do alojamento, a unidade de Turismo Rural integra, ainda, um restaurante, um centro multiusos, um health club, um campo polidesportivo e um parque infantil Em termos dos valores cobrados pela unidade, o quarto duplo standard no Casas Novas Countryside Hotel Spa & Events tem um preço a partir de 63 euros durante a semana e 75 euros no fim-de-semana, durante a época baixa. Nos meses de época alta, os preços sobem para os 75 euros durante a semana e 85 euros no fim-de-semana. No que respeita aos objectivos delineados para o presente ano, o Casas Novas Countryside Hotel Spa & Events tem a sua estratégia definida para proceder à consolidação de financiamento, promoção da unidade de Turismo Rural e aumentar as vendas em 10%!

Sobre o autorPatricia Afonso

Patricia Afonso

Mais artigos
Artigos relacionados
Restauração

Programa SELEÇÃO Gastronomia e Vinhos da AHRESP é tema de webinar

A AHRESP promove, no próximo dia 05 de julho, um webinar sobre o Programa SELEÇÃO Gastronomia e Vinhos no próximo dia 5 de julho, aberto a todos os restaurantes que servem gastronomia portuguesa. Inscrição gratuita, mas obrigatória.

Implementado pela AHRESP, e desenvolvido em parceria com o Turismo de Portugal, este programa visa criar uma rede nacional de restaurantes que adote o receituário tradicional português, utilizando preferencialmente produtos portugueses e regionais, cumprindo as melhores práticas e oferecendo uma qualidade de serviço irrepreensível, conforme refere a Associação, em nota de imprensa.

Os restaurantes que estejam em condições de fazer parte desta rede, ou seja, de gastronomia portuguesa, cuja confeção seja efetuada no próprio local e que apresente serviço à mesa, podem usufruir de vantagens, como: Acesso a consultoria totalmente gratuita; Oferta de uma placa e de um diploma, que devem ser colocados em locais visíveis, no exterior e interior respetivamente; Direito de utilização da marca SELEÇÃO Gastronomia e Vinhos para promoção e divulgação de iniciativas próprias e Oferta de um kit de boas-vindas em formato digital (com template de menu, template de individual de mesa e outros materiais de comunicação).

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Golden Residence Hotel Madeira distinguido pela TUI

Unidade madeirense recebeu a distinção TUI QUALITY HOTEL, atribuída com base na qualidade do serviço e nas avaliações feitas pelos clientes da TUI a nível mundial.

O Golden Residence Hotel Madeira conquistou a distinção TUI QUALITY HOTEL, atribuída com base na qualidade do serviço e nas avaliações feitas pelos clientes do operador turístico a nível mundial.

O prémio TUI QUALITY HOTEL, que é atribuído pela TUI, um dos principais operadores turísticos da Europa e visa distinguir as unidades hoteleiras reconhecidas pela qualidade do serviço prestado, tendo em conta as avaliações dos clientes de todo o universo TUI, concretamente TUI Alemanha, TUI Bélgica, TUI Holanda, TUI Polónia.

“Esta distinção é um reflexo da nossa dedicação para com os nossos hóspedes. O nosso grau de exigência é elevado, pois queremos providenciar a melhor experiência. Temos equipas altamente qualificadas e focadas em prestar um serviço de qualidade ímpar. Sabermos que estamos a contribuir para a criação de momentos e memórias marcantes é, sem dúvida, enriquecedor. É muito gratificante sabermos que nos destacamos pelas melhores razões”, congratula-se Arcilia Martin, diretora do Golden Residence Hotel Madeira.

Além do reconhecimento enquanto TUI QUALITY HOTEL, o Golden Residence Hotel Madeira tem vindo a ser distinguido pela qualidade do serviço e, este ano, já recebeu vários prémios e recomendações.

Localizado na costa sul da Madeira e com vistas panorâmicas sobre o mar e as plantações de bananas, o Golden Residence Hotel Madeira é uma unidade de quatro estrelas, que conta com 172 quartos, SPA, piscina exterior e interior, restaurante e bar, sendo também uma unidade ‘pet friendly’.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Seis hotéis da INATEL recebem certificação Green Key

O galardão foi atribuído às unidades Cerveira Hotel, Flores Hotel, Palace São Pedro do Sul Hotel, Manteigas Hotel, Vila Ruiva Hotel e Linhares da Beira Hotel Rural.

Publituris

A Fundação INATEL recebeu a certificação ambiental e social da Green Key pelo trabalho desenvolvido em seis dos seus hotéis.

O galardão foi atribuído esta terça-feira, 21 de julho, às unidades INATEL Cerveira Hotel (quatro estrelas); Flores Hotel (quatro estrelas); Palace São Pedro do Sul Hotel (quatro estrelas); Manteigas Hotel (três estrelas); Vila Ruiva Hotel (quatro estrelas) e Linhares da Beira Hotel Rural (três estrelas).

A cerimónia de entrega teve lugar no Centro de Monitorização e Investigação das Furnas, em São Miguel.

De acordo com informação enviada pela fundação, “todos os hotéis INATEL participam num programa de sustentabilidade ambiental”.

Nesse sentido, o INATEL assegura que as unidades avaliam o impacto da operação sobre o ambiente e adotam medidas para reduzir o mesmo, promovendo “a sensibilização de clientes, fornecedores e a formação de colaboradores”.

Sobre o Green Key

O programa ambiciona a implementação de boas práticas, através do cumprimento de 150 metas em diferentes áreas de atuação, que valorizam a gestão ambiental e a promoção da educação ambiental para a sustentabilidade.

As entidades certificadas devem cumprir determinados critérios, como a introdução de um sistema de gestão ambiental, a redução do consumo de energia e água e a separação de resíduos.

Medidas como a utilização de produtos de limpeza amigos do ambiente, a promoção do consumo de produtos orgânicos, bem como a exclusão de herbicidas químicos também fazem parte das medidas a ser cumpridas por estas entidades.

A iniciativa é da responsabilidade da Foundation of Environmental Education (FEE), sediada na Dinamarca, e coordenada em Portugal pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE).

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Vila Galé abre novo resort no Brasil, o maior do Estado de Alagoas

O Vila Galé Alagoas conta com 513 quartos, é o “maior empreendimento do género neste estado brasileiro” e fica localizado a cerca de 40 minutos de Maceió, capital do Estado de Alagoas.

Publituris

A Vila Galé abriu um novo resort tudo incluído no Brasil, o Vila Galé Alagoas, que se encontra localizado a cerca de 40 minutos de Maceió e se apresenta como o “maior empreendimento do género neste estado brasileiro”.

Segundo um comunicado do grupo hoteleiro português, o Vila Galé Alagoas conta com 513 quartos, quatro piscinas, sete restaurantes, cinco bares, Clube Nep para crianças com parque aquático, Satsanga Spa & Wellness, discoteca, centro de convenções com 2.000 m2 e várias zonas de lazer e desportivas.

“Conseguimos superar todas as dificuldades e cumprimos a nossa meta de abertura, graças ao gigantesco esforço das equipas Vila Galé e de todo o pessoal em obra. Estamos muito orgulhosos do novo resort e de termos uma unidade em Alagoas”, afirma o presidente e fundador da Vila Galé, Jorge Rebelo de Almeida.

O novo resort da Vila Galé no Brasil conta também com uma vasta oferta de restauração, com destaque para a pizzaria Massa Fina e para a Cervejaria Portuguesa, sem esquecer o restaurante Inevitável e os buffets do Versátil. Além destes, o Vila Galé Alagoas conta também com o ‘Museu Do Sertão’, onde são servidos pratos típicos do estado de Alagoas, assim como com o restaurante NEP, com alimentação infantil e pensado para as crianças.

A nova unidade segue também a estratégia da Vila Galé, que tem vindo a dar um tema aos seus hotéis, sendo que, no caso do Vila Galé Alagoas, o tema escolhido foram os escritores de língua portuguesa de Portugal e do Brasil, aos quais o resort presta homenagem.

“Os quartos têm sempre uma referência a um escritor. Na receção, os mais célebres escritores mundiais foram homenageados com estátuas realistas. As escritoras também têm uma exposição própria e há uma galeria dos 54 prémios Nobel da Literatura”, indica a Vila Galé.

Este é o 10º empreendimento da Vila Galé no Brasil e vem reforçar a posição do grupo de hotelaria português como a maior rede de resorts no país.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

NH Hotel Group lança nova funcionalidade de reserva online de espaços para reuniões e eventos

Através do Click & Meet, os profissionais do setor podem reservar mais de 900 espaços para reuniões e eventos até 20 pessoas, em 17 países europeus.

Publituris

O NH Hotel Group lançou o Click & Meet, nova funcionalidade que está agora disponível no NH PRO, o site do grupo para profissionais, e que permite a reserva online de espaços para reuniões e eventos até 20 pessoas.

De acordo com um comunicado enviado à imprensa, através do Click & Meet, os profissionais podem agora ter acesso a mais de 900 espaços em 17 países europeus, “a qualquer hora e de qualquer lugar ou dispositivo”.

“Em apenas três minutos e quatro passos simples, podem ser consultadas as informações de preços e disponibilidades e fazer uma reserva de forma imediata”, refere o NH Hotel Group, explicando que, em caso de qualquer problema, as reservas podem ser “canceladas gratuitamente até 14 dias antes do evento”.

Na informação divulgada, o NH Hotel Group adianta que, com a retoma dos eventos e das viagens de negócios, planeia “ampliar as funcionalidades desta nova ferramenta” no futuro, de forma a oferecer ao utilizador a oportunidade de “reservar espaços e quartos em simultâneo e podendo ainda incluir novos espaços e mais hotéis de diferentes países”.

Além de Portugal, a nova funcionalidade está também disponível em Espanha, França, Itália, Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Alemanha, Hungria, Irlanda, Luxemburgo, Roménia, Eslováquia, Suíça, Países Baixos e Reino Unido.

Além desta funcionalidade e também com foco no MICE, o NH Hotel Group lançou ainda o Buyouts by NH, serviço que “oferece a possibilidade de contratação exclusiva de alguns dos seus hotéis e espaços na sua totalidade e com total privacidade e flexibilidade, para que os clientes os possam personalizar de acordo com as suas necessidades”.

Além disso, o grupo passou a permitir a reserva de espaços exteriores através do Outdoor Spaces by NH, colocando “à disposição dos clientes inúmeros tipos de espaços, desde terraços com vista para a montanha até coberturas em áreas urbanas”.

“Além de todas estas propostas inovadoras, estão disponíveis outros serviços, como os Smart Spaces, graças aos quais os clientes podem usufruir de espaços exclusivos para trabalhar e realizarem pequenas reuniões de negócios em locais únicos, com todas as comodidades e serviços dos hotéis; e as Reuniões Híbridas, por meio das quais o grupo implementou diferentes inovações tecnológicas visando facilitar o planeamento virtual de eventos, garantindo a realização de reuniões e conferências híbridas com todos os protocolos de saúde, nas melhores localizações”, lembra ainda o grupo, que pertence à Minor Hotels.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Descidas de alemães e britânicos atrasam recuperação da hotelaria algarvia em maio

Segundo a AHETA, em maio, a hotelaria do Algarve registou uma taxa de ocupação de 64,8%, 7,4% abaixo do registado em igual mês de 2019, muito por culpa dos mercados alemão e britânico, que apresentaram descidas de 41,3% e 8,1%, respetivamente.

Inês de Matos

Em maio, as unidades de hotelaria do Algarve registaram uma taxa de ocupação de 64,8%, valor que fica 7,4% abaixo do registado em igual mês de 2019, antes da chegada da pandemia, avança a AHETA – Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, que identifica também uma descida do número de hóspedes dos mercados alemão e britânico, dois dos principais mercados emissores para a região.

De acordo com a AHETA, em maio, a taxa de ocupação até “superou o valor médio para este mês” e traduz uma subida de 275% relativamente a maio de 2021, ainda que face a 2019, que tinha sido o melhor ano turístico de sempre em Portugal, se continue a encontrar “uma descida de -7,4%, relativamente ao mesmo mês de 2019”.

Já a taxa de ocupação cama foi de 52,5%, o que indica uma descida de 10,2% face a maior de 2019, com a AHETA a adiantar que também no acumulado do ano se regista um decréscimo de 10,5% na taxa de ocupação face a maio de 2019.

“A variação homóloga verificada é justificada pela pandemia provocada pelo vírus COVID-19, cujo impacto na hotelaria começou a sentir-se no início do mês de maio de 2020. A taxa de ocupação média nos últimos doze meses quedou-se nos 45,7%”, acrescenta a associação, que divulgou esta terça-feira, 21 de junho, os dados relativos a maio.

Por zonas do Algarve, as maiores subidas face a mês homólogo de 2019 foram registadas nas zonas de Portimão/Praia da Rocha (+2,7pp, +3,7%) e Lagos/Sagres (+1,7pp, +2,6%), enquanto as principais quebras ocorreram em Tavira e (-17,9pp, -26,9%) e Albufeira (-12,9pp, -16,2%).

Já as zonas de Faro/Olhão, com 78,0%, e Portimão/Praia da Rocha, 75,5%, foram, segundo a AHETA, “as que registaram as taxas de ocupação mais elevadas enquanto a mais baixa ocorreu na zona de Monte Gordo/VRSA, com 40,7%”.

Por categorias, a principal descida relativamente a 2019 verificou-se nos hotéis e aparthotéis de quatro estrelas (-15,4pp, -19,6%), enquanto os hotéis e aparthotéis de três e duas estrelas  registaram a maior subida (+7,3pp, +14,2%) seguidos dos de cinco estrelas (+2,1pp, +3,1%).

Já os hotéis e aparthotéis de três e duas estrelas foram os que registaram a taxa de ocupação mais baixa (59,1%), tendo a ocupação mais alta sido registada nos aldeamentos e apartamentos turísticos de cinco e quatro estrelas (71,9%).

Por mercados, a AHETA revela que “alguns mercados registaram subidas”, a exemplo do irlandês, que subiu 17,8%; e do holandês, que apresentou um aumento de 10,9%; ainda que a maior subida tenha pertencido ao mercado belga, com um acréscimo de 24,2%.

Em sentido contrário estiveram alguns dos principais mercados internacionais emissores de turistas para o Algarve, a exemplo do alemão e do britânico, que apresentaram, em maio, decréscimos de 41,3% e 8,1%, respetivamente, numa tendência que se reflete também no acumulado dos cinco primeiros meses de 2022.

“De janeiro a maio, a Alemanha é o mercado com a maior descida acumulada face a 2019 (-1,9pp, -38,2%) seguido pelo Reino Unido (-1,7pp, -12,3%) e Holanda (-0,4pp, -9,8%)”, indica a AHETA.

Ainda assim, em maio, a maior fatia das dormidas na hotelaria algarvia coube aos turistas britânicos com 39,8%, seguidos pelos portugueses (13,1%), irlandeses (10,9%) e holandeses (7,0%), sendo que os britânicos lideraram também em número de hóspedes, com 32,0%, seguidos pelos portugueses (20,6%), irlandeses (8,6%) e franceses (6,6%).

Em maio, a estada média na hotelaria algarvia foi de 4,2 noites, menos 0,1 que no período homólogo de 2019, com destaque para os holandeses que, com 5,5 noites, registaram as estadias mais prolongadas, seguidos dos irlandeses (5,4), britânicos (5,3) e be3lgas, com 5,0 noites. Já a estadia média dos turistas portugueses foi de 2,7 noites, ligeiramente abaixo do verificado em 2019.

A AHETA diz ainda que os britânicos representaram o maior número de dormidas em quase todas as categorias, com exceção dos aldeamentos e apartamentos de três estrelas, onde os portugueses foram o principal mercado, tendo também representado o maior número de hóspedes nos hotéis e aparthotéis de cinco estrelas e nos de quatro estrelas, assim como nos aldeamentos e apartamentos turísticos de cinco e quatro estrelas. Nas restantes categorias, o maior número de hóspedes coube aos portugueses.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Alojamento

Traços D’Outrora volta a ser galardoado pelo Green Key

Pelo segundo ano consecutivo, o complexo turístico Traços D’Outrora, em Vale de Cambra, volta a ostentar o galardão Green Key.

Publituris

Localizado na aldeia de Trebilhadouro, o conjunto de quatro casas, que formam a Traços D’Outrora, voltou a arrecadar o prémio internacional que distingue as boas práticas ambientais.

Refira-se que o galardão Green Key tem por objetivo consciencializar para a adoção de práticas e comportamentos sustentáveis através da educação ambiental para a sustentabilidade, reduzir o impacto ambiental das atividades de comércio, serviços e restauração, mas também promover a redução e eficiência no consumo dos recursos naturais, facilitar e comunicar estratégias de sustentabilidade e reconhecer as iniciativas de gestão ambiental.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

Lisbon Marriott Hotel tem nova diretora de Operações

Com mais de 12 anos de experiência, Paula Morgado Lino assume a liderança das operações do Lisbon Marriott Hotel.

Publituris

Paula Morgado Lino é a nova responsável pela operação do Lisbon Marriott Hotel, que pertence ao grupo Sotéis, localizado na Av. dos Combatentes, em Lisboa.

Licenciada em Gestão Hoteleira e Turismo pela Universidade de Gestão Hoteleira do Estoril (2010-2013) e Pós-Graduação em Gestão Hoteleira e Turismo pela Universidade Cornell, Paula Morgado Lino possui mais de 12 anos de experiência em gestão hoteleira, tendo desenvolvido soluções criativas e eficazes de gestão no negócio através da implementação e desenvolvimento de processos inovadores por várias unidades hoteleiras de renome em diferentes países.

Antes de integrar a equipa do Lisbon Marriott, foi diretora de F&B no PGA Catalunya Golf & Wellness Resort (entre 2017 e 2019), esteve no Sandals Royal Bahamian, na capital das ilhas das Bahamas, onde desempenhou funções de & B Manager( 2016).

Anos antes, passou pelo novo Sandals Resorts International Barbados e no Crowne Plaza Shanghai na China.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Emprego e Formação

44% do emprego criado em Espanha, em maio, foi no setor do turismo

Só no mês de maio de 2022, o setor do turismo, em Espanha, criou mais 409.615 empregos face a igual período do ano 2021 e mais 32.962 que em igual mês de 2019.

Publituris

Segundo as contas efetuadas pela Turespaña, o mês de maio terminou, em Espanha, com 2.608.600 pessoas inscritas na Segurança Social do país vinculadas a atividades turísticas, o que corresponde a mais 409.615 trabalhadores face a igual período do ano 2021 e a mais 32.962 que em igual mês de 2019.

Estes dados revelam que a atividade turística, em Espanha, foi responsável por 44% da criação de emprego no quinto mês de 2022, representando 12,9% do total da força de trabalho inscrita na Segurança Social.

“A recuperação do setor está a gerar um forte aumento na criação de trabalho, que ultrapassou 2,6 milhões de inscritos, em maio, na Segurança Social, o maior número registado em maio”, destacou a ministra da Indústria, Comércio e Turismo espanhola, Maria Reyes Maroto, à imprensa do país vizinho.

A responsável pela pasta do turismo explicou que esta realidade tem sido possível “graças ao “escudo social eficaz implementado pelo Governo durante a pandemia para manter de pé os nossos trabalhadores e empresas do setor do turismo e os elevados níveis de vacinação da população espanhola”, destacando, ainda, que a reforma levada a cabo pelo Governo de Pedro Sanchez permite a criação de emprego de “maior qualidade”.

Reyes Maroto admitiu, também, que Espanha iniciou a temporada de verão com “boas perspectivas”, apesar do contexto complexo derivado da guerra na Ucrânia, concluindo que “o turismo será um dos setores que mais contribuirá para o recuperação económica e criação de empregos neste ano”.

Por atividade, os dados da Turespaña mostram que foi na hotelaria e agências de viagens/operadores turísticos que, de forma conjunta, mais emprego se criou, registando uma subida de 20,7%, comparado com maio de 2021, significando mais de 306 mil empregos na hotelaria (183 mil nos serviços de F&B e 122 mil nos serviços de alojamento), enquanto as agências de viagens conseguiram mais 5.662 novos trabalhadores (+2,3%) e os operadores turísticos aumentaram em mais de 97 mil os empregos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Hotéis de luxo em Portugal podem concorrer aos Beyond Luxury Awards

Esta segunda edição dos Beyond Luxury Awards traz, como novidade, a inclusão de hotéis de luxo em Portugal, tornando-se os primeiros prémios deste setor na Península Ibérica.

Organizados pela plataforma de comunicação e networking The Rooms Collection Magazine, estes são os primeiros prémios em Portugal e Espanha, especificamente concebidos para reconhecer a hotelaria de luxo, atribuídos por um júri profissional e independente. Embora a primeira edição dos prémios, que decorreu no outono de 2020, tenha como foco a hotelaria espanhola, esta edição inclui estabelecimentos portugueses.

Os Beyond Luxury Awards são prémios reconhecidos pela independência da sua organização e do seu júri, composto por especialistas com reconhecida experiência em hotelaria, turismo, gastronomia, design, luxo e comunicação.

Os candidatos concorrem ao prémio numa das 20 categorias (mais 10 do que as que foram premiadas na primeira edição), incluindo o de melhor hotel de luxo do ano em Portugal e Espanha.

Os vencedores serão anunciados em cerimónia exclusiva no dia 10 de novembro no Hotel Finca Cortesín, localizado entre Marbella e Sotogrande (Espanha).

Na primeira edição, o Hotel Finca Cortesín foi precisamente o estabelecimento que ganhou o Prémio Melhor Hotel de Luxo do Ano 2020.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.