Assine já
Meeting Industry

Edição 2023 da FIT Guarda suspensa por falta de garantias de financiamento

Sem garantias de financiamento, calculado em mais de 1,1 milhões de euros, a Câmara Municipal da Guarda decidir suspender a realização da edição deste ano da Feira Ibérica de Turismo, que estava agendada para decorrer entre os dias 28 de abril e 01 de maio.

Publituris
Meeting Industry

Edição 2023 da FIT Guarda suspensa por falta de garantias de financiamento

Sem garantias de financiamento, calculado em mais de 1,1 milhões de euros, a Câmara Municipal da Guarda decidir suspender a realização da edição deste ano da Feira Ibérica de Turismo, que estava agendada para decorrer entre os dias 28 de abril e 01 de maio.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Atout France reúne mais de 900 operadores em torno da oferta francesa
Homepage
Cabo Verde é o país convidado da 4.ª Feira Ibérica de Turismo
Destinos
Espanha considera participação na FITUR uma viagem essencial
Homepage
BTL adiada para 2022
Homepage

“Este ano, não vai haver FIT. O município da Guarda não pode despender mais de 1,1 milhões de euros na FIT, sem que haja um financiamento musculado para a mesma”, declarou o presidente da autarquia, Sérgio Costa, citado pela Agência Lusa.

Segundo Sérgio Costa, que falava aos jornalistas, à margem da reunião camarária quinzenal, depois de o executivo que lidera ter auscultado os vereadores da oposição sobre o assunto, os eleitos do PSD não se pronunciaram, alegando que a decisão era da responsabilidade do executivo, e o vereador do PS considerou que os valores eram “muito elevados em função de outras necessidades que a Guarda tem”.

Explicou, ainda, segundo a Lusa, que em 2019, a FIT custou mais de 750 mil euros aos cofres do município e sem qualquer financiamento e, este ano, o executivo pediu uma orçamentação aos técnicos e os valores apontam para um valor que “já ultrapassa 1,1 milhões de euros”.

“Não temos, ainda, qualquer garantia sobre se no futuro quadro comunitário de apoio, no Portugal 2030, que ainda não iniciou, como bem sabemos, se haverá financiamento para isso. Mas, até lá, seja com este modelo, seja com outro modelo mais ibérico, seja qual for, sem financiamento, nós não podemos fazer a FIT nestes moldes”, justificou.

“Esperemos num futuro próximo podermos encontrar outras formas de parceria e fontes de financiamento para fazer a FIT, porque o município, sozinho, com a sua tesouraria, não pode despender anualmente de mais de 1,1 milhões de euros para fazer a FIT”, disse o autarca, que lamenta a não realização da feira este ano, apesar de considerar que se trata de “uma marca importante”, mas tem um impacto financeiro “muito, muito, mas mesmo muito elevado”.

A feira, que tem por lema “Uma feira. Dois países. O mundo”, era organizada desde 2014 pela Câmara Municipal da Guarda, no Parque Urbano do Rio Diz, mas já não tem lugar desde 2020 devido à pandemia.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Meeting Industry

Odemira recebe “Encontro Anual de Técnicos de Turismo do Alentejo e Ribatejo”

Os cerca de 120 técnicos e responsáveis autárquicos, terão a oportunidade de conhecer um pouco melhor a gastronomia e o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no âmbito da promoção turística no concelho de Odemira.

Publituris

O concelho de Odemira vai receber o “Encontro Anual de Técnicos de Turismo do Alentejo e Ribatejo”, entre os dias 27 e 29 de janeiro, numa iniciativa da Entidade Regional de Turismo e do Município.

Esta iniciativa tem por objetivo dar a conhecer o território de Odemira, promover o contacto e partilha de experiências e boas práticas entre os cerca de 120 participantes.

Os trabalhos iniciam no dia 28 de janeiro, no auditório da Biblioteca Municipal José Saramago, em Odemira, com a apresentação da Associação Rota Vicentina, por Marta Cabral e da Associação das Casas Brancas – Associação de Turismo de Qualidade do Litoral Alentejano e Costa Vicentina, por Mónica McGill. A sessão de abertura conta com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Odemira, Hélder Guerreiro e do Vereador, Ricardo Cardoso.

Após este primeiro momento, segue-se uma vista ao Espaço CRIAR e a Loja da CACO- Associação de Artesãos do Concelho de Odemira. A manhã encerra com uma mostra e prova de produtos regionais no Mercado Municipal de Odemira.

Durante a tarde os participantes terão a oportunidade de conhecer o empreendimento turístico “Craveiral Farmhouse by Belong Staying & Feeling”, na freguesia de São Teotónio e um dos pontos de turísticos emblemáticos do concelho, o Cabo Sardão, situado na localidade do Cavaleiro.

O último dia do Encontro Anual de Técnicos de Turismo do Alentejo e Ribatejo fica marcado por uma visita ao centro histórico de Vila Nova de Milfontes guiada pelo historiador Professor António Quaresma, que partirá do Forte de São Clemente.

Durante este fim de semana, os cerca de 120 técnicos e responsáveis autárquicos, terão a oportunidade de conhecer um pouco melhor a gastronomia e o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no âmbito da promoção turística no concelho de Odemira.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Abertas inscrições para participação na WTM – Latin America em São Paulo

Estão abertas as inscrições para participação na edição de 2023 da World Travel Market Latin America (WTM-LA), que terá lugar entre os dias 3 e 5 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo (Brasil).

Publituris

A assinalar o seu décimo aniversário, a WTM – LA é considerada o principal evento B2B da indústria de viagens na América Latina, voltado para a realização de negócios, e que combina a oferta de conhecimento e conteúdo qualificado com o networking.

Grandes líderes e profissionais de turismo interessados no mercado latino-americano já estão confirmados para o encontro que facilita a prospeção e realização de negócios, além de destacar as principais novidades, tendências e transformações do setor. A feira é destinada a profissionais de turismo de todo o mundo.

A World Travel Market Latin America propõe-se levar a América Latina ao mundo e trazer o mundo à América Latina, especialmente nas áreas do lazer, M&I e Corporativo, enquanto espaço de encontros para a promoção de negócios no âmbito da indústria turística.

Em 2022, o evento reuniu 20 mil pessoas para explorar a oferta dos 565 expositores e conferir a programação dos três teatros temáticos. O foco em negócios segue como o pilar que norteia a área de exposição e a programação de palestras que, este ano, tem o mote “Descobrindo Novos Horizontes”.

A organização da feira confirmou também a realização da cerimónia de entrega da terceira edição do Prémio de Turismo Responsável, que reconhece as iniciativas mais inspiradoras no turismo sustentável e responsável na região.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

“As formas de consumo de serviços estão cada vez mais centradas na experiência”

Presente no mercado desde 2007, a HCollective oferece uma panóplia de serviços, desde eventos físicos a digitais, ‘experience boxes’, ‘booking’ de talentos a ‘storytelling’ digital. Com o ano de 2022 a revelar uma “avalanche” de eventos, André Henriques, ‘partner’ e CEO da HCollective, admite um regresso aos eventos físicos, embora saliente que se “sente uma vontade de tornar os eventos menos opulentos e dispendiosos”.

Victor Jorge

Fundada bem antes da pandemia, mais concretamente, em 2007, a HCollective posicionou-se no mercado com o objetivo de entregar algo diferenciador no mundo do entretenimento. Com a pandemia, o desafio passou “essencialmente por conseguir reajustar as nossas valências às novas necessidades”, refere André Henriques, partner e CEO da HCollective, salientando que o processo passou por “transpor o entretimento normalmente a entregar em palco para conteúdos digitais. Foram realmente anos de ajuste do que fazíamos e do que desde então passámos a fazer”, reconhece.

“Os eventos físicos foram os mais afetados e no fundo tudo o que deles dependia da produção aos artistas”, com a necessidade destes “reajustarem a forma de atuar”, dando o partner e CEO da HCollective o exemplo dos pedidos para DJ Sets e bandas que “pararam por completo”, havendo a necessidade de “começar o trabalho de adaptar novamente a oferta às necessidades”. Já os artistas digitais, como os “Insónias em Carvão”, tiveram um pico de atividade durante a pandemia que, salienta André Henriques, “se estendeu até aos dias de hoje”.

Depois de no início do ano as portas da COVID terem sido abertas, “a avalanche começou”, afirma André Henriques, reconhecendo que 2022 foi um ano “atípico, com muitos eventos, mas com um planeamento muito em cima das datas”. O que, por norma, eram pedidos com “antecedência e alguma ponderação”, em 2022 isso “logicamente não aconteceu”.

Por outro lado, os eventos digitais que ainda eram “embrionários” na estrutura da HCollective, passaram a estar na “pole position do que apresentávamos aos nossos clientes e com ótimos resultados”, dando como exemplo o prémio obtido pelo Observatório da Comunicação por um evento interno de Natal da Leroy Merlin.

Não há eventos iguais
Assim, ao longo do tempo pandémico houve uma “especialização em contar estórias, sejam elas em palco ou fora dele”, apontando André Henriques como maiores desafios os eventos e experiências ‘Taylor Made’, “feitas à medida de cada cliente”. Nesse aspeto, o responsável da empresa destaca o ‘Millennium Crush’ que “começou a ganhar tração no mercado corporativo” e o ‘I Love Baile Funk’ que “voltou a conquistar o país depois dos anos de pandemia, com um total de 42 atuações, 54 emissões de rádio e duas músicas lançadas”.

Quanto à forma de trabalhar, “todos colaboram olham para os projetos como únicos”, salientando André Henriques que “não há duas conversas iguais, não há duas pessoas iguais e como tal, não há dois eventos iguais”. Por isso, a experiência das pessoas que envolvem a HCollective permite “pensar em comunicação adaptada a entretenimento. As histórias que contamos e as que nos pedem para contar são pensadas ao detalhe”, o que faz com que “os briefings mais maçadores e pesados se transformem em conteúdo que gera aceitação, cria memórias e essencialmente surpreende”.

André Henriques, partner e CEO da HCollective

A realidade de hoje também é diferente e André Henriques reconhece que “longe vão os anos em que os clientes não tinham um grande conhecimento do trabalho de uma agência”, admitindo que hoje o mercado é “muito mais informado e à distância de um click pode refutar uma séria de variáveis envolvidas no negócio”. Assim, o partner e CEO da HCollective refere que “os clientes procuram agências em quem possam confiar na exata medida do preço/qualidade” e que “necessitam de sentir que estamos com eles a longo prazo e de braço dado”. No fundo, “sentir cada desafio como nosso e antecipar o que o futuro reserva”.

Por outro lado, as preocupações ambientais também passaram a ser parte integrante de cada briefing. “A sustentabilidade é agora uma palavra comum nos pedidos que temos e devemos atender”, incluindo André Henriques a sustentabilidade como “nova tendência” na esperança que “rapidamente passe a hábito permanente”.

Regresso ao passado
Com a pandemia a desvanecer, os pedidos para eventos digitais são hoje “escassos” e a grande maioria das empresas voltou a juntar fisicamente os colaboradores para celebrações, reuniões e outros eventos. Isso faz com que os eventos híbridos sejam em maior número que em período de pré-pandemia, embora o responsável da HCollective afirme que “não sejam uma tendência com grande impacto”.

Quanto ao futuro, André Henriques destaca que “as formas de consumo de serviços estão cada vez mais centradas na experiência”, embora saliente que, por vezes, “esquecemo-nos que ela [experiência] já existe e que muitas vezes não é boa”. Por isso, tratar dos essenciais de um evento “eleva a experiência a outro nível”, dando como exemplo, os “acessos, bares, casas de banho e sistema de som, se bem trabalhados, já transformam a normal experiência em algo positivo”. Depois, “existem os complementares que abordam de forma diferente o que todos tomamos como normal e então elevamos a tal normal experiência a algo memorável”, afirma André Henriques.

Já no que diz respeito aos tempos incertos que se avizinham, André Henriques admite que tem sido um “processo de escolhas”. No fundo, tempos difíceis trazem “melhor perceção de consumo com opções mais conscientes”, reconhecendo que, “muitas vezes a aposta na desconstrução do evento clássico acaba por conseguir o efeito pretendido com menos custos”.

Assim, neste Natal o partner e CEO da HCollective refere que se “sente uma vontade de tornar os eventos menos opulentos e dispendiosos, não só pelos custos associados como também por uma responsabilização interna de cada empresa pelos mesmos”.

“As matérias-primas estão mais caras, a mão de obra também e o fantasma real da crise tem travado alguns investimentos mais dispendiosos, mas isto não significa que os eventos tenham parado, pelo contrário, estão é mais ajustados”, diz André Henriques.

Com uma subida do número de colaboradores em 50%, no último ano, o responsável da HCollective refere que “a maioria deles já eram pessoas que tínhamos referenciados”, avançando que “temos aberto vagas regularmente através das nossas redes sociais e a participação tem sido excelente”.

Já quanto ao negócio, André Henriques admite que “vai ser um ano de reajustes. Os ecos dizem que não será financeiramente um ano fácil, mas a forma como a pandemia nos moldou já traz uma experiência redobrada para os desafios que estão para vir”.

Por isso, a HCollective tem um plano “ousado e com vontade de dar ainda mais passos na consolidação dos eventos de média e grande dimensão”. E 2023 começa em grande pelo Coliseu, concluindo André Henriques que, em breve, “começamos a revelar os passos que vamos dar. Cautelosos, mas cheios de ambição”.

 

2022 foi de lançamento de novos produtos e também de consolidação de outros na HCollective

Em fevereiro a empresa começou, em Lisboa, com a aventura ‘Millennium Crush’, “uma experiência revivalista dos anos 2000, cheia de convidados, surpresas em palco e muitas outras fora de palco”.
Daí para o Algarve no Verão para o ‘Lick’, já com convidados internacionais como Kevin Little e Luciana Abreu que “acertou em cheio no coração de todos os ‘Millennials’”. Foi também durante o Verão que a HCollective organizou com o ‘Millennium Crush’ a abertura da Supertaça para a FPF no jogo Porto-Tondela com 40 mil pessoas a assistirem ao espetáculo.
Já para o fim do ano, a HCollective irá celebrar os 10 anos do ‘I Love Baile Funk’, “líder incontestado do segmento funk em Portugal e com uma trajetória que começa na altura em que era apenas um nicho de mercado até aos dias de hoje em que o género musical ganhou um peso e preponderância a nível mundial”, diz André Henriques.
Para o final de 2022, a HCollective está a organizar a Passagem de Ano no Coliseu com o ‘I Love Baile Funk’ em todas as suas vertentes, seja o show de palco, seja o Baile na Cidade pela Cidade FM ou até mesmo as edições musicais enquanto ILBF.
No fundo, a primeira data de uma Tour de 10 anos que começa no palco do Coliseu no dia 1 de janeiro de 2023.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Meeting Industry

FITUR fecha com mais de 220.000 visitantes

A FITUR 2023 fechou o evento com mais de 220.000 visitantes – 136.000 profissionais e 86.000 de público geral. No digital marcaram foram ainda registadas mais de 146.000 visitas. Para a edição de 2024, o país convidado será o Equador.

Victor Jorge

A Feira Internacional de Turismo (FITUR) 2023, evento que fechou portas no passado domingo, 22 de janeiro, encerrou com mais de 222.000 visitantes, dos quais 136.000 profissionais e 86.000 de público geral. Estes números representam um crescimento total de 99,6% face ao evento do ano passado, e de mais 68% no público profissional, relativamente à FITUR 2022, sendo que no público geral, o número foi multiplicado por três.

Na feira deste ano marcaram presença 8.500 empresas, 131 países, 755 expositores, nos oito pavilhões que a IFEMA dedicou à FITUR 2023 em perto de 67 mil metros quadrados líquidos de área de exposição, igualando, desta forma, a ocupação de 2020.

A organização da FITUR já tinha avançado que estimava em aproximadamente 400 milhões de euros o impacto económico da feira na comunidade de Madrid. Na componente digital, a IFEMA destaca outro recorde, informando que foram registadas 146.000 visitas ao site do evento.

Nesse contexto, a plataforma digital FITUR LIVEConnect, que complementa a feira com um formato híbrido, contabilizou mais de 56.000 registos contra os 31.000 de 2022.

Quanto à exposição mediática do evento, a FITUR registou a acreditação de 6.374 jornalistas, mais 58% que em 2022, dos quais 5.861 eram espanhóis e 513 de 46 países internacionais.

Para a edição de 2024, foi já anunciado o país convidado/parceiro – Equador – tendo sido assinado o acordo entre o ministro do Turismo do Equador, Niels Olsen, e o presidente do Comité Executivo da IFEMA Madrid, José Vicente de los Mozos.

De referir que Portugal esteve presente 92 empresas e as sete agências regionais de promoção turística (ARPT), contabilizando-se ainda mais algumas participações isoladas do stand do Turismo de Portugal.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Prémios

Conheça os nomeados dos “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023”

Os “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL” têm na sua edição de 2023, uma centena de nomeados. As votações terminam a 17 de fevereiro de 2023.

Publituris

Estão lançados os “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023”. Para a edição deste ano, existem 100 nomeados em 16 categorias, havendo ainda lugar ao prémio de “Personalidade do Ano”, atribuído diretamente pela redação do jornal Publituris.

Tal como na edição de 2022, os vencedores serão encontrados através de uma média ponderada entre os votos do Júri (45%), dos assinantes do jornal do Publituris (45%) e subscritores da newsletter diária do www.publituris.pt (10%).

Face às edições anteriores dos “Publituris Portugal Trade Awards” existem categorias que transitam para os “Publituris Travel Awards” que se realizarão no final do mês de junho de 2023. As categorias que transitaram para os “Publituris Portugal Travel Awards” foram todas as categorias relacionadas com a hotelaria, rent-a-car, cruzeiros, parques temáticos, animação turística e marinas.

A entrega dos “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023” realizar-se-á no dia 1 de março de 2023, a partir das 17h00, na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) 2023.

A votação online decorre no site dos prémios – https://premios.publituris.pt/ – entre os dias 23 de janeiro de 2023 e 17 de fevereiro de 2023.

Para validar o voto é exigida a introdução do e-mail, que terá de ser idêntico ao de registo na newsletter do Publituris.pt.

Os nomeados dos “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023” são:

Melhor Operador Turístico
Icárion
Lusanova
Nortravel
Quadrante
Solférias
Soltour
Soltrópico
Sonhando
Viajar Tours

Melhor Agência Corporativa
Carlson Wagonlit Travel (CWT)
Cosmos
Globalis
Osiris
TQ Travel Quality
Travelstore American Express GBT
Wide Travel

Melhor Consolidador
Consolidador.com
Magnet
TUI Air Cruiser

Melhor DMC
Abreu Events
Buzz Travel
CITUR
DTravel
EC Travel
In Tours
Inside Tours
PT DMC by Em Viagem

Melhor Distribuidor B2B
Bedsonline
Tour10
Turitravel
Veturis
W2M

Melhor GSA Aviação
APG
ATR
Select Aviation
Silon Aviacion
Summerwind

Melhor Sistema Global de Distribuição
Amadeus
Destinux
Travelport

Melhor Empresa de Transfers
CM Private Luxury Tours
DP Tours Plus
Specialimo
Timeless
VIP Limousines
Yellowfish

Melhor Empresa Gestão Hoteleira
AHM
Amazing Evolution
Blueshift
DHM
Unlock Boutique Hotels

Melhor Empresa Software Gestão Hoteleira (PMS)
CLEVER
GuestCentric
HiJiffy
HOST
Newhotel
Paratytech
RoomRaccoon
XLR8RMS

Melhor Startup
Handyhostel
LUGGit
Merytu
Pleez
Sciven
YooniK

Melhor Consultoria e Assessoria Turismo
ABC Hospitality
IPDT
Neoturis
Pendular
PHC
Viability

Melhor Formação Turismo
Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril
Escolas de Turismo de Portugal
ISAG
ISCE
NOVA SBE Westmont Institute of Tourism & Hospitality
Universidade de Évora
Universidade Europeia

Melhor Seguradora de Viagens
Allianz
Europe Assistance
IATI Seguros
In Sure Brokers
Liberty
MAPFRE
MDS
SGS

Melhor Empresa Organização de Eventos
29 Graus
Desafio Global
GR8
H2N
NIU – Brand Activation
Voqin´

Melhor Venue para Eventos e Congressos
Alfândega do Porto
Altice Arena
Altice Forum Braga
CCB
Centro de Congressos do Estoril
Convento de São Francisco
Convento do Beato
WOW Porto

Personalidade do Ano 2022
Prémio atribuído diretamente pela redação do jornal Publituris.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Nova edição: Os nomeados dos Portugal Trade Awards, Lisboa e autocarros de turismo

A nova edição do Publituris faz capa com os nomeados para os Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023, que vão ser entregues no primeiro dia da BTL, a 1 de março. Além disso, inclui também um especial sobre Lisboa, um dossier sobre autocarros de turismo e passageiros, uma entrevista com o responsável da VARIAÇÕES e um artigo sobre a Turiset, a primeira agência em Portugal a ostentar o selo ‘Checked by DECO’.

Publituris

A nova edição do Publituris, a última do primeiro mês de 2023, faz capa com os nomeados para os Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023, que vão ser entregues no primeiro dia da BTL, a 1 de março.

Este ano, são 100 os nomeados, em 16 categorias, às quais acresce o prémio “Personalidade do Ano”, que é escolhido diretamente pela equipa do Publituris. A votação online arranca já na próxima segunda-feira, 23 de janeiro, prolongando-se até 17 de fevereiro.

Nesta edição, publicamos também um especial sobre Lisboa, destino cuja marca está a puxar toda a região, segundo Vitor Costa, presidente da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa e diretor-geral da Associação de Turismo de Lisboa (ATL). Neste trabalho, saiba também porque quer a ATL repensar a estratégia turística para a região, através das palavras da diretora executiva da associação, Paula Oliveira, fique a par das novidades da hotelaria na região da capital para este e para os próximos anos e conheça ainda a nova Doca da Marinha, que promete aproximar Lisboa do Tejo.

Na secção Distribuição, publicamos ainda um artigo sobre a Turiset, que se tornou na primeira agência de viagens em Portugal a ostentar o selo “Checked by DECO”, e, em MI, o destaque vai para uma entrevista com Diogo Vieira da Silva, diretor-executivo da VARIAÇÕES – Associação de Comércio e Turismo LGBTI+, que vai estar presente na BTL 2023 e que pede que Portugal crie uma estratégia para este segmento, que vale perto de 50 mil milhões de euros.

O Dossier desta edição do Publituris é dedicado aos autocarros de turismo e passageiros, que se mostram mais confiantes em relação a 2023, uma vez que, com a melhoria da situação epidemiológica, a procura parece estar a regressar. Apesar de positivas as expetativas para este ano, as empresas mostram-se moderadamente otimistas, uma vez que os desafios continuam a ser muitos e foram agravados com a guerra na Ucrânia, nomeadamente ao nível dos custos com o combustível, aos quais estas empresas estão particularmente expostas. Neste dossier, saiba ainda que novidades estão as empresas de autocarros de turismo e passageiros a preparar para este ano.

Além do Pulse Report, esta edição conta ainda com as opiniões de Francisco Jaime Quesado (economista e gestor); Mariana Marques (docente do ISG); Andrea Santos, Filipe Trindade e Gilda Mendes (coordenadores da Pós-Graduação em Organização de Eventos do ISAG); e António Paquete (economista).

Boas leituras!

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do Publituris. Pode comprar apenas esta edição ou efetuar uma assinatura do Publituris aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Carmo David | [email protected] | 215 825 43

Nota: Se já é subscritor do Publituris entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção Premium – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler, abra o epaper com os dados de acesso indicados no final do resumo de cada edição.

 

 

 

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Turismo

Portugal espera repetir este ano crescimento do turismo acima do esperado de 2022

“Aquilo que estamos a prever para 2023 é continuar o crescimento que tivemos em 2022, obviamente, com grandes incertezas, da guerra na Ucrânia até à inflação. Mas acreditamos que estamos muito bem posicionados”, afirmou Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal.

Publituris

Portugal apresenta-se na Feira de Turismo de Madrid (FITUR), com 92 empresas num expositor de 900 metros quadrados do Turismo de Portugal, além da presença das sete regiões turísticas do país (Porto e Norte, Centro, Alentejo, Algarve, Madeira e Açores) e diversos municípios e entidades intermunicipais em ‘stands’ próprios na FITUR, com a expectativa de repetir este ano o crescimento do setor acima do que tinha sido previsto para 2022 e de captar mais turistas em Espanha.

O ano passado é já “o melhor de sempre do ponto de vista de receitas” do turismo português, com uma estimativa de mais de 22 mil milhões de euros, que comparam com os 18,4 mil milhões de 2019, o último sem qualquer impacto da pandemia de covid-19, disse aos jornalistas o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, em Madrid, na abertura da FITUR.

“Recuperámos antes do que prevíamos”, sublinhou o presidente da entidade responsável pela promoção de Portugal como destino turístico.

“Aquilo que estamos a prever para 2023 é continuar o crescimento que tivemos em 2022, obviamente, com grandes incertezas, da guerra na Ucrânia até à inflação. Mas acreditamos que estamos muito bem posicionados. Um exemplo disto é esta feira, a FITUR”, acrescentou Luís Araújo, que destacou que o mercado espanhol é atualmente o segundo maior para Portugal em número de hóspedes e o quarto em termos de receitas.

Em relação a Espanha há, assim, segundo Luís Araújo, “um trabalho a fazer” para aumentar as receitas, através de “segmentos específicos” do mercado.

De um ponto de vista mais global, a estratégia é “tentar diversificar ainda mais o núcleo de mercados” que são fundamentais para o turismo português, afirmou.

Para este objetivo, uma das chaves de crescimento está nas ligações aéreas, de que o turismo português depende por causa da localização geográfica do país.

“Temos conseguido retomar as rotas que tínhamos perdido em 2020 e 2021 e estamos já com os indicadores muito próximos [aos dos anos anteriores]. Este ano, 2023, vamos ultrapassar 2019. É uma das grandes âncoras para a retoma do setor”, afirmou o presidente do Turismo de Portugal.

Luís Araújo destacou que “o crescimento faz-se em todos os aeroportos” e deu como exemplo, precisamente, Espanha, país que teve ligações com os cinco aeroportos nacionais portugueses no ano passado, através da companhia aérea espanhola Iberia, “um fator ótimo de distribuição” de turistas, principalmente de mercados a que no passado Portugal não chegava, como o mexicano ou outros da América do Sul.

“O nosso papel é, em conjunto com cada um dos nossos aeroportos, e há ainda margem para crescer em muitos dos aeroportos, tentar demonstrar esta capacidade de atração para todas as regiões. Aquilo que nós entendemos é que existe obviamente um ‘hub’, que é Lisboa e faz esta distribuição, mas existem muitos motivos de interesse para muitos mercados para destinos como Algarve, o norte ou as ilhas”, afirmou.

Presente na FITUR está também o secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços (SETCS), Nuno Fazenda, que destacou, em declarações aos jornalistas, a importância do mercado espanhol e a “forte presença” de empresas nacionais na feira de Madrid deste ano.

“O mercado espanhol é um mercado muito importante para o nosso país, é o segundo maior mercado em dormidas e o primeiro em algumas regiões, como o Norte, Centro e Alentejo. E, nesse contexto, temos também de trabalhar vários segmentos para crescer também em valor e crescer também no interior, no território do interior de Portugal”, afirmou.

O ministro da Economia, António Costa Silva, e a ministra espanhola do Turismo, Reyes Maroto, apresentam esta quinta-feira, 19 de janeiro, a Estratégia de Cooperação Transfronteiriça entre Portugal e Espanha para o setor do turismo, que foi acordada na última cimeira ibérica, em novembro passado.

“É um reforço para desenvolver também turisticamente o interior do nosso país”, sublinhou Nuno Fazenda, que considerou a região transfronteiriça “uma centralidade ibérica” que é necessário potenciar através da promoção turística, mas também do aumento e melhoria das ligações aéreas, rodoviárias e ferroviárias entre Portugal e Espanha, como está previsto, sublinhou, no âmbito de investimentos com fundos europeus dos planos de recuperação e resiliência.

O secretário de Estado manifestou-se “muito satisfeito” com a adesão de empresas e outras entidades a esta edição da FITUR, com vista à afirmação de Portugal como destino turístico no mercado espanhol.

Em paralelo, defendeu a continuidade na aposta dos mercados estratégicos para Portugal dentro e fora da Europa, onde está concentrada 80% da procura turística do país.

Neste contexto, deu como exemplo o sucesso recente da aposta nos Estados Unidos, que transformou este país no quinto com maior peso no turismo português.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

FITUR contribuirá com 400 milhões de euros para a economia de Madrid

Com início já no próximo dia 18 de janeiro, a FITUR 2023 espera cerca de 120.000 visitantes profissionais, enquanto as visita de público geral deverá ficar entre as 80 a 90 pessoal. A organização antecipa, também, um crescimento de 32% da participação direta face à última edição de 2022, com a participação internacional a evoluir 50%.

Victor Jorge

A poucos dias do início da FITUR 2023, evento que se realiza de 18 a 22 de janeiro, a organização dá conta que os números confirmam um “crescimento significativo” da feira, com a ocupação a assemelhar-se ao do ano recorde de 2020. No total, contabilizam-se 8.500 participantes, 131 países, 755 expositores principais e perto de 67 mil metros quadrados de área de exposição, admitindo a organização da FITUR um contributo de mais de 400 milhões de euros para a economia de Madrid em setores como o alojamento, transportes, comércio, lazer, restaurantes e serviço de catering.

No que diz respeito à participação direta, a organização antecipa um crescimento de 32% face à última edição de 2022, com a participação internacional a evoluir 50%. Assim, estima-se que o número de visitantes profissionais alcance os 120.000 e que a visita de público geral se fixe entre 80 a 90 mil no fim-de-semana.

Em termos de participação internacional, e por zona geográfica, também se regista um crescimento significativo face à última edição da feira. Neste ano, a Ásia-Pacífico destaca-se, com um aumento de 163% nas empresas participantes; Oriente Médio, +60%; África, +88%; Europa, +42%; e as Américas +30%. Esses aumentos também se refletem no espaço expositivo internacional, onde África, que aumenta o seu tamanho na feira em 146%, a Ásia em +78%, o Oriente Médio em +437% e a Europa em +32%, estão entre os destaques.

A participação empresarial também teve um aumento significativo, com 25% a mais de empresas de turismo e 27% a mais de empresas de tecnologia, que aumentaram a sua área de exposição em até 50%.

Guatemala apresenta novidades
Enquanto país parceiro e convidado, Guatemala irá apresentar as novidades do destino sob o mote “Guatemala. Amazing and Unstoppable”. Assimm, o stand do país da América Central será um reflexo da cultura e tradição guatemalteca, graças à exposição de tecidos típicos, cores vibrantes, constituindo, igualmente, uma homenagem ao património e à biodiversidade que caracterizam os destinos guatemaltecos.

A nova marca que Guatemala apresentará na FITUR 2023 abrange pela primeira vez as indústrias de turismo, economia, investimento e cultura, com o Instituto Guatemalteco de Turismo (INGUAT) a focar as suas atenções, igualmente, no desenho e desenvolvimento do stand, tendo em mente a sustentabilidade.

De referir que o turismo é uma indústria chave para a Guatemala, representando 3,8% do PIB (ano de 2021), gerando perto de 200.000 empregos.

Depois de alguns anos em que o número de visitantes estrangeiros se reduziu devido à pandemia, os números estão a crescer de forma muito positiva, graças aos esforços do INGUAT para promover o turismo na Guatemala. Durante o primeiro semestre de 2022, a Guatemala recebeu 770.876 visitantes estrangeiros, mais 513.002 do que em 2021, representando uma evolução de 199%. Graças à forte estratégia de promoção que está a ser conduzida, a previsão para 2023 é que o destino alcance cerca de 2,2 milhões de turistas.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Meeting Industry

Sertã vai ser palco do 1º Encontro Nacional de Turismo em Espaço Rural

Numa organização da Associação de Hotéis Rurais de Portugal (AHRP), a Sertã vai acolher, nos dias 10 e 11 de fevereiro, o 1º Encontro Nacional de Turismo em Espaço Rural, que visa analisar questões que têm a ver com a valorização do setor e os desafios que se colocam no futuro.

Publituris

O evento, que acaba de ser apresentado publicamente, é dedicado ao setor do turismo em espaço rural e às empresas do turismo que atuam em meios rurais, profissionais de unidades de alojamento TER, animação turística, restauração, fornecedores deste setor, operadores turísticos e agentes de viagens.

Diz ainda a Associação que, com este encontro pretende-se capacitar os participantes das mudanças no mercado, partilhar experiências e contactos com capacidade para gerar negócios, e ajustar a oferta de modo a melhorar o setor dos serviços turísticos.

Esta conferência de apresentação contou com a participação do presidente do município da Sertã, da chefe de núcleo da Entidade regional do Turismo Centro de Portugal, do presidente da Associação de Hotéis Rurais de Portugal e do presidente da comissão organizadora do evento.

Cândido Mendes, presidente da direção da AHRP, chamou a atenção para a evolução do turismo em espaço rural (TER) e para as suas especificidades, salientando, ainda, a quantidade e a qualidade das unidades de alojamento de turismo em espaço rural, sendo que o 1º Encontro Nacional de Turismo em Espaço Rural deverá capacitar as empresas do setor, para um mais e melhor turismo, sem esquecer a sustentabilidade caraterística do turismo rural.

“O turismo rural é um subsetor do turismo que tem crescido imenso nos últimos anos, não só quantitativamente como qualitativamente e que pode dar um grande contributo para o desenvolvimento das economias locais”, afirmou Cândido Mendes, da AHRP, durante a apresentação do evento, na Sertã. Assim, o responsável destacou que a Associação propôs-se realizar a iniciativa, devido ao “salto quantitativo e qualitativo” que este subsetor turístico registou em Portugal.

A apresentação do programa do evento foi desenvolvida por Jorge Vieira, presidente da comissão organizadora, que destacou as temáticas principais que estarão em debate, sendo estas a sustentabilidade do TER, a gastronomia, a digitalização do setor e um destaque especial para a comunicação e para as vendas, de um segmento com necessidades muito específicas.

Por sua vez, Adriana Rodrigues, do Turismo Centro Portugal, disse que o turismo deixou de ser um fenómeno exclusivo das praias e das grandes cidades, realçando que “o turismo em espaço rural ganhou força enquanto conceito e passou a fazer parte das estatísticas e conquistou o seu próprio espaço. O seu crescimento, em pouco mais de três décadas, foi exponencial”.

Segundo a responsável, que avançou com dados da Pordata referentes a este subsetor do turismo, atualmente há cerca de 24 mil camas em turismo rural no país, ou seja, já é um fenómeno consolidado, tendo passado de apenas uma moda para “ser uma alternativa séria a outros tipos de turismo, que foram e que são considerados convencionais”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Soltour vai à FITUR para apresentar novidades para 2023

A Soltour Travel Partners marca presença na FITUR com uma agenda completa de iniciativas. O Soltour Travel Partners Summit será palco de 13 iniciativas que, além de um olhar sobre o futuro do turismo, mostrará, também, os quatro destinos prioritários para 2023.

Publituris

A Soltour Travel Partners vai marcar presença na FITUR – Feria Internacional del Turismo, que tem lugar de 18 a 22 de janeiro, em Madrid, prometendo uma agenda cheia de iniciativas, tendo em vista debater o futuro, novidades, preocupações e soluções da indústria.

Para os três dias dedicados ao público profissional (18, 19 e 20 de janeiro), a Soltour Travel Partners irá organizar atividades e apresentações diversas na sua Soltour Travel Partners Summit.

Durante os três primeiros dias profissionais da feira, a empresa vai organizar um total de 13 atividades e conferências, segmentando-as em mesas-redondas, palestras, conferências e atividades diversas que contarão com a presença de diferentes especialistas de cada setor.

Em comunicado, a empresa refere que o compromisso da Soltour Travel Partners passa por “disponibilizar às agências de viagens conteúdos de elevada qualidade e utilidade, sob temáticas diferenciadas e atuais – como a importância dos hotéis para descobrir e conhecer a cultura dos destinos, a especialização da operação turística, os novos desafios que as companhias aéreas enfrentam em matéria de sustentabilidade, o papel das redes sociais e o futuro das agências de viagens”.

No que diz respeito ao futuro das agências de viagens, a mesa-redonda incidirá o seu foco na digitalização do setor turístico, a sua progressiva recuperação económica e os desafios – e soluções – que enfrentam hoje as agências de viagens.

Os novos parceiros da empresa também estarão em destaque durante a FITUR. Por um lado, a Guest Incoming especializa-se na costa portuguesa e na costa espanhola e, há alguns meses, trabalha intensamente com a Soltour Travel Partners para desenvolver uma nova área de negócio focada nas zonas costeiras.

A Europamundo, por sua vez, destaca-se pelo seu profundo conhecimento dos circuitos de viagens personalizados e flexíveis, enquanto a Luxotour é expert em circuitos de viagens no norte de África e no Oriente. A esta nova lista juntar-se-á um novo parceiro especializado, que oferecerá um bed bank através de uma nova ligação comercial à Soltour Travel Partners.

Para Tomeu Bennasar, CEO de Soltour Travel Partners, “estas novas alianças vão permitir que sejamos muito mais competitivos, reforçando o nosso compromisso de oferecer às agências de viagens produtos e soluções inovadoras, diversificando ainda mais a nossa oferta e dotando as agências de maior competitividade, enquanto melhoramos a experiência dos nossos serviços e das nossas viagens”.

Além disso, serão levadas a cabo diversas conversas que abordarão diferentes aspetos-chave do setor turístico, dos quais se destaca o Metaverso. Silvia Leal, comunicadora de ciência e especialista internacional em tecnologia e tendências do futuro, explicará o que é e como funciona o metaverso, as suas aplicações concretas e todas as possibilidades que esta ferramenta em crescimento pode oferecer ao turismo.

A somar a outros encontros promovidos como, por exemplo, entre Encarna Piñero (CEO do Grupo Piñero) e Gabriel Escarrer (Vice-Presidente Executivo e CEO da Meliá Hotels International), que vão debater os desafios do turismo em 2023, a Soltour Travel Partners apresentará ainda os seus quatro destinos prioritários para 2023 com importantes novidades: Riviera Maya, República Dominicana e Cabo Verde.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.