Edição digital
Assine já
PUB
Distribuição

Distribuição aponta 2023 como ano da incerteza

Se 2022 foi o ano de recuperação das mazelas que a pandemia provocou ao setor das viagens e turismo, 2023 é apontado como o ano da incerteza por razões que vários players da área da distribuição explicaram ao Publituris.

Carolina Morgado
Distribuição

Distribuição aponta 2023 como ano da incerteza

Se 2022 foi o ano de recuperação das mazelas que a pandemia provocou ao setor das viagens e turismo, 2023 é apontado como o ano da incerteza por razões que vários players da área da distribuição explicaram ao Publituris.

Sobre o autor
Carolina Morgado
Artigos relacionados
Solférias esclarece desaconselhamento de viagens para o Egito
Destinos
Tiger Team reclama infraestruturas de raiz para servir o MICE
Meeting Industry
ALEP passa a integrar o novo Conselho Diretivo da CTP
Alojamento
Vila Galé transmite pela primeira vez a sua convenção anual ao público externo
Alojamento
Soltour disponibiliza preços especiais em alojamento para o verão
Distribuição
GuestReady registou mais de 16 mil reservas no primeiro trimestre de 2024
AL
Go4Travel elege novo Conselho de Administração
Agências
Marina de Vilamoura International Boat Show apresenta 27ª edição na Nauticampo
Meeting Industry
Real Madrid World abre portas no Dubai
Destinos
Mercan adquire o Hotel Califórnia Urban Beach em Albufeira
Alojamento

“A única certeza, já sabemos, é a incerteza”. É assim que o presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira perspectiva, para o turismo, o ano que agora começou, isto porque, “a guerra é uma desolação com efeitos negativos em todos e a inflação pode gerar retração no consumo de viagens”. No entanto, conforme refere, comparando com o ano passado em que num trimestre, o primeiro, “estivemos todos fechados, não encontramos ainda retração efetiva na procura”.

Mesmo assim, Pedro Costa Ferreira julga que no final será “um ano positivo. Se pior ou melhor que 2022, eu esperaria pior, mas é verdade que tenho dialogado com gente absolutamente credível que, exatamente pelo facto de termos tido, em 2022, um trimestre perdido, ainda espera uma performance em 2023 muito semelhante a 2022”.

Já em relação aos principais desafios que o setor do turismo enfrentará em 2023, o presidente da APAVT destaca “a gestão da incerteza”, e interroga: “Para onde vai a guerra? Quais os efeitos da subida das taxas de juro? Como vão responder as empresas, ainda notoriamente fragilizadas, aos desafios da capitalização?”.

No entanto, sublinha que “como sempre, resta-nos esperar o melhor e prepararmo-nos sempre, como pessoas e como empresas, para o pior”.

Também Tiago Encarnação, diretor Operacional da Lusanova refere-se a um ano “cheio de incertezas e sabemos que as perspectivas não são tão otimistas”, apontando que “todos temos consciência que vai existir um abrandamento na procura no setor, motivado pela conjuntura económica”, mas acredita que o turismo conseguirá superar esta nova realidade.

O diretor Operacional da Lusanova relembra que, “por esta altura em 2021, também todos nós enfrentávamos incertezas. Claramente não as mesmas, mas certamente o mesmo estado de dúvida e de insegurança face ao futuro”.

Dificuldades geram oportunidades
Tendo em conta que o setor se mostrou resiliente e extremamente inovador no passado, “tenho esperança que continuará a sê-lo no futuro. Nesse sentido, procuro sempre ser otimista e mesmo com uma quebra na procura, acredito que dificuldades geram sempre oportunidades e novos desafios”, salientou, para acrescentar que “hoje o Turismo tem novas prioridades e para as entender é necessário perceber que não podemos voltar ao “velho normal” e esse será o principal desafio como sector”.

Para onde vai a guerra? Quais os efeitos da subida das taxas de juro? Como vão responder as empresas, ainda notoriamente fragilizadas, aos desafios da capitalização, Pedro Costa Ferreira (APAVT)

Na opinião de Tiago Encarnação, “se em 2022 o desafio era a retoma da confiança em viajar, em 2023 será a adaptação a esta nova normalidade, mais instável e exigente, mas também mais desafiante ao nível dos modelos de negócios”. Neste sentido, “a internacionalização das empresas e a procura de novos mercados serão fundamentais para que as empresas nacionais ganhem a economia de escala necessária para superar os desafios que se colocam”, realçou.

O responsável da Lusanova não esquece “as necessidades de qualificação dos recursos humanos, a retenção de talentos nas empresas, a promoção do património histórico e cultural e a sustentabilidade, que serão cada vez mais importantes se as empresas quiserem continuar a acrescentar valor aos seus serviços e se diferenciarem dos demais”.

Com os olhos postos na mensagem do último congresso da APAVT, “em 2023 temos de olhar para o lado positivo e “Fazer”! É necessário criar, ser autor desta nova realidade e o Turismo, pela importância que tem, não tem só essa necessidade, mas também obrigação de liderar este novo normal”, frisou Tiago Encarnação.

Para a rede de agências de viagens Airmet, segundo o seu diretor geral, Luís Henriques “temos todos a certeza de que será um ano totalmente incerto. Não sabemos de todo o que podemos esperar”, mas sendo um fervoroso otimista, julga que será igualmente um ano que “ajudará na recuperação do prejuízo que este mercado teve durante a pandemia”.

Luís Henriques acredita que a venda se fará mais perto da data de partida pois “toda a incerteza que paira na confiança dos consumidores assim ditará”. O diretor geral da Airmet sublinha que as viagens são já um bem de primeira necessidade, mas “com certeza que as famílias terão de avaliar o seu orçamento para poderem viajar”.

Prevemos um ano que nos vai colocar grandes desafios ao nível das empresas, Adriano Portugal (Mercado das Viagens)

Desafios para 2023 há muitos: “desde o aumento generalizado dos preços, à menor oferta aérea (que fez com que os preços aumentem também devido a este facto), à incerteza económica do país, à dificuldade de recrutamento que as empresas enfrentam…Será com certeza um ano difícil, mas como este setor já nos habitou, conseguiremos ultrapassar as dificuldades e os desafios que o ano nos trará”, frisou Luís Henriques.

Preparados para o que aí vem
É com alguma cautela que Álvaro Vilhena, General Manager do operador turístico Viajar Tours olha para 2023. No entanto, acredita que “continuará a haver muita procura, que a oferta será muitíssimo superior, mas a atual crise económica poderá servir de travão, e que a tendência será para a contratação de viagens menos dispendiosas, o que poderá condicionar os resultados globais”.

Refere que “uma família que não viajou durante dois anos e que gastou três ou quatro mil euros para ir de férias em 2022, irá certamente repensar o seu budget para as férias de 2023”, daí, adiantou, ser necessário ter todos estes fatores em consideração “e ajustar a nossa programação de forma a que a nossa oferta corresponda ao que os clientes procuram. Esperamos mais um ano atípico, mas também estamos mais bem preparados do que nunca”, apontou Álvaro Vilhena.

Adriano Portugal, diretor geral da rede Mercado das Viagens disse que “prevemos um ano que nos vai colocar grandes desafios ao nível da gestão das empresas e que vai implicar, no que se refere aos gastos destinados ao turismo e numa perspectiva mais macro-económica, uma maior taxa de esforço económico às famílias de uma forma geral”. Isto porque, “com a inflação que se tem vindo a verificar e o rendimento disponível a diminuir, o consumo destinado a produtos e serviços que satisfazem necessidades mais complementares como o turismo e o lazer pode traduzir-se em produções não tão interessantes como aquelas que verificamos no ano que agora termina”.

A atual crise económica poderá servir de travão e a tendência será para contratação de viagens menos dispendiosas, o que poderá condicionar os resultados globais, Álvaro Vilhena (Viajar Tours)

O diretor geral do Mercado das Viagens quer, todavia, manter um espírito otimista, considerando que o turismo apesar disso tudo tem vindo cada vez mais a aproximar-se do nível das necessidades básicas para o ser humano”.

Espera-se, por isso, “que continue a haver espaço para as férias e para as viagens de negócio, incentivos, congressos e outros tipos de turismo, onde cada orçamento deverá ser ajustado à necessidade do momento”, defendeu o responsável.

Balanço 2022 – a recuperação
Ao fazer o balanço de 2022, o presidente da APAVT classifica-o de “mais do que positivo”, realçando que “quer no outgoing como no incoming, a palavra-chave foi «recuperação» e, mesmo sabendo que o mercado incorpora respostas assimétricas, de um modo geral os resultados de 2019 «estão aí» outra vez”.

Para as agências de viagens, segundo Pedro Costa Ferreira, 2022 “trouxe ainda um momento significativo de credibilização do sector, o processo de reembolso dos vouchers. Foi possível validar todos os passos que foram dados em direção à satisfação dos direitos dos consumidores e à sobrevivência das empresas”.

Hoje o turismo tem novas prioridades e para as entender é necessário perceber que não podemos voltar ao ‘velho normal’ e esse será o principal desafio como setor”, Tiago Encarnação (Lusanova)

Álvaro Vilhena, General Manager do operador turístico Viajar Tours, considera que 2022 foi, à semelhança de 2020 e 2021, um ano atípico, mas por motivos diferentes. Refere que “os primeiros meses do ano seguiram a tendência dos anos anteriores, com uma procura ainda muito residual e muitas incertezas, até que são levantadas as restrições mais “pesadas” e entramos numa nova fase: a procura ultrapassa largamente a oferta”.

Esta disparidade, precisou, “refletiu-se não só em termos de procura de clientes / oferta disponível no mercado, mas também na falta de recursos humanos nas empresas turísticas. Esta falta foi uma das principais causas do cancelamento de centenas, se não mesmo de milhares de voos (e numa altura em que as frequências de voos ainda estavam claramente abaixo dos valores de 2019), do facto de muitos hotéis e restaurantes não estarem a operar a 100%, ou de haver autocarros parados por falta de motoristas. A procura disparou, mas a capacidade de resposta – que poderia ter contribuído para uma retoma gradual do nosso setor – foi claramente insuficiente, desequilibrada e desajustada”, explicou.

Custo das viagens disparou
Reconhece que as vendas, em termos de volume de faturação, dispararam e, em alguns casos, para números próximos de 2019, mas tal “deveu-se muito mais ao preço das viagens, do que propriamente ao número de viagens contratadas. Os custos anormalmente elevados, reflexo de uma oferta claramente insuficiente, e da tentativa – que em alguns casos classificaria quase como “descarada” – por parte de alguns fornecedores em tentarem recuperar durante estes últimos meses aquilo que não conseguiram produzir durante os últimos dois anos, inflacionaram o valor de venda, mas acabaram por ser os responsáveis por uma capacidade de resposta inferior ao desejável”.

Tiago Encarnação considera que o setor está de parabéns. “Depois de dois anos de pandemia, e a despeito de muitas dificuldades que os trabalhadores e empresas tiveram de ultrapassar, o sector mostrou que é resiliente, sólido e mais do que nunca unido”, declarou o diretor Operacional da Lusanova, defendendo que, numa indústria com players tão diversos, a crise sanitária acabou por impulsionar a integração necessária para que a recuperação fosse uma realidade que representa mais de 15% da riqueza gerada no país”.

Com certeza que as famílias terão de avaliar o seu orçamento para poderem viajar, Luís Henriques (Airmet)

Não esquece que existiram muitos desafios ao longo deste período. “Muitos destinos continuaram fechados, outros foram abrindo as suas fronteiras gradualmente e não nos podemos esquecer da guerra da Ucrânia, que para além de todo o drama humanitário, teve um impacto imediato em outros destinos europeus”, destacou.

No entanto, mesmo assim, segundo este responsável, “a procura não parou de crescer ao longo de 2022 e mesmo que os números de 2019 não tenham sido alcançados, a verdade é que o saldo foi claramente positivo”.

Por sua vez, Luís Henriques, diretor geral da Airmet apontou que o ano de 2022 “foi realmente surpreendente”. Iniciou de uma forma muito tímida, em sua opinião, mas “após o primeiro trimestre foi bastante generoso com um setor que estava completamente sedento de atividade”. E conclui que, mesmo com todas as dificuldades decorrentes da inflação e da guerra da Ucrânia, como o aumento do preço dos combustíveis, “o ano acabou por ser um espetacular tónico para as dificuldades que todos antecipamos para 2023”.

Adriano Portugal explicou que a marca “Mercado das Viagens” finalizou o exercício com um balanço muito positivo e de acordo com as previsões feitas internamente no início de 2022. Embora os três meses iniciais se tenham pautado por alguma incerteza de como se iriam processar as vendas, mercê da possibilidade de novos surtos de Covid19 e um possível novo confinamento e depois o início da guerra na Ucrânia, “o mercado respondeu bem àquilo que eram as expectativas de todos para o período de retoma, e depois de um período muito negro e inaudito para todos os sectores da atividade económica”, evidenciou.

“Notamos que a “Mercado das Viagens” esteve acima dos números verificados em 2019, mas há fatores importantes a ter em conta nesta análise que nos permitiu chegar a conclusões muito interessantes: houve menos produto e também, mas não menos importante nesta análise, menos pessoas a viajar. Isto permitiu-nos concluir que o rácio de rentabilidade por venda pautou-se por um incremento muito positivo, o que resultou em melhorias óbvias nas contas de resultados da nossa rede”, explicou o diretor geral da rede.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Artigos relacionados
Solférias esclarece desaconselhamento de viagens para o Egito
Destinos
Tiger Team reclama infraestruturas de raiz para servir o MICE
Meeting Industry
ALEP passa a integrar o novo Conselho Diretivo da CTP
Alojamento
Vila Galé transmite pela primeira vez a sua convenção anual ao público externo
Alojamento
Soltour disponibiliza preços especiais em alojamento para o verão
Distribuição
GuestReady registou mais de 16 mil reservas no primeiro trimestre de 2024
AL
Go4Travel elege novo Conselho de Administração
Agências
Marina de Vilamoura International Boat Show apresenta 27ª edição na Nauticampo
Meeting Industry
Real Madrid World abre portas no Dubai
Destinos
Mercan adquire o Hotel Califórnia Urban Beach em Albufeira
Alojamento
PUB
Distribuição

Soltour disponibiliza preços especiais em alojamento para o verão

O Bedbank da Soltour powered by WebBeds disponibiliza mais de 430.000 hotéis em mais de 16.000 destinos. Entre os destinos incluídos na oferta, a Soltour destaca Roma, Londres, Paris e Berlim.

Publituris

A Soltour, operador turístico independente no segmento de sol e praia em Portugal e Espanha, está a oferecer alojamento em hotéis de três e quatro estrelas a preços especiais, através do Bedbank da Soltour powered by WebBeds. Desta forma, disponibiliza mais de 430.000 hotéis em mais de 16.000 destinos espalhados pelo mundo inteiro.

“Esta nova promoção é mais um passo no nosso esforço para oferecer às agências de viagens soluções, neste caso que proporcionem a opção ‘Hotel Only’ a preços com condições únicas, que lhes permite oferecer aos viajantes experiências em cidades de diferentes partes do mundo, sem terem de se preocupar com excessos orçamentais”, explica Luís Santos, diretor comercial da Soltour para Portugal e Espanha.

Entre os destinos incluídos na oferta, a Soltour destaca Roma, por 67 euros; Londres, disponível a partir de 91 euros; Paris, a partir de 88 euros e Berlim, desde 71 euros. As reservas para esta oferta limitada estarão disponíveis até quinta-feira, 18 de abril, para viagens durante o verão.

Além desta campanha, de 18 a 25 de abril, a Soltour oferece preços especiais para a Grécia e para o Chipre, sendo que para reservas de última hora neste mês de abril, e para o fim-de-semana prolongado de maio, a Soltour disponibiliza preços especiais em todos os destinos do seu catálogo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Agências

Go4Travel elege novo Conselho de Administração

A Go4Travel realizou esta terça-feira, 16 de abril, a assembleia-geral para a eleição do seu Conselho de Administração, que teve lugar nas instalações da empresa, em Lisboa.

Publituris

Agora, o novo Conselho de Administração, composto por nove elementos, passa a exercer funções durante o triénio 2024-2026, ficando responsável pela representação das agências acionistas da Go4Travel, delineando e executando a estratégia de desenvolvimento da empresa.

“Assumimos, com um enorme sentido de dever e responsabilidade, a missão de representar os acionistas da Go4Travel nos próximos três anos e contribuir para o crescimento contínuo da empresa. Queremos manter uma relação de proximidade, confiança e transparência com os acionistas, envolvendo as agências Go4Travel e os nossos parceiros numa estratégia centrada na inovação, no desenvolvimento tecnológico e na valorização do nosso maior ativo: as pessoas”, refere João Matias, presidente do Conselho de Administração da Go4Travel.

Desta forma, além de João Matias ter sido eleito presidente do Conselho de Administração, a lista ficou completa com os vogais Joana Godinho de Matos, sócio-gerente da Wide Travel & Events; João Moreira Pinto, sócio-gerente d’A Tropical-Agência de Viagens e Turismo, Lda.; Tiago Madureira Rodrigues, sócio-gerente da WTS-World Travel Services, Lda.; Ricardo Mateus Ferreira, sócio-gerente do grupo Osíris; Miguel van Zeller de Moser, Managing Director da Vega – Agência de Viagens e António Lourenço Moreno, administrador da Club Tour Porto e Club Tour Lisboa.

Foram ainda eleitos como vogais suplentes Tiago Gomes, diretor operacional da Lusanova, Excursões e Turismo, Lda.; António Alves, gerente de Saftur – Viagens e Turismo Lda.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Agências

Top Atlântico promove campanha para as viagens de verão

Com a campanha “Não seja o último a marcar as férias”, a Top Atlântico disponibiliza promoções em viagens para os destinos de férias de praia mais escolhidos pelos portugueses, incentivando a que se evitem as marcações de “última hora”.

Publituris

A Top Atlântico tem vindo a dinamizar a campanha “Não seja o último a marcar as férias”, com promoções para os destinos de férias de praia mais desejados pelos portugueses. Adicionalmente, a agência de viagens possibilita a sinalização de apenas 15% do valor da viagem.

Com esta campanha, a Top Atlântico pretende “salvar as férias de quem se atrasou na sua marcação”, como refere em nota de imprensa, garantindo “condições mais vantajosas”.

Como a agência de viagens explica, “este ano a procura generalizada de férias deixou alguns destinos de verão em operação charter com menos lugares disponíveis em abril, pelo que se pretende encontrar preços acessíveis para as datas mais concorridas”. Por essa razão, a Top Atlântico aconselha os viajantes a “não deixar [as marcações] para a última hora, pois os preços poderão já não ser tão simpáticos e os lugares podem já não existir”.

Nesta campanha, os destinos de sol e praia são os que têm mais destaque. As Caraíbas, nomeadamente o México, República Dominicana e Cuba apresentam preços por pessoa desde os 997 euros. Já o Porto Santo está disponível desde 560 euros e Cabo Verde a partir de 875 euros. Estão também disponíveis “praias em destinos diferentes do habitual” como é o caso da Albânia, desde 1159 euros por pessoa. Sob esta campanha, os clientes podem sinalizar as viagens com 15%, pagando o restante mais tarde, em produto selecionado.

As reservas podem ser realizadas de 15 a 29 de abril, numa das agências Top Atlântico de norte a sul do país e ilhas, nem como online, em www.topatlantico.pt.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

A partir de 29 de junho: Vai ser possível viajar em Classe Business nos programas da Jolidey

A partir do próximo dia 29 de junho, vai ser possível viajar em Business Class nos programas do operador turístico Jolidey entre Lisboa e Punta Cana, La Romana na República Dominicana, Cancun (México), Santa Clara (Cayo Santa Maria) e Varadero em Cuba.

Publituris

Estas operações serão realizadas num dos A330-900Neo da Iberojet, companhia aérea charter do mesmo grupo, a Ávoris, que conta com cabine em classe Business com 18 lugares, permitindo uma experiência de viagem única, desenhada para oferecer comodidade aos passageiros mais exigentes.

Com uma ampla gama de serviços e comodidades exclusivas, esta classe eleva o padrão da viagem, garantindo que a mesma seja agradável desde o momento em que entra a bordo do avião até à chegada do destino final, indica o operador turístico em comunicado.

A Jolidey avança ainda que, a principal vantagem de viajar em classe business radica no espaço e na privacidade oferecida aos passageiros. Os assentos espaçosos e reclináveis permitem esticar-se e relaxar durante o voo, proporcionando um ambiente tranquilo e confortável para descansar ou trabalhar.

Os passageiros que optarem pela classe business vão contar com um conjunto de serviços personalizados, tais como check-in e embarque prioritários, lugar premium, snack frio premium (pequeno almoço quente em voos noturnos), reserva de lugar, necessaire de viagem e auriculares, duas bebidas alcoólicas a cada refeição, refrescos, água e sumos durante todo o voo, fast track (apenas disponível aeroporto de Lisboa), bem como set de manta e almofada premium, bebida de boas-vindas (sumo natural ou vinho) em voos com partida de Lisboa e sanduíche entre serviços.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Bestravel promove Dubai e Tailândia com campanha “Viva o melhor dos dois mundos”

Sob o mote “Viva o melhor dos dois mundos”, a campanha que a Bestravel acaba de colocar no mercado, e que conta com a cara da Rita Ferro Rodrigues, promove a riqueza cultural e histórica do Dubai e da Tailândia, com uma diversidade de programas turísticos e está disponível nas agências de viagens da rede, até 28 de abril.

Publituris

A rede de agência de viagens Bestravel acaba de lançar uma nova campanha promocional em parceria com o Turismo de Dubai e o Turismo da Tailândia.

A campanha teve como kick-off a viagem da conhecida personalidade Rita Ferro Rodrigues, que permitiu conhecer em primeira mão e discurso direto as múltiplas facetas do Dubai e da Tailândia, tendo partilhado com os seus seguidores um conjunto de experiências em família.

A Bestravel, em parceria com o operador turístico Icárion, desenvolveu um programa taylor-made de viagem, semelhante ao programa de férias de Rita Ferro Rodrigues. Ao reservar este programa, os viajantes poderão desfrutar dos mesmos itinerários personalizados, tal e qual como retratado durante a viagem da personalidade portuguesa.

Na campanha, que termina no final do mês de abril, a Bestravel incluiu programas de viagem combinados, que exploram os dois destinos em conjunto, assim como opções para visitar cada um separadamente.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Egotravel lança promoção especial para Agadir e Al Hoceima

O operador turístico Egotravel anuncia descontos exclusivos para Agadir e Al Hoceima até ao próximo dia 15 de abril, válidos para partidas nos meses de junho e julho.

Publituris

Esta oferta exclusiva da Egotravel inclui um desconto de 390 euros na reserva para a primeira criança (entre 2 e 11 anos. Os descontos são válidos apenas para novas reservas e não são aplicáveis a grupos. Além disso, o desconto é limitado a cinco lugares por partida, sujeito a disponibilidade.

Daniel Graça, diretor de Vendas da Egotravel, lembra que Agadir e Al Hoceima “são destinos magníficos para famílias, oferecendo uma combinação perfeita de cultura, aventura e relaxamento”, realçando que “estamos a dar uma promoção imbatível para os agentes de viagens sugerirem aos seus clientes.”

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

TAP adere à plataforma NDC da APG

A plataforma NDC da APG permite que o conteúdo da companhia aérea de bandeira nacional passe a estar disponível para reserva para mais de 1500 agências de viagens em 120 países.

Publituris

A TAP aderiu à APG Platform, a plataforma NDC da APG, que permite que o conteúdo da companhia aérea de bandeira nacional passe a estar disponível para reserva para mais de 1500 agências de viagens em 120 países.

Além da emissão de bilhetes, a adesão da transportadora aérea portuguesa a esta plataforma permite também que os agentes de viagens possam “reservar, emitir, anular, reembolsar e adicionar serviços auxiliares, como malas, equipamento específico, embarque prioritário e refeições especiais, em toda a rede TAP”.

“A TAP Air Portugal está feliz com a parceria com a APG, que tem feito um trabalho pioneiro na promoção da tecnologia NDC por todo o mundo. A TAP continua a promover conteúdos NDC através deste canal e continua empenhada em melhorar as suas capacidades de retalho em benefício dos agentes de viagens”, afirma Justin Jovignot, diretor de Estratégia Comercial e Distribuição da TAP.

Já Heloise Parrain, diretora da Plataforma APG, considera que o “NDC está a mudar a distribuição das companhias aéreas, que não evoluía nos últimos 40 anos”, permitindo que as companhias aéreas  promovam o seu produto. 

A APG Platform conta, atualmente, com 30 companhias aéreas aderentes, permitindo a “emissão de bilhetes que pode ajudar os agentes de viagens a gerar receitas adicionais, alargando o seu catálogo e vendendo acessórios aéreos e não aéreos combinados”, destaca a APG Portugal, num comunicado divulgado esta segunda-feira, 8 de abril.

Esta plataforma, que é usada em 150 países, está ainda em consonância com a mais recente tecnologia XML e segue todos os padrões IATA, estando acessível para agências de viagens IATA e não IATA.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

“Férias no Mar” da Top Atlântico dá desconto em Cartão Continente

A nova campanha da Top Atlântico “Férias no Mar” apresenta propostas de viagens de cruzeiro para 2024, a preços muito apelativos e com 100 euros de desconto em Cartão Continente.

Publituris

A campanha da Top Atlântico “Férias no Mar”, em parceria com o Cartão Continente, visa promover as férias num cruzeiro de 2024, e aplica-se a qualquer itinerário da companhia Costa Cruzeiros, desde cruzeiros pelo Mediterrâneo, Norte da Europa, até às Caraíbas, América do Sul e Médio Oriente. Por cada reserva de um camarote, o cliente ganha 100 euros em Cartão Continente para descontar nas suas compras.

A campanha, disponível até ao próximo dia 23 de abril, para cruzeiros que decorram de abril a novembro de 2024, permite ainda ao cliente sinalizar a reserva apenas com 50 euros por pessoa, pagando o restante mais tarde.

Refira-se que esta campanha pode ser adquirida nas lojas Top Atlântico em todo o país, e no site www.topatlantico.pt.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

TUI Portugal lança campanha ‘Verão HOT’

O operador turístico TUI Portugal promete aquecer o mercado com a sua campanha de ofertas para o verão, com descontos e condições especiais para o cliente final e incentivo para os agentes de viagens.

Publituris

A TUI Portugal anuncia o regresso da sua campanha ‘Verão HOT’, após o que considera ter sido um sucesso de vendas nos anos anteriores. Com ofertas especiais para o cliente final, que contemplam uma ampla variedade de destinos, a campanha inclui ainda um incentivo para os agentes de viagens. As ofertas estarão disponíveis até 28 de abril.

Ao longo deste período, os clientes terão acesso a uma seleção de produtos TUI com descontos até 55%, upgrades de alojamento e regimes, experiências incluídas, noites extra, entre outras ofertas, já disponíveis nas agências de viagens parceiras.

Entretanto, como forma de valorizar a importância das parcerias e relações comerciais com os agentes de viagens, o operador turístico disponibiliza um overcomission especial neste período, associado a uma oferta extra. Em função do volume de vendas, uma parte do valor irá reverter em saldo para o agente de viagens, que poderá escolher beneficiar do mesmo em cartão de compras ou em saldo de viagem TUI. No caso de optar pelo saldo de viagem TUI, o valor imediatamente duplica, para que a experiência de viagem seja ainda mais enriquecedora. Este saldo de viagem é aplicável em todos os pacotes disponibilizados no site do operador, exceto produto dinâmico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Soltour faz balanço positivo da Páscoa 2024

O operador turídtico Soltour anunciou que fechou a Páscoa com crescimento de 30% no número de passageiros face à mesma época de 2023, tendo oferecido voos a partir de Lisboa e do Porto, para uma ampla variedade de destinos como Riviera Maya, Punta Cana, ilhas Canárias e La Romana.

Publituris

Embora a Semana Santa deste ano tenha ocorrido mais cedo do que em 2023, o operador turístico Soltour indica que as vendas foram muito positivas graças à diversidade das operações preparadas com voos diretos para vários destinos.

A estratégia desenhada pela Soltour para esta época festiva baseou-se em voos a partir de Lisboa e do Porto, o que permitiu oferecer aos portugueses, do norte ao sul, um conjunto de destinos tão diferentes como Cancun, Maiorca, Marraquexe e Varadero.

“Estamos muito satisfeitos com os resultados, uma vez que registámos, globalmente, um crescimento de 30% no número de passageiros transportados em comparação com o período homólogo no ano anterior”, explica Luís Santos, diretor Comercial da Soltour para Portugal e Espanha.

No pódio de destinos da Soltour mais procurados pelos viajantes portugueses estiveram, por ordem, a Riviera Maya, Punta Cana e Tenerife. A completar o “top 5”, a Soltour registou grande procura nas operações para Gran Canária e La Romana.

O operador turístico aponta ainda, em nota de imprensa que, os resultados obtidos durante as férias da Páscoa estão alinhados com várias tendências que têm sido apontadas para as preferências de viagens em 2024: destinos com foco na sustentabilidade, aventura, cultura e descontração foram muito bem recebidos pelo mercado nacional.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.