Edição digital
Assine já
PUB
Meeting Industry

NEST promove Building Better Tourism

Organizado pelo NEST – Centro de Inovação do Turismo, em colaboração com a Câmara Municipal de Matosinhos, vai ter lugar nos dias 12 e 13 de janeiro, no Terminal do Porto de Leixões, o BOOST – Building Better Tourism.

Publituris
Meeting Industry

NEST promove Building Better Tourism

Organizado pelo NEST – Centro de Inovação do Turismo, em colaboração com a Câmara Municipal de Matosinhos, vai ter lugar nos dias 12 e 13 de janeiro, no Terminal do Porto de Leixões, o BOOST – Building Better Tourism.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Coming2 pretende ser reconhecida como marca própria no mercado português
Distribuição
BTL recebeu mais de 79 mil visitantes na maior edição de sempre
Meeting Industry
CATAI dá a conhecer programação em roadshow por cinco cidades portuguesas
Distribuição
Algarve soma recordes e apresenta extenso plano de ações para 2024
Destinos
Solférias e Disneyland Paris lançam incentivo para agentes de viagens
Distribuição
V Convenção Nacional da ARAC decorre em Óbidos a 18 de outubro
Transportes
Região espanhola Castilla-La Mancha de olhos postos no mercado português
Destinos
Procura supera oferta na ESHTE
Emprego e Formação
Tunisair regressa a Lisboa com um voo por semana a partir de 6 de maio
Aviação
Turismo do Dubai promove roadshow para o trade português
Destinos

O encontro junta entidades nacionais e internacionais para debater o potencial do turismo através das lentes da transição verde e digital, apresentando também soluções de startups e tecnológicas aplicáveis ao turismo.

Conforme se pode ler na página oficial do Turismo de Portugal, o Building Better Tourism é um espaço para inspirar, discutir opções e caminhos de crescimento e conhecer bons exemplos internacionais para aplicação no tecido empresarial português, contribuindo para a aceleração e reinvenção do setor do turismo. Num contexto de reflexão e debate, serão também apresentados vários programas nacionais de inovação, como o FIT – Fostering Innovation in Tourism, Digital Innovation Hubs ou Future Labs.

O encontro apresenta uma programação alargada e interativa, que conta com mais de 50 oradores e 15 startups oriundas de vários países. Captando uma audiência de C-suits, team-leaders e inovadores dos ecossistemas do turismo e inovação estimam-se cerca de 200 participantes.

A sessão de abertura contará com a presença do secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Nuno Fazenda, do presidente da Câmara Municipal Matosinhos, Luísa Salgueiro, do presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo e do diretor Executivo da NEST, Roberto Antunes.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Coming2 pretende ser reconhecida como marca própria no mercado português
Distribuição
BTL recebeu mais de 79 mil visitantes na maior edição de sempre
Meeting Industry
CATAI dá a conhecer programação em roadshow por cinco cidades portuguesas
Distribuição
Algarve soma recordes e apresenta extenso plano de ações para 2024
Destinos
Solférias e Disneyland Paris lançam incentivo para agentes de viagens
Distribuição
V Convenção Nacional da ARAC decorre em Óbidos a 18 de outubro
Transportes
Região espanhola Castilla-La Mancha de olhos postos no mercado português
Destinos
Procura supera oferta na ESHTE
Emprego e Formação
Tunisair regressa a Lisboa com um voo por semana a partir de 6 de maio
Aviação
Turismo do Dubai promove roadshow para o trade português
Destinos
PUB
Meeting Industry

BTL recebeu mais de 79 mil visitantes na maior edição de sempre

Segundo a organização da feira, ao receber mais de 79 mil visitantes, número que compara com os 63 mil registados no ano passado, a BTL 2024 ultrapassou o Web Summit 2023, “tornando-se no evento com mais visitantes”.

Publituris

A BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa recebeu mais de 79 mil visitantes na edição que terminou este domingo, 3 de março, e que, segundo a organização do certame, foi a maior de sempre da principal feira do turismo português.

“Encerrou ontem, dia 3 de Março, aquela que foi a maior BTL de sempre e que contou com o maior número de participantes. Numa organização da Fundação AIP, a BTL 2024 demonstra o bom momento do turismo português e as perspectivas positivas para o restante ano de 2024”, congratula-se a organização, num comunicado enviado à imprensa.

A organização do certame destaca que, ao receber mais de 79 mil visitantes, número que compara com os 63 mil registados no ano passado, a BTL 2024 ultrapassou o Web Summit 2023, “tornando-se no evento com mais visitantes”.

Mas, além do número de visitantes, a BTL 2024 registou ainda “outros crescimentos significativos”, nomeadamente ao nível da área de implantação da exposição, que cresceu 15%, enquanto o total de expositores subiu 10% e o número de Hosted Buyers chegou aos 200, depois de aumentar 66%, tendo-se contabilizado ainda a participação de 85 destinos internacionais, num aumento de 13%.

“Salienta-se, igualmente, um aumento do número de expositores participantes para mais de 1.500 e o número de reuniões realizadas entre os Hosted Buyers e as empresas nacionais para 3.600”, refere ainda a organização da feira.

Na sexta-feira, 1 de março, a BTL abriu também as vendas de viagens ao público da BTL, que pode entrar na feira a partir das 17h00, estimando-se que as vendas tenham atingido “vários milhões de euros, sendo a BTL o maior evento de venda direta de viagens ao cliente final”.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

49º Congresso da APAVT em Huelva será completamente diferente, assegurou Pedro Costa Ferreira

Pedro Costa Ferreira reconhece que o 49º Congresso da APAVT, que terá lugar de 24 a 26 de outubro deste ano, em Huelva, traz alguns desafios, pela proximidade do destino, por ser numa cidade pequena para acolher o seu maior evento anual, e porque talvez muitos agentes de viagens não conheçam o destino, mas assegura que será um congresso totalmente diferente, “vai ser espetacular e todos vão poder vivenciar Huelva”.

“Temos aqui um desafio, não sei se vai ser muito fácil vender o congresso de Huelva, é muito perto, não sei se os agentes de viagens conhecem muito bem o destino, não sei se acham que é muito pequenino para o nosso maior evento anual, temos algumas dúvidas, mas temos lá estado e a trabalhar com todos eles, e há uma coisa que sabemos é vamos vivenciar o destino e o congresso vai ser espetacular”, disso Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT, numa sessão, durante a BTL, que juntou várias entidades privadas e públicas, não só da cidade de Huelva, da província e da região espanhola de Andaluzia. Todos fizeram questão de apresentar as potencialidades e atributos do destino, que passam pela história, cultura, paisagens, gastronomia e a forma de receber.

O presidente da APAVT reconheceu que “acontece isto com outros destinos na nossa profissão de agentes de viagens, o mercado português conhece muito melhor Cabo Verde ou as Caraíbas, mas Huelva está a uma hora de carro, é um sítio fantástico, tem uma gastronomia espetacular, uma movida brutal e tem condições para acolher um congresso com a dimensão da APAVT como nós não encontramos há muito tempo, tanto do ponto de vista técnico como de apoio político e empresarial de Huelva e da Andaluzia que se juntaram para nos ter lá”.

Pedro Costa Ferreira indicou que “vamos agora fazer o nosso caminho, que é vender a ideia porque, estamos certos que, quando estivermos lá, vamos todos voltar muitas vezes”, para acrescentar que “há ideias novas para este congresso, é muito provável que façamos uma famtrip com uma dimensão grande, ou seja, há gente que vai chegar de Portugal e outros que já estarão a terminar essa famtrip para a abertura do congresso”.

O presidente da APAVT deu ainda conta que “estivemos a ver o centro de congressos há dois anos, ainda em remodelação, e recentemente, voltámos ao mesmo espaço para assistir a um congresso de mais de mil pessoas e, confirmámos que, do ponto de vista de condições técnicas, é tudo aquilo que costumamos utilizar. E estamos muito felizes por isso”, apontou.

Reconheceu que “tanto nós como os nossos parceiros de Huelva e Andaluzia sabemos que as dificuldades são muitas e não foram fáceis de ultrapassar, não é só colocar 750 pessoas numa sala, mas transportá-las ou colocá-las juntas nas refeições, portanto não é em qualquer sítio que se pode realizar, mas em Huelva pode-se realizar facilmente e nós estamos muito satisfeitos por isso”, avançando que o diretor executivo da APAVT, Ricardo Figueiredo, está a ultimar a proposta do valor do congresso e “vamos dando as novidades nos próximos meses”.

Costa Ferreira enalteceu que “se os agentes de viagens têm estado nos nossos congressos e têm gostado, este, de, Huelva, vai ser mais uma página da nossa história, a caminho de Macau, e estamos muito felizes por já ter estes dois congressos marcados porque, dão-nos capacidade para os organizar de outra maneira para podermos entregar mais valor”, referiu.

Sublinhou ainda que “há uma coisa que todos os congressistas vão perceber em Huelva e na Andaluzia em geral, que é a capacidade que têm em receber sempre pensando ao mais alto nível: nunca é nada já agora, é porque querem, porque gostam, gostam de nós deles”.

O presidente da APAVT explicou que “abrimos uma exceção em relação ao mês da realização do congresso, adiantámos para outubro, porque temos a ambição e a esperança de fazer um congresso da APAVT no inverno de manga curta”.

Por outro lado, referiu, como forma de espicaçar todo o trade turístico português a deslocar-se a Huelva entre os dias 24 e 26 de outubro deste ano, que “temos feito os nossos congressos em centros de convenções ou em anfiteatros, mas o sítio onde vamos fazer o congresso da APAVT, por uns dias, vai-se chamar “Cidade APAVT” pois é muito mais do que um centro de congressos. Vamos até lá”, convidou Pedro Costa Ferreira.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Meeting Industry

in.to: Business Tourism mostra na BTL que “o Turismo com Propósito pode beneficiar as empresas”

Maria Xavier, Business Tourism Director da in.to: Business Tourism, revelou que, com esta participação na BTL, a nova marca UPPartner pretende “aumentar o conhecimento da marca e dos seus serviços ao mesmo tempo que damos a conhecer a nossa equipa. Importa mostrar como é que o Turismo com Propósito pode beneficiar as empresas”.

Publituris

A in.to: Business Tourism, a nova marca da UPPartner que promete trazer um novo propósito ao turismo de negócios, está presente na BTL. Esta participação tem como objetivo reforçar a posição da marca como referência no mercado de turismo de negócios em Portugal e divulgar o seu compromisso com o Turismo com Propósito, que combina o sucesso empresarial com a responsabilidade social e ambiental.

Através de um espaço com elementos visuais atraentes, interatividade e mensagens impactantes, todos serão convidados, durante a Feira, a refletir sobre como as suas escolhas nos negócios podem ter um impacto positivo no mundo. “Queremos por isso convidar todos a visitarem o nosso espaço onde, através da nossa ativação “in.to: Discover”, poderão descobrir como é que negócios e propósito se conectam de forma envolvente e inspiradora”, disse a responsável pela nova marca.

O stand da in.to: Business Tourism visa inspirar e educar sobre a importância do turismo com propósito e será transformado numa viagem multissensorial, através do uso da realidade aumentada, pelas paisagens de Portugal.

Neste espaço será ainda possível participar numa ativação com postais, dando uma segunda vida a uma parte dos materiais que compõem o expositor da marca. Ao levar para casa um pedaço do stand, os visitantes levam consigo não apenas uma peça de decoração, mas também um lembrete tangível do compromisso das empresas com as práticas responsáveis e significativas no turismo de negócios.

Será ainda oferecido a todos os visitantes um marcador de livros em papel de sementes, brinde que pretende não apenas promover a marca ou a consciencialização ambiental, mas também refletir os valores das empresas em oferecer soluções sustentáveis e responsáveis.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

O melhor do Centro de Portugal presente na BTL

A Turismo Centro de Portugal vai mostrar o melhor da região durante a 34.ª edição da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa. A entidade indica que, este ano, a sua participação “vai mais além, proporcionando uma experiência envolvente e inovadora aos visitantes”.

Publituris

Num espaço de 810m2, no Pavilhão 1 da FIL, o stand do Centro de Portugal procurará ser um reflexo da riqueza e diversidade da região. A conceção do espaço obedeceu a cinco princípios fundamentais: sustentabilidade, digitalização, redes colaborativas, diversidade e criatividade e inovação.

O espaço reúne as principais marcas regionais, produtos turísticos e entidades públicas e privadas do Centro de Portugal, formando um ambiente representativo da diversidade do território. Desta forma, “o stand ganha vida própria, oferecendo uma visão abrangente e cativante do que os visitantes podem encontrar na região, indica a TCP em nota de imprensa.

Um destaque especial vai este ano para três módulos de ativação: o módulo KIDS Route BTL 2024 | KIDS no Centro, que terá atividades para as crianças e suas famílias; o módulo Caminhos da Fé no Centro de Portugal; e um módulo dedicado ao Turismo Industrial, que contará com um balcão específico de informação alusiva aos parceiros aderentes à Rede Nacional do Turismo Industrial.

No stand da Turismo do Centro estarão presentes as oito Comunidades Intermunicipais da região (Beira Baixa, Beiras e Serra da Estrela, Médio Tejo, Oeste, Região de Aveiro, Região de Coimbra, Região de Leiria e Viseu Dão Lafões), cinco Redes Colaborativas (iNature, Aldeias do Xisto, Aldeias Históricas de Portugal, Aldeias de Montanha e Termas Centro) e cinco comissões vitivinícolas (CVR Tejo, CVR Dão, CVR Beira Interior, CVR Bairrada e CVR Lisboa).

Há ainda espaço para a representação de cinco associações e instituições (Centro de Portugal Film Commission, Universidade de Coimbra, Estações Náuticas, Associação Rota Histórica das Linhas de Torres e Terras da Transumância) e ainda 16 empresas e empresários do setor turístico.

A Turismo Centro de Portugal refere ainda que durante os cinco dias da BTL, “o stand será palco de um programa envolvente, que destaca os principais produtos e experiências disponíveis da região e que está totalmente alinhado com as tendências da procura turística e do comportamento do consumidor”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

Turismo de Portugal promove e participa em diversas iniciativas na BTL

Considerando a BTL como plataforma por excelência para as empresas do setor e os destinos (regionais e internacionais) apresentarem os seus produtos e serviços, e constituindo-se como um espaço privilegiado para os profissionais do turismo estabelecerem novos contactos e partilharem experiências no âmbito da sua atividade, o Turismo de Portugal vai promover e participar num conjunto de iniciativas durante a Feira.

O Turismo de Portugal acompanha a BTL de perto, e anuncia, na sua página oficial, que vai promover e participar em inúmeras iniciativas “relevantes para o turismo nacional”.

O Programa Empresas Turismo 360º é uma dessas iniciativas que, em fase de consolidação, vem reconhecer publicamente as empresas de turismo que já aderiram ao programa promovido pelo Turismo de Portugal, assumindo uma agenda ESG, e cujos relatórios de sustentabilidade relativos a 2022 foram já gerados através da ferramenta FOREST. Este reconhecimento público decorre no dia 1 de março, às 14h30, indica o Turismo de Portugal.

Também a diversificação e qualificação da oferta, em todo o território, é uma área estratégica que contará com o conhecimento do Turismo de Portugal, participante ativo em múltiplos eventos dedicados nomeadamente ao turismo religioso, ao turismo industrial ou às estações náuticas.

Igualmente, a inovação, o enoturismo, smart e green tourism e sustentabilidade são temas que o Instituto abordará nas diversas sessões em que participa.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Meeting Industry

TCP mostrou-se na Feira Internacional de Turismo Ornitológico em Espanha

O Turismo Centro de Portugal (TCP) atraiu atenções dos visitantes na Feira Internacional de Turismo Ornitológico (FIO), que decorreu em Espanha, tendo mostrado grande interesse pela oferta da região a nível do Turismo de Natureza.

Publituris

A Turismo Centro de Portugal (TCP) participou na 19.ª edição da Feira Internacional de Turismo Ornitológico (FIO), que se realizou de 23 a 25 de fevereiro, em Espanha, e despertou o interesse dos visitantes pela oferta da região no Turismo da Natureza. Trata-se da feira mais antiga do setor em Espanha e a segunda maior da Europa.

A TCP promoveu-se com um stand próprio neste evento, reconhecido como um fórum de debate sobre Turismo de Natureza e Observação de Aves.

O espaço do Centro de Portugal teve como principal objetivo divulgar e promover o vasto património natural da região. Os visitantes, em grande número, tiveram a oportunidade de ficar a saber mais sobre um território que engloba, entre muitas atrações naturais, o Estrela Geopark e o Geopark Naturtejo, ambos distinguidos pela UNESCO, e os Parques Naturais do Douro Internacional, da Serra da Estrela e do Tejo Internacional. A região abriga ainda diversas serras e reservas naturais, de grande biodiversidade e onde podem ser observadas aves raras e manifestações geológicas de muito interesse.

Este evento, segundo Raul Almeida, presidente da Turismo Centro de Portugal “atrai profissionais que procuram produtos específicos, relacionados com o turismo da natureza, em que o nosso território oferece inúmeras possibilidades”.

A Junta de Extremadura organiza a FIO no Parque Nacional de Monfragüe, em Villarreal de San Carlos, Serradilla, Cáceres, um local de grande concentração de aves. A feira reúne empresas especializadas, destinos turísticos, associações de conservação e atividades para profissionais do turismo, oferecendo um programa informativo e lúdico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

ACISO reclama maior atenção ao Turismo Religioso

Em jeito de balanço dos XI Workshops Internacional de Turismo Religioso, que decorreram em Fátima e na Guarda, a presidente da ACISO, Purificação Reis, reclama, em declarações ao Publituris, uma maior atenção ao Turismo Religioso, isto porque, “esta riqueza enorme, esta marca mundialmente conhecida, que é Fátima, e todo o património religioso que existe pelo país, bem como celebrações religiosas bastante importantes, são pouco valorizados”.

“Enquanto noutros países, e nomeadamente, os vizinhos, todo o património religioso é valorizado para a promoção, Portugal, com esta riqueza enorme, com esta marca mundialmente conhecida, que é Fátima, além de todo o outro património religioso que existe pelo país e de celebrações religiosas bastante importantes, o Turismo Religioso ainda é pouco valorizado” declarou ao Publituris a presidente da ACISO, Purificação Reis, em jeito de balanço dos XI Workshops do Turismo Religioso (IWRT) que decorreram em Fátima e na Guarda, e que coincidiram, este ano, com a realização da XX Congresso Internacional do Turismo Religioso e Sustentável (CITRys), promovido pela Fundação São José de Ciências Humanas e Religiosas.

A ACISO – Associação Empresarial Ourém-Fátima, entidade que organiza este evento, segundo a sua presidente, “correspondeu às expectativas que tínhamos”, porque permitiu “um enriquecimento global, para além de mais de cinco mil reuniões de contactos de negócios, só em Fátima, estabelecidas entre os operadores turísticos internacionais, de quase 40 países, que convidamos a virem a este evento, e os empresários que se escreveram para reunir com eles”. Destes 131 buyers convidados, cerca de 80 terão seguido para a Guarda, para se reunir com suppliers que se inscreveram para o Workshop de Turismo de Herança Judaica.

Purificação Reis salientou que, simultaneamente às reuniões B2B que decorreram em Fátima “houve um cem número de oradores que debateram temas da atualidade, com intervenções muito interessantes, que nos levam todos a refletir sobre os novos caminhos, tema do workshop e do congresso que era “Traçando novos caminhos”.

Segundo disse, “refletimos nas áreas das novas tecnologias, da Inteligência Artificial, da sustentabilidade, da comunicação do Turismo Religioso, que tem as suas especificidades”, ou seja, “refletimos sobre os caminhos que deverão ser traçados, para onde vamos, e de que forma”, em relação do Turismo Religioso.

Purificação Reis realçou que “foram deixados, na sessão de abertura destes workshops, alguns alertas ao Governo e outras instituições sobre esta matéria”, especificando que “temos outros países a “fabricarem” produtos de turismo religioso com base em aspetos de muito menor importância, e nós não valorizarmos suficientemente toda esta riqueza que temos, portanto, está aqui uma questão de pouca valorização”.

Sobre o facto da ACISO ter juntado os dois eventos, a sua presidente referiu ao Publituris, que “foi uma boa parceria, nós já temos sido convidados a participar neste congresso que é itinerante, já estivemos presentes em alguns deles como convidados, e havia alguma vontade que se realizasse em Fátima, por todo o simbolismo que Fátima e Portugal representam neste segmento”.

Reconheceu que “foi um trabalho acrescido, pois tivemos de organizar dois eventos e não só um, mas enriqueceu a jornada porque, foram dois dias a debater temas sobre o turismo religioso com oradores e investigadores nesta área que nos deram apports muito interessantes de assuntos que nos levam a refletir sobre novas abordagens e novas perspectivas que são bastante importantes para quem trabalha nesta área e para quem tem a seu cargo atividades na promoção do turismo religioso, bem como da forma como o devemos comercializar, promover”.

Na opinião da dirigente associativa, “foram dois dias de enriquecimento e de aquisição de conhecimento, até porque estamos sempre a aprender com novas abordagens e novas perspectivas, por isso, diria, foi muito positivo”.

Este projeto é para continuar, assegurou Purificação Reis, e explicou: “A ACISO é uma associação de âmbito territorial e que tem um território diferente de todos os outros, ou seja, muito marcado pelo Turismo Religioso, porque tem Fátima no seu seio, onde muitos dos nossos associados são da área do turismo”.

Portanto, “como associação empresarial, cuja missão é dar suporte aos seus associados, e havendo muitas empresas turísticas aqui sediadas que são familiares e de pequena dimensão que, sem a nossa ajuda, não teriam condições de promover os seus serviços e os seus produtos lá fora, porque essa promoção está apenas acessível aos grandes grupos, trazemos aqui e promovemos a democratização do acesso à promoção junto dos mercados internacionais, para que possamos mostrar o que temos no território, e que as nossas empresas turísticas possam divulgar os seus produtos e serviços junto dos grandes compradores internacionais em matéria de Turismo Religioso”.

Este ativo da ACISO, que tem assumido um papel de facilitador, “é para manter”, assumiu a sua presidente, como garantiu que este Workshop Internacional sobre o Turismo Religioso, em Fátima, “é para continuar”, tendo em conta os resultados que tem produzido ao longo dos anos.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Meeting Industry

Fátima reafirma-se como “coração” do turismo religioso mundial

A presidente da ACISO, Purificação Reis, e todos os oradores da sessão de abertura dos XI Workshops Internacionais de Turismo Religioso (IWRT), esta quarta-feira, em Fátima, evento que, este ano coincidiu com a realização da 20 edição do Congresso Internacional de Turismo Religioso e Sustentável (CITRyS), realçaram que Fátima reafirma-se como “coração” do Turismo Religioso Mundial.

“Assumimos que o Workshop do Turismo Religioso é uma referência mundial para o trade deste segmento de turismo, e temos trabalhado para que este evento se assuma como um acelerador da operação turística para Portugal no âmbito do turismo religioso”, afirmou a presidente da ACISO, Purificação Reis.

A presidente da ACISO recordou que Portugal registou, em 2023, um ano excecional para o Turismo Religioso, tendo tido o privilégio de receber o Papa Francisco e a Jornada Mundial da Juventude, “evento único que inundou o país de juventude, cor e alegria e que nos deixou esperançados com o potencial futuro do turismo religioso”. Contudo realçou que “vivemos tempos verdadeiramente desafiantes tanto no âmbito internacional como nacional” e que “o turismo está a enfrentar novos paradigmas e exigências”.

Purificação Reis avançou, na sua intervenção que, em 2023, Fátima teve 6,8 milhões de peregrinos registados no Santuário, contando com uma oferta hoteleira que disponibiliza mais de 80 estabelecimentos de alojamento turístico, dos quais 50 são hotéis. Referiu ainda que, neste pequeno território contabilizam-se mais de um milhão de dormidas anuais, 70% das quais são internacionais e com grande expressão em mercados de longa distância.

Por sua vez, na sessão de abertura dos XI Workshops Internacionais de Turismo Religioso (IWRT), o padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima pediu, que o turismo religioso “continue a receber do poder político a merecida atenção”. Na sua intervenção, referiu que “o atual momento político, em Portugal, com a proximidade de eleições legislativas, com as inevitáveis mudanças que trará, provoca sempre alguma incerteza. Resta-me desejar que o turismo religioso, independentemente da solução governativa, continue a receber do poder político a merecida atenção”, disse.

O católico disse que o ano de 2023 ficou marcado pela recuperação do número de peregrinos e visitantes a Fátima. Considerou que “as nossas expectativas apontavam para uma recuperação mais lenta, depois da quebra brutal provocada pela pandemia de Covid 19, mas não foi isso que se verificou”. No entanto, alertou, “precisamos de verificar até que ponto se trata de um crescimento sustentado, excluído o efeito da Jornada Mundial da Juventude e do seu impacto ao nível do turismo religioso, nomeadamente aqui, em Fátima”. Porém, “as expectativas para o presente ano, relativamente ao afluxo de visitantes, são moderadamente otimistas”, sublinhou.

O padre Carlos Cabecinhas lembrou que não podemos igualmente ignorar o contexto internacional e as ameaças à paz, que condicionam necessariamente o turismo. “A paz é desígnio maior que não podemos ignorar e o sofrimento das vítimas não nos deixa indiferentes”, disse, para avançar que, praticamente dois anos do início da guerra na Ucrânia e com quase cinco meses de guerra em Israel e Palestina, “é fundamental afirmarmos o turismo como instrumento de paz e de concórdia entre povos e nações”.

O presidente do Turismo de Portugal, Carlos Abade, sublinhou que, face aos números da atividade turística em 2023, já conhecidos, “o nosso objetivo é muito claro, é continuarmos a crescer, mas de uma forma responsável, sustentável e de uma forma cada vez mais inteligente”, que passa pela valorização das pessoas porque “só pessoas qualificadas e com talento podem acrescentar valor àquilo que é o crescimento do setor, mas também crescimento assente em propostas que valor, que sejam cada vez mais diferenciadoras e inovadoras”.

Assim, Carlos Abade reconheceu que “não há maior diferenciação do que aquela que é possível acrescentar quando utilizamos aquilo que são os nossos recursos, da nossa história e da nossa cultura, e aí dimensão do turismo religioso ganha uma expressão extraordinária”, reforçando que este segmento tem sio uma fonte de captação de turismo para Portugal”.

Os XI Workshops Internacionais de Turismo Religioso (IWRT) decorrem em Fátima, até sexta-feira e seguem para a cidade da Guarda, no sábado.

Os IWRT contam com 131 buyers e 131 suppliers de 40 nacionalidades e cerca de cinco mil contactos de negócios, só em Fátima, os quais acrescem os números do Workshop de Turismo de Herança Judaica, este sábado, na Guarda.

A edição deste ano tem o Paraguai como destino convidado. Para tal, o país da América Latina fez-se representar pela ministra do Turismo, Angie Duarte de Melillo, Javier Ramirez, diretor geral da Secretaria Nacional de Turismo, Esterfania Aderete, representante da DTP Tour Operador, e Olga Fisher, representante da Câmara de Turismo das Missões Jesuítas, que tiveram a oportunidade de apresentar as potencialidades do país como destino de turismo religioso, ainda pouco conhecido em Portugal.

Em defesa do novo aeroporto no Centro e em nome da coesão 

Praticamente todas as intervenções na sessão de abertura destes workshops sobre turismo religioso saíram em defesa do novo aeroporto de Lisboa, no Centro de Portugal, apoiando, de forma inequívoca o projeto de Santarém. “O futuro aeroporto em Santarém seria uma verdadeira solução para a coesão do país e contribuiria em muito para afirmar Fátima no mundo”, destacou a presidente da ACISO.

Purificação Reis observou que “rezam as crónicas que já nos anos 30 o bispo de Leiria fundador do Santuário, D. José Alves Correia da Silva, antevendo a dimensão e alcance da devoção de Fátima, sonhou com a construção dum aeroporto que a pudesse servir”.

Por sua vez, Anabela Freitas, vice-presidente da Turismo Centro de Portugal, apontou que um aeroporto na região Centro é o que melhor defende os interesses do país, sendo a única hipótese que reforça a coesão social.

“O turismo é uma alavanca importante para a coesão territorial, para a fixação de pessoas no território. A decisão do novo aeroporto é fundamental para o desenvolvimento deste setor. Defendemos que essa estrutura aeroportuária deveria ser construída na região Centro, em Santarém, não só para alavancar aquilo que é a economia, e em particular o turismo, mas sobretudo para promover a coesão territorial”, considerou Anabela Freitas.

Também Pedro Machado, presidente da Agência Regional de Promoção Turística do Centro de Portugal, focou o tema do novo aeroporto. “Fátima integra uma rede de Cidades Santuário, quase todas elas servidas por aeroportos de proximidade, à exceção desta. Não se deve construir uma nova estrutura aeroportuária onde já existe uma carga elevada de pessoas e de infraestruturas, como acontece em Lisboa, mas sim num local que contribua para o reforço da coesão territorial, como é o caso de Santarém”, afirmou.

Para além da questão do aeroporto, Pedro Machado acentuou que turismo religioso “é um elemento-chave que, em particular nesta região do Médio Tejo, complementa e dá visibilidade a outros produtos turísticos e aproxima os territórios”.

O presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Albuquerque, que também interveio na sessão de abertura, deixou votos de que os decisores políticos governativos “olhem para o país como um todo, complementar”, capaz de gerar novas centralidades, criação de emprego e valorização dos ativos estratégicos, afirmando que “importa valorizar o muito que Fátima tem para oferecer”, enquanto plataforma turística de eleição para milhões de visitantes anuais, mas, simultaneamente, “preservar a autenticidade espiritual e cultural, qualificando a oferta, reforçando a criação de infraestruturas que respondam aos fluxos de visitantes, avaliando e respeitando a capacidade de carga a cada momento”, indicou.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Meeting Industry

BTL 2024 vai ser também palco de conferências e talks

A 34ª edição da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) vai receber conferências, talks e outras iniciativas espalhadas por sete áreas distintas. Inteligência artificial, sustentabilidade, experiências e soluções tecnológicas estarão em destaque.

Publituris

A Bolsa de Turismo de Lisboa reforçou, na sua edição de 2024, a aposta em conteúdos para profissionais e consumidores, com a organização e acolhimento de várias iniciativas, entre conferências e talks espalhados por sete áreas distintas da feira, que decorre de 28 de fevereiro a 3 de março.

Estes conteúdos, de acordo com informação da organização, procuram afirmar a BTL como um espaço de discussão, troca de ideias e promoção de conhecimento, tanto para os profissionais do turismo como para o público final.

Exemplo disso são as diversas iniciativas que terão lugar no Auditório AVK. No dia 28 de fevereiro, primeiro dia da BTL, o destaque vai para a CNN Portugal Summit “Portugal Tour”, organizada pela CNN Portugal, que irá debater os principais desafios do turismo nacional. A sessão contará com um painel de convidados composto, designadamente, pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, José Manuel Bolieiro, presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos Moedas, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Cristina Siza Vieira, vice-presidente Executiva da AHP, João Oliveira e Costa, CEO do BPI, e Mário Ferreira, CEO da Douro Azul.

O Auditório AVK vai acolher, também, uma talk sobre turismo regenerativo, organizada pela Nova SBE Westmont Institute of Tourism & Hospitality, uma sessão sobre o novo modelo de negócio do turismo 4.0, dinamizada pela Universidade Católica de Lisboa, e uma conferência sobre enoturismo promovida pelo jornal Publituris. O espaço receberá ainda a terceira edição da conferência “Smart and Green Tourism”.

Por sua vez, no Palco BPI os profissionais do turismo poderão descobrir mais sobre a forma como a inteligência artificial está a ser trabalhada no sector em sessões promovida pelo NEST e pela Microsoft. Boas práticas de governance, a humanização, o valor das experiências, a inovação tecnológica e a sustentabilidade serão também alvo de reflexão em conferências organizadas, ao longo dos três dias profissionais da feira, pela AMROP, Universidade Europeia, BTL, NEST, BPI e RIPTUR.

O BTL Lab by Pousadas da Juventude voltará a acolher sessões dedicadas à inovação e a soluções tecnológicas para o turismo. Revenue management, tecnologia de dados, boas práticas de planeamento financeiro, gamified self-guided tours e fotografia serão alguns dos temas que estarão em destaque nesta área da BTL.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

APAVT com presença ainda mais forte na BTL 2024

Com um palco de apresentações e um total de 80 expositores, incluindo, nomeadamente, nove operadores turísticos, 60 agências de viagens, duas empresas de rent-a-car, companhias aéreas e DMC, a APAVT marca presença ainda mais forte na edição de 2024 da BTL.

Publituris

Além de continuar a ser o maior espaço privado da BTL, com uma área de 1.200 metros quadrados, a APAVT reforça este ano a sua presença na BTL com o apoio de novos parceiros.

O bar do espaço APAVT, tradicionalmente o principal ponto de encontro do Pavilhão 4, é este ano apoiado pelo estado brasileiro de São Paulo. O espaço conta também com dois lounges exclusivos, sendo um da APAVT, apoiado pela ANA/Vinci, e outro do GDS Amadeus, ambos projetados para promover networking e negócios.

Além de manter a Ucrânia como o destino convidado, uma das grandes novidades do espaço APAVT nesta edição da BTL é que incluirá um stand de Macau, o “Destino Internacional Preferido” da associação em 2024.

Também se destaca a participação especial de Huelva, destino do congresso da APAVT deste ano, e a habitual presença do IPDAL, que reúne a promoção dos destinos latino-americanos e Caraíbas, bem como da Associação de Defesa do Consumidor – DECO e, no âmbito da Sustentabilidade, da certificadora Travelife for Tour Operators.

Nos dias dedicados ao público consumidor, o stand da APAVT passará por uma transformação de layout, concentrando-se nas vendas diretas ao público pelas agências de viagens expositoras, designadamente das redes Bestravel, GEA, DIT Portugal e Go4Travel.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.