Assine já

WTM 2022 – Future Stage. The Landscape of Travel in 2030 and Beyond

Speakers Left to Right

Fahd Hamidaddin, CEO, Saudi Tourism Authority

Peter Kruger, Member of the Executive Board, Chief Strategy Officer, TUI

Simon Calder, Travel Journalist & Broadcaster, The Independent.

Julia Simpson, President and CEO, World Travel & Tourism Council

Rohit Tawar, CEO Fast Future, Moderator

Meeting Industry

Turismo em 2030: Experiências, personalização, metaverso e biodiversidade

O objetivo era olhar para o que o setor das viagens e turismo será em 2030. As diferenças são assinaláveis e passam muito pelas experiências, mas também e, fundamentalmente, pelo digital e a exploração do metaverso. No fundo, quem não for digital e não proporcionar soluções neste campo, não existe.

Victor Jorge

WTM 2022 – Future Stage. The Landscape of Travel in 2030 and Beyond

Speakers Left to Right

Fahd Hamidaddin, CEO, Saudi Tourism Authority

Peter Kruger, Member of the Executive Board, Chief Strategy Officer, TUI

Simon Calder, Travel Journalist & Broadcaster, The Independent.

Julia Simpson, President and CEO, World Travel & Tourism Council

Rohit Tawar, CEO Fast Future, Moderator

Meeting Industry

Turismo em 2030: Experiências, personalização, metaverso e biodiversidade

O objetivo era olhar para o que o setor das viagens e turismo será em 2030. As diferenças são assinaláveis e passam muito pelas experiências, mas também e, fundamentalmente, pelo digital e a exploração do metaverso. No fundo, quem não for digital e não proporcionar soluções neste campo, não existe.

Victor Jorge
Sobre o autor
Victor Jorge
Artigos relacionados
WTM abre com um olhar sobre o futuro
Meeting Industry
WTM 2021: “Podemos reclamar alguma liderança” na sustentabilidade, afirma Rita Marques
Meeting Industry
“À data de hoje, ultrapassámos claramente aquilo que eram as expectativas quando anunciámos BTL”
BTL
“Tanto“ destino na nova campanha da Turismo do Centro
Destinos

Poderiam ser mais uns aspetos a ter em conta para o futuro do turismo. Do painel que fez uma antevisão de como será o turismo em 2030 – “The Landscape of Travel in 2030 and Beyond” – e onde participaram Julia Simpson, presidente e CEO do World Traval and Tourim Council (WTTC), Simon Calder, jornalista de turismo, Fahd Hamidaddin, CEO do Turismo da Arábia Saudita, e Peter Krüger, membro do Conselho de Administração e Chief Strategy Officer da TUI, houve uma certeza final: “a estratégia terá de ter sempre em mente a visão do cliente. E esse está em contante mudança”.

Cliente controlador
Mas comecemos pelo início. Para o responsável do Turismo da Arábia Saudita, “é preciso dar confiança e poder ao cliente e ir ao encontro do que ele/ela querem controlar”. Além disso, frisou, é a “facilidade, não complicar”. E deu um exemplo simples: “se nos conseguimos unir para salvar vidas e combater a COVID, há que manter essa união para responder às novas tendências no mundo das viagens e turismo”, destacando que, atualmente, “todo o viajante que sentir-se confortável e especial”.

Já Peter Krüger salientou a ligação entre “distribuição entre produto. As pessoas já não querem ir para um lugar 10 ou 15 dias e simplesmente ficar estendidos na praia. Querem mais. Querem o contacto com o local” e aí o executivo da TUI fez especial referência à “personalização” para a qual a “tecnologia é fulcral”. Certo é que para Krüger, a “massificação faz parte do passado, enquanto a preocupação com o local e com a sustentabilidade, nas suas várias formas, fazem parte do futuro”.

Julia Simpson, por sua vez, fez referência ao crescimento que o setor do turismo registou nos nove anos da COVID-19, destacando que “é essencial olhar para o que a geração que hoje tem 12 ou 15 anos querem e esperam. Esses são os turistas e viajantes do futuro e teremos de perceber como estamos a encarar as suas exigências, preocupações e necessidades”, admitindo que, “se não o fizermos, poderemos estar aqui para o ano a colocar esta questão, tal como o faremos nos anos posteriores”.

Sustentabilidade positiva
Na questão da sustentabilidade, a presidente e CEO do WTTC frisou que, atualmente, já não faz sentido falarmos de NET ZERO, já que “essa é uma realidade”, mas para o “NET POSITIVE”, ou seja, para o que “a descarbonização poderá e terá de trazer de positivo para o negócio, cliente e destino”.

Certo é que para a responsável do WTTC, “a procura já ultrapassou a oferta e isso é um problema”.

Mas se a questão da sustentabilidade foi aclarada por Julia Simpson através da positividade que terá de trazer ao setor, Hamidaddin também admitiu que “há muita gente a falar de sustentabilidade, mas pouca gente a atuar de forma positiva”, salientando que sustentabilidade também é “preservação”, salientando que, em breve, haverá testes a essas políticas e estratégias de sustentabilidade que, supostamente, estão a ser praticadas”.

Krüger, por sua vez, foi ao encontro do responsável do Turismo da Arábia Saudita, referindo que no dia em que a sustentabilidade “não é vista como um custo, mas como um investimento, aí teremos sucesso”.

SAF é a resposta imediata e duradoura
No que diz respeito ao negócio e o futuro do mesmo, o executivo da TUI recuperou o que Rohit Talwar referiu no início do WTM e deu um exemplo de uma unidade em Madrid. “Porque não podemos vender o mesmo quarto de hotel duas vezes: uma no físico e outra no virtual?”, esclarecendo que “para muitas pessoas, esta é será uma oferta que vai ao encontro das necessidades e expectativas, já que, eventualmente, não terão dinheiro para ir fisicamente a Madrid, mas nós fornecemos essa possibilidade. Isto é importante para o cliente”.

No que diz respeito às viagens Simon Calder admitiu que, nos próximos dois ou três anos, “não deveremos ver muitas alterações na forma como as pessoas viajam”, explicando que será natural ver uma eficiência cada vez maior nas aeronaves”. O jornalista, contudo, admitiu que, em 2030, teremos “aviões elétricos ou mesmo híbridos”, constatação que Julia Simpson contrariou, já que o hidrogénio ocupa quatro vezes mais espaço que o SAF (Sustainable Aviation Fuel).

Simpson sugeriu ainda que “tem de haver uma narrativa conjunta em todo o setor das viagens e turismo e não termos os hoteleiros a colocar as culpas das emissões na aviação”.

Quanto a novas formas de viajar e de turismo, Simon Calder esclareceu que os projetos de “supercomboios” como o “hyperloop” de Elon Musk ou de Richard Branson estão a registar um desinvestimento, embora reconheça que, no futuro, “mais pessoas viajarão de comboio na Europa”. Contudo, também salienta que, as exigências do futuro, ou seja, em 2030, irão trazer transportes “mais verdes e mais confortáveis”, mas que a urgência das pessoas em chegar ao destino poderão colocar esses aspetos em segundo plano.

No entanto, tudo se resume, novamente, à tecnologia e aí Peter Krüger salienta que essa tecnologia irá dar “mais poder ao cliente ao mesmo tempo que lhe dá acesso a mais informação”. E quem não a disponibilizar “não existe”, diz.

E Fahd Hamidaddin, CEO do Turismo da Arábia Saudita, terminou com uma simples constatação: “Os Jogos Olímpicos de Inverno de 2029 vão acontecer na Arábia Saudita. Onde? Num local que ainda não existe, porque ainda está em construção e que só será possível graças à tecnologia, ao pensamento disruptivo e por acreditarmos que é possível”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Artigos relacionados
Meeting Industry

FITUR fecha com mais de 220.000 visitantes

A FITUR 2023 fechou o evento com mais de 220.000 visitantes – 136.000 profissionais e 86.000 de público geral. No digital marcaram foram ainda registadas mais de 146.000 visitas. Para a edição de 2024, o país convidado será o Equador.

A Feira Internacional de Turismo (FITUR) 2023, evento que fechou portas no passado domingo, 22 de janeiro, encerrou com mais de 222.000 visitantes, dos quais 136.000 profissionais e 86.000 de público geral. Estes números representam um crescimento total de 99,6% face ao evento do ano passado, e de mais 68% no público profissional, relativamente à FITUR 2022, sendo que no público geral, o número foi multiplicado por três.

Na feira deste ano marcaram presença 8.500 empresas, 131 países, 755 expositores, nos oito pavilhões que a IFEMA dedicou à FITUR 2023 em perto de 67 mil metros quadrados líquidos de área de exposição, igualando, desta forma, a ocupação de 2020.

A organização da FITUR já tinha avançado que estimava em aproximadamente 400 milhões de euros o impacto económico da feira na comunidade de Madrid. Na componente digital, a IFEMA destaca outro recorde, informando que foram registadas 146.000 visitas ao site do evento.

Nesse contexto, a plataforma digital FITUR LIVEConnect, que complementa a feira com um formato híbrido, contabilizou mais de 56.000 registos contra os 31.000 de 2022.

Quanto à exposição mediática do evento, a FITUR registou a acreditação de 6.374 jornalistas, mais 58% que em 2022, dos quais 5.861 eram espanhóis e 513 de 46 países internacionais.

Para a edição de 2024, foi já anunciado o país convidado/parceiro – Equador – tendo sido assinado o acordo entre o ministro do Turismo do Equador, Niels Olsen, e o presidente do Comité Executivo da IFEMA Madrid, José Vicente de los Mozos.

De referir que Portugal esteve presente 92 empresas e as sete agências regionais de promoção turística (ARPT), contabilizando-se ainda mais algumas participações isoladas do stand do Turismo de Portugal.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Prémios

Conheça os nomeados dos “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023”

Os “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL” têm na sua edição de 2023, uma centena de nomeados. As votações terminam a 17 de fevereiro de 2023.

Publituris

Estão lançados os “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023”. Para a edição deste ano, existem 100 nomeados em 16 categorias, havendo ainda lugar ao prémio de “Personalidade do Ano”, atribuído diretamente pela redação do jornal Publituris.

Tal como na edição de 2022, os vencedores serão encontrados através de uma média ponderada entre os votos do Júri (45%), dos assinantes do jornal do Publituris (45%) e subscritores da newsletter diária do www.publituris.pt (10%).

Face às edições anteriores dos “Publituris Portugal Trade Awards” existem categorias que transitam para os “Publituris Travel Awards” que se realizarão no final do mês de junho de 2023. As categorias que transitaram para os “Publituris Portugal Travel Awards” foram todas as categorias relacionadas com a hotelaria, rent-a-car, cruzeiros, parques temáticos, animação turística e marinas.

A entrega dos “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023” realizar-se-á no dia 1 de março de 2023, a partir das 17h00, na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) 2023.

A votação online decorre no site dos prémios – https://premios.publituris.pt/ – entre os dias 23 de janeiro de 2023 e 17 de fevereiro de 2023.

Para validar o voto é exigida a introdução do e-mail, que terá de ser idêntico ao de registo na newsletter do Publituris.pt.

Os nomeados dos “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023” são:

Melhor Operador Turístico
Icárion
Lusanova
Nortravel
Quadrante
Solférias
Soltour
Soltrópico
Sonhando
Viajar Tours

Melhor Agência Corporativa
Carlson Wagonlit Travel (CWT)
Cosmos
Globalis
Osiris
TQ Travel Quality
Travelstore American Express GBT
Wide Travel

Melhor Consolidador
Consolidador.com
Magnet
TUI Air Cruiser

Melhor DMC
Abreu Events
Buzz Travel
CITUR
DTravel
EC Travel
In Tours
Inside Tours
PT DMC by Em Viagem

Melhor Distribuidor B2B
Bedsonline
Tour10
Turitravel
Veturis
W2M

Melhor GSA Aviação
APG
ATR
Select Aviation
Silon Aviacion
Summerwind

Melhor Sistema Global de Distribuição
Amadeus
Destinux
Travelport

Melhor Empresa de Transfers
CM Private Luxury Tours
DP Tours Plus
Specialimo
Timeless
VIP Limousines
Yellowfish

Melhor Empresa Gestão Hoteleira
AHM
Amazing Evolution
Blueshift
DHM
Unlock Boutique Hotels

Melhor Empresa Software Gestão Hoteleira (PMS)
CLEVER
GuestCentric
HiJiffy
HOST
Newhotel
Paratytech
RoomRaccoon
XLR8RMS

Melhor Startup
Handyhostel
LUGGit
Merytu
Pleez
Sciven
YooniK

Melhor Consultoria e Assessoria Turismo
ABC Hospitality
IPDT
Neoturis
Pendular
PHC
Viability

Melhor Formação Turismo
Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril
Escolas de Turismo de Portugal
ISAG
ISCE
NOVA SBE Westmont Institute of Tourism & Hospitality
Universidade de Évora
Universidade Europeia

Melhor Seguradora de Viagens
Allianz
Europe Assistance
IATI Seguros
In Sure Brokers
Liberty
MAPFRE
MDS
SGS

Melhor Empresa Organização de Eventos
29 Graus
Desafio Global
GR8
H2N
NIU – Brand Activation
Voqin´

Melhor Venue para Eventos e Congressos
Alfândega do Porto
Altice Arena
Altice Forum Braga
CCB
Centro de Congressos do Estoril
Convento de São Francisco
Convento do Beato
WOW Porto

Personalidade do Ano 2022
Prémio atribuído diretamente pela redação do jornal Publituris.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Nova edição: Os nomeados dos Portugal Trade Awards, Lisboa e autocarros de turismo

A nova edição do Publituris faz capa com os nomeados para os Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023, que vão ser entregues no primeiro dia da BTL, a 1 de março. Além disso, inclui também um especial sobre Lisboa, um dossier sobre autocarros de turismo e passageiros, uma entrevista com o responsável da VARIAÇÕES e um artigo sobre a Turiset, a primeira agência em Portugal a ostentar o selo ‘Checked by DECO’.

Publituris

A nova edição do Publituris, a última do primeiro mês de 2023, faz capa com os nomeados para os Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023, que vão ser entregues no primeiro dia da BTL, a 1 de março.

Este ano, são 100 os nomeados, em 16 categorias, às quais acresce o prémio “Personalidade do Ano”, que é escolhido diretamente pela equipa do Publituris. A votação online arranca já na próxima segunda-feira, 23 de janeiro, prolongando-se até 17 de fevereiro.

Nesta edição, publicamos também um especial sobre Lisboa, destino cuja marca está a puxar toda a região, segundo Vitor Costa, presidente da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa e diretor-geral da Associação de Turismo de Lisboa (ATL). Neste trabalho, saiba também porque quer a ATL repensar a estratégia turística para a região, através das palavras da diretora executiva da associação, Paula Oliveira, fique a par das novidades da hotelaria na região da capital para este e para os próximos anos e conheça ainda a nova Doca da Marinha, que promete aproximar Lisboa do Tejo.

Na secção Distribuição, publicamos ainda um artigo sobre a Turiset, que se tornou na primeira agência de viagens em Portugal a ostentar o selo “Checked by DECO”, e, em MI, o destaque vai para uma entrevista com Diogo Vieira da Silva, diretor-executivo da VARIAÇÕES – Associação de Comércio e Turismo LGBTI+, que vai estar presente na BTL 2023 e que pede que Portugal crie uma estratégia para este segmento, que vale perto de 50 mil milhões de euros.

O Dossier desta edição do Publituris é dedicado aos autocarros de turismo e passageiros, que se mostram mais confiantes em relação a 2023, uma vez que, com a melhoria da situação epidemiológica, a procura parece estar a regressar. Apesar de positivas as expetativas para este ano, as empresas mostram-se moderadamente otimistas, uma vez que os desafios continuam a ser muitos e foram agravados com a guerra na Ucrânia, nomeadamente ao nível dos custos com o combustível, aos quais estas empresas estão particularmente expostas. Neste dossier, saiba ainda que novidades estão as empresas de autocarros de turismo e passageiros a preparar para este ano.

Além do Pulse Report, esta edição conta ainda com as opiniões de Francisco Jaime Quesado (economista e gestor); Mariana Marques (docente do ISG); Andrea Santos, Filipe Trindade e Gilda Mendes (coordenadores da Pós-Graduação em Organização de Eventos do ISAG); e António Paquete (economista).

Boas leituras!

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do Publituris. Pode comprar apenas esta edição ou efetuar uma assinatura do Publituris aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Carmo David | [email protected] | 215 825 43

Nota: Se já é subscritor do Publituris entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção Premium – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler, abra o epaper com os dados de acesso indicados no final do resumo de cada edição.

 

 

 

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Turismo

Portugal espera repetir este ano crescimento do turismo acima do esperado de 2022

“Aquilo que estamos a prever para 2023 é continuar o crescimento que tivemos em 2022, obviamente, com grandes incertezas, da guerra na Ucrânia até à inflação. Mas acreditamos que estamos muito bem posicionados”, afirmou Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal.

Publituris

Portugal apresenta-se na Feira de Turismo de Madrid (FITUR), com 92 empresas num expositor de 900 metros quadrados do Turismo de Portugal, além da presença das sete regiões turísticas do país (Porto e Norte, Centro, Alentejo, Algarve, Madeira e Açores) e diversos municípios e entidades intermunicipais em ‘stands’ próprios na FITUR, com a expectativa de repetir este ano o crescimento do setor acima do que tinha sido previsto para 2022 e de captar mais turistas em Espanha.

O ano passado é já “o melhor de sempre do ponto de vista de receitas” do turismo português, com uma estimativa de mais de 22 mil milhões de euros, que comparam com os 18,4 mil milhões de 2019, o último sem qualquer impacto da pandemia de covid-19, disse aos jornalistas o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, em Madrid, na abertura da FITUR.

“Recuperámos antes do que prevíamos”, sublinhou o presidente da entidade responsável pela promoção de Portugal como destino turístico.

“Aquilo que estamos a prever para 2023 é continuar o crescimento que tivemos em 2022, obviamente, com grandes incertezas, da guerra na Ucrânia até à inflação. Mas acreditamos que estamos muito bem posicionados. Um exemplo disto é esta feira, a FITUR”, acrescentou Luís Araújo, que destacou que o mercado espanhol é atualmente o segundo maior para Portugal em número de hóspedes e o quarto em termos de receitas.

Em relação a Espanha há, assim, segundo Luís Araújo, “um trabalho a fazer” para aumentar as receitas, através de “segmentos específicos” do mercado.

De um ponto de vista mais global, a estratégia é “tentar diversificar ainda mais o núcleo de mercados” que são fundamentais para o turismo português, afirmou.

Para este objetivo, uma das chaves de crescimento está nas ligações aéreas, de que o turismo português depende por causa da localização geográfica do país.

“Temos conseguido retomar as rotas que tínhamos perdido em 2020 e 2021 e estamos já com os indicadores muito próximos [aos dos anos anteriores]. Este ano, 2023, vamos ultrapassar 2019. É uma das grandes âncoras para a retoma do setor”, afirmou o presidente do Turismo de Portugal.

Luís Araújo destacou que “o crescimento faz-se em todos os aeroportos” e deu como exemplo, precisamente, Espanha, país que teve ligações com os cinco aeroportos nacionais portugueses no ano passado, através da companhia aérea espanhola Iberia, “um fator ótimo de distribuição” de turistas, principalmente de mercados a que no passado Portugal não chegava, como o mexicano ou outros da América do Sul.

“O nosso papel é, em conjunto com cada um dos nossos aeroportos, e há ainda margem para crescer em muitos dos aeroportos, tentar demonstrar esta capacidade de atração para todas as regiões. Aquilo que nós entendemos é que existe obviamente um ‘hub’, que é Lisboa e faz esta distribuição, mas existem muitos motivos de interesse para muitos mercados para destinos como Algarve, o norte ou as ilhas”, afirmou.

Presente na FITUR está também o secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços (SETCS), Nuno Fazenda, que destacou, em declarações aos jornalistas, a importância do mercado espanhol e a “forte presença” de empresas nacionais na feira de Madrid deste ano.

“O mercado espanhol é um mercado muito importante para o nosso país, é o segundo maior mercado em dormidas e o primeiro em algumas regiões, como o Norte, Centro e Alentejo. E, nesse contexto, temos também de trabalhar vários segmentos para crescer também em valor e crescer também no interior, no território do interior de Portugal”, afirmou.

O ministro da Economia, António Costa Silva, e a ministra espanhola do Turismo, Reyes Maroto, apresentam esta quinta-feira, 19 de janeiro, a Estratégia de Cooperação Transfronteiriça entre Portugal e Espanha para o setor do turismo, que foi acordada na última cimeira ibérica, em novembro passado.

“É um reforço para desenvolver também turisticamente o interior do nosso país”, sublinhou Nuno Fazenda, que considerou a região transfronteiriça “uma centralidade ibérica” que é necessário potenciar através da promoção turística, mas também do aumento e melhoria das ligações aéreas, rodoviárias e ferroviárias entre Portugal e Espanha, como está previsto, sublinhou, no âmbito de investimentos com fundos europeus dos planos de recuperação e resiliência.

O secretário de Estado manifestou-se “muito satisfeito” com a adesão de empresas e outras entidades a esta edição da FITUR, com vista à afirmação de Portugal como destino turístico no mercado espanhol.

Em paralelo, defendeu a continuidade na aposta dos mercados estratégicos para Portugal dentro e fora da Europa, onde está concentrada 80% da procura turística do país.

Neste contexto, deu como exemplo o sucesso recente da aposta nos Estados Unidos, que transformou este país no quinto com maior peso no turismo português.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

FITUR contribuirá com 400 milhões de euros para a economia de Madrid

Com início já no próximo dia 18 de janeiro, a FITUR 2023 espera cerca de 120.000 visitantes profissionais, enquanto as visita de público geral deverá ficar entre as 80 a 90 pessoal. A organização antecipa, também, um crescimento de 32% da participação direta face à última edição de 2022, com a participação internacional a evoluir 50%.

Victor Jorge

A poucos dias do início da FITUR 2023, evento que se realiza de 18 a 22 de janeiro, a organização dá conta que os números confirmam um “crescimento significativo” da feira, com a ocupação a assemelhar-se ao do ano recorde de 2020. No total, contabilizam-se 8.500 participantes, 131 países, 755 expositores principais e perto de 67 mil metros quadrados de área de exposição, admitindo a organização da FITUR um contributo de mais de 400 milhões de euros para a economia de Madrid em setores como o alojamento, transportes, comércio, lazer, restaurantes e serviço de catering.

No que diz respeito à participação direta, a organização antecipa um crescimento de 32% face à última edição de 2022, com a participação internacional a evoluir 50%. Assim, estima-se que o número de visitantes profissionais alcance os 120.000 e que a visita de público geral se fixe entre 80 a 90 mil no fim-de-semana.

Em termos de participação internacional, e por zona geográfica, também se regista um crescimento significativo face à última edição da feira. Neste ano, a Ásia-Pacífico destaca-se, com um aumento de 163% nas empresas participantes; Oriente Médio, +60%; África, +88%; Europa, +42%; e as Américas +30%. Esses aumentos também se refletem no espaço expositivo internacional, onde África, que aumenta o seu tamanho na feira em 146%, a Ásia em +78%, o Oriente Médio em +437% e a Europa em +32%, estão entre os destaques.

A participação empresarial também teve um aumento significativo, com 25% a mais de empresas de turismo e 27% a mais de empresas de tecnologia, que aumentaram a sua área de exposição em até 50%.

Guatemala apresenta novidades
Enquanto país parceiro e convidado, Guatemala irá apresentar as novidades do destino sob o mote “Guatemala. Amazing and Unstoppable”. Assimm, o stand do país da América Central será um reflexo da cultura e tradição guatemalteca, graças à exposição de tecidos típicos, cores vibrantes, constituindo, igualmente, uma homenagem ao património e à biodiversidade que caracterizam os destinos guatemaltecos.

A nova marca que Guatemala apresentará na FITUR 2023 abrange pela primeira vez as indústrias de turismo, economia, investimento e cultura, com o Instituto Guatemalteco de Turismo (INGUAT) a focar as suas atenções, igualmente, no desenho e desenvolvimento do stand, tendo em mente a sustentabilidade.

De referir que o turismo é uma indústria chave para a Guatemala, representando 3,8% do PIB (ano de 2021), gerando perto de 200.000 empregos.

Depois de alguns anos em que o número de visitantes estrangeiros se reduziu devido à pandemia, os números estão a crescer de forma muito positiva, graças aos esforços do INGUAT para promover o turismo na Guatemala. Durante o primeiro semestre de 2022, a Guatemala recebeu 770.876 visitantes estrangeiros, mais 513.002 do que em 2021, representando uma evolução de 199%. Graças à forte estratégia de promoção que está a ser conduzida, a previsão para 2023 é que o destino alcance cerca de 2,2 milhões de turistas.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Meeting Industry

Sertã vai ser palco do 1º Encontro Nacional de Turismo em Espaço Rural

Numa organização da Associação de Hotéis Rurais de Portugal (AHRP), a Sertã vai acolher, nos dias 10 e 11 de fevereiro, o 1º Encontro Nacional de Turismo em Espaço Rural, que visa analisar questões que têm a ver com a valorização do setor e os desafios que se colocam no futuro.

Publituris

O evento, que acaba de ser apresentado publicamente, é dedicado ao setor do turismo em espaço rural e às empresas do turismo que atuam em meios rurais, profissionais de unidades de alojamento TER, animação turística, restauração, fornecedores deste setor, operadores turísticos e agentes de viagens.

Diz ainda a Associação que, com este encontro pretende-se capacitar os participantes das mudanças no mercado, partilhar experiências e contactos com capacidade para gerar negócios, e ajustar a oferta de modo a melhorar o setor dos serviços turísticos.

Esta conferência de apresentação contou com a participação do presidente do município da Sertã, da chefe de núcleo da Entidade regional do Turismo Centro de Portugal, do presidente da Associação de Hotéis Rurais de Portugal e do presidente da comissão organizadora do evento.

Cândido Mendes, presidente da direção da AHRP, chamou a atenção para a evolução do turismo em espaço rural (TER) e para as suas especificidades, salientando, ainda, a quantidade e a qualidade das unidades de alojamento de turismo em espaço rural, sendo que o 1º Encontro Nacional de Turismo em Espaço Rural deverá capacitar as empresas do setor, para um mais e melhor turismo, sem esquecer a sustentabilidade caraterística do turismo rural.

“O turismo rural é um subsetor do turismo que tem crescido imenso nos últimos anos, não só quantitativamente como qualitativamente e que pode dar um grande contributo para o desenvolvimento das economias locais”, afirmou Cândido Mendes, da AHRP, durante a apresentação do evento, na Sertã. Assim, o responsável destacou que a Associação propôs-se realizar a iniciativa, devido ao “salto quantitativo e qualitativo” que este subsetor turístico registou em Portugal.

A apresentação do programa do evento foi desenvolvida por Jorge Vieira, presidente da comissão organizadora, que destacou as temáticas principais que estarão em debate, sendo estas a sustentabilidade do TER, a gastronomia, a digitalização do setor e um destaque especial para a comunicação e para as vendas, de um segmento com necessidades muito específicas.

Por sua vez, Adriana Rodrigues, do Turismo Centro Portugal, disse que o turismo deixou de ser um fenómeno exclusivo das praias e das grandes cidades, realçando que “o turismo em espaço rural ganhou força enquanto conceito e passou a fazer parte das estatísticas e conquistou o seu próprio espaço. O seu crescimento, em pouco mais de três décadas, foi exponencial”.

Segundo a responsável, que avançou com dados da Pordata referentes a este subsetor do turismo, atualmente há cerca de 24 mil camas em turismo rural no país, ou seja, já é um fenómeno consolidado, tendo passado de apenas uma moda para “ser uma alternativa séria a outros tipos de turismo, que foram e que são considerados convencionais”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Soltour vai à FITUR para apresentar novidades para 2023

A Soltour Travel Partners marca presença na FITUR com uma agenda completa de iniciativas. O Soltour Travel Partners Summit será palco de 13 iniciativas que, além de um olhar sobre o futuro do turismo, mostrará, também, os quatro destinos prioritários para 2023.

Publituris

A Soltour Travel Partners vai marcar presença na FITUR – Feria Internacional del Turismo, que tem lugar de 18 a 22 de janeiro, em Madrid, prometendo uma agenda cheia de iniciativas, tendo em vista debater o futuro, novidades, preocupações e soluções da indústria.

Para os três dias dedicados ao público profissional (18, 19 e 20 de janeiro), a Soltour Travel Partners irá organizar atividades e apresentações diversas na sua Soltour Travel Partners Summit.

Durante os três primeiros dias profissionais da feira, a empresa vai organizar um total de 13 atividades e conferências, segmentando-as em mesas-redondas, palestras, conferências e atividades diversas que contarão com a presença de diferentes especialistas de cada setor.

Em comunicado, a empresa refere que o compromisso da Soltour Travel Partners passa por “disponibilizar às agências de viagens conteúdos de elevada qualidade e utilidade, sob temáticas diferenciadas e atuais – como a importância dos hotéis para descobrir e conhecer a cultura dos destinos, a especialização da operação turística, os novos desafios que as companhias aéreas enfrentam em matéria de sustentabilidade, o papel das redes sociais e o futuro das agências de viagens”.

No que diz respeito ao futuro das agências de viagens, a mesa-redonda incidirá o seu foco na digitalização do setor turístico, a sua progressiva recuperação económica e os desafios – e soluções – que enfrentam hoje as agências de viagens.

Os novos parceiros da empresa também estarão em destaque durante a FITUR. Por um lado, a Guest Incoming especializa-se na costa portuguesa e na costa espanhola e, há alguns meses, trabalha intensamente com a Soltour Travel Partners para desenvolver uma nova área de negócio focada nas zonas costeiras.

A Europamundo, por sua vez, destaca-se pelo seu profundo conhecimento dos circuitos de viagens personalizados e flexíveis, enquanto a Luxotour é expert em circuitos de viagens no norte de África e no Oriente. A esta nova lista juntar-se-á um novo parceiro especializado, que oferecerá um bed bank através de uma nova ligação comercial à Soltour Travel Partners.

Para Tomeu Bennasar, CEO de Soltour Travel Partners, “estas novas alianças vão permitir que sejamos muito mais competitivos, reforçando o nosso compromisso de oferecer às agências de viagens produtos e soluções inovadoras, diversificando ainda mais a nossa oferta e dotando as agências de maior competitividade, enquanto melhoramos a experiência dos nossos serviços e das nossas viagens”.

Além disso, serão levadas a cabo diversas conversas que abordarão diferentes aspetos-chave do setor turístico, dos quais se destaca o Metaverso. Silvia Leal, comunicadora de ciência e especialista internacional em tecnologia e tendências do futuro, explicará o que é e como funciona o metaverso, as suas aplicações concretas e todas as possibilidades que esta ferramenta em crescimento pode oferecer ao turismo.

A somar a outros encontros promovidos como, por exemplo, entre Encarna Piñero (CEO do Grupo Piñero) e Gabriel Escarrer (Vice-Presidente Executivo e CEO da Meliá Hotels International), que vão debater os desafios do turismo em 2023, a Soltour Travel Partners apresentará ainda os seus quatro destinos prioritários para 2023 com importantes novidades: Riviera Maya, República Dominicana e Cabo Verde.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Agenda

11.º Congresso da APECATE vai “Encarar, Refletir e Avançar”

O 11.º Congresso da APECATE vai centrar-se nos efeitos que a atual conjuntura, difícil e em permanente mutação, tem vindo a exercer sobre o setor do turismo. Os palcos de 1 a 3 de fevereiro serão Elvas e Campo Maior.

Publituris

Elvas e Campo Maior serão os palcos do 11.º Congresso da Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos (APECATE) que, de acordo com António Marques Vidal, presidente da associação APECATE, “vai centrar-se nos efeitos que a atual conjuntura, difícil e em permanente mutação, tem vindo a exercer sobre o setor do turismo”.

António Marques Vidal salienta ainda que o evento, que se realiza de 1 a 3 de fevereiro, tem como objetivo proporcionar aos empresários – em particular aos organizadores de congressos, eventos e atividades de Animação Turística – “um maior e melhor conhecimento sobre as opções e os caminhos que terão que desbravar e trilhar para poderem construir o seu futuro”.

De forma a proporcionar um debate construtivo para todos os participantes, vão estar presentes no Congresso empresários de vários subsetores do Turismo e também representantes de instituições portuguesas e espanholas. Quanto aos temas que serão abordados, o presidente da APECATE frisa que “visam refletir sobre algumas das nossas principais preocupações e são uma clara manifestação das nossas intenções sobre como desenvolver o setor dos Congressos, Eventos e Animação Turística”.

Assim, Sustentabilidade e Turismo, o Desafio dos Eventos, Património como um valor incontornável e Valorizar, Partilhar Reforçar os Destinos do Interior são apenas alguns dos tópicos que estarão em discussão ao longo dos três dias.

Quanto às expetativas da direção para o 11.º Congresso da APECATE, são as de “conseguir fazer um Congresso que seja um momento de partilha e reflexão do setor com os empresários e todas as instituições com que trabalhamos, alargando os momentos de partilha e convívio, dinamizando a vida empresarial e facilitando contatos e criação de rede”.

De salientar também a aposta num destino do interior, “demonstrando que existem condições para receber os Congressos e Eventos”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Crédito: Getty Images

Meeting Industry

Lisboa recebe congresso da UEFA em abril

Lisboa recebe, pela segunda vez, o Congresso da UEFA. Depois de 8 de junho de 1956, agora é no dia 5 de abril de 2023 que a reunião que elege o presidente do organismo se realiza na capital portuguesa.

Publituris

A cidade de Lisboa será o palco do 47.º Congresso da União das Federações Europeias de Futebol (UEFA), cuja realização está marcada para o dia 5 de abril, não havendo, até ao momento, indicação do local para a realização do evento.

Esta é a segunda vez que a capital portuguesa recebe o principal reunião da UEFA, depois de já ter sido destino em 8 de junho de 1956.

Na altura da indicação de Lisboa para receber esta reunião, o primeiro-ministro, António Costa, referiu, em maio de 2022, que esta decisão revelava, mais uma vez, “o mérito e prestígio das cores nacionais vai muito para além das quatro linhas”. António Costa, referia ainda que Portugal “continuará a ser um dos melhores países, destinos turísticos do mundo e quarto país mais seguro do mundo, continuando no caminho das vitórias não só no campo, mas também na organização de grandes eventos”.

Também Carlos Moedas, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, referia, em maio de 2022, que “é com grande orgulho e satisfação que vejo Lisboa ser escolhida como palco para este grande desafio”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Meeting Industry

53.ª edição da Nauticampo de 8 a 12 de fevereiro na FIL

A Nauticampo, considerada a maior mostra nacional dos sectores da Náutica, Campismo, Desporto de Aventura e Destinos, regressa à FIL na sua 53.ª edição, entre os dias 8 e 12 de fevereiro. O certame está aberto aos profissionais do setor e ao público em geral.

Publituris

Esta Feira “regressa num momento oportuno em que as pessoas reaprenderam a valorizar a liberdade de sair, passear e usufruir da vida ao ar livre, neste cenário pós-pandemia”, referiu Miguel Anjos, Gestor da Nauticampo.

O responsável evidencia “o grande interesse de empresas nacionais e internacionais, em particular espanholas, que vêem na Nauticampo uma porta de entrada para o mercado português, quer para contactar com o cliente final, quer para identificar representantes ou distribuidores das suas marcas.”

Tendo em conta a forte expansão do setor náutico e do campismo em Portugal, também o posicionamento da Nauticampo se tem orientado para novos públicos, com uma oferta integrada, que vai desde produtos mais tradicionais, como a náutica e o campismo, até ao desporto aventura ou outras atividades dedicadas a um público mais jovem, sendo o evento escolhido por muitas empresas para apresentação de novos produtos ao mercado.

A Nauticampo servirá igualmente de montra para a oferta dos destinos nacionais que têm apostado cada vez mais na criação de infraestruturas que visam atrair empresas e praticantes de atividades outdoor. Assim, a organização do certame refere que este é um excelente indicador, que permite prever um crescimento sustentado do mercado e criação de grandes oportunidades de negócio.

O Salão vai ainda ter espaço para as “Nauticampo Talks”, que visa promover o debate de ideias e a apresentação de novos projetos por profissionais dos sectores em exposição, bem como a “Nauticampo Experiences”, onde vão ser partilhadas histórias e aventuras.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.